Quiron - características

23 de novembro de 2007 ·

O Quíron Espiritual
“O Quíron reflecte a nossa frustração. A frustração de não conseguirmos ser quem somos ao mais alto nível espiritual.”
 Jesus, através de Alexandra Solnado

Texto extraído do Livro 1 – “Este Jesus Cristo Que Vos Fala”, de Alexandra Solnado
“Quero ditar-te hoje sobre os astros na mitologia grega. Dizia-se que os astros serviam para abençoar as pessoas com as suas características. As entidades teriam passado tempos em cada astro e traziam para a Terra essas mesmas características. Hoje vou ensinar-te uma nova maneira de ler os mapas. Vais buscar o que cada um tem de melhor ao planeta Quíron. É onde se esconde a verdadeira essência.”
Mas o Quíron não é a ferida?
“É a ferida e a cura, o bloqueio e o potencial.”

Texto extraído do Livro 2 – “Este Jesus Cristo Que Vos Fala”, de Alexandra Solnado 
 “Qual é a missão?
“Limpar, ajudar. Curador, sem dúvida, e é por isso é que o Quíron faz das suas quando faz quadratura a ele próprio (ao Quiron natal).”

Texto extraído do Livro 3 de Alexandra Solnado
 “Gosto de falar no planeta Quíron porque ele significa o vosso ser espiritual, aquele que perdurou através dos séculos, aquele que trouxe através dos tempos os anseios de um só ser, independente das várias encarnações e dos vários corpos e vidas que essas encarnações propunham.
Esse ser, com ideais próprios, tinha que se confrontar com a personalidade e o ego de cada uma das encarnações, e com o carma que esses egos iam ganhando nessas encarnações.
E, como sabes, cada sofrimento não compreendido provoca mais carma e consequentemente mais vindas à terra para limpá-lo. E assim cada vez esse ser espiritual fica mais longe de se ver completo, de se ver exercido em toda a sua plenitude.
— Porquê?
A dor e o sofrimento com os parâmetros aí de baixo, não os compreende, revolta-se, não dá significado ao que vive, não percebe que atraiu o que está a passar para limpar e evoluir, culpa os outros da sua evolução, bloqueia, e esse bloqueio vira um carma.
Nunca mais quererá voltar a essa situação para não sofrer. Nem nesta nem em outras vidas.
E a situação que supostamente tinha sido despoletada para resolver e avançar, fica ali, congelada, à espera de melhores dias.
E a pessoa nesta e em outras vidas, vai atraindo situações semelhantes, cada vez mais fortes e violentas, para ir lá, a esse lugar descongelar, desbloquear, aceitar, chorar, fazer finalmente o luto da perda, e de tanto mastigar aquela dor, ela se desfaz.
É aí que o carma desaparece.
Só aí é que a densidade se dilui e a pessoa começa a elevar-se. E, ao elevar-se, começa a encontrar o seu ser espiritual, quem ela verdadeiramente é, quem ela nunca deixou de ser, desde que nasceu como energia, há milhões de anos atrás.
É isso que Quíron significa no mapa astrológico.
Esse ser espiritual, que está ferido, pois não consegue ser quem é, quem sempre foi, porque a pessoa está tapada pelo medo, pelo carma.
Esse ser tem uma ferida espiritual por não ter conseguido se exercer como ser, como pessoa a nível espiritual. O Quíron reflecte a nossa frustração. A frustração de não conseguirmos ser quem somos ao mais alto nível espiritual.
No dia em que a pessoa conseguir limpar os carmas, tratar os medos, desbloquear, vai começar a vislumbrar um ser belíssimo, cheio de luz, cheio de emoções para partilhar.
Nesse dia, a frustração secular cessa, e dá-se início à verdadeira revolução da humanidade.”


Características do Quíron astrológico

Tempo necessário para completar uma deslocação ao longo do zodíaco: cerca de 50 anos (devido àsua órbita muito irregular a sua passagem por cada signo varia entre 1,5 a 8 anos)
Retrogradação: uma vez por ano, durante cerca de 4-6 meses
Casa associada: VI
Signos mais afins: Virgem, Escorpião e Sagitário.
Personagens simbolizadas: o curandeiro, o astrólogo, o xamã, o terapeuta, o mestre (interior); o sofredor, o sacrificado, a vítima de doença ou trauma incurável, o bode expiatório.
Funções fundamentais: sublimação espiritual das feridas (físicas ou psicológicas) (consideradas) incuráveis; reconciliação dos impulsos humanos repressivamente dissociados; descoberta através do sofrimento das capacidades curativas pessoais.
Valores positivos: sabedoria, autodomínio, paciência, capacidade curativa, capacidade de sacrifício, aceitação positiva da dor, da vulnerabilidade e da morte, reconciliação com a intemporalidade, heroísmo, humanitarismo, doação, contribuição, iluminação, capacidade mediadora, qualidades de aconselhamento e de sustentação, desapego, integração holística.
Comportamentos negativos: derrotismo, alienação, isolamento, autocomiseração, depressão, repressão, fragmentação e divisão interiores, desistência, obstinação compulsiva, negatividade, autoengano.
Outras representações e especificidades de Quíron:
• Quíron fala-nos duma ferida (física, material, psicológica ou mental) algumas vezes provocada por acidente, por distracção, por algo irrazoável ou que nunca é esperado, introduzindo, desse modo, o tema do sacrifício na vida da própria pessoa: na sua «imortalidade», na sua projecção mundana, na sua saúde, na sua vida material, etc. Quíron introduz o sacrifício que, se positivamente encarado, leva a procurar pela cura dos outros, o alívio para o sofrimento pessoal.
• Quíron representa um passo importante na descoberta das fragilidades, desajustamentos e incoerências humanas, através da compreensão da inutilidade de se lutar contra ou fugir daquilo que é a nossa realidade e essência mais básicas. É por ser insolúvel a dor sentida, que Quíron obriga ao caminho em direcção à mestria das energias humanas; é por estar compulsivamente presente que Quíron não permite que se desligue ou se abandone o caminho traçado; é por não parecer ter explicação ou justificação que o sofrimento se torna dificilmente esquecido.

0 comentários:

23 de novembro de 2007

Quiron - características

O Quíron Espiritual
“O Quíron reflecte a nossa frustração. A frustração de não conseguirmos ser quem somos ao mais alto nível espiritual.”
 Jesus, através de Alexandra Solnado

Texto extraído do Livro 1 – “Este Jesus Cristo Que Vos Fala”, de Alexandra Solnado
“Quero ditar-te hoje sobre os astros na mitologia grega. Dizia-se que os astros serviam para abençoar as pessoas com as suas características. As entidades teriam passado tempos em cada astro e traziam para a Terra essas mesmas características. Hoje vou ensinar-te uma nova maneira de ler os mapas. Vais buscar o que cada um tem de melhor ao planeta Quíron. É onde se esconde a verdadeira essência.”
Mas o Quíron não é a ferida?
“É a ferida e a cura, o bloqueio e o potencial.”

Texto extraído do Livro 2 – “Este Jesus Cristo Que Vos Fala”, de Alexandra Solnado 
 “Qual é a missão?
“Limpar, ajudar. Curador, sem dúvida, e é por isso é que o Quíron faz das suas quando faz quadratura a ele próprio (ao Quiron natal).”

Texto extraído do Livro 3 de Alexandra Solnado
 “Gosto de falar no planeta Quíron porque ele significa o vosso ser espiritual, aquele que perdurou através dos séculos, aquele que trouxe através dos tempos os anseios de um só ser, independente das várias encarnações e dos vários corpos e vidas que essas encarnações propunham.
Esse ser, com ideais próprios, tinha que se confrontar com a personalidade e o ego de cada uma das encarnações, e com o carma que esses egos iam ganhando nessas encarnações.
E, como sabes, cada sofrimento não compreendido provoca mais carma e consequentemente mais vindas à terra para limpá-lo. E assim cada vez esse ser espiritual fica mais longe de se ver completo, de se ver exercido em toda a sua plenitude.
— Porquê?
A dor e o sofrimento com os parâmetros aí de baixo, não os compreende, revolta-se, não dá significado ao que vive, não percebe que atraiu o que está a passar para limpar e evoluir, culpa os outros da sua evolução, bloqueia, e esse bloqueio vira um carma.
Nunca mais quererá voltar a essa situação para não sofrer. Nem nesta nem em outras vidas.
E a situação que supostamente tinha sido despoletada para resolver e avançar, fica ali, congelada, à espera de melhores dias.
E a pessoa nesta e em outras vidas, vai atraindo situações semelhantes, cada vez mais fortes e violentas, para ir lá, a esse lugar descongelar, desbloquear, aceitar, chorar, fazer finalmente o luto da perda, e de tanto mastigar aquela dor, ela se desfaz.
É aí que o carma desaparece.
Só aí é que a densidade se dilui e a pessoa começa a elevar-se. E, ao elevar-se, começa a encontrar o seu ser espiritual, quem ela verdadeiramente é, quem ela nunca deixou de ser, desde que nasceu como energia, há milhões de anos atrás.
É isso que Quíron significa no mapa astrológico.
Esse ser espiritual, que está ferido, pois não consegue ser quem é, quem sempre foi, porque a pessoa está tapada pelo medo, pelo carma.
Esse ser tem uma ferida espiritual por não ter conseguido se exercer como ser, como pessoa a nível espiritual. O Quíron reflecte a nossa frustração. A frustração de não conseguirmos ser quem somos ao mais alto nível espiritual.
No dia em que a pessoa conseguir limpar os carmas, tratar os medos, desbloquear, vai começar a vislumbrar um ser belíssimo, cheio de luz, cheio de emoções para partilhar.
Nesse dia, a frustração secular cessa, e dá-se início à verdadeira revolução da humanidade.”


Características do Quíron astrológico

Tempo necessário para completar uma deslocação ao longo do zodíaco: cerca de 50 anos (devido àsua órbita muito irregular a sua passagem por cada signo varia entre 1,5 a 8 anos)
Retrogradação: uma vez por ano, durante cerca de 4-6 meses
Casa associada: VI
Signos mais afins: Virgem, Escorpião e Sagitário.
Personagens simbolizadas: o curandeiro, o astrólogo, o xamã, o terapeuta, o mestre (interior); o sofredor, o sacrificado, a vítima de doença ou trauma incurável, o bode expiatório.
Funções fundamentais: sublimação espiritual das feridas (físicas ou psicológicas) (consideradas) incuráveis; reconciliação dos impulsos humanos repressivamente dissociados; descoberta através do sofrimento das capacidades curativas pessoais.
Valores positivos: sabedoria, autodomínio, paciência, capacidade curativa, capacidade de sacrifício, aceitação positiva da dor, da vulnerabilidade e da morte, reconciliação com a intemporalidade, heroísmo, humanitarismo, doação, contribuição, iluminação, capacidade mediadora, qualidades de aconselhamento e de sustentação, desapego, integração holística.
Comportamentos negativos: derrotismo, alienação, isolamento, autocomiseração, depressão, repressão, fragmentação e divisão interiores, desistência, obstinação compulsiva, negatividade, autoengano.
Outras representações e especificidades de Quíron:
• Quíron fala-nos duma ferida (física, material, psicológica ou mental) algumas vezes provocada por acidente, por distracção, por algo irrazoável ou que nunca é esperado, introduzindo, desse modo, o tema do sacrifício na vida da própria pessoa: na sua «imortalidade», na sua projecção mundana, na sua saúde, na sua vida material, etc. Quíron introduz o sacrifício que, se positivamente encarado, leva a procurar pela cura dos outros, o alívio para o sofrimento pessoal.
• Quíron representa um passo importante na descoberta das fragilidades, desajustamentos e incoerências humanas, através da compreensão da inutilidade de se lutar contra ou fugir daquilo que é a nossa realidade e essência mais básicas. É por ser insolúvel a dor sentida, que Quíron obriga ao caminho em direcção à mestria das energias humanas; é por estar compulsivamente presente que Quíron não permite que se desligue ou se abandone o caminho traçado; é por não parecer ter explicação ou justificação que o sofrimento se torna dificilmente esquecido.

Sem comentários:

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates