Dicionário Místico: Nova Jerusalém

27 de julho de 2009 ·

Photobucket

Sempre me fascinou o conceito de «Nova Jerusalém». Desde muito antes de ser popularizado pelas canalizações de Kryon, através de Lee Carol. Desde o tempo em que ainda se acreditava em 'céu' e 'inferno'. Posso garantir-vos que deixei de acreditar nisso há dezenas de anos. Desde os tempos em que parte das minhas leituras passavam por santos e filósofos, teólogos e livros sagrados. Foi sempre um fascínio, uma atracção, qual vórtice que me encaminhava para a expressão «Nova Jerusalém».

Hoje, muitos de nós sabemos que o 'céu' é o local para onde se encaminha o nosso planeta ao migrar para outras dimensões. Portanto, a próxima localização deste planeta será em «Nova Jerusalém». Por isso, nunca tanta gente tem trabalhado intensamente o chacra do coração. É uma promessa.

Kryon, numa das suas canalizações, afirmou: «A Terra assumirá uma nova tarefa. Como milhões de formas de vida do universo físico, este planeta acabará por se unir a muitos dos outros planetas. O potencial é grande, e este é um novo plano que não é imediato, mas sim um plano ao qual todos teremos capacidade de voltar. Este novo plano acabará por nos levar a uma energia que está sendo chamada de a Nova Jerusalém. Será nesta época que acabaremos conhecendo "oficialmente" outras formas de vida.»

Sabem, isto de oficialmente podermos vir a conhecer outras formas de vida, sempre me pareceu fantástico. Soa a ficção científica, mas é assim que para mim a coisa faz sentido. Deve ser do meu Júpiter em Aquário na Casa 9. Faz todo o sentido, porque não acredito que estamos sós neste universo. Tão simples como isto. E agrada-me muito a ideia de poder conviver com outros povos, que não sejam deste planeta.

«Nova Jerusalém», sempre foi uma promessa do Céu. Nova Jerusalém é um conceito urbano do céu. Que moderno estou, a explicar assim! Ao contrário do paraíso simples e natural descrito em textos bíblicos, onde a Nova Jerusalém acarretava imagens de torres em flechas de ouro, paredes douradas e mansões cobertas de jóias. Era assim que os antigos viam esta Nova Jerusalém.

Imagine: já no século nove, a verbalização duma tão cosmopolita corte (Nova Jerusalém) passou a constar dos cânticos dos monges, de acordo com a maneira como imaginavam o paraíso cristão na época.

O conceito de um lugar sagrado e resplandecente (Nova Jerusalém) tem a sua origem no Antigo Testamento hebraico, em passagens que prevêem uma cidade gloriosa de intermináveis alegrias. Mais tarde, no texto «Apocalipse», São João descreve que "estarão revestidas de ouro e jóias". "E eu, João, vi a cidade santa, Nova Jerusalém vindo de Deus para fora do céu, preparada como uma noiva adornada para o esposo." (Apoc. 21:1-3). Este tornou-se desde então o tópico de um debate contencioso entre clérigos e críticos.

O escritor cristão São Paulo também descreve nos seus escritos uma cidade. Uma das suas cartas aos primeiros cristãos oferece aos seguidores a cidadania na eternidade do paraíso, onde habitarão com Deus. Esta imagem dos manuscritos é um bem demarcado abandono de outras noções de paraíso como jardim bucólico de maravilhas naturais, onde abundam prados exuberantes, regatos de cristal e flores perfumadas.

As linguagens foram mudando ao longo dos séculos, e os ensinamentos hoje são mais claros e transparentes. É necessário cuidar deste planeta e de nós mesmos, para podermos perceber que estamos juntos nesta experiência multidimensional.

O divinoporto levar-nos-á a caminho de «Nova Jerusalém».

55 comentários:

Meri Pellens disse...
27 de julho de 2009 às 13:51  

Tbm acredito que exista outras formas de vida além do nosso planeta. É muito natural que haja. Beijinho, Antônio.

Shin Tau disse...
27 de julho de 2009 às 14:03  

António,

o que me ri quando li isto: «E agrada-me muito a ideia de poder conviver com outros povos, que não sejam deste planeta.» Claro, esse Gémeos a querer novidades!!! Lindo, perfeito!

Confesso que me agrada muito essa ideia da Nova Jerusalém, e sinceramente vejo-a cada vez amis próxima!

Adorei o texto, muito sentido e, por isso mesmo, muito pessoal.

Obrigada e beijocas

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 14:30  

Meri, já somos 2. Obrigado. Beijo.

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 14:30  

Shin

Relendo, também me ri. :)

Violeta Encarnada disse...
27 de julho de 2009 às 15:26  

Há musicas que falam de Jerusalém, não sei se da nova se da velha, como esta que deve conhecer: "Que alegria quando me disseram vamos para a casa do Senhor/ Os nossos passos já se encontram às tuas portas, Jerusalém"
Eu cantava isto na missa há décadas, portanto é da velha, mas a letra também daria para a Nova...

Sempre li muita ficção científica, a certa altura foi a minha leitura preferida. A idéia de conhecermos "oficialmente" outras formas de vida é-me muito agradável, excitante e tudo.Nunca duvidei que isso poderia acontecer. Só espero é que não se pareçam com polvos e assim... :)

Boa sesta, Maestro!

angela disse...
27 de julho de 2009 às 15:34  

Oi Antonio
Olha eu aqui de novo..rs
Interessante o texto e fiquei pensando que as pessoas imaginam de acordo com o que conhecem, desejam e necessitam (qualquer hora vou tentar desenvolver isso) jardim florido onde nada falta, cidade rica e enfeitada, outro planeta com vida mais evoluida. Acho que vamos avançando,não?
Agora me ajude a diminuir a ignorancia, Kryon?
beijos
Angela

tereza disse...
27 de julho de 2009 às 15:34  

Acredito que nunca estivemos sós, como há condução,
e estamos no caminho.

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 15:58  

Violeta

Ah! Ficção científica. Em 1981 ou 82 (não me lembro exactamente) ajudei a criar a colecção de bolso de sf da Europa-América. Conhece?

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 16:00  

Ângela

Kryon - clique na 2ª linha azulada deste post. A partir daí, tem o mundo à sua frente para descobrir quem é esse nome. Boa viagem. Sim, porque se fizer isso, vai iniciar uma viagem sem retorno.

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 16:01  

Tereza

É verdade: nunca estivemos sós. :)

Violeta Encarnada disse...
27 de julho de 2009 às 16:05  

Conheço.

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 16:19  

Violeta

Então já sabe há quanto tempo sou um praticante desse gén ero literário.

Violeta Encarnada disse...
27 de julho de 2009 às 17:51  

Deu-me vontade de ler ficção científica outra vez, fui à rua para comprar, mas voltei, está demasiado calor, talvez parecido com o do tal Inferno que nos impingiram. Só não percebo porquê que a Senhora de Fátima mostrou o Inferno, que não existe, aos pastorinhos.

Fui-me registar no site do Pedro Elias com o meu nome verdadeiro, mas diz que esse nome já existe. Lá terei que arranjar outro, sou boa nisso.
O Pedro Elias transmite uma sensação de...silêncio, a palavra é silêncio. Na CE eu sentia isso quando ia à página dele.
Às vezes não queremos silenciar...

Saio com o silêncio possível...

marcelo dalla disse...
27 de julho de 2009 às 17:57  

Olá Antonio! A ficção cientifica sempre me fascinou e agora descubro coisas tão fantásticas quanto e que para mim soam como verdadeiras.
Nova Jerusalem, ou Shambala para os budistas, ou ainda Aruanda para os Umbandistas... estamos todos caminhando para lá.
Também quero ser amigo dos ETs! rsrsrsrsrs
abraço

Fada Moranga disse...
27 de julho de 2009 às 18:07  

Mas oh antónio, eu quero prados exuberantes! A Nova Jerusalém tem que ter muito verdete e chão pra cavar batatas! E couves!

Eu até já ando a guardar sementes... ;-)
Beijo*deFada

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 18:11  

Marcelo

Vou construir uma nave (meio pindérica, diga-se) para irmos ao encontro dos et's. Tu vais como co-comandante.

:))))

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 18:12  

Violeta

O site do Pedro Elias é um deslumbramento. Aquele amigo é mesmo muito especial. É um Instrutor Superior.

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 18:13  

Fada

Também conto contigo na nave ao encontro dos et's. Quanto às sementes, vamos providenciar espaço para as guardar.

:)

RosanAzul disse...
27 de julho de 2009 às 18:41  

Lindo teu blog de excelente conteúdo! Parabéns! Te encontrei através da Nave Azul!! Beijos Luz! RO

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 18:48  

Rosan

Muito obrigado. Vou conhecer agora o seu. abraço.

Fada Moranga disse...
27 de julho de 2009 às 18:50  

António, se precisar de materiais para a nave fáxavor e avisar - tenho aí umas fitas giras! :-)

(tenho sementes de abóbora, melão doce, maçã sumarenta... bolo de chocolate...)

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 18:53  

Fada

até seria giro que a Margot aparecesse por aqui, porque há uns anos, no chat do site da CE, tínhamos momentos de autêntica loucura, numa suposta nave onde viajávamos. Foi um Verão louco aquele.

Ok, se precisar de ajuda, peço.

marcelo dalla disse...
27 de julho de 2009 às 18:59  

Aceito o convite! Quando criança subia em árvores e brincava de pilotar naves. Já previa o futuro... :)))

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 19:04  

Marcelo

Já percebeste porque vais como co-comandante, certo? É que trabalha mais que o comandante... rsrsrs

Será um prazer ter-te na nave, claro.

Abraço

Fada Moranga disse...
27 de julho de 2009 às 20:02  

António, é melhor levar isto na nave... http://www.etsy.com/view_listing.php?listing_id=26861553&utm_source=etsy_finds&utm_medium=email&utm_campaign=etsy_finds_072709

:-)))

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 20:35  

Fada
Vou já tratar de arranjar um sítio amplo para esse urso lindo.

:)

HAZEL disse...
27 de julho de 2009 às 21:17  

A minha credibilidade é bem capaz de ficar abalada depois deste comentário.
Por outras palavras, vão pensar que sou maluquinha, tã-tã. Ou mentirosa, sei lá.

Há muitos anos atrás, na minha adolescência (para aí há 100 anos!), vinha da escola, a caminho de casa.

E durante esse persurso todo, fui seguida por umas luzes no céu nocturno (já devia passar das 18.00, mas era Inverno, por isso, estava escuro). Eram umas 3 ou 4, que se movimentavam em círculos.

Lembro-me de ter ficado com medo, mas elas estavam bastante altas.
Ninguém acreditou em mim. E é a primeira vez, em quase 20 anos, que volto a falar nisso.

E, há bem pouco tempo, vi fadas.
Duas! Com cerca de 40/50 cms de comprimento.
Acordaram-me a meio da noite, e voaram até perto de mim.
Mas não falaram.
Depois desapareceram.

Foi maravilhoso.
Não me importo que ninguém acredite. Até compreendo!
Adorava vê-las de novo.

Em conclusão, acho que estou preparada para lidar com ETs...!

Uma noite feliz

António Rosa, José disse...
27 de julho de 2009 às 21:29  

Hazel

Que belo testemunho.

Eu acredito.

Também vi 1 fada há uns anos.

Portanto, já tem lugar na nave que estamos a construir para ir ao encontro dos et's. Pode trazer a família. Eles nem vão notar a diferença. :)

adriana disse...
27 de julho de 2009 às 21:36  

António,
Que belo texto!
Jeru Jeru Salem!
:)

HAZEL disse...
27 de julho de 2009 às 21:54  

António,

É a primeira pessoa que conheço que viu fadas.

Que bom saber isso. Fiquei muito contente. Também se sentiu uma criança quando viu?
Eu senti-me assim, quando vi as fadas.
Ainda bem que contei.

Obrigada pelos lugares na nave!
Ofereço-me para tratar da decoração da nave, para ficar muito acolhedora. ;-)
Podemos levar a tartaruga?
LOL

Adelaide Figueiredo disse...
27 de julho de 2009 às 22:50  

António,

Desde de manhã que tenho andado para responder a este seu texto. Gostei muito e não me espanta nada que possam existir outros seres. Tenho a certeza que não estamos sozinhos.
Agora vou dizer uma coisa que talvez seja estúpida para quem ler este comentário.
Faz-me confusão e por mais voltas que dê à minha imaginação não me entra cá dentro como conseguiremos passar para outra dimensão se não desencarnarmos aqui. Só assim consigo ver a coisa. Então a partir dessa parte consigo imaginar tudo e mais alguma coisa.
Será que vocês inclusivé o António também pensa assim?

Adelaide Figueiredo disse...
27 de julho de 2009 às 22:57  

Com esta minha preocupação de esplicar a minha dificuldade em entender esta transformação, esqueci-me de dizer que quero ir na maravilhosa nave. Pode ser feita de material reciclado para não se estragar nada e tudo se aproveitar. Quando lá chegarmos vamos plantar as sementes da nossa amiga Fada.
Gostei deste bocadinho.:)
Boa noite.
Abraço

Clotilde S. disse...
27 de julho de 2009 às 23:01  

José António,

Maravilhoso paraíso o que preconizas.

Estou contigo nesse caminho.

Um abraço longo,

Clotilde

Rosan disse...
28 de julho de 2009 às 01:30  

Oi Antonio.
Vim agradecer a visita, e por seguir.
Li o teu testo, e te digo que com palavras diferentes talvez, mas os nossos pensamentos são parecidos.
Acridito numa nova era que esta por se instalar assim digamos no nosso planeta. tempo de mudanças de energia, de pensamentos, de atitudes. Os que tem muita maldade ainda no coração não terão mais lugar na grande nau terra, sem amor não poderemos fazer parte dessa tranformação, Temos que aquecer muito o chacra do coração para podermos entrar nessa "nave".

desculpa se falo demais, me empolgo quando entro nesses assuntos.
Um abraço.

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 06:52  

Adriana

Obrigado. Diverti-me a escreve-lo e muito, porque foi só puxar um bocadinho pela memória. :)

Espero que já tenha recebido as informações da Maria Lúcia.

A&L

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 06:53  

Hazel


Foi uma vez há vários anos e era uma só. Estava a descansar numa quintinha de amigos na régua e deixei-me adormecer à sombra de uma árvore. Eu chamo fada, porque foi a ideia que tive na altura. Podia ser um outro elemental só que eu chamo fada. Acordei com a 'conversa' que estava a ter.

A tartaruga pode vir. Vamos acomodá-la também.

Ok. Conto consigo para a decoração da nave.

:)

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 06:56  

Adelaide,

Quanto à passagem interdimensional dos seres humanos, parece ser possível, segundo os estudiosos, que muitos passem com o corpo. Não serão todos, desde logo.

Eu penso que alguns (muitos, muitos) passarão para a 5D. Eu si que eu não passarei, ma sisso é outra história. Gostaria de muito de passar, pois há momentos que vivo numa e o resto do tempo vivo nesta 3D.

Mais abaixo há um post do André que fala nisso.

Ok, então também pode vir nessa nave que estamos a preparar. :)

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 06:56  

Clotilde

Então, vamos juntos. Pode ser?


Abraço

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 06:56  

Rosan

Grato pela sua visita. Ainda bem que pensa assim. La nave va!

Abraço

HAZEL disse...
28 de julho de 2009 às 10:11  

As que vi, tinham um halo de luz à volta, e eram translúcidas.
Flutuavam no ar e deslocaram-se com delicadeza até perto de mim. Foi lindo.

E aconteceu no Alentejo.

Não foi o único encontro com seres de outros mundos; aqui em casa também vi um ser masculino ao lado da nossa cama, de noite. O Consorte dormia profundamente.
Esse ser tinha uma estrutura física, curiosamente, semelhante à sua, mas devia medir quase uns 2 metros de altura.
Estava parado, silencioso, a observar-me.
Era também translúcido.
E tinha umas vestes antigas, creio que era uma capa grande.
Não consegui perceber se a capa lhe tapava a cabeça, ou se era o cabelo dele que era grande.
Não sei quem ele era.

Marta disse...
28 de julho de 2009 às 11:11  

olá António,

Que texto maravilhoso e actual. confesso que todos os dias espero a Grande Nave, bem ao estilo de hollywood, com uns et's fantásticos, super avançado e que nos resgatam.... depois percebo que a Grande Nave já está na Terra e que a Nova Jerusalém renasce em cada um de nós em cada dia, resta criar a consciência para viajar entre os diferentes planos....

Eu ainda estou na fase de Hollywood e talvez o meu lado 3D precise de et's para animar o dia... mas espero chegar à consciência de todos já estarmos no Eden Prometido!

bjs de luz!!!
Marta

adriana disse...
28 de julho de 2009 às 11:29  

António,
Acabei de receber.
Sou profundamente grata a ambos.
Vocês são seres valiosos!
A&L

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 11:30  

Olá Marta,

Confesso que não gosto da palavra 'resgatar', porque creio que não estamos presos, mas estou completamemte de acordo com a Grande Nave.

Iremos todos conseguir.

Se quiseres, podes vir na nave que estamos a construir (brincando!)

Beijosa de luz

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 11:31  

Hazel

Que belo testemunho. Porque não lhe perguntou: 'quem és?'

HAZEL disse...
28 de julho de 2009 às 11:58  

Não me lembrei disso. Devia tê-lo feito.

Mas, depois, mais tarde, quando vi as fadas, já me lembrei. Perguntei-lhes como se chamavam, mas não me responderam. Não emitiram um som.

Estes seres do outro lado do véu têm uma personalidade estranha!

IdoMind disse...
28 de julho de 2009 às 12:07  

Querido António,

escrevi hoje sobre o apocalipse. Como sempre, assim que publico, ligo à Shin.

Resposta dela " Ouve lá porque foste falar da Nova Jerusalém? Ainda por cima em tom critico?"

"Porque sou católica e falar do apocalipse sem falar das visões de João é o mesmo que vires à Ericeira e não irmos á Ribeira: impossivel!"

" è que o António escreveu sobre isso"

Vim então ler. Belo artigo. Cheio de esperança num futuro melhor.
Reitero o que escrevi, prefiro apostar no presente mas quero deixar claro, que não pretendi ferir nenhuma susceptiblidade.
A Shin ficou aflita...

Um beijo António

IdoMind disse...
28 de julho de 2009 às 12:07  

Querido António,

escrevi hoje sobre o apocalipse. Como sempre, assim que publico, ligo à Shin.

Resposta dela " Ouve lá porque foste falar da Nova Jerusalém? Ainda por cima em tom critico?"

"Porque sou católica e falar do apocalipse sem falar das visões de João é o mesmo que vires à Ericeira e não irmos á Ribeira: impossivel!"

" è que o António escreveu sobre isso"

Vim então ler. Belo artigo. Cheio de esperança num futuro melhor.
Reitero o que escrevi, prefiro apostar no presente mas quero deixar claro, que não pretendi ferir nenhuma susceptiblidade.
A Shin ficou aflita...

Um beijo António

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 12:41  

Olá IdoMind

Há menos de 5 minutos que venho do teu blogue e deixei lá um comentário. Li o teu post e tal como afirmei, gostei imenso do que escreveste. E a mim não feriste coisa nenhuma.

Curiosamente, acabei agora mesmo de publicar um texto sobre o Apocalipse. Convido-te a que o leias, pois até me refiro a João. Desmistificando o sentido de 'fim do mundo'.

Achei imensa graça a essa tua informação que a Shin Tau te terá dito - " é que o António escreveu sobre isso". A Shin aflita? A nossa tourinha aflita? Deve ser delicioso. 'Pagava' para ver. Ela e tu são muito queridas. E pensam com cabeça própria, o que é optimo.

Faltava mais, termos blogues e não podermos escrever o que nos apetece só para não ferir os outros.

Nem imaginas o quanto por vezes fico a analisar como as pessoas reagem a um texto. É tão curioso notar como a beatitude cor-de-rosa se dissolve rapidamente e muito depressa o medo instala-se.

Sou teu fã. E da Shin, também.

Pelo sim, pelo não, tens um lugar (e a Shin também) cativo na nave imaginária que estamos a construir. [Espero que ninguém acredite na história da nave. Já não digo nada.]

1000 Beijos

António

(Ah! como compreenderás e aceitarás - não sou católico, nem praticante de nenhuma religião)

Marta disse...
28 de julho de 2009 às 13:12  

António,

concordo inteiramente sobre o resgatar, mas a boca foge para o diálogo de hollywood...

não estamos presos, a menos que sejamos prisioneiros de nós próprios...

Aceito com agrado o convite para a nave, até porque sei que esta não espera por nenhum cometa!!! lololol

bjs de luz!!
Marta

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 13:55  

Marta

Bem-vinda a bordo. A tripulação está a formar-se.

Siala ap Maeve disse...
28 de julho de 2009 às 14:16  

Antonio, estamos todos no caminho, e o planeta, esta linda e imensa nave azul também trilha o seu. Desde que me lembro que acredito -é mais do que isso, sabes quando sabes algo mas não o consegues provar á luz da logica vigente...mas sabes que é assim? - que há outras formas de vida, outros seres, que somos acompanhados, monotorizados talvez, que seria de um egocentrismo impossivel pensarmos que somos os únicos...sempre acreditei que eles andam entre nós, e já tive algumas experiências engraçadas...
A verdade meu querido é que vivemos uma era muito intensa, tudo se está a revelar...a Nova Jerusalém sempre existiu...sempre esteve lá, aqui mesmo ao lado...ao nosso alcance. E também dentro de nós, de onde emana a sua energia...manifestação ou reflexo? E porque não ambas?
Fico-me por aqui...
Bjos meus

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 15:03  

Siala

E porque não ambas. Gosto de pensamentos positivos, como o teu. beijo

IdoMind disse...
28 de julho de 2009 às 23:51  

Isto hoje tem sido giro, apocalipse para aquim apocalipse para ali...sem sabermos andamos a escrever sobre a mesma coisa. Gosto quando isto acontece.

Já li o seu artigo sobre a Revelação e é aquilo sem tirar nem por que para mim faz sentido.

Só preciso que me diga horas e local para o embarque. Já lá estou. Vou aproveitar a boleia e no caminho pode deixar-me em casa. Bem me disseram para trazer mais um deposito de combustível mas como só vim para dar um mergulho no Indico...lol

beijinhos António

Shin Tau disse...
29 de julho de 2009 às 00:14  

António,

a carneirinho ficou aflita pois eu achei este texto maravilhoso, senti que essa Jerusalém era mais de acordo com aquilo que sinto. Depois a IdoMind mistura isso naquele post e pensei "Bolas ainda se fica com a ideia de que era do texto do António que eu falava!" O que não correspondia à verdade, foi por isso que fiquei aflita rkrkrkrkkr Pagavas para ver rkrkrkrkr olha que nã ofoi bonito

Claro que pensamos com cabeça própria ;) e por isso nos damos bem contigo, és igual rkrkrkrkrkr

Gosto do grupo que vai embarcar mas ainda não me sinto pronta para embarcar, apesar de também adorar conhecer pessoas e seres diferentes rkrrkrkkrrk

Beijcoas e obrigada por seres assim especial

António Rosa, José disse...
29 de julho de 2009 às 17:33  

@IdoMind

Já te te reservei um lugar. Mas tem em conta que a nave vai, mas volta... :) É só uma passeata.



@Shin Tau

Pelo sim, pelo não, como os pedidos de embarque são numerosos, vou fazer uma reserva para decidires depois.

Beijinhos às manas.

27 de julho de 2009

Dicionário Místico: Nova Jerusalém

Photobucket

Sempre me fascinou o conceito de «Nova Jerusalém». Desde muito antes de ser popularizado pelas canalizações de Kryon, através de Lee Carol. Desde o tempo em que ainda se acreditava em 'céu' e 'inferno'. Posso garantir-vos que deixei de acreditar nisso há dezenas de anos. Desde os tempos em que parte das minhas leituras passavam por santos e filósofos, teólogos e livros sagrados. Foi sempre um fascínio, uma atracção, qual vórtice que me encaminhava para a expressão «Nova Jerusalém».

Hoje, muitos de nós sabemos que o 'céu' é o local para onde se encaminha o nosso planeta ao migrar para outras dimensões. Portanto, a próxima localização deste planeta será em «Nova Jerusalém». Por isso, nunca tanta gente tem trabalhado intensamente o chacra do coração. É uma promessa.

Kryon, numa das suas canalizações, afirmou: «A Terra assumirá uma nova tarefa. Como milhões de formas de vida do universo físico, este planeta acabará por se unir a muitos dos outros planetas. O potencial é grande, e este é um novo plano que não é imediato, mas sim um plano ao qual todos teremos capacidade de voltar. Este novo plano acabará por nos levar a uma energia que está sendo chamada de a Nova Jerusalém. Será nesta época que acabaremos conhecendo "oficialmente" outras formas de vida.»

Sabem, isto de oficialmente podermos vir a conhecer outras formas de vida, sempre me pareceu fantástico. Soa a ficção científica, mas é assim que para mim a coisa faz sentido. Deve ser do meu Júpiter em Aquário na Casa 9. Faz todo o sentido, porque não acredito que estamos sós neste universo. Tão simples como isto. E agrada-me muito a ideia de poder conviver com outros povos, que não sejam deste planeta.

«Nova Jerusalém», sempre foi uma promessa do Céu. Nova Jerusalém é um conceito urbano do céu. Que moderno estou, a explicar assim! Ao contrário do paraíso simples e natural descrito em textos bíblicos, onde a Nova Jerusalém acarretava imagens de torres em flechas de ouro, paredes douradas e mansões cobertas de jóias. Era assim que os antigos viam esta Nova Jerusalém.

Imagine: já no século nove, a verbalização duma tão cosmopolita corte (Nova Jerusalém) passou a constar dos cânticos dos monges, de acordo com a maneira como imaginavam o paraíso cristão na época.

O conceito de um lugar sagrado e resplandecente (Nova Jerusalém) tem a sua origem no Antigo Testamento hebraico, em passagens que prevêem uma cidade gloriosa de intermináveis alegrias. Mais tarde, no texto «Apocalipse», São João descreve que "estarão revestidas de ouro e jóias". "E eu, João, vi a cidade santa, Nova Jerusalém vindo de Deus para fora do céu, preparada como uma noiva adornada para o esposo." (Apoc. 21:1-3). Este tornou-se desde então o tópico de um debate contencioso entre clérigos e críticos.

O escritor cristão São Paulo também descreve nos seus escritos uma cidade. Uma das suas cartas aos primeiros cristãos oferece aos seguidores a cidadania na eternidade do paraíso, onde habitarão com Deus. Esta imagem dos manuscritos é um bem demarcado abandono de outras noções de paraíso como jardim bucólico de maravilhas naturais, onde abundam prados exuberantes, regatos de cristal e flores perfumadas.

As linguagens foram mudando ao longo dos séculos, e os ensinamentos hoje são mais claros e transparentes. É necessário cuidar deste planeta e de nós mesmos, para podermos perceber que estamos juntos nesta experiência multidimensional.

O divinoporto levar-nos-á a caminho de «Nova Jerusalém».

55 comentários:

Meri Pellens disse...

Tbm acredito que exista outras formas de vida além do nosso planeta. É muito natural que haja. Beijinho, Antônio.

Shin Tau disse...

António,

o que me ri quando li isto: «E agrada-me muito a ideia de poder conviver com outros povos, que não sejam deste planeta.» Claro, esse Gémeos a querer novidades!!! Lindo, perfeito!

Confesso que me agrada muito essa ideia da Nova Jerusalém, e sinceramente vejo-a cada vez amis próxima!

Adorei o texto, muito sentido e, por isso mesmo, muito pessoal.

Obrigada e beijocas

António Rosa, José disse...

Meri, já somos 2. Obrigado. Beijo.

António Rosa, José disse...

Shin

Relendo, também me ri. :)

Violeta Encarnada disse...

Há musicas que falam de Jerusalém, não sei se da nova se da velha, como esta que deve conhecer: "Que alegria quando me disseram vamos para a casa do Senhor/ Os nossos passos já se encontram às tuas portas, Jerusalém"
Eu cantava isto na missa há décadas, portanto é da velha, mas a letra também daria para a Nova...

Sempre li muita ficção científica, a certa altura foi a minha leitura preferida. A idéia de conhecermos "oficialmente" outras formas de vida é-me muito agradável, excitante e tudo.Nunca duvidei que isso poderia acontecer. Só espero é que não se pareçam com polvos e assim... :)

Boa sesta, Maestro!

angela disse...

Oi Antonio
Olha eu aqui de novo..rs
Interessante o texto e fiquei pensando que as pessoas imaginam de acordo com o que conhecem, desejam e necessitam (qualquer hora vou tentar desenvolver isso) jardim florido onde nada falta, cidade rica e enfeitada, outro planeta com vida mais evoluida. Acho que vamos avançando,não?
Agora me ajude a diminuir a ignorancia, Kryon?
beijos
Angela

tereza disse...

Acredito que nunca estivemos sós, como há condução,
e estamos no caminho.

António Rosa, José disse...

Violeta

Ah! Ficção científica. Em 1981 ou 82 (não me lembro exactamente) ajudei a criar a colecção de bolso de sf da Europa-América. Conhece?

António Rosa, José disse...

Ângela

Kryon - clique na 2ª linha azulada deste post. A partir daí, tem o mundo à sua frente para descobrir quem é esse nome. Boa viagem. Sim, porque se fizer isso, vai iniciar uma viagem sem retorno.

António Rosa, José disse...

Tereza

É verdade: nunca estivemos sós. :)

Violeta Encarnada disse...

Conheço.

António Rosa, José disse...

Violeta

Então já sabe há quanto tempo sou um praticante desse gén ero literário.

Violeta Encarnada disse...

Deu-me vontade de ler ficção científica outra vez, fui à rua para comprar, mas voltei, está demasiado calor, talvez parecido com o do tal Inferno que nos impingiram. Só não percebo porquê que a Senhora de Fátima mostrou o Inferno, que não existe, aos pastorinhos.

Fui-me registar no site do Pedro Elias com o meu nome verdadeiro, mas diz que esse nome já existe. Lá terei que arranjar outro, sou boa nisso.
O Pedro Elias transmite uma sensação de...silêncio, a palavra é silêncio. Na CE eu sentia isso quando ia à página dele.
Às vezes não queremos silenciar...

Saio com o silêncio possível...

marcelo dalla disse...

Olá Antonio! A ficção cientifica sempre me fascinou e agora descubro coisas tão fantásticas quanto e que para mim soam como verdadeiras.
Nova Jerusalem, ou Shambala para os budistas, ou ainda Aruanda para os Umbandistas... estamos todos caminhando para lá.
Também quero ser amigo dos ETs! rsrsrsrsrs
abraço

Fada Moranga disse...

Mas oh antónio, eu quero prados exuberantes! A Nova Jerusalém tem que ter muito verdete e chão pra cavar batatas! E couves!

Eu até já ando a guardar sementes... ;-)
Beijo*deFada

António Rosa, José disse...

Marcelo

Vou construir uma nave (meio pindérica, diga-se) para irmos ao encontro dos et's. Tu vais como co-comandante.

:))))

António Rosa, José disse...

Violeta

O site do Pedro Elias é um deslumbramento. Aquele amigo é mesmo muito especial. É um Instrutor Superior.

António Rosa, José disse...

Fada

Também conto contigo na nave ao encontro dos et's. Quanto às sementes, vamos providenciar espaço para as guardar.

:)

RosanAzul disse...

Lindo teu blog de excelente conteúdo! Parabéns! Te encontrei através da Nave Azul!! Beijos Luz! RO

António Rosa, José disse...

Rosan

Muito obrigado. Vou conhecer agora o seu. abraço.

Fada Moranga disse...

António, se precisar de materiais para a nave fáxavor e avisar - tenho aí umas fitas giras! :-)

(tenho sementes de abóbora, melão doce, maçã sumarenta... bolo de chocolate...)

António Rosa, José disse...

Fada

até seria giro que a Margot aparecesse por aqui, porque há uns anos, no chat do site da CE, tínhamos momentos de autêntica loucura, numa suposta nave onde viajávamos. Foi um Verão louco aquele.

Ok, se precisar de ajuda, peço.

marcelo dalla disse...

Aceito o convite! Quando criança subia em árvores e brincava de pilotar naves. Já previa o futuro... :)))

António Rosa, José disse...

Marcelo

Já percebeste porque vais como co-comandante, certo? É que trabalha mais que o comandante... rsrsrs

Será um prazer ter-te na nave, claro.

Abraço

Fada Moranga disse...

António, é melhor levar isto na nave... http://www.etsy.com/view_listing.php?listing_id=26861553&utm_source=etsy_finds&utm_medium=email&utm_campaign=etsy_finds_072709

:-)))

António Rosa, José disse...

Fada
Vou já tratar de arranjar um sítio amplo para esse urso lindo.

:)

HAZEL disse...

A minha credibilidade é bem capaz de ficar abalada depois deste comentário.
Por outras palavras, vão pensar que sou maluquinha, tã-tã. Ou mentirosa, sei lá.

Há muitos anos atrás, na minha adolescência (para aí há 100 anos!), vinha da escola, a caminho de casa.

E durante esse persurso todo, fui seguida por umas luzes no céu nocturno (já devia passar das 18.00, mas era Inverno, por isso, estava escuro). Eram umas 3 ou 4, que se movimentavam em círculos.

Lembro-me de ter ficado com medo, mas elas estavam bastante altas.
Ninguém acreditou em mim. E é a primeira vez, em quase 20 anos, que volto a falar nisso.

E, há bem pouco tempo, vi fadas.
Duas! Com cerca de 40/50 cms de comprimento.
Acordaram-me a meio da noite, e voaram até perto de mim.
Mas não falaram.
Depois desapareceram.

Foi maravilhoso.
Não me importo que ninguém acredite. Até compreendo!
Adorava vê-las de novo.

Em conclusão, acho que estou preparada para lidar com ETs...!

Uma noite feliz

António Rosa, José disse...

Hazel

Que belo testemunho.

Eu acredito.

Também vi 1 fada há uns anos.

Portanto, já tem lugar na nave que estamos a construir para ir ao encontro dos et's. Pode trazer a família. Eles nem vão notar a diferença. :)

adriana disse...

António,
Que belo texto!
Jeru Jeru Salem!
:)

HAZEL disse...

António,

É a primeira pessoa que conheço que viu fadas.

Que bom saber isso. Fiquei muito contente. Também se sentiu uma criança quando viu?
Eu senti-me assim, quando vi as fadas.
Ainda bem que contei.

Obrigada pelos lugares na nave!
Ofereço-me para tratar da decoração da nave, para ficar muito acolhedora. ;-)
Podemos levar a tartaruga?
LOL

Adelaide Figueiredo disse...

António,

Desde de manhã que tenho andado para responder a este seu texto. Gostei muito e não me espanta nada que possam existir outros seres. Tenho a certeza que não estamos sozinhos.
Agora vou dizer uma coisa que talvez seja estúpida para quem ler este comentário.
Faz-me confusão e por mais voltas que dê à minha imaginação não me entra cá dentro como conseguiremos passar para outra dimensão se não desencarnarmos aqui. Só assim consigo ver a coisa. Então a partir dessa parte consigo imaginar tudo e mais alguma coisa.
Será que vocês inclusivé o António também pensa assim?

Adelaide Figueiredo disse...

Com esta minha preocupação de esplicar a minha dificuldade em entender esta transformação, esqueci-me de dizer que quero ir na maravilhosa nave. Pode ser feita de material reciclado para não se estragar nada e tudo se aproveitar. Quando lá chegarmos vamos plantar as sementes da nossa amiga Fada.
Gostei deste bocadinho.:)
Boa noite.
Abraço

Clotilde S. disse...

José António,

Maravilhoso paraíso o que preconizas.

Estou contigo nesse caminho.

Um abraço longo,

Clotilde

Rosan disse...

Oi Antonio.
Vim agradecer a visita, e por seguir.
Li o teu testo, e te digo que com palavras diferentes talvez, mas os nossos pensamentos são parecidos.
Acridito numa nova era que esta por se instalar assim digamos no nosso planeta. tempo de mudanças de energia, de pensamentos, de atitudes. Os que tem muita maldade ainda no coração não terão mais lugar na grande nau terra, sem amor não poderemos fazer parte dessa tranformação, Temos que aquecer muito o chacra do coração para podermos entrar nessa "nave".

desculpa se falo demais, me empolgo quando entro nesses assuntos.
Um abraço.

António Rosa, José disse...

Adriana

Obrigado. Diverti-me a escreve-lo e muito, porque foi só puxar um bocadinho pela memória. :)

Espero que já tenha recebido as informações da Maria Lúcia.

A&L

António Rosa, José disse...

Hazel


Foi uma vez há vários anos e era uma só. Estava a descansar numa quintinha de amigos na régua e deixei-me adormecer à sombra de uma árvore. Eu chamo fada, porque foi a ideia que tive na altura. Podia ser um outro elemental só que eu chamo fada. Acordei com a 'conversa' que estava a ter.

A tartaruga pode vir. Vamos acomodá-la também.

Ok. Conto consigo para a decoração da nave.

:)

António Rosa, José disse...

Adelaide,

Quanto à passagem interdimensional dos seres humanos, parece ser possível, segundo os estudiosos, que muitos passem com o corpo. Não serão todos, desde logo.

Eu penso que alguns (muitos, muitos) passarão para a 5D. Eu si que eu não passarei, ma sisso é outra história. Gostaria de muito de passar, pois há momentos que vivo numa e o resto do tempo vivo nesta 3D.

Mais abaixo há um post do André que fala nisso.

Ok, então também pode vir nessa nave que estamos a preparar. :)

António Rosa, José disse...

Clotilde

Então, vamos juntos. Pode ser?


Abraço

António Rosa, José disse...

Rosan

Grato pela sua visita. Ainda bem que pensa assim. La nave va!

Abraço

HAZEL disse...

As que vi, tinham um halo de luz à volta, e eram translúcidas.
Flutuavam no ar e deslocaram-se com delicadeza até perto de mim. Foi lindo.

E aconteceu no Alentejo.

Não foi o único encontro com seres de outros mundos; aqui em casa também vi um ser masculino ao lado da nossa cama, de noite. O Consorte dormia profundamente.
Esse ser tinha uma estrutura física, curiosamente, semelhante à sua, mas devia medir quase uns 2 metros de altura.
Estava parado, silencioso, a observar-me.
Era também translúcido.
E tinha umas vestes antigas, creio que era uma capa grande.
Não consegui perceber se a capa lhe tapava a cabeça, ou se era o cabelo dele que era grande.
Não sei quem ele era.

Marta disse...

olá António,

Que texto maravilhoso e actual. confesso que todos os dias espero a Grande Nave, bem ao estilo de hollywood, com uns et's fantásticos, super avançado e que nos resgatam.... depois percebo que a Grande Nave já está na Terra e que a Nova Jerusalém renasce em cada um de nós em cada dia, resta criar a consciência para viajar entre os diferentes planos....

Eu ainda estou na fase de Hollywood e talvez o meu lado 3D precise de et's para animar o dia... mas espero chegar à consciência de todos já estarmos no Eden Prometido!

bjs de luz!!!
Marta

adriana disse...

António,
Acabei de receber.
Sou profundamente grata a ambos.
Vocês são seres valiosos!
A&L

António Rosa, José disse...

Olá Marta,

Confesso que não gosto da palavra 'resgatar', porque creio que não estamos presos, mas estou completamemte de acordo com a Grande Nave.

Iremos todos conseguir.

Se quiseres, podes vir na nave que estamos a construir (brincando!)

Beijosa de luz

António Rosa, José disse...

Hazel

Que belo testemunho. Porque não lhe perguntou: 'quem és?'

HAZEL disse...

Não me lembrei disso. Devia tê-lo feito.

Mas, depois, mais tarde, quando vi as fadas, já me lembrei. Perguntei-lhes como se chamavam, mas não me responderam. Não emitiram um som.

Estes seres do outro lado do véu têm uma personalidade estranha!

IdoMind disse...

Querido António,

escrevi hoje sobre o apocalipse. Como sempre, assim que publico, ligo à Shin.

Resposta dela " Ouve lá porque foste falar da Nova Jerusalém? Ainda por cima em tom critico?"

"Porque sou católica e falar do apocalipse sem falar das visões de João é o mesmo que vires à Ericeira e não irmos á Ribeira: impossivel!"

" è que o António escreveu sobre isso"

Vim então ler. Belo artigo. Cheio de esperança num futuro melhor.
Reitero o que escrevi, prefiro apostar no presente mas quero deixar claro, que não pretendi ferir nenhuma susceptiblidade.
A Shin ficou aflita...

Um beijo António

IdoMind disse...

Querido António,

escrevi hoje sobre o apocalipse. Como sempre, assim que publico, ligo à Shin.

Resposta dela " Ouve lá porque foste falar da Nova Jerusalém? Ainda por cima em tom critico?"

"Porque sou católica e falar do apocalipse sem falar das visões de João é o mesmo que vires à Ericeira e não irmos á Ribeira: impossivel!"

" è que o António escreveu sobre isso"

Vim então ler. Belo artigo. Cheio de esperança num futuro melhor.
Reitero o que escrevi, prefiro apostar no presente mas quero deixar claro, que não pretendi ferir nenhuma susceptiblidade.
A Shin ficou aflita...

Um beijo António

António Rosa, José disse...

Olá IdoMind

Há menos de 5 minutos que venho do teu blogue e deixei lá um comentário. Li o teu post e tal como afirmei, gostei imenso do que escreveste. E a mim não feriste coisa nenhuma.

Curiosamente, acabei agora mesmo de publicar um texto sobre o Apocalipse. Convido-te a que o leias, pois até me refiro a João. Desmistificando o sentido de 'fim do mundo'.

Achei imensa graça a essa tua informação que a Shin Tau te terá dito - " é que o António escreveu sobre isso". A Shin aflita? A nossa tourinha aflita? Deve ser delicioso. 'Pagava' para ver. Ela e tu são muito queridas. E pensam com cabeça própria, o que é optimo.

Faltava mais, termos blogues e não podermos escrever o que nos apetece só para não ferir os outros.

Nem imaginas o quanto por vezes fico a analisar como as pessoas reagem a um texto. É tão curioso notar como a beatitude cor-de-rosa se dissolve rapidamente e muito depressa o medo instala-se.

Sou teu fã. E da Shin, também.

Pelo sim, pelo não, tens um lugar (e a Shin também) cativo na nave imaginária que estamos a construir. [Espero que ninguém acredite na história da nave. Já não digo nada.]

1000 Beijos

António

(Ah! como compreenderás e aceitarás - não sou católico, nem praticante de nenhuma religião)

Marta disse...

António,

concordo inteiramente sobre o resgatar, mas a boca foge para o diálogo de hollywood...

não estamos presos, a menos que sejamos prisioneiros de nós próprios...

Aceito com agrado o convite para a nave, até porque sei que esta não espera por nenhum cometa!!! lololol

bjs de luz!!
Marta

António Rosa, José disse...

Marta

Bem-vinda a bordo. A tripulação está a formar-se.

Siala ap Maeve disse...

Antonio, estamos todos no caminho, e o planeta, esta linda e imensa nave azul também trilha o seu. Desde que me lembro que acredito -é mais do que isso, sabes quando sabes algo mas não o consegues provar á luz da logica vigente...mas sabes que é assim? - que há outras formas de vida, outros seres, que somos acompanhados, monotorizados talvez, que seria de um egocentrismo impossivel pensarmos que somos os únicos...sempre acreditei que eles andam entre nós, e já tive algumas experiências engraçadas...
A verdade meu querido é que vivemos uma era muito intensa, tudo se está a revelar...a Nova Jerusalém sempre existiu...sempre esteve lá, aqui mesmo ao lado...ao nosso alcance. E também dentro de nós, de onde emana a sua energia...manifestação ou reflexo? E porque não ambas?
Fico-me por aqui...
Bjos meus

António Rosa, José disse...

Siala

E porque não ambas. Gosto de pensamentos positivos, como o teu. beijo

IdoMind disse...

Isto hoje tem sido giro, apocalipse para aquim apocalipse para ali...sem sabermos andamos a escrever sobre a mesma coisa. Gosto quando isto acontece.

Já li o seu artigo sobre a Revelação e é aquilo sem tirar nem por que para mim faz sentido.

Só preciso que me diga horas e local para o embarque. Já lá estou. Vou aproveitar a boleia e no caminho pode deixar-me em casa. Bem me disseram para trazer mais um deposito de combustível mas como só vim para dar um mergulho no Indico...lol

beijinhos António

Shin Tau disse...

António,

a carneirinho ficou aflita pois eu achei este texto maravilhoso, senti que essa Jerusalém era mais de acordo com aquilo que sinto. Depois a IdoMind mistura isso naquele post e pensei "Bolas ainda se fica com a ideia de que era do texto do António que eu falava!" O que não correspondia à verdade, foi por isso que fiquei aflita rkrkrkrkkr Pagavas para ver rkrkrkrkr olha que nã ofoi bonito

Claro que pensamos com cabeça própria ;) e por isso nos damos bem contigo, és igual rkrkrkrkrkr

Gosto do grupo que vai embarcar mas ainda não me sinto pronta para embarcar, apesar de também adorar conhecer pessoas e seres diferentes rkrrkrkkrrk

Beijcoas e obrigada por seres assim especial

António Rosa, José disse...

@IdoMind

Já te te reservei um lugar. Mas tem em conta que a nave vai, mas volta... :) É só uma passeata.



@Shin Tau

Pelo sim, pelo não, como os pedidos de embarque são numerosos, vou fazer uma reserva para decidires depois.

Beijinhos às manas.

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates