Dor

24 de junho de 2009 ·


Num sentido muito geral, Marte é o planeta da dor, encarada fisicamente. Saturno (a aprendizagem pela dor) é o planeta da mágoa, encarada em temos psíquicos ou espirituais.

Fisicamente, a dor é um sinal de alarme que não deve ser desprezado, disfarçado ou eliminado enquanto não se perceber a sua causa. O corpo é o espelho da consciência, o palco onde se manifestam os desequilíbrios do Ser total.

Assim, ao contrário do que é comum, qualquer sintoma deve ser entendido como um bloqueio energético em algum plano da consciência, ou seja, a manifestação física da distorção mental que aflige a pessoa.

Em vez de rejeitarmos a dor, devemos tentar compreender para o que ela chama a atenção.

48 comentários:

Efigênia Coutinho disse...
25 de junho de 2009 às 01:53  

António Rosa, permita-me para a DOR, eu ofereço Amor, pois acredito ser assim na vida real e natural...
Quanto mais Amo, mais sou Amada!

Efig6enia Coutinho
Escritora

HAZEL disse...
25 de junho de 2009 às 10:06  

Bom dia, António

Assustei-me quando vi o título deste post na minha lista de blogs.

É verdade, a dor acontece sempre por um motivo. Não devemos ignorá-la.

E nem lhe passa pela ideia as dores que tive para nascer o meu filho. Nem imagina!!
Ainda hoje não sei como consegui resistir em silêncio, quando, à minha volta, ouvia toda a espécie de gemidos, grunhidos e palavrões de outras mães.

Não sabia que Saturno era o planeta associado à dor. Porquê Saturno?

Um beijinho e um dia feliz

Astrid Annabelle disse...
25 de junho de 2009 às 10:15  

António! Bom dia!
A dor é a passagem secreta para uma oitava acima...
Beijo
Astrid Annabelle

HAZEL disse...
25 de junho de 2009 às 10:19  

Estava agora a deixar um comentário no livro da Shin Tau sobre o "Grande Livro das Orações", do qual o António já me tinha falado. E dizia eu à nossa amiga em comum que não tenho esse livro, porém tenho outro, também de orações, intitulado "O Livro do Exorcista".

Fui à estante buscá-lo para confirmar se estava a dizer o título correctamente, quando reparei que... é da sua editora!
Qe engraçado. Já o tenho há vários anos, até foi o Consorte que o comprou, e, em momentos de preocupações, fazia as orações para os dias da semana.
A capa é um bocadinho assustadora (todos os dias, eu ia à mesa-de-cabeceira dele virar-lhe o livro ao contrário para não ver as imagens! lol!), mas o conteúdo parece-me poderoso.

Até tem orações de S. Cipriano.
O "Livro de S. Cipriano" também é da sua editora?
Acredita que nunca o folheei a sério?
Já ouvi tanta coisa sobre esse livro. Qual é a sua opinião?
Estou curiosa para saber.

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 10:29  

Efigênia

Lindo poema, mas a dor é inevitável, pois nascemos na Escola do Sofrimento.

Abraço

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 10:31  

Hazel

Porque decidiu silenciar a dor do parto? É a única dor do ser humano (a do parto) que não tem um significado metafísico específico, pois celebra a vida.

Beijo

HAZEL disse...
25 de junho de 2009 às 10:52  

António,

Por dois motivos:
1. Porque tive vergonha de estar a "dar espectáculo"; sou uma pessoa tímida;
2. Porque as enfermeiras eram brutas com as mães que gritavam. E foram mais humanas comigo por estar calada. Acredite, uma pessoa fica tão aflita e vulnerável, que a última coisa que lhe pode calhar é uma enfermeira carniceira.

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 10:55  

Astrid

Que bom que a vejo a retomar a vida, fazendo aquilo que gosta. Agora é a aprendizagem de maior silêncio, já que vive só.

A dor é parte da vida.

Beijo

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 11:25  

Hazel

A maioria dos livros de orações publicados pela minha editora têm a minha assinatura. Assim como os livros esotéricos assinados pelo meu pseudónimo «Tibério Bahia», o nome do meu pastor alemão. :)

Esse livro nunca vendeu bem, apenas cumpriu o que lhe competia, tanto que não será reeditado. Talvez pela capa e porque as pessoas ainda têm medo de certas palavras.

É uma característica da minha editora e sempre foi assim: passa despercebida. Tão despercebida que até os livreiros se esquecem do nosso nome, lembrando-se mais depressa dos títulos.

Gostei de saber que o Consorte era leitor. É raro ter a informação da banda masculina da vida. :)

O conteúdo é fortíssimo e isso faz as pessoas temerem.

Um dia soubemos que uma bruxa (?) maluca, com consultório em Lisboa, andava a fazer negócio chorudo com esse livro. Soubemos isso, porque recebíamos encomendas frequentes vindas de um certo sítio, o que era muito estranho, haver grande aceitação dali e, no resto do país, as vendas serem abaixo do médio.

Até que soubemos de uma história vinda dessa bruxa que era a dona da loja esotérica.

Fiquei num dilema: como fazer para desmascarar essa situação? Marquei uma consulta sob outro nome.

Cheguei à consulta e queixei-me muito que a minha mulher andava a pôr-me os palitos. Hazel, nessa fase da minha vida, já eu estava só na vida. Portanto, não era verdade o que disse à bruxa.

O que me diverti com o pretenso ritual que ela fez: fingiu incorporações, acendeu velas, sentou-se e levantou-se várias vezes. Enfim, uma paródia.

Depois de toda aquela traquitanga, veio a fase das recomendações, que em si eram também um pretenso ritual.

Aqui é que entra O Livro do Exorcista, que sempre esteve na mesa onde estávamos sentados.

Com vozinha combalidade (teoricamente esgotada dos rituais e incorporações) fez isto:

- pegou no livro
- folheou para a frente e para trás
- arrancou 2 páginas ao livro
- rasgou o livro ao meio
- entregou-me primeiro as duas páginas, com a indicação que deveria colocá-las debaixo do colchão
- entregou-me depois o livro rasgado em duas partes com a indicação para eu queimá-lo ao ar livre dizendo uma quadra tonta

Eu, até aí, sempre em silêncio, perguntei-lhe quanto era que eu devia. 300 euros, disse ela. Imagine 300 euros em 2003. Um dinheirão para tanta fantasia. O livro era-lhe vendido com desconto, pagando ela menos de 5 euros.

Levantei-me, meti a mão no bolso e tirei 25 euros, coloquei-os em cima da mesa e antes que ela dissesse alguma coisa, disse-lhe mais ou menos isto:

- Sou sou fulano de tal, autor e editor desse livro. Isto que está a fazer é uma fraude. Os 25 euros são para pagar os 25 minutos do seu tempo.

Depois fiz uma voz 'perigosa' e disse-lhe, mais ou menos: Eu sou um Grande Mago Branco e proíbo-te de continuares a inventares rituais com este livro.

depois acrescentei outras coisas que não vêm para o caso.

A mulher estava lívida, a pedir muitas desculpas, etc, etc.

Um ano depois, ela pareceu-me em consulta de astrologia.

:)))

Quanto ao Livro de São Cipriano, parece-me um livro inofensivo. O problema reside na crendice do mal que supostamente o livro contém, com aqueles textos doidos de sapos e coisas assim. Mal usado, dá para o mal, claro.

Como sabe, não foi escrito pelo Santo.

Beijo

Desculpe o longo que isto ficou, mas apeteceu-me partilhar esta história.

:))

Maria Paula Ribeiro disse...
25 de junho de 2009 às 12:15  

Bem...com dor ou sem dor, temos de ir andando, mas adorei a tua história!!!!!!!!!!! LOL LOL LOL LOL
"Nessas" coisas gostava de ser mosquinha omnipresente!!!!!!!!!
Bem, tiveste cá uma "pouse", dou-te os parabéns por isso... Se fosse eu, seria mais de partir tudo!!!! Até a cara da mulherzinha ia para ao livro de tanto o ter injuriado! ;)

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 12:23  

Paula

Tenho 3 funcionários na editora que são pacíficos e resistentes. Mas quando muito enervados, partem directos para a pancada.

Isso não resolve nada.

Joana disse...
25 de junho de 2009 às 12:36  

"Em vez de rejeitarmos a dor, devemos tentar compreender para o que ela chama a atenção." Concordo completamente com esta frase. :)

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 12:42  

Joana, querida

Ainda bem que também sentes que é assim. Já começamos a ser muitos.

beijo

adriana disse...
25 de junho de 2009 às 12:56  

António,
Uma reflexão muito sábia.
E adorei a aventura com a "bruxa".
Grande Mago Branco!
Não sabia...
;)

Rui Santos disse...
25 de junho de 2009 às 13:31  

António, a dor pode funcionar como um sistema Gps, dá erro no nosso sistema Central, para termos oportunidade de corrigirmos a nossa rota.

Adorei aquela história da bruxa maluca, elas deviam ser todas denunciadas, porque o que fazem é crime e devia ser punido por lei.

Abraço Grande

guntty disse...
25 de junho de 2009 às 13:35  

Ahahah... tou a ve-lo lá na bruxa.

Grande Mago Branco é assim mesmo! =)

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 13:38  

Adriana

Foi uma aventura e tanto. A verdade e que a mulher abandonou o 'negócio' e hoje minha cliente regular, dedicando-se a outra actividade profissional.

:)

A&L

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 13:39  

Rui

Gostei dessa do GPS. Tito Tonton. Depende se fala em espanhol. :)

Abraço

Isa Grou disse...
25 de junho de 2009 às 13:40  

Olá António,

Gostei muito do post... concordo plenamente com você a respeito da dor. Na verdade a dor é uma bênção...
Como sou leiga em astrologia, eu não sabia que.... "Marte é o planeta da dor, encarada fisicamente. Saturno (a aprendizagem pela dor) é o planeta da mágoa".

Sempre aprendo por aqui... um aprendizado a mais... obrigada, viu!

Saiba que eu também adorei a sua história (da bruxa(?)maluca) António!!!

Beijos.

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 13:42  

Guntty

Ui, ui, ui. :)

É fácil ser bruxa ou mago em tempos perigosos. Há tantos por aí a anunciarem nos jornais, a dizerem-se 'professores astrólogos' e videntes.

Sei reconhecer imediatamente quando encontro uma bruxa a sério ou um verdadeiro mago. Se sei!

Abraço

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 13:43  

Isa

Saturno, o planeta da mágoa.

Mágoa igual a carma.

Saturno, o planeta do carma.

Beijo, querida.

Fada Moranga disse...
25 de junho de 2009 às 14:09  

António, até chorei.

A rir! Com a revelação do Tibério Bahia e a história da bruxa :-)))))

Essa voz perigosa também já a ouvi... naquela famosa consulta há 4 anos e meio... Foi assim:
"Então você é uma bruxinha..."
"Eu? Não sei, se calhar, diz que sim..."
Voz perigosa "É OU NAO É?!?!"

Apre! Oh senhor mago branco faça-se a sua vontade, quero é ir pra casa! :-))) Hoje lembrei-me daquele momento de nervos.

O meu Saturno devia estar mesmo a pedi-las naquele dia...

Bem haja António!
Beijos**deFada

PS: Ilustração interessante... ;-)
O Escorpião compreende bem a dor, oh sim!

Astrid Annabelle disse...
25 de junho de 2009 às 14:10  

António!
Gostei da história com a bruxa maluca!rsrs
São pragas que merecem serem castigadas, pois brincam com a fé e o desespero humano.
Tibério Bahia!!! Que nome bonito ó! Grande Mago Branco!!!
Yes...
Beijo.
Astrid Annabelle
P.S.
Se eu não conversar com vocês nesse momento, não sei não...

Fada Moranga disse...
25 de junho de 2009 às 14:11  

Já me esquecia disto: sobre as dores de parto e enfermeiras brutas...

Por essas e por outras é que vou fazer o meu parto na clínica da Dra.Maria Paula!

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 14:22  

Fada

A voz que te referes foi a nº8, porque a nº 1, são poucos os que a conhecem. Não te enerves. Não é caso para isso.

:)

Desculpa lá, qualquer coisinha.

Beijo

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 14:22  

Astrid

Espero que venha conversar connosco. Não se feche. Abra-se ao mundo e siga em frente e para cima. A vida continua.

Beijo

HAZEL disse...
25 de junho de 2009 às 14:25  

O António é uma caixinha de surpresas. Com que então, Tibério Bahia!

Acho que a capa do "Livro do Exorcista" é um bocado cinematográfica, faz lembrar os filmes de Hollywood, a luta da Igreja contra o Mal...

Não faz justiça ao conteúdo, que é muito poderoso e benéfico. Já me serviu de amparo em momentos difíceis.
Talvez se o livro tivesse outro tipo de capa mais leve, em branco, dourado, ou roxo, tivesse tido outra saída.

Se não vai re-editá-lo, ainda bem que o comprámos!
Valeram a pena aqueles escassos segundos em que o funcionário de caixa da Fnac olhou para nós e para o livro, e nos imaginou a brincar aos exorcistas de endemoninhados! lol

O Consorte é o fã número 1 deste seu livro! Creio que o leu todo, pois esteve vários meses na sua mesa-de-cabeceira. Quando lhe contar isto, ele vai achar muita graça. Jamais pensámos vir a conhecer o autor do livro que fez parte da nossa vida, e nos ajudou em tempos conturbados. Obrigada por tê-lo publicado, e por todo o trabalho de pesquisa que fez!

E o episódio com a bruxa!!! Ai, ai...! São charlatãs assim que dão um mau nome às verdadeiras bruxas.

E voltamos à capa do livro...! Se não tivesse esta capa tão dramática, ela não o tinha usado para defraudar as pessoas, pode crer.

Adorei a sua firmeza e frieza na forma como lidou com a situação. Um grande e belo exemplo a seguir.

300 euros... xiiii!

Então, e depois ela foi a uma consulta sua? Ai senhores!
O karma é uma coisa terrível!

Quanto ao livro de São Cipriano, eu cresci a ouvir que quem o lesse todo, ficava maluco, e uma data de coisas do género. E nunca o li.

E sou um bocado louca na mesma ;)
Sou capaz de comprá-lo um destes dias!

Beijos

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 14:33  

Hazel

O carma actualmente, cumpre-se nesta reencarnação.

Obrigado pelas palavras simpáticas.

Fada Moranga disse...
25 de junho de 2009 às 14:39  

António, sssugadito, não me enervo, mas na altura enervei-me. Eu sabia lá que era a voz nº8!
:-)))

Tá desculpado há muito tempo. Foi remédio santo! Bem haja!
Beijo*deFada

Marise Catrine disse...
25 de junho de 2009 às 14:47  

António,
Só há pouco despertei para estas questões da dor e dos sues reais significados. Mas acho que ainda vou a tempo certo? ;)

Acabei de fazer a minha estreia nas encomendas na sua/tua editora. Vou ficar cliente. "Mi aguardi"...

(hihihi)

Beijocas

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 14:53  

Fada

Estou sossegadito. :))))

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 14:54  

Marise

Gostei muito de saber isso. Se houver algum atraso, diz-me qualquer coisa.

Beijo

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 14:57  

Estamos em Câncer, o tempo dos melindres.

:))))

Um novo post, para encaminhar os leitores para longe destes comentários de bruxas e magos.

(risos)

Fada Moranga disse...
25 de junho de 2009 às 15:12  

António, estou no supermercado do Anjo Dourado! Vem o livro dos Sonhos para mim e o grande Livros das Orações para minha mãe que faz aninhos dia 10. Posso pedir-lhe um autógrafo e a marca da patinha do Tibério, fáxavor? :-)))

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 15:16  

Fada

Vou ter que ver o que se passa com o meu mapa, hoje. É que eu sou um desleixado com a minha própria astrologia.

Muito obrigado.

Pois claro que sim.

Fada Moranga disse...
25 de junho de 2009 às 15:21  

Ok, vou ultimar a compra e escrever uma notinha na encomenda. Vai passar a dormir comigo e com o Alan Oken! :-))

Volto já!

Fada Moranga disse...
25 de junho de 2009 às 15:29  

Está feito! Viva o PayPal!

Grande negócio, sem sair de casa e com os portes pagos! belo supermercado!

Bem haja António!

HAZEL disse...
25 de junho de 2009 às 15:49  

António,

Acabei de contar por telefone ao Consorte esta coincidência sobre o livro de que temos estado a falar ("Exorcista").

Como ele tem memória de elefante, disse que comprámos o livro em 2002, e que nessa época viajámos até à Rep. Dominicana e levámo-lo connosco, pois ele gostava de ler a oração de cada dia da semana (eu já não me lembrava). Foi há 7 anos atrás...

Mais uma vez, digo-lhe, o seu livro ajudou-nos a superar uma fase muito difícil. Estou muito grata por isso, e por ter conhecido o seu autor.

É bonito, isto.

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 17:33  

Fada

Muito obrigado. Vou avisar na editora para não enviarem os livros, para os assinar. Só o poderei fazer na 2ª feira, pois tirei uns dias para estar a descansar.

Beijo

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 17:34  

Hazel

Bela memória a do Consorte. Até fiquei emocionado ao pensar que um livro meu fez companhia aos ses leitores fora do país. Absolutamente para fixar, enquanto memórias de um editor.

Beijo

Adelaide Figueiredo disse...
25 de junho de 2009 às 18:43  

António,

Fartei-me de rir com a história da bruxa :) Essa coitada deve ter perdido a vontade de enganar mais alguém tão depressa. Afinal voltou-se o feitiço contra o feiticeiro. Foi apanhada em flagrante LOL

Quanto à dor física ou moral é sempre um sintoma de que qualquer coisa está mal.

Para mim, relaciono a dor moral (desgosto, sacrifício, perda, desamor, solidão etc) mais a Saturno.

E agora vou aos outros posts porque já vi que há mais. Isto é que é dar-lhe.

Abraço

marcelo dalla disse...
25 de junho de 2009 às 19:10  

Obrigado, meu querido. Precisava desta lição hoje. Abraço

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 19:17  

Adelaide

É om que d+a ter decido recuperar-me para harmonizar-me . isto num geminiano significa 1000 ideias e produzir, produzir, produzir. mas tenho conseguido fazer a minha sesta, que era a minha grande motivação.

Abraço

António Rosa, José disse...
25 de junho de 2009 às 19:20  

Marcelo

Ainda bem. Tal como a mim, não tem saido textos de astrologia com peso para a Escola, pois não? Tenho estado atento e não encontrei.

FadaMoranga disse...
25 de junho de 2009 às 22:57  

Sssugadito António, eu escrevi uma nota na encomenda. Durma lá umas sestas no Chesterfield! :-))

Bem haja!
Beijos***deFada

_Gio_ disse...
25 de junho de 2009 às 23:30  

A dor é aquela amiga com juízo: é inconveniente, nos incomoda quando menos queremos, e geralmente desprezamos seus alertas. Melhor seria se a ouvíssemos, pois ela só quer o nosso bem!

António Rosa, José disse...
26 de junho de 2009 às 00:49  

Fada

Já avisei a editora.

António Rosa, José disse...
26 de junho de 2009 às 00:49  

Gio

és de caranguejo? que dia?

24 de junho de 2009

Dor


Num sentido muito geral, Marte é o planeta da dor, encarada fisicamente. Saturno (a aprendizagem pela dor) é o planeta da mágoa, encarada em temos psíquicos ou espirituais.

Fisicamente, a dor é um sinal de alarme que não deve ser desprezado, disfarçado ou eliminado enquanto não se perceber a sua causa. O corpo é o espelho da consciência, o palco onde se manifestam os desequilíbrios do Ser total.

Assim, ao contrário do que é comum, qualquer sintoma deve ser entendido como um bloqueio energético em algum plano da consciência, ou seja, a manifestação física da distorção mental que aflige a pessoa.

Em vez de rejeitarmos a dor, devemos tentar compreender para o que ela chama a atenção.

48 comentários:

Efigênia Coutinho disse...

António Rosa, permita-me para a DOR, eu ofereço Amor, pois acredito ser assim na vida real e natural...
Quanto mais Amo, mais sou Amada!

Efig6enia Coutinho
Escritora

HAZEL disse...

Bom dia, António

Assustei-me quando vi o título deste post na minha lista de blogs.

É verdade, a dor acontece sempre por um motivo. Não devemos ignorá-la.

E nem lhe passa pela ideia as dores que tive para nascer o meu filho. Nem imagina!!
Ainda hoje não sei como consegui resistir em silêncio, quando, à minha volta, ouvia toda a espécie de gemidos, grunhidos e palavrões de outras mães.

Não sabia que Saturno era o planeta associado à dor. Porquê Saturno?

Um beijinho e um dia feliz

Astrid Annabelle disse...

António! Bom dia!
A dor é a passagem secreta para uma oitava acima...
Beijo
Astrid Annabelle

HAZEL disse...

Estava agora a deixar um comentário no livro da Shin Tau sobre o "Grande Livro das Orações", do qual o António já me tinha falado. E dizia eu à nossa amiga em comum que não tenho esse livro, porém tenho outro, também de orações, intitulado "O Livro do Exorcista".

Fui à estante buscá-lo para confirmar se estava a dizer o título correctamente, quando reparei que... é da sua editora!
Qe engraçado. Já o tenho há vários anos, até foi o Consorte que o comprou, e, em momentos de preocupações, fazia as orações para os dias da semana.
A capa é um bocadinho assustadora (todos os dias, eu ia à mesa-de-cabeceira dele virar-lhe o livro ao contrário para não ver as imagens! lol!), mas o conteúdo parece-me poderoso.

Até tem orações de S. Cipriano.
O "Livro de S. Cipriano" também é da sua editora?
Acredita que nunca o folheei a sério?
Já ouvi tanta coisa sobre esse livro. Qual é a sua opinião?
Estou curiosa para saber.

António Rosa, José disse...

Efigênia

Lindo poema, mas a dor é inevitável, pois nascemos na Escola do Sofrimento.

Abraço

António Rosa, José disse...

Hazel

Porque decidiu silenciar a dor do parto? É a única dor do ser humano (a do parto) que não tem um significado metafísico específico, pois celebra a vida.

Beijo

HAZEL disse...

António,

Por dois motivos:
1. Porque tive vergonha de estar a "dar espectáculo"; sou uma pessoa tímida;
2. Porque as enfermeiras eram brutas com as mães que gritavam. E foram mais humanas comigo por estar calada. Acredite, uma pessoa fica tão aflita e vulnerável, que a última coisa que lhe pode calhar é uma enfermeira carniceira.

António Rosa, José disse...

Astrid

Que bom que a vejo a retomar a vida, fazendo aquilo que gosta. Agora é a aprendizagem de maior silêncio, já que vive só.

A dor é parte da vida.

Beijo

António Rosa, José disse...

Hazel

A maioria dos livros de orações publicados pela minha editora têm a minha assinatura. Assim como os livros esotéricos assinados pelo meu pseudónimo «Tibério Bahia», o nome do meu pastor alemão. :)

Esse livro nunca vendeu bem, apenas cumpriu o que lhe competia, tanto que não será reeditado. Talvez pela capa e porque as pessoas ainda têm medo de certas palavras.

É uma característica da minha editora e sempre foi assim: passa despercebida. Tão despercebida que até os livreiros se esquecem do nosso nome, lembrando-se mais depressa dos títulos.

Gostei de saber que o Consorte era leitor. É raro ter a informação da banda masculina da vida. :)

O conteúdo é fortíssimo e isso faz as pessoas temerem.

Um dia soubemos que uma bruxa (?) maluca, com consultório em Lisboa, andava a fazer negócio chorudo com esse livro. Soubemos isso, porque recebíamos encomendas frequentes vindas de um certo sítio, o que era muito estranho, haver grande aceitação dali e, no resto do país, as vendas serem abaixo do médio.

Até que soubemos de uma história vinda dessa bruxa que era a dona da loja esotérica.

Fiquei num dilema: como fazer para desmascarar essa situação? Marquei uma consulta sob outro nome.

Cheguei à consulta e queixei-me muito que a minha mulher andava a pôr-me os palitos. Hazel, nessa fase da minha vida, já eu estava só na vida. Portanto, não era verdade o que disse à bruxa.

O que me diverti com o pretenso ritual que ela fez: fingiu incorporações, acendeu velas, sentou-se e levantou-se várias vezes. Enfim, uma paródia.

Depois de toda aquela traquitanga, veio a fase das recomendações, que em si eram também um pretenso ritual.

Aqui é que entra O Livro do Exorcista, que sempre esteve na mesa onde estávamos sentados.

Com vozinha combalidade (teoricamente esgotada dos rituais e incorporações) fez isto:

- pegou no livro
- folheou para a frente e para trás
- arrancou 2 páginas ao livro
- rasgou o livro ao meio
- entregou-me primeiro as duas páginas, com a indicação que deveria colocá-las debaixo do colchão
- entregou-me depois o livro rasgado em duas partes com a indicação para eu queimá-lo ao ar livre dizendo uma quadra tonta

Eu, até aí, sempre em silêncio, perguntei-lhe quanto era que eu devia. 300 euros, disse ela. Imagine 300 euros em 2003. Um dinheirão para tanta fantasia. O livro era-lhe vendido com desconto, pagando ela menos de 5 euros.

Levantei-me, meti a mão no bolso e tirei 25 euros, coloquei-os em cima da mesa e antes que ela dissesse alguma coisa, disse-lhe mais ou menos isto:

- Sou sou fulano de tal, autor e editor desse livro. Isto que está a fazer é uma fraude. Os 25 euros são para pagar os 25 minutos do seu tempo.

Depois fiz uma voz 'perigosa' e disse-lhe, mais ou menos: Eu sou um Grande Mago Branco e proíbo-te de continuares a inventares rituais com este livro.

depois acrescentei outras coisas que não vêm para o caso.

A mulher estava lívida, a pedir muitas desculpas, etc, etc.

Um ano depois, ela pareceu-me em consulta de astrologia.

:)))

Quanto ao Livro de São Cipriano, parece-me um livro inofensivo. O problema reside na crendice do mal que supostamente o livro contém, com aqueles textos doidos de sapos e coisas assim. Mal usado, dá para o mal, claro.

Como sabe, não foi escrito pelo Santo.

Beijo

Desculpe o longo que isto ficou, mas apeteceu-me partilhar esta história.

:))

Maria Paula Ribeiro disse...

Bem...com dor ou sem dor, temos de ir andando, mas adorei a tua história!!!!!!!!!!! LOL LOL LOL LOL
"Nessas" coisas gostava de ser mosquinha omnipresente!!!!!!!!!
Bem, tiveste cá uma "pouse", dou-te os parabéns por isso... Se fosse eu, seria mais de partir tudo!!!! Até a cara da mulherzinha ia para ao livro de tanto o ter injuriado! ;)

António Rosa, José disse...

Paula

Tenho 3 funcionários na editora que são pacíficos e resistentes. Mas quando muito enervados, partem directos para a pancada.

Isso não resolve nada.

Joana disse...

"Em vez de rejeitarmos a dor, devemos tentar compreender para o que ela chama a atenção." Concordo completamente com esta frase. :)

António Rosa, José disse...

Joana, querida

Ainda bem que também sentes que é assim. Já começamos a ser muitos.

beijo

adriana disse...

António,
Uma reflexão muito sábia.
E adorei a aventura com a "bruxa".
Grande Mago Branco!
Não sabia...
;)

Rui Santos disse...

António, a dor pode funcionar como um sistema Gps, dá erro no nosso sistema Central, para termos oportunidade de corrigirmos a nossa rota.

Adorei aquela história da bruxa maluca, elas deviam ser todas denunciadas, porque o que fazem é crime e devia ser punido por lei.

Abraço Grande

guntty disse...

Ahahah... tou a ve-lo lá na bruxa.

Grande Mago Branco é assim mesmo! =)

António Rosa, José disse...

Adriana

Foi uma aventura e tanto. A verdade e que a mulher abandonou o 'negócio' e hoje minha cliente regular, dedicando-se a outra actividade profissional.

:)

A&L

António Rosa, José disse...

Rui

Gostei dessa do GPS. Tito Tonton. Depende se fala em espanhol. :)

Abraço

Isa Grou disse...

Olá António,

Gostei muito do post... concordo plenamente com você a respeito da dor. Na verdade a dor é uma bênção...
Como sou leiga em astrologia, eu não sabia que.... "Marte é o planeta da dor, encarada fisicamente. Saturno (a aprendizagem pela dor) é o planeta da mágoa".

Sempre aprendo por aqui... um aprendizado a mais... obrigada, viu!

Saiba que eu também adorei a sua história (da bruxa(?)maluca) António!!!

Beijos.

António Rosa, José disse...

Guntty

Ui, ui, ui. :)

É fácil ser bruxa ou mago em tempos perigosos. Há tantos por aí a anunciarem nos jornais, a dizerem-se 'professores astrólogos' e videntes.

Sei reconhecer imediatamente quando encontro uma bruxa a sério ou um verdadeiro mago. Se sei!

Abraço

António Rosa, José disse...

Isa

Saturno, o planeta da mágoa.

Mágoa igual a carma.

Saturno, o planeta do carma.

Beijo, querida.

Fada Moranga disse...

António, até chorei.

A rir! Com a revelação do Tibério Bahia e a história da bruxa :-)))))

Essa voz perigosa também já a ouvi... naquela famosa consulta há 4 anos e meio... Foi assim:
"Então você é uma bruxinha..."
"Eu? Não sei, se calhar, diz que sim..."
Voz perigosa "É OU NAO É?!?!"

Apre! Oh senhor mago branco faça-se a sua vontade, quero é ir pra casa! :-))) Hoje lembrei-me daquele momento de nervos.

O meu Saturno devia estar mesmo a pedi-las naquele dia...

Bem haja António!
Beijos**deFada

PS: Ilustração interessante... ;-)
O Escorpião compreende bem a dor, oh sim!

Astrid Annabelle disse...

António!
Gostei da história com a bruxa maluca!rsrs
São pragas que merecem serem castigadas, pois brincam com a fé e o desespero humano.
Tibério Bahia!!! Que nome bonito ó! Grande Mago Branco!!!
Yes...
Beijo.
Astrid Annabelle
P.S.
Se eu não conversar com vocês nesse momento, não sei não...

Fada Moranga disse...

Já me esquecia disto: sobre as dores de parto e enfermeiras brutas...

Por essas e por outras é que vou fazer o meu parto na clínica da Dra.Maria Paula!

António Rosa, José disse...

Fada

A voz que te referes foi a nº8, porque a nº 1, são poucos os que a conhecem. Não te enerves. Não é caso para isso.

:)

Desculpa lá, qualquer coisinha.

Beijo

António Rosa, José disse...

Astrid

Espero que venha conversar connosco. Não se feche. Abra-se ao mundo e siga em frente e para cima. A vida continua.

Beijo

HAZEL disse...

O António é uma caixinha de surpresas. Com que então, Tibério Bahia!

Acho que a capa do "Livro do Exorcista" é um bocado cinematográfica, faz lembrar os filmes de Hollywood, a luta da Igreja contra o Mal...

Não faz justiça ao conteúdo, que é muito poderoso e benéfico. Já me serviu de amparo em momentos difíceis.
Talvez se o livro tivesse outro tipo de capa mais leve, em branco, dourado, ou roxo, tivesse tido outra saída.

Se não vai re-editá-lo, ainda bem que o comprámos!
Valeram a pena aqueles escassos segundos em que o funcionário de caixa da Fnac olhou para nós e para o livro, e nos imaginou a brincar aos exorcistas de endemoninhados! lol

O Consorte é o fã número 1 deste seu livro! Creio que o leu todo, pois esteve vários meses na sua mesa-de-cabeceira. Quando lhe contar isto, ele vai achar muita graça. Jamais pensámos vir a conhecer o autor do livro que fez parte da nossa vida, e nos ajudou em tempos conturbados. Obrigada por tê-lo publicado, e por todo o trabalho de pesquisa que fez!

E o episódio com a bruxa!!! Ai, ai...! São charlatãs assim que dão um mau nome às verdadeiras bruxas.

E voltamos à capa do livro...! Se não tivesse esta capa tão dramática, ela não o tinha usado para defraudar as pessoas, pode crer.

Adorei a sua firmeza e frieza na forma como lidou com a situação. Um grande e belo exemplo a seguir.

300 euros... xiiii!

Então, e depois ela foi a uma consulta sua? Ai senhores!
O karma é uma coisa terrível!

Quanto ao livro de São Cipriano, eu cresci a ouvir que quem o lesse todo, ficava maluco, e uma data de coisas do género. E nunca o li.

E sou um bocado louca na mesma ;)
Sou capaz de comprá-lo um destes dias!

Beijos

António Rosa, José disse...

Hazel

O carma actualmente, cumpre-se nesta reencarnação.

Obrigado pelas palavras simpáticas.

Fada Moranga disse...

António, sssugadito, não me enervo, mas na altura enervei-me. Eu sabia lá que era a voz nº8!
:-)))

Tá desculpado há muito tempo. Foi remédio santo! Bem haja!
Beijo*deFada

Marise Catrine disse...

António,
Só há pouco despertei para estas questões da dor e dos sues reais significados. Mas acho que ainda vou a tempo certo? ;)

Acabei de fazer a minha estreia nas encomendas na sua/tua editora. Vou ficar cliente. "Mi aguardi"...

(hihihi)

Beijocas

António Rosa, José disse...

Fada

Estou sossegadito. :))))

António Rosa, José disse...

Marise

Gostei muito de saber isso. Se houver algum atraso, diz-me qualquer coisa.

Beijo

António Rosa, José disse...

Estamos em Câncer, o tempo dos melindres.

:))))

Um novo post, para encaminhar os leitores para longe destes comentários de bruxas e magos.

(risos)

Fada Moranga disse...

António, estou no supermercado do Anjo Dourado! Vem o livro dos Sonhos para mim e o grande Livros das Orações para minha mãe que faz aninhos dia 10. Posso pedir-lhe um autógrafo e a marca da patinha do Tibério, fáxavor? :-)))

António Rosa, José disse...

Fada

Vou ter que ver o que se passa com o meu mapa, hoje. É que eu sou um desleixado com a minha própria astrologia.

Muito obrigado.

Pois claro que sim.

Fada Moranga disse...

Ok, vou ultimar a compra e escrever uma notinha na encomenda. Vai passar a dormir comigo e com o Alan Oken! :-))

Volto já!

Fada Moranga disse...

Está feito! Viva o PayPal!

Grande negócio, sem sair de casa e com os portes pagos! belo supermercado!

Bem haja António!

HAZEL disse...

António,

Acabei de contar por telefone ao Consorte esta coincidência sobre o livro de que temos estado a falar ("Exorcista").

Como ele tem memória de elefante, disse que comprámos o livro em 2002, e que nessa época viajámos até à Rep. Dominicana e levámo-lo connosco, pois ele gostava de ler a oração de cada dia da semana (eu já não me lembrava). Foi há 7 anos atrás...

Mais uma vez, digo-lhe, o seu livro ajudou-nos a superar uma fase muito difícil. Estou muito grata por isso, e por ter conhecido o seu autor.

É bonito, isto.

António Rosa, José disse...

Fada

Muito obrigado. Vou avisar na editora para não enviarem os livros, para os assinar. Só o poderei fazer na 2ª feira, pois tirei uns dias para estar a descansar.

Beijo

António Rosa, José disse...

Hazel

Bela memória a do Consorte. Até fiquei emocionado ao pensar que um livro meu fez companhia aos ses leitores fora do país. Absolutamente para fixar, enquanto memórias de um editor.

Beijo

Adelaide Figueiredo disse...

António,

Fartei-me de rir com a história da bruxa :) Essa coitada deve ter perdido a vontade de enganar mais alguém tão depressa. Afinal voltou-se o feitiço contra o feiticeiro. Foi apanhada em flagrante LOL

Quanto à dor física ou moral é sempre um sintoma de que qualquer coisa está mal.

Para mim, relaciono a dor moral (desgosto, sacrifício, perda, desamor, solidão etc) mais a Saturno.

E agora vou aos outros posts porque já vi que há mais. Isto é que é dar-lhe.

Abraço

marcelo dalla disse...

Obrigado, meu querido. Precisava desta lição hoje. Abraço

António Rosa, José disse...

Adelaide

É om que d+a ter decido recuperar-me para harmonizar-me . isto num geminiano significa 1000 ideias e produzir, produzir, produzir. mas tenho conseguido fazer a minha sesta, que era a minha grande motivação.

Abraço

António Rosa, José disse...

Marcelo

Ainda bem. Tal como a mim, não tem saido textos de astrologia com peso para a Escola, pois não? Tenho estado atento e não encontrei.

FadaMoranga disse...

Sssugadito António, eu escrevi uma nota na encomenda. Durma lá umas sestas no Chesterfield! :-))

Bem haja!
Beijos***deFada

_Gio_ disse...

A dor é aquela amiga com juízo: é inconveniente, nos incomoda quando menos queremos, e geralmente desprezamos seus alertas. Melhor seria se a ouvíssemos, pois ela só quer o nosso bem!

António Rosa, José disse...

Fada

Já avisei a editora.

António Rosa, José disse...

Gio

és de caranguejo? que dia?

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates