A viagem da vida # 2 - [FC/MC – Peixes/Virgem - Asc/Dsc – Capricórnio/Câncer]

19 de junho de 2008 ·

Os quatro pontos angulares do nosso mapa formam uma cruz. Todos nós temos a nossa origem em baixo, no FC (Fundo do Céu), dirigimo-nos para a parte mais elevada do nosso mapa, o MC (Meio do Céu), desenvolvendo a nossa identidade através do Asc. (Ascendente), no sentido de interagirmos com os outros, no Dsc. (Descendente), a nossa polaridade. Os signos que lá estão apontam um propósito maior. A cruz natal em que estão presentes dois modos diferentes, devido a haver signos interceptados, coloca questões mais complexas para a pessoa. Por exemplo, quem tenha esta hipótese de cruz no mapa [modos mutável e cardinal], sempre do FC para cima e do Asc. para a direita, pode apresentar algumas destas características:

(FC - Peixes) Na infância e princípios da adolescência sente-se como vindo de uma galáxia distante (o que até pode ser verdade). Vive o mundo das incertezas. A oscilação natural entre o interno e o externo encontra canalização adequada através de uma acção por iniciativa própria. (MC - Virgem) A ordem interior (Virgem) associada ao seu destino, convida a diferenciar-se, a separar o que lhe é próprio, do que lhe é alheio. Encontra o seu propósito ao aprender a melhorar a sua sintonia interior com a realidade. Vem aprender a condição inata para “guiar”, podendo ascender à “maestria”. A pessoa escolherá o modo como o fará e o seu horóscopo dará indicações preciosas nesse sentido.

(Asc. – Capricórnio / Dsc. – Câncer) Quando a consciência começa a despertar para as energias dos Ascendente – Descendente, pode encontrar, numa primeira fase, outros que despertam em si a desconfiança. O vínculo passa a ser prudente, evitando a entrega, até sentir-se segura, sempre com a expectativa de poder gerar compreensão e amparo. A saudade de um calor afectivo na infância, encurta as distâncias com os outros, mas a sua dificuldade em expressar esse afecto, pode alargar essa distância com esses outros. Esta é a experiência fundamental deste posicionamento. Só quando as energias dos dois eixos (FC-MC e Asc-Dsc) se harmonizam é que este Ser, um pouco mais tarde na vida, consegue apresentar a proposta de vivenciar o amor com serenidade, apresentando, em simultâneo a sua proposta de vida, que será de entrega aos outros, sendo reconhecido por estes. É o caminho estreito da sabedoria. Só através da Ordem Maior é que conseguirá enfrentar o seu verdadeiro destino, escolhido pelo seu próprio livre-arbítrio. No entanto, a experiência da realização do propósito nunca está completa, em nenhum ser humano. Vai mesmo até ao último micro-segundo, em que exala definitivamente, a energia da vida na crosta terrestre.


12 comentários:

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...
19 de junho de 2008 às 08:54  

Fascinante António, muito obrigada, meu sonho de vida; que um dia todos e cada um por sua via tenha noção e se empenha na tarefa de fazer aquilo que lhe pertence por vocação.

Abraço
Ana Cristina

António Rosa disse...
19 de junho de 2008 às 11:11  

Olá Ana Cristina,

É muito bom fazermos aquilo que gostamos e para o qual nos sentimos vocacionados. A questão reside é se sabemos fazer bem.

Abraço

António

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...
19 de junho de 2008 às 12:52  

António se fazemos aquilo para o qual somos vocacionados atingimos a excelência. Por vezes não nos ouvimos e ao que queremos fazer e fazemos o que os outros esperam de nós :-) ou determinaram.

Abraço
Ana Cristina

Samsara disse...
19 de junho de 2008 às 13:45  

António gostei muito de ler este post. Duas pessoas que me são queridas têm esta cruz nos seus mapas e idenifico-as totalmente com o que descreves.
Bjs

António Rosa disse...
19 de junho de 2008 às 13:57  

Olá Patrícia,

Tenciono fazer a tua cruz, na próxima semana. Aos poucos irei fazendo de várias pessoas que por aqui passam.

Um beijinho

António

António Rosa disse...
19 de junho de 2008 às 14:00  

Ana Cristina,

"Por vezes não nos ouvimos"

Acontece-me muito, isso. Infelizmente.

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...
19 de junho de 2008 às 14:27  

e há também quem ligue ao que ouve :-)

Ana Cristina

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...
19 de junho de 2008 às 14:44  

era para ser "não ligue", para que conste hoje tenho sido pródiga em erros do género, acho não deveria mesmo dizer mais nada :-)

Ana Cristina

António Rosa disse...
19 de junho de 2008 às 15:16  

Nem lhe conto como andam as coisas por aqui. Trapalhadas. Mercúrio, apesar de directo, não faz nem recebe aspectos maiores de nenhum planeta. Até sábado as coisas andarão assim...

=)=)

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...
19 de junho de 2008 às 15:20  

sei e escrevi acerca...:-)

oh my... hoje queria começar do principio o dia :-) e apagar a parte feita até aqui.
Ana Cristina

jasmimdomeuquintal disse...
20 de junho de 2008 às 02:22  

Grande viagem...

António Rosa disse...
20 de junho de 2008 às 07:28  

Olá Jasmim,

Esta é uma série de artigos que estou a preparar sob o título "A Grande Viagem", sendo os primeiros os referentes a várias pessoas que conheço e que visitam regularmente este blogue.

Fica já a saber que também farei a sua "Grande Viagem". A próxima (a #3) já tem destinatário e sairá na próxima semana. Provavelmente, a sua sairá na semana seguinte. Mas na véspera de a publicar, avisá-la-ei.

Fica assim combinado?

Beijinho

19 de junho de 2008

A viagem da vida # 2 - [FC/MC – Peixes/Virgem - Asc/Dsc – Capricórnio/Câncer]

Os quatro pontos angulares do nosso mapa formam uma cruz. Todos nós temos a nossa origem em baixo, no FC (Fundo do Céu), dirigimo-nos para a parte mais elevada do nosso mapa, o MC (Meio do Céu), desenvolvendo a nossa identidade através do Asc. (Ascendente), no sentido de interagirmos com os outros, no Dsc. (Descendente), a nossa polaridade. Os signos que lá estão apontam um propósito maior. A cruz natal em que estão presentes dois modos diferentes, devido a haver signos interceptados, coloca questões mais complexas para a pessoa. Por exemplo, quem tenha esta hipótese de cruz no mapa [modos mutável e cardinal], sempre do FC para cima e do Asc. para a direita, pode apresentar algumas destas características:

(FC - Peixes) Na infância e princípios da adolescência sente-se como vindo de uma galáxia distante (o que até pode ser verdade). Vive o mundo das incertezas. A oscilação natural entre o interno e o externo encontra canalização adequada através de uma acção por iniciativa própria. (MC - Virgem) A ordem interior (Virgem) associada ao seu destino, convida a diferenciar-se, a separar o que lhe é próprio, do que lhe é alheio. Encontra o seu propósito ao aprender a melhorar a sua sintonia interior com a realidade. Vem aprender a condição inata para “guiar”, podendo ascender à “maestria”. A pessoa escolherá o modo como o fará e o seu horóscopo dará indicações preciosas nesse sentido.

(Asc. – Capricórnio / Dsc. – Câncer) Quando a consciência começa a despertar para as energias dos Ascendente – Descendente, pode encontrar, numa primeira fase, outros que despertam em si a desconfiança. O vínculo passa a ser prudente, evitando a entrega, até sentir-se segura, sempre com a expectativa de poder gerar compreensão e amparo. A saudade de um calor afectivo na infância, encurta as distâncias com os outros, mas a sua dificuldade em expressar esse afecto, pode alargar essa distância com esses outros. Esta é a experiência fundamental deste posicionamento. Só quando as energias dos dois eixos (FC-MC e Asc-Dsc) se harmonizam é que este Ser, um pouco mais tarde na vida, consegue apresentar a proposta de vivenciar o amor com serenidade, apresentando, em simultâneo a sua proposta de vida, que será de entrega aos outros, sendo reconhecido por estes. É o caminho estreito da sabedoria. Só através da Ordem Maior é que conseguirá enfrentar o seu verdadeiro destino, escolhido pelo seu próprio livre-arbítrio. No entanto, a experiência da realização do propósito nunca está completa, em nenhum ser humano. Vai mesmo até ao último micro-segundo, em que exala definitivamente, a energia da vida na crosta terrestre.


12 comentários:

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

Fascinante António, muito obrigada, meu sonho de vida; que um dia todos e cada um por sua via tenha noção e se empenha na tarefa de fazer aquilo que lhe pertence por vocação.

Abraço
Ana Cristina

António Rosa disse...

Olá Ana Cristina,

É muito bom fazermos aquilo que gostamos e para o qual nos sentimos vocacionados. A questão reside é se sabemos fazer bem.

Abraço

António

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

António se fazemos aquilo para o qual somos vocacionados atingimos a excelência. Por vezes não nos ouvimos e ao que queremos fazer e fazemos o que os outros esperam de nós :-) ou determinaram.

Abraço
Ana Cristina

Samsara disse...

António gostei muito de ler este post. Duas pessoas que me são queridas têm esta cruz nos seus mapas e idenifico-as totalmente com o que descreves.
Bjs

António Rosa disse...

Olá Patrícia,

Tenciono fazer a tua cruz, na próxima semana. Aos poucos irei fazendo de várias pessoas que por aqui passam.

Um beijinho

António

António Rosa disse...

Ana Cristina,

"Por vezes não nos ouvimos"

Acontece-me muito, isso. Infelizmente.

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

e há também quem ligue ao que ouve :-)

Ana Cristina

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

era para ser "não ligue", para que conste hoje tenho sido pródiga em erros do género, acho não deveria mesmo dizer mais nada :-)

Ana Cristina

António Rosa disse...

Nem lhe conto como andam as coisas por aqui. Trapalhadas. Mercúrio, apesar de directo, não faz nem recebe aspectos maiores de nenhum planeta. Até sábado as coisas andarão assim...

=)=)

Ana Cristina Corrêa Mendes disse...

sei e escrevi acerca...:-)

oh my... hoje queria começar do principio o dia :-) e apagar a parte feita até aqui.
Ana Cristina

jasmimdomeuquintal disse...

Grande viagem...

António Rosa disse...

Olá Jasmim,

Esta é uma série de artigos que estou a preparar sob o título "A Grande Viagem", sendo os primeiros os referentes a várias pessoas que conheço e que visitam regularmente este blogue.

Fica já a saber que também farei a sua "Grande Viagem". A próxima (a #3) já tem destinatário e sairá na próxima semana. Provavelmente, a sua sairá na semana seguinte. Mas na véspera de a publicar, avisá-la-ei.

Fica assim combinado?

Beijinho

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates