In Memoriam da Lucky e a aparição do Lobo

3 de março de 2011 ·


Este post é dedicado por ordem alfabética às minhas amigas:
A., E., N., V. [elas sabem quem são]. E, obviamente, à Lucky e ao Lobo.

O desencarne da cadelinha Lucky e da aparição do lobo
nos minutos finais do seu passamento

Nas últimas semanas soubemos que a companheira canina da minha amiga N., a pequena e carinhosa Lucky estava com uma doença terminal cancerígena. A Lucky e a N. encontraram-se há uns 7 anos numa estrada numa localidade relativamente perto de Lisboa. A N. viu a Lucky na tal estrada, parou o carro e aproximou-se da cadelinha, que meigamente se deixou acariciar e ao abrirem-lhe a porta do carro, aceitou o convite para entrar, como se sempre tivessem andado juntas. E assim começou uma história de amor incondicional, que terminou em termos de corpos físicos, na noite de 2 de Março.

Nessa mesma tarde (ontem, 2 Março) a E. e eu fomos despedir-nos da pequena Lucky, que já não se alimentava e que estava a ser sustentada com soro. Mas resistia bravamente, e soubemos mais tarde porquê. Mas seria uma questão de horas. No entanto, a Lucky necessitava de se despedir de uma outra amiga, a A.

Sempre que a N. foi ter comigo à editora, a Lucky também ia e era uma grande alegria. Eu sabia que necessitava despedir-me dela. Tudo isto na mesma semana em que está marcada uma palestra minha, na Ericeira, cujo tema é «Morte - a Grande Viagem - Uma Tarde com Astrologia».

Quando chegámos a N. preparava-se para lhe aplicar mais uma dose de soro (tinha que ser dado de hora a hora) e a Lucky, fisicamente, ficou quietinha a receber os carinhos, mas quando iniciámos uma limpeza energética, ela saltava e brincava de alegria, lá em cima. Fez uma grande festa de despedida à amiga E. e a mim encostou-se muito, carinhosamente e agradeceu-me. Foi um momento muito especial. A Lucky disse-nos que ela e a N. tiveram imensas vidas em comum e que nesta reencarnação tinha escolhido doar-se por amor à sua companheira humana, explicando-nos a razão, que não irei reproduzir aqui.

A E. e eu saímos e algumas horas depois, foi a vez da amiga A. ir despedir-se da Lucky, que em poucos minutos desencarnou. Só que a A., que possui uma percepção extra-sensorial super desenvolvida, teve oportunidade de ver uma cena muito mais completa do que apenas o desencarne: naquele ambiente energético apareceu-lhe um lobo, muito sereno e a cuidar muito da Lucky, tendo transmitido um recado muito simples: «A Lucky quer voltar à terra». E explicou-se que zona é que era. Sem surpresa alguma, quando a N., a E. e A., levavam o corpo físico da Lucky para ser enterrado, o mesmo lobo apareceu na estrada, a indicar exactamente onde era o local.

No xamanismo estudam-se as naturezas dos nossos animais de poder. Todos temos um animal de poder. O meu é o urso. Vou reproduzir a seguir, as palavras de Arlete Funaro, do blogue «Universo Xamânico» (aqui), sobre o lobo e o seu significado energético e simbólico, enquanto um dos arquétipos da Antiguidade.


«A figura de um lobo nos contos de fadas é símbolo de inimigo, de ameaça animal. E do mal, devorador e um criatura feroz que assusta e espreita. Um tremendo de um disparate.

No Xamanismo o lobo representa Amor, relacionamentos saudáveis, fidelidade, generosidade, ensinamento e habilidades sociais. O lobo é um animal com inteligência social e sentidos extremamente apurados. Sua habilidade de sobrevivência depende totalmente da cooperação de sua matilha. Seu comportamento segue uma hierarquia que segue uma ordem de comando. Cada lobo sabe o seu lugar e suas responsabilidades. Eles possuem um método complexo de comunicação que envolve linguagem corporal e habilidades vocais. Se você possui alguma dificuldade em se expressar, tome algum tempo estudando os lobos. Eles lhe ensinarão a melhorar suas habilidades de comunicação verbal com uma linguagem corporal apropriada. Eles lhe ajudarão a alcançar seus objetivos por meio de campanhas cooperativas. Sua mensagem é o poder para ensinar e compartilhar informações.

Quando um lobo é visto no campo ele simboliza liberdade. Apesar da propaganda negativa, eles são muito amigos e possuem os sentidos extremamente evoluídos. Portanto, além de inteligentes possuem um excelente sentido de olfato, audição. Eles normalmente uivam para encontrar os outros membros de seu grupo ou para avisar outros de seu território.

Se um lobo entrou em sua vida, então é hora para compartilhar seus conhecimentos ensinando, escrevendo e dando palestras. O lobo sempre encontra uma maneira para aprender de algo corriqueiro e assim, nós podemos também descobrir novas verdades e compartilhá-las, ao explorarmos os caminhos escondidos de nossa consciência. Pode também estar sendo cobrado que você reexamine sua relação de dependência e independência. Por ter uma organização social muita desenvolvida, ele lhe ensina a equilibrar as necessidades de sua família e as suas próprias. Eles são muito leais e jamais abandonarão o grupo.

Na mitologia germânica era considerado como sendo um dos animais de Wotan; na mitologia grega pertencia à Apolo o deus do sol, o princípio da consciência. Era ainda considerado como sendo um animal de todos os deuses da guerra.»

Uma infromação/instrução pública em que sou apenas o mensageiro: Maria Paula, chegou a hora de no teu Centro Veterinário Holístico Bandarravet, seres iniciada nos conhecimentos xamânicos, pois os guias dos animais, são sempre os seus respectivos animais de poder. A Astrid pode colaborar contigo, passando-te conhecimentos.

Texto deixado nos comentários pela companheira humana da Lucky

“Tudo o que sai do coração, vai directo tocar os corações”.

É este o espírito com que escrevo estas linhas de agradecimento a todos os que ajudaram a LUCKY – encarnados e desencarnados, entidades de luz e respectivos guias – a fazer a sua VIAGEM DE LUZ calma e serena (na noite de 02 de Março).

Enquanto escrevo dei-me conta que tinha passado exactamente um mês, pois foi a 2 de Fevereiro, que tinha sido marcada a sua cirurgia e ao fazer os últimos exames nessa manhã cheia de sol, revelou-se a impossibilidade da sua realização.

Na revelação de tal diagnóstico ficava a certeza que tínhamos de continuar a ajudarmo-nos mutuamente, e se a cura não fosse possível neste plano terreno, a determinação inabalável em ajudar na passagem para o “outro lado do véu”, em serenidade e aceitação plena, proporcionando-lhe um ambiente calmo, de sons suaves, luz serena, aromas adequados, tudo num ambiente energeticamente elevado e facilitado, acolhedor, apropriado para a sua FANTASTICA VIAGEM DE LUZ.

O Amor Incondicional inunda a minha vida em todas as vertentes e minutos do meu dia, os animais são por excelência o exemplo dessa mesma prática (amor incondicional) que me orgulho em trilhar em conjunto com a Lucky. Juntas, partilhamos fisicamente sessões de Yoga, Meditação, Terapia de Cristais, Reiki, onde a Lucky, iniciada em Reiki por uma grande amiga comum, partilhava e brindava com a sua presença a minha actividade profissional. Ajudando todos os que nos rodeavam, utentes, família, amigos. Vizinhos e até pessoas adultas, crianças e animais que se cruzavam na rua connosco. Ficavam junto dela, que sempre generosamente os brindava com a sua excelente vibração e doçura.

É com enorme emoção e alegria que relembro e sinto a sua presença, numa golfada de ar fresco que aquece o meu coração. Bem-haja tão nobre SER. Desde o primeiro dia em que encontrei a Lucky, a sua doçura brindou a minha vida e a de todos os que tiveram o privilégio de conviver com ela fisicamente, e ficará para sempre até ao próximo reencontro.

Na vida nada se perde, tudo se transforma. Aceito e agradeço ter feito parte deste processo de transformação, uma saudosa e alegria difíceis de descrever e classificar.

A prática do Amor Incondicional diariamente não me deixa sentir a perda, nem faz sentido as despedidas, pois sei que posso sempre rever quando em meditação ou em qualquer exercício de elevação energética, sem qualquer interferência nos nossos caminhos evolutivos.

Estar desta forma faz-me sentir privilegiada e abençoada pela força vibracional do Amor e Gratidão que me permite determinação para fazer o que mais gosto na vida e no cumprimento da minha missão terrena neste universo.

Sinto estar mais do que na hora de tocar os corações, de sensibilizarmos para este processo de transformação, alterar os termos de tratamento, da prática dos nossos entes queridos, sejam eles animais de estimação ou humanos. Para lhes proporcionarmos tão maravilhosa e fantástica Viagem de Luz.

Temos de PARAR de “mutilar” os SERES VIVOS na fase ou processo de desencarne, para que na sua passagem para o outro lado do véu seja sentida a leveza, aderir à paz numa experiência de verdadeira libertação e expansão num reino de calma, tranquilidade e paz.
Perceber e praticar o que é o Amor Incondicional, e finalmente deixarmos de sentir as perdas e pesares de tão FANTÁSTICO ACTO, e vivermos plenamente com simplicidade todo o processo em conjunto com os entes queridos nesta passagem.

Porque:

“A Vida é uma passagem para a outra margem”.

No post, o amigo António, fala sobre o guia da Lucky, que estava sereno e cuidadoso: o Lobo.

Deixo-vos aqui uma singela descrição da fantástica vibração daquele momento glorioso. A expressão do focinhito da Lucky, de olhar deslumbrado, boquinha aberta, pelo forte tubo de luz vertical e acolhedora vibração, que a veio buscar, e assim ficou.
Só vivendo é possível sentir a presença e a beleza do momento.

A companheira humana da Lucky

N.

.

41 comentários:

Maria Paula Ribeiro disse...
3 de março de 2011 às 22:25  

Boa noite António

Grata pela partilha. Muito mesmo.

Muito emocionante e que a Lucky siga seu caminho.

Beijo

Ma disse...
3 de março de 2011 às 22:30  

Me emocionei aqui, não podemos impedir a partida, mas podemos aceitá-la, e saber que a Lucky se foi de uma maneira tão leve deve ser reconfortante

Abraços

Paula disse...
3 de março de 2011 às 22:34  

Ou seja, esta é na verdade a Cova do Lobo...!
Antonio, adorei. Tb sou uma Lôba. Certa vez, num evento xamânico, eles vieram a noite a minha janela e uivaram a noite toda, eram vários... Pasmem, não havia lobo algum por ali, só eu ouvia... socorro!
ahahhh
bom carnaval por aí! bjs

Maria Paula Ribeiro disse...
3 de março de 2011 às 22:46  

António,

Fiquei sem palavras e um nó na barriga ;(((

Vou dormir e pensar no assunto.

Bem-hajas! MUITO
Maria Paula

lu maga disse...
3 de março de 2011 às 23:40  

Li o texto de hoje e fiquei arrepiada.Hoje, dia 3 a minha gatinha , companheira de quase 17 anos em comum, morreu no seu local preferido da casa, depois de uma insuficiência renal irreversível. Dormiu comigo no quarto por já estar muito mal e pela manhã coloquei-a a receber os primeiros raios de sol, do modo que ela gostava. Duas horas depois, morreu serenamente, deixando o pulsar do seu ron-ron a aquecer para sempre o coração daqueles que a amavam. Foi o animal que acompanhou a infância dos meus filhos e que permaneceu no colo do meu marido depois deste ter um enfarte agudo do miorcádio...meses seguidos de recuperação e só abandonou esse colo quando o sentiu melhor. Um pormenor interessante é o de que nem a gata nunca gostou de colos, nem o meu marido de gatos, até essa altura!Neste momento tenho em casa mais 4 gatos, mas a Tita será sempre a rainha silenciosa, independente e sensível, que nunca será esquecida pela soberania e beleza com que levou a sua vida felina. Um abraço.Ler o seu texto hoje, não foi certamente uma coincidência...

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 10:22  

Maria Paula,

Imagino que este assunto te interesse e quanto ao xamanismo, o meu conselho é que te informes e aprofundes, a Astrid poderá ser uma óptima professora quando cá estiver e, em algum momento será iniciada. Foi o Lobo quem me mandou esta mensagem através do meu urso.

Beijinhos

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 10:27  

ma,

Muito obrigado pelas suas palavras. Você não conhece os meus hábitos associados ao computador. Muito raramente tenho ele ligado à hora que publiquei o post no blogue. Nem imagina, eu já estava a descansar a preparar-me para me deitar, quando comecei a sentir que tinha que escrever um post in memoriam da Lucky. Voltei a ligar o computador e tudo aquilo foi feito em pouco tempo. Mas fiquei muito feliz por o ter publicado.

Abraço.

António

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 10:29  

Paula,

Esta, na verdade só poder a ova do Urso, já que é o meu animal de poder.

O Lobo desta história, é outro velho amigo, mas definitivamente, é o urso quem vejo como meu guia ancestral.~~

Beijos

António

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 10:30  

Maria Paula,

espero que o nó na barriga te tenha passado.

beijos

António

Iara Rodrigues da Cunha disse...
4 de março de 2011 às 10:34  

Olá António,
Li o texto ... lindo e comovente. Falar sobre a passagem dos animais é bem difícil, mas quando a partida é serena e com uma história como essa, só podemos agradecer a Deus por não ter permitido o sofrimento e guardar as boas memórias no coração.
bj

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 10:37  

Lu Maga

Muito, mas muito agradecido por ter deixado o seu testemunho.

Como sabe, o que a Tita fez com o seu marido foi uma espécie reciclagem das energias negativas próprias dos medicamentos industriais, não complementares.

Muita luz para a viagem da Tita e para si, para a sua família e para as 4 gatinhas.

Eu tenho a viverem comigo um pastor alemão (Tibério) e 2 gatos comuns (o Preto e Gabriel) e já somos todos velhotes... o que quer dizer alguma coisa.

Bem haja.

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 10:39  

Querida Iara

Lembrei-me de uma frase muito conhecida, de repente:

«Sobre o futuro, dizer SIM; sobre o presente e o passado, AGRADECERMOS.

Grande beijo

António

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 10:40  

Estou em 'modo de espera' super tranquilo, da minha amiga Astrid Annabelle»

Maria Paula Ribeiro disse...
4 de março de 2011 às 11:47  

Bom dia Mestre!

;)) Já passou já, e como sempre vou seguir os teus conselhos... Terei o apoio incondicional da Astrid!

Beijo grande!

PS:como tive muito trabalho esta semana, penso que o teu post ficará pronto este fim-de-semana (com as condições, claro)

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 12:05  

Maria Paula

Grato pela informação. Beijo.

António

Valentim disse...
4 de março de 2011 às 12:32  

Amigo António
Estou-te grata por muitos motivos, e um deles é por fazeres parte desta minha jornada.
Hoje ao publicares este post, sei que tens a perfeita consciência da emoção que causas às pessoas nele mencionadas. Acompanhaste de perto a relação da Lucky com a sua querida dona e restante familia.
A relação que mantemos com os nossos aminais de estimação nunca é obra do acaso. A parida da Lucky é mais uma prova do que ainda tenho de aprender. E sei que estás na base desta minha aprendizaem. OBRIGADO POR TUDO.

Marion Lemos disse...
4 de março de 2011 às 12:38  

Linda postagem!
Descobrir novas verdades e compartilhá-las, ao explorarmos os caminhos escondidos de nossa consciência.
Parabéns Antònio, seus posts são excelentes, estou sempre aprendendo
através deles.
Grata por compartilhar esses ensinamentos.
Lindo dia para você!

Um abraço.

Marion

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 12:42  

Querida Valentim,

Bem sabes o quanto falámos neste assunto da Lucky. Esteve sempre presente em mim e julgo crer que na hora aproximada do desencarne dela, o meu Tibério, saiu do sono dele, enroscado no sofá e veio por-se à minha frente, sentado, a olhar fixamente para mim, de uma maneira que não lhe é habitual. Percebi que era um sinal e pensei que alguma entidade tivesse entrado em casa e que ele tivesse dado conta, mas a verdade é que não estava a olhar para os cantos quando isso acontece, mas sim, a olhar directamente nos meus olhos.

A seguir fizemos a nossa limpeza, onde imediatamente os gatos vieram colocar-se cada um ao meu lado e a seguir fomos dormir.

Muito obrigado

Beijos

António

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 12:44  

Marion

Muito obrigado pelas suas palavras. É assim que vamos descobrindo esse caminho que fala.

Abraço

António

MARCELO DALLA disse...
4 de março de 2011 às 14:23  

Linda e emocionante história, meu querido. Repleta de amor e sincronicidades mágicas.
Muita LUZ pra todos os envolvidos!!!
abraço

Ricardo Nuno disse...
4 de março de 2011 às 14:59  

Muito bonito e profundo este post, António, gostei muito de ler. Até fiquei com curiosidade em saber, à luz do Xamanismo, qual será o meu animal de poder... podes dar-me uma dica?

Dizem que os animais estão na nossa vida para nos curar de algo, ando por aqui a pensar o que o meu casal de gatos siameses está a curar... sendo que a gata é mais recente cá pelo quintal :)...

Abraço e bom fds!

Maria de Fátima disse...
4 de março de 2011 às 15:07  

Olá querido António, fiquei arrepiada e emocionada com esta linda história.É sempre com tristeza que me tenho despedido dos animais que fui tendo ao longo dos anos.Já tive vários cães e gatos, peixes e pássaros.Neste momento tenho uma cadela e uma gata, ambas já velhas para a raça animal(14 e 12 anos respectivamente).Quando vieram para a minha casa eram bebés de colo.Fiquei admirada por a cadela na época aceitar tão bem a vinda da gata.Nem quero pensar como irá ser quando elas desencarnarem.Beijocas grandes e boa palestra no domingo.

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 15:11  

Marcelo

Muito obrigado pela presença, viu?
Era mesmo muito importante que a sua energia estivesse cá hoje.

Grande abraço e que tudo corra bem nas pinturas e decorações da nova casa.

Abraço

António

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 15:11  

Meu caro Ricardo,

A única coisa que te posso dizer é que os meus conhecimentos sobre xamanismo não são suficientes para te indicar qual possa ser o teu animar de poder.

Posso indicar-te este posts:

http://marcelodalla.blogspot.com/search/label/xamanismo

Procura as mandalas xâmanicas do Marcelo Dalla.

A partir daí deves fazer buscas na internet sobre o assunto. E entrares em descoberta pessoal.

Os gatos são grandes recicladores de energias negativas. Se algum se quer deitar no teu colo, podes ter a certeza que só sairá de lá (por vontade própria) quando tiver limpo e reciclado todas as energias negativas que possa haver no ambiente.

Espero que esses gatos possam entrar dentro de casa para fazerem bem o trabalho deles, além de vos dar amor incondicional.

Abraço

António

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 15:27  

Olá Maria de Fátima,

Que bom que tenhas em casa esses amigos de 4 patas. Não penses no fim delas, pois acontecerá quando tiver que ser. Procura apenas estar presente se isso acontecer para te despedires delas em condições.

Muito agradecido pelos votos para domingo.

Beijos

António

Mercurio em Escorpiao disse...
4 de março de 2011 às 18:01  

Que lindo Post, muito emocionante. Ando com vontade de dar um gatinho a minha filha e sei que ela vai adorar, até porque ela tem medo de animais, gosta imenso mas tem medo. Tenho um entrave, o meu marido não gosta de gatos e cada vez que lhe falo no assunto recusa logo.
Qualquer dia prego-lhe a partida de levar o gatinho sem a autorização dele:)

Obrigado pela partilha, desejo-lhe um excelente fim-de-semana.

Filomena Nunes disse...
4 de março de 2011 às 18:19  

António Rosa,

Um grande abraço de solidariedade e de compaixão... <3

Filomena

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 18:27  

Mercúrio

Muito obrigado por essa partilha. No dia em que a gata entrar o seu marido vai morrer de amores. Não se esqueça de mandar castrá-la para haver sossego em casa e no bairro.

António Rosa disse...
4 de março de 2011 às 18:28  

Filomena,

Muito obrigado pela solidariedade.~~

Paula disse...
5 de março de 2011 às 18:11  

Hum... entendi. Ok.
bjo.

Astrid Annabelle disse...
5 de março de 2011 às 20:57  

Demorei, mas cheguei António querido!
Estou fora de casa.
Li a história emocionante e recebi o recado (que já sabia).
Imagino como tudo isso mexeu com você!
Desculpe o comentário breve, mas
não posso me demorar pois o computador não é meu...semana que vem, voltará tudo ao normal...SE DEUS QUISER...e ELE HÁ DE QUERER.
Beijo grande no seu coração e no coração da Maria Paula!
Astrid Annabelle

Tati disse...
6 de março de 2011 às 02:39  

Meu querido amigo Antônio, li o texto completamente arrepiada.
Sinto (e tenho sentido) que chegou a hora de falar sobre o que preciso falar, mas sempre adio por medo de enfrentar.
Acho que este lobo que acompanhou a Lucky veio para muitos de nós através de suas palavras. Ele acabou de chegar em minha casa, em minha mente. Muito emocionada te escrevo. Lindas palavras.
Beijos.

William Garibaldi disse...
6 de março de 2011 às 06:30  

Que raridade de postagem meu caro amigo lusitano!

Que beleza a cadelinha Lucky!
Esta história muito me comove, pois eu compartilho de algo parecido.. em uma noite de tempestade, eu a encontrei filhote, deixada em um terreno baldio... misteriosamente ninguem a conhecia na pequena cidade... ela veio no vento da tempestade!... E hoje é uma Guardiã minha...

Seu amigo...

Sir William
da tribo do Lobo.
^.^

António Rosa disse...
6 de março de 2011 às 10:40  

Bom dia, querid Astrid,

Hoje, domingo, dia do meu evento na Ericeira, tinha dicidido não abrir o computador, mas alguma coisa me levou a que o fizesse. Era como se estivesse à espera de notícias suas, que felizmente chegaram. Já teremos tempo de falarmos em condições. Ainda bem que já sabia que havia informações para a nossa querida Maria Paula, assim não fico com a ideia que eram 'coisas' minhas.

Deus há-de querer.

Beijos

António

António Rosa disse...
6 de março de 2011 às 10:40  

Olá, querida Tati,

Ainda bem que retirou deste acontecimento algo para si. Aproveite a energia e faça o que sabe que tem que fazer. O Lobo é uma figura tremendamente importante nas energias mais arquetípicas.

Não hesite em contactar-me se precisar de ajuda mais concreta.

Um grande abraço e um beijo e que bom que veio.

António

António Rosa disse...
6 de março de 2011 às 10:43  

Bom dia, William,

Fiquei surpreendido com o ter vindo, pois não faço ideia porquê, mas imaginei-o muito ocupado com o carnaval. Espero que esteja tudo bem com você.

É bom sentirmos que temos guardiães desta natureza.

Continue com a sua tribo do Lobo, que só lhe faz bem.

Abraço

António

Maria Izabel Viegas disse...
6 de março de 2011 às 13:26  

Amigo querido,
emocionante experiência.
Se leres o post que fiz ontem em Simples Assim verás um vídeo que fala de uma vivência incrível de Chico Xavier!
Já passei , na doença de uma cadela minha, por algo transcendental. Estava ela a sofrer muito e invoquei as "entidades" responsáveis por estas passagens. Foi tão incrível, que após tê-lo feito, meu filho que tem profundos conhecimentos de Psicologia Transpessoal e Respiração holotrópica( vide Stanislau Grof) me ligou sugerindo um tipo de tratamento, que mais me emocionou, pois eu tinha acabado de fazê-lo.
Várias vezes vi, junto a esta cadela, uma entidade espiritual.
Há toda uma efrégora de luz em torno de nossos animais. Há beleza neste universo. Há que se ter olhos para ver. E vcs o tiveram! Lindo!
Se possível, amigo, veja o vídeo.
Beijinhos no teu coração!

António Rosa disse...
7 de março de 2011 às 08:28  

Querida Maria Izabel,

Vou já, já, ver o vídeo. Se você recomenda é porque é muito bom.

Grande sintonia com o seu filho. Isso é maravilhoso.

Muito agradecido por ter vindo.

Beijos.

António

Táxi Pluvioso disse...
7 de março de 2011 às 10:35  

Como céptico não diria "temos um animal de poder", diria somos todos animais.

Bom Carnaval, que a folia seja grande, são os meus votos.

António Rosa disse...
7 de março de 2011 às 11:06  

Taxi,

Também é verdade. Grato.

N. disse...
14 de março de 2011 às 10:43  

“Tudo o que sai do coração, vai directo tocar os corações”.

É este o espírito com que escrevo estas linhas de agradecimento a todos os que ajudaram a LUCKY – encarnados e desencarnados, entidades de luz e respectivos guias – a fazer a sua VIAGEM DE LUZ calma e serena (na noite de 02 de Março).

Enquanto escrevo dei-me conta que tinha passado exactamente um mês, pois foi a 2 de Fevereiro, que tinha sido marcada a sua cirurgia e ao fazer os últimos exames nessa manhã cheia de sol, revelou-se a impossibilidade da sua realização.

Na revelação de tal diagnóstico ficava a certeza que tínhamos de continuar a ajudarmo-nos mutuamente, e se a cura não fosse possível neste plano terreno, a determinação inabalável em ajudar na passagem para o “outro lado do véu”, em serenidade e aceitação plena, proporcionando-lhe um ambiente calmo, de sons suaves, luz serena, aromas adequados, tudo num ambiente energeticamente elevado e facilitado, acolhedor, apropriado para a sua FANTASTICA VIAGEM DE LUZ.

O Amor Incondicional inunda a minha vida em todas as vertentes e minutos do meu dia, os animais são por excelência o exemplo dessa mesma prática (amor incondicional) que me orgulho em trilhar em conjunto com a Lucky. Juntas, partilhamos fisicamente sessões de Yoga, Meditação, Terapia de Cristais, Reiki, onde a Lucky, iniciada em Reiki por uma grande amiga comum, partilhava e brindava com a sua presença a minha actividade profissional. Ajudando todos os que nos rodeavam, utentes, família, amigos. Vizinhos e até pessoas adultas, crianças e animais que se cruzavam na rua connosco. Ficavam junto dela, que sempre generosamente os brindava com a sua excelente vibração e doçura.

É com enorme emoção e alegria que relembro e sinto a sua presença, numa golfada de ar fresco que aquece o meu coração. Bem-haja tão nobre SER. Desde o primeiro dia em que encontrei a Lucky, a sua doçura brindou a minha vida e a de todos os que tiveram o privilégio de conviver com ela fisicamente, e ficará para sempre até ao próximo reencontro.

Na vida nada se perde, tudo se transforma. Aceito e agradeço ter feito parte deste processo de transformação, uma saudosa e alegria difíceis de descrever e classificar.

A prática do Amor Incondicional diariamente não me deixa sentir a perda, nem faz sentido as despedidas, pois sei que posso sempre rever quando em meditação ou em qualquer exercício de elevação energética, sem qualquer interferência nos nossos caminhos evolutivos.

Estar desta forma faz-me sentir privilegiada e abençoada pela força vibracional do Amor e Gratidão que me permite determinação para fazer o que mais gosto na vida e no cumprimento da minha missão terrena neste universo.

Sinto estar mais do que na hora de tocar os corações, de sensibilizarmos para este processo de transformação, alterar os termos de tratamento, da prática dos nossos entes queridos, sejam eles animais de estimação ou humanos. Para lhes proporcionarmos tão maravilhosa e fantástica Viagem de Luz.

Temos de PARAR de “mutilar” os SERES VIVOS na fase ou processo de desencarne, para que na sua passagem para o outro lado do véu seja sentida a leveza, aderir à paz numa experiência de verdadeira libertação e expansão num reino de calma, tranquilidade e paz.
Perceber e praticar o que é o Amor Incondicional, e finalmente deixarmos de sentir as perdas e pesares de tão FANTÁSTICO ACTO, e vivermos plenamente com simplicidade todo o processo em conjunto com os entes queridos nesta passagem.

Porque:

“A Vida é uma passagem para a outra margem”.

No post, o amigo António, fala sobre o guia da Lucky, que estava sereno e cuidadoso: o Lobo.

Deixo-vos aqui uma singela descrição da fantástica vibração daquele momento glorioso. A expressão do focinhito da Lucky, de olhar deslumbrado, boquinha aberta, pelo forte tubo de luz vertical e acolhedora vibração, que a veio buscar, e assim ficou.
Só vivendo é possível sentir a presença e a beleza do momento.

A companheira humana da Lucky

N.

3 de março de 2011

In Memoriam da Lucky e a aparição do Lobo


Este post é dedicado por ordem alfabética às minhas amigas:
A., E., N., V. [elas sabem quem são]. E, obviamente, à Lucky e ao Lobo.

O desencarne da cadelinha Lucky e da aparição do lobo
nos minutos finais do seu passamento

Nas últimas semanas soubemos que a companheira canina da minha amiga N., a pequena e carinhosa Lucky estava com uma doença terminal cancerígena. A Lucky e a N. encontraram-se há uns 7 anos numa estrada numa localidade relativamente perto de Lisboa. A N. viu a Lucky na tal estrada, parou o carro e aproximou-se da cadelinha, que meigamente se deixou acariciar e ao abrirem-lhe a porta do carro, aceitou o convite para entrar, como se sempre tivessem andado juntas. E assim começou uma história de amor incondicional, que terminou em termos de corpos físicos, na noite de 2 de Março.

Nessa mesma tarde (ontem, 2 Março) a E. e eu fomos despedir-nos da pequena Lucky, que já não se alimentava e que estava a ser sustentada com soro. Mas resistia bravamente, e soubemos mais tarde porquê. Mas seria uma questão de horas. No entanto, a Lucky necessitava de se despedir de uma outra amiga, a A.

Sempre que a N. foi ter comigo à editora, a Lucky também ia e era uma grande alegria. Eu sabia que necessitava despedir-me dela. Tudo isto na mesma semana em que está marcada uma palestra minha, na Ericeira, cujo tema é «Morte - a Grande Viagem - Uma Tarde com Astrologia».

Quando chegámos a N. preparava-se para lhe aplicar mais uma dose de soro (tinha que ser dado de hora a hora) e a Lucky, fisicamente, ficou quietinha a receber os carinhos, mas quando iniciámos uma limpeza energética, ela saltava e brincava de alegria, lá em cima. Fez uma grande festa de despedida à amiga E. e a mim encostou-se muito, carinhosamente e agradeceu-me. Foi um momento muito especial. A Lucky disse-nos que ela e a N. tiveram imensas vidas em comum e que nesta reencarnação tinha escolhido doar-se por amor à sua companheira humana, explicando-nos a razão, que não irei reproduzir aqui.

A E. e eu saímos e algumas horas depois, foi a vez da amiga A. ir despedir-se da Lucky, que em poucos minutos desencarnou. Só que a A., que possui uma percepção extra-sensorial super desenvolvida, teve oportunidade de ver uma cena muito mais completa do que apenas o desencarne: naquele ambiente energético apareceu-lhe um lobo, muito sereno e a cuidar muito da Lucky, tendo transmitido um recado muito simples: «A Lucky quer voltar à terra». E explicou-se que zona é que era. Sem surpresa alguma, quando a N., a E. e A., levavam o corpo físico da Lucky para ser enterrado, o mesmo lobo apareceu na estrada, a indicar exactamente onde era o local.

No xamanismo estudam-se as naturezas dos nossos animais de poder. Todos temos um animal de poder. O meu é o urso. Vou reproduzir a seguir, as palavras de Arlete Funaro, do blogue «Universo Xamânico» (aqui), sobre o lobo e o seu significado energético e simbólico, enquanto um dos arquétipos da Antiguidade.


«A figura de um lobo nos contos de fadas é símbolo de inimigo, de ameaça animal. E do mal, devorador e um criatura feroz que assusta e espreita. Um tremendo de um disparate.

No Xamanismo o lobo representa Amor, relacionamentos saudáveis, fidelidade, generosidade, ensinamento e habilidades sociais. O lobo é um animal com inteligência social e sentidos extremamente apurados. Sua habilidade de sobrevivência depende totalmente da cooperação de sua matilha. Seu comportamento segue uma hierarquia que segue uma ordem de comando. Cada lobo sabe o seu lugar e suas responsabilidades. Eles possuem um método complexo de comunicação que envolve linguagem corporal e habilidades vocais. Se você possui alguma dificuldade em se expressar, tome algum tempo estudando os lobos. Eles lhe ensinarão a melhorar suas habilidades de comunicação verbal com uma linguagem corporal apropriada. Eles lhe ajudarão a alcançar seus objetivos por meio de campanhas cooperativas. Sua mensagem é o poder para ensinar e compartilhar informações.

Quando um lobo é visto no campo ele simboliza liberdade. Apesar da propaganda negativa, eles são muito amigos e possuem os sentidos extremamente evoluídos. Portanto, além de inteligentes possuem um excelente sentido de olfato, audição. Eles normalmente uivam para encontrar os outros membros de seu grupo ou para avisar outros de seu território.

Se um lobo entrou em sua vida, então é hora para compartilhar seus conhecimentos ensinando, escrevendo e dando palestras. O lobo sempre encontra uma maneira para aprender de algo corriqueiro e assim, nós podemos também descobrir novas verdades e compartilhá-las, ao explorarmos os caminhos escondidos de nossa consciência. Pode também estar sendo cobrado que você reexamine sua relação de dependência e independência. Por ter uma organização social muita desenvolvida, ele lhe ensina a equilibrar as necessidades de sua família e as suas próprias. Eles são muito leais e jamais abandonarão o grupo.

Na mitologia germânica era considerado como sendo um dos animais de Wotan; na mitologia grega pertencia à Apolo o deus do sol, o princípio da consciência. Era ainda considerado como sendo um animal de todos os deuses da guerra.»

Uma infromação/instrução pública em que sou apenas o mensageiro: Maria Paula, chegou a hora de no teu Centro Veterinário Holístico Bandarravet, seres iniciada nos conhecimentos xamânicos, pois os guias dos animais, são sempre os seus respectivos animais de poder. A Astrid pode colaborar contigo, passando-te conhecimentos.

Texto deixado nos comentários pela companheira humana da Lucky

“Tudo o que sai do coração, vai directo tocar os corações”.

É este o espírito com que escrevo estas linhas de agradecimento a todos os que ajudaram a LUCKY – encarnados e desencarnados, entidades de luz e respectivos guias – a fazer a sua VIAGEM DE LUZ calma e serena (na noite de 02 de Março).

Enquanto escrevo dei-me conta que tinha passado exactamente um mês, pois foi a 2 de Fevereiro, que tinha sido marcada a sua cirurgia e ao fazer os últimos exames nessa manhã cheia de sol, revelou-se a impossibilidade da sua realização.

Na revelação de tal diagnóstico ficava a certeza que tínhamos de continuar a ajudarmo-nos mutuamente, e se a cura não fosse possível neste plano terreno, a determinação inabalável em ajudar na passagem para o “outro lado do véu”, em serenidade e aceitação plena, proporcionando-lhe um ambiente calmo, de sons suaves, luz serena, aromas adequados, tudo num ambiente energeticamente elevado e facilitado, acolhedor, apropriado para a sua FANTASTICA VIAGEM DE LUZ.

O Amor Incondicional inunda a minha vida em todas as vertentes e minutos do meu dia, os animais são por excelência o exemplo dessa mesma prática (amor incondicional) que me orgulho em trilhar em conjunto com a Lucky. Juntas, partilhamos fisicamente sessões de Yoga, Meditação, Terapia de Cristais, Reiki, onde a Lucky, iniciada em Reiki por uma grande amiga comum, partilhava e brindava com a sua presença a minha actividade profissional. Ajudando todos os que nos rodeavam, utentes, família, amigos. Vizinhos e até pessoas adultas, crianças e animais que se cruzavam na rua connosco. Ficavam junto dela, que sempre generosamente os brindava com a sua excelente vibração e doçura.

É com enorme emoção e alegria que relembro e sinto a sua presença, numa golfada de ar fresco que aquece o meu coração. Bem-haja tão nobre SER. Desde o primeiro dia em que encontrei a Lucky, a sua doçura brindou a minha vida e a de todos os que tiveram o privilégio de conviver com ela fisicamente, e ficará para sempre até ao próximo reencontro.

Na vida nada se perde, tudo se transforma. Aceito e agradeço ter feito parte deste processo de transformação, uma saudosa e alegria difíceis de descrever e classificar.

A prática do Amor Incondicional diariamente não me deixa sentir a perda, nem faz sentido as despedidas, pois sei que posso sempre rever quando em meditação ou em qualquer exercício de elevação energética, sem qualquer interferência nos nossos caminhos evolutivos.

Estar desta forma faz-me sentir privilegiada e abençoada pela força vibracional do Amor e Gratidão que me permite determinação para fazer o que mais gosto na vida e no cumprimento da minha missão terrena neste universo.

Sinto estar mais do que na hora de tocar os corações, de sensibilizarmos para este processo de transformação, alterar os termos de tratamento, da prática dos nossos entes queridos, sejam eles animais de estimação ou humanos. Para lhes proporcionarmos tão maravilhosa e fantástica Viagem de Luz.

Temos de PARAR de “mutilar” os SERES VIVOS na fase ou processo de desencarne, para que na sua passagem para o outro lado do véu seja sentida a leveza, aderir à paz numa experiência de verdadeira libertação e expansão num reino de calma, tranquilidade e paz.
Perceber e praticar o que é o Amor Incondicional, e finalmente deixarmos de sentir as perdas e pesares de tão FANTÁSTICO ACTO, e vivermos plenamente com simplicidade todo o processo em conjunto com os entes queridos nesta passagem.

Porque:

“A Vida é uma passagem para a outra margem”.

No post, o amigo António, fala sobre o guia da Lucky, que estava sereno e cuidadoso: o Lobo.

Deixo-vos aqui uma singela descrição da fantástica vibração daquele momento glorioso. A expressão do focinhito da Lucky, de olhar deslumbrado, boquinha aberta, pelo forte tubo de luz vertical e acolhedora vibração, que a veio buscar, e assim ficou.
Só vivendo é possível sentir a presença e a beleza do momento.

A companheira humana da Lucky

N.

.

41 comentários:

Maria Paula Ribeiro disse...

Boa noite António

Grata pela partilha. Muito mesmo.

Muito emocionante e que a Lucky siga seu caminho.

Beijo

Ma disse...

Me emocionei aqui, não podemos impedir a partida, mas podemos aceitá-la, e saber que a Lucky se foi de uma maneira tão leve deve ser reconfortante

Abraços

Paula disse...

Ou seja, esta é na verdade a Cova do Lobo...!
Antonio, adorei. Tb sou uma Lôba. Certa vez, num evento xamânico, eles vieram a noite a minha janela e uivaram a noite toda, eram vários... Pasmem, não havia lobo algum por ali, só eu ouvia... socorro!
ahahhh
bom carnaval por aí! bjs

Maria Paula Ribeiro disse...

António,

Fiquei sem palavras e um nó na barriga ;(((

Vou dormir e pensar no assunto.

Bem-hajas! MUITO
Maria Paula

lu maga disse...

Li o texto de hoje e fiquei arrepiada.Hoje, dia 3 a minha gatinha , companheira de quase 17 anos em comum, morreu no seu local preferido da casa, depois de uma insuficiência renal irreversível. Dormiu comigo no quarto por já estar muito mal e pela manhã coloquei-a a receber os primeiros raios de sol, do modo que ela gostava. Duas horas depois, morreu serenamente, deixando o pulsar do seu ron-ron a aquecer para sempre o coração daqueles que a amavam. Foi o animal que acompanhou a infância dos meus filhos e que permaneceu no colo do meu marido depois deste ter um enfarte agudo do miorcádio...meses seguidos de recuperação e só abandonou esse colo quando o sentiu melhor. Um pormenor interessante é o de que nem a gata nunca gostou de colos, nem o meu marido de gatos, até essa altura!Neste momento tenho em casa mais 4 gatos, mas a Tita será sempre a rainha silenciosa, independente e sensível, que nunca será esquecida pela soberania e beleza com que levou a sua vida felina. Um abraço.Ler o seu texto hoje, não foi certamente uma coincidência...

António Rosa disse...

Maria Paula,

Imagino que este assunto te interesse e quanto ao xamanismo, o meu conselho é que te informes e aprofundes, a Astrid poderá ser uma óptima professora quando cá estiver e, em algum momento será iniciada. Foi o Lobo quem me mandou esta mensagem através do meu urso.

Beijinhos

António Rosa disse...

ma,

Muito obrigado pelas suas palavras. Você não conhece os meus hábitos associados ao computador. Muito raramente tenho ele ligado à hora que publiquei o post no blogue. Nem imagina, eu já estava a descansar a preparar-me para me deitar, quando comecei a sentir que tinha que escrever um post in memoriam da Lucky. Voltei a ligar o computador e tudo aquilo foi feito em pouco tempo. Mas fiquei muito feliz por o ter publicado.

Abraço.

António

António Rosa disse...

Paula,

Esta, na verdade só poder a ova do Urso, já que é o meu animal de poder.

O Lobo desta história, é outro velho amigo, mas definitivamente, é o urso quem vejo como meu guia ancestral.~~

Beijos

António

António Rosa disse...

Maria Paula,

espero que o nó na barriga te tenha passado.

beijos

António

Iara Rodrigues da Cunha disse...

Olá António,
Li o texto ... lindo e comovente. Falar sobre a passagem dos animais é bem difícil, mas quando a partida é serena e com uma história como essa, só podemos agradecer a Deus por não ter permitido o sofrimento e guardar as boas memórias no coração.
bj

António Rosa disse...

Lu Maga

Muito, mas muito agradecido por ter deixado o seu testemunho.

Como sabe, o que a Tita fez com o seu marido foi uma espécie reciclagem das energias negativas próprias dos medicamentos industriais, não complementares.

Muita luz para a viagem da Tita e para si, para a sua família e para as 4 gatinhas.

Eu tenho a viverem comigo um pastor alemão (Tibério) e 2 gatos comuns (o Preto e Gabriel) e já somos todos velhotes... o que quer dizer alguma coisa.

Bem haja.

António Rosa disse...

Querida Iara

Lembrei-me de uma frase muito conhecida, de repente:

«Sobre o futuro, dizer SIM; sobre o presente e o passado, AGRADECERMOS.

Grande beijo

António

António Rosa disse...

Estou em 'modo de espera' super tranquilo, da minha amiga Astrid Annabelle»

Maria Paula Ribeiro disse...

Bom dia Mestre!

;)) Já passou já, e como sempre vou seguir os teus conselhos... Terei o apoio incondicional da Astrid!

Beijo grande!

PS:como tive muito trabalho esta semana, penso que o teu post ficará pronto este fim-de-semana (com as condições, claro)

António Rosa disse...

Maria Paula

Grato pela informação. Beijo.

António

Valentim disse...

Amigo António
Estou-te grata por muitos motivos, e um deles é por fazeres parte desta minha jornada.
Hoje ao publicares este post, sei que tens a perfeita consciência da emoção que causas às pessoas nele mencionadas. Acompanhaste de perto a relação da Lucky com a sua querida dona e restante familia.
A relação que mantemos com os nossos aminais de estimação nunca é obra do acaso. A parida da Lucky é mais uma prova do que ainda tenho de aprender. E sei que estás na base desta minha aprendizaem. OBRIGADO POR TUDO.

Marion Lemos disse...

Linda postagem!
Descobrir novas verdades e compartilhá-las, ao explorarmos os caminhos escondidos de nossa consciência.
Parabéns Antònio, seus posts são excelentes, estou sempre aprendendo
através deles.
Grata por compartilhar esses ensinamentos.
Lindo dia para você!

Um abraço.

Marion

António Rosa disse...

Querida Valentim,

Bem sabes o quanto falámos neste assunto da Lucky. Esteve sempre presente em mim e julgo crer que na hora aproximada do desencarne dela, o meu Tibério, saiu do sono dele, enroscado no sofá e veio por-se à minha frente, sentado, a olhar fixamente para mim, de uma maneira que não lhe é habitual. Percebi que era um sinal e pensei que alguma entidade tivesse entrado em casa e que ele tivesse dado conta, mas a verdade é que não estava a olhar para os cantos quando isso acontece, mas sim, a olhar directamente nos meus olhos.

A seguir fizemos a nossa limpeza, onde imediatamente os gatos vieram colocar-se cada um ao meu lado e a seguir fomos dormir.

Muito obrigado

Beijos

António

António Rosa disse...

Marion

Muito obrigado pelas suas palavras. É assim que vamos descobrindo esse caminho que fala.

Abraço

António

MARCELO DALLA disse...

Linda e emocionante história, meu querido. Repleta de amor e sincronicidades mágicas.
Muita LUZ pra todos os envolvidos!!!
abraço

Ricardo Nuno disse...

Muito bonito e profundo este post, António, gostei muito de ler. Até fiquei com curiosidade em saber, à luz do Xamanismo, qual será o meu animal de poder... podes dar-me uma dica?

Dizem que os animais estão na nossa vida para nos curar de algo, ando por aqui a pensar o que o meu casal de gatos siameses está a curar... sendo que a gata é mais recente cá pelo quintal :)...

Abraço e bom fds!

Maria de Fátima disse...

Olá querido António, fiquei arrepiada e emocionada com esta linda história.É sempre com tristeza que me tenho despedido dos animais que fui tendo ao longo dos anos.Já tive vários cães e gatos, peixes e pássaros.Neste momento tenho uma cadela e uma gata, ambas já velhas para a raça animal(14 e 12 anos respectivamente).Quando vieram para a minha casa eram bebés de colo.Fiquei admirada por a cadela na época aceitar tão bem a vinda da gata.Nem quero pensar como irá ser quando elas desencarnarem.Beijocas grandes e boa palestra no domingo.

António Rosa disse...

Marcelo

Muito obrigado pela presença, viu?
Era mesmo muito importante que a sua energia estivesse cá hoje.

Grande abraço e que tudo corra bem nas pinturas e decorações da nova casa.

Abraço

António

António Rosa disse...

Meu caro Ricardo,

A única coisa que te posso dizer é que os meus conhecimentos sobre xamanismo não são suficientes para te indicar qual possa ser o teu animar de poder.

Posso indicar-te este posts:

http://marcelodalla.blogspot.com/search/label/xamanismo

Procura as mandalas xâmanicas do Marcelo Dalla.

A partir daí deves fazer buscas na internet sobre o assunto. E entrares em descoberta pessoal.

Os gatos são grandes recicladores de energias negativas. Se algum se quer deitar no teu colo, podes ter a certeza que só sairá de lá (por vontade própria) quando tiver limpo e reciclado todas as energias negativas que possa haver no ambiente.

Espero que esses gatos possam entrar dentro de casa para fazerem bem o trabalho deles, além de vos dar amor incondicional.

Abraço

António

António Rosa disse...

Olá Maria de Fátima,

Que bom que tenhas em casa esses amigos de 4 patas. Não penses no fim delas, pois acontecerá quando tiver que ser. Procura apenas estar presente se isso acontecer para te despedires delas em condições.

Muito agradecido pelos votos para domingo.

Beijos

António

Mercurio em Escorpiao disse...

Que lindo Post, muito emocionante. Ando com vontade de dar um gatinho a minha filha e sei que ela vai adorar, até porque ela tem medo de animais, gosta imenso mas tem medo. Tenho um entrave, o meu marido não gosta de gatos e cada vez que lhe falo no assunto recusa logo.
Qualquer dia prego-lhe a partida de levar o gatinho sem a autorização dele:)

Obrigado pela partilha, desejo-lhe um excelente fim-de-semana.

Filomena Nunes disse...

António Rosa,

Um grande abraço de solidariedade e de compaixão... <3

Filomena

António Rosa disse...

Mercúrio

Muito obrigado por essa partilha. No dia em que a gata entrar o seu marido vai morrer de amores. Não se esqueça de mandar castrá-la para haver sossego em casa e no bairro.

António Rosa disse...

Filomena,

Muito obrigado pela solidariedade.~~

Paula disse...

Hum... entendi. Ok.
bjo.

Astrid Annabelle disse...

Demorei, mas cheguei António querido!
Estou fora de casa.
Li a história emocionante e recebi o recado (que já sabia).
Imagino como tudo isso mexeu com você!
Desculpe o comentário breve, mas
não posso me demorar pois o computador não é meu...semana que vem, voltará tudo ao normal...SE DEUS QUISER...e ELE HÁ DE QUERER.
Beijo grande no seu coração e no coração da Maria Paula!
Astrid Annabelle

Tati disse...

Meu querido amigo Antônio, li o texto completamente arrepiada.
Sinto (e tenho sentido) que chegou a hora de falar sobre o que preciso falar, mas sempre adio por medo de enfrentar.
Acho que este lobo que acompanhou a Lucky veio para muitos de nós através de suas palavras. Ele acabou de chegar em minha casa, em minha mente. Muito emocionada te escrevo. Lindas palavras.
Beijos.

William Garibaldi disse...

Que raridade de postagem meu caro amigo lusitano!

Que beleza a cadelinha Lucky!
Esta história muito me comove, pois eu compartilho de algo parecido.. em uma noite de tempestade, eu a encontrei filhote, deixada em um terreno baldio... misteriosamente ninguem a conhecia na pequena cidade... ela veio no vento da tempestade!... E hoje é uma Guardiã minha...

Seu amigo...

Sir William
da tribo do Lobo.
^.^

António Rosa disse...

Bom dia, querid Astrid,

Hoje, domingo, dia do meu evento na Ericeira, tinha dicidido não abrir o computador, mas alguma coisa me levou a que o fizesse. Era como se estivesse à espera de notícias suas, que felizmente chegaram. Já teremos tempo de falarmos em condições. Ainda bem que já sabia que havia informações para a nossa querida Maria Paula, assim não fico com a ideia que eram 'coisas' minhas.

Deus há-de querer.

Beijos

António

António Rosa disse...

Olá, querida Tati,

Ainda bem que retirou deste acontecimento algo para si. Aproveite a energia e faça o que sabe que tem que fazer. O Lobo é uma figura tremendamente importante nas energias mais arquetípicas.

Não hesite em contactar-me se precisar de ajuda mais concreta.

Um grande abraço e um beijo e que bom que veio.

António

António Rosa disse...

Bom dia, William,

Fiquei surpreendido com o ter vindo, pois não faço ideia porquê, mas imaginei-o muito ocupado com o carnaval. Espero que esteja tudo bem com você.

É bom sentirmos que temos guardiães desta natureza.

Continue com a sua tribo do Lobo, que só lhe faz bem.

Abraço

António

Maria Izabel Viegas disse...

Amigo querido,
emocionante experiência.
Se leres o post que fiz ontem em Simples Assim verás um vídeo que fala de uma vivência incrível de Chico Xavier!
Já passei , na doença de uma cadela minha, por algo transcendental. Estava ela a sofrer muito e invoquei as "entidades" responsáveis por estas passagens. Foi tão incrível, que após tê-lo feito, meu filho que tem profundos conhecimentos de Psicologia Transpessoal e Respiração holotrópica( vide Stanislau Grof) me ligou sugerindo um tipo de tratamento, que mais me emocionou, pois eu tinha acabado de fazê-lo.
Várias vezes vi, junto a esta cadela, uma entidade espiritual.
Há toda uma efrégora de luz em torno de nossos animais. Há beleza neste universo. Há que se ter olhos para ver. E vcs o tiveram! Lindo!
Se possível, amigo, veja o vídeo.
Beijinhos no teu coração!

António Rosa disse...

Querida Maria Izabel,

Vou já, já, ver o vídeo. Se você recomenda é porque é muito bom.

Grande sintonia com o seu filho. Isso é maravilhoso.

Muito agradecido por ter vindo.

Beijos.

António

Táxi Pluvioso disse...

Como céptico não diria "temos um animal de poder", diria somos todos animais.

Bom Carnaval, que a folia seja grande, são os meus votos.

António Rosa disse...

Taxi,

Também é verdade. Grato.

N. disse...

“Tudo o que sai do coração, vai directo tocar os corações”.

É este o espírito com que escrevo estas linhas de agradecimento a todos os que ajudaram a LUCKY – encarnados e desencarnados, entidades de luz e respectivos guias – a fazer a sua VIAGEM DE LUZ calma e serena (na noite de 02 de Março).

Enquanto escrevo dei-me conta que tinha passado exactamente um mês, pois foi a 2 de Fevereiro, que tinha sido marcada a sua cirurgia e ao fazer os últimos exames nessa manhã cheia de sol, revelou-se a impossibilidade da sua realização.

Na revelação de tal diagnóstico ficava a certeza que tínhamos de continuar a ajudarmo-nos mutuamente, e se a cura não fosse possível neste plano terreno, a determinação inabalável em ajudar na passagem para o “outro lado do véu”, em serenidade e aceitação plena, proporcionando-lhe um ambiente calmo, de sons suaves, luz serena, aromas adequados, tudo num ambiente energeticamente elevado e facilitado, acolhedor, apropriado para a sua FANTASTICA VIAGEM DE LUZ.

O Amor Incondicional inunda a minha vida em todas as vertentes e minutos do meu dia, os animais são por excelência o exemplo dessa mesma prática (amor incondicional) que me orgulho em trilhar em conjunto com a Lucky. Juntas, partilhamos fisicamente sessões de Yoga, Meditação, Terapia de Cristais, Reiki, onde a Lucky, iniciada em Reiki por uma grande amiga comum, partilhava e brindava com a sua presença a minha actividade profissional. Ajudando todos os que nos rodeavam, utentes, família, amigos. Vizinhos e até pessoas adultas, crianças e animais que se cruzavam na rua connosco. Ficavam junto dela, que sempre generosamente os brindava com a sua excelente vibração e doçura.

É com enorme emoção e alegria que relembro e sinto a sua presença, numa golfada de ar fresco que aquece o meu coração. Bem-haja tão nobre SER. Desde o primeiro dia em que encontrei a Lucky, a sua doçura brindou a minha vida e a de todos os que tiveram o privilégio de conviver com ela fisicamente, e ficará para sempre até ao próximo reencontro.

Na vida nada se perde, tudo se transforma. Aceito e agradeço ter feito parte deste processo de transformação, uma saudosa e alegria difíceis de descrever e classificar.

A prática do Amor Incondicional diariamente não me deixa sentir a perda, nem faz sentido as despedidas, pois sei que posso sempre rever quando em meditação ou em qualquer exercício de elevação energética, sem qualquer interferência nos nossos caminhos evolutivos.

Estar desta forma faz-me sentir privilegiada e abençoada pela força vibracional do Amor e Gratidão que me permite determinação para fazer o que mais gosto na vida e no cumprimento da minha missão terrena neste universo.

Sinto estar mais do que na hora de tocar os corações, de sensibilizarmos para este processo de transformação, alterar os termos de tratamento, da prática dos nossos entes queridos, sejam eles animais de estimação ou humanos. Para lhes proporcionarmos tão maravilhosa e fantástica Viagem de Luz.

Temos de PARAR de “mutilar” os SERES VIVOS na fase ou processo de desencarne, para que na sua passagem para o outro lado do véu seja sentida a leveza, aderir à paz numa experiência de verdadeira libertação e expansão num reino de calma, tranquilidade e paz.
Perceber e praticar o que é o Amor Incondicional, e finalmente deixarmos de sentir as perdas e pesares de tão FANTÁSTICO ACTO, e vivermos plenamente com simplicidade todo o processo em conjunto com os entes queridos nesta passagem.

Porque:

“A Vida é uma passagem para a outra margem”.

No post, o amigo António, fala sobre o guia da Lucky, que estava sereno e cuidadoso: o Lobo.

Deixo-vos aqui uma singela descrição da fantástica vibração daquele momento glorioso. A expressão do focinhito da Lucky, de olhar deslumbrado, boquinha aberta, pelo forte tubo de luz vertical e acolhedora vibração, que a veio buscar, e assim ficou.
Só vivendo é possível sentir a presença e a beleza do momento.

A companheira humana da Lucky

N.

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates