António, gostas de ti o suficiente para não desistires dos teus sonhos?

2 de janeiro de 2011 ·


Vou começar já por este aviso ao leitor: não perca tempo a ter este texto, pois, imagine só o atrevimento, é uma informação astrológica da minha própria vida nos últimos 5 anos. Coisa aborrecida, garanto-lhe. Se o faço, é para não perder essa experiência e, para daqui por uns anos, recordar-me da coisa. Se continuar a  ler não caia na tentação de se permitir fazer juízos sobre os outros.

Não pertenço àquele grupo de pessoas que está sempre a olhar para o seu próprio mapa e trânsitos. Vou sentindo as coisas e sigo andando, percebendo quando as borrascas são fortes. Nessas alturas é que vou confirmar e então aprender com a minha própria experiência a natureza astrológica dos trânsitos.

Muitos nomes e números têm links. Destinam-se aos que iniciam a dar consistência nos seus estudos astrológicos.

Numa espécie de retrospectiva resolvi fazer este texto, destinado a mim mesmo. Saturno esteve no signo Câncer [Junho 2003 a Julho 2005], basicamente na casas minhas 2 e 3. Enquanto ele esteve na casa dois, entretive-me com os negócios e a mudar a estrutura empresarial da minha editora. Ao entrar em Câncer imediatamente fez conjunção a Úrano e Vénus, tendo sido dois anos francamente transformadores e muito motivado em termos pessoais e espirituais, pois publiquei inúmeros livros de outros autores nessa área e fiz algumas das minhas viagens de sonho. Assim que Saturno entrou na minha casa 3, percebi quase imediatamente que a astrologia estaria em 'alta'. E assim foi. Recomecei a dar consultas de astrologia em 2004 e em Setembro desse ano iniciei um curso de iniciação à astrologia cármica, que foi formidável sob muitos e muitos aspectos. Também criei as bases (textos e mais textos) que dariam lugar a um site e um livro.

Quando Saturno passou Leão [Julho 2005 a Setembro 2007], transitou pela minha terceira e quarta casas. Aí, dei por mim, sim, a debruçar-me sobre o meu próprio mapa com «outra» atenção. Em 2005 estive muito ocupado a criar uma rede informática de ligação com os alunos de astrologia, bastante funcional, diga-se, que foi quando aumentei de forma visível, a escrita de centenas de textos tutoriais de astrologia, tendo primeiramente criado um site de apoio às aulas e aos muitos alunos que tinha. Foi uma época muito feliz. No entanto, quando Saturno estava em Leão, alguma coisa dentro de mim fez um som de alerta para mim próprio. Um sinal bem forte. Mais tarde vim a perceber que eu estava tão entregue aos outros, que me esquecera de mim mesmo. Sobretudo quando Saturno fez a conjunção a Plutão. A minha vida desabou. Ficou virada ao contrário.

Era tempo de olhar para o meu mapa, para me ocupar das minhas coisas mais internas e, obviamente, as externas também. Como eterno estudante de astrologia, sempre soube que os trânsitos funcionavam, mas essa foi a época em que tomei consciência profunda de mudanças grandes em mim mesmo e senti, além de saber que iria passar por uma situação que me obrigaria a saber esperar, a aprender, a descortinar, a analisar, a observar. A cuidar da minha auto-estima. Sabia isso tudo, mas não parei o suficiente. Sabia tudo isso em termos mentais, mas tentei esconder-me de mim mesmo.

Foi nesse encontro de Saturno com Plutão que me vim abaixo, a saúde ressentiu-me imenso, estive profundamente doente, prestes a desencarnar. Foram vários meses de sofrimento intenso, mas  também foi nessa época e fruto das situações, que me entreguei  totalmente ao universo com imensa Alegria, e criei o site «Escola de Astrologia Nova-Lis», completamente gratuito ao público, à comunidade, e isto aconteceu exactamente quando Saturno se desenlaçou da conjunção com Plutão. Assim que me entreguei ao universo, assim que aceitei as minhas próprias sombras, assim que aceitei o que a vida me quisesse dar, a resposta foi quase imediata: melhorei a olhos vistos e recomecei a trabalhar depois de vários meses de baixa por doença grave, em casa. Nessa altura tive uma conversa muito séria com Ele e percebi que me fora concedida uma prorrogação para viver mais uns anos e terminar a minha tarefa.

Com Saturno ainda em Leão, a vida encarregou-se de me pôr em casa, a minha idosa mãe (com 84 anos, então), com quem tinha mantido, depois da adolescência uma relação de frio distanciamento afectivo, porque anteriormente eram as tareias e os castigos, era a mão désposta sobre quem não se podia defender, a menos que retribuísse em igual violência física, o que, felizmente, nunca aconteceu, mas que tudo isso ficou muito sufocado, disso não tenho dúvidas. Hoje, são águas passadas. Ela deixou de me bater violentamente  (nunca com a mão) a partir dos 13, 14 anos, fruto de uma conversa havida com o meu pai, marido dela, que jamais me castigara ou batera e era o meu auxilio em casa. Por outro lado, a essa idade eu já era um matulão e não disfarçava a  raiva que sentia. Por tudo e por nada... pumba! Não se cresce com amor, assim. É assim que se aprende a não desenvolver o amor filial. Há momentos que uma pessoa sabe exactamente o que está a acontecer. E eu soube, nessa altura, que a minha mãe tinha vindo para minha casa para aprendermos ambos qualquer coisa, e que essa experiência seria curta e muito intensa. Não sei se ela aprendeu. Eu, sim. Aprendi a pôr a funcionar, não o amor filial (nunca soube muito bem ao certo o que isso era), mas a energia positiva de ter que aceitar aquele ser humano, tal como era. Quantas sombras me atravessaram a mente e o olhar nessa época. Tantas. Mas lá fui fazendo, muitas vezes contra a vontade, praticando diariamente o perdão a mim mesmo. Foi esgotante. Sobretudo porque durante meses foi um processo mental e não do coração. Por estranho que possa parecer, eu sabia que no dia em que o meu auto-perdão fosse feito com o coração, a minha mãe desencarnaria. Assim aconteceu. Naquela manhã, quando acordei muito cedo, bati à porta do quarto dela, o que não era habitual em mim. Entrei e lá estava a Nivalda, quieta, sossegada. Morrera. Sentei-me na cama, tranquilo, olhando para ela, a ter uma breve conversa de conforto, limpando bem o que restava dos seus chacras, encaminhando o seu espírito, mas ao mesmo tempo e em segundos, vi o filme da minha vida com esta mulher, que foi minha mãe nesta reencarnação. O perdão acontecera. Foram necessários 16 meses para 'limpar' 59 anos de vida com laços comuns. Saturno já estava em Virgem. Só podia ser assim.

Estava o site de astrologia a começar a singrar, quando Saturno ingressou em Virgem  [Setembro 2007 a Outubro de 2009], ainda na minha casa 4. Tomei profunda consciência que nesse signo iria passar pelo conhecido 2º retorno de Saturno. Já escrevi muito sobre tudo isso. Está à disposição de todos aqui no blogue. Com a entrada de Saturno em Virgem, criei o 'Cova do Urso', além de saber que iria desmontar e voltar a montar um enorme puzzle, ao qual deveria dar a maior atenção. Aqui a atenção foi para a minha editora que entretanto tinha ficado muito em baixo com uma série de factores. Foi quando perdi a arrogância de me considerar um editor especial, só porque publicava obras espirituais de autores de língua portuguesa. Foi preciso curar-me disso, para ser quem sou, actualmente.

Tomei consciência que se apresentariam situações bastante delicadas em que seria posto à prova. Assim aconteceu. Saturno ia a meio da minha quarta casa e eu decidi que deveria esperar pela sua entrada na casa seguinte, para tomar umas quantas iniciativas mais externas, sobretudo no que à astrologia dizia respeito, nomeadamente os cursos online. Entretanto, vivi todos os quesitos inerentes à quarta casa. Todos, não faltou nenhum. Tudo quanto era ser vivo dentro da casa onde resido passou por situações delicadas, entre elas o falecimento da minha mãe, que tinha vindo viver comigo uns meses antes, como já contei mais acima. Até o Tibério adoeceu gravemente. E a gata Fôfa Maria desencarnou. Tudo isto ajudado por outros trânsitos que já aqui tenho falado: Saturno e Úrano a fazerem quadratura ao meu Sol (na 1) e à Lua (na 8). Não eram os únicos, assim, bastante importantes, pois passei por Plutão a fazer uma oposição a Úrano e a Vénus (na 2).Com tudo o que isso implica, por ser a casa 2. Eu sei, que é uma conversa muito astrológica, mas avisei que este post era só para mim.

Obviamente, ainda tenho Saturno em Libra/Balança, nas minhas casas 5 e 6, a encontrar-se com Neptuno. Estou nisso, neste momento.

Que aprendi com todas estas situações? Que não vale a pena fazermos grandes planos, sem estarmos bem ligados ao nosso ser interior, pois a vida tem sempre planos para nós. Sempre.

A intensidade e a natureza deste tipo de trânsitos é daquelas que sabemos que o safanão no ego será forte. Tem sido forte. Em simultâneo, as emoções estão à flor da pele. É o universo a perguntar: «António, gostas de ti o suficiente para não desistires de concretizar os teus sonhos? Por muitos safanões que recebas? Por muitas oposições que encontres na tua vida?»

Constato uma coisa: nos últimos 5 anos passei pelos trânsitos mais fortes que o cosmos tem para nós. Verifico também, que 2011 vai trazer-me maior tranquilidade, maior paz, sem a turbulência de trânsitos pesados.

Só posso responder ao universo que sim, que gosto de mim o suficiente e que não tenciono desistir dos meus sonhos. É a altura de colocar em prática duas palavras sábias: «ousadia e prudência».

Isto é que foi um desabafo, hein?

.

33 comentários:

Lua Nova disse...
2 de janeiro de 2011 às 00:11  

rsrsrrs...deve ser confortável e útil poder analisar o próprio comportamento e os acontecimentos da vida com o auxílio da astrologia. É como um roteiro, ou um tutorial que explica certas coisas e orienta os novos passos. Sensacional.
Que seu ano de 2011 seja perfeito pra vc, repleto de realizações e muitas alegrias.
Beijokas.

Paulo Francisco disse...
2 de janeiro de 2011 às 00:26  

Antônio,
Muito bom!
...e que seus sonhos sejam alcançados neste 2011.
Um grande abraço!

IdoMind disse...
2 de janeiro de 2011 às 00:44  

Ursinho

Isto não foi um desabafo, foi uma epifania!

Depois de tudo, ainda sonhas.És de facto uma inspiração...

Parabéns pela Coragem até aqui.
Boa Sorte com a Ousadia daqui para a frente.
( para que queres prudência com uma amiga advogada?!) ;)

Mil beijos e um Ano Muito Muito Feliz

Susana Vitorino disse...
2 de janeiro de 2011 às 00:50  

Vou dizer um palavrão: Que puta trabalho de auto análise!

Obrigada pelo desabafo. E é um desabafo e uma auto análise que pode ressoar fundo em qualquer um de nós.
Sem julgamentos, sem nada.

E quem fala assim, até parece um Escorpião...

Gosto de ti (ao Ano Novo, se não te molestar, decidi tirar a 3ª pessoa - o respeito não está na gramática - mas voltarei à 3ª pessoa, se for da tua vontade.)

Um abraço forte na Alma*

What a ride!

Sonia Beth disse...
2 de janeiro de 2011 às 00:57  

Oi Antonio

Fantastico este trabalho. Torço por ti, amigo.

abs

dulce disse...
2 de janeiro de 2011 às 01:06  

Meu muito querido,

Como não ler?? Como não saber o que sente e pensa alguém que se gosta muito??

Na realidade, já tivemos esta conversa e um menos "astrológica ", mas mesmo assim eu amei ler...mesmo com esses pormenores mais especificos:))

E sobretudo fico feliz por saber que o o 2011 vai ser mais calmo e mais tranquilo para o António.

Beijos mil..e hoje ainda não lhe disse que gosto muito de si...

Michelle Matta disse...
2 de janeiro de 2011 às 01:25  

Que texto lindo de ler e se emocionar... Te desejo uma boa caminhada em 2011. bj

Marion Lemos disse...
2 de janeiro de 2011 às 02:07  

Aeeee que saudades!
Adorei a postagem, e concordo com você Antònio.. vamos deixar a vida nos presentear com suas surpresas.. vamos abandonar essa nossa mania de querer manipular as contigências da vida... planos.. direções..
Ah, vamos deixar fluir as boas energias e viver o presente!..
Gratidão, meu amigo por compartilhar essas mensagens maravilhosas..
Tudo de bom sempre!

Um doce beijo em tua alma.

Marion

Suzana Martins disse...
2 de janeiro de 2011 às 02:19  

Desejo a você um ano próspero e que 2011 seja um ano de realizações.

Abraços meus!!^^

Astrid Annabelle disse...
2 de janeiro de 2011 às 09:15  

Bom dia querido António!
Eu li tudo "ouvindo você contar"!
Essas auto análises são fantásticas...trazem brilho aos olhos!
Daqui para frente, com toda a certeza, terás uma qualidade de vida superior, com muitas alegrias e muito amor!
Eu adorei saber de tudo isso.
Um beijo grande no seu coração.
Astrid Annabelle

Ana Cristina disse...
2 de janeiro de 2011 às 09:28  

António, bom Ano, gostei de ler o seu desabafo e ainda mais as entrelinhas :) bem a propósito para um ano em que os planos...são isso mesmo planos, já que vamos todos a ser desafiados a desbravar, a decidir perante o que de novo aparece. Vai valer a pena ter presente a nossa história para melhor entender o presente.

Abraço

Iara Rodrigues da Cunha disse...
2 de janeiro de 2011 às 09:31  

Olá Antonio, adorei a sua postagem...uma excelente forma de iniciar o ano...fazendo uma retrospectiva da própria vida. Muito bom! Não sei como foi com os outros,mas posso lhe afirmar que enquanto lia, observava as datas e os trânsitos e em paralelo fui tentando analisar o meu mapa. Que bom que as vivências mais difíceis já se foram e pelo menos em 2011 vai viver momentos mais "lights". Seja de que forma for, fica a certeza de que as transformações continuam pois viver é um eterno movimento. Que fluam as boas energias e que o universo conspire a seu favor trazendo tudo o que a vida possa lhe oferecer de melhor...você merece. Feliz todos os dias de 2o11!
Um grande beijo no coração

HAZEL disse...
2 de janeiro de 2011 às 09:31  

Ufff... se foi!
Mas a verdade é que só nos é entregue a carga que podemos carregar. Não é mesmo? :)

Um beijinho e que 2011 lhe seja ameno e regenerador

Safira disse...
2 de janeiro de 2011 às 10:03  

Embora astrológica, não é uma conversa assim tão astrológica. Gostei muito de ler, é um ser que se expõe e isso requer muito amor e coragem, também.
Ainda bem que a astrologia aparece mais favorável agora. Gosto muito de si, com muita gratidão e afecto.

Um abraço grande, Maestro querido, que sabe a pouco porque gostaria que fosse pesoalmente.Agora continue a deixar lá mais os outros e lembre-se de se concentrar mais e em 1º lugar em si.
Um beijo e repito: gosto de si prá caramba! :) (esta brasileirice vem a calhar)
Um 2011 de sonhos lindos realizados.

Luisa Sal disse...
2 de janeiro de 2011 às 10:19  

António,

Muito obrigada por esta partilha! Fantástica a sua disponibilidade.
E, fiquei muito feliz pelo penultimo paragrafo! Força !

Bjs

Luisa

Maria Paula Ribeiro disse...
2 de janeiro de 2011 às 10:26  

Bom dia António,

Também te "ouvi contar" a a história, à medida que acompanhava o teu mapa.

A coragem de mostrares a tua autenticidade com a Astrologia é bem patente e foi isso que sempre adorei em ti

E, ao "auto-curares", curarás muitos mais... ;))

E sabes amigo não me esqueci tua quadratura a Quiron! ;)))

Beijo bem grande e sonha muito, ;)))

inês de barros baptista disse...
2 de janeiro de 2011 às 11:29  

queridíssimo António

tanto quanto do excelente trabalho de auto-análise que já aqui foi referido, gostei da pergunta, que, com todo o respeito, tomo para mim:

'Inês, gostas de ti o suficiente para não desistires de concretizar os teus sonhos?'

os safanões e os abanões têm sido mais do que muitos, mas não deve ser por acaso que vim dar com este texto no preciso momento em que, também eu, me auto-analiso - e a escrita é tão boa para isso! - e em que me dou conta de que, de facto, 'não há mais desculpas'...

abraços e isso :))

Serginho Tavares disse...
2 de janeiro de 2011 às 14:28  

Vir aqui é sempre um aprendizado maravilhoso meu querido!
Beijos, eliz ano novo de novo e tudo de bom!

Siala disse...
2 de janeiro de 2011 às 14:29  

António...grata por esta intensa partilha! Os links são realmente preciosos para quem está no início dos seus estudos astrológicos...mas mais que isso, é a intensidade da tua experiência de vida e sabedoria adquiridas que trespassa cada palavra que escreves e nos atinge. Encaro a Astrologia como uma ferramenta para melhor me conhecer a mim e ao que vim cá aprender...mas nunca a encarei como causa fosse do que fosse, ou como mapa a seguir diariamente :) identifico-me muito com a tua forma de estar e de encarar a Astrologia, espero que 2011 me proporcione a oportunidade de poder beneficiar dos teus ensinamentos, quem sabe, presencialmente?
Gosto deste tipo de "post", fico sempre maravilhada quando vislumbro um pouco da essência que em certa medida é comum a todos nós...faz-me sentir que realmente não estou nem nunca estarei sozinha.
Desejo-te um excelente 2011, do fundo do coração!
Namasté!

Siala disse...
2 de janeiro de 2011 às 14:59  

António, aproveito para colocar uma questão...li o texto de Quiron na casa 8 e em Escorpião. No meu caso eu tenho Quiron na casa 8, mas em Carneiro (Faz quadratura a Vénus e ao meu Nódulo Lunar Norte, conjunção com Júpiter,sextil a Saturno, oposição a Urano e trigono a Neptuno). Qual a melhor forma de interpretar este posicionamento? Procuro Quiron na casa 8 e Quiron em Carneiro, e depois os aspectos? O que é mais importante? A sua posição na casa 8 ou o facto de estar em Carneiro?
Acho que estou meio baralhada!
Namasté

Fênix disse...
2 de janeiro de 2011 às 16:10  

Seu texto me levou a refletir sobre o meu relacionamento com minha filha.GRATA.

Ricardo Nuno disse...
2 de janeiro de 2011 às 16:35  

Grande António... a sua coragem de se expôr e relatar através desta viagem as suas vivências é uma pérola de regalo para qualquer leitor, em especial quando nos identificamos com as dificuldades e sucessos que qualquer ser humano atravessa na Roda de Samsara.

A cada post seu que leio, mais me sinto ligado consigo e acho que isso é uma coisa boa... o que acha?

E fique ciente de uma coisa: este exercício que fez acho que é saudável e respeitoso para a sua própria pessoa.

Abraço!

Astrid Annabelle disse...
2 de janeiro de 2011 às 17:20  

Olá mais uma vez António...
Só para você saber:
ainda bem que levei seu desabafo para casa, pois fiquei sem net até agora a pouco, o que me deu tempo de sobra para ler e reler toda essa sua experiência. Intensa e incrível!
Realmente as entrelinhas estão recheadas de informações.....
Beijos
Astrid Annabelle

Cristiano Melo disse...
2 de janeiro de 2011 às 20:58  

Estou sem palavras,
senti o teu texto mais do que li!
Emocionei-me, sabendo que somos humanos e as experiências de cada um são únicas, mas similares.
Do todo, agradeço por mais uma vez me trazer um "insight" que a mim veio no momento certo.

Muito obrigado pelo seu sincero desabafo!

Forte abraço

António Rosa disse...
3 de janeiro de 2011 às 07:33  

A todos os amigos que deixaram aqui estas mensagens tão tocantes, deixo um grande abraço de agradecimento. Beijos.

Maria de Fátima disse...
3 de janeiro de 2011 às 12:25  

Olá querido António, foi um desabafo e tanto, risos.Como sempre gosto muito de ler os vários episódios da tua lenda pessoal.Fico sempre emocionada e encantada ao ler, porque parece que estou mesmo a ouvir-te a contar tudo.E o mais importante para mim é que vou te conhecendo sempre um pouco mais e também vou aprendendo com a tua sabedoria e experiência de uma vida cheia, plena e linda.Gosto muito de ti, querido Mestre Ursinho.Beijocas grandes.

Lou Albergaria disse...
3 de janeiro de 2011 às 15:50  

Antônio,

sempre gostei muito de ASTROLOGIA, tanto quanto aprecio Filosofia. Sei que a Astrologia é até mais antiga que a própria Filosofia. Penso que ela nos dá um suporte de energia e motivação muito importantes que muitas vezes realmente é o que faltava para irmos de encontro ao que SOMOS DE VERDADE e para o que NASCEMOS. Acredito muito que todos nascem como uma 'missão', um talento absolutamente único que deve ser colocado à disposição da humanidade para que possamos crescer e evoluir mutuamente.

Obrigada por sua amizade em 2010!

FELIZ ANO NOVO!!!

Que em 2011 possamos praticar os talentos com os quais nascemos e podermos aprender e evoluir cada vez mais, sem nunca perder de vista a UNICIDADE.

Se você se corta, sinto sua dor. É nisso em que acredito!

BEIJÃO!!!!

Lou Albergaria

Estou ansiosa pela entrevista com o Márcio. Não perderei por nada! Esse Moço vale ouro!!!!

Saulo Taveira disse...
4 de janeiro de 2011 às 01:19  

António,

curioso, não entendi racionalmente mas me senti tão próximo de ti. Como se você me contasse tudo isso de maneira bem explicada, num bom e "vulgar" português.

Que 2011 seja o ano que desejas, com muita prudência e ousadia.

Beijos, meu amigo.

António Rosa disse...
4 de janeiro de 2011 às 07:18  

Maria de Fátima, Lou, Saulo,

Um grande abraço de agradecimento. Beijos.

Paula disse...
4 de janeiro de 2011 às 08:56  

Ainda bem que nao levei a sério as suas primeiras palavras do texto ;-)
Teria perdido bastante! Nem tenho palavras para comentar...Obrigada por ter partilhado. Desejo-lhe Luz para o seu caminho, saúde e prosperidade.

Um abraco
Paula M.

António Rosa disse...
4 de janeiro de 2011 às 13:42  

Paula

Muito obrigado pela gentileza.

Abraço.

Rui António Santos disse...
7 de janeiro de 2011 às 21:45  

Ant+inio li atentamente toda esta sua experiência de vida, em sintonia a um sentido Astrolõgico que atenua esses trãnsitos intensos no rumo da sua vida.

Acredito que quando damos sentido ao que vivemos, aprendemos a gostar de nós o suficiente para não desistirmos do nosso sonho,

Meu Saturno, está na 2, de facto minha estrutura de valores começou a mudar, al-em de fazer um contrto para restauração dos dentes, foram feitas revelações de consciência,inesperadas, intensas e muito agradãveis, devido a um sextil de Saturno ao meu Sol,e a caminho de fazer brevemente sextil a Urano e a Venus, entratanto Plutão sairã definitivamente da minha casa 4. onde temho Jupiter em sagitário. Bom a Astrologia para mim é o sentido de continuar a acreditar que tudo vale a pena, porque a alma não é p+equena. Abraco

António Rosa disse...
10 de janeiro de 2011 às 13:50  

Rui,

Muito agradecido pela sua mensagem, pois é sempre uma delicadeza e um conforto ler as suas palavras.

Grande abraço.

2 de janeiro de 2011

António, gostas de ti o suficiente para não desistires dos teus sonhos?


Vou começar já por este aviso ao leitor: não perca tempo a ter este texto, pois, imagine só o atrevimento, é uma informação astrológica da minha própria vida nos últimos 5 anos. Coisa aborrecida, garanto-lhe. Se o faço, é para não perder essa experiência e, para daqui por uns anos, recordar-me da coisa. Se continuar a  ler não caia na tentação de se permitir fazer juízos sobre os outros.

Não pertenço àquele grupo de pessoas que está sempre a olhar para o seu próprio mapa e trânsitos. Vou sentindo as coisas e sigo andando, percebendo quando as borrascas são fortes. Nessas alturas é que vou confirmar e então aprender com a minha própria experiência a natureza astrológica dos trânsitos.

Muitos nomes e números têm links. Destinam-se aos que iniciam a dar consistência nos seus estudos astrológicos.

Numa espécie de retrospectiva resolvi fazer este texto, destinado a mim mesmo. Saturno esteve no signo Câncer [Junho 2003 a Julho 2005], basicamente na casas minhas 2 e 3. Enquanto ele esteve na casa dois, entretive-me com os negócios e a mudar a estrutura empresarial da minha editora. Ao entrar em Câncer imediatamente fez conjunção a Úrano e Vénus, tendo sido dois anos francamente transformadores e muito motivado em termos pessoais e espirituais, pois publiquei inúmeros livros de outros autores nessa área e fiz algumas das minhas viagens de sonho. Assim que Saturno entrou na minha casa 3, percebi quase imediatamente que a astrologia estaria em 'alta'. E assim foi. Recomecei a dar consultas de astrologia em 2004 e em Setembro desse ano iniciei um curso de iniciação à astrologia cármica, que foi formidável sob muitos e muitos aspectos. Também criei as bases (textos e mais textos) que dariam lugar a um site e um livro.

Quando Saturno passou Leão [Julho 2005 a Setembro 2007], transitou pela minha terceira e quarta casas. Aí, dei por mim, sim, a debruçar-me sobre o meu próprio mapa com «outra» atenção. Em 2005 estive muito ocupado a criar uma rede informática de ligação com os alunos de astrologia, bastante funcional, diga-se, que foi quando aumentei de forma visível, a escrita de centenas de textos tutoriais de astrologia, tendo primeiramente criado um site de apoio às aulas e aos muitos alunos que tinha. Foi uma época muito feliz. No entanto, quando Saturno estava em Leão, alguma coisa dentro de mim fez um som de alerta para mim próprio. Um sinal bem forte. Mais tarde vim a perceber que eu estava tão entregue aos outros, que me esquecera de mim mesmo. Sobretudo quando Saturno fez a conjunção a Plutão. A minha vida desabou. Ficou virada ao contrário.

Era tempo de olhar para o meu mapa, para me ocupar das minhas coisas mais internas e, obviamente, as externas também. Como eterno estudante de astrologia, sempre soube que os trânsitos funcionavam, mas essa foi a época em que tomei consciência profunda de mudanças grandes em mim mesmo e senti, além de saber que iria passar por uma situação que me obrigaria a saber esperar, a aprender, a descortinar, a analisar, a observar. A cuidar da minha auto-estima. Sabia isso tudo, mas não parei o suficiente. Sabia tudo isso em termos mentais, mas tentei esconder-me de mim mesmo.

Foi nesse encontro de Saturno com Plutão que me vim abaixo, a saúde ressentiu-me imenso, estive profundamente doente, prestes a desencarnar. Foram vários meses de sofrimento intenso, mas  também foi nessa época e fruto das situações, que me entreguei  totalmente ao universo com imensa Alegria, e criei o site «Escola de Astrologia Nova-Lis», completamente gratuito ao público, à comunidade, e isto aconteceu exactamente quando Saturno se desenlaçou da conjunção com Plutão. Assim que me entreguei ao universo, assim que aceitei as minhas próprias sombras, assim que aceitei o que a vida me quisesse dar, a resposta foi quase imediata: melhorei a olhos vistos e recomecei a trabalhar depois de vários meses de baixa por doença grave, em casa. Nessa altura tive uma conversa muito séria com Ele e percebi que me fora concedida uma prorrogação para viver mais uns anos e terminar a minha tarefa.

Com Saturno ainda em Leão, a vida encarregou-se de me pôr em casa, a minha idosa mãe (com 84 anos, então), com quem tinha mantido, depois da adolescência uma relação de frio distanciamento afectivo, porque anteriormente eram as tareias e os castigos, era a mão désposta sobre quem não se podia defender, a menos que retribuísse em igual violência física, o que, felizmente, nunca aconteceu, mas que tudo isso ficou muito sufocado, disso não tenho dúvidas. Hoje, são águas passadas. Ela deixou de me bater violentamente  (nunca com a mão) a partir dos 13, 14 anos, fruto de uma conversa havida com o meu pai, marido dela, que jamais me castigara ou batera e era o meu auxilio em casa. Por outro lado, a essa idade eu já era um matulão e não disfarçava a  raiva que sentia. Por tudo e por nada... pumba! Não se cresce com amor, assim. É assim que se aprende a não desenvolver o amor filial. Há momentos que uma pessoa sabe exactamente o que está a acontecer. E eu soube, nessa altura, que a minha mãe tinha vindo para minha casa para aprendermos ambos qualquer coisa, e que essa experiência seria curta e muito intensa. Não sei se ela aprendeu. Eu, sim. Aprendi a pôr a funcionar, não o amor filial (nunca soube muito bem ao certo o que isso era), mas a energia positiva de ter que aceitar aquele ser humano, tal como era. Quantas sombras me atravessaram a mente e o olhar nessa época. Tantas. Mas lá fui fazendo, muitas vezes contra a vontade, praticando diariamente o perdão a mim mesmo. Foi esgotante. Sobretudo porque durante meses foi um processo mental e não do coração. Por estranho que possa parecer, eu sabia que no dia em que o meu auto-perdão fosse feito com o coração, a minha mãe desencarnaria. Assim aconteceu. Naquela manhã, quando acordei muito cedo, bati à porta do quarto dela, o que não era habitual em mim. Entrei e lá estava a Nivalda, quieta, sossegada. Morrera. Sentei-me na cama, tranquilo, olhando para ela, a ter uma breve conversa de conforto, limpando bem o que restava dos seus chacras, encaminhando o seu espírito, mas ao mesmo tempo e em segundos, vi o filme da minha vida com esta mulher, que foi minha mãe nesta reencarnação. O perdão acontecera. Foram necessários 16 meses para 'limpar' 59 anos de vida com laços comuns. Saturno já estava em Virgem. Só podia ser assim.

Estava o site de astrologia a começar a singrar, quando Saturno ingressou em Virgem  [Setembro 2007 a Outubro de 2009], ainda na minha casa 4. Tomei profunda consciência que nesse signo iria passar pelo conhecido 2º retorno de Saturno. Já escrevi muito sobre tudo isso. Está à disposição de todos aqui no blogue. Com a entrada de Saturno em Virgem, criei o 'Cova do Urso', além de saber que iria desmontar e voltar a montar um enorme puzzle, ao qual deveria dar a maior atenção. Aqui a atenção foi para a minha editora que entretanto tinha ficado muito em baixo com uma série de factores. Foi quando perdi a arrogância de me considerar um editor especial, só porque publicava obras espirituais de autores de língua portuguesa. Foi preciso curar-me disso, para ser quem sou, actualmente.

Tomei consciência que se apresentariam situações bastante delicadas em que seria posto à prova. Assim aconteceu. Saturno ia a meio da minha quarta casa e eu decidi que deveria esperar pela sua entrada na casa seguinte, para tomar umas quantas iniciativas mais externas, sobretudo no que à astrologia dizia respeito, nomeadamente os cursos online. Entretanto, vivi todos os quesitos inerentes à quarta casa. Todos, não faltou nenhum. Tudo quanto era ser vivo dentro da casa onde resido passou por situações delicadas, entre elas o falecimento da minha mãe, que tinha vindo viver comigo uns meses antes, como já contei mais acima. Até o Tibério adoeceu gravemente. E a gata Fôfa Maria desencarnou. Tudo isto ajudado por outros trânsitos que já aqui tenho falado: Saturno e Úrano a fazerem quadratura ao meu Sol (na 1) e à Lua (na 8). Não eram os únicos, assim, bastante importantes, pois passei por Plutão a fazer uma oposição a Úrano e a Vénus (na 2).Com tudo o que isso implica, por ser a casa 2. Eu sei, que é uma conversa muito astrológica, mas avisei que este post era só para mim.

Obviamente, ainda tenho Saturno em Libra/Balança, nas minhas casas 5 e 6, a encontrar-se com Neptuno. Estou nisso, neste momento.

Que aprendi com todas estas situações? Que não vale a pena fazermos grandes planos, sem estarmos bem ligados ao nosso ser interior, pois a vida tem sempre planos para nós. Sempre.

A intensidade e a natureza deste tipo de trânsitos é daquelas que sabemos que o safanão no ego será forte. Tem sido forte. Em simultâneo, as emoções estão à flor da pele. É o universo a perguntar: «António, gostas de ti o suficiente para não desistires de concretizar os teus sonhos? Por muitos safanões que recebas? Por muitas oposições que encontres na tua vida?»

Constato uma coisa: nos últimos 5 anos passei pelos trânsitos mais fortes que o cosmos tem para nós. Verifico também, que 2011 vai trazer-me maior tranquilidade, maior paz, sem a turbulência de trânsitos pesados.

Só posso responder ao universo que sim, que gosto de mim o suficiente e que não tenciono desistir dos meus sonhos. É a altura de colocar em prática duas palavras sábias: «ousadia e prudência».

Isto é que foi um desabafo, hein?

.

33 comentários:

Lua Nova disse...

rsrsrrs...deve ser confortável e útil poder analisar o próprio comportamento e os acontecimentos da vida com o auxílio da astrologia. É como um roteiro, ou um tutorial que explica certas coisas e orienta os novos passos. Sensacional.
Que seu ano de 2011 seja perfeito pra vc, repleto de realizações e muitas alegrias.
Beijokas.

Paulo Francisco disse...

Antônio,
Muito bom!
...e que seus sonhos sejam alcançados neste 2011.
Um grande abraço!

IdoMind disse...

Ursinho

Isto não foi um desabafo, foi uma epifania!

Depois de tudo, ainda sonhas.És de facto uma inspiração...

Parabéns pela Coragem até aqui.
Boa Sorte com a Ousadia daqui para a frente.
( para que queres prudência com uma amiga advogada?!) ;)

Mil beijos e um Ano Muito Muito Feliz

Susana Vitorino disse...

Vou dizer um palavrão: Que puta trabalho de auto análise!

Obrigada pelo desabafo. E é um desabafo e uma auto análise que pode ressoar fundo em qualquer um de nós.
Sem julgamentos, sem nada.

E quem fala assim, até parece um Escorpião...

Gosto de ti (ao Ano Novo, se não te molestar, decidi tirar a 3ª pessoa - o respeito não está na gramática - mas voltarei à 3ª pessoa, se for da tua vontade.)

Um abraço forte na Alma*

What a ride!

Sonia Beth disse...

Oi Antonio

Fantastico este trabalho. Torço por ti, amigo.

abs

dulce disse...

Meu muito querido,

Como não ler?? Como não saber o que sente e pensa alguém que se gosta muito??

Na realidade, já tivemos esta conversa e um menos "astrológica ", mas mesmo assim eu amei ler...mesmo com esses pormenores mais especificos:))

E sobretudo fico feliz por saber que o o 2011 vai ser mais calmo e mais tranquilo para o António.

Beijos mil..e hoje ainda não lhe disse que gosto muito de si...

Michelle Matta disse...

Que texto lindo de ler e se emocionar... Te desejo uma boa caminhada em 2011. bj

Marion Lemos disse...

Aeeee que saudades!
Adorei a postagem, e concordo com você Antònio.. vamos deixar a vida nos presentear com suas surpresas.. vamos abandonar essa nossa mania de querer manipular as contigências da vida... planos.. direções..
Ah, vamos deixar fluir as boas energias e viver o presente!..
Gratidão, meu amigo por compartilhar essas mensagens maravilhosas..
Tudo de bom sempre!

Um doce beijo em tua alma.

Marion

Suzana Martins disse...

Desejo a você um ano próspero e que 2011 seja um ano de realizações.

Abraços meus!!^^

Astrid Annabelle disse...

Bom dia querido António!
Eu li tudo "ouvindo você contar"!
Essas auto análises são fantásticas...trazem brilho aos olhos!
Daqui para frente, com toda a certeza, terás uma qualidade de vida superior, com muitas alegrias e muito amor!
Eu adorei saber de tudo isso.
Um beijo grande no seu coração.
Astrid Annabelle

Ana Cristina disse...

António, bom Ano, gostei de ler o seu desabafo e ainda mais as entrelinhas :) bem a propósito para um ano em que os planos...são isso mesmo planos, já que vamos todos a ser desafiados a desbravar, a decidir perante o que de novo aparece. Vai valer a pena ter presente a nossa história para melhor entender o presente.

Abraço

Iara Rodrigues da Cunha disse...

Olá Antonio, adorei a sua postagem...uma excelente forma de iniciar o ano...fazendo uma retrospectiva da própria vida. Muito bom! Não sei como foi com os outros,mas posso lhe afirmar que enquanto lia, observava as datas e os trânsitos e em paralelo fui tentando analisar o meu mapa. Que bom que as vivências mais difíceis já se foram e pelo menos em 2011 vai viver momentos mais "lights". Seja de que forma for, fica a certeza de que as transformações continuam pois viver é um eterno movimento. Que fluam as boas energias e que o universo conspire a seu favor trazendo tudo o que a vida possa lhe oferecer de melhor...você merece. Feliz todos os dias de 2o11!
Um grande beijo no coração

HAZEL disse...

Ufff... se foi!
Mas a verdade é que só nos é entregue a carga que podemos carregar. Não é mesmo? :)

Um beijinho e que 2011 lhe seja ameno e regenerador

Safira disse...

Embora astrológica, não é uma conversa assim tão astrológica. Gostei muito de ler, é um ser que se expõe e isso requer muito amor e coragem, também.
Ainda bem que a astrologia aparece mais favorável agora. Gosto muito de si, com muita gratidão e afecto.

Um abraço grande, Maestro querido, que sabe a pouco porque gostaria que fosse pesoalmente.Agora continue a deixar lá mais os outros e lembre-se de se concentrar mais e em 1º lugar em si.
Um beijo e repito: gosto de si prá caramba! :) (esta brasileirice vem a calhar)
Um 2011 de sonhos lindos realizados.

Luisa Sal disse...

António,

Muito obrigada por esta partilha! Fantástica a sua disponibilidade.
E, fiquei muito feliz pelo penultimo paragrafo! Força !

Bjs

Luisa

Maria Paula Ribeiro disse...

Bom dia António,

Também te "ouvi contar" a a história, à medida que acompanhava o teu mapa.

A coragem de mostrares a tua autenticidade com a Astrologia é bem patente e foi isso que sempre adorei em ti

E, ao "auto-curares", curarás muitos mais... ;))

E sabes amigo não me esqueci tua quadratura a Quiron! ;)))

Beijo bem grande e sonha muito, ;)))

inês de barros baptista disse...

queridíssimo António

tanto quanto do excelente trabalho de auto-análise que já aqui foi referido, gostei da pergunta, que, com todo o respeito, tomo para mim:

'Inês, gostas de ti o suficiente para não desistires de concretizar os teus sonhos?'

os safanões e os abanões têm sido mais do que muitos, mas não deve ser por acaso que vim dar com este texto no preciso momento em que, também eu, me auto-analiso - e a escrita é tão boa para isso! - e em que me dou conta de que, de facto, 'não há mais desculpas'...

abraços e isso :))

Serginho Tavares disse...

Vir aqui é sempre um aprendizado maravilhoso meu querido!
Beijos, eliz ano novo de novo e tudo de bom!

Siala disse...

António...grata por esta intensa partilha! Os links são realmente preciosos para quem está no início dos seus estudos astrológicos...mas mais que isso, é a intensidade da tua experiência de vida e sabedoria adquiridas que trespassa cada palavra que escreves e nos atinge. Encaro a Astrologia como uma ferramenta para melhor me conhecer a mim e ao que vim cá aprender...mas nunca a encarei como causa fosse do que fosse, ou como mapa a seguir diariamente :) identifico-me muito com a tua forma de estar e de encarar a Astrologia, espero que 2011 me proporcione a oportunidade de poder beneficiar dos teus ensinamentos, quem sabe, presencialmente?
Gosto deste tipo de "post", fico sempre maravilhada quando vislumbro um pouco da essência que em certa medida é comum a todos nós...faz-me sentir que realmente não estou nem nunca estarei sozinha.
Desejo-te um excelente 2011, do fundo do coração!
Namasté!

Siala disse...

António, aproveito para colocar uma questão...li o texto de Quiron na casa 8 e em Escorpião. No meu caso eu tenho Quiron na casa 8, mas em Carneiro (Faz quadratura a Vénus e ao meu Nódulo Lunar Norte, conjunção com Júpiter,sextil a Saturno, oposição a Urano e trigono a Neptuno). Qual a melhor forma de interpretar este posicionamento? Procuro Quiron na casa 8 e Quiron em Carneiro, e depois os aspectos? O que é mais importante? A sua posição na casa 8 ou o facto de estar em Carneiro?
Acho que estou meio baralhada!
Namasté

Fênix disse...

Seu texto me levou a refletir sobre o meu relacionamento com minha filha.GRATA.

Ricardo Nuno disse...

Grande António... a sua coragem de se expôr e relatar através desta viagem as suas vivências é uma pérola de regalo para qualquer leitor, em especial quando nos identificamos com as dificuldades e sucessos que qualquer ser humano atravessa na Roda de Samsara.

A cada post seu que leio, mais me sinto ligado consigo e acho que isso é uma coisa boa... o que acha?

E fique ciente de uma coisa: este exercício que fez acho que é saudável e respeitoso para a sua própria pessoa.

Abraço!

Astrid Annabelle disse...

Olá mais uma vez António...
Só para você saber:
ainda bem que levei seu desabafo para casa, pois fiquei sem net até agora a pouco, o que me deu tempo de sobra para ler e reler toda essa sua experiência. Intensa e incrível!
Realmente as entrelinhas estão recheadas de informações.....
Beijos
Astrid Annabelle

Cristiano Melo disse...

Estou sem palavras,
senti o teu texto mais do que li!
Emocionei-me, sabendo que somos humanos e as experiências de cada um são únicas, mas similares.
Do todo, agradeço por mais uma vez me trazer um "insight" que a mim veio no momento certo.

Muito obrigado pelo seu sincero desabafo!

Forte abraço

António Rosa disse...

A todos os amigos que deixaram aqui estas mensagens tão tocantes, deixo um grande abraço de agradecimento. Beijos.

Maria de Fátima disse...

Olá querido António, foi um desabafo e tanto, risos.Como sempre gosto muito de ler os vários episódios da tua lenda pessoal.Fico sempre emocionada e encantada ao ler, porque parece que estou mesmo a ouvir-te a contar tudo.E o mais importante para mim é que vou te conhecendo sempre um pouco mais e também vou aprendendo com a tua sabedoria e experiência de uma vida cheia, plena e linda.Gosto muito de ti, querido Mestre Ursinho.Beijocas grandes.

Lou Albergaria disse...

Antônio,

sempre gostei muito de ASTROLOGIA, tanto quanto aprecio Filosofia. Sei que a Astrologia é até mais antiga que a própria Filosofia. Penso que ela nos dá um suporte de energia e motivação muito importantes que muitas vezes realmente é o que faltava para irmos de encontro ao que SOMOS DE VERDADE e para o que NASCEMOS. Acredito muito que todos nascem como uma 'missão', um talento absolutamente único que deve ser colocado à disposição da humanidade para que possamos crescer e evoluir mutuamente.

Obrigada por sua amizade em 2010!

FELIZ ANO NOVO!!!

Que em 2011 possamos praticar os talentos com os quais nascemos e podermos aprender e evoluir cada vez mais, sem nunca perder de vista a UNICIDADE.

Se você se corta, sinto sua dor. É nisso em que acredito!

BEIJÃO!!!!

Lou Albergaria

Estou ansiosa pela entrevista com o Márcio. Não perderei por nada! Esse Moço vale ouro!!!!

Saulo Taveira disse...

António,

curioso, não entendi racionalmente mas me senti tão próximo de ti. Como se você me contasse tudo isso de maneira bem explicada, num bom e "vulgar" português.

Que 2011 seja o ano que desejas, com muita prudência e ousadia.

Beijos, meu amigo.

António Rosa disse...

Maria de Fátima, Lou, Saulo,

Um grande abraço de agradecimento. Beijos.

Paula disse...

Ainda bem que nao levei a sério as suas primeiras palavras do texto ;-)
Teria perdido bastante! Nem tenho palavras para comentar...Obrigada por ter partilhado. Desejo-lhe Luz para o seu caminho, saúde e prosperidade.

Um abraco
Paula M.

António Rosa disse...

Paula

Muito obrigado pela gentileza.

Abraço.

Rui António Santos disse...

Ant+inio li atentamente toda esta sua experiência de vida, em sintonia a um sentido Astrolõgico que atenua esses trãnsitos intensos no rumo da sua vida.

Acredito que quando damos sentido ao que vivemos, aprendemos a gostar de nós o suficiente para não desistirmos do nosso sonho,

Meu Saturno, está na 2, de facto minha estrutura de valores começou a mudar, al-em de fazer um contrto para restauração dos dentes, foram feitas revelações de consciência,inesperadas, intensas e muito agradãveis, devido a um sextil de Saturno ao meu Sol,e a caminho de fazer brevemente sextil a Urano e a Venus, entratanto Plutão sairã definitivamente da minha casa 4. onde temho Jupiter em sagitário. Bom a Astrologia para mim é o sentido de continuar a acreditar que tudo vale a pena, porque a alma não é p+equena. Abraco

António Rosa disse...

Rui,

Muito agradecido pela sua mensagem, pois é sempre uma delicadeza e um conforto ler as suas palavras.

Grande abraço.

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates