Desejo(s) - Blogagem Coletiva

6 de agosto de 2010 ·

Este post é parte integrante da blogagem coletiva, 'Sensações e emoções'
no Café com Bolos, de Glorinha Leão

Em filosofia, o desejo é uma tensão em direcção a um fim considerado pela pessoa que deseja como uma fonte de satisfação. É uma tendência algumas vezes consciente, outras vezes inconsciente ou reprimida. Quando consciente, o desejo é uma atitude mental que acompanha a representação do fim esperado, o qual é o conteúdo mental relativo à mesma. Enquanto elemento apetitivo, o desejo se distingue da necessidade fisiológica ou psicológica que o acompanha por ser o elemento afectivo do respectivo estado fisiológico ou psicológico. Tradicionalmente, o desejo pressupõe carência, indigência. Um ser que não carecesse de nada, não desejaria nada, seria um ser perfeito, um Deus. Por isso Platão e os filósofos cristãos tomam o desejo como uma característica de seres finitos e imperfeitos. O desejo é uma atitude mental do sujeito em relação ao mundo. É subjectivo, não objectivo.

Escolhi apresentar alguns intensos desejos realizados pelo cinema
:



Filme indicado ao Globo de Ouro 2008 em 7 categorias: melhor filme de drama, melhor atcor, actriz e actriz coadjuvante, director, roteiro e trilha sonora. Não percam o esplêndido 'Desejo e reparação', transposição para as telas do romance de Ian McEwan. A adaptação feita pelo director Joe Wright é de altíssimo nível, mantendo a essência da história narrada no livro e explorando com competência as possibilidades dos recursos cinematográficos. A fotografia, centrada em planos expressivos e pouco óbvios, e a trilha sonora, pontuada pelas teclas de uma máquina de escrever, são alguns dos destaques da produção - que reencena, sob a forma de imagem, o notável 'ensaio' de McEwan sobre a arte do ficcionista. Argumento: Aos 13 anos, a jovem Briony (Saoirse Ronan/ Romola Garai) já demonstra ter um grande talento como escritora, principalmente por sua grande criatividade. Um dia, ela pensa ter visto a sua irmã mais velha, Cecilia (Keira Knightley), sendo assediada por Robbie (James McAvoy), o filho da governanta de sua casa. Ela fica em silêncio até ao dia em que uma prima é estuprada. Levada pela sua imaginação fértil, Briony tem certeza de que foi o jovem Robbie e acusa-o. O rapaz é preso, mas Cecília está apaixonada por Robbie e é a única que não acredita na acusação de Briony.


A genialidade de Stanley Kubrick fez de um filme de guerra, um intenso desejo de querer a paz. “Horizontes de Glória” foi o filme que enviou Stanley Kubrick para essa galeria dos Grandes Mestres do Cinema. E quando revemos esta obra sobre essa destrutiva e louca guerra de trincheiras que foi a Primeira Guerra Mundial, encontramos um dos maiores filmes feitos até então sobre a irracionalidade da Guerra, porque como todos sabemos nunca haverá guerras justas, porque ambos os lados terminam sempre por cometer as suas atrocidades.
Vive-se a história de uma família, durante cerca de 40 anos, no imenso Estado do Texas, tendo-se contacto com os Benedict, quem os rodeia e com a ambiência política e económica da época naquela zona dos Estados Unidos. Este contacto com o lado económico, está sobretudo ligado à relação que a personagem de James Dean (Jett Rink) tem com a família de Bick Benedict (Rock Hudson) e o intenso desejo de provar que, através do poder económico (petrolífero), tudo se compra (até o amor substituto: a paixão que ele possui por Leslie (Elizabeth Taylor) será transferida para a sua filha.

«Um Eléctrico Chamado Desejo» é um drama poderosíssimo de Elia Kazan realizado em 1951, a partir da peça teatral de Tennessee Williams 'A Streetcar Named Desire'. Depois do sucesso da peça nos palcos da Broadway, o realizador Elia Kazan resolveu aceitar o desafio de passar para filme esta história situada em Nova Orleães. A personagem principal é Blanche DuBois (Vivian Leigh), uma professora de Inglês envelhecida e neurótica que, depois de se envolver em sucessivos escândalos sexuais na sua pequena cidade natal do Mississípi, resolve vender a sua plantação e viajar para Nova Orleães para passar uma temporada com a sua irmã Stella (Kim Hunter), que vive no bairro de Desire. Esta está casada com Stanley Kowalski (Marlon Brando), um homem alcoólico com um temperamento rude e irascível. Blanche não é bem aceite pelo cunhado que acha que a sua mulher saiu a perder com a venda da plantação. Com uma gravidez em fase terminal, Stella vê-se obrigada a suportar os instintos animais do seu marido, defendendo ao mesmo tempo a irmã, apercebendo-se da sua fragilidade física e mental. O filme tornou-se uma marca de referência na cinematografia, devido à grandeza interpretativa dos seus actores e à versatilidade psicológica das suas personagens.


Estes são alguns dos filmes da minha vida.

38 comentários:

Glorinha L de Lion disse...
6 de agosto de 2010 às 04:46  

Amigo Antônio, creio ser a primeira a vir falar- te hoje, pois aqui é madrugada e como ando a escrever muito, terminei meu post agora mesmo.
Gosto muito de alguns desses filmes tb. Mas creio que tu e eu falamos de desejos diferentes. Eu falei do desejo transcendente de escrever, do desejo de que as ideias venham, através da força atávica de meus ancestrais. Como estou escrevendo uma estória que está mexendo muito comigo interiormente, meu desejo é que através de minhas ideias eu consiga alcançar o que tanto desejo.
Teu post está ótimo, pois fala de verdadeiros clássicos da filmografia mundial. Beijos.

Nilce disse...
6 de agosto de 2010 às 11:03  

Oi, Antonio

Os desejos podem ser comuns ou insanos.
Outros muito coerentes com a realidade. Adorei o fato de vc mostrar exemplos direntes de desejos através de filmes que te marcaram.
Muito bom o seu post.
Eu escolhi a suavidade.

Bjs no coração!

Nilce

Chica disse...
6 de agosto de 2010 às 11:11  

Lindo teu post,Antonio! Os desejos podem ser mesmo de todos os tipos e mostraste filmes legais e que te marcaram. DESEJO que sejas sempre muito feliz, com TUDO DE BOM!!!abração,chica

Astrid Annabelle disse...
6 de agosto de 2010 às 11:44  

Bom dia António!
Que post bonito!
Movido à grandes desejos! Com atores de peso representando essas várias formas do desejo humano.
Imagino o quanto devem ser interessantes...
Belíssima participação!
Falar sobre desejos não é tarefa fácil...
Um beijo grande desejando que tenha um excelente dia!
Astrid Annabelle

Astrid Annabelle disse...
6 de agosto de 2010 às 12:29  

Te enviei um email agora mesmo....
beijo
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 13:23  

Olá Glorinha

Acabei de dar a volta completa pelos blogues que aderiram esta semana à blogagem coletiva. Gostei muito do seu post. Poesia fina, mas intensa.

Beijos

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 13:24  

Nilce

Também apreciei muito o seu blogue e a sua escrita. Muito agradecido.

Beijo.

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 13:25  

Chica, minha querida

Aprecio muito o cinema e aproveitei para me expressar desta maneira.

Muito obrigado

Beijo

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 13:26  

Astrid

Falar sobre desejos não é nada fácil, quando sinto dentro de mim apenas um 'desejo': o poder viver metade do ano na Patagónia Sul da Argentina.

:)))

Beijos

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 13:27  

Astrid

Fui agora ver, mas a esta hora - 13:27 - ainda não chegou o email que fala. Obrigado. Vai chegar... :)

Meru Sâmi disse...
6 de agosto de 2010 às 13:43  

ACABEI DE LER O SEU POST, E ME CHAMOU A ATENÇÃO A ABORDAGEM FILOSÓFICA DO DESEJO.GOSTEI!
QUANTOS AOS FILMES, NÃO SABERIA COMENTAR JÁ QUE SOU BASICAMENTE IGNORÂNTE NESTE QUESITO.
CONTUDO, A APRESENTAÇÃO DE EXEMPLOS NÔS POSSIBILITA A ASSISTI-LOS E ENTÃO DAR NOSSO PARECER. BOA SACADA!...

BEIJOS...

ELA disse...
6 de agosto de 2010 às 14:37  

Olá, António.

Interessante a abordagem do tema da blogagem coletiva pelo viés filosófico. Não imaginei que a filosofia teria uma versão tão sucinta para definir esse "sentimento".

Interessante também a apresentação dos filmes. Eu aprecio muito, particularmente, o primeiro. É um filme comovente e com uma trilha sonora realmente marcante e este é um fator ao qual a maioria das pessoas se esquecem de fazer referência. Para quem tem uma dose de sensibilidade extra, o filme é uma explosão de sensações.

Um abraço,
Michelle Siqueira

Serginho Tavares disse...
6 de agosto de 2010 às 14:40  

Mas estes seus filmes são esplêndidos amigo!
Um melhor que o outro!
ADORO Desejo e Reparação, Um eléctrico chamado desejo e Giant!

Lúcia Soares disse...
6 de agosto de 2010 às 15:06  

António, obrigada pela visita e comentário.
Realmente, o desejar é bem interessante, nunca atentei que fosse subjetivo, estando tão claro que o seja. Posso desejar algo que absolutamente não interesse a mais ninguém.
Sobre os filmes, assisti apenas "Assim caminha a humanidade". Belíssimo.
Hoje desejo que seu dia tenha sido muito bom (esteja sendo), lendo sobre tantos desejos que nos movem.
Grande abraço!

Socorro Melo disse...
6 de agosto de 2010 às 15:50  

Olá, Antonio!

Muito interessante seu post. Os desejos, às vezes, são insanos. Você demonstra vários exemplos de desejos, bem diferenciados, mas, que nos dão uma noção do universo da mente humana, com seus desejos reais, realizáveis e loucos, imaginários.

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 15:53  

Meru

Muito agradecido pela visita. Gostei imenso do seu blogue. Aquele verde deixou.me impressionado Os seus poemas, também.

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 15:56  

Michelle

Muito agradecido pela sua visita. Também apreciei muito a sua abordagem e o seu blogue é uma beleza. Abraço.

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 15:57  

Serginho

Também ponho esse filme num dos topos dos meus interesses. Belíssimo. Abraço.

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 15:59  

Lúcia

Repito o que lhe disse no seu post: retribuo-lhe os desejos. Foi muito simpática. Abraço.

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 16:01  

Socorro Melo

Gostei muito de ir ao seu blogue. O seu poema é belo e bem enquadrado por uma excelente ilustração. Parabéns. Abraço.

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...
6 de agosto de 2010 às 16:23  

Oi Antônio!
Obrigada pela visita.
Bela abordagem a sua, e os filmes entaõ!!! Uau, assisti os 3 últimos, são lindos mesmo.
Um lindo final de semana pra vc amigo.
Beijinhos.

Flores e Luz.

Lianara **Lia** disse...
6 de agosto de 2010 às 17:35  

OLá Antônio!

Que maravilha sua postagem!
Adoro filmes e os que você citou são lindos de viver!!

Desejo que todos os teus sonhos se realizem!!

Beijos

Lia

Blog Reticências...

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 18:19  

Olá Mônica

Foi um grande prazer ler o seu blogue e os seus desejos. Gostei muito.
Muito agradecido ela visita.

António

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 18:20  

Olá Lia também desejo que tios os seus desejos se realizem.

Beijo.

Sonia Beth disse...
6 de agosto de 2010 às 18:47  

Divino! Esta abordagem desejo + cinema ficou ótima!

beijinhos

António Rosa disse...
6 de agosto de 2010 às 19:13  

Querida Sônia

Também adorei a sua abordagem ao tema 'desejo'. Excelente. beijos.

HSLO disse...
6 de agosto de 2010 às 20:47  

Maravilhosa postagem viu....desejos e desejos.

aproveito e te desejo uma ótima sexta-feira de paz


abraços

Hugo

Adelaide Figueiredo disse...
6 de agosto de 2010 às 21:28  

antónio,

Gostei muito deste post.Conseguiu fazer uma fusão óptima, falando do desejo e de óptimos filmes que também mostram as muances do dito desejo, para se integrar no tema da Blogagem Colectiva. Parabéns.
Desejo-lhe um óptimo fim-de-semana.

Abraço

Macá disse...
6 de agosto de 2010 às 22:14  

Antonio
Gostei muito da maneira que você nos trouxe o DESEJO. Em forma de filmes muito bons.
Parabéns
E eu lhe desejo muitas alegrias em sua vida.
um beijo

Luma Rosa disse...
7 de agosto de 2010 às 00:40  

Falar de desejos ou da vontade de saciedade do homem, seja ele de luxo ou sobrevivência. Dos filmes que apresentou, sou apaixonada por Giant "Assim caminha a humanidade", já fiz até postezito sobre ele, mas agora não vem ao caso. James Dean parecia prever a própria morte quando sempre repetia a frase "é preciso viver depressa, pois a morte chega cedo". Por isso talvez, inconscientemente tinha a necessidade de viver intensamente e satisfazer todos os seus desejos.
Mas pensa, vivemos de desejos desde a hora que acordamos e cada ação é o suprimento de um desejo. O desejo é o próprio impulso de sobrevivência.
Bom fim de semana! Beijus,

angela disse...
7 de agosto de 2010 às 05:23  

Muito criativa sua postagem e os filmes são ótimos e representam bem o que quer dizer.
beijos

António Rosa disse...
7 de agosto de 2010 às 09:28  

Hugo

Também te desejo um feliz fim-de-semana.

Abraço

António Rosa disse...
7 de agosto de 2010 às 09:28  

Adelaide

Muito agradecido pela presença. Abraço

António Rosa disse...
7 de agosto de 2010 às 09:28  

Maca

Que bom ter recebido a sua visita, Um beijo.

António Rosa disse...
7 de agosto de 2010 às 09:28  

Luma, minha querida

«O desejo é o próprio impulso de sobrevivência.» Grande verdade.

Muito obrigado.

Beijo

António Rosa disse...
7 de agosto de 2010 às 09:28  

Ângela

A sua opinião é sempre muito importanbte para mim. Beijos.

Marliborges disse...
7 de agosto de 2010 às 16:59  

Muito bom, Antonio!
Os vários lados da moeda. É disso que eu gosto. A abordagem filosófica, embora suscinta é pertinente e muito esclarecedora. Obrigada por compartilhar.
Quanto aos filmes, são sensacionais, grandes clássicos que fizeram história e mexeram com nossos pensamentos.
Adorei o post.
Bjsssssssss

Anónimo disse...
2 de janeiro de 2012 às 23:43  

Olá António, adoro o filme GIANT, ou não tivesse ele um excelente actor e pessoa, James Dean! Obrigado

6 de agosto de 2010

Desejo(s) - Blogagem Coletiva

Este post é parte integrante da blogagem coletiva, 'Sensações e emoções'
no Café com Bolos, de Glorinha Leão

Em filosofia, o desejo é uma tensão em direcção a um fim considerado pela pessoa que deseja como uma fonte de satisfação. É uma tendência algumas vezes consciente, outras vezes inconsciente ou reprimida. Quando consciente, o desejo é uma atitude mental que acompanha a representação do fim esperado, o qual é o conteúdo mental relativo à mesma. Enquanto elemento apetitivo, o desejo se distingue da necessidade fisiológica ou psicológica que o acompanha por ser o elemento afectivo do respectivo estado fisiológico ou psicológico. Tradicionalmente, o desejo pressupõe carência, indigência. Um ser que não carecesse de nada, não desejaria nada, seria um ser perfeito, um Deus. Por isso Platão e os filósofos cristãos tomam o desejo como uma característica de seres finitos e imperfeitos. O desejo é uma atitude mental do sujeito em relação ao mundo. É subjectivo, não objectivo.

Escolhi apresentar alguns intensos desejos realizados pelo cinema
:



Filme indicado ao Globo de Ouro 2008 em 7 categorias: melhor filme de drama, melhor atcor, actriz e actriz coadjuvante, director, roteiro e trilha sonora. Não percam o esplêndido 'Desejo e reparação', transposição para as telas do romance de Ian McEwan. A adaptação feita pelo director Joe Wright é de altíssimo nível, mantendo a essência da história narrada no livro e explorando com competência as possibilidades dos recursos cinematográficos. A fotografia, centrada em planos expressivos e pouco óbvios, e a trilha sonora, pontuada pelas teclas de uma máquina de escrever, são alguns dos destaques da produção - que reencena, sob a forma de imagem, o notável 'ensaio' de McEwan sobre a arte do ficcionista. Argumento: Aos 13 anos, a jovem Briony (Saoirse Ronan/ Romola Garai) já demonstra ter um grande talento como escritora, principalmente por sua grande criatividade. Um dia, ela pensa ter visto a sua irmã mais velha, Cecilia (Keira Knightley), sendo assediada por Robbie (James McAvoy), o filho da governanta de sua casa. Ela fica em silêncio até ao dia em que uma prima é estuprada. Levada pela sua imaginação fértil, Briony tem certeza de que foi o jovem Robbie e acusa-o. O rapaz é preso, mas Cecília está apaixonada por Robbie e é a única que não acredita na acusação de Briony.


A genialidade de Stanley Kubrick fez de um filme de guerra, um intenso desejo de querer a paz. “Horizontes de Glória” foi o filme que enviou Stanley Kubrick para essa galeria dos Grandes Mestres do Cinema. E quando revemos esta obra sobre essa destrutiva e louca guerra de trincheiras que foi a Primeira Guerra Mundial, encontramos um dos maiores filmes feitos até então sobre a irracionalidade da Guerra, porque como todos sabemos nunca haverá guerras justas, porque ambos os lados terminam sempre por cometer as suas atrocidades.
Vive-se a história de uma família, durante cerca de 40 anos, no imenso Estado do Texas, tendo-se contacto com os Benedict, quem os rodeia e com a ambiência política e económica da época naquela zona dos Estados Unidos. Este contacto com o lado económico, está sobretudo ligado à relação que a personagem de James Dean (Jett Rink) tem com a família de Bick Benedict (Rock Hudson) e o intenso desejo de provar que, através do poder económico (petrolífero), tudo se compra (até o amor substituto: a paixão que ele possui por Leslie (Elizabeth Taylor) será transferida para a sua filha.

«Um Eléctrico Chamado Desejo» é um drama poderosíssimo de Elia Kazan realizado em 1951, a partir da peça teatral de Tennessee Williams 'A Streetcar Named Desire'. Depois do sucesso da peça nos palcos da Broadway, o realizador Elia Kazan resolveu aceitar o desafio de passar para filme esta história situada em Nova Orleães. A personagem principal é Blanche DuBois (Vivian Leigh), uma professora de Inglês envelhecida e neurótica que, depois de se envolver em sucessivos escândalos sexuais na sua pequena cidade natal do Mississípi, resolve vender a sua plantação e viajar para Nova Orleães para passar uma temporada com a sua irmã Stella (Kim Hunter), que vive no bairro de Desire. Esta está casada com Stanley Kowalski (Marlon Brando), um homem alcoólico com um temperamento rude e irascível. Blanche não é bem aceite pelo cunhado que acha que a sua mulher saiu a perder com a venda da plantação. Com uma gravidez em fase terminal, Stella vê-se obrigada a suportar os instintos animais do seu marido, defendendo ao mesmo tempo a irmã, apercebendo-se da sua fragilidade física e mental. O filme tornou-se uma marca de referência na cinematografia, devido à grandeza interpretativa dos seus actores e à versatilidade psicológica das suas personagens.


Estes são alguns dos filmes da minha vida.

38 comentários:

Glorinha L de Lion disse...

Amigo Antônio, creio ser a primeira a vir falar- te hoje, pois aqui é madrugada e como ando a escrever muito, terminei meu post agora mesmo.
Gosto muito de alguns desses filmes tb. Mas creio que tu e eu falamos de desejos diferentes. Eu falei do desejo transcendente de escrever, do desejo de que as ideias venham, através da força atávica de meus ancestrais. Como estou escrevendo uma estória que está mexendo muito comigo interiormente, meu desejo é que através de minhas ideias eu consiga alcançar o que tanto desejo.
Teu post está ótimo, pois fala de verdadeiros clássicos da filmografia mundial. Beijos.

Nilce disse...

Oi, Antonio

Os desejos podem ser comuns ou insanos.
Outros muito coerentes com a realidade. Adorei o fato de vc mostrar exemplos direntes de desejos através de filmes que te marcaram.
Muito bom o seu post.
Eu escolhi a suavidade.

Bjs no coração!

Nilce

Chica disse...

Lindo teu post,Antonio! Os desejos podem ser mesmo de todos os tipos e mostraste filmes legais e que te marcaram. DESEJO que sejas sempre muito feliz, com TUDO DE BOM!!!abração,chica

Astrid Annabelle disse...

Bom dia António!
Que post bonito!
Movido à grandes desejos! Com atores de peso representando essas várias formas do desejo humano.
Imagino o quanto devem ser interessantes...
Belíssima participação!
Falar sobre desejos não é tarefa fácil...
Um beijo grande desejando que tenha um excelente dia!
Astrid Annabelle

Astrid Annabelle disse...

Te enviei um email agora mesmo....
beijo
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Olá Glorinha

Acabei de dar a volta completa pelos blogues que aderiram esta semana à blogagem coletiva. Gostei muito do seu post. Poesia fina, mas intensa.

Beijos

António Rosa disse...

Nilce

Também apreciei muito o seu blogue e a sua escrita. Muito agradecido.

Beijo.

António Rosa disse...

Chica, minha querida

Aprecio muito o cinema e aproveitei para me expressar desta maneira.

Muito obrigado

Beijo

António Rosa disse...

Astrid

Falar sobre desejos não é nada fácil, quando sinto dentro de mim apenas um 'desejo': o poder viver metade do ano na Patagónia Sul da Argentina.

:)))

Beijos

António Rosa disse...

Astrid

Fui agora ver, mas a esta hora - 13:27 - ainda não chegou o email que fala. Obrigado. Vai chegar... :)

Meru Sâmi disse...

ACABEI DE LER O SEU POST, E ME CHAMOU A ATENÇÃO A ABORDAGEM FILOSÓFICA DO DESEJO.GOSTEI!
QUANTOS AOS FILMES, NÃO SABERIA COMENTAR JÁ QUE SOU BASICAMENTE IGNORÂNTE NESTE QUESITO.
CONTUDO, A APRESENTAÇÃO DE EXEMPLOS NÔS POSSIBILITA A ASSISTI-LOS E ENTÃO DAR NOSSO PARECER. BOA SACADA!...

BEIJOS...

ELA disse...

Olá, António.

Interessante a abordagem do tema da blogagem coletiva pelo viés filosófico. Não imaginei que a filosofia teria uma versão tão sucinta para definir esse "sentimento".

Interessante também a apresentação dos filmes. Eu aprecio muito, particularmente, o primeiro. É um filme comovente e com uma trilha sonora realmente marcante e este é um fator ao qual a maioria das pessoas se esquecem de fazer referência. Para quem tem uma dose de sensibilidade extra, o filme é uma explosão de sensações.

Um abraço,
Michelle Siqueira

Serginho Tavares disse...

Mas estes seus filmes são esplêndidos amigo!
Um melhor que o outro!
ADORO Desejo e Reparação, Um eléctrico chamado desejo e Giant!

Lúcia Soares disse...

António, obrigada pela visita e comentário.
Realmente, o desejar é bem interessante, nunca atentei que fosse subjetivo, estando tão claro que o seja. Posso desejar algo que absolutamente não interesse a mais ninguém.
Sobre os filmes, assisti apenas "Assim caminha a humanidade". Belíssimo.
Hoje desejo que seu dia tenha sido muito bom (esteja sendo), lendo sobre tantos desejos que nos movem.
Grande abraço!

Socorro Melo disse...

Olá, Antonio!

Muito interessante seu post. Os desejos, às vezes, são insanos. Você demonstra vários exemplos de desejos, bem diferenciados, mas, que nos dão uma noção do universo da mente humana, com seus desejos reais, realizáveis e loucos, imaginários.

António Rosa disse...

Meru

Muito agradecido pela visita. Gostei imenso do seu blogue. Aquele verde deixou.me impressionado Os seus poemas, também.

António Rosa disse...

Michelle

Muito agradecido pela sua visita. Também apreciei muito a sua abordagem e o seu blogue é uma beleza. Abraço.

António Rosa disse...

Serginho

Também ponho esse filme num dos topos dos meus interesses. Belíssimo. Abraço.

António Rosa disse...

Lúcia

Repito o que lhe disse no seu post: retribuo-lhe os desejos. Foi muito simpática. Abraço.

António Rosa disse...

Socorro Melo

Gostei muito de ir ao seu blogue. O seu poema é belo e bem enquadrado por uma excelente ilustração. Parabéns. Abraço.

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...

Oi Antônio!
Obrigada pela visita.
Bela abordagem a sua, e os filmes entaõ!!! Uau, assisti os 3 últimos, são lindos mesmo.
Um lindo final de semana pra vc amigo.
Beijinhos.

Flores e Luz.

Lianara **Lia** disse...

OLá Antônio!

Que maravilha sua postagem!
Adoro filmes e os que você citou são lindos de viver!!

Desejo que todos os teus sonhos se realizem!!

Beijos

Lia

Blog Reticências...

António Rosa disse...

Olá Mônica

Foi um grande prazer ler o seu blogue e os seus desejos. Gostei muito.
Muito agradecido ela visita.

António

António Rosa disse...

Olá Lia também desejo que tios os seus desejos se realizem.

Beijo.

Sonia Beth disse...

Divino! Esta abordagem desejo + cinema ficou ótima!

beijinhos

António Rosa disse...

Querida Sônia

Também adorei a sua abordagem ao tema 'desejo'. Excelente. beijos.

HSLO disse...

Maravilhosa postagem viu....desejos e desejos.

aproveito e te desejo uma ótima sexta-feira de paz


abraços

Hugo

Adelaide Figueiredo disse...

antónio,

Gostei muito deste post.Conseguiu fazer uma fusão óptima, falando do desejo e de óptimos filmes que também mostram as muances do dito desejo, para se integrar no tema da Blogagem Colectiva. Parabéns.
Desejo-lhe um óptimo fim-de-semana.

Abraço

Macá disse...

Antonio
Gostei muito da maneira que você nos trouxe o DESEJO. Em forma de filmes muito bons.
Parabéns
E eu lhe desejo muitas alegrias em sua vida.
um beijo

Luma Rosa disse...

Falar de desejos ou da vontade de saciedade do homem, seja ele de luxo ou sobrevivência. Dos filmes que apresentou, sou apaixonada por Giant "Assim caminha a humanidade", já fiz até postezito sobre ele, mas agora não vem ao caso. James Dean parecia prever a própria morte quando sempre repetia a frase "é preciso viver depressa, pois a morte chega cedo". Por isso talvez, inconscientemente tinha a necessidade de viver intensamente e satisfazer todos os seus desejos.
Mas pensa, vivemos de desejos desde a hora que acordamos e cada ação é o suprimento de um desejo. O desejo é o próprio impulso de sobrevivência.
Bom fim de semana! Beijus,

angela disse...

Muito criativa sua postagem e os filmes são ótimos e representam bem o que quer dizer.
beijos

António Rosa disse...

Hugo

Também te desejo um feliz fim-de-semana.

Abraço

António Rosa disse...

Adelaide

Muito agradecido pela presença. Abraço

António Rosa disse...

Maca

Que bom ter recebido a sua visita, Um beijo.

António Rosa disse...

Luma, minha querida

«O desejo é o próprio impulso de sobrevivência.» Grande verdade.

Muito obrigado.

Beijo

António Rosa disse...

Ângela

A sua opinião é sempre muito importanbte para mim. Beijos.

Marliborges disse...

Muito bom, Antonio!
Os vários lados da moeda. É disso que eu gosto. A abordagem filosófica, embora suscinta é pertinente e muito esclarecedora. Obrigada por compartilhar.
Quanto aos filmes, são sensacionais, grandes clássicos que fizeram história e mexeram com nossos pensamentos.
Adorei o post.
Bjsssssssss

Anónimo disse...

Olá António, adoro o filme GIANT, ou não tivesse ele um excelente actor e pessoa, James Dean! Obrigado

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates