Aos nascidos nos anos 50 - Úrano nas nossas vidas

17 de março de 2011 ·

Ilustração daqui.



Vamos falar do trânsito de Úrano em quadratura ao nosso Úrano natal. Este texto é especialmente dedicado às pessoas nascidas em 1949 e 1950, pois sentirão particularmente os efeitos deste trânsito ao longo de 2011 e 2012. Os nascidos nos anos seguintes (1951, 1952...), irao sentir este trânsito quando atingirem os seus 60 a 62 anos. É toda uma geração, neste caso, a dos anos 50, que teremos que aprender a viver com esta intensidade uraniana. Se quiserem puxar pela memória, lembrem-se do que ocorreu nas suas vidas quando estavam entre os 20 e 22 anos. A mesma energia volta a estar presente, só que em outra altura da vida, quando somos bem mais velhos e sem a frescura da juventude. Em 31 Maio 2010 publiquei aqui, um outro texto sobre o trânsito de Úrano em quadratura ao meu Úrano natal.

Haverá uma necessidade de manifestar a sua individualidade, de ser mais independente, desejará viver a sua vida sem impedimentos, podendo haver em certos casos muito especiais, uma crise no seio familiar ou profissional. Sentirá que encontra inúmeros obstáculos, e isto, obviamente, produz uma grande nível de tensão e bastante nervosismo. Pode sentir que na sua vida, quase que de repente, a estabilidade em que tem vivido parece ter desaparecido. Quando falo em 'estabilidade', não me estou a referir apenas a questões materiais (emprego, negócios, trabalho, rendimentos) mas, também, a questões mentais e emocionais. Não se surpreenda se houver mudanças inesperadas na sua vida. Pois irão surgir. Vai depender apenas de como aceitará que essas mudanças sejam bem integradas na sua vida. Com Portugal a passar por uma tão violenta crise política e económica, tenho que ser cuidadoso com o que escrevo, para que não me interpretem apenas sob estes dois temas tão críticos actualmente.

Se pertence a esta geração dos anos 50, já fica avisado que algures, nesta década, passará por esta agitação pessoal. A minha recomendação vai para que fiquemos mais conscientes deste trânsito tão importante e que só nos apanha, geralmente, duas vezes na vida. Com essa consciência presente (se conseguirmos), é bom que olhemos para estas situações como forma de crescimento pessoal. Crescer, aos sessenta anos? Sim, o crescimento pessoal ocorre durante toda a nossa vida, independentemente da idade que se tenha. A diferença é que, quando somos mais crescidos, eventualmente, talvez estejamos mais preparados para aceitarmos essas mudanças. Nada é seguro. Nada é garantido. Tudo é precário e tudo é movimento. Para os que hoje andamos nos 60, a pergunta fundamental para este trânsito é esta: que fazemos com o nosso tempo livre? E se a pessoa se reformar, mais tempo livre tem.

As vantagens deste trânsito para quem esteja consciente deste movimento celeste ou deste processo, como agora se diz, é a possibilidade da pessoa sentir um enorme crescimento mental, emocional e espiritual, podendo fazer frente - com a serenidade possível -, a todas as pequenas e grandes contrariedades nada agradáveis que a vida se encarrega de nos colocar pela frente. É o momento de deixarmos de lado todas aquelas ideias fixas que transportamos e percebermos o quão diferentes somos dos nossos pais, quando eles tinham a mesma idade. Descobrimos, então, que é assim que a humanidade avança - de geração em geração. Obviamente que, para aqueles que estão a ter o mesmo trânsito, mas aos 20, há um abismo enorme entre as nossas gerações.

Aos 60 (e picos) anos, a maioria das pessoas já tem a vida 'arrumada': filhos crescidos e independentes, netos, já viajaram, eventualmente já pagaram a casa que compraram há 30 anos e, com um bocadinho de sorte (em Portugal) não se viu subitamente no desemprego, que também pode ocorrer. Portanto, é a altura certa de repensar na sua vida para os próximos anos. Co-criar é muito bom.

E agora, que sei mais da vida, que já vivi 6 dezenas de anos, que posso fazer? Este é um trânsito muito ligado ao segundo retorno de Saturno, aos 58/59 anos. Somos obrigados a adaptar-nos a novas circunstâncias que nos preparam o caminho, recheado de incertezas, inseguranças e intranquilidade. A vida é assim mesma: sem certificados de garantia, de coisa nenhuma. Só nos resta seguir em frente.

.

14 comentários:

Serginho Tavares disse...
17 de março de 2011 às 18:02  

Adorei este post porque me ajuda muito a compreeender alguém que nasceu neste período e que vai adorar ler este post...
Muito obrigado amigo

Beijos

Cesar disse...
17 de março de 2011 às 18:17  

Obrigado António.
Gostei muito do seu artigo que me esclarece em parte o que me está a acontecer agora na minha vida.
Embora tenha nascido em 53 já desde 2009 que tudo começou a modifica-se. Ainda não sei se para melhor ou pior, isso o tempo dirá ou a forma como eu conseguir gerir tudo isto.

Um abraço
César Caldeira

Astrid Annabelle disse...
17 de março de 2011 às 18:31  

Excelente António querido!
Sabe que hoje cedo acordei com vontade de lhe escrever para perguntar como Urano estaria repercutindo na minha vida pessoal.
Acabei não escrevendo...embora tenha nascido em 48 sinto a presença de Urano...será que estou enganada?
Olhando para trás, lá para os vinte e poucos anos, identifico claramente esta energia. Andei por esses dias lendo muito a respeito inclusive o texto por Ana Cristina Abbade na Escola de Astrologia Nova-Lis!
Beijão e já estou em casa!
(respondi ao seu email)
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
17 de março de 2011 às 18:54  

Serginho,

Fiquei feliz, sabendo que fui útil. Grande abraço, meu querido.

A.

António Rosa disse...
17 de março de 2011 às 18:54  

Olá César

Piode ser Úrano, mas em aspecto a outro planeta, mas pelas datas que indica, parece-me mais o 2º retorno de Saturno. Pode crer que não é pera fácil. As mudanças são isso mesmo, apenas alterações aos registos da nossa vida. Depende sempre de nós e da forma como encaramos essas mudanças. É sempre para 'melhor'... dependo da nossa aceitação dos acontecimentos. Se nos revoltamos, nada feito. Se embarcamos na viagem... entramos na descoberta da vida e, de nós mesmos.

Abraço,

A.

António Rosa disse...
17 de março de 2011 às 18:55  

Querida Astrid,

Que bom que está de volta. Fico satisfeito com essa notícia. Sinal que há uma certa normalidade na sua vida.

Úrano está amexer forte no seu mapa, mas não é esta quadratura, mas sim uma forte oposição ao seu Fundo-do-Céu (representa a casa onde vive) e em simultâneo, uma conjunção ao seu Meio-do-Céu (o reconhecimento que os outros têm de si). Mudanças fortes... para respirar fundo. Depois falamos em separado.

Vou ver os emails agora.

Beijo

António

Maria Izabel Viegas disse...
18 de março de 2011 às 00:17  

Querido amigo,
passando para te deixar um beijo no teu coração.
Já fiz certa vez um retrospecto das "andanças" de Urano na minha vida. Tenho-o em Gemeos na casa 5, bem próximo à meu Nodo Norte. Gosto imenso dele,. Tive perdas e ganhos. perdas consideráveis mas inevitáveis e ganhos que superaram as expectativas.
E entrar nos 6.0 foi extremamente enriquecedor. Subimos ou descemos , a escolha é nossa. Ficamos mais jovens ou envelhecemos, seguindo os sinais ou não. Temos esperança ou ficamos ranzinzas.
Prefiro a Alegria de Viver! Faz bem à pele ;))))
A vida não é sempre um mar de rosas, mas com certeza, aprendemos com a vida a navegar neste mar, imersos em nuvens perfumadas. É só seguir nadando, remando ou volitando...
Esclarecedor post, como sempre, iluminado amigo!

António Rosa disse...
18 de março de 2011 às 11:51  

Minha querida Maria Izabel,

Tenho o meu Úrano no grau zero de Câncer. Imagine, está a fazer a quadratura exacta, na casa 2. ;(

É nessa fase que me encontro: das perdas e ganhos. O balanço final será feito mais tarde.

Muito obrigado pelo seu lindo comentário.

Bom fim-de-semana.

António

Élys disse...
18 de março de 2011 às 19:20  

Gosto da Astrologia, mas não tenho nenhum conhecimento, mas vez por outra passo aqui para ler e deixar-lhe um abraço.

MARCELO DALLA disse...
19 de março de 2011 às 04:08  

Gratidão, amigo, por mais esta bela aula. Excelente como sempre. Sua sabedoria é inspiradora.
Bjo no seu coração!

Danieli disse...
19 de março de 2011 às 07:25  

Excelente post Antonio,obrigada por dividir com todos essa experiência divina!

ManDrag disse...
20 de março de 2011 às 01:30  

Sei como é! Já cheguei à beira do precipício e iniciei o salto sobre o abismo. Só não sei se e como chegarei à outra margem e, muito menos, como ela será.
É como a carta da Morte no Tarot.

Abraços

António Rosa disse...
21 de março de 2011 às 12:46  

Élys,
Marcelo,
Danieli,
ManDrag

Muito agradecido por terem vindo. Esta quadratura está a deixar-me muito ausente da internet.

Grande abraço.

António

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...
21 de março de 2011 às 16:38  

que bacana esse post! a década que nasceu minha mãe...
vc e a Astrid fizeram um post especial sobre o tema, gostei muito.
bom dia e sempre, muito obrigado, por tudo!

17 de março de 2011

Aos nascidos nos anos 50 - Úrano nas nossas vidas

Ilustração daqui.



Vamos falar do trânsito de Úrano em quadratura ao nosso Úrano natal. Este texto é especialmente dedicado às pessoas nascidas em 1949 e 1950, pois sentirão particularmente os efeitos deste trânsito ao longo de 2011 e 2012. Os nascidos nos anos seguintes (1951, 1952...), irao sentir este trânsito quando atingirem os seus 60 a 62 anos. É toda uma geração, neste caso, a dos anos 50, que teremos que aprender a viver com esta intensidade uraniana. Se quiserem puxar pela memória, lembrem-se do que ocorreu nas suas vidas quando estavam entre os 20 e 22 anos. A mesma energia volta a estar presente, só que em outra altura da vida, quando somos bem mais velhos e sem a frescura da juventude. Em 31 Maio 2010 publiquei aqui, um outro texto sobre o trânsito de Úrano em quadratura ao meu Úrano natal.

Haverá uma necessidade de manifestar a sua individualidade, de ser mais independente, desejará viver a sua vida sem impedimentos, podendo haver em certos casos muito especiais, uma crise no seio familiar ou profissional. Sentirá que encontra inúmeros obstáculos, e isto, obviamente, produz uma grande nível de tensão e bastante nervosismo. Pode sentir que na sua vida, quase que de repente, a estabilidade em que tem vivido parece ter desaparecido. Quando falo em 'estabilidade', não me estou a referir apenas a questões materiais (emprego, negócios, trabalho, rendimentos) mas, também, a questões mentais e emocionais. Não se surpreenda se houver mudanças inesperadas na sua vida. Pois irão surgir. Vai depender apenas de como aceitará que essas mudanças sejam bem integradas na sua vida. Com Portugal a passar por uma tão violenta crise política e económica, tenho que ser cuidadoso com o que escrevo, para que não me interpretem apenas sob estes dois temas tão críticos actualmente.

Se pertence a esta geração dos anos 50, já fica avisado que algures, nesta década, passará por esta agitação pessoal. A minha recomendação vai para que fiquemos mais conscientes deste trânsito tão importante e que só nos apanha, geralmente, duas vezes na vida. Com essa consciência presente (se conseguirmos), é bom que olhemos para estas situações como forma de crescimento pessoal. Crescer, aos sessenta anos? Sim, o crescimento pessoal ocorre durante toda a nossa vida, independentemente da idade que se tenha. A diferença é que, quando somos mais crescidos, eventualmente, talvez estejamos mais preparados para aceitarmos essas mudanças. Nada é seguro. Nada é garantido. Tudo é precário e tudo é movimento. Para os que hoje andamos nos 60, a pergunta fundamental para este trânsito é esta: que fazemos com o nosso tempo livre? E se a pessoa se reformar, mais tempo livre tem.

As vantagens deste trânsito para quem esteja consciente deste movimento celeste ou deste processo, como agora se diz, é a possibilidade da pessoa sentir um enorme crescimento mental, emocional e espiritual, podendo fazer frente - com a serenidade possível -, a todas as pequenas e grandes contrariedades nada agradáveis que a vida se encarrega de nos colocar pela frente. É o momento de deixarmos de lado todas aquelas ideias fixas que transportamos e percebermos o quão diferentes somos dos nossos pais, quando eles tinham a mesma idade. Descobrimos, então, que é assim que a humanidade avança - de geração em geração. Obviamente que, para aqueles que estão a ter o mesmo trânsito, mas aos 20, há um abismo enorme entre as nossas gerações.

Aos 60 (e picos) anos, a maioria das pessoas já tem a vida 'arrumada': filhos crescidos e independentes, netos, já viajaram, eventualmente já pagaram a casa que compraram há 30 anos e, com um bocadinho de sorte (em Portugal) não se viu subitamente no desemprego, que também pode ocorrer. Portanto, é a altura certa de repensar na sua vida para os próximos anos. Co-criar é muito bom.

E agora, que sei mais da vida, que já vivi 6 dezenas de anos, que posso fazer? Este é um trânsito muito ligado ao segundo retorno de Saturno, aos 58/59 anos. Somos obrigados a adaptar-nos a novas circunstâncias que nos preparam o caminho, recheado de incertezas, inseguranças e intranquilidade. A vida é assim mesma: sem certificados de garantia, de coisa nenhuma. Só nos resta seguir em frente.

.

14 comentários:

Serginho Tavares disse...

Adorei este post porque me ajuda muito a compreeender alguém que nasceu neste período e que vai adorar ler este post...
Muito obrigado amigo

Beijos

Cesar disse...

Obrigado António.
Gostei muito do seu artigo que me esclarece em parte o que me está a acontecer agora na minha vida.
Embora tenha nascido em 53 já desde 2009 que tudo começou a modifica-se. Ainda não sei se para melhor ou pior, isso o tempo dirá ou a forma como eu conseguir gerir tudo isto.

Um abraço
César Caldeira

Astrid Annabelle disse...

Excelente António querido!
Sabe que hoje cedo acordei com vontade de lhe escrever para perguntar como Urano estaria repercutindo na minha vida pessoal.
Acabei não escrevendo...embora tenha nascido em 48 sinto a presença de Urano...será que estou enganada?
Olhando para trás, lá para os vinte e poucos anos, identifico claramente esta energia. Andei por esses dias lendo muito a respeito inclusive o texto por Ana Cristina Abbade na Escola de Astrologia Nova-Lis!
Beijão e já estou em casa!
(respondi ao seu email)
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Serginho,

Fiquei feliz, sabendo que fui útil. Grande abraço, meu querido.

A.

António Rosa disse...

Olá César

Piode ser Úrano, mas em aspecto a outro planeta, mas pelas datas que indica, parece-me mais o 2º retorno de Saturno. Pode crer que não é pera fácil. As mudanças são isso mesmo, apenas alterações aos registos da nossa vida. Depende sempre de nós e da forma como encaramos essas mudanças. É sempre para 'melhor'... dependo da nossa aceitação dos acontecimentos. Se nos revoltamos, nada feito. Se embarcamos na viagem... entramos na descoberta da vida e, de nós mesmos.

Abraço,

A.

António Rosa disse...

Querida Astrid,

Que bom que está de volta. Fico satisfeito com essa notícia. Sinal que há uma certa normalidade na sua vida.

Úrano está amexer forte no seu mapa, mas não é esta quadratura, mas sim uma forte oposição ao seu Fundo-do-Céu (representa a casa onde vive) e em simultâneo, uma conjunção ao seu Meio-do-Céu (o reconhecimento que os outros têm de si). Mudanças fortes... para respirar fundo. Depois falamos em separado.

Vou ver os emails agora.

Beijo

António

Maria Izabel Viegas disse...

Querido amigo,
passando para te deixar um beijo no teu coração.
Já fiz certa vez um retrospecto das "andanças" de Urano na minha vida. Tenho-o em Gemeos na casa 5, bem próximo à meu Nodo Norte. Gosto imenso dele,. Tive perdas e ganhos. perdas consideráveis mas inevitáveis e ganhos que superaram as expectativas.
E entrar nos 6.0 foi extremamente enriquecedor. Subimos ou descemos , a escolha é nossa. Ficamos mais jovens ou envelhecemos, seguindo os sinais ou não. Temos esperança ou ficamos ranzinzas.
Prefiro a Alegria de Viver! Faz bem à pele ;))))
A vida não é sempre um mar de rosas, mas com certeza, aprendemos com a vida a navegar neste mar, imersos em nuvens perfumadas. É só seguir nadando, remando ou volitando...
Esclarecedor post, como sempre, iluminado amigo!

António Rosa disse...

Minha querida Maria Izabel,

Tenho o meu Úrano no grau zero de Câncer. Imagine, está a fazer a quadratura exacta, na casa 2. ;(

É nessa fase que me encontro: das perdas e ganhos. O balanço final será feito mais tarde.

Muito obrigado pelo seu lindo comentário.

Bom fim-de-semana.

António

Élys disse...

Gosto da Astrologia, mas não tenho nenhum conhecimento, mas vez por outra passo aqui para ler e deixar-lhe um abraço.

MARCELO DALLA disse...

Gratidão, amigo, por mais esta bela aula. Excelente como sempre. Sua sabedoria é inspiradora.
Bjo no seu coração!

Danieli disse...

Excelente post Antonio,obrigada por dividir com todos essa experiência divina!

ManDrag disse...

Sei como é! Já cheguei à beira do precipício e iniciei o salto sobre o abismo. Só não sei se e como chegarei à outra margem e, muito menos, como ela será.
É como a carta da Morte no Tarot.

Abraços

António Rosa disse...

Élys,
Marcelo,
Danieli,
ManDrag

Muito agradecido por terem vindo. Esta quadratura está a deixar-me muito ausente da internet.

Grande abraço.

António

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

que bacana esse post! a década que nasceu minha mãe...
vc e a Astrid fizeram um post especial sobre o tema, gostei muito.
bom dia e sempre, muito obrigado, por tudo!

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates