Planetas na Casa IV

22 de novembro de 2007 ·

Alguns indicadores dos planetas na Casa IV

Planetas nesta casa descrevem a vivência do lar de origem. Representam aspectos do ser que podem estar condicionados por experiências de infância. Estes aspectos são vivenciados no íntimo, no refúgio do lar. A proposta será fazê-los passar do estado de "latência" para o de expressão. O lar, os pais, a hereditariedade, as posses imobiliárias. O ambiente do qual nos apercebemos e que temos tendência a viver no início e no fim da nossa vida, a nossa riqueza interior, os tesouros escondidos, a sepultura, os legados à posteridade, a reputação após a morte. O nativo que tiver esta Casa fortemente influenciada sentirá a necessidade de deixar a sua marca boa ou má em relação com a influência do seu destino por meio das estrelas no seu horóscopo de nascimento. Nesta Casa, o livre-arbítrio é muito restrito; não é, todavia, possível fazê-lo agir. Por esse motivo, é preciso que o nativo se sirva de uma vontade superior à normal.

SOL EM IV: A identidade pode ter sido profundamente marcada pela infância e pelo meio familiar em geral. Esta fase de crescimento será sempre uma referência (agradável ou desagradável). Para "crescer", há que passar por um processo de "emancipação" do meio familiar.
Você é pessoa de família por natureza. Sente um grande orgulho na sua herança familiar que pretende perpetuar. A segurança do seu lar e da sua família são o mais importante para si o que o leva ao desejo de ser o líder familiar. Há também uma grande tendência para se preocupar com assuntos de carácter ecológico.

LUA EM IV: Há uma afinidade natural entre este planeta e a Casa IV. A vida emocional está intimamente ligada ao lar. Há uma necessidade de refúgio e de introspecção que "alimentam" a equilíbram as emoções. Pode existir um forte apego à imagem materna.

MERCÚRIO EM IV: Os processos de comunicação e a aprendizagem podem ser vividos de forma reservada e introvertida. É na intimidade, quando os sentimentos de confiança e intimidade estão presentes, que o indivíduo comunica de forma mais activa.

VÉNUS EM IV: Há uma ligação emocional ao lar e ao cenário doméstico, tudo muito bem decorado, com enorme bom gosto. Os relacionamentos com os familiares serão harmoniosos, a menos que este planeta esteja sob pressão dos restantes. Gostam de receber os amigos em casa, assim como apreciam namorar no lar, sabendo criar um bom ambiente para todos e havendo uma natural tendência para ser «gourmet», sabendo cozinhar acima da média, com gastronomia refinada, deixando todos surpreendidos pelos elevados dotes culinários. Potencial para boas heranças, sobretudo bens imóveis. Um final de vida muito belo e sossegado. Dedique-se à jardinagem. 

MARTE EM IV: As pessoas com esta posição podem ter uma agressividade oculta que necessita de ser trazida para a superfície, analisada e reintegrada na personalidade, a fim de ter finalidades construtivas. Sentem uma profunda necessidade de encontrarem-se a si mesmas por direito próprio, sem seguirem os modelos da família.
Marte nesta Casa pode parecer uma erupção vulcânica que surpreende tanto quem a produz como os que se encontram próximos.
Para os que tenham Marte nesta Casa, o dia começa quando saem para o trabalho. É no lar, no seu meio familiar, onde mostram a sua força e a sua iniciativa, assim como o seu carácter dominante e agressivo. Podem ter impulsos repentinos temperamentais e tendência para a irritabilidade.
É provável que descarreguem o seu agastamento — que não exprimem com outras pessoas — sobre quem inocentemente os aguarda em casa. Educados e dóceis no local de trabalho, podem regressar a casa ávidos de conflito. Se possuir maus aspectos, as relações com os pais podem ser desarmoniosas.

JÚPITER EM IV: São pessoas que viajam durante a sua infância ou que crescem numa família religiosa. Muitas pessoas com Júpiter nesta Casa provêm de uma família conhecida, aristocrática ou estrangeira.
Estas pessoas podem investir grande quantidade de energia na instalação do lar dos seus sonhos; necessitam de ter espaço suficiente e, por isso, há muitas que vivem em casas grandes ou afastadas do ruído da cidade. É possível que algumas vão de um país para outro na procura da sua pátria espiritual. Do pai podem ter recebido uma imagem nobre: majestoso, cheio de inspiração, mas com um incorrigível espírito mulherengo.
Se Júpiter estiver com bons aspectos, existe um grande optimismo e fé na vida que se manifestarão cada vez mais à medida que a pessoa cresce. Geralmente, esta localização favorece uma velhice promissora, cheia de projectos e com a possibilidade de receber heranças.

SATURNO EM IV: Saturno nesta Casa implica restrições e dificuldades no lar ou com os bens. É possível que a criança com esta colocação não tenha vivido o ambiente dos seus primeiros anos como um verdadeiro apoio, e que a atmosfera doméstica lhe tenha parecido fria, nada carinhosa ou limitadora em qualquer outro sentido. A estas crianças não se torna fácil encontrar em fontes externas uma sensação de segurança e de bem-estar. Terão de descobrir dentro de si a sua própria força, a sua solidez, os seus pontos de apoio.
Em geral pode haver problemas com o pai, por vezes simplesmente ausente. Noutros casos encontra-se fisicamente presente, mas psicologicamente afastado. A criança pode senti-lo como uma pessoa fria, crítica, materialista e rígida, ou como uma carga ou responsabilidade devido a má saúde, problemas pessoais, etc.
Alguns talvez compensem o seu sentimento de insegurança mediante a aquisição de terras ou propriedades. Saturno nesta Casa sugere problemas para consolidar um lar, assim como deveres e responsabilidades no âmbito doméstico. As pessoas com esta colocação podem necessitar de muito tempo para estabelecerem a sua força interior e a sua identidade; mas, uma vez encontradas, tendem a ser sólidas e duráveis.

URANO EM IV: Provavelmente, as pessoas com Urano na Casa IV sentem-se estranhas, afastadas ou exiladas em relação à sua família de origem ou, por alguma razão, pode ser que a sua vida familiar tenha sido perturbada durante os primeiros anos de vida, ou que a família se tenha dispersado.
Para estes nativos é importante descobrir o verdadeiro lugar a que pertencem. Podem ser pessoas inquietas, necessitando de espaço e de liberdade.
Por vezes sucedem coisas que lhes impõem uma mudança ou qualquer outro tipo de troca. Esta colocação também corresponde a uma vida caseira pouco comum. O lar pode ser utilizado como local de reunião de grupos ou organizações onde se troquem ideias.
Geralmente, indica que o pai foi pouco convencional, ou que passou a vida a aparecer e a desaparecer do cenário doméstico. Por vezes encontra-se fisicamente presente, mas não pode estabelecer laços emocionais intensos. É comum que estes nativos vivam de certa maneira até aos quarenta anos e depois mudem radicalmente de estilo de vida.

NEPTUNO EM IV: Estas pessoas absorvem e reflectem as influências atmosféricas que as rodeiam. Devem ser cautelosas ao elegerem o ambiente onde vivem. Em geral têm de fazer sacrifícios no meio familiar.
Esta posição poderia referir-se a um pai muito sensível e afectuoso ou a um pai ausente ou desaparecido, do qual a criança só possui uma vaga recordação. Também pode ser um pai idealizado que depois provoca uma desilusão.
Também é indício de segredos na família. Quando existem maus aspectos, pode indicar famílias que se dissolveram por qualquer motivo, obrigações familiares que se arrastaram durante toda a vida, ou desordens nervosas ocasionadas por dificuldades com os pais.
Os últimos anos de vida podem caracterizar-se por um isolamento voluntário e pacífico. Podem ser muito felizes se viverem junto ao mar.

PLUTÃO EM IV: Quando Plutão se encontra nesta Casa, fala de complexos, problemas sem solução, traumas que podem estar por baixo do nível da consciência. Estas pessoas podem exercer um controlo rígido sobre si mesmas como forma de se defenderem. Têm sempre a sensação de algo perigoso que se esconde nas profundezas e que poderia destruí-las. Plutão nesta Casa deve fundir-se nos abismos do inconsciente pessoal e trazer à luz os complexos mais ocultos para poder examiná-los, analisá-los e, se possível, transmutá-los. É provável que estes complexos tenham sido originados nas experiências do meio doméstico inicial e que reapareçam mais tarde na vida privada e familiar. Estas pessoas podem passar por momentos importantes de reorientação, comoções na esfera doméstica, ou pelo colapso total da estrutura familiar. A parte positiva é o facto de possuírem um grande poder de regeneração e a capacidade de se erguerem depois de uma crise.
O pai pode ter vivido como poderoso, sombrio e ameaçador. O seu desaparecimento, morte ou a distância psicológica que manteve pode ter afectado intensamente.

0 comentários:

22 de novembro de 2007

Planetas na Casa IV

Alguns indicadores dos planetas na Casa IV

Planetas nesta casa descrevem a vivência do lar de origem. Representam aspectos do ser que podem estar condicionados por experiências de infância. Estes aspectos são vivenciados no íntimo, no refúgio do lar. A proposta será fazê-los passar do estado de "latência" para o de expressão. O lar, os pais, a hereditariedade, as posses imobiliárias. O ambiente do qual nos apercebemos e que temos tendência a viver no início e no fim da nossa vida, a nossa riqueza interior, os tesouros escondidos, a sepultura, os legados à posteridade, a reputação após a morte. O nativo que tiver esta Casa fortemente influenciada sentirá a necessidade de deixar a sua marca boa ou má em relação com a influência do seu destino por meio das estrelas no seu horóscopo de nascimento. Nesta Casa, o livre-arbítrio é muito restrito; não é, todavia, possível fazê-lo agir. Por esse motivo, é preciso que o nativo se sirva de uma vontade superior à normal.

SOL EM IV: A identidade pode ter sido profundamente marcada pela infância e pelo meio familiar em geral. Esta fase de crescimento será sempre uma referência (agradável ou desagradável). Para "crescer", há que passar por um processo de "emancipação" do meio familiar.
Você é pessoa de família por natureza. Sente um grande orgulho na sua herança familiar que pretende perpetuar. A segurança do seu lar e da sua família são o mais importante para si o que o leva ao desejo de ser o líder familiar. Há também uma grande tendência para se preocupar com assuntos de carácter ecológico.

LUA EM IV: Há uma afinidade natural entre este planeta e a Casa IV. A vida emocional está intimamente ligada ao lar. Há uma necessidade de refúgio e de introspecção que "alimentam" a equilíbram as emoções. Pode existir um forte apego à imagem materna.

MERCÚRIO EM IV: Os processos de comunicação e a aprendizagem podem ser vividos de forma reservada e introvertida. É na intimidade, quando os sentimentos de confiança e intimidade estão presentes, que o indivíduo comunica de forma mais activa.

VÉNUS EM IV: Há uma ligação emocional ao lar e ao cenário doméstico, tudo muito bem decorado, com enorme bom gosto. Os relacionamentos com os familiares serão harmoniosos, a menos que este planeta esteja sob pressão dos restantes. Gostam de receber os amigos em casa, assim como apreciam namorar no lar, sabendo criar um bom ambiente para todos e havendo uma natural tendência para ser «gourmet», sabendo cozinhar acima da média, com gastronomia refinada, deixando todos surpreendidos pelos elevados dotes culinários. Potencial para boas heranças, sobretudo bens imóveis. Um final de vida muito belo e sossegado. Dedique-se à jardinagem. 

MARTE EM IV: As pessoas com esta posição podem ter uma agressividade oculta que necessita de ser trazida para a superfície, analisada e reintegrada na personalidade, a fim de ter finalidades construtivas. Sentem uma profunda necessidade de encontrarem-se a si mesmas por direito próprio, sem seguirem os modelos da família.
Marte nesta Casa pode parecer uma erupção vulcânica que surpreende tanto quem a produz como os que se encontram próximos.
Para os que tenham Marte nesta Casa, o dia começa quando saem para o trabalho. É no lar, no seu meio familiar, onde mostram a sua força e a sua iniciativa, assim como o seu carácter dominante e agressivo. Podem ter impulsos repentinos temperamentais e tendência para a irritabilidade.
É provável que descarreguem o seu agastamento — que não exprimem com outras pessoas — sobre quem inocentemente os aguarda em casa. Educados e dóceis no local de trabalho, podem regressar a casa ávidos de conflito. Se possuir maus aspectos, as relações com os pais podem ser desarmoniosas.

JÚPITER EM IV: São pessoas que viajam durante a sua infância ou que crescem numa família religiosa. Muitas pessoas com Júpiter nesta Casa provêm de uma família conhecida, aristocrática ou estrangeira.
Estas pessoas podem investir grande quantidade de energia na instalação do lar dos seus sonhos; necessitam de ter espaço suficiente e, por isso, há muitas que vivem em casas grandes ou afastadas do ruído da cidade. É possível que algumas vão de um país para outro na procura da sua pátria espiritual. Do pai podem ter recebido uma imagem nobre: majestoso, cheio de inspiração, mas com um incorrigível espírito mulherengo.
Se Júpiter estiver com bons aspectos, existe um grande optimismo e fé na vida que se manifestarão cada vez mais à medida que a pessoa cresce. Geralmente, esta localização favorece uma velhice promissora, cheia de projectos e com a possibilidade de receber heranças.

SATURNO EM IV: Saturno nesta Casa implica restrições e dificuldades no lar ou com os bens. É possível que a criança com esta colocação não tenha vivido o ambiente dos seus primeiros anos como um verdadeiro apoio, e que a atmosfera doméstica lhe tenha parecido fria, nada carinhosa ou limitadora em qualquer outro sentido. A estas crianças não se torna fácil encontrar em fontes externas uma sensação de segurança e de bem-estar. Terão de descobrir dentro de si a sua própria força, a sua solidez, os seus pontos de apoio.
Em geral pode haver problemas com o pai, por vezes simplesmente ausente. Noutros casos encontra-se fisicamente presente, mas psicologicamente afastado. A criança pode senti-lo como uma pessoa fria, crítica, materialista e rígida, ou como uma carga ou responsabilidade devido a má saúde, problemas pessoais, etc.
Alguns talvez compensem o seu sentimento de insegurança mediante a aquisição de terras ou propriedades. Saturno nesta Casa sugere problemas para consolidar um lar, assim como deveres e responsabilidades no âmbito doméstico. As pessoas com esta colocação podem necessitar de muito tempo para estabelecerem a sua força interior e a sua identidade; mas, uma vez encontradas, tendem a ser sólidas e duráveis.

URANO EM IV: Provavelmente, as pessoas com Urano na Casa IV sentem-se estranhas, afastadas ou exiladas em relação à sua família de origem ou, por alguma razão, pode ser que a sua vida familiar tenha sido perturbada durante os primeiros anos de vida, ou que a família se tenha dispersado.
Para estes nativos é importante descobrir o verdadeiro lugar a que pertencem. Podem ser pessoas inquietas, necessitando de espaço e de liberdade.
Por vezes sucedem coisas que lhes impõem uma mudança ou qualquer outro tipo de troca. Esta colocação também corresponde a uma vida caseira pouco comum. O lar pode ser utilizado como local de reunião de grupos ou organizações onde se troquem ideias.
Geralmente, indica que o pai foi pouco convencional, ou que passou a vida a aparecer e a desaparecer do cenário doméstico. Por vezes encontra-se fisicamente presente, mas não pode estabelecer laços emocionais intensos. É comum que estes nativos vivam de certa maneira até aos quarenta anos e depois mudem radicalmente de estilo de vida.

NEPTUNO EM IV: Estas pessoas absorvem e reflectem as influências atmosféricas que as rodeiam. Devem ser cautelosas ao elegerem o ambiente onde vivem. Em geral têm de fazer sacrifícios no meio familiar.
Esta posição poderia referir-se a um pai muito sensível e afectuoso ou a um pai ausente ou desaparecido, do qual a criança só possui uma vaga recordação. Também pode ser um pai idealizado que depois provoca uma desilusão.
Também é indício de segredos na família. Quando existem maus aspectos, pode indicar famílias que se dissolveram por qualquer motivo, obrigações familiares que se arrastaram durante toda a vida, ou desordens nervosas ocasionadas por dificuldades com os pais.
Os últimos anos de vida podem caracterizar-se por um isolamento voluntário e pacífico. Podem ser muito felizes se viverem junto ao mar.

PLUTÃO EM IV: Quando Plutão se encontra nesta Casa, fala de complexos, problemas sem solução, traumas que podem estar por baixo do nível da consciência. Estas pessoas podem exercer um controlo rígido sobre si mesmas como forma de se defenderem. Têm sempre a sensação de algo perigoso que se esconde nas profundezas e que poderia destruí-las. Plutão nesta Casa deve fundir-se nos abismos do inconsciente pessoal e trazer à luz os complexos mais ocultos para poder examiná-los, analisá-los e, se possível, transmutá-los. É provável que estes complexos tenham sido originados nas experiências do meio doméstico inicial e que reapareçam mais tarde na vida privada e familiar. Estas pessoas podem passar por momentos importantes de reorientação, comoções na esfera doméstica, ou pelo colapso total da estrutura familiar. A parte positiva é o facto de possuírem um grande poder de regeneração e a capacidade de se erguerem depois de uma crise.
O pai pode ter vivido como poderoso, sombrio e ameaçador. O seu desaparecimento, morte ou a distância psicológica que manteve pode ter afectado intensamente.

Sem comentários:

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates