O ciclo Saturno - Plutão [especial: 21 de Agosto]

13 de agosto de 2010 ·


Este artigo sobre o ciclo de Saturno-Plutão foi idealizado com a intenção de poder fazer pedagogia astrológica, sem assustar ninguém, pois apenas pretendo informar, educar e ajudar na discussão sobre um dos ciclos mais importantes do Zodíaco.

Tudo isto porque, dentro de poucos dias, a 21 de Agosto de 2010, viveremos um momento culminante do ciclo Saturno-Plutão, pois nesse dia farão uma quadratura exacta [aspecto tenso de 90º]. Saturno estará em Balança/Libra e Plutão em Capricórnio. Exactamente no grau - 2º 56’. Portanto, em signos cardinais. Esta quadratura fazia parte da recente
Grande Cruz. O céu dessa quadratura estará como pode ver no mapa que apresento a seguir.

Leitura 'obrigatória' de dois textos afins a esta quadratura, a propósito do mapa do 'Euro', da astróloga Ana Cristina Corrêa Mendes: aqui e aqui.



Mapa com a quadratura Saturno - Plutão no próximo dia 21 de Agosto.
Clicar na imagem para ampliar.

O PROCESSO DO CICLO

Gostaria de passar uma imagem que servisse de comparação aos ciclos astrológicos. Um ciclo astrológico inicia-se com a conjunção [separação entre eles: 0º] entre dois planetas. Comparo à fase em que se deitam as sementes na terra. O que for feito nesta conjunção terá consequências e repercussões no resto do ciclo, consoante a natureza dos signos onde os 'aspectos' ocorrerem. Depois da conjunção vem a primeira quadratura
[separação entre eles: 90º], que é a fase em que as nossas sementes já se transformaram em arbustos e terão que resistir às intempéries para sobreviver. Após a primeira quadratura o ciclo configura-se com uma oposição [separação entre eles: 180º] entre os dois planetas. Nesta fase o arbusto cresceu e já deu flor, apresentando as consequências de tudo aquilo que fora feito na conjunção e na quadratura anterior. A fase seguinte é a segunda quadratura [separação entre eles: 90º] e podemos representá-la como a fase em que o arbusto cresceu, amadureceu e dá frutos. Serão frutos amargos ou saborosos? É o remate final das decisões tomadas na conjunção. É quando já não há volta a dar. Certamente, com esta comparação, o leitor deve ter-se lembrado do ciclo lunar. É equivalente, só que dura muitos anos. No caso do ciclo Saturno-Plutão, dura cerca de 40 anos.

Quando a quadratura entre os dois planetas tão poderosos vai-se aproximando do seu ponto exacto, nós, como indivíduos e o mundo em geral, já estamos a sentir os efeitos dos temas Saturno-Plutão há alguns meses ou, talvez, há 2 anos e só agora encontramos as provas que podem conduzir a situações de instabilidade. O medo é uma palavra pequena, mas que descreve uma emoção muito grande e potencialmente muito destrutiva. Se alguém está a sentir medo, deve questionar esse sentimento e descobrir de onde está a vir, antes de poder decidir o que fazer em seguida. O medo está na nossa mente, não na nossa alma, porque o ser humano, com dificuldade se entrega ao dia-a-dia com entusiasmo, amor e alegria. Gostamos de estar pre-ocupados. A aprendizagem do 'aqui e agora' é feita com bastante dificuldade. Mas o contexto deste artigo é a análise mundana e não a dos nossos mapas natais.

O ideal seria as pessoas terem o hábito de consultar o seu astrólogo pelo menos uma vez por ano com o desejo real de poder absorver e, posteriormente, preparar-se, para possíveis temas da sua vida, sobretudo a nível mental e emocional, sejam eles assuntos de 'grande' importância ou de 'menor' significado. Mas não! Vão ao astrólogo porque, habitualmente, ou já estão em fase de perda [oposições e quadraturas], ou para lá caminham. Não me importava de ter um mealheiro onde juntaria as vezes que tenho perguntado em consultas: 'E não percebeu, não sentiu, não intuiu que a 'coisa' [seja o que for] já se estava a formar?'

Não se esqueça, por favor, que os planetas não fazem as coisas acontecerem, elas simplesmente reflectem o que acontece com o mundo aqui na Terra e nas nossas vidas individuais. Em cima, como em abaixo. É muito fácil com Saturno-Plutão cairmos numa mentalidade fatalista, negando assim a oportunidade para o desenvolvimento e crescimento. Vou deixar aqui algumas das muitas palavras que habitualmente estão ligadas a Saturno-Plutão.

Perda - Força de Pressão - Medo do futuro - O medo do fracasso - O medo de "escuro" - Negatividade - Escondendo / enterrar a cabeça na areia - Crise - Retracção / Restrição / Retirada / recessão / depressão - Difícil, difícil, o trabalho - Cavando fundo - Enfrentar os seus 'demónios' - Encontrar o caminho através da alma - Assumir a responsabilidade - Pedir ajuda * e muitas mais possibilidades, que não se colocam aqui, para não estendermos o post.

O escritor, professor universitário e astrólogo Richard Tarnas, no seu livro «Cosmos and Psyche», (Pg.210), resume o ciclo Saturno-Plutão do seguinte modo:

«... [A conjunção, quadratura e oposição] são alinhamentos do ciclo de Saturno-Plutão que coincidem com períodos históricos especialmente desafiadores, marcados por uma qualidade fundamental da contracção intensa: épocas de crises e conflitos internacionais, a capacitação das forças reaccionárias e impulsos totalitários, organizando a violência e a opressão, todas as vezes marcado por duradouro efeitos traumáticos. Uma atmosfera de gravidade e tensão ... um sentimento generalizado de encerramento de época: "o fim de uma época ", "o fim da inocência", a destruição de um modo de vida anterior que, em retrospectiva, pode parecer ter sido marcada pela indulgência generalizada, ingenuidade, negação e da inflação. Profunda transformação foi um tema dominante ... através da contracção, a reacção conservadora, crise e término.» [tradução de minha responsabilidade]

Quando falamos do ciclo Saturno-Plutão, a nível mundano [países, regiões, planeta] estamos sempre a tratar de dois assuntos em simultâneo: economia e finanças. Saturno rege a economia e Plutão, as finanças. E ambos, em conjunto podem tratar de outro tema: a guerra.

Deixo aqui uma informação necessária: neste artigo dou datas precisas dos movimentos do ciclo Saturno-Plutão, mas é importante lembrarmo-nos que esses eventos têm uma duração muito mais ampla. Ocupa um período de cerca 2 a 3 anos, pois há que contar com as retrogradações e os diversos encontros e aproximações que os planetas fazem entre si.

O actual ciclo Saturno-Plutão iniciou-se com a conjunção em 1982. Desde então, este ciclo passou por três picos muito importantes: uma quadratura em 1993, uma oposição em 2001 e a actual quadratura de 2010. O ciclo terminará com o novo ciclo que se aproxima: a conjunção de Janeiro de 2020, em Capricórnio. [Cada ano está lincado a uma página na Wikipedia para ajudar o leitor nas suas investigações.]

O INÍCIO DO CICLO - A CONJUNÇÃO

Este ciclo teve início com a conjunção dos dois planetas em Novembro de 1982 (avançando por 1983) [Wikipedia - anos 80] , no signo de Balança/Libra. Os mais velhos devem recordar-se que os anos 80, em linhas globais, representou uma época de prosperidade material e social. Recordo-me, por exemplo, que em Portugal foi criado o Sistema Nacional de Saúde, o que foi de grande benefício para o povo em geral. A Europa reconstrui-se e expandiu-se, admitindo mais países. A economia com o Leste aumentou, assim que o muro de Berlim caiu. Surgiram novos países a partir desta situação. Foi nos anos 80, também, que os ainda Soviéticos se meteram em guerra com o Afeganistão, uma situação que fez ascender o movimento islâmico Talibã e, posteriormente, os inúmeros mártires islâmicos que, enrolados em granadas e bombas, se imolavam em locais públicos, assassinando centenas de pessoas nesta guerra aparentemente religiosa, espalhando o terrorismo em várias partes do mundo, com as consequências que se conhecem. Apesar de todo o movimento social e económico que os anos 80 trouxeram, era suposto que os gestores, banqueiros, políticos e donos do dinheiro tivessem aprendido alguma coisa, muito para além do aproveitamento próprio ou empresarial. Não esqueçamos que foi a década do Reaganismo e Thatcherismo, economicamente marcados pela total desregulamentação dos mercados e a subida dos salários milionários dos gestores de topo. Balança/Libra é um signo tão simpático...

A PRIMEIRA QUADRATURA

O primeiro pico foi na quadratura havida em Março de 1993 [Wikipedia- anos 90] (mapa mais abaixo), que não se dava em signos cardinais. Quem não se lembrar desse ano,
deixo aqui o link para a Wikipédia, sobretudo para os mais jovens perceberem do que se está a falar. A primeira quadratura, ou primeira crise deste ciclo dava-se de forma discreta quando os Talibãs assumiam o poder no Afeganistão, fruto do apoio decisivo dos EUA no passado. Eram as sementes mal plantadas do início do ciclo, que agora se tinham transformado em arbustos fortes. O nome de Osama bin Laden passa a ser conhecido em todo o mundo, com os efeitos que sabemos. As 'jihad' passaram a estar na ordem do dia. O resultado foi visto anos mais tarde: o ataque e destruição do World Trade Center, em Nova Iorque, em 2001, em plena oposição Saturno-Plutão.


A OPOSIÇÃO

Obviamente que no mundo não se dava apenas a guerra no Afeganistão, pois um pouco por todo o lado os estados de ânimo estavam exaltados. Ao referir-me a estes acontecimentos em concreto é por serem do conhecimento comum, devido à cobertura mediática que tiveram.

A oposição entre Saturno e Plutão deu-se em 2001 [Wikipedia - anos 2000]. O acontecimento mais emblemático para todo o mundo foi o
o ataque e destruição do World Trade Center, em Nova Iorque, em 2001. Nesse ano George W. Bush era o presidente dos Estados Unidos da América. O ex-presidente jugoslavo Slobodan Milosevic é preso e julgado por crimes contra a humanidade. A resposta do Ocidente aos atentados terroristas ao World Trade Center em Nova Iorque e no Pentágono em Washington, foi a guerra contra o terror, incluindo a invasão do Afeganistão numa tentativa de capturar Osama bin Laden, [que nunca conseguiram] destruir a Al-Qaeda [que nunca conseguiram] e remover o regime Talibã, um regime que os EUA haviam ajudado no poder durante a guerra com os soviéticos - vira-se o feitiço contra o feiticeiro. Em 2003, Luís Inácio Lula da Silva assume a presidência da República Federativa do Brasil e apesar das constantes críticas internas, o Brasil deu um salto em frente gigantesco e hoje é uma é uma potência em todo o mundo. [Alguns amigos brasileiros não vão gostar de eu achar que o Lula tem feito o melhor trabalho possível. Lembrem-se do tempo da ditadura dos coronéis e comparem]. Em 2003, os E.U.A. lideraram uma coligação e invadiram o Iraque sob a premissa de combate ao terrorismo e que iriam encontrar e desmantelar armas de destruição massiva, que nunca apareceram, até hoje. Pois, se não existiam, como poderiam aparecer? Isso acabaria por levar à morte de Saddam Hussein, uma figura anteriormente apoiada pelo Ocidente no início deste ciclo de Saturno-Plutão. Os ataques terroristas de 2001, apenas aumentaram a incerteza sobre a economia, com muitos a predizerem uma recessão mundial que se está a concretizar agora, poucos anos depois. Só que actualmente, o desenvolvimento desta oposição Saturno-Plutão conduziu a uma coisa espantosa: em 2008 o mundo iria assistir ao impensável - vários bancos gigantescos e enormes companhias de seguros fizeram ploff!! Eram as consequências das decisões tomadas no início do ciclo, com o beneplácito de banqueiros, economistas e políticos em todo o mundo - a ganância e o dinheiro virtual.

A SEGUNDA QUADRATURA

O terceiro pico é a quadratura que estamos a viver agora, em 2010 [Wikipedia - anos 10], quadratura iniciada em 2008, bem mais difícil pois estão em signos cardinais. Quando se fala em quadraturas em astrologia mundana, estamos sempre a falar de uma crise. Se estes dois planetas tratam em conjunto dos assuntos económicos e financeiros, sem esquecer a guerra, é bem claro do que estamos a comentar.


Esses poderosos bancos simplesmente caíram e num instante desapareceram dezenas e dezenas de milhares de emprego, assim como bilions de dólares esfumaram-se. Os governos de todo o mundo, em pânico, tiveram que fazer intervenções no mercado, nacionalizando Bancos para o sistema financeiro não ruir completamente. A prosperidade havida com a conjunção de Saturno-Plutão, em Balança, desaparecera. Era a demonstração prática que toda aquela teoria económica reganiana que advogava, a não intervenção estatal, tinha-se ido por um cano de esgoto. Mas o mais curioso, é que apesar desses fenómenos bem recentes, muitos políticos, economistas e banqueiros 'antigos' (não tão 'antigos' assim) ainda pensam que o liberalismo económico é o melhor sistema. Em Portugal, muitos. O mercado que se auto-regule, dizem eles. São milhares de empresas a falirem em todo o mundo, com o respectivo desemprego e a economia a não aguentar. Vê-se!

Dá-se uma mudança drástica no governo americano: o democrata Barack Obama é eleito presidente dos EUA, substituindo o republicano George Bush. Uma das primeiras medidas foi anunciar o fim da guerra com o Iraque. Entretanto, morreram milhares de jovens soldados americanos naquela guerra. Barack Obama, ao fim de 2 anos de mandato não é muito apreciado pelos americanos, pois a recessão está instalada naquele país e Obama deixou de ser visto como o deus salvador.

Como sabemos, existe uma crise financeira e económica em todo o lado. Ditas as coisas assim, não é surpresa para ninguém, pois desde finais de 2008 que não se fala de outra coisa. E isso que era apenas Plutão ingressando em Capricórnio. As coisas agravaram-se com o aproximar desta quadratura. É uma crise cardinal. Todos os dias temos notícias sobre a economia e finanças dos países em amplo desequilíbrio. Empresas em falência, desemprego elevado e famílias com sérios problemas.

Em todos os países as quedas económicas e financeiras são grandes e o desemprego aumenta. Só nos EUA, em Julho, 151.000 pessoas ficaram sem o emprego. Em Junho foram 125.000. Em Portugal é o que se sabe e em todos os países é a mesma coisa. O crescimento económico dos países é muito reduzido e inferior aos anos de 2008 e 2009. A economia americana (a mais avançada do mundo) está a bater no fundo, quase em recessão. Fala-se em descidas da ordem dos 35% em apenas um ano. No entanto, os bancos em todo o mundo e muitas multinacionais, estão a ter lucros inacreditáveis, queixando-se de serem poucos.

Até agora este clima pesado ainda não se reflectiu verdadeiramente no mercado das bolsas de valores. Não me surpreenderia nada que uns dias antes e uns dias depois de 21 de Agosto próximo, ouçamos notícias de desequilíbrio bolsista consideráveis, além de outras de natureza muito séria, a propósito da economia dos países. Bom, na verdade, já está a acontecer. Esta semana as bolsas em todo o mundo iniciaram uma descida brusca. Vai descer ainda mais.

Para aumentar os níveis de tensão, nesse dia, Mercúrio fica retrógrado, esperemos por uns dias muito difíceis, complicados e com dificuldades de entendimento a todos os níveis. Júpiter está metido ao barulho pois faz uma oposição a Saturno e uma quadratura a Plutão, e a coisa a complica-se, ficando mais tensa, pois Júpiter rege a prosperidade e a banca e é coisa que não há, em linhas gerais. No mapa a seguir, de 21 de Agosto, vê-se a interacção de Saturno, Plutão e Júpiter.

Este mapa foi recolhido no blogue «Funk Astrology»,
dos astrólogos Jamie Funk e Marina Funkstar.

É o planeta a mudar as suas regras sociais, a alterar os planos político-ideológico. Como nos aguentaremos nesta barca tão insegura? Nenhum governo sabe. Nenhum político sabe. Nenhum banqueiro sabe. Eu, também não.

Obviamente, virão tempos melhores, pois quando acabar esta quadratura, Saturno, por ser o mais rápido de ambos os planetas irá fazer um sextil (aspecto de 60º) a Plutão, o que provocará uma grande melhoria no sistema económico global; a seguir fará um semi-sextil (aspecto de 30º) adocicando o sistema. Entretanto, apesar destas melhorias, temos que contar com a introdução de mudanças de modelos económicos.

Não nos podemos esquecer que Saturno, sendo lento, vai fazer a sua caminhada com segurança e estando agora em Balança/Libra, passará por Escorpião, onde fará o sextil com Plutão; passará por Sagitário, onde fará o semi-sextil e, finalmente, chegará a Capricórnio, signo que rege e em Janeiro de 2020 iniciarão outro ciclo, quando ambos os planetas se encontrarem no grau 23.

INÍCIO DE NOVO CICLO

Nessa altura (2020) o assunto será simplesmente este: endireitar com muito rigor o que os políticos, economistas e banqueiros 'antigos' estragaram no ciclo actual. Quem estiver vivo assistirá à «guerra» dos poderes. Os da velha guarda permanecerão? Ou surgirão novos gestores, sintonizados com a Nova Era? Acredito que surjam. Até porque o planeta não espera e já está fartinho de 'reclamar'. Simplesmente, está em ascensão e evolução. E nós, seus habitantes na fina crosta do planeta, a seguirmos em frente e para cima.


Os actuais gestores. Clicar na imagem para ampliar.

Querem um exemplo de como a quadratura Saturno - Plutão está a funcionar? Aqui fica este caso: Num relatório divulgado em Julho, Kenneth R. Feinberg, conselheiro executivo especial do governo Obama para a remuneração dos altos executivos americanos, afirmou que 17 grandes empresas financeiras fizeram pagamentos altamente questionáveis ao seus gestores de topo, totalizando 1,58 biliões de dólares, imediatamente após aceitarem outros biliões em forma de ajuda dos contribuintes americanos, pelo que, supostamente, serão objecto de sanções pesadas e terão que devolver dinheiros ao governo, com os respectivos juros. Neste grupo estão gigantes de Wall Street, como Goldman Sachs, JPMorgan Chase e o American International Group e o Boston Financial Holdings.


31 comentários:

Shin Tau disse...
13 de agosto de 2010 às 14:48  

Bem António

acabas de nos oferecer uma aula viva de história e astrologia. Este texto é para mim um exemplo em como a astrologia deveria ser usada realmente para orientação de todos, incluindo o estado!

Não tenho medo em relação ao que virá a seguir, o ser humano adapta-se a tudo. Tenho visto à minha volta este ciclo a actuar e hoje, com estas datas, muita coisa fez sentido. Obrigada!

Beijocas

Susana Vitorino disse...
13 de agosto de 2010 às 15:04  

Mais uma vez, uma grande lição, revisão e passeio pela História, que as pessoas, na sua maioria teimam em esquecer.

Grata por mais esta partilha de conhecimento*

Abraço d'Alma

Dunyazade disse...
13 de agosto de 2010 às 15:49  

Eu acho que o actual sistema capitalista é completamente sociopata, pior, psicopata! - porque acaba por matar a alma, o corpo e o espírito de muita gente.

Sinceramente, não sei como é tolerado. É completamente injusto. Tudo o que tem a ver com Emoções (e o dinheiro é um tema que desperta muitas, negativas e positivas) deve ser absolutamente regulado para que haja a certeza de ao menos existir algum tipo de justiça - e de igualdade. Porque quando estamos Dentro de uma emoção muito grande a tendência é tirar (ou dar) mais do que é devido. Mas a ênfase está no Tirar.

Adelaide Figueiredo disse...
13 de agosto de 2010 às 16:05  

António,

Excelente!!!
Gostei muito do texto. Aqui no seu blog tem-se falado muito sobre tudo isto que está a acontecer. São acontecimentos esperados que têm de ter um ponto alto e ele está aí. Vai doer, aliás, já está doendo. Agora o que resta é esforçarmo-nos todos e tentarmos resistir e "construir" o melhor possível.
Concordo consigo nas melhorias, elas começarão a aparecer de facto lá para 2016/17 em diante.
Mestre foi uma grande lição. Obrigada por esta aula.

Abraço

António Rosa disse...
13 de agosto de 2010 às 17:07  

Shin Tau

:))) Muito agradecido pelas palavras. Deve ter sido do calor, mas os feeds deste post não se espalharam pelos blogues que Têm links aos Cova do Urso. Mistérios de um Mercúrio já estacionário, mas ainda anão retrógrado.

Também não sinto medo em relação ao que virá a seguir, pois como dizes e muito bem, adaptamono-nos a tudo.

Beijos muito agradecidos

António Rosa disse...
13 de agosto de 2010 às 17:07  

Susana

Muito grato pela atenção e pelas palavras generosas. Faz parte da nossa natureza esquecermos as coisas. Imagine se nos lembrássemos de tudo, incluindo das vidas passadas? Seria um peso...

Beijo

António Rosa disse...
13 de agosto de 2010 às 17:08  

Dunyazade,

Completamente de acordo consigo: a maioria dos actuais modelos económicos não fazem sentido: nem o comunismo na Coreia do Norte, nem o capitalismo desenfreado maioritário, nem as ditaduras africanas encapotadas. Tudo velho e bafiento. Não há primazia do cidadão. Só dos poderes instalados.

Sem amor não se vai a lado nenhum.~~Beijo.

António Rosa disse...
13 de agosto de 2010 às 17:10  

Adelaide

Muito agradecido pela sua apreciação, sobretudo porque é da área.

São palavras com incentivo que me animam a investigar estes longos acontecimentos.

Este texto vai ficar por aqui vários dias... :)

Grande abraço

HSLO disse...
13 de agosto de 2010 às 18:05  

Fico maravilhado como você é super didático em astrologia...nossa...dava pra ser professor viu. Explica muito bem.


abraços
Hugo

Susana Vitorino disse...
13 de agosto de 2010 às 18:22  

António...

Bem vindo ao meu mundo! :D

Saturno em Caranguejo na 12 em conjunção com a cauda quadratura à Lua e ao Plutão na 4. Se as pessoas soubessem do que eu me lembro... Vidas passadas incluidas no pack! LOL

No fundo, é só para salientar que este artigo não me diz nada.... pffff!É uma mera curiosidade! :)))) ;) Partilhando o pensamento da minha mãe nos dias da Revolução: "Meu Deus! Tenho um bebé tão pequenino. Agora vem aí uma guerra e vamos morrer todos!" Nada Lua Plutão quadratura ao Saturno! eheheheh

Como os movimentos sociais se reflectem nas nossas vidas, marcando-nos das formas mais "insuspeitas", por vezes. É uma delícia ser sua aluna virtual!

Obrigada***

Beijo

António Rosa disse...
13 de agosto de 2010 às 19:10  

Hugo

E, de facto ensinei astrologia durante vários anos - depois cansei-me, por razões só minhas e que nada tinham que ver com os alunos.

Muito obrigado.

António Rosa disse...
13 de agosto de 2010 às 19:13  

Susana

Imagino aos memórias que consegue trazer com esse posicionamento. É o receptáculos das vidas passadas.Temos que aprender com elas e seguir em frente.

Imagino as memórias acumuladas ao longo destes anos.

Bem haja.

Beijo.

Luisa disse...
13 de agosto de 2010 às 21:06  

Obrigada, António ! Muito obrigada por ser quem é e partilhar connosco o seu saber.

Abraço

Luisa

IdoMind disse...
13 de agosto de 2010 às 21:35  

António

Tive cá a pensar e tenho uma proposta para ver se sobrevivemos a este ciclo. Que te parece criar-se a nível governamental um " Gabinete para os Assuntos Esotéricos" - o GAE. Uma espécie de ponte entre as decisões políticas e a oportunidade astrológica das mesmas.

Assim como há aconselhamento jurídico com a elaboração de pareceres, ou financeiro com a apresentação de relatórios, previsões, etc, este gabinete estudaria o céu a fim de aconselhar as melhores alturas para deliberar sobre certos assuntos ou o rumo a adoptar quanto a outros.
Ficavas tu como Coordenador do GAE.

Eu elegia-te.E estou certa que o apoio dos bloguistas, twittistas e facebookistas, o lugar era teu!

Acredito piamente que caminhamos para aí- para uma sociedade mais espiritualizada...até lá, Deus nos ajude e abras tu sempre os nossos horizontes trazendo luz onde há trevas escondidas no medo.Bem Hajas.

Beijo querido António

Ana Cristina disse...
13 de agosto de 2010 às 23:26  

António um pouco tarde, :) cheguei, gostei bastante de toda a retrospectiva e de um fio condutor que se lê nas entrelinhas. O mesmo fio poderá ser adoptado à vida de todos os que tiverem idades para conscientemente reflectirem acerca de cada uma das fases apontadas vs suas vidas. Obrigada pelos links.

Beijo

António Rosa disse...
14 de agosto de 2010 às 05:54  

Luísa

Muito obrigado pela Presença.

Abraço.

António Rosa disse...
14 de agosto de 2010 às 05:55  

IdoMind

Ri-me com gosto com a tua proposta. Nomeado por ti já estou, agora só falta que eles criem o GAE. Coisinha de nada.

Muito obrigado

Beijos

António Rosa disse...
14 de agosto de 2010 às 05:55  

Ana Cristina

Nunca é tarde, até porque ocorreu qualquer coisa e os feeds não foram para aos blogues que me têm lincado. Ainda aparece o post sobre a 'Inveja - blogagem coletiva'.

Agradecido pela ideia. Foi um prazer.

Beijso.

JotaSP disse...
14 de agosto de 2010 às 12:23  

MUITO interessante!!!
Gostei muito.


MUITO!

Um abraço grande «««

António Rosa disse...
14 de agosto de 2010 às 12:28  

JotaSP

Muito agradecido.

Abraço.

Astrid Annabelle disse...
14 de agosto de 2010 às 12:40  

Bom dia António!
Estou aqui para lhe dizer que sua aula está grandiosa!
Magnífica!
Aqui eu só aprendo, aprendo e aprendo.
Achei interessante a sugestão da IdoMind e o meu voto você também já tem...realmente só falta criar o GAE!!!!rss
Na realidade estou relendo esta maravilha, pois ao pré progamá-la para determinada hora foi publidada no Buzz e de fato está constando como um post publicado anterior ao da inveja no Blogger. Por isso não aparece nos links dos blogs amigos. Conseguiu compreender?
Outro dia fiz esta experiência e constatei o que relatei acima.
Até deixei um comentário lá no Buzz neste seu post.
Ainda vou ler muitas vezes este seu texto pois estou levando ele para casa...rss
Um beijo grande
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
14 de agosto de 2010 às 13:39  

Olá Astrid

Muito obrigado pelo carinho. Compreendi a explicação até porque foi isso que aconteceu. Enganei-me na hora e quando vi o erro, voltei atrás.

Agora, só o próximo post é que vai normalizar a informação.

Muito agradecido pelo apoio.

Beijos.

Rui António Santos disse...
14 de agosto de 2010 às 14:44  

António, que leitura para ler e aprender, tambem acredito que os novos gestores estam-se preparando para remodelar o sistema económico.

Penso que a grande lição para todos nós é aprendermos a não ter medo e não nos deixarmos controlar pelo sistema, no fim tudo passa, e quando dermos por isso viveremos a experiência de estarmos mais fortes e alinhados com o própio planeta em evolução. Abraço

António Rosa disse...
14 de agosto de 2010 às 17:09  

Olá Rui

Tanto quanto julgo saber é exactamente o medo que rolhe as pessoas, quando na verdade, tudo passa.

Oxalá apareçam esses gestores e políticos, porque os formados pelos livros do século XX, desafinaram tudo isto.

Abaço.

angela disse...
14 de agosto de 2010 às 23:02  

Antonio
Lendo seu texto com atenção, preciso de todos meus neurônios ainda ativos...rs, lembrei-me que em 1993 o Brasil enfrentava uma inflação de mais de 80% ao mês quando o Fernando Henrique assumiu o ministério da fazenda e implantou o plano real, equilibrando nossa moeda (as boas sementes). Foi eleito presidente e governou 8 anos quando consolidou a economia brasileira e entregou um estado em boas condições e com o deficit publico em baixa. Apesar das muitas críticas que tenho ao Lula reconheço que ele tem mantido a estabilidade e tem um programa social de longo alcance.
beijos

António Rosa disse...
15 de agosto de 2010 às 09:58  

Ângela

Maravilhoso o seu feedback sobre o Brasil. Na mouche!

Muito obrigado.

Beijos.

hahelna@hotmail.com disse...
16 de agosto de 2010 às 19:01  

Antonio,
Adorei o texto, descreveste um relógio cósmico e este não falha, o melhor e "rezar-mos" por uma nova ordem de consciência.
Assim como a Shin Tau escreveu no inicio, também concordo com o uso da astrologia para todos os assuntos da vida.
Belissima aula !!!

Bem Hajas !!!
um abraço
Hanah

António Rosa disse...
17 de agosto de 2010 às 11:28  

Hanah

Muito agradecido pelas palavras tão gentis. Quando se entra pela astrologia, como eu entrei, muito jovem, é um amor que fica para o resto da vida.

Beijo.

marcelo dalla disse...
18 de agosto de 2010 às 03:28  

Amigo! Fico uns dias sem vir te visitar e vejo quanta informação importante estava perdendo!!!!
Não pode!!!
Aqui aprendo muito e esta foi mais uma aula elxemplar. Este ciclo pelo visto está medindo e colocando limites à ganancia humana.
Pra mim pega Lua e Jupiter que estão oposto à Plutão. Estou sentindo e pra ser bem sincero quero que passe logo.
abraço

António Rosa disse...
18 de agosto de 2010 às 06:34  

Marcelo~~

É um ciclo impiedoso! Mas temos que aprender a vivenciar. Marcado pela extrema ganância dos poderosos.

Grato

Abraço

Suely Namastê Firmino disse...
7 de junho de 2011 às 15:10  

Gratidão Antonio! Belo texto...viajei na minha própria história nas datas que revelou...casei-me em 1982...1993...me separei e voltei...2001...tive uma grande perda que tornou-se a porta de entrada para uma nova pessoa que sou eu hoje! Namastê!

13 de agosto de 2010

O ciclo Saturno - Plutão [especial: 21 de Agosto]


Este artigo sobre o ciclo de Saturno-Plutão foi idealizado com a intenção de poder fazer pedagogia astrológica, sem assustar ninguém, pois apenas pretendo informar, educar e ajudar na discussão sobre um dos ciclos mais importantes do Zodíaco.

Tudo isto porque, dentro de poucos dias, a 21 de Agosto de 2010, viveremos um momento culminante do ciclo Saturno-Plutão, pois nesse dia farão uma quadratura exacta [aspecto tenso de 90º]. Saturno estará em Balança/Libra e Plutão em Capricórnio. Exactamente no grau - 2º 56’. Portanto, em signos cardinais. Esta quadratura fazia parte da recente
Grande Cruz. O céu dessa quadratura estará como pode ver no mapa que apresento a seguir.

Leitura 'obrigatória' de dois textos afins a esta quadratura, a propósito do mapa do 'Euro', da astróloga Ana Cristina Corrêa Mendes: aqui e aqui.



Mapa com a quadratura Saturno - Plutão no próximo dia 21 de Agosto.
Clicar na imagem para ampliar.

O PROCESSO DO CICLO

Gostaria de passar uma imagem que servisse de comparação aos ciclos astrológicos. Um ciclo astrológico inicia-se com a conjunção [separação entre eles: 0º] entre dois planetas. Comparo à fase em que se deitam as sementes na terra. O que for feito nesta conjunção terá consequências e repercussões no resto do ciclo, consoante a natureza dos signos onde os 'aspectos' ocorrerem. Depois da conjunção vem a primeira quadratura
[separação entre eles: 90º], que é a fase em que as nossas sementes já se transformaram em arbustos e terão que resistir às intempéries para sobreviver. Após a primeira quadratura o ciclo configura-se com uma oposição [separação entre eles: 180º] entre os dois planetas. Nesta fase o arbusto cresceu e já deu flor, apresentando as consequências de tudo aquilo que fora feito na conjunção e na quadratura anterior. A fase seguinte é a segunda quadratura [separação entre eles: 90º] e podemos representá-la como a fase em que o arbusto cresceu, amadureceu e dá frutos. Serão frutos amargos ou saborosos? É o remate final das decisões tomadas na conjunção. É quando já não há volta a dar. Certamente, com esta comparação, o leitor deve ter-se lembrado do ciclo lunar. É equivalente, só que dura muitos anos. No caso do ciclo Saturno-Plutão, dura cerca de 40 anos.

Quando a quadratura entre os dois planetas tão poderosos vai-se aproximando do seu ponto exacto, nós, como indivíduos e o mundo em geral, já estamos a sentir os efeitos dos temas Saturno-Plutão há alguns meses ou, talvez, há 2 anos e só agora encontramos as provas que podem conduzir a situações de instabilidade. O medo é uma palavra pequena, mas que descreve uma emoção muito grande e potencialmente muito destrutiva. Se alguém está a sentir medo, deve questionar esse sentimento e descobrir de onde está a vir, antes de poder decidir o que fazer em seguida. O medo está na nossa mente, não na nossa alma, porque o ser humano, com dificuldade se entrega ao dia-a-dia com entusiasmo, amor e alegria. Gostamos de estar pre-ocupados. A aprendizagem do 'aqui e agora' é feita com bastante dificuldade. Mas o contexto deste artigo é a análise mundana e não a dos nossos mapas natais.

O ideal seria as pessoas terem o hábito de consultar o seu astrólogo pelo menos uma vez por ano com o desejo real de poder absorver e, posteriormente, preparar-se, para possíveis temas da sua vida, sobretudo a nível mental e emocional, sejam eles assuntos de 'grande' importância ou de 'menor' significado. Mas não! Vão ao astrólogo porque, habitualmente, ou já estão em fase de perda [oposições e quadraturas], ou para lá caminham. Não me importava de ter um mealheiro onde juntaria as vezes que tenho perguntado em consultas: 'E não percebeu, não sentiu, não intuiu que a 'coisa' [seja o que for] já se estava a formar?'

Não se esqueça, por favor, que os planetas não fazem as coisas acontecerem, elas simplesmente reflectem o que acontece com o mundo aqui na Terra e nas nossas vidas individuais. Em cima, como em abaixo. É muito fácil com Saturno-Plutão cairmos numa mentalidade fatalista, negando assim a oportunidade para o desenvolvimento e crescimento. Vou deixar aqui algumas das muitas palavras que habitualmente estão ligadas a Saturno-Plutão.

Perda - Força de Pressão - Medo do futuro - O medo do fracasso - O medo de "escuro" - Negatividade - Escondendo / enterrar a cabeça na areia - Crise - Retracção / Restrição / Retirada / recessão / depressão - Difícil, difícil, o trabalho - Cavando fundo - Enfrentar os seus 'demónios' - Encontrar o caminho através da alma - Assumir a responsabilidade - Pedir ajuda * e muitas mais possibilidades, que não se colocam aqui, para não estendermos o post.

O escritor, professor universitário e astrólogo Richard Tarnas, no seu livro «Cosmos and Psyche», (Pg.210), resume o ciclo Saturno-Plutão do seguinte modo:

«... [A conjunção, quadratura e oposição] são alinhamentos do ciclo de Saturno-Plutão que coincidem com períodos históricos especialmente desafiadores, marcados por uma qualidade fundamental da contracção intensa: épocas de crises e conflitos internacionais, a capacitação das forças reaccionárias e impulsos totalitários, organizando a violência e a opressão, todas as vezes marcado por duradouro efeitos traumáticos. Uma atmosfera de gravidade e tensão ... um sentimento generalizado de encerramento de época: "o fim de uma época ", "o fim da inocência", a destruição de um modo de vida anterior que, em retrospectiva, pode parecer ter sido marcada pela indulgência generalizada, ingenuidade, negação e da inflação. Profunda transformação foi um tema dominante ... através da contracção, a reacção conservadora, crise e término.» [tradução de minha responsabilidade]

Quando falamos do ciclo Saturno-Plutão, a nível mundano [países, regiões, planeta] estamos sempre a tratar de dois assuntos em simultâneo: economia e finanças. Saturno rege a economia e Plutão, as finanças. E ambos, em conjunto podem tratar de outro tema: a guerra.

Deixo aqui uma informação necessária: neste artigo dou datas precisas dos movimentos do ciclo Saturno-Plutão, mas é importante lembrarmo-nos que esses eventos têm uma duração muito mais ampla. Ocupa um período de cerca 2 a 3 anos, pois há que contar com as retrogradações e os diversos encontros e aproximações que os planetas fazem entre si.

O actual ciclo Saturno-Plutão iniciou-se com a conjunção em 1982. Desde então, este ciclo passou por três picos muito importantes: uma quadratura em 1993, uma oposição em 2001 e a actual quadratura de 2010. O ciclo terminará com o novo ciclo que se aproxima: a conjunção de Janeiro de 2020, em Capricórnio. [Cada ano está lincado a uma página na Wikipedia para ajudar o leitor nas suas investigações.]

O INÍCIO DO CICLO - A CONJUNÇÃO

Este ciclo teve início com a conjunção dos dois planetas em Novembro de 1982 (avançando por 1983) [Wikipedia - anos 80] , no signo de Balança/Libra. Os mais velhos devem recordar-se que os anos 80, em linhas globais, representou uma época de prosperidade material e social. Recordo-me, por exemplo, que em Portugal foi criado o Sistema Nacional de Saúde, o que foi de grande benefício para o povo em geral. A Europa reconstrui-se e expandiu-se, admitindo mais países. A economia com o Leste aumentou, assim que o muro de Berlim caiu. Surgiram novos países a partir desta situação. Foi nos anos 80, também, que os ainda Soviéticos se meteram em guerra com o Afeganistão, uma situação que fez ascender o movimento islâmico Talibã e, posteriormente, os inúmeros mártires islâmicos que, enrolados em granadas e bombas, se imolavam em locais públicos, assassinando centenas de pessoas nesta guerra aparentemente religiosa, espalhando o terrorismo em várias partes do mundo, com as consequências que se conhecem. Apesar de todo o movimento social e económico que os anos 80 trouxeram, era suposto que os gestores, banqueiros, políticos e donos do dinheiro tivessem aprendido alguma coisa, muito para além do aproveitamento próprio ou empresarial. Não esqueçamos que foi a década do Reaganismo e Thatcherismo, economicamente marcados pela total desregulamentação dos mercados e a subida dos salários milionários dos gestores de topo. Balança/Libra é um signo tão simpático...

A PRIMEIRA QUADRATURA

O primeiro pico foi na quadratura havida em Março de 1993 [Wikipedia- anos 90] (mapa mais abaixo), que não se dava em signos cardinais. Quem não se lembrar desse ano,
deixo aqui o link para a Wikipédia, sobretudo para os mais jovens perceberem do que se está a falar. A primeira quadratura, ou primeira crise deste ciclo dava-se de forma discreta quando os Talibãs assumiam o poder no Afeganistão, fruto do apoio decisivo dos EUA no passado. Eram as sementes mal plantadas do início do ciclo, que agora se tinham transformado em arbustos fortes. O nome de Osama bin Laden passa a ser conhecido em todo o mundo, com os efeitos que sabemos. As 'jihad' passaram a estar na ordem do dia. O resultado foi visto anos mais tarde: o ataque e destruição do World Trade Center, em Nova Iorque, em 2001, em plena oposição Saturno-Plutão.


A OPOSIÇÃO

Obviamente que no mundo não se dava apenas a guerra no Afeganistão, pois um pouco por todo o lado os estados de ânimo estavam exaltados. Ao referir-me a estes acontecimentos em concreto é por serem do conhecimento comum, devido à cobertura mediática que tiveram.

A oposição entre Saturno e Plutão deu-se em 2001 [Wikipedia - anos 2000]. O acontecimento mais emblemático para todo o mundo foi o
o ataque e destruição do World Trade Center, em Nova Iorque, em 2001. Nesse ano George W. Bush era o presidente dos Estados Unidos da América. O ex-presidente jugoslavo Slobodan Milosevic é preso e julgado por crimes contra a humanidade. A resposta do Ocidente aos atentados terroristas ao World Trade Center em Nova Iorque e no Pentágono em Washington, foi a guerra contra o terror, incluindo a invasão do Afeganistão numa tentativa de capturar Osama bin Laden, [que nunca conseguiram] destruir a Al-Qaeda [que nunca conseguiram] e remover o regime Talibã, um regime que os EUA haviam ajudado no poder durante a guerra com os soviéticos - vira-se o feitiço contra o feiticeiro. Em 2003, Luís Inácio Lula da Silva assume a presidência da República Federativa do Brasil e apesar das constantes críticas internas, o Brasil deu um salto em frente gigantesco e hoje é uma é uma potência em todo o mundo. [Alguns amigos brasileiros não vão gostar de eu achar que o Lula tem feito o melhor trabalho possível. Lembrem-se do tempo da ditadura dos coronéis e comparem]. Em 2003, os E.U.A. lideraram uma coligação e invadiram o Iraque sob a premissa de combate ao terrorismo e que iriam encontrar e desmantelar armas de destruição massiva, que nunca apareceram, até hoje. Pois, se não existiam, como poderiam aparecer? Isso acabaria por levar à morte de Saddam Hussein, uma figura anteriormente apoiada pelo Ocidente no início deste ciclo de Saturno-Plutão. Os ataques terroristas de 2001, apenas aumentaram a incerteza sobre a economia, com muitos a predizerem uma recessão mundial que se está a concretizar agora, poucos anos depois. Só que actualmente, o desenvolvimento desta oposição Saturno-Plutão conduziu a uma coisa espantosa: em 2008 o mundo iria assistir ao impensável - vários bancos gigantescos e enormes companhias de seguros fizeram ploff!! Eram as consequências das decisões tomadas no início do ciclo, com o beneplácito de banqueiros, economistas e políticos em todo o mundo - a ganância e o dinheiro virtual.

A SEGUNDA QUADRATURA

O terceiro pico é a quadratura que estamos a viver agora, em 2010 [Wikipedia - anos 10], quadratura iniciada em 2008, bem mais difícil pois estão em signos cardinais. Quando se fala em quadraturas em astrologia mundana, estamos sempre a falar de uma crise. Se estes dois planetas tratam em conjunto dos assuntos económicos e financeiros, sem esquecer a guerra, é bem claro do que estamos a comentar.


Esses poderosos bancos simplesmente caíram e num instante desapareceram dezenas e dezenas de milhares de emprego, assim como bilions de dólares esfumaram-se. Os governos de todo o mundo, em pânico, tiveram que fazer intervenções no mercado, nacionalizando Bancos para o sistema financeiro não ruir completamente. A prosperidade havida com a conjunção de Saturno-Plutão, em Balança, desaparecera. Era a demonstração prática que toda aquela teoria económica reganiana que advogava, a não intervenção estatal, tinha-se ido por um cano de esgoto. Mas o mais curioso, é que apesar desses fenómenos bem recentes, muitos políticos, economistas e banqueiros 'antigos' (não tão 'antigos' assim) ainda pensam que o liberalismo económico é o melhor sistema. Em Portugal, muitos. O mercado que se auto-regule, dizem eles. São milhares de empresas a falirem em todo o mundo, com o respectivo desemprego e a economia a não aguentar. Vê-se!

Dá-se uma mudança drástica no governo americano: o democrata Barack Obama é eleito presidente dos EUA, substituindo o republicano George Bush. Uma das primeiras medidas foi anunciar o fim da guerra com o Iraque. Entretanto, morreram milhares de jovens soldados americanos naquela guerra. Barack Obama, ao fim de 2 anos de mandato não é muito apreciado pelos americanos, pois a recessão está instalada naquele país e Obama deixou de ser visto como o deus salvador.

Como sabemos, existe uma crise financeira e económica em todo o lado. Ditas as coisas assim, não é surpresa para ninguém, pois desde finais de 2008 que não se fala de outra coisa. E isso que era apenas Plutão ingressando em Capricórnio. As coisas agravaram-se com o aproximar desta quadratura. É uma crise cardinal. Todos os dias temos notícias sobre a economia e finanças dos países em amplo desequilíbrio. Empresas em falência, desemprego elevado e famílias com sérios problemas.

Em todos os países as quedas económicas e financeiras são grandes e o desemprego aumenta. Só nos EUA, em Julho, 151.000 pessoas ficaram sem o emprego. Em Junho foram 125.000. Em Portugal é o que se sabe e em todos os países é a mesma coisa. O crescimento económico dos países é muito reduzido e inferior aos anos de 2008 e 2009. A economia americana (a mais avançada do mundo) está a bater no fundo, quase em recessão. Fala-se em descidas da ordem dos 35% em apenas um ano. No entanto, os bancos em todo o mundo e muitas multinacionais, estão a ter lucros inacreditáveis, queixando-se de serem poucos.

Até agora este clima pesado ainda não se reflectiu verdadeiramente no mercado das bolsas de valores. Não me surpreenderia nada que uns dias antes e uns dias depois de 21 de Agosto próximo, ouçamos notícias de desequilíbrio bolsista consideráveis, além de outras de natureza muito séria, a propósito da economia dos países. Bom, na verdade, já está a acontecer. Esta semana as bolsas em todo o mundo iniciaram uma descida brusca. Vai descer ainda mais.

Para aumentar os níveis de tensão, nesse dia, Mercúrio fica retrógrado, esperemos por uns dias muito difíceis, complicados e com dificuldades de entendimento a todos os níveis. Júpiter está metido ao barulho pois faz uma oposição a Saturno e uma quadratura a Plutão, e a coisa a complica-se, ficando mais tensa, pois Júpiter rege a prosperidade e a banca e é coisa que não há, em linhas gerais. No mapa a seguir, de 21 de Agosto, vê-se a interacção de Saturno, Plutão e Júpiter.

Este mapa foi recolhido no blogue «Funk Astrology»,
dos astrólogos Jamie Funk e Marina Funkstar.

É o planeta a mudar as suas regras sociais, a alterar os planos político-ideológico. Como nos aguentaremos nesta barca tão insegura? Nenhum governo sabe. Nenhum político sabe. Nenhum banqueiro sabe. Eu, também não.

Obviamente, virão tempos melhores, pois quando acabar esta quadratura, Saturno, por ser o mais rápido de ambos os planetas irá fazer um sextil (aspecto de 60º) a Plutão, o que provocará uma grande melhoria no sistema económico global; a seguir fará um semi-sextil (aspecto de 30º) adocicando o sistema. Entretanto, apesar destas melhorias, temos que contar com a introdução de mudanças de modelos económicos.

Não nos podemos esquecer que Saturno, sendo lento, vai fazer a sua caminhada com segurança e estando agora em Balança/Libra, passará por Escorpião, onde fará o sextil com Plutão; passará por Sagitário, onde fará o semi-sextil e, finalmente, chegará a Capricórnio, signo que rege e em Janeiro de 2020 iniciarão outro ciclo, quando ambos os planetas se encontrarem no grau 23.

INÍCIO DE NOVO CICLO

Nessa altura (2020) o assunto será simplesmente este: endireitar com muito rigor o que os políticos, economistas e banqueiros 'antigos' estragaram no ciclo actual. Quem estiver vivo assistirá à «guerra» dos poderes. Os da velha guarda permanecerão? Ou surgirão novos gestores, sintonizados com a Nova Era? Acredito que surjam. Até porque o planeta não espera e já está fartinho de 'reclamar'. Simplesmente, está em ascensão e evolução. E nós, seus habitantes na fina crosta do planeta, a seguirmos em frente e para cima.


Os actuais gestores. Clicar na imagem para ampliar.

Querem um exemplo de como a quadratura Saturno - Plutão está a funcionar? Aqui fica este caso: Num relatório divulgado em Julho, Kenneth R. Feinberg, conselheiro executivo especial do governo Obama para a remuneração dos altos executivos americanos, afirmou que 17 grandes empresas financeiras fizeram pagamentos altamente questionáveis ao seus gestores de topo, totalizando 1,58 biliões de dólares, imediatamente após aceitarem outros biliões em forma de ajuda dos contribuintes americanos, pelo que, supostamente, serão objecto de sanções pesadas e terão que devolver dinheiros ao governo, com os respectivos juros. Neste grupo estão gigantes de Wall Street, como Goldman Sachs, JPMorgan Chase e o American International Group e o Boston Financial Holdings.


31 comentários:

Shin Tau disse...

Bem António

acabas de nos oferecer uma aula viva de história e astrologia. Este texto é para mim um exemplo em como a astrologia deveria ser usada realmente para orientação de todos, incluindo o estado!

Não tenho medo em relação ao que virá a seguir, o ser humano adapta-se a tudo. Tenho visto à minha volta este ciclo a actuar e hoje, com estas datas, muita coisa fez sentido. Obrigada!

Beijocas

Susana Vitorino disse...

Mais uma vez, uma grande lição, revisão e passeio pela História, que as pessoas, na sua maioria teimam em esquecer.

Grata por mais esta partilha de conhecimento*

Abraço d'Alma

Dunyazade disse...

Eu acho que o actual sistema capitalista é completamente sociopata, pior, psicopata! - porque acaba por matar a alma, o corpo e o espírito de muita gente.

Sinceramente, não sei como é tolerado. É completamente injusto. Tudo o que tem a ver com Emoções (e o dinheiro é um tema que desperta muitas, negativas e positivas) deve ser absolutamente regulado para que haja a certeza de ao menos existir algum tipo de justiça - e de igualdade. Porque quando estamos Dentro de uma emoção muito grande a tendência é tirar (ou dar) mais do que é devido. Mas a ênfase está no Tirar.

Adelaide Figueiredo disse...

António,

Excelente!!!
Gostei muito do texto. Aqui no seu blog tem-se falado muito sobre tudo isto que está a acontecer. São acontecimentos esperados que têm de ter um ponto alto e ele está aí. Vai doer, aliás, já está doendo. Agora o que resta é esforçarmo-nos todos e tentarmos resistir e "construir" o melhor possível.
Concordo consigo nas melhorias, elas começarão a aparecer de facto lá para 2016/17 em diante.
Mestre foi uma grande lição. Obrigada por esta aula.

Abraço

António Rosa disse...

Shin Tau

:))) Muito agradecido pelas palavras. Deve ter sido do calor, mas os feeds deste post não se espalharam pelos blogues que Têm links aos Cova do Urso. Mistérios de um Mercúrio já estacionário, mas ainda anão retrógrado.

Também não sinto medo em relação ao que virá a seguir, pois como dizes e muito bem, adaptamono-nos a tudo.

Beijos muito agradecidos

António Rosa disse...

Susana

Muito grato pela atenção e pelas palavras generosas. Faz parte da nossa natureza esquecermos as coisas. Imagine se nos lembrássemos de tudo, incluindo das vidas passadas? Seria um peso...

Beijo

António Rosa disse...

Dunyazade,

Completamente de acordo consigo: a maioria dos actuais modelos económicos não fazem sentido: nem o comunismo na Coreia do Norte, nem o capitalismo desenfreado maioritário, nem as ditaduras africanas encapotadas. Tudo velho e bafiento. Não há primazia do cidadão. Só dos poderes instalados.

Sem amor não se vai a lado nenhum.~~Beijo.

António Rosa disse...

Adelaide

Muito agradecido pela sua apreciação, sobretudo porque é da área.

São palavras com incentivo que me animam a investigar estes longos acontecimentos.

Este texto vai ficar por aqui vários dias... :)

Grande abraço

HSLO disse...

Fico maravilhado como você é super didático em astrologia...nossa...dava pra ser professor viu. Explica muito bem.


abraços
Hugo

Susana Vitorino disse...

António...

Bem vindo ao meu mundo! :D

Saturno em Caranguejo na 12 em conjunção com a cauda quadratura à Lua e ao Plutão na 4. Se as pessoas soubessem do que eu me lembro... Vidas passadas incluidas no pack! LOL

No fundo, é só para salientar que este artigo não me diz nada.... pffff!É uma mera curiosidade! :)))) ;) Partilhando o pensamento da minha mãe nos dias da Revolução: "Meu Deus! Tenho um bebé tão pequenino. Agora vem aí uma guerra e vamos morrer todos!" Nada Lua Plutão quadratura ao Saturno! eheheheh

Como os movimentos sociais se reflectem nas nossas vidas, marcando-nos das formas mais "insuspeitas", por vezes. É uma delícia ser sua aluna virtual!

Obrigada***

Beijo

António Rosa disse...

Hugo

E, de facto ensinei astrologia durante vários anos - depois cansei-me, por razões só minhas e que nada tinham que ver com os alunos.

Muito obrigado.

António Rosa disse...

Susana

Imagino aos memórias que consegue trazer com esse posicionamento. É o receptáculos das vidas passadas.Temos que aprender com elas e seguir em frente.

Imagino as memórias acumuladas ao longo destes anos.

Bem haja.

Beijo.

Luisa disse...

Obrigada, António ! Muito obrigada por ser quem é e partilhar connosco o seu saber.

Abraço

Luisa

IdoMind disse...

António

Tive cá a pensar e tenho uma proposta para ver se sobrevivemos a este ciclo. Que te parece criar-se a nível governamental um " Gabinete para os Assuntos Esotéricos" - o GAE. Uma espécie de ponte entre as decisões políticas e a oportunidade astrológica das mesmas.

Assim como há aconselhamento jurídico com a elaboração de pareceres, ou financeiro com a apresentação de relatórios, previsões, etc, este gabinete estudaria o céu a fim de aconselhar as melhores alturas para deliberar sobre certos assuntos ou o rumo a adoptar quanto a outros.
Ficavas tu como Coordenador do GAE.

Eu elegia-te.E estou certa que o apoio dos bloguistas, twittistas e facebookistas, o lugar era teu!

Acredito piamente que caminhamos para aí- para uma sociedade mais espiritualizada...até lá, Deus nos ajude e abras tu sempre os nossos horizontes trazendo luz onde há trevas escondidas no medo.Bem Hajas.

Beijo querido António

Ana Cristina disse...

António um pouco tarde, :) cheguei, gostei bastante de toda a retrospectiva e de um fio condutor que se lê nas entrelinhas. O mesmo fio poderá ser adoptado à vida de todos os que tiverem idades para conscientemente reflectirem acerca de cada uma das fases apontadas vs suas vidas. Obrigada pelos links.

Beijo

António Rosa disse...

Luísa

Muito obrigado pela Presença.

Abraço.

António Rosa disse...

IdoMind

Ri-me com gosto com a tua proposta. Nomeado por ti já estou, agora só falta que eles criem o GAE. Coisinha de nada.

Muito obrigado

Beijos

António Rosa disse...

Ana Cristina

Nunca é tarde, até porque ocorreu qualquer coisa e os feeds não foram para aos blogues que me têm lincado. Ainda aparece o post sobre a 'Inveja - blogagem coletiva'.

Agradecido pela ideia. Foi um prazer.

Beijso.

JotaSP disse...

MUITO interessante!!!
Gostei muito.


MUITO!

Um abraço grande «««

António Rosa disse...

JotaSP

Muito agradecido.

Abraço.

Astrid Annabelle disse...

Bom dia António!
Estou aqui para lhe dizer que sua aula está grandiosa!
Magnífica!
Aqui eu só aprendo, aprendo e aprendo.
Achei interessante a sugestão da IdoMind e o meu voto você também já tem...realmente só falta criar o GAE!!!!rss
Na realidade estou relendo esta maravilha, pois ao pré progamá-la para determinada hora foi publidada no Buzz e de fato está constando como um post publicado anterior ao da inveja no Blogger. Por isso não aparece nos links dos blogs amigos. Conseguiu compreender?
Outro dia fiz esta experiência e constatei o que relatei acima.
Até deixei um comentário lá no Buzz neste seu post.
Ainda vou ler muitas vezes este seu texto pois estou levando ele para casa...rss
Um beijo grande
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Olá Astrid

Muito obrigado pelo carinho. Compreendi a explicação até porque foi isso que aconteceu. Enganei-me na hora e quando vi o erro, voltei atrás.

Agora, só o próximo post é que vai normalizar a informação.

Muito agradecido pelo apoio.

Beijos.

Rui António Santos disse...

António, que leitura para ler e aprender, tambem acredito que os novos gestores estam-se preparando para remodelar o sistema económico.

Penso que a grande lição para todos nós é aprendermos a não ter medo e não nos deixarmos controlar pelo sistema, no fim tudo passa, e quando dermos por isso viveremos a experiência de estarmos mais fortes e alinhados com o própio planeta em evolução. Abraço

António Rosa disse...

Olá Rui

Tanto quanto julgo saber é exactamente o medo que rolhe as pessoas, quando na verdade, tudo passa.

Oxalá apareçam esses gestores e políticos, porque os formados pelos livros do século XX, desafinaram tudo isto.

Abaço.

angela disse...

Antonio
Lendo seu texto com atenção, preciso de todos meus neurônios ainda ativos...rs, lembrei-me que em 1993 o Brasil enfrentava uma inflação de mais de 80% ao mês quando o Fernando Henrique assumiu o ministério da fazenda e implantou o plano real, equilibrando nossa moeda (as boas sementes). Foi eleito presidente e governou 8 anos quando consolidou a economia brasileira e entregou um estado em boas condições e com o deficit publico em baixa. Apesar das muitas críticas que tenho ao Lula reconheço que ele tem mantido a estabilidade e tem um programa social de longo alcance.
beijos

António Rosa disse...

Ângela

Maravilhoso o seu feedback sobre o Brasil. Na mouche!

Muito obrigado.

Beijos.

hahelna@hotmail.com disse...

Antonio,
Adorei o texto, descreveste um relógio cósmico e este não falha, o melhor e "rezar-mos" por uma nova ordem de consciência.
Assim como a Shin Tau escreveu no inicio, também concordo com o uso da astrologia para todos os assuntos da vida.
Belissima aula !!!

Bem Hajas !!!
um abraço
Hanah

António Rosa disse...

Hanah

Muito agradecido pelas palavras tão gentis. Quando se entra pela astrologia, como eu entrei, muito jovem, é um amor que fica para o resto da vida.

Beijo.

marcelo dalla disse...

Amigo! Fico uns dias sem vir te visitar e vejo quanta informação importante estava perdendo!!!!
Não pode!!!
Aqui aprendo muito e esta foi mais uma aula elxemplar. Este ciclo pelo visto está medindo e colocando limites à ganancia humana.
Pra mim pega Lua e Jupiter que estão oposto à Plutão. Estou sentindo e pra ser bem sincero quero que passe logo.
abraço

António Rosa disse...

Marcelo~~

É um ciclo impiedoso! Mas temos que aprender a vivenciar. Marcado pela extrema ganância dos poderosos.

Grato

Abraço

Suely Namastê Firmino disse...

Gratidão Antonio! Belo texto...viajei na minha própria história nas datas que revelou...casei-me em 1982...1993...me separei e voltei...2001...tive uma grande perda que tornou-se a porta de entrada para uma nova pessoa que sou eu hoje! Namastê!

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates