Design - Fundação Champalimaud: Centro de Investigação para o Desconhecido

6 de outubro de 2010 ·


Arquitecto Charles Corrêa  

A Fundação Champalimaud apoia investigação em áreas de ponta. Tem como prioridade estimular descobertas que beneficiem as pessoas, bem como patrocinar novos padrões de conhecimento. Inaugurada oficialmente no dia 5 Outubro 2010, às 13h00, Lisboa.

 
VISÃO
A Fundação Champalimaud apoia a investigação nas ciências médicas. A Fundação aposta na investigação translacional com impacto directo na saúde e no bem-estar das pessoas. No esforço permanente de prevenir, diagnosticar e tratar a doença, a investigação translacional faz a ponte entre a investigação básica e a investigação clínica, assegurando que as descobertas científicas e as novas tecnologias se aplicam no desenvolvimento e no ensaio de soluções para os problemas clinicamente relevantes.

Leonor Beleza, Presidente da Fundação Champalimaud

Em testamento António Champalimaud doou um terço da sua fortuna, 500 milhões de euros, para a criação de uma fundação na área da saúde. Seis após a sua morte, nasce à beira Tejo um dos “melhores espaços de investigação de doenças cancerígenas no mundo”. Seis após a sua morte, nasce à beira Tejo um dos “melhores espaços de investigação de doenças cancerígenas no mundo”. Este centro vai dedicar-se a duas áreas específicas: oncologia e neurociências. O Hospital do Cancro, preparado para receber 300 doentes por dia, vai ocupar dois dos pisos (piso térreo e cave) do Centro Champalimaud para o Desconhecido. Já os dois pisos superiores são destinados à investigação.

António de Sommer Champalimaud 1918-2004

Empresário da área do cimento, que viu as suas empresas nacionalizadas no pós-25 de Abril, obrigado a reconstruir o seu “império” de novo no Brasil, antes de recuperar as suas empresas portuguesas de novo. É sua a frase: «A Igreja não canoniza nenhum empresário como santo.»
 O “New York Times” escreveu recentemente que a Fundação Champalimaud e o Centro Champalimaud para o Desconhecido colocarão não só Lisboa na rota da investigação científica, mas também o País e o próprio continente europeu. “Lisboa não é, neste momento, o centro da ciência no mundo, mas poderá muito bem sê-lo se tudo for bem gerido”, estas palavras são de Axel Ullrich, investigador do Instituto Max Planck de Bioquímica em doenças cancerígenas.

A esperança no papel do Centro de Champalimaud para o Desconhecido (Champalimaud Center for the Unknown, segundo o NYT) é grande. Espera-se que o Centro tenha “500 investigadores a trabalhar lado a lado com 100 médicos, lidando com cerca de 300 pacientes por dia”. Esta aproximação da investigação às práticas terapêuticas será, segundo o próprio Centro, algo “único” e “aplaudido por outros cientistas”.

Texto daqui.

.

25 comentários:

Filomena Nunes disse...
6 de outubro de 2010 às 10:49  

Bom dia António Rosa,

Partilhei no fb as boas notícias...

Já havia lido que este super centro estava para ser inaugurado. E, logo de seguida, li uma série de comentários altamente negativos acerca das motivações que "supostamente" estariam por detrás deste empreendimento. Sublinhava-se o passado político "mal resolvido" da Leonor Beleza, falava-se de rumores acerca da lisura de Champalimaud como homem e como empresário levantando-se dúvidas e boatos acerca da "verdadeira" origem da sua fortuna..

Mas o que eu queria aqui sublinhar, o que hoje é realmente importante, é o lado bom, humano e visionário deste homem que deixa à comunidade um tamanho legado pelo qual devemos estar gratos!!

Telhados de vidro, todos temos/tivemos, que isso não nos impeça de acabar em grande!!

Um beijinho

Filomena

António Rosa disse...
6 de outubro de 2010 às 12:03  

Filomena

Muito obrigado pela partilha.

O nosso povo é assim mesmo. As pessoas comentam tudo. A Leonor Beleza constava do testamento de Champalimaud, quando ele decidiu atribuir um terço da sua imensa fortuna para criar a Fundação com o nome dele.

Hoje percebe-se porque ele vendeu todos os activos (bancos, seguradoras, cimentos, etc.) que possuía ainda em vida, transformando tudo em dinheiro.

Foi a maneira que ele encontrou para criar a Fundação. O resto deixou sobretudo aos filhos e a outras pessoas, mas tudo em metal sonante, excepto as suas residências pessoais.

O que me interessa muito, como cidadão deste país, é desejar que a Fundação e o Serviço Nacional de Saúde cheguem a acordo para benefício de quem necessitar.

A Presidente da Fundação está a fazer um trabalho notável, conseguindo que o assunto seja conhecido em todo o mundo da investigação.

Um beijinho

António

Filomena Nunes disse...
6 de outubro de 2010 às 12:13  

António Rosa,

...sem mais comentários!!

mas mais um beijinho.

Filomena

António Rosa disse...
6 de outubro de 2010 às 12:33  

Filomena

:)

A.

Paulo Braccini disse...
6 de outubro de 2010 às 13:11  

Que coisa fantástica eim? Isto nos mostra q, no fundo do túnel novas possibilidades ainda existem ...

bjux

;-)

António Rosa disse...
6 de outubro de 2010 às 13:12  

Paulo,

Graças a Deus!

bjux

António

Astrid Annabelle disse...
6 de outubro de 2010 às 13:52  

Que maravilha António!
Que Deus abençoe esta idéia, agora bem concreta.
Já imagino como será importante.
Parabéns à todos os envolvidos!
Beijos
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
6 de outubro de 2010 às 13:57  

Querida Astrid,

Também dou os parabéns a todos envolvidos.

Quem não quer nada comigo é o Blogger que não distribui este post pelos blogues amigos. Até à pouco o que estava anunciado nos vossos links era o post da Lacrimosa!!! Nem sequer aparece os vizinhos. E isto que Vénus só fica retrógrada dia 8 ou 9.

Beijos.

António

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...
6 de outubro de 2010 às 15:41  

Se é para o bem... que seja bem aproveitado!

António Rosa disse...
6 de outubro de 2010 às 16:52  

Especial,

só pode ser para o bem :))

Astrid Annabelle disse...
6 de outubro de 2010 às 16:56  

Eu percebi António...é que eu recebo as atualizações pelo Buzz.
Beijos querido.
Astrid Annabelle

Cantinho da Cê disse...
6 de outubro de 2010 às 17:16  

Boa tarde Antônio,

Que coisa fantástica, Deus abençoe esse projeto e que se descubra vários caminhos para a cura de algumas doenças...

Beijos,

António Rosa disse...
6 de outubro de 2010 às 17:18  

Astrid,

Tive que desactivar o meu Buzz...

Só agora é que os feeds funcionaram.

Obrigado. Beijo.

Até amanhã

António

António Rosa disse...
6 de outubro de 2010 às 17:19  



É um projecto lindo e que vai ser importante para os processos de cura.

Beijos.

António

Ira Buscacio disse...
6 de outubro de 2010 às 19:21  

Antônio,

A iniciativa é brilhante e ser for gerida com honestidade, não só Portugal ganha, mas toda a humanidade.

Bjs

António Rosa disse...
6 de outubro de 2010 às 19:39  

Ira

É isso mesmo. É um padrão para toda a humanidade.

Estava quase a desligar o computador, quando você apareceu. Até amanhã.

Beijos

António

Cris França disse...
6 de outubro de 2010 às 20:03  

uau! que estilo! maravilhoso! parece que tudo converge, e se integra na paisagem ... e a vista deve ser algo transcendente.

beijos meu querido

IdoMind disse...
6 de outubro de 2010 às 22:11  

Parece-me que o Champalimaud percebeu que há coisas na vida que, de facto, o dinheiro não compra...e deixou este legado.

Esperemos que a Leonor Beleza, com quem não simpatizo particularmente (para não dizer mesmo nada) perceba e desta vez assuma a responsabilidade de fazer o Bem.

Espero do fundo do meu coração que esta Fundação seja uma coisa bonita.

beijocas António

Marcos disse...
6 de outubro de 2010 às 23:41  

Nossa, que projeto mais incrível esse. Moderno, com propósitos nobres, e certamente trará a lisboa muitos cientistas com o intuito de investigar tantas coisas que desconhecemos.

Eu perdi meu pai com mieloma multiplo, sem tratamento direcionado para cura, somente para prolongar um pouco a vida.... mas sem qualidade nenhuma.

Obrigado pela visita ao meu blog, vou ver o que andas a dizer por aqui tb.

abçs

Nilce disse...
7 de outubro de 2010 às 02:52  

Fantástico, Antônio.
Como é bom ver um dinheiro bem usado. Que seja também bem aproveitado.

Bjs no coração!

Nilce

António Rosa disse...
7 de outubro de 2010 às 06:33  

Cris, agora morena linda,

É um projecto realmente muito especial.

Beijos

António

António Rosa disse...
7 de outubro de 2010 às 06:35  

Ido Mind

Não sinto nenhuma aversão pela senhora. Do que sei, é tesa que nem um carapau e a Fundação vai progredir, até porque não começou ontem e já tem 6 anos de vida.

Beijokas,

António

António Rosa disse...
7 de outubro de 2010 às 06:36  

Marcos

Eu também tenho casos de cancro na família.

Muito agradecido por ter vindo.

Abraço

António

António Rosa disse...
7 de outubro de 2010 às 06:37  

Assim, dá gosto, não é, Nilce?

Beijo

António

Táxi Pluvioso disse...
9 de outubro de 2010 às 11:23  

Mesmo que nada investiguem, o edifício já vale a pena.

6 de outubro de 2010

Design - Fundação Champalimaud: Centro de Investigação para o Desconhecido


Arquitecto Charles Corrêa  

A Fundação Champalimaud apoia investigação em áreas de ponta. Tem como prioridade estimular descobertas que beneficiem as pessoas, bem como patrocinar novos padrões de conhecimento. Inaugurada oficialmente no dia 5 Outubro 2010, às 13h00, Lisboa.

 
VISÃO
A Fundação Champalimaud apoia a investigação nas ciências médicas. A Fundação aposta na investigação translacional com impacto directo na saúde e no bem-estar das pessoas. No esforço permanente de prevenir, diagnosticar e tratar a doença, a investigação translacional faz a ponte entre a investigação básica e a investigação clínica, assegurando que as descobertas científicas e as novas tecnologias se aplicam no desenvolvimento e no ensaio de soluções para os problemas clinicamente relevantes.

Leonor Beleza, Presidente da Fundação Champalimaud

Em testamento António Champalimaud doou um terço da sua fortuna, 500 milhões de euros, para a criação de uma fundação na área da saúde. Seis após a sua morte, nasce à beira Tejo um dos “melhores espaços de investigação de doenças cancerígenas no mundo”. Seis após a sua morte, nasce à beira Tejo um dos “melhores espaços de investigação de doenças cancerígenas no mundo”. Este centro vai dedicar-se a duas áreas específicas: oncologia e neurociências. O Hospital do Cancro, preparado para receber 300 doentes por dia, vai ocupar dois dos pisos (piso térreo e cave) do Centro Champalimaud para o Desconhecido. Já os dois pisos superiores são destinados à investigação.

António de Sommer Champalimaud 1918-2004

Empresário da área do cimento, que viu as suas empresas nacionalizadas no pós-25 de Abril, obrigado a reconstruir o seu “império” de novo no Brasil, antes de recuperar as suas empresas portuguesas de novo. É sua a frase: «A Igreja não canoniza nenhum empresário como santo.»
 O “New York Times” escreveu recentemente que a Fundação Champalimaud e o Centro Champalimaud para o Desconhecido colocarão não só Lisboa na rota da investigação científica, mas também o País e o próprio continente europeu. “Lisboa não é, neste momento, o centro da ciência no mundo, mas poderá muito bem sê-lo se tudo for bem gerido”, estas palavras são de Axel Ullrich, investigador do Instituto Max Planck de Bioquímica em doenças cancerígenas.

A esperança no papel do Centro de Champalimaud para o Desconhecido (Champalimaud Center for the Unknown, segundo o NYT) é grande. Espera-se que o Centro tenha “500 investigadores a trabalhar lado a lado com 100 médicos, lidando com cerca de 300 pacientes por dia”. Esta aproximação da investigação às práticas terapêuticas será, segundo o próprio Centro, algo “único” e “aplaudido por outros cientistas”.

Texto daqui.

.

25 comentários:

Filomena Nunes disse...

Bom dia António Rosa,

Partilhei no fb as boas notícias...

Já havia lido que este super centro estava para ser inaugurado. E, logo de seguida, li uma série de comentários altamente negativos acerca das motivações que "supostamente" estariam por detrás deste empreendimento. Sublinhava-se o passado político "mal resolvido" da Leonor Beleza, falava-se de rumores acerca da lisura de Champalimaud como homem e como empresário levantando-se dúvidas e boatos acerca da "verdadeira" origem da sua fortuna..

Mas o que eu queria aqui sublinhar, o que hoje é realmente importante, é o lado bom, humano e visionário deste homem que deixa à comunidade um tamanho legado pelo qual devemos estar gratos!!

Telhados de vidro, todos temos/tivemos, que isso não nos impeça de acabar em grande!!

Um beijinho

Filomena

António Rosa disse...

Filomena

Muito obrigado pela partilha.

O nosso povo é assim mesmo. As pessoas comentam tudo. A Leonor Beleza constava do testamento de Champalimaud, quando ele decidiu atribuir um terço da sua imensa fortuna para criar a Fundação com o nome dele.

Hoje percebe-se porque ele vendeu todos os activos (bancos, seguradoras, cimentos, etc.) que possuía ainda em vida, transformando tudo em dinheiro.

Foi a maneira que ele encontrou para criar a Fundação. O resto deixou sobretudo aos filhos e a outras pessoas, mas tudo em metal sonante, excepto as suas residências pessoais.

O que me interessa muito, como cidadão deste país, é desejar que a Fundação e o Serviço Nacional de Saúde cheguem a acordo para benefício de quem necessitar.

A Presidente da Fundação está a fazer um trabalho notável, conseguindo que o assunto seja conhecido em todo o mundo da investigação.

Um beijinho

António

Filomena Nunes disse...

António Rosa,

...sem mais comentários!!

mas mais um beijinho.

Filomena

António Rosa disse...

Filomena

:)

A.

Paulo Braccini disse...

Que coisa fantástica eim? Isto nos mostra q, no fundo do túnel novas possibilidades ainda existem ...

bjux

;-)

António Rosa disse...

Paulo,

Graças a Deus!

bjux

António

Astrid Annabelle disse...

Que maravilha António!
Que Deus abençoe esta idéia, agora bem concreta.
Já imagino como será importante.
Parabéns à todos os envolvidos!
Beijos
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Querida Astrid,

Também dou os parabéns a todos envolvidos.

Quem não quer nada comigo é o Blogger que não distribui este post pelos blogues amigos. Até à pouco o que estava anunciado nos vossos links era o post da Lacrimosa!!! Nem sequer aparece os vizinhos. E isto que Vénus só fica retrógrada dia 8 ou 9.

Beijos.

António

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Se é para o bem... que seja bem aproveitado!

António Rosa disse...

Especial,

só pode ser para o bem :))

Astrid Annabelle disse...

Eu percebi António...é que eu recebo as atualizações pelo Buzz.
Beijos querido.
Astrid Annabelle

Cantinho da Cê disse...

Boa tarde Antônio,

Que coisa fantástica, Deus abençoe esse projeto e que se descubra vários caminhos para a cura de algumas doenças...

Beijos,

António Rosa disse...

Astrid,

Tive que desactivar o meu Buzz...

Só agora é que os feeds funcionaram.

Obrigado. Beijo.

Até amanhã

António

António Rosa disse...



É um projecto lindo e que vai ser importante para os processos de cura.

Beijos.

António

Ira Buscacio disse...

Antônio,

A iniciativa é brilhante e ser for gerida com honestidade, não só Portugal ganha, mas toda a humanidade.

Bjs

António Rosa disse...

Ira

É isso mesmo. É um padrão para toda a humanidade.

Estava quase a desligar o computador, quando você apareceu. Até amanhã.

Beijos

António

Cris França disse...

uau! que estilo! maravilhoso! parece que tudo converge, e se integra na paisagem ... e a vista deve ser algo transcendente.

beijos meu querido

IdoMind disse...

Parece-me que o Champalimaud percebeu que há coisas na vida que, de facto, o dinheiro não compra...e deixou este legado.

Esperemos que a Leonor Beleza, com quem não simpatizo particularmente (para não dizer mesmo nada) perceba e desta vez assuma a responsabilidade de fazer o Bem.

Espero do fundo do meu coração que esta Fundação seja uma coisa bonita.

beijocas António

Marcos disse...

Nossa, que projeto mais incrível esse. Moderno, com propósitos nobres, e certamente trará a lisboa muitos cientistas com o intuito de investigar tantas coisas que desconhecemos.

Eu perdi meu pai com mieloma multiplo, sem tratamento direcionado para cura, somente para prolongar um pouco a vida.... mas sem qualidade nenhuma.

Obrigado pela visita ao meu blog, vou ver o que andas a dizer por aqui tb.

abçs

Nilce disse...

Fantástico, Antônio.
Como é bom ver um dinheiro bem usado. Que seja também bem aproveitado.

Bjs no coração!

Nilce

António Rosa disse...

Cris, agora morena linda,

É um projecto realmente muito especial.

Beijos

António

António Rosa disse...

Ido Mind

Não sinto nenhuma aversão pela senhora. Do que sei, é tesa que nem um carapau e a Fundação vai progredir, até porque não começou ontem e já tem 6 anos de vida.

Beijokas,

António

António Rosa disse...

Marcos

Eu também tenho casos de cancro na família.

Muito agradecido por ter vindo.

Abraço

António

António Rosa disse...

Assim, dá gosto, não é, Nilce?

Beijo

António

Táxi Pluvioso disse...

Mesmo que nada investiguem, o edifício já vale a pena.

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates