Grande Cruz Cardinal de Abril 2014

21 de março de 2014 ·


Clicar para aumentar e ver melhor.

Tudo começou de 2010 para 2011 com uma quadratura no céu, entre Plutão e Úrano, que muitas alterações tem causado no mundo e em nós, também. Esta quadratura permanecerá até 2017, havendo ao longo desses anos 7 aplicações nos graus exactos. Mais abaixo menciono as datas dessas aplicações. [Para que muitos percebam: QUADRATURA: a palavra-chave é desafio. Este aspecto desafiador denota tensão entre as energias em presença, não só pela essência do ângulo em si, mas também porque, normalmente, os planetas estão colocados em Elementos desarmónicos: o Fogo desafiando a Terra ou a Água; a Terra desafiando o Fogo ou o Ar; o Ar desafiando a Terra ou a Água; a Água desafiando o Fogo ou o Ar. Esta tensão força a integração das divergências representadas pelos planetas.]

Nas últimas semanas, com a aproximação de Júpiter em Caranguejo/Câncer assistimos à formação de uma ‘quadratura T’ entre Júpiter [as Leis, o expansor], Úrano [a Voz de Deus, o que é novo e diferente] e Plutão [o revolucionário, o que obriga, o que impõe]. Júpiter [as Leis, o expansor] juntou-se à ‘Grande Festa’ que tem sido a quadratura entre Úrano e Plutão e, por isso fez a chamada ‘quadratura T’, com Úrano como ponto focal [Para que muitos percebam: A ‘quadratura T’ é uma situação particular na qual dois planetas em oposição, estão, ambos, em quadratura com um terceiro, formando um triângulo: a linha da oposição será a base; as duas quadraturas serão os lados desse triângulo. O planeta que recebe as duas quadraturas é a chave para a resolução desta situação extremamente tensa.]

Voltando ao principio da formação, ou seja a quadratura no céu Plutão e Úrano. No meu blogue «Cova do Urso» tenho mencionado várias vezes a importância desta quadratura no céu, nomeadamente num artigo que escrevi em 22 junho 2012, como pode ser visto, por exemplo, aqui.

Nesse texto cujo link está acima, e a propósito desta Grande Cruz Cardinal formada agora, em abril 2014, penso que vale a pena relembrar o que então escrevi em 2012: ‘Entre 2011 e 2017, Úrano, em Carneiro / Áries [aqui] e Plutão, em Capricórnio [aqui], ambos em signos cardinais, farão uma enorme quadratura no mapa do céu, que durará anos. Esperam-se mudanças em todo o tipo de governos e organizações no nosso planeta. E, em nós, também. Aguardemos para confirmar.’ [E temos confirmado muito, veja-se a anexação da Crimeia à Rússia, assim como a longa demora da chanceler Merkel em formar governo, além de muitos outros exemplos nacionais e internacionais. A queda do governo de Sócrates em 2011 e o empobrecimento de Portugal nas mãos de Passos Coelho, também desde esse ano, quando substituiu o outro no poleiro do poder. ]

‘Vamos já deixar as nossas mentes tranquilas, mencionando as datas exatas em que se darão as 7 quadraturas entre Úrano e Plutão: - 2012, Junho 24 - 2012, Setembro 19 - 2013, Maio 21 - 2013, Novembro 1 - 2014, Abril 21 - 2015, Março 17’

Portanto, no dia 21 de abril de 2014 tivemos a 5ª e penúltima quadratura exata [partil] que já se transformara um pouco antes em ‘quadratura T’, com Júpiter envolvido no aspecto. Marte, que estava retrógrado, no dia 21 de abril, ainda ia no grau 14º16’. Mas na sua marcha atrás, iria fazer, 2 dias depois, a 23 de abril, já no grau 13º, a Grande Cruz Cardinal. É disto que temos estado a falar. [Para se entender o que é uma Grande Cruz: acontece quando quatro planetas estão em quadratura entre si, formam uma configuração a que se dá o nome de «Grande Cruz» ou «Cruz Cósmica».]

Uma Grande Cruz Cardinal é um evento a que os astrólogos atribuem grande importância, por ocorrer com pouca frequência. A última Grande Cruz Cardinal e ainda por cima dupla foi em 2010, exactamente em 7 agosto. A diferença que se nota para a de agora é a exactidão dos graus. Nesta Grande Cruz Cardinal de 2014 todos os planetas envolvidos fazem o aspecto partil no grau 13º dos respectivos signos. Em contrapartida, na Grande Cruz Cardinal dupla de 2010 [que muito deu que falar e até a Sombra insistia que o mundo iria acabar] não estavam no mesmo grau, havendo entre eles uma orbe de 3º. [Ver aqui] A grande, grande  diferença é que em 2010 havia 2 signos que estavam no «Aries Point», ou seja no grau zero de Carneiro / Áries, que é de grande importância numa roda do zodíaco, pois é por aí que se inicia o ano astrológico, como foi o caso recentemente acontecido com o Sol a ingressar no grau zero de Carneiro, a 20 março, iniciando o ano astrológico de 2014 e, em simultâneo anunciando a Primavera no Hemisfério Norte e o Outono no Hemisfério Sul. O meu artigo de 2010 foi muito atacado, pois dei-me ao luxo de contrariar as dezenas de canalizações que proliferavam pela internet. Desta vez, em 2014, tomei uma decisão oposta: ao escrever com tanta antecedência sobre a Grande Cruz Cardinal de abril 2014, recuso-me a ler eventuais canalizações que certamente irão surgir, apesar das coisas andarem mais calminhas desde o ‘grande flop’ de 21-12-2012. Nem me interessa que depois tenham dado a mão e dito que afinal não era nada catastrofista, mas sim uma coisa interna. Estou cansado destes ’canalizadores’ de meia tijela! [Mais uns quantos inimigos que arranjei agora.] Obviamente, conheço canalizadores competentes, mas estes não dizem nem escrevem disparates.

Se quiser ler mais sobre a Grande Cruz Cardinal dupla de 2010, quer artigos meus, quer de outros autores que admiro, ver aqui.


Clicar para aumentar e ver melhor. O mesmo mapa de acima mas com outras cores.

Vamos ao que me interessa com este texto: fazer alguma pedagogia astrológica a propósito de uma Grande Cruz Cardinal que se vai configurar no céu, e que atingirá o seu ponto alto a 23 abril 2014.

Apetece-me definir com simplicidade esta Grande Cruz, tal como eu a vejo: em termos mundiais é um autêntico fogo de artifício. Em termos pessoais e internos, será um ‘terramoto’ que poderá elevar ainda mais as consciências, para quem o quiser sentir. E repito, para quem o quiser sentir, sintonizando-se consigo mesmo.

Vale a pena pensarmos um bocadinho na quantidade de bebés que nascerão nesses dias e que terão a Grande Cruz Cardinal nos seus mapas natais. Serão, em meu entender, uma parte importante dos portadores da ‘Boa Nova’ até porque daqui por 20 e poucos anos, suponho que eu e muitos já cá não estaremos para os ouvirmos falar do que é Novo e Diferente, ao estarem cada vez mais próximos da Era de Aquário [mas muitos de vocês estarão cá e terão essa oportunidade]. Por enquanto, os que cá estamos agora, praticamente não temos informação nova e APENAS falamos do AMOR, repetindo-nos à exaustão, pois falta-nos claramente acesso a informações novas. Daqui por 20 e tantos anos, quando esses bebés forem adultos essa questão do ‘amor’ já estará tratada e bastante resolvida em termos de humanidade e será chegado o tempo de, quem cá estiver, ouvir a Boa Nova. Nem faço ideia se nessa altura, o planeta já não estará a vibrar muitíssimo mais na 4D do que na actual terceira dimensão.

Não sei se daqui por 20 anos ainda haverá a mesma ‘casta’ de políticos. Se forem da mesma estirpe que os actuais, o futuro será um tema simples, bastante pobrezinho, em termos políticos e esotéricos. Não vale a pena deitarmos foguetes antes do tempo, porque a maioria dos políticos actuais, para terem acesso a lugares de poder no actual contexto planetário, vão aos poucos abandonando a sua alma. É o que vemos nos dias de hoje. Se a estirpe não mudar, o mundo não terá evoluído tanto como eu sonho e acredito. Serão os bebés destas 2 Grandes Cruzes Cardinais [2010 e 2014] que a seu tempo e sem grandes contaminações políticas, irão ocupar os lugares de poder dessa altura? Não sei responder. Tenho essa esperança

Esta formação astrológica, a Grande Cruz Cardinal, de abril 2014 será o grande evento desta Primavera, além de ser absolutamente dominante nas Agendas Políticas e Económicas Mundiais.

Pelo facto de se dar em signos cardinais – Carneiro/Áries, Caranguejo/ Câncer, Balança/Libra e Capricórnio – é para os astrólogos um dos eventos mais importantes dos anos recentes e dos vindouros. Se olhar para os mapas que criei (a diferença está nas cores, pois são exactamente iguais na precisão astrológica) onde estão apenas os planetas que fazem esta formação e verá que há uma cruz e 4 quadraturas rigorosamente espaçadas, no grau 13 de cada um destes signos. Convido a minha amiga e colega Vera Braz Mendes a debruçar-se sobre o significado deste dia específico no que aos graus sabianos diz respeito. Aguardarei e lerei com toda a atenção e interesse, caso ela decida escrever alguma coisa sobre este tema.

Olhando-se para os mapas que anexo percebe-se que tudo está em perfeito equilíbrio. E tanto equilíbrio em signos cardinais quer dizer apenas isto: é necessário tomarmos as iniciativas que nos competem, de forma harmoniosa, mas decidida, com beleza, mas sem falhas, sem perfeição, claro, mas com elevação. Isto é o que os signos cardinais devem corresponder.

No entanto, dentro desta estabilidade e harmonia que é esta Grande Cruz Cardinal, convém não esquecermos que estão presentes 3 planetas que adoram o que é radical: Marte, o Deus da Guerra, mesmo retrógrado, e talvez por isso, a impor registos pouco habituais no panorama mundial; Úrano a representar o que é novo e, não esqueçamos, representa também a ‘Voz de Deus’, portanto estamos a falar de novidades [a Europa tem sido pródiga em casos estranhos, mas não nos esqueçamos do avião da Malásia que subitamente desapareceu]; Plutão, o Senhor do Submundo, é o protótipo do revolucionário que à força tudo domina e finalmente, em jeito de quem não quer a coisa, encontramos Júpiter, o expansivo do zodíaco, portanto, com uma dupla função: primeiro, aumentar e reforçar o que os outros 3 planetas significam e, segundo, por ele próprio ser o Senhor das Leis Superiores, temos forçosamente que ver nesta Grande Cruz, um propósito que nos ultrapassa nos nossos quotidianos sem graça e, para muitos, sem esperança.

Portanto, o tal equilíbrio que falei mais acima existirá mas só depois de terminado o ‘fogo de artifício’ que já estamos a viver e que viveremos com maior intensidade. Sem pretender ser dramático, proponho-vos que nos preparemos todos para vermos as faíscas que se cruzarão no céu, antes de entrarmos em período mais harmonioso. Quem foi que escreveu que 2014 seria um ano enfadonho? Este é um momento significativo e muito especial que irá motivar o mundo e os seres humanos em grande escala.

Esta formação astrológica manter-se-á activa até à 1ª semana de Maio, obviamente sem que os planetas estejam todos paradinhos no grau 13 de cada signo. Mas a influência estará presente, pois o pontapé de saída já foi dado. Todos sabemos que a regra geral das cruzes cardinais são apreciadas como influências impacientes e assertivas e tendem a estimular ações positivas, mas às vezes imprudentes. Teremos que estar vigilantes de nós mesmos, pois já que quase nada se pode fazer em termos políticos mundiais e mesmo nacionais. Oxalá o combustível desta Grande Cruz Cardinal aguente durante uma temporada, para não passarmos por aquilo que também é típico dos signos cardinais: muita garganta, muita acção e também um rápido esmorecer, para dar lugar aos signos fixos que sabem manter tudo em ordem.

A oposição entre Júpiter e Plutão ocorre a cada 12 ou 13 anos e regra geral para percebermos que podemos tomar a nossa energia e conduzi-la para fins positivos. Neste ano estamos a falar do eixo Caranguejo/Câncer – Capricórnio. É aquilo que se chama de ‘will power’ ou poder próprio. Que o nosso livre-arbítrio saiba fazer o que lhe compete, é só o que desejo. É o meu poder interno e como o manifesto nesta matéria, sendo Capricórnio o signo mais elevado da roda zodiacal. Capricórnio está lá em cima, de forma elevada, para aprendermos que a perfeição não existe no ser humano, tal como a entendemos, pois ela é uma questão divina e mesmo assim, há quem ponha isso em causa. A natureza atinge perfeições inauditas e ve-se uma mão misteriosa a compor tal música. Mas com Caranguejo nesse eixo, a tratar dos assuntos emocionais, como ficamos nós nesta encruzilhada do destino? Seguimos em frente? Ou paralisamos com medo? Até que ponto temos de mudar e adaptarmo-nos e quais os preços que teremos que pagar para obtermos o que queremos para avançarmos? Esta é a grande questão. Também não sei responder cabalmente, mas sim intuitivamente.

Vejamos o caso da Ucrânia e da Crimeia que é um exemplo perfeito para o que acabei de enunciar e que exponho em pormenor a seguir. A Rússia sempre teve desejos de ter a Crimeia no seu território, pois uma czarina em tempos tinha oferecido esta região à Ucrânia. Os czares desapareceram, mas agora a Rússia tem um senhor todo poderoso ao leme da sua barca, chama-se Putin, é como se fosse um czar totalitário. Desde o desmembramento da antiga União Soviética, por causa da composição étnica da região o facto é que as instalações portuárias foram baseados em Sebastopol, com o seu grande polo industrial e turístico, mas através da revolução nos últimos meses, de desestabilização da Ucrânia [Úrano, o planeta do povo nas praças em revolta ajudado pela oposição de Júpiter a Plutão], a Rússia viu uma oportunidade para a expansão de seu território e sabia exatamente como usar o seu controle de poder… O resto são factos já históricos. Sem nenhuma guerra e enorme mortandade, como costuma ser habitual nestes casos, a Rússia levou a melhor no seu propósito cardinal, sem derramamento de sangue [Marte retrógrado]. Recentemente, em março de 2014 num dia histórico para a Rússia, o presidente Vladimir Putin declarou para seu povo que jamais se consideraria um patriota se um dia tivesse que ir a Sebastopol e ver aviões e navios de guerra dos EUA estacionados no porto desta cidade de sua grande pátria. Sem Sebastopol, a Rússia voltaria ao seu isolamento e pouco a pouco perderia o seu peso na Europa. Agora, só depois da anexação da Crimeia é que a União Europeia assinou um acordo com a Ucrânia e desembolsou carradas de dinheiro e os USA decretaram boicotes militares, económicos e financeiros à Rússia, com os quais ninguém está de acordo na Europa, pois todos precisam do poderio russo. Estamos falados? Obama, il n'existe pas! USA, il n'existe pas! Europa, il n'existe pas! E assim estamos.

Nesta Grande Cruz Cardinal é sintomático o eixo Carneiro-Áries [com Úrano] / Balança-Libra [com Marte retrógrado]. Mais uma vez, o exemplo da Ucrânia - Crimeira é notável para percebermos o que é um planeta estar retrógrado num aspecto mundano. Aconteceu tudo ao contrário do que o povo ucraniano queria. Úrano conseguiu que os movimentos contra o regime fossem efervescentes. Quando o povo ucraniano já tinha conseguido depor o antigo presidente e tudo aparentava entrar numa certa normalidade democrática, a retrogradação de Marte fez dar a volta à questão e em poucas horas, a Rússia encharcava a Crimeia com armamento pesado e dominava a situação. Por alguma razão se diz que Marte é o Deus da Guerra. Quanto ao referendo, é apenas política, sem qualquer valor. Não afirmei mais acima que os políticos entregaram todos a sua alma à Sombra? Pois, aí têm a resposta sobre o referendo… mesmo o hipotético português.

Muito mal comparado, em Portugal viveu-se também um processo de «retrogradação». Estou a falar da questão da co-adopção por pais do mesmo sexo. Ia para ser Lei, depois falaram que era necessário um referendo, deixou de ir e… pimba… um contra-golpe palaciano na Assembleia da República, que voltou tudo à estaca zero e anulou a possibilidade dessas co-adopções. O Parlamento português e o Parlamento da Crimeia são similares: está no poder uma certa estirpe de políticos que não permitem a evolução natural das coisas. Mas políticos dos outros países não são melhores. Lembremo-nos que o Presidente francês disfarçava-se de entregador de pizas para poder encontrar-se com a sua ‘amada’, ao arrepio da sua companheira oficial, que entretanto, mandou-o apanhar urtigas.

Portanto, aquele Marte retrógrado em Balança-Libra, tem trazido muita frustração para o mundo em geral, e acredito que para nós, pessoas, também.

Reconheço que me entusiasmei um bocado com este texto e tenho que terminar, mas não tenho a certeza se passei para o leitor, o que era essencial do meu pensamento sobre esta Grande Cruz Cardinal. Espero que sim.

Muito agradecido pela atenção. Amem-se uns aos outros.

Abraços & beijos

António Rosa
21-03-2014

.
UPDATE

Recomendo a leitura destes belíssimos textos sobre este mesmo tema:

Do  astrólogo português Leonardo Mansinhos
Aqui

Da astróloga portuguesa Vera Braz Mendes
Aqui
[Muito agradecido, Vera, por ter escrito um texto excelente.]

Da astróloga portuguesa Ruth Fairfaild
Aqui.

Do astrólogo brasileiro Marcelo Dalla - 1 e 2

Da astróloga brasileira Mônica Brandão

Da astróloga brasileira Vanessa Tuleski
Aqui.

Do astrólogo português Pedro Ascenso
Aqui

.

20 comentários:

Anónimo disse...
21 de março de 2014 às 20:39  

Bem haja pelo seu post. Energias poderosas estão em movimento, a lembrar-nos, tb, que somos energia. E que os resultados em termos de tempestade o bonança só depende de nós. Desde 2010 que ando no meio do vento e das suas rajadas. Espero poder ter força para o que se avizinha.
Obrigado.
MJ

António Rosa disse...
22 de março de 2014 às 11:37  

MJ

Muito agradecido. :)

António

Astrid Annabelle disse...
22 de março de 2014 às 11:45  

Bom dia meu querido António!
Como afirmei em um comentário no FB desde ontem estou envolvida com a leitura deste post. E serão mais dias a ler e reler. Me chamou muito a atenção:
...os bebês que nascerão agora sob a influência da Grande Cruz
...o grau 13.... do posicionamento dos planetas{ e de que senhores planetas!} ...o 13 sabemos que se trata de uma virada sempre...
E por enquanto é o que tenho a dizer, pois irei ler mais, com a sintonização ativada...
Beijos
Astrid Annabelle

Anónimo disse...
22 de março de 2014 às 17:56  

Sou eu de novo, apenas para acrescentar que me emocionei quando li a 1ª vez e o mesmo continua a acontecer. Isto só significa que as palavras tocaram a essência ( e não apenas a minha)

Grata.

MJ

António Rosa disse...
22 de março de 2014 às 19:03  

Querida Astrid

É sempre uma enorme ajuda a sua visão destes acontecimentos. Muito e muito obrigado. Grande beijinho.

António

António Rosa disse...
22 de março de 2014 às 19:04  

MJ

Não tenho palavras para lhe agradecer.

Um grande beijinho

António

Cátia Bártolo disse...
24 de março de 2014 às 18:46  

Gostei muito.

Grata ! :) beijinho António.

António Rosa disse...
25 de março de 2014 às 15:52  

Claudia

Gostei muito. obrigado.

Lindi disse...
25 de março de 2014 às 18:20  

Caro António, junto com a alma, após o passar do tempo, os políticos perdem o brilho do olhar. Passam a ser autômatos ávidos por poder. Já vi muitos casos.... Esperamos que daqui a uns 20 anos, tal situação mude.... quem viver verá!

Astrid Annabelle disse...
31 de março de 2014 às 13:18  

Continuo estudando este seu texto meu querido António e sempre que leio ou ouço algo a respeito volto para ler novamente por aqui...já perdi a conta de quantas vezes fiz isso.
Um beijo agradecido por tudo.
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
2 de abril de 2014 às 13:25  

Lindi,

Oxalá seja assim. Portanto, está de acordo comigo, certo?

Muito obrigado,

António

António Rosa disse...
2 de abril de 2014 às 13:25  

Querida Astrid,

É tão querida. É mesmo bom saber que posso contar consigo como leitora, sobretudo num artigo onde deixei vir ao de cima bastante mau génio [políticos, maus canais, etc.]. Não é um artigo de 'espiritualidade lindinha', pois tem uma certa dose de acidez. Do que eu gosto é a parte dos bebés...

- Já viu que estou a fazer updates de outros astrólogos d elíngua portuguesa? Só encontrei 3 astrólgos que tenham escrito alguma coisa com antecedência.

Um grande beijinho

António

ceudodia disse...
2 de abril de 2014 às 21:13  

António, meus agradecimentos pelo link para o CéudoDia. É sempre muito satisfatório ter um colega de profissão reconhecendo o nosso trabalho. Um cordial abraço, Mônica Brandão.

MARCELO DALLA disse...
3 de abril de 2014 às 06:46  

Gratissimo pelo link, amigo! Também acrescentei o link do seu artigo no final do meu texto. ;) Tb gosto muito quando fala dos bebês. :)
abraço

ana marengo disse...
4 de abril de 2014 às 01:49  

Adorei amigo!
Maravilhoso texto!
bjossss
tina

Vera Braz Mendes disse...
9 de abril de 2014 às 14:06  

Obrigada eu, pelo seu texto e pelo desafio q me propôs.

Bj

António Rosa disse...
9 de abril de 2014 às 16:52  

Mônica

Sabe que a leio sempre que encontro coisas suas. Sou um seu leitor fascinado.

Um abraço agradecido

António

António Rosa disse...
9 de abril de 2014 às 16:53  

Olá Marcelo,

Muito e muito obrigado.

Abraço,

António

António Rosa disse...
9 de abril de 2014 às 16:54  

Olá Ana

Você é sempre tão querida. Muito obrigado pela sua generosidade.

Beijinho

António

António Rosa disse...
9 de abril de 2014 às 16:55  

Olá Vera,

Amei o seu texto. Muito obrigado.

António

21 de março de 2014

Grande Cruz Cardinal de Abril 2014


Clicar para aumentar e ver melhor.

Tudo começou de 2010 para 2011 com uma quadratura no céu, entre Plutão e Úrano, que muitas alterações tem causado no mundo e em nós, também. Esta quadratura permanecerá até 2017, havendo ao longo desses anos 7 aplicações nos graus exactos. Mais abaixo menciono as datas dessas aplicações. [Para que muitos percebam: QUADRATURA: a palavra-chave é desafio. Este aspecto desafiador denota tensão entre as energias em presença, não só pela essência do ângulo em si, mas também porque, normalmente, os planetas estão colocados em Elementos desarmónicos: o Fogo desafiando a Terra ou a Água; a Terra desafiando o Fogo ou o Ar; o Ar desafiando a Terra ou a Água; a Água desafiando o Fogo ou o Ar. Esta tensão força a integração das divergências representadas pelos planetas.]

Nas últimas semanas, com a aproximação de Júpiter em Caranguejo/Câncer assistimos à formação de uma ‘quadratura T’ entre Júpiter [as Leis, o expansor], Úrano [a Voz de Deus, o que é novo e diferente] e Plutão [o revolucionário, o que obriga, o que impõe]. Júpiter [as Leis, o expansor] juntou-se à ‘Grande Festa’ que tem sido a quadratura entre Úrano e Plutão e, por isso fez a chamada ‘quadratura T’, com Úrano como ponto focal [Para que muitos percebam: A ‘quadratura T’ é uma situação particular na qual dois planetas em oposição, estão, ambos, em quadratura com um terceiro, formando um triângulo: a linha da oposição será a base; as duas quadraturas serão os lados desse triângulo. O planeta que recebe as duas quadraturas é a chave para a resolução desta situação extremamente tensa.]

Voltando ao principio da formação, ou seja a quadratura no céu Plutão e Úrano. No meu blogue «Cova do Urso» tenho mencionado várias vezes a importância desta quadratura no céu, nomeadamente num artigo que escrevi em 22 junho 2012, como pode ser visto, por exemplo, aqui.

Nesse texto cujo link está acima, e a propósito desta Grande Cruz Cardinal formada agora, em abril 2014, penso que vale a pena relembrar o que então escrevi em 2012: ‘Entre 2011 e 2017, Úrano, em Carneiro / Áries [aqui] e Plutão, em Capricórnio [aqui], ambos em signos cardinais, farão uma enorme quadratura no mapa do céu, que durará anos. Esperam-se mudanças em todo o tipo de governos e organizações no nosso planeta. E, em nós, também. Aguardemos para confirmar.’ [E temos confirmado muito, veja-se a anexação da Crimeia à Rússia, assim como a longa demora da chanceler Merkel em formar governo, além de muitos outros exemplos nacionais e internacionais. A queda do governo de Sócrates em 2011 e o empobrecimento de Portugal nas mãos de Passos Coelho, também desde esse ano, quando substituiu o outro no poleiro do poder. ]

‘Vamos já deixar as nossas mentes tranquilas, mencionando as datas exatas em que se darão as 7 quadraturas entre Úrano e Plutão: - 2012, Junho 24 - 2012, Setembro 19 - 2013, Maio 21 - 2013, Novembro 1 - 2014, Abril 21 - 2015, Março 17’

Portanto, no dia 21 de abril de 2014 tivemos a 5ª e penúltima quadratura exata [partil] que já se transformara um pouco antes em ‘quadratura T’, com Júpiter envolvido no aspecto. Marte, que estava retrógrado, no dia 21 de abril, ainda ia no grau 14º16’. Mas na sua marcha atrás, iria fazer, 2 dias depois, a 23 de abril, já no grau 13º, a Grande Cruz Cardinal. É disto que temos estado a falar. [Para se entender o que é uma Grande Cruz: acontece quando quatro planetas estão em quadratura entre si, formam uma configuração a que se dá o nome de «Grande Cruz» ou «Cruz Cósmica».]

Uma Grande Cruz Cardinal é um evento a que os astrólogos atribuem grande importância, por ocorrer com pouca frequência. A última Grande Cruz Cardinal e ainda por cima dupla foi em 2010, exactamente em 7 agosto. A diferença que se nota para a de agora é a exactidão dos graus. Nesta Grande Cruz Cardinal de 2014 todos os planetas envolvidos fazem o aspecto partil no grau 13º dos respectivos signos. Em contrapartida, na Grande Cruz Cardinal dupla de 2010 [que muito deu que falar e até a Sombra insistia que o mundo iria acabar] não estavam no mesmo grau, havendo entre eles uma orbe de 3º. [Ver aqui] A grande, grande  diferença é que em 2010 havia 2 signos que estavam no «Aries Point», ou seja no grau zero de Carneiro / Áries, que é de grande importância numa roda do zodíaco, pois é por aí que se inicia o ano astrológico, como foi o caso recentemente acontecido com o Sol a ingressar no grau zero de Carneiro, a 20 março, iniciando o ano astrológico de 2014 e, em simultâneo anunciando a Primavera no Hemisfério Norte e o Outono no Hemisfério Sul. O meu artigo de 2010 foi muito atacado, pois dei-me ao luxo de contrariar as dezenas de canalizações que proliferavam pela internet. Desta vez, em 2014, tomei uma decisão oposta: ao escrever com tanta antecedência sobre a Grande Cruz Cardinal de abril 2014, recuso-me a ler eventuais canalizações que certamente irão surgir, apesar das coisas andarem mais calminhas desde o ‘grande flop’ de 21-12-2012. Nem me interessa que depois tenham dado a mão e dito que afinal não era nada catastrofista, mas sim uma coisa interna. Estou cansado destes ’canalizadores’ de meia tijela! [Mais uns quantos inimigos que arranjei agora.] Obviamente, conheço canalizadores competentes, mas estes não dizem nem escrevem disparates.

Se quiser ler mais sobre a Grande Cruz Cardinal dupla de 2010, quer artigos meus, quer de outros autores que admiro, ver aqui.


Clicar para aumentar e ver melhor. O mesmo mapa de acima mas com outras cores.

Vamos ao que me interessa com este texto: fazer alguma pedagogia astrológica a propósito de uma Grande Cruz Cardinal que se vai configurar no céu, e que atingirá o seu ponto alto a 23 abril 2014.

Apetece-me definir com simplicidade esta Grande Cruz, tal como eu a vejo: em termos mundiais é um autêntico fogo de artifício. Em termos pessoais e internos, será um ‘terramoto’ que poderá elevar ainda mais as consciências, para quem o quiser sentir. E repito, para quem o quiser sentir, sintonizando-se consigo mesmo.

Vale a pena pensarmos um bocadinho na quantidade de bebés que nascerão nesses dias e que terão a Grande Cruz Cardinal nos seus mapas natais. Serão, em meu entender, uma parte importante dos portadores da ‘Boa Nova’ até porque daqui por 20 e poucos anos, suponho que eu e muitos já cá não estaremos para os ouvirmos falar do que é Novo e Diferente, ao estarem cada vez mais próximos da Era de Aquário [mas muitos de vocês estarão cá e terão essa oportunidade]. Por enquanto, os que cá estamos agora, praticamente não temos informação nova e APENAS falamos do AMOR, repetindo-nos à exaustão, pois falta-nos claramente acesso a informações novas. Daqui por 20 e tantos anos, quando esses bebés forem adultos essa questão do ‘amor’ já estará tratada e bastante resolvida em termos de humanidade e será chegado o tempo de, quem cá estiver, ouvir a Boa Nova. Nem faço ideia se nessa altura, o planeta já não estará a vibrar muitíssimo mais na 4D do que na actual terceira dimensão.

Não sei se daqui por 20 anos ainda haverá a mesma ‘casta’ de políticos. Se forem da mesma estirpe que os actuais, o futuro será um tema simples, bastante pobrezinho, em termos políticos e esotéricos. Não vale a pena deitarmos foguetes antes do tempo, porque a maioria dos políticos actuais, para terem acesso a lugares de poder no actual contexto planetário, vão aos poucos abandonando a sua alma. É o que vemos nos dias de hoje. Se a estirpe não mudar, o mundo não terá evoluído tanto como eu sonho e acredito. Serão os bebés destas 2 Grandes Cruzes Cardinais [2010 e 2014] que a seu tempo e sem grandes contaminações políticas, irão ocupar os lugares de poder dessa altura? Não sei responder. Tenho essa esperança

Esta formação astrológica, a Grande Cruz Cardinal, de abril 2014 será o grande evento desta Primavera, além de ser absolutamente dominante nas Agendas Políticas e Económicas Mundiais.

Pelo facto de se dar em signos cardinais – Carneiro/Áries, Caranguejo/ Câncer, Balança/Libra e Capricórnio – é para os astrólogos um dos eventos mais importantes dos anos recentes e dos vindouros. Se olhar para os mapas que criei (a diferença está nas cores, pois são exactamente iguais na precisão astrológica) onde estão apenas os planetas que fazem esta formação e verá que há uma cruz e 4 quadraturas rigorosamente espaçadas, no grau 13 de cada um destes signos. Convido a minha amiga e colega Vera Braz Mendes a debruçar-se sobre o significado deste dia específico no que aos graus sabianos diz respeito. Aguardarei e lerei com toda a atenção e interesse, caso ela decida escrever alguma coisa sobre este tema.

Olhando-se para os mapas que anexo percebe-se que tudo está em perfeito equilíbrio. E tanto equilíbrio em signos cardinais quer dizer apenas isto: é necessário tomarmos as iniciativas que nos competem, de forma harmoniosa, mas decidida, com beleza, mas sem falhas, sem perfeição, claro, mas com elevação. Isto é o que os signos cardinais devem corresponder.

No entanto, dentro desta estabilidade e harmonia que é esta Grande Cruz Cardinal, convém não esquecermos que estão presentes 3 planetas que adoram o que é radical: Marte, o Deus da Guerra, mesmo retrógrado, e talvez por isso, a impor registos pouco habituais no panorama mundial; Úrano a representar o que é novo e, não esqueçamos, representa também a ‘Voz de Deus’, portanto estamos a falar de novidades [a Europa tem sido pródiga em casos estranhos, mas não nos esqueçamos do avião da Malásia que subitamente desapareceu]; Plutão, o Senhor do Submundo, é o protótipo do revolucionário que à força tudo domina e finalmente, em jeito de quem não quer a coisa, encontramos Júpiter, o expansivo do zodíaco, portanto, com uma dupla função: primeiro, aumentar e reforçar o que os outros 3 planetas significam e, segundo, por ele próprio ser o Senhor das Leis Superiores, temos forçosamente que ver nesta Grande Cruz, um propósito que nos ultrapassa nos nossos quotidianos sem graça e, para muitos, sem esperança.

Portanto, o tal equilíbrio que falei mais acima existirá mas só depois de terminado o ‘fogo de artifício’ que já estamos a viver e que viveremos com maior intensidade. Sem pretender ser dramático, proponho-vos que nos preparemos todos para vermos as faíscas que se cruzarão no céu, antes de entrarmos em período mais harmonioso. Quem foi que escreveu que 2014 seria um ano enfadonho? Este é um momento significativo e muito especial que irá motivar o mundo e os seres humanos em grande escala.

Esta formação astrológica manter-se-á activa até à 1ª semana de Maio, obviamente sem que os planetas estejam todos paradinhos no grau 13 de cada signo. Mas a influência estará presente, pois o pontapé de saída já foi dado. Todos sabemos que a regra geral das cruzes cardinais são apreciadas como influências impacientes e assertivas e tendem a estimular ações positivas, mas às vezes imprudentes. Teremos que estar vigilantes de nós mesmos, pois já que quase nada se pode fazer em termos políticos mundiais e mesmo nacionais. Oxalá o combustível desta Grande Cruz Cardinal aguente durante uma temporada, para não passarmos por aquilo que também é típico dos signos cardinais: muita garganta, muita acção e também um rápido esmorecer, para dar lugar aos signos fixos que sabem manter tudo em ordem.

A oposição entre Júpiter e Plutão ocorre a cada 12 ou 13 anos e regra geral para percebermos que podemos tomar a nossa energia e conduzi-la para fins positivos. Neste ano estamos a falar do eixo Caranguejo/Câncer – Capricórnio. É aquilo que se chama de ‘will power’ ou poder próprio. Que o nosso livre-arbítrio saiba fazer o que lhe compete, é só o que desejo. É o meu poder interno e como o manifesto nesta matéria, sendo Capricórnio o signo mais elevado da roda zodiacal. Capricórnio está lá em cima, de forma elevada, para aprendermos que a perfeição não existe no ser humano, tal como a entendemos, pois ela é uma questão divina e mesmo assim, há quem ponha isso em causa. A natureza atinge perfeições inauditas e ve-se uma mão misteriosa a compor tal música. Mas com Caranguejo nesse eixo, a tratar dos assuntos emocionais, como ficamos nós nesta encruzilhada do destino? Seguimos em frente? Ou paralisamos com medo? Até que ponto temos de mudar e adaptarmo-nos e quais os preços que teremos que pagar para obtermos o que queremos para avançarmos? Esta é a grande questão. Também não sei responder cabalmente, mas sim intuitivamente.

Vejamos o caso da Ucrânia e da Crimeia que é um exemplo perfeito para o que acabei de enunciar e que exponho em pormenor a seguir. A Rússia sempre teve desejos de ter a Crimeia no seu território, pois uma czarina em tempos tinha oferecido esta região à Ucrânia. Os czares desapareceram, mas agora a Rússia tem um senhor todo poderoso ao leme da sua barca, chama-se Putin, é como se fosse um czar totalitário. Desde o desmembramento da antiga União Soviética, por causa da composição étnica da região o facto é que as instalações portuárias foram baseados em Sebastopol, com o seu grande polo industrial e turístico, mas através da revolução nos últimos meses, de desestabilização da Ucrânia [Úrano, o planeta do povo nas praças em revolta ajudado pela oposição de Júpiter a Plutão], a Rússia viu uma oportunidade para a expansão de seu território e sabia exatamente como usar o seu controle de poder… O resto são factos já históricos. Sem nenhuma guerra e enorme mortandade, como costuma ser habitual nestes casos, a Rússia levou a melhor no seu propósito cardinal, sem derramamento de sangue [Marte retrógrado]. Recentemente, em março de 2014 num dia histórico para a Rússia, o presidente Vladimir Putin declarou para seu povo que jamais se consideraria um patriota se um dia tivesse que ir a Sebastopol e ver aviões e navios de guerra dos EUA estacionados no porto desta cidade de sua grande pátria. Sem Sebastopol, a Rússia voltaria ao seu isolamento e pouco a pouco perderia o seu peso na Europa. Agora, só depois da anexação da Crimeia é que a União Europeia assinou um acordo com a Ucrânia e desembolsou carradas de dinheiro e os USA decretaram boicotes militares, económicos e financeiros à Rússia, com os quais ninguém está de acordo na Europa, pois todos precisam do poderio russo. Estamos falados? Obama, il n'existe pas! USA, il n'existe pas! Europa, il n'existe pas! E assim estamos.

Nesta Grande Cruz Cardinal é sintomático o eixo Carneiro-Áries [com Úrano] / Balança-Libra [com Marte retrógrado]. Mais uma vez, o exemplo da Ucrânia - Crimeira é notável para percebermos o que é um planeta estar retrógrado num aspecto mundano. Aconteceu tudo ao contrário do que o povo ucraniano queria. Úrano conseguiu que os movimentos contra o regime fossem efervescentes. Quando o povo ucraniano já tinha conseguido depor o antigo presidente e tudo aparentava entrar numa certa normalidade democrática, a retrogradação de Marte fez dar a volta à questão e em poucas horas, a Rússia encharcava a Crimeia com armamento pesado e dominava a situação. Por alguma razão se diz que Marte é o Deus da Guerra. Quanto ao referendo, é apenas política, sem qualquer valor. Não afirmei mais acima que os políticos entregaram todos a sua alma à Sombra? Pois, aí têm a resposta sobre o referendo… mesmo o hipotético português.

Muito mal comparado, em Portugal viveu-se também um processo de «retrogradação». Estou a falar da questão da co-adopção por pais do mesmo sexo. Ia para ser Lei, depois falaram que era necessário um referendo, deixou de ir e… pimba… um contra-golpe palaciano na Assembleia da República, que voltou tudo à estaca zero e anulou a possibilidade dessas co-adopções. O Parlamento português e o Parlamento da Crimeia são similares: está no poder uma certa estirpe de políticos que não permitem a evolução natural das coisas. Mas políticos dos outros países não são melhores. Lembremo-nos que o Presidente francês disfarçava-se de entregador de pizas para poder encontrar-se com a sua ‘amada’, ao arrepio da sua companheira oficial, que entretanto, mandou-o apanhar urtigas.

Portanto, aquele Marte retrógrado em Balança-Libra, tem trazido muita frustração para o mundo em geral, e acredito que para nós, pessoas, também.

Reconheço que me entusiasmei um bocado com este texto e tenho que terminar, mas não tenho a certeza se passei para o leitor, o que era essencial do meu pensamento sobre esta Grande Cruz Cardinal. Espero que sim.

Muito agradecido pela atenção. Amem-se uns aos outros.

Abraços & beijos

António Rosa
21-03-2014

.
UPDATE

Recomendo a leitura destes belíssimos textos sobre este mesmo tema:

Do  astrólogo português Leonardo Mansinhos
Aqui

Da astróloga portuguesa Vera Braz Mendes
Aqui
[Muito agradecido, Vera, por ter escrito um texto excelente.]

Da astróloga portuguesa Ruth Fairfaild
Aqui.

Do astrólogo brasileiro Marcelo Dalla - 1 e 2

Da astróloga brasileira Mônica Brandão

Da astróloga brasileira Vanessa Tuleski
Aqui.

Do astrólogo português Pedro Ascenso
Aqui

.

20 comentários:

Anónimo disse...

Bem haja pelo seu post. Energias poderosas estão em movimento, a lembrar-nos, tb, que somos energia. E que os resultados em termos de tempestade o bonança só depende de nós. Desde 2010 que ando no meio do vento e das suas rajadas. Espero poder ter força para o que se avizinha.
Obrigado.
MJ

António Rosa disse...

MJ

Muito agradecido. :)

António

Astrid Annabelle disse...

Bom dia meu querido António!
Como afirmei em um comentário no FB desde ontem estou envolvida com a leitura deste post. E serão mais dias a ler e reler. Me chamou muito a atenção:
...os bebês que nascerão agora sob a influência da Grande Cruz
...o grau 13.... do posicionamento dos planetas{ e de que senhores planetas!} ...o 13 sabemos que se trata de uma virada sempre...
E por enquanto é o que tenho a dizer, pois irei ler mais, com a sintonização ativada...
Beijos
Astrid Annabelle

Anónimo disse...

Sou eu de novo, apenas para acrescentar que me emocionei quando li a 1ª vez e o mesmo continua a acontecer. Isto só significa que as palavras tocaram a essência ( e não apenas a minha)

Grata.

MJ

António Rosa disse...

Querida Astrid

É sempre uma enorme ajuda a sua visão destes acontecimentos. Muito e muito obrigado. Grande beijinho.

António

António Rosa disse...

MJ

Não tenho palavras para lhe agradecer.

Um grande beijinho

António

Cátia Bártolo disse...

Gostei muito.

Grata ! :) beijinho António.

António Rosa disse...

Claudia

Gostei muito. obrigado.

Lindi disse...

Caro António, junto com a alma, após o passar do tempo, os políticos perdem o brilho do olhar. Passam a ser autômatos ávidos por poder. Já vi muitos casos.... Esperamos que daqui a uns 20 anos, tal situação mude.... quem viver verá!

Astrid Annabelle disse...

Continuo estudando este seu texto meu querido António e sempre que leio ou ouço algo a respeito volto para ler novamente por aqui...já perdi a conta de quantas vezes fiz isso.
Um beijo agradecido por tudo.
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Lindi,

Oxalá seja assim. Portanto, está de acordo comigo, certo?

Muito obrigado,

António

António Rosa disse...

Querida Astrid,

É tão querida. É mesmo bom saber que posso contar consigo como leitora, sobretudo num artigo onde deixei vir ao de cima bastante mau génio [políticos, maus canais, etc.]. Não é um artigo de 'espiritualidade lindinha', pois tem uma certa dose de acidez. Do que eu gosto é a parte dos bebés...

- Já viu que estou a fazer updates de outros astrólogos d elíngua portuguesa? Só encontrei 3 astrólgos que tenham escrito alguma coisa com antecedência.

Um grande beijinho

António

ceudodia disse...

António, meus agradecimentos pelo link para o CéudoDia. É sempre muito satisfatório ter um colega de profissão reconhecendo o nosso trabalho. Um cordial abraço, Mônica Brandão.

MARCELO DALLA disse...

Gratissimo pelo link, amigo! Também acrescentei o link do seu artigo no final do meu texto. ;) Tb gosto muito quando fala dos bebês. :)
abraço

ana marengo disse...

Adorei amigo!
Maravilhoso texto!
bjossss
tina

Vera Braz Mendes disse...

Obrigada eu, pelo seu texto e pelo desafio q me propôs.

Bj

António Rosa disse...

Mônica

Sabe que a leio sempre que encontro coisas suas. Sou um seu leitor fascinado.

Um abraço agradecido

António

António Rosa disse...

Olá Marcelo,

Muito e muito obrigado.

Abraço,

António

António Rosa disse...

Olá Ana

Você é sempre tão querida. Muito obrigado pela sua generosidade.

Beijinho

António

António Rosa disse...

Olá Vera,

Amei o seu texto. Muito obrigado.

António

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates