Podcasts «Morte - a Grande Viagem»

8 de março de 2011 ·

http://podbean.com/
Sei que este tema não agrada à maioria das pessoas, o que levará a que este post seja evitado. Começo com uma  citação do «Livro Tibetano dos Mortos»: «Cada dia da vida está cheio de começos e fins. Enquanto transcorre um momento, outro vem ocupar o seu lugar. Ao despertar pela manhã, levantamo-nos e realizamos as nossas actividades quotidianas – lavamo-nos, vestimo-nos, tomamos o pequeno-almoço, etc. Nada permanece imóvel. O movimento e a mudança são a essência mesma da vida. Desejamos crer que tudo o que vemos é real e permanente, ainda que a nossa experiência diária nos demonstre que nada é inalterável e que nada dura para sempre.»

O Homem, desde o princípio dos tempos, tem-na caracterizado com misticismo, magia, mistério, segredo. Para os cépticos, a morte compreende o cessar da consciência, exactamente quando o cérebro deixa de executar as suas funcionalidades.

A questão do que acontece, especialmente com os humanos, durante e após a morte (ou o que acontece "uma vez morto", se pensarmos na morte como um estado permanente) é uma interrogação frequente, latente mesmo, na psique humana. Tais questões vêm de longa data, e a crença numa vida após a morte como a reencarnação ou ida a outros mundos é comum e antiga.

Para muitos, a crença e informações sobre a vida após a morte são uma consolação em relação à morte de um ser amado ou à prospecção da sua própria morte. A consciência não tem origem física, apenas usa o corpo como instrumento para se expressar. Se for assim, haverá uma existência da consciência após a morte. Este princípio valida a ideia da reencarnação.

Até quando (e se) a ciência conseguir demonstrar esta hipótese, o assunto da vida após a morte, continuará a ser uma questão de fé para a grande maioria das pessoas.

No dia 6 Março 2011 falei sobre este assunto no centro «Cristal de Cura», Ericeira, Portugal. Pode ouvir a gravação dessa intervenção, clicando nos:

Podcasts «Morte - a Grande Viagem»
1ª parte
2ª parte
3ª parte
Infelizmente, as 4ª e 5ª partes não estão em condições de serem mostradas.

Muito agradecido a quem esteve presente, apesar de ser Domingo de Carnaval.

.

31 comentários:

Siala disse...
8 de março de 2011 às 14:08  

Antonio, obrigada por esta partilha! Queria muito ter estado presente, ams não foi de todo possível. Nem sempre as coisas são como queremos, há que aceitar, embora fique sempre uma pontada de tristeza. Sei que o momento virá, e será no momento certo! Vou ouvir com muita atenção! Este é um tema que me apaixona! É impossível ser-se uma apaixonada pela vida sem o ser também pela morte...e mais além do que isso...pela nossa viagem!
Um grande beijinho!
Namasté

Maria Paula Ribeiro disse...
8 de março de 2011 às 14:26  

Olá António,

Uiiiiiiii Siala não fostes?? Pensei que lá estivesses.. Vamos ver e no próximo iremos as duas ;)) E concordo contigo!

Já comecei a ouvir o primeiro post-cad e fique surpresa com o filme, pois lembro-me do filme e do "quebra-cabeça" que me provocou mas por outro lado uma "felicidade interior" que me intrigou em pensar que sim... a morte era uma passagem à nossa consciência e que o corpo apenas um invólucro...o que no meu caso, anos mais tarde o poderia confirmar! ;))

Bolas...devia ter estado e dar-te um grande abraço! ;PPP

PS: irei ouvir os outros ;)

Beijinhos

Cris França disse...
8 de março de 2011 às 14:26  

execelente! como sempre, a morte é uma experiência íntima e pessoal, vale a pena ler. saudades sempre. bjs

TH disse...
8 de março de 2011 às 15:22  

Tenho tantas acepções de morte...

Uma relação muito esquisita com ela...

Não sei precisar bem como me sinto, porém não é nada confortável, perto de pessoas que agem com naturalidade e "espírito elevado" em relação a ela...

Valentim disse...
8 de março de 2011 às 15:33  

Valentim

Bom se o ficheiro de som deixa toda esta gente tão interessada, será que coloco o video na internet António?

Élys disse...
8 de março de 2011 às 15:38  

Gosto, como sabe,desse tema. Já ouvi o Primeiro Podcasts e muito bem colocado todo o asunto. Muito bom como tudo que você posta. Ouvirei os outros e sei que vou gostar muito.
Um abraço.

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...
8 de março de 2011 às 15:40  

Tenho o Livro Tibetano do Mortos, mas ainda não o li todo.

Grata pela partilha :)

Maria Izabel Viegas disse...
8 de março de 2011 às 16:15  

Amigo, hoje madruguei, um sono imerso em muitos sonhos. Uma verdadeira e intrigante sucessão de pequenas mortes.
Não ia escrever post algum, mas quando vi estava a falar sobre.
Volto mais tarde para escutar mais teus ensinos, tua voz!
Obrigada, querido amigo... sempre!
Beijos

Maria Vitória Guerreiro disse...
8 de março de 2011 às 20:38  

Olá António,obrigada pela partilha,gostei muito da 1ª parte,e tomei a liberdade de partilhar.Fique bem, um abraço.

Nilce disse...
8 de março de 2011 às 23:05  

Oi Antônio, voltei.

Gostei muito, mas ainda é um assunto que me intriga muito.
Será que sou muito egoísta? Quero sempre ser a primeira.
Obrigada pela partilha.

Bjs no coração!

Nilce

Ana disse...
9 de março de 2011 às 02:25  

Antonio, uma vez num desdobramento, encontrei a minha vó no plano espiritual e ela me perguntou se eu queria sentir o que sentimos no momento da morte e eu desejei vivenciar...Então deitei numa maca branca,com um lençol branco, era só eu e ela...então fechei meus olhos e comecei a sentir uma falta de ar grande com uma angústia enorme,como se fico ou se vou, ou uma sensação de curiosidade,mas ao mesmo tempo de luta,muito louca esta vivencia...e depois acordei!
beijos Antonio querido!
que possamos vivenciar tudo que nos é permito sempre, para a nossa evolução!!

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 08:33  

Siala,

Fiz o post ontem e a seguir desliguei o computador. Foi uma enorme surpresa encontrar esta manhã todos os comentários. Fiquei muito feliz com a aceitação dos podcasts.

Já teremos oportunidade de nos encontrarmos. :))

Beijinho,

António

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 08:33  

Maria Paula,

É um filme belíssimo e muito oportuno para este tema. Muito obrigado por os quereres ouvir.

Muitos beijos

António

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 08:34  

Cris,

Muito obrigado pelo acompanhamento. Tenho que ir ao seu blogue cumprimentá-la, mas estive tão ocupado a preparar esta palestra que, forçosamente, me ausentei da blogosfera. Estou a retomar.

Beijos

António

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 08:36  

THiago,

Que prazer vê-lo aqui. Tenho estado ausente da blogosfera para preparar o tema que foi dado no domingo, dia 6, mas agora estou de regresso e irei visitá-lo. Muito obrigado por ter vindo.

Abraço

António

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 08:37  

Olá Valentim,

Creio que vale a pena ir para o youtube. Depois, cada um que decida. Que achas?

Beijinho agradecido por teres gravado tudo.

António

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 08:39  

Élys

Sei que este tema lhe é muito familiar. Muito obrigado pelas suas palavras sempre gentis. Esta semana estou a retomar o convívio na blogosfera.

Abraço

António

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 08:39  

Gaspas,

Vale muito a pena ler esse livro. É fundamental. O Bardo!!!

Obrigado.

António

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 08:42  

Maria Izabel,

Tenho que ir ao seu blogue cumprimentá-la, mas estive tão ocupado a preparar esta palestra que, forçosamente, me ausentei da blogosfera. Estou a retomar.

Os seus sonhos são sempre uma informação preciosa.

Beijo, querida amiga,

António

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 08:42  

Olá Maria Vitória

Muito agradecido por ter partilhado este trabalho e, por ter vindo.

Beijos

António

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 08:44  

Nilce,

Não tem nada a ver com o egoísmo, fique tranquila. Tem a ver com o receio do que é desconhecido.

Muito obrigado e bom regresso depois das suas merecidas férias.

Beijos

António

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 08:44  

Ana

Que experiência a sua. Mulher corajosa!! Gostei muito da sua partilha.

Muito obrigado.

António

Anónimo disse...
9 de março de 2011 às 13:31  

Valentim

Bom então vamos lá trabalhar as fitas para colocarmos tudo no Youtube.

Beijo

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...
9 de março de 2011 às 13:54  

que bacana! gosto muito de podcasts! vou baixar para ouvir, sei que o conteúdo é de primeira!
muito obrigado por disponibilizar mais um excelente meio de comunicação, amigo António!
bom dia

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 14:04  

Boa tarde, Alexandre,

Muito agradecido pelas suas palavras. Que bom que gostou da ideia.

Abraço

António

António Rosa disse...
9 de março de 2011 às 14:05  

Valentim,

Então, em frente...

:)))

Obrigado.

Filomena Nunes disse...
9 de março de 2011 às 17:49  

Viva António Rosa.

Ainda não ouvi mas fa-lo-ei ainda hoje. pelo menos vou começar..

Mas quero agradecer a amabilidade de nos ter posto a gravação à disposição.

É claro que não é a mesma coisa que estar presente a trocar energias, mas, ainda assim, é uma grande gentileza. Muito obrigada

Beijinho

Filomena

Adelaide Figueiredo disse...
9 de março de 2011 às 18:07  

António,

Ouvi todas as gravações. Muito elucidativo. Gostei. Há muita coisa mais para sabermos mas todos procuramos a chave desse segredo.
Grata mais uma vez pela partilha

Abraço

Astrid Annabelle disse...
9 de março de 2011 às 21:53  

Gostei de ouvir sua voz António querido!
Vou ouvir com muita atenção ao retornar para casa.
Lhe escrevi mais um email.
Abreijos e beijos agradecidos.
Astrid Annabelle

MARCELO DALLA disse...
10 de março de 2011 às 00:21  

Opa!!!! Ouvirei com muita atenção e calma tb!!!!!!
Amigo, assitiu "Além da Vida" de Clin Eastewood? Me lembrei deste filme... muito bom!
abraço

ManDrag disse...
10 de março de 2011 às 00:45  

É sempre oportuno falar da morte. Afinal é o que temos de mais certo na vida; e isto é uma apreciação comum a todas as opiniões e crenças.

Estou a escutar com muito interesse a palestra.

Um abraço

8 de março de 2011

Podcasts «Morte - a Grande Viagem»

http://podbean.com/
Sei que este tema não agrada à maioria das pessoas, o que levará a que este post seja evitado. Começo com uma  citação do «Livro Tibetano dos Mortos»: «Cada dia da vida está cheio de começos e fins. Enquanto transcorre um momento, outro vem ocupar o seu lugar. Ao despertar pela manhã, levantamo-nos e realizamos as nossas actividades quotidianas – lavamo-nos, vestimo-nos, tomamos o pequeno-almoço, etc. Nada permanece imóvel. O movimento e a mudança são a essência mesma da vida. Desejamos crer que tudo o que vemos é real e permanente, ainda que a nossa experiência diária nos demonstre que nada é inalterável e que nada dura para sempre.»

O Homem, desde o princípio dos tempos, tem-na caracterizado com misticismo, magia, mistério, segredo. Para os cépticos, a morte compreende o cessar da consciência, exactamente quando o cérebro deixa de executar as suas funcionalidades.

A questão do que acontece, especialmente com os humanos, durante e após a morte (ou o que acontece "uma vez morto", se pensarmos na morte como um estado permanente) é uma interrogação frequente, latente mesmo, na psique humana. Tais questões vêm de longa data, e a crença numa vida após a morte como a reencarnação ou ida a outros mundos é comum e antiga.

Para muitos, a crença e informações sobre a vida após a morte são uma consolação em relação à morte de um ser amado ou à prospecção da sua própria morte. A consciência não tem origem física, apenas usa o corpo como instrumento para se expressar. Se for assim, haverá uma existência da consciência após a morte. Este princípio valida a ideia da reencarnação.

Até quando (e se) a ciência conseguir demonstrar esta hipótese, o assunto da vida após a morte, continuará a ser uma questão de fé para a grande maioria das pessoas.

No dia 6 Março 2011 falei sobre este assunto no centro «Cristal de Cura», Ericeira, Portugal. Pode ouvir a gravação dessa intervenção, clicando nos:

Podcasts «Morte - a Grande Viagem»
1ª parte
2ª parte
3ª parte
Infelizmente, as 4ª e 5ª partes não estão em condições de serem mostradas.

Muito agradecido a quem esteve presente, apesar de ser Domingo de Carnaval.

.

31 comentários:

Siala disse...

Antonio, obrigada por esta partilha! Queria muito ter estado presente, ams não foi de todo possível. Nem sempre as coisas são como queremos, há que aceitar, embora fique sempre uma pontada de tristeza. Sei que o momento virá, e será no momento certo! Vou ouvir com muita atenção! Este é um tema que me apaixona! É impossível ser-se uma apaixonada pela vida sem o ser também pela morte...e mais além do que isso...pela nossa viagem!
Um grande beijinho!
Namasté

Maria Paula Ribeiro disse...

Olá António,

Uiiiiiiii Siala não fostes?? Pensei que lá estivesses.. Vamos ver e no próximo iremos as duas ;)) E concordo contigo!

Já comecei a ouvir o primeiro post-cad e fique surpresa com o filme, pois lembro-me do filme e do "quebra-cabeça" que me provocou mas por outro lado uma "felicidade interior" que me intrigou em pensar que sim... a morte era uma passagem à nossa consciência e que o corpo apenas um invólucro...o que no meu caso, anos mais tarde o poderia confirmar! ;))

Bolas...devia ter estado e dar-te um grande abraço! ;PPP

PS: irei ouvir os outros ;)

Beijinhos

Cris França disse...

execelente! como sempre, a morte é uma experiência íntima e pessoal, vale a pena ler. saudades sempre. bjs

TH disse...

Tenho tantas acepções de morte...

Uma relação muito esquisita com ela...

Não sei precisar bem como me sinto, porém não é nada confortável, perto de pessoas que agem com naturalidade e "espírito elevado" em relação a ela...

Valentim disse...

Valentim

Bom se o ficheiro de som deixa toda esta gente tão interessada, será que coloco o video na internet António?

Élys disse...

Gosto, como sabe,desse tema. Já ouvi o Primeiro Podcasts e muito bem colocado todo o asunto. Muito bom como tudo que você posta. Ouvirei os outros e sei que vou gostar muito.
Um abraço.

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Tenho o Livro Tibetano do Mortos, mas ainda não o li todo.

Grata pela partilha :)

Maria Izabel Viegas disse...

Amigo, hoje madruguei, um sono imerso em muitos sonhos. Uma verdadeira e intrigante sucessão de pequenas mortes.
Não ia escrever post algum, mas quando vi estava a falar sobre.
Volto mais tarde para escutar mais teus ensinos, tua voz!
Obrigada, querido amigo... sempre!
Beijos

Maria Vitória Guerreiro disse...

Olá António,obrigada pela partilha,gostei muito da 1ª parte,e tomei a liberdade de partilhar.Fique bem, um abraço.

Nilce disse...

Oi Antônio, voltei.

Gostei muito, mas ainda é um assunto que me intriga muito.
Será que sou muito egoísta? Quero sempre ser a primeira.
Obrigada pela partilha.

Bjs no coração!

Nilce

Ana disse...

Antonio, uma vez num desdobramento, encontrei a minha vó no plano espiritual e ela me perguntou se eu queria sentir o que sentimos no momento da morte e eu desejei vivenciar...Então deitei numa maca branca,com um lençol branco, era só eu e ela...então fechei meus olhos e comecei a sentir uma falta de ar grande com uma angústia enorme,como se fico ou se vou, ou uma sensação de curiosidade,mas ao mesmo tempo de luta,muito louca esta vivencia...e depois acordei!
beijos Antonio querido!
que possamos vivenciar tudo que nos é permito sempre, para a nossa evolução!!

António Rosa disse...

Siala,

Fiz o post ontem e a seguir desliguei o computador. Foi uma enorme surpresa encontrar esta manhã todos os comentários. Fiquei muito feliz com a aceitação dos podcasts.

Já teremos oportunidade de nos encontrarmos. :))

Beijinho,

António

António Rosa disse...

Maria Paula,

É um filme belíssimo e muito oportuno para este tema. Muito obrigado por os quereres ouvir.

Muitos beijos

António

António Rosa disse...

Cris,

Muito obrigado pelo acompanhamento. Tenho que ir ao seu blogue cumprimentá-la, mas estive tão ocupado a preparar esta palestra que, forçosamente, me ausentei da blogosfera. Estou a retomar.

Beijos

António

António Rosa disse...

THiago,

Que prazer vê-lo aqui. Tenho estado ausente da blogosfera para preparar o tema que foi dado no domingo, dia 6, mas agora estou de regresso e irei visitá-lo. Muito obrigado por ter vindo.

Abraço

António

António Rosa disse...

Olá Valentim,

Creio que vale a pena ir para o youtube. Depois, cada um que decida. Que achas?

Beijinho agradecido por teres gravado tudo.

António

António Rosa disse...

Élys

Sei que este tema lhe é muito familiar. Muito obrigado pelas suas palavras sempre gentis. Esta semana estou a retomar o convívio na blogosfera.

Abraço

António

António Rosa disse...

Gaspas,

Vale muito a pena ler esse livro. É fundamental. O Bardo!!!

Obrigado.

António

António Rosa disse...

Maria Izabel,

Tenho que ir ao seu blogue cumprimentá-la, mas estive tão ocupado a preparar esta palestra que, forçosamente, me ausentei da blogosfera. Estou a retomar.

Os seus sonhos são sempre uma informação preciosa.

Beijo, querida amiga,

António

António Rosa disse...

Olá Maria Vitória

Muito agradecido por ter partilhado este trabalho e, por ter vindo.

Beijos

António

António Rosa disse...

Nilce,

Não tem nada a ver com o egoísmo, fique tranquila. Tem a ver com o receio do que é desconhecido.

Muito obrigado e bom regresso depois das suas merecidas férias.

Beijos

António

António Rosa disse...

Ana

Que experiência a sua. Mulher corajosa!! Gostei muito da sua partilha.

Muito obrigado.

António

Anónimo disse...

Valentim

Bom então vamos lá trabalhar as fitas para colocarmos tudo no Youtube.

Beijo

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

que bacana! gosto muito de podcasts! vou baixar para ouvir, sei que o conteúdo é de primeira!
muito obrigado por disponibilizar mais um excelente meio de comunicação, amigo António!
bom dia

António Rosa disse...

Boa tarde, Alexandre,

Muito agradecido pelas suas palavras. Que bom que gostou da ideia.

Abraço

António

António Rosa disse...

Valentim,

Então, em frente...

:)))

Obrigado.

Filomena Nunes disse...

Viva António Rosa.

Ainda não ouvi mas fa-lo-ei ainda hoje. pelo menos vou começar..

Mas quero agradecer a amabilidade de nos ter posto a gravação à disposição.

É claro que não é a mesma coisa que estar presente a trocar energias, mas, ainda assim, é uma grande gentileza. Muito obrigada

Beijinho

Filomena

Adelaide Figueiredo disse...

António,

Ouvi todas as gravações. Muito elucidativo. Gostei. Há muita coisa mais para sabermos mas todos procuramos a chave desse segredo.
Grata mais uma vez pela partilha

Abraço

Astrid Annabelle disse...

Gostei de ouvir sua voz António querido!
Vou ouvir com muita atenção ao retornar para casa.
Lhe escrevi mais um email.
Abreijos e beijos agradecidos.
Astrid Annabelle

MARCELO DALLA disse...

Opa!!!! Ouvirei com muita atenção e calma tb!!!!!!
Amigo, assitiu "Além da Vida" de Clin Eastewood? Me lembrei deste filme... muito bom!
abraço

ManDrag disse...

É sempre oportuno falar da morte. Afinal é o que temos de mais certo na vida; e isto é uma apreciação comum a todas as opiniões e crenças.

Estou a escutar com muito interesse a palestra.

Um abraço

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates