Dicionário Místico: Apocalipse ou Revelação Divina

28 de julho de 2009 ·


O livro do Apocalipse (chamado também 'Apocalipse de São João', pelos católicos e ortodoxos, e 'Apocalipse de João', pelos protestantes, ou ainda Revelação a João) é um livro da «Bíblia» — um dos livros sagrados da humanidade.

A palavra 'apocalipse' significa, em grego, "Revelação". Um "apocalipse", na terminologia do judaísmo e do cristianismo, é a revelação divina de coisas que até então permaneciam secretas, até serem reveladas a um profeta. Hoje utilizaríamos a palavra 'canalização'.

Devido ao facto de, na maioria das bíblias em língua portuguesa se usar o título 'Apocalipse' e não 'Revelação', o verdadeiro significado da palavra foi ficando obscuro, sendo entendido popularmente como sinónimo de "fim do mundo". O que não é correcto.

Pouco há a fazer, pois esta ligação de 'apocalipse' a 'fim do mundo' ficou verdadeiramente instalada na matrix negativa da psique colectiva da humanidade, provocando medo. Só há uma forma de combater este medo atávico: confiar no que é divino.

Por outro lado, como ainda existe (até em alguns meios esotéricos e espirituais) a concepção de um Deus pessoal e castigador, ficamos mergulhados na energia do 'medo', mesmo de forma inconsciente.

Na verdade, o que a mente do ser humano traduz é bem simples: medo à morte. É uma enorme teia criada pela matrix negativada na nossa psique. Temos que nos desembaraçar destas ideias deixando o coração falar. Quando ele fala, tudo se torna mais luminoso.

Algumas pessoas defendem que o facto de várias civilizações no mundo terem apresentado narrações apocalípticas sugere que estas têm uma origem comum e ancestral que foi sendo deturpada pela transmissão oral. Hoje, vale o que vale.

36 comentários:

HAZEL disse...
28 de julho de 2009 às 12:35  

Achei interessante ter usado o termo "matrix". Não deveria ser "matriz"?

Eu acho que a matriz já está, muito lentamente, a mudar as suas cores.
As pessoas estão cada vez mais afastadas do mundo espiritual e já não acreditam e nada, a não ser no dia-a-dia.

Não sabia que Apocalipse significa Revelação!! Jamais imaginaria.

Esse conceito de Deus pessoal e castigador é da responsabilidade da Igreja, que, de outra forma, não conseguiria controlar tantas mentes.

HAZEL disse...
28 de julho de 2009 às 12:35  

* já não acreditam em nada (comi o "m")

adriana disse...
28 de julho de 2009 às 12:43  

Caro António,
São tantas telas...
(E todas pulsam como um convite à Vida, ao Divino.)
...onde o olhar repousa.
A&L

HAZEL disse...
28 de julho de 2009 às 12:54  

Esqueço-me sempre de dizer, mas agora vim de propósito fazê-lo:
gosto muito dos comentários em pop-up. É mais prático poder comentar ao mesmo tempo que vemos o post.

E quando fechamos a janela de comentários, mantemo-nos sempre no blog.

Boa mudança.

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 14:02  

Hazel,

É curiosa a percepção que cada pessoa tem. A minha é mais do género: noto que há uma aproximação do mundo espiritua, mas ainda em fase de auto-ajuda. Nunca tanto se falou em meditação como agora. Não quer dizer que meditar seja sinónimo de se ser espiritual. Mas é um indicador de, pelo menos, não se arrastam de joelhos nas igrejas.

Quanto à zona dos comentários, prefiro a página aberta em vez do pop up. Até porque se pode regressar ao blogue sem se clicar no rectângulo vermelho. Por enquanto, fica assim. Pode ser que faça uma sondagem sobre o assunto.

Abraço

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 14:03  

Adriana

... o destino é sempre o mesmo.

Meri Pellens disse...
28 de julho de 2009 às 14:27  

Realmente é necessário ter muita reflexão em todas as leituras, principalmente essas muito antigas, e traduzidas e retraduzidas vezes sem conta. Bj, Antônio.

tereza disse...
28 de julho de 2009 às 14:44  

“Temos que nos desembaraçar destas idéias deixando o coração falar. Quando ele fala, tudo se torna mais luminoso”.
Rompe-se a dualidade.
Que belo escrito Grande Coração!
apocalipse - revelação.

Marise Catrine disse...
28 de julho de 2009 às 14:45  

António,

Também desconhecia que Apocalipse é revelação... Então não devemos ter medo?!
Revelação pode ser algo bom certo?
ou estarei a fazer uma tremenda confusão! ;)

Maria de Fátima disse...
28 de julho de 2009 às 14:45  

Olá António, já aprendi mais um significado, não sabia que apocalipse era revelação.Eu penso que vale sempre a pena acreditar num mundo melhor.Beijocas.

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 14:57  

Tereza

Sei que não muda grande coisa deixar este esclarecimento que apocalipse é igual a revelação. Pelo menos fica o apontamento e a vontade de ajudar a retirar algumas sombras.

Obrigado

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 14:57  

Marise

Não há que ter medo. O problema é que temos medo daquilo qu enem sequer conhecemos. O Apocalipse de São João é um dos mais belos trabalhos dos ultimos 2.000 anos.

Revelação é sempre algo bom, pois é divino.

Estás certa.

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 14:57  

Maria de Fátima

Aprender não ocupa lugar e pode retirar sombras que sem sabermos lá colocámos.
kiss

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 14:59  

Hazel

Usei matrix em vez de matriz, pois é a expressão mais comum, por causa dos filmes do Keanu Reeves. A malta mais nova é assim que conhece.

tereza disse...
28 de julho de 2009 às 15:12  

Acredito que mude, os que assim sentem, e se tantas vozes falarem o som –verdade(coração, onde não existe imposição ou manipulação), torna-se um coro.
O que cabe, a cada um de nós, dentro da 3D: Escolhas.
Abraço

Ps: retirei comentario por erro grafico

HAZEL disse...
28 de julho de 2009 às 16:21  

Usou a palavra em inglês, então.
Gostei da atenção com a malta nova! Achei giro! ;-)

marcelo dalla disse...
28 de julho de 2009 às 16:56  

Veja só! Também não sabia que apocalipse significa revelação. Importantíssimo clarear os medos do insconsciente coletivo. Belo trabalho, meu amigo!

E pode desde já começar a fazer o orçamento da nave! LOL

Outro assunto: estamos mesmo animados pra levar nossa peça pra Portugal, fechamos com um empresário muito bom, que morou 8 anos em Londres e disse que tem contatos e consegue patrocínio para nós em Lisboa. Gostaria de começar a divulgar pros nossos amigos... Seu parecer é importante!!!

abraço amigo!

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 17:09  

Tereza,

Gostei desta sua análise. Então, façamos esse coro. Gostei mesmo!

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 17:10  

Hazel

Se aprofundar as suas leituras em certos campos mais científicos associados à espiritualidade verá que se usa muito 'matrix'. Tem uma conotação algo diferente de apenas 'matriz'. :)

angela disse...
28 de julho de 2009 às 17:12  

Antonio
Sempre esclarecedores os seus textos.
A ignorancia é a mãe de muitos medos e gostei muito de saber o real significado da palavra apocalipse.
beijos

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 17:13  

Marcelo

Boas notícias essa do empresário de Londres. De repente lembrei-me de contactarem a TV Rede Record para prestarem apoio na Europa. Tem grande audiência ao sábado à tarde.

Vou responder ao seu email. Naquilo que eu puder ajudar, conte comigo.

Abraço

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 17:14  

Angela

Gosto de saber que o post está a ser útil.

Amanhã é dia de astrologia, com Neptuno.

HAZEL disse...
28 de julho de 2009 às 17:58  

Vou investigar.

Clotilde S. disse...
28 de julho de 2009 às 18:18  

José António,

Todos nós, os das gerações mais maduritas, fomos educados pelo respeito e pelo temor, não apenas relativamente à religião, mas também na família, na escola, no seio da sociedade em geral.

É muito boa a mudança, embora lenta, que se vai fazendo. Virar de TEMOR para AMOR é um Caminho difícil, mas não impossivel, e acredito que esta seja a verdadeira Revelação para os dias vindouros.

E vamos lá embarcar nessa Nave!

Um abraço de grande estima,

Clotilde

António Rosa, José disse...
28 de julho de 2009 às 19:30  

Vamos nessa nave, Clotilde. Somos mais maduritos, como dizes e temos obrigações acrescidas. Beijo.

Violeta Encarnada disse...
28 de julho de 2009 às 21:46  

Não sabia que Apocalipse significa Revelação.

E a tradição oral lá foi acrescentando pontos aos contos...

tereza disse...
28 de julho de 2009 às 23:20  
Este comentário foi removido pelo autor.
IdoMind disse...
28 de julho de 2009 às 23:42  

Olá António,

onde é que já ouvi falar de Apocalipse hoje?

Adorei, como é evidente, o esclarecimento, a iluminação que o António trouxe com este artigo.

É uma questão de limparmos os séculos de maus pensamentos colectivos e comerçarmos a REpensar a nossa forma de andar por cá.

Discordo quando à beleza do Livro do Apocalipse,Quando o li, com os meus 16 anos, dormi mal até ao Natal desse ano, e nunca mais falhei uma missa!

Beijinhos Hermes António

Castelo de Asgard disse...
28 de julho de 2009 às 23:43  

Olá António :)! Estou com a Hazel, a janela pop-up nos comentários é muito mais agradável do que ter de andar a páginas para a frente e para trás. Quanto ao medo (de Deus, da morte, do apocalipse, etc.) é muito natural, pois se a abordagem típica de certas religiões é, justamente, meter medo aos fiéis "olha que vais para o inferno!". O conceito de pecado e culpa foi tão bem cultivado durante tantos séculos por coisas como as guerras santas e a Inquisição... ora, é claro que o medo ainda vai tardar a desaparecer.

Namaste ***

Ariadne

Shin Tau disse...
29 de julho de 2009 às 00:07  

António,

muito útil essa distinção do vocábulo. É que apocalipse mete mesmo medo rkrkrkrkrkrk enquanto que revelação, ahhhh já é mais aceitável ;) Assim alinho na nave!

Fiquei em pulgas com a notícia do Marcelo :)))

Sandro Gomes disse...
29 de julho de 2009 às 04:35  

Antônio,

A literatura apocalíptica judaíca (e posteriormente a cristã) possui uma linguagem profundamente metafórica e rica em imagens (semelhante às fábulas).

Ela surge sempre em situações de grande opressão e perseguição política e religiosa como uma forma de responder as dúvidas e desesperanças dos crentes/fiéis. Nela o que se prevê não é o fim do mundo, mas da sociedade opressora, das estruturas de dominação e opressão, que são identificadas com o poder político de algum império (no caso do Apocalípse de João, o Império Romano).

Diante da opressão e perseguição Deus intervem na história em favor dos seus e destrói com seu poder divino o falso poder (o império) que aspira a ser deus, que se crê de origem divina quando na realidade é inteiramente humano.

Infelizmente, dado ao seu caráter hermético e simbólico, a apocalíptica acabou sendo interpretada como uma mensagem sobre o fim do mundo e do castigo para os que não seguissem as leis da Igreja Católica, ao invés de uma mensagem de esperança e confiança no Deus que cuida e proteja. Um uso muito comum em se tratando de instituições religiosas que precisam contralar as massas de fiéis através do medo.

Abraços

Fada Moranga disse...
29 de julho de 2009 às 04:38  

Deus é Pai!

Dizei Kodoishes à janela que as confusões passam...

António, eu acho que as pessoas estão no seu pleno direito de arrastar-se de joelhos na igreja, ou onde for. Parece-me tão válido como participar em aberturas de portais... A intenção do coração é que conta! :-)

Bem haja!
Beijos***deFada

António Rosa, José disse...
29 de julho de 2009 às 17:29  

@Violeta Encarnada
@Tereza
@IdoMind
@Castelo de Asgard
@Shin Tau
@Sandro Gomes
@Fada Moranga

Muito agradecido pleos vossos comentários. Apreciei e reflecti em cada uma das intervenções. Lamento não poder contactar cada um.

Abraço.

Maria Paula Ribeiro disse...
29 de julho de 2009 às 19:07  

António,

Sou o exemplo vivo do último parágrafo do post.

"medo à morte"... Como isto está em constante dissolução comigo.

Obrigado amigo. :-) Kiss kiss

António Rosa, José disse...
30 de julho de 2009 às 08:53  

@Paula

Umas regressões bem conduzidas libertar-te-ia desse peso.

Sabes alguma coisa da PatSam? Já estará de férias?

Maria Paula Ribeiro disse...
30 de julho de 2009 às 09:24  

Bom dia António,

É um caminho que por enquanto não está nos meus planos apesar de sentir que o hei-de fazer... Com tempo...

PatSam? Não, também não sei de nada. Não respondeu ao email que mandei em conjunto. Mas lembro-me de alguém comentar num post dela, creio que numa imagem daquelas de férias, que faltava muito pouco para as férias dela.

Eu também pensei que estivesse de férias e "saiu" sem dizer nada... :-)

Deve estar numa aquelas praias paradisíacas! :-)

Kiss kiss

28 de julho de 2009

Dicionário Místico: Apocalipse ou Revelação Divina


O livro do Apocalipse (chamado também 'Apocalipse de São João', pelos católicos e ortodoxos, e 'Apocalipse de João', pelos protestantes, ou ainda Revelação a João) é um livro da «Bíblia» — um dos livros sagrados da humanidade.

A palavra 'apocalipse' significa, em grego, "Revelação". Um "apocalipse", na terminologia do judaísmo e do cristianismo, é a revelação divina de coisas que até então permaneciam secretas, até serem reveladas a um profeta. Hoje utilizaríamos a palavra 'canalização'.

Devido ao facto de, na maioria das bíblias em língua portuguesa se usar o título 'Apocalipse' e não 'Revelação', o verdadeiro significado da palavra foi ficando obscuro, sendo entendido popularmente como sinónimo de "fim do mundo". O que não é correcto.

Pouco há a fazer, pois esta ligação de 'apocalipse' a 'fim do mundo' ficou verdadeiramente instalada na matrix negativa da psique colectiva da humanidade, provocando medo. Só há uma forma de combater este medo atávico: confiar no que é divino.

Por outro lado, como ainda existe (até em alguns meios esotéricos e espirituais) a concepção de um Deus pessoal e castigador, ficamos mergulhados na energia do 'medo', mesmo de forma inconsciente.

Na verdade, o que a mente do ser humano traduz é bem simples: medo à morte. É uma enorme teia criada pela matrix negativada na nossa psique. Temos que nos desembaraçar destas ideias deixando o coração falar. Quando ele fala, tudo se torna mais luminoso.

Algumas pessoas defendem que o facto de várias civilizações no mundo terem apresentado narrações apocalípticas sugere que estas têm uma origem comum e ancestral que foi sendo deturpada pela transmissão oral. Hoje, vale o que vale.

36 comentários:

HAZEL disse...

Achei interessante ter usado o termo "matrix". Não deveria ser "matriz"?

Eu acho que a matriz já está, muito lentamente, a mudar as suas cores.
As pessoas estão cada vez mais afastadas do mundo espiritual e já não acreditam e nada, a não ser no dia-a-dia.

Não sabia que Apocalipse significa Revelação!! Jamais imaginaria.

Esse conceito de Deus pessoal e castigador é da responsabilidade da Igreja, que, de outra forma, não conseguiria controlar tantas mentes.

HAZEL disse...

* já não acreditam em nada (comi o "m")

adriana disse...

Caro António,
São tantas telas...
(E todas pulsam como um convite à Vida, ao Divino.)
...onde o olhar repousa.
A&L

HAZEL disse...

Esqueço-me sempre de dizer, mas agora vim de propósito fazê-lo:
gosto muito dos comentários em pop-up. É mais prático poder comentar ao mesmo tempo que vemos o post.

E quando fechamos a janela de comentários, mantemo-nos sempre no blog.

Boa mudança.

António Rosa, José disse...

Hazel,

É curiosa a percepção que cada pessoa tem. A minha é mais do género: noto que há uma aproximação do mundo espiritua, mas ainda em fase de auto-ajuda. Nunca tanto se falou em meditação como agora. Não quer dizer que meditar seja sinónimo de se ser espiritual. Mas é um indicador de, pelo menos, não se arrastam de joelhos nas igrejas.

Quanto à zona dos comentários, prefiro a página aberta em vez do pop up. Até porque se pode regressar ao blogue sem se clicar no rectângulo vermelho. Por enquanto, fica assim. Pode ser que faça uma sondagem sobre o assunto.

Abraço

António Rosa, José disse...

Adriana

... o destino é sempre o mesmo.

Meri Pellens disse...

Realmente é necessário ter muita reflexão em todas as leituras, principalmente essas muito antigas, e traduzidas e retraduzidas vezes sem conta. Bj, Antônio.

tereza disse...

“Temos que nos desembaraçar destas idéias deixando o coração falar. Quando ele fala, tudo se torna mais luminoso”.
Rompe-se a dualidade.
Que belo escrito Grande Coração!
apocalipse - revelação.

Marise Catrine disse...

António,

Também desconhecia que Apocalipse é revelação... Então não devemos ter medo?!
Revelação pode ser algo bom certo?
ou estarei a fazer uma tremenda confusão! ;)

Maria de Fátima disse...

Olá António, já aprendi mais um significado, não sabia que apocalipse era revelação.Eu penso que vale sempre a pena acreditar num mundo melhor.Beijocas.

António Rosa, José disse...

Tereza

Sei que não muda grande coisa deixar este esclarecimento que apocalipse é igual a revelação. Pelo menos fica o apontamento e a vontade de ajudar a retirar algumas sombras.

Obrigado

António Rosa, José disse...

Marise

Não há que ter medo. O problema é que temos medo daquilo qu enem sequer conhecemos. O Apocalipse de São João é um dos mais belos trabalhos dos ultimos 2.000 anos.

Revelação é sempre algo bom, pois é divino.

Estás certa.

António Rosa, José disse...

Maria de Fátima

Aprender não ocupa lugar e pode retirar sombras que sem sabermos lá colocámos.
kiss

António Rosa, José disse...

Hazel

Usei matrix em vez de matriz, pois é a expressão mais comum, por causa dos filmes do Keanu Reeves. A malta mais nova é assim que conhece.

tereza disse...

Acredito que mude, os que assim sentem, e se tantas vozes falarem o som –verdade(coração, onde não existe imposição ou manipulação), torna-se um coro.
O que cabe, a cada um de nós, dentro da 3D: Escolhas.
Abraço

Ps: retirei comentario por erro grafico

HAZEL disse...

Usou a palavra em inglês, então.
Gostei da atenção com a malta nova! Achei giro! ;-)

marcelo dalla disse...

Veja só! Também não sabia que apocalipse significa revelação. Importantíssimo clarear os medos do insconsciente coletivo. Belo trabalho, meu amigo!

E pode desde já começar a fazer o orçamento da nave! LOL

Outro assunto: estamos mesmo animados pra levar nossa peça pra Portugal, fechamos com um empresário muito bom, que morou 8 anos em Londres e disse que tem contatos e consegue patrocínio para nós em Lisboa. Gostaria de começar a divulgar pros nossos amigos... Seu parecer é importante!!!

abraço amigo!

António Rosa, José disse...

Tereza,

Gostei desta sua análise. Então, façamos esse coro. Gostei mesmo!

António Rosa, José disse...

Hazel

Se aprofundar as suas leituras em certos campos mais científicos associados à espiritualidade verá que se usa muito 'matrix'. Tem uma conotação algo diferente de apenas 'matriz'. :)

angela disse...

Antonio
Sempre esclarecedores os seus textos.
A ignorancia é a mãe de muitos medos e gostei muito de saber o real significado da palavra apocalipse.
beijos

António Rosa, José disse...

Marcelo

Boas notícias essa do empresário de Londres. De repente lembrei-me de contactarem a TV Rede Record para prestarem apoio na Europa. Tem grande audiência ao sábado à tarde.

Vou responder ao seu email. Naquilo que eu puder ajudar, conte comigo.

Abraço

António Rosa, José disse...

Angela

Gosto de saber que o post está a ser útil.

Amanhã é dia de astrologia, com Neptuno.

HAZEL disse...

Vou investigar.

Clotilde S. disse...

José António,

Todos nós, os das gerações mais maduritas, fomos educados pelo respeito e pelo temor, não apenas relativamente à religião, mas também na família, na escola, no seio da sociedade em geral.

É muito boa a mudança, embora lenta, que se vai fazendo. Virar de TEMOR para AMOR é um Caminho difícil, mas não impossivel, e acredito que esta seja a verdadeira Revelação para os dias vindouros.

E vamos lá embarcar nessa Nave!

Um abraço de grande estima,

Clotilde

António Rosa, José disse...

Vamos nessa nave, Clotilde. Somos mais maduritos, como dizes e temos obrigações acrescidas. Beijo.

Violeta Encarnada disse...

Não sabia que Apocalipse significa Revelação.

E a tradição oral lá foi acrescentando pontos aos contos...

tereza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
IdoMind disse...

Olá António,

onde é que já ouvi falar de Apocalipse hoje?

Adorei, como é evidente, o esclarecimento, a iluminação que o António trouxe com este artigo.

É uma questão de limparmos os séculos de maus pensamentos colectivos e comerçarmos a REpensar a nossa forma de andar por cá.

Discordo quando à beleza do Livro do Apocalipse,Quando o li, com os meus 16 anos, dormi mal até ao Natal desse ano, e nunca mais falhei uma missa!

Beijinhos Hermes António

Castelo de Asgard disse...

Olá António :)! Estou com a Hazel, a janela pop-up nos comentários é muito mais agradável do que ter de andar a páginas para a frente e para trás. Quanto ao medo (de Deus, da morte, do apocalipse, etc.) é muito natural, pois se a abordagem típica de certas religiões é, justamente, meter medo aos fiéis "olha que vais para o inferno!". O conceito de pecado e culpa foi tão bem cultivado durante tantos séculos por coisas como as guerras santas e a Inquisição... ora, é claro que o medo ainda vai tardar a desaparecer.

Namaste ***

Ariadne

Shin Tau disse...

António,

muito útil essa distinção do vocábulo. É que apocalipse mete mesmo medo rkrkrkrkrkrk enquanto que revelação, ahhhh já é mais aceitável ;) Assim alinho na nave!

Fiquei em pulgas com a notícia do Marcelo :)))

Sandro Gomes disse...

Antônio,

A literatura apocalíptica judaíca (e posteriormente a cristã) possui uma linguagem profundamente metafórica e rica em imagens (semelhante às fábulas).

Ela surge sempre em situações de grande opressão e perseguição política e religiosa como uma forma de responder as dúvidas e desesperanças dos crentes/fiéis. Nela o que se prevê não é o fim do mundo, mas da sociedade opressora, das estruturas de dominação e opressão, que são identificadas com o poder político de algum império (no caso do Apocalípse de João, o Império Romano).

Diante da opressão e perseguição Deus intervem na história em favor dos seus e destrói com seu poder divino o falso poder (o império) que aspira a ser deus, que se crê de origem divina quando na realidade é inteiramente humano.

Infelizmente, dado ao seu caráter hermético e simbólico, a apocalíptica acabou sendo interpretada como uma mensagem sobre o fim do mundo e do castigo para os que não seguissem as leis da Igreja Católica, ao invés de uma mensagem de esperança e confiança no Deus que cuida e proteja. Um uso muito comum em se tratando de instituições religiosas que precisam contralar as massas de fiéis através do medo.

Abraços

Fada Moranga disse...

Deus é Pai!

Dizei Kodoishes à janela que as confusões passam...

António, eu acho que as pessoas estão no seu pleno direito de arrastar-se de joelhos na igreja, ou onde for. Parece-me tão válido como participar em aberturas de portais... A intenção do coração é que conta! :-)

Bem haja!
Beijos***deFada

António Rosa, José disse...

@Violeta Encarnada
@Tereza
@IdoMind
@Castelo de Asgard
@Shin Tau
@Sandro Gomes
@Fada Moranga

Muito agradecido pleos vossos comentários. Apreciei e reflecti em cada uma das intervenções. Lamento não poder contactar cada um.

Abraço.

Maria Paula Ribeiro disse...

António,

Sou o exemplo vivo do último parágrafo do post.

"medo à morte"... Como isto está em constante dissolução comigo.

Obrigado amigo. :-) Kiss kiss

António Rosa, José disse...

@Paula

Umas regressões bem conduzidas libertar-te-ia desse peso.

Sabes alguma coisa da PatSam? Já estará de férias?

Maria Paula Ribeiro disse...

Bom dia António,

É um caminho que por enquanto não está nos meus planos apesar de sentir que o hei-de fazer... Com tempo...

PatSam? Não, também não sei de nada. Não respondeu ao email que mandei em conjunto. Mas lembro-me de alguém comentar num post dela, creio que numa imagem daquelas de férias, que faltava muito pouco para as férias dela.

Eu também pensei que estivesse de férias e "saiu" sem dizer nada... :-)

Deve estar numa aquelas praias paradisíacas! :-)

Kiss kiss

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates