«a human(a)idade dos porquês», o blogue de Inês de Barros Baptista

4 de outubro de 2010 ·


«de porquê em porquê, humanizamos as dúvidas e queremos sempre encontrar respostas para tudo. aqui não há respostas para nada. porque este é apenas um espaço onde eu própria questiono a minha estranha e humana forma de vida.»
Seu blogue:

O seu blogue explicado assim, pela autora:

«porque sim. porque não? porque é mesmo assim. porque ninguém manda em mim. porque é que perguntas? porque mais vale tarde que nunca e nunca é tarde para tanto. porque a vida está cheia de equívocos. porque só as palavras não chegam, a não ser que rimem 'comigo', 'contigo' e, sobretudo, com o silêncio que fica entre nós. porque boiar é tão bom e há por aí quem precise. porque, neste momento, não podia ser outra coisa, nem outra estação, muito menos mais solidão. porque escrevo e respiro. porque sinto que faz sentido e só isso já chega. porque a rede ampara-me as quedas. porque viver é ver e ser vista e, neste caso, escrever e ser lida.»


É autora de vários livros: «Morrer é só não ser visto», «Pede um Desejo», «Os Dias da Luz», «Quem era Eu Antes de Mim?», «O Tesouro da Moura Encantada», «Índigo - o Mistério do Rapaz de Luz» e «Cromossoma do Amor».

O texto da Inês de Barros Baptista, que a seguir apresento, já está no éter, propagando-se, com muito sucesso. É absolutamente notável. Leiam e confirmem, por favor.
«os dias da sombra

parei hoje um pouco para pensar em tudo o que já escrevi e, sobretudo, em tudo o que já publiquei. nove livros ao todo, um muito antigo (tinha 16 anos), outro há mais de uma década, os sete restantes ao longo dos últimos três anos.

parei também para sentir que, à minha volta, quase todos perseguem o mesmo: a paz interior, a luz ao fundo do túnel, a consciência de que não viemos à toa percorrer caminhos sem rumo, o encontro de cada um consigo próprio e com os outros, o tal amor incondicional no qual todos desejamos fluir. 
trajectos que, tantas vezes, espelham acima de tudo os momentos mais bem conseguidos, ou tudo aquilo que ressoa pelo lado do brilho. basta-me dar uma volta aqui pelo FB para reparar como são tantos - eu própria incluída - os que inundam os seus murais com links ou citações de gurus e de outros 'mestres iluminados', ou mesmo com frases da sua autoria, e em que a mensagem é sempre 'boa'.

tudo isto para chegar onde?...

que andamos todos a tentar 'resolver-nos', não tenho uma dúvida. mas - e agora falo apenas por mim - a máscara da 'iluminada' - que até escreve, inspirada, sobre fadas, almas, desejos, índigos, dias de luz - só poderá começar a cair quando não existir mais o medo de mergulhar a fundo nas minhas sombras e de as trazer à superfície. quando não tiver mais pudor de espécie nenhuma em revelar o meu lado sombrio. acham o quê? que estou 'resolvida'?... 'crescida'? que pratico tudo o que digo? que a Balança supostamente amorosa não tem também os seus ódios?... as suas crises de auto-estima? que não manipulo, não controlo, que não componho cenários idílicos fingindo que já lá estive?!...

os Dias da Sombra são isso. levantar o tapete para ver para onde é que tenho andando a varrer o meu pó e mostrá-lo a quem quiser vê-lo. todos temos os nossos 'tapetes'. todos varremos o pó para lugares onde os outros não possam vê-lo. todos preferimos mostrar onde é que somos feitos de luz - porque o somos, de facto - e esconder as partes que estão na penumbra. 
pois eu deixei de ter medo e vou pôr as sombras à mostra.

nem sequer com o intuito de que, expostas ao ar, se dissolvam e me iluminem, mas por fazerem parte de mim e porque estou mesmo farta de máscaras!

(e não, não é um exercício de auto-flagelação na praça pública, apenas... terapia :))»
Texto daqui e daqui.

O 'Cova do Urso' já se tinha referido aos livros de Inês de Barros Baptista, aqui.

Seu blogue:

.

20 comentários:

Astrid Annabelle disse...
4 de outubro de 2010 às 11:24  

Bom dia António!
Agradeço de coração a indicação desse blog maravilhoso da Inês.
Mergulhei fundo nos textos publicados e adorei...
Já o estou seguindo, é claro...
Vi os links do post abaixo...falta conferir alguns...
Um beijo grande para um excelente dia!
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
4 de outubro de 2010 às 12:29  

Bom dia, Astrid,

Ainda bem que gostou do blogue da Inês. Isso irá acontecer com imensa gente, muitos deles já a conhecem. O blogue é daqueles que começou devagarinho, ao som da chuva (aqui chove) e quando menos dermos por ela, terá imensos seguidores. Ainda por cima, é uma simpatia de pessoa.

Hoje, irei analisar com atenção a 2ª volta do dia 31. :))) Não sei se escreverei alguma coisa.

Beijo

António

Susana Vitorino disse...
4 de outubro de 2010 às 14:51  

O Blog da Inês remete-me a um silêncio monástico.

Lê-la, para mim, é como andar à chuva e poder chorar sem que ninguém perceba.

É como voltar a uma casa que conheço há muito. Acolhedora. Onde a lareira aínda está acesa e um prato de sopa quentinho me espera na mesa.

É como ter uma árvore mágica que contém uma porta secreta.

É assim para mim.

Que bom!

Um grande bem haja aos dois*

(Astrid, um abraço daqueles*)

Astrid Annabelle disse...
4 de outubro de 2010 às 15:09  

Susana..bom dia!
Outro abração gostoso!!!
Você é outra adorável escritora!
E mais um beijinho
Astrid Annabelle

inês bb disse...
4 de outubro de 2010 às 15:16  

António, Astrid e Susana. Somos TODOS admiráveis escritores, cada um com a sua voz própria, o seu estilo, as suas interrogações. E que bom estarmos ligados em rede e podermos ler-nos assim uns aos outros, muito para além do que as nossas palavras transmitem e sentindo que é a alma que fala por trás da estrutura sintática.

beijos aos três
repenicados, claro está :))

António Rosa disse...
4 de outubro de 2010 às 15:40  

Susana,

A expressão mais adequada é mesmo essa: «silêncio monástico». Completamente de acordo. O blogue é indíssimo, acolhedor e, obviamente, muito bem escrito. Percebo lindamente o design de um blogue assim. mas eu sou suspeito, pois aprendi a gostar muito da Inês.

Terminei agora um post chamado 'Onde está o seu poço de lágrimas?'. Não sei quando sairá, talvez amanhã, mas sei que vai gostar. Claro que é um post astrológico. :))

beijo,

António

António Rosa disse...
4 de outubro de 2010 às 15:42  

Inês

Muito agradecido pela presença.

É excelente estarmos ligados em rede.

Beijos,
repenicados, claro!

António

inês bb disse...
4 de outubro de 2010 às 16:29  

´poço de lágrimas'?

ai António, que aí vamos nós outra vez, a pique para baixo, a pique para dentro, e sem escanfrandro, está claro :))

Anónimo disse...
4 de outubro de 2010 às 19:35  

Fiquei aqui a ler, a escrever um comentário e apagar, apagar...

Gostei muito da honestidade e coragem da Inês.
Que essa terapia seja cada vez mais suave e divertida, pois pode ser muito divertida, afinal...

Um beijinho para os dois

orvalho do ceu disse...
5 de outubro de 2010 às 00:04  

Olá, Antônio
Passo pra agradecer seu comparecimento ao meu convite pro coquetel, muito delicado da sua parte.
Forma muito generosa de prestigiar os amigos internautas. Obrigado.
Seja feliz e abençoado!!!
Abraços fraternais
"Eu deixei de ter medo e vou por as sombras a mostra"... Lindo!!!

Susana Vitorino disse...
5 de outubro de 2010 às 00:06  

Pois... "poço de lágrimas"... Uff! É mesmo Inês! De acordo. Lá vamos nós outra vez...

C'um escafandro! ;)

BEJIRS*

Astrid Annabelle disse...
5 de outubro de 2010 às 01:04  

Beijos repenicados... (vou ter que descobrir o que é isto???)...Inês, Susana estou providênciando um escafandro...

Por "acaso" descobri seu post do dia 01/10 em uma página lá no FB...adorei e deixei meu comentário aqui.
António, mais um beijo. Sonhe com os anjos.
Astrid Annabelle

Saulo Taveira disse...
5 de outubro de 2010 às 05:41  

Meu amigo António, adoro tua generosidade em nos apresentar grandes poetas.

Obrigado!

Beijos.

António Rosa disse...
5 de outubro de 2010 às 06:27  

Anónima das 19h30

Muito agradecido pela sua visita e por ter apreciado o blogue da minha convidada.

Bem haja.

António

António Rosa disse...
5 de outubro de 2010 às 06:28  

Orvalho do Céu

Apreciei muito o seu coquetel. Delicado, perfumado e muito feminino.

Beijo

António

António Rosa disse...
5 de outubro de 2010 às 06:32  

Inês e Susana

Não vai ser necessário escafandro. Não é de minha autoria, mas sim de uma amiga astróloga. Foi usado no fórum da Escola de Astrologia Nova-Lis, em 2007 ou 2008, como forma de exercício lúdico e interpretativo. Mas tem muita graça, pois ficamos a saber onde se encontra o nosso poço de lágrimas.

Beijos repenicados.

António Rosa disse...
5 de outubro de 2010 às 06:34  

Astrid

Beijos repenicados são aqueles que são dados com um certo estalido ou ruído. São beijos sonoros. :)))

António Rosa disse...
5 de outubro de 2010 às 06:36  

Saulo

Muito agradecido por ter vindo descobrir a escrita desta autora magnífica.

Hoje é feriado em Portugal - comemora-se o centenário da República.

Beijos

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...
7 de outubro de 2010 às 11:12  

Li: Morrer é só não ser viso e gostei bastante!

Vou espreitar o blog dela que desconhecia! Obrigada!

António Rosa disse...
7 de outubro de 2010 às 12:00  

Especial,

É um blogue muito recente e lindíssimo, além de muito bem escrito.

Obrigado.

4 de outubro de 2010

«a human(a)idade dos porquês», o blogue de Inês de Barros Baptista


«de porquê em porquê, humanizamos as dúvidas e queremos sempre encontrar respostas para tudo. aqui não há respostas para nada. porque este é apenas um espaço onde eu própria questiono a minha estranha e humana forma de vida.»
Seu blogue:

O seu blogue explicado assim, pela autora:

«porque sim. porque não? porque é mesmo assim. porque ninguém manda em mim. porque é que perguntas? porque mais vale tarde que nunca e nunca é tarde para tanto. porque a vida está cheia de equívocos. porque só as palavras não chegam, a não ser que rimem 'comigo', 'contigo' e, sobretudo, com o silêncio que fica entre nós. porque boiar é tão bom e há por aí quem precise. porque, neste momento, não podia ser outra coisa, nem outra estação, muito menos mais solidão. porque escrevo e respiro. porque sinto que faz sentido e só isso já chega. porque a rede ampara-me as quedas. porque viver é ver e ser vista e, neste caso, escrever e ser lida.»


É autora de vários livros: «Morrer é só não ser visto», «Pede um Desejo», «Os Dias da Luz», «Quem era Eu Antes de Mim?», «O Tesouro da Moura Encantada», «Índigo - o Mistério do Rapaz de Luz» e «Cromossoma do Amor».

O texto da Inês de Barros Baptista, que a seguir apresento, já está no éter, propagando-se, com muito sucesso. É absolutamente notável. Leiam e confirmem, por favor.
«os dias da sombra

parei hoje um pouco para pensar em tudo o que já escrevi e, sobretudo, em tudo o que já publiquei. nove livros ao todo, um muito antigo (tinha 16 anos), outro há mais de uma década, os sete restantes ao longo dos últimos três anos.

parei também para sentir que, à minha volta, quase todos perseguem o mesmo: a paz interior, a luz ao fundo do túnel, a consciência de que não viemos à toa percorrer caminhos sem rumo, o encontro de cada um consigo próprio e com os outros, o tal amor incondicional no qual todos desejamos fluir. 
trajectos que, tantas vezes, espelham acima de tudo os momentos mais bem conseguidos, ou tudo aquilo que ressoa pelo lado do brilho. basta-me dar uma volta aqui pelo FB para reparar como são tantos - eu própria incluída - os que inundam os seus murais com links ou citações de gurus e de outros 'mestres iluminados', ou mesmo com frases da sua autoria, e em que a mensagem é sempre 'boa'.

tudo isto para chegar onde?...

que andamos todos a tentar 'resolver-nos', não tenho uma dúvida. mas - e agora falo apenas por mim - a máscara da 'iluminada' - que até escreve, inspirada, sobre fadas, almas, desejos, índigos, dias de luz - só poderá começar a cair quando não existir mais o medo de mergulhar a fundo nas minhas sombras e de as trazer à superfície. quando não tiver mais pudor de espécie nenhuma em revelar o meu lado sombrio. acham o quê? que estou 'resolvida'?... 'crescida'? que pratico tudo o que digo? que a Balança supostamente amorosa não tem também os seus ódios?... as suas crises de auto-estima? que não manipulo, não controlo, que não componho cenários idílicos fingindo que já lá estive?!...

os Dias da Sombra são isso. levantar o tapete para ver para onde é que tenho andando a varrer o meu pó e mostrá-lo a quem quiser vê-lo. todos temos os nossos 'tapetes'. todos varremos o pó para lugares onde os outros não possam vê-lo. todos preferimos mostrar onde é que somos feitos de luz - porque o somos, de facto - e esconder as partes que estão na penumbra. 
pois eu deixei de ter medo e vou pôr as sombras à mostra.

nem sequer com o intuito de que, expostas ao ar, se dissolvam e me iluminem, mas por fazerem parte de mim e porque estou mesmo farta de máscaras!

(e não, não é um exercício de auto-flagelação na praça pública, apenas... terapia :))»
Texto daqui e daqui.

O 'Cova do Urso' já se tinha referido aos livros de Inês de Barros Baptista, aqui.

Seu blogue:

.

20 comentários:

Astrid Annabelle disse...

Bom dia António!
Agradeço de coração a indicação desse blog maravilhoso da Inês.
Mergulhei fundo nos textos publicados e adorei...
Já o estou seguindo, é claro...
Vi os links do post abaixo...falta conferir alguns...
Um beijo grande para um excelente dia!
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Bom dia, Astrid,

Ainda bem que gostou do blogue da Inês. Isso irá acontecer com imensa gente, muitos deles já a conhecem. O blogue é daqueles que começou devagarinho, ao som da chuva (aqui chove) e quando menos dermos por ela, terá imensos seguidores. Ainda por cima, é uma simpatia de pessoa.

Hoje, irei analisar com atenção a 2ª volta do dia 31. :))) Não sei se escreverei alguma coisa.

Beijo

António

Susana Vitorino disse...

O Blog da Inês remete-me a um silêncio monástico.

Lê-la, para mim, é como andar à chuva e poder chorar sem que ninguém perceba.

É como voltar a uma casa que conheço há muito. Acolhedora. Onde a lareira aínda está acesa e um prato de sopa quentinho me espera na mesa.

É como ter uma árvore mágica que contém uma porta secreta.

É assim para mim.

Que bom!

Um grande bem haja aos dois*

(Astrid, um abraço daqueles*)

Astrid Annabelle disse...

Susana..bom dia!
Outro abração gostoso!!!
Você é outra adorável escritora!
E mais um beijinho
Astrid Annabelle

inês bb disse...

António, Astrid e Susana. Somos TODOS admiráveis escritores, cada um com a sua voz própria, o seu estilo, as suas interrogações. E que bom estarmos ligados em rede e podermos ler-nos assim uns aos outros, muito para além do que as nossas palavras transmitem e sentindo que é a alma que fala por trás da estrutura sintática.

beijos aos três
repenicados, claro está :))

António Rosa disse...

Susana,

A expressão mais adequada é mesmo essa: «silêncio monástico». Completamente de acordo. O blogue é indíssimo, acolhedor e, obviamente, muito bem escrito. Percebo lindamente o design de um blogue assim. mas eu sou suspeito, pois aprendi a gostar muito da Inês.

Terminei agora um post chamado 'Onde está o seu poço de lágrimas?'. Não sei quando sairá, talvez amanhã, mas sei que vai gostar. Claro que é um post astrológico. :))

beijo,

António

António Rosa disse...

Inês

Muito agradecido pela presença.

É excelente estarmos ligados em rede.

Beijos,
repenicados, claro!

António

inês bb disse...

´poço de lágrimas'?

ai António, que aí vamos nós outra vez, a pique para baixo, a pique para dentro, e sem escanfrandro, está claro :))

Anónimo disse...

Fiquei aqui a ler, a escrever um comentário e apagar, apagar...

Gostei muito da honestidade e coragem da Inês.
Que essa terapia seja cada vez mais suave e divertida, pois pode ser muito divertida, afinal...

Um beijinho para os dois

orvalho do ceu disse...

Olá, Antônio
Passo pra agradecer seu comparecimento ao meu convite pro coquetel, muito delicado da sua parte.
Forma muito generosa de prestigiar os amigos internautas. Obrigado.
Seja feliz e abençoado!!!
Abraços fraternais
"Eu deixei de ter medo e vou por as sombras a mostra"... Lindo!!!

Susana Vitorino disse...

Pois... "poço de lágrimas"... Uff! É mesmo Inês! De acordo. Lá vamos nós outra vez...

C'um escafandro! ;)

BEJIRS*

Astrid Annabelle disse...

Beijos repenicados... (vou ter que descobrir o que é isto???)...Inês, Susana estou providênciando um escafandro...

Por "acaso" descobri seu post do dia 01/10 em uma página lá no FB...adorei e deixei meu comentário aqui.
António, mais um beijo. Sonhe com os anjos.
Astrid Annabelle

Saulo Taveira disse...

Meu amigo António, adoro tua generosidade em nos apresentar grandes poetas.

Obrigado!

Beijos.

António Rosa disse...

Anónima das 19h30

Muito agradecido pela sua visita e por ter apreciado o blogue da minha convidada.

Bem haja.

António

António Rosa disse...

Orvalho do Céu

Apreciei muito o seu coquetel. Delicado, perfumado e muito feminino.

Beijo

António

António Rosa disse...

Inês e Susana

Não vai ser necessário escafandro. Não é de minha autoria, mas sim de uma amiga astróloga. Foi usado no fórum da Escola de Astrologia Nova-Lis, em 2007 ou 2008, como forma de exercício lúdico e interpretativo. Mas tem muita graça, pois ficamos a saber onde se encontra o nosso poço de lágrimas.

Beijos repenicados.

António Rosa disse...

Astrid

Beijos repenicados são aqueles que são dados com um certo estalido ou ruído. São beijos sonoros. :)))

António Rosa disse...

Saulo

Muito agradecido por ter vindo descobrir a escrita desta autora magnífica.

Hoje é feriado em Portugal - comemora-se o centenário da República.

Beijos

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Li: Morrer é só não ser viso e gostei bastante!

Vou espreitar o blog dela que desconhecia! Obrigada!

António Rosa disse...

Especial,

É um blogue muito recente e lindíssimo, além de muito bem escrito.

Obrigado.

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates