Fernando Nobre, uma súbita e desmedida necessidade de grandeza pessoal - análise astrológica

17 de abril de 2011 ·


Fernando Nobre
Nascido a 16-12-1951, em Luanda, Angola

Seu CV pessoal, bastante importante, aqui.
Vale a pena ser lido, pois não estamos a falar de um zé qualquer.

Aos leitores de outros países que não conheçam Fernando Nobre,
uma breve explicação:

Com um percurso cívico (fora da política) deveras impressionante, este Doutor em Medicina e Cirúrgia, foi fundador e presidente da AMI - Fundação Assistência Médica Internacional  (género médicos sem fronteiras) de 1984 a 2010, quando decidiu candidatar-se às eleições de Presidente da República Portuguesa, que se realizaram no dia 23 Janeiro 2011, tendo ficado em 3º lugar, com cerca de 600 mil votantes, num universo de 9 milhões (números redondos). Para quem vinha do mundo civil, pode-se considerar um feito notável. Isto deveu-se a que Júpiter em trânsito fazia uma conjunção ao seu Júpiter natal em Carneiro / Áries.

Acontece que Portugal viu-se no caminho de eleições legislativas (parlamento, governo) antecipadas e a semana passada surgiu  a notícia que Fernando Nobre, entraria como independente nas listas do PSD (o actual partido da oposição ao governo, com possibilidade de poder criar governo, desta vez) [ver minha análise astrológica das próximas eleições, aqui] com «o exclusivo e inequívoco propósito de ser presidente da Assembleia». Ou seja, passaria a ser o nº 2 do nosso país. Maior ironia não pode haver. Se, por qualquer motivo o actual Presidente da República estivesse impedido de exercer o cargo temporariamente, ele exerceria, automaticamente e de forma administrativa, essa função.

Afirmou ao jornal 'Expresso' que «poder ser presidente [do Parlamento] é uma mensagem para a sociedade civil: um independente pode chegar a um alto cargo no Estado, onde pode marcar.» E eu pergunto: Marcar o quê? Fazer discursos ou contar os deputados presentes? Será um caso de megalomania absoluta? Um caso de ilusão muito grande?

Tendo explicado isto, deu-me vontade de perceber o que se passava com os trânsitos de Fernando Nobre, mas apenas para perceber porque teve esta súbita e desmedida necessidade de grandeza pessoal. Enquanto astrólogo, só me apetece fazer esta análise, sem me preocupar com os resultados eleitorais, por agora. Só quis perceber porque um dos homens mais notáveis da vida civil do país, de repente, passou a sentir necessidade de ter muito poder político.



Atenção aos leitores menos prevenidos: devido a não se saber a hora de nascimento de Fernando Nobre só se podem analisar os aspectos que os planetas nos signos fazem, sem se ter em conta as casas onde se situam. Clicar na imagem para aumentar.

O que chama imediatamente atenção nos trânsitos de Fernando Nobre é que Neptuno esteja peregrino. Logo, muito poderoso no mapa. Vamos já explicar: diz-se estar peregrino quando não faz aspectos astrológicos maiores (trígonos, sextis, conjunções, quadraturas e oposições) aos planetas pessoais natais (Sol, Lua, Mercúrio, Vénus, Marte). Mas este caso é bem mais forte, pois não faz nenhum aspecto aos restantes planetas do zodíaco: Júpiter, Saturno, Úrano, Neptuno e Plutão. Está mesmo muito peregrino e por isso, torna-se, no momento das suas decisões, no planeta mais proeminente do seu mapa.

Falemos de forma prolongada deste Neptuno dominante.

Neptuno evolui pela dissolução das fronteiras, barreiras e diferenças entre os seres, através de processos psíquicos de identificação. Neptuno imprime a ânsia de libertação da materialidade e da individualidade, o fim do isolamento, da dor, da tristeza, da separatividade, a «obsessão» em escapar de tudo aquilo que é sentido como limitante, frustrante e doloroso. Em Neptuno movem-se os impulsos emocionais e regressivos que procuram atrair o indivíduo para um paraíso perdido.

Neptuno por dar a renúncia à separatividade e à individualidade, impulso para a desdiferenciação e indiferenciação (procura da plenitude unificadora), anseio pelo paraíso perdido, transcendência emocional das limitações, das frustrações e do sofrimento, inspiração artística, sensibilidade imagética, compreensão mística, auto-sacrifício.

Também pode provocar situações destas: relações simbióticas, de dependência ou de masoquismo, relações de parasitismo, martírio e sacrifício autodestrutivo, estabelecimento de ligações asfixiantes, ingenuidade, passividade e apatia, infantilismo e narcisismo, falta de objectividade, confusão, ilusão e decepção, debilidade e instabilidade psíquica, introversão excessiva, desorganização, ideias e motivações caóticas e vagas, divagações estéreis, falta de regras e directrizes, vontade fraca, indecisão, idealização excessiva, distorção da realidade, mentira, perspectiva muito «cor-de-rosa», imaginação desenfreada, submissão e permeabilidade excessivas ao ambiente, excesso de impressionabilidade e susceptibilidade ao sofrimento, às frustrações e às limitações.

Já toda a gente entendeu com este texto o que se passa astrologicamente, com Fernando Nobre. Isto vai dar muito que falar. Oxalá ele não saia humilhado desta situação.

Tendo Neptuno entrado esta semana em Peixes, signo do qual é regente, todas estas questões amplificaram-se e agudizaram.

Mas existem outros trânsitos com um peso enorme nos trânsitos de Fernando Nobre, nesta fase da vida dele, pois daqui por um ano tudo será diferente e mais desanuviado na cabeça dele.

Falemos agora de Saturno

Saturno em trânsito está a fazer-lhe o 2º retorno de Saturno. Está a atirá-lo para a terceira e última fase da sua vida. Saturno representa a ordem, o método, o Senhor do Tempo, o chefe, aquele que manda, o governo. Quem diria que um homem tão especial e com uma vida cívica tão preenchida, como Fernando Nobre iria passar por desmedida necessidade de grandeza pessoal. [Pode ler aqui  mais profundamente sobre os retornos de Saturno que se dão entre os 29/30 anos e os 58/60 anos.]

As associações importantes podem começar ou terminar. Mas também a pessoa pode tornar-se mais intransigente, mais exagerada, mais exigente, podendo prejudicar-se por ser demasiado inflexível, mesmo actuando honestamente, como é característico desta influência astral.

Esta passagem de Saturno pode significar um momento de fragilidade vital, com alguma teimosia, possível dureza de posições, uma certa inflexibilidade e mesmo alguma intransigência.

Uma coisa parece ser certa neste segundo retorno de Saturno: se a pessoa consegue perceber que, devido a estas possíveis atitudes, está a encaminhar-se para uma vida de cristalização e consegue ter força de vontade para aligeirar esta carga pesada, o futuro a seguir apresenta-se risonho, agradável, cheio de projectos para concretizar.

Está na idade ideal de ser convidado para um lugar importante no cenário internacional, mais de acordo com o seu projecto de vida (ONU, UNESCO, etc.). Ainda  vai  a tempo!

Outros trânsitos poderosos no mapa de Fernando Nobre.

Olhemos para o seu Júpiter, o planeta que pode provocar manias de grandeza ou mesmo megalomanias.

Está a receber dois aspectos muito fortes. Uma conjunção de Úrano, a querer ser diferente, ousado, com vontade de rasgar o convencional, ao ponto de afirmar que se não conseguir o cargo que quer, renunciará imediatamente ao mandato de deputado. Obviamente, com esta afirmação, percebe-se que a vontade não é servir o país, mas sim a sua vontade pessoal.

Também uma quadratura de Plutão, a querer a toda custa poder, neste caso poder político, ou aquilo que ele imagina que é poder político. Qualquer português medianamente informado sabe que o cargo que Fernando Nobre tanto ambiciona, o de presidente da Assembleia da República, é mais uma figura de 'senador', do que de alguém que detém poder político real. Oxalá não saia humilhado desta situação, pois o PPD tem demonstrado que tem memória de elefante. E tem muitos barões que não apreciam esta situação.

Aguardemos pelos tempos mais próximos.

.

18 comentários:

Ana Cristina disse...
17 de abril de 2011 às 12:28  

António, o tema é interessante pena, não termos o próprio à nossa frente :)
Mas sim o que salta é esse Saturno e além do retorno, quadratura a Úrano natal, a necessidade de lutar para ganhar. No momento tb a apontar o arco solar de Júpiter ao eixo NL, em alta as associações :), acompanhado por um de Plutão a Neptuno natal, sugerindo a possibilidade de perca de senso da realidade.

Cada um viverá estas fases de acordo com os caminhos que escolher percorrer.

Bom domingo.

Dunyazade disse...
17 de abril de 2011 às 13:25  

Ois!

Outra coisa que eu notei, mesmo com esta hora (12h):
- o nódulo norte em trânsito a 26º Sagitário em trígono exacto ao plutão natal em Leão (26º). O que é muito interessante! Mesmo neste mapa, o Plutão natal está na casa 5 (eu, eu EU!, ego super-inflamado, em um grau próximo da estrela fixa Regulus, a tal que nos levanta aos píncaros, mas que também nos faz tombar) e o nódulo norte em trânsito está a passar pela casa 10 - a da carreira e projecção social no mundo! Talvez esteja a sentir esta ânsia de poder pessoal de maneira muito forte, uma obsessão (inconsciente até, diria), e como é um trígono esta ânsia flui sem limites.

Outra coisa:
- Urano em trânsito na casa 1 (e começo a pensar que mesmo um mapa do meio-dia dá Imensas informações) em conjunção ao Júpiter natal (tema que abordou), mas este Júpiter está em quadratura com Quíron natal, que está colocado na casa 10. Novamente vem uma força de expressar a individualidade com muita força (algo que nele já é natural: Júpiter em Carneiro na casa 1), que se vê com Urano a juntar-se a Júpiter n., mas esta ânsia vai ferir a sua reputação pública (Quíron natal na casa 10), porque Urano também está a fazer uma quadratura a ele.

Adoro Astrologia :)

Jokitas!***********

Astrid Annabelle disse...
17 de abril de 2011 às 14:12  

Como estudante e apaixonada por astrologia gostei muito desta análise. Aprendi imenso...como vocês portugueses costumam dizer!
E parabenizo inclusive a Ana Cristina e a Dunyazade pelos ricos comentários.
Sigo aprendendo...
Beijos agradecidos para todos.
Tenham um excelente domingo.
Mais um beijo muito agradecido António! Está excelente seu post!!!
Astrid Annabelle

*..partilhado, naturalmente!!!

Susana Vitorino disse...
17 de abril de 2011 às 15:26  

Obrigada, António, por mais uma lição fantástica.

Muita grata a todos pelo que me permitem aprender aqui. Sempre.

Bom Domingo e Xi-<3 apertado!

Estrela Cadente disse...
17 de abril de 2011 às 16:59  

Análise fabulosa como sempre querido Antonio! Partilhado!
namasté!

manuel marques disse...
17 de abril de 2011 às 19:49  

Sobre Fernando Nobre apenas uma palavra:Desilusão.

Abraço.

Adelaide Figueiredo disse...
18 de abril de 2011 às 01:31  

António,
Estando de acordo com tudo o que foi dito e com enorme pena de não se saber a hora exacta de nascimento e baseando-me nas 12 horas, dou mais esta achega: a meu ver, Quiron em Peixes fá-lo reconhecer o próprio Eu como divino e integrar este reconhecimento na vida quotidiana. Quiron em trânsito, fazendo um sextil a Júpiter N, que ainda vai durar uns mesitos ajuda a que ele trace o rumo para o futuro. É um aspecto fraco, no entanto, talvez ele ao pensar da forma que pensa, seja por estar magoado, ignorado ou sido ultrapassado e se queira colocar na frente (uma questão de ego). No entanto, talvez ele ainda volte atrás nalguma coisa, o que seria melhor para ele a meu ver, porque geralmente este posicionamento se as pessoas não caem em si são humilhadas, criticadas etc.
Uma boa semana porque o domingo já lá vai :)

António Rosa disse...
18 de abril de 2011 às 11:39  

Bom dia, Ana Cristina,

De facto é uma pena não termos o próprio à nossa frente! Mas correríamos o risco de ele nos dizer que os «sonhadores sem limites» éramos nós. Completamente de acordo com a sua análise.

Boa semana com muitos feriados.

António Rosa disse...
18 de abril de 2011 às 11:40  

Dunyazade,

Aprecei a sua análise e cá fica registado. Como deve imaginar este tipo de mapas não são fáceis e a pessoa a quem pertence o mapa está numas «alturas» tais que não vê nada a não ser a sua própria figura. O Júpiter dele está muito desassossegado.

Muito agradecido.

António Rosa disse...
18 de abril de 2011 às 11:40  

Bom dia Astrid,~

Ainda bem que está a fazer o seu aprofundamento astrológico. Exemplos astrológicos como o deste homem são raros. Gostei muito do seu depoimento e fiquei muito feliz ao perceber que este post desencadeou muitas partilhas. Só quer dizer que a minha intuição está a funcionar ao ter escolhido este exemplo.

Beijos.

António Rosa disse...
18 de abril de 2011 às 11:45  

Susana, minha querida,

Muioto grato eu pela partilha e pelas palavras gentis. Boa semana de Páscoa.

António Rosa disse...
18 de abril de 2011 às 11:45  

Estrela Cadente~

Muito obrigado pela sua gentileza.

António Rosa disse...
18 de abril de 2011 às 11:45  

Manuel Marques,~~

Vamos seguir em frente... :))

António Rosa disse...
18 de abril de 2011 às 11:45  

Adelaide,

Linda análise, que gostei muito. Uma visão muito especial a sua sobre Quíron em Peixes. Vou reflectir sobre isso.

Muito obrigado.

Filomena Nunes disse...
18 de abril de 2011 às 15:41  

António Rosa,

Muito bom!! Adorei mesmo!! Esclarecem-se muitas coisas...
Vou levar para divulgar!!

Quanto ao senhor Fernando Nobre, agradeço-lhe esta desilusão!! Quem se iludiu fui eu, e sou devolvida à realidade pura e simples... se não fosse complexa!! :D

Um abraço <3

Filomena

orvalho do ceu disse...
18 de abril de 2011 às 16:53  

Início da Semana Santa, Antônio, o meu desejo de paz e alegria é para vc... bem como uma chuva de:

Orvalho do Céu (uma “Chuva de Néctar da Verdade”... ou de Palavras de Deus)...

Estarei oferecendo um Retiro em meu Blog durante toda semana, passo para convidar e aguardar a sua visita...
Preparei tudo com todo o meu carinho fraternal... Espero que lhe seja útil!!!
É exatamente isso que lhe digo nesse tempo que estamos entrando:
Uma Abençoada Semana Santa e uma Páscoa extremamente feliz!!!
Abraços de paz e achocolatados desde já pois estarei também em Retiro Espiritual.


http://espiritual-idade.blogspot.com/

Valentim disse...
18 de abril de 2011 às 19:27  

Para mim não é desilução, mas sim uma confirmação daquilo que senti, quando soube da sua candidatura às eleições presidenciais.
Já nada me espanta.
Quando alguém como o Sr. Fernando Nobre saí da sua vida, tão preenchida, e pelo que se sabe bem preenchida, e resolve envolver-se na politica, só tem duas hipoteses, como não obteve os resultados a que se propôs, ou saí. Ou então vai à procura de mais.
Por esta analise astrológica, Fernando Nobre, parece ter gostado destas coisas das campanhas, dos debates, dos confrontos. O mapa dele não mente.
Por isso aí vai ele. Estou de acordo com o António. Queira Deus ele não saia muito magoado de tudo isto.

Táxi Pluvioso disse...
19 de abril de 2011 às 04:18  

Talvez sejam planetas a rodar mas a ideia que fiquei dele, homem que tem uma associação juntamente com familiares, é ser antipático, e nas eleições mostrou ser malcriado.

Quem sabe se Cavaco não bate a bota e ele vai passear para os jardins de São Bento.

O povo tem a obrigação de votar, durante 36 anos votou pela bancarrota do país, faltam mais algumas eleições, e finalmente conseguirá esse alto desejo nacional por volta de 2013-2014 (não sei o que dizem os astros para esses anos, mas aparecerão muitas continhas para pagar). boa semana.

17 de abril de 2011

Fernando Nobre, uma súbita e desmedida necessidade de grandeza pessoal - análise astrológica


Fernando Nobre
Nascido a 16-12-1951, em Luanda, Angola

Seu CV pessoal, bastante importante, aqui.
Vale a pena ser lido, pois não estamos a falar de um zé qualquer.

Aos leitores de outros países que não conheçam Fernando Nobre,
uma breve explicação:

Com um percurso cívico (fora da política) deveras impressionante, este Doutor em Medicina e Cirúrgia, foi fundador e presidente da AMI - Fundação Assistência Médica Internacional  (género médicos sem fronteiras) de 1984 a 2010, quando decidiu candidatar-se às eleições de Presidente da República Portuguesa, que se realizaram no dia 23 Janeiro 2011, tendo ficado em 3º lugar, com cerca de 600 mil votantes, num universo de 9 milhões (números redondos). Para quem vinha do mundo civil, pode-se considerar um feito notável. Isto deveu-se a que Júpiter em trânsito fazia uma conjunção ao seu Júpiter natal em Carneiro / Áries.

Acontece que Portugal viu-se no caminho de eleições legislativas (parlamento, governo) antecipadas e a semana passada surgiu  a notícia que Fernando Nobre, entraria como independente nas listas do PSD (o actual partido da oposição ao governo, com possibilidade de poder criar governo, desta vez) [ver minha análise astrológica das próximas eleições, aqui] com «o exclusivo e inequívoco propósito de ser presidente da Assembleia». Ou seja, passaria a ser o nº 2 do nosso país. Maior ironia não pode haver. Se, por qualquer motivo o actual Presidente da República estivesse impedido de exercer o cargo temporariamente, ele exerceria, automaticamente e de forma administrativa, essa função.

Afirmou ao jornal 'Expresso' que «poder ser presidente [do Parlamento] é uma mensagem para a sociedade civil: um independente pode chegar a um alto cargo no Estado, onde pode marcar.» E eu pergunto: Marcar o quê? Fazer discursos ou contar os deputados presentes? Será um caso de megalomania absoluta? Um caso de ilusão muito grande?

Tendo explicado isto, deu-me vontade de perceber o que se passava com os trânsitos de Fernando Nobre, mas apenas para perceber porque teve esta súbita e desmedida necessidade de grandeza pessoal. Enquanto astrólogo, só me apetece fazer esta análise, sem me preocupar com os resultados eleitorais, por agora. Só quis perceber porque um dos homens mais notáveis da vida civil do país, de repente, passou a sentir necessidade de ter muito poder político.



Atenção aos leitores menos prevenidos: devido a não se saber a hora de nascimento de Fernando Nobre só se podem analisar os aspectos que os planetas nos signos fazem, sem se ter em conta as casas onde se situam. Clicar na imagem para aumentar.

O que chama imediatamente atenção nos trânsitos de Fernando Nobre é que Neptuno esteja peregrino. Logo, muito poderoso no mapa. Vamos já explicar: diz-se estar peregrino quando não faz aspectos astrológicos maiores (trígonos, sextis, conjunções, quadraturas e oposições) aos planetas pessoais natais (Sol, Lua, Mercúrio, Vénus, Marte). Mas este caso é bem mais forte, pois não faz nenhum aspecto aos restantes planetas do zodíaco: Júpiter, Saturno, Úrano, Neptuno e Plutão. Está mesmo muito peregrino e por isso, torna-se, no momento das suas decisões, no planeta mais proeminente do seu mapa.

Falemos de forma prolongada deste Neptuno dominante.

Neptuno evolui pela dissolução das fronteiras, barreiras e diferenças entre os seres, através de processos psíquicos de identificação. Neptuno imprime a ânsia de libertação da materialidade e da individualidade, o fim do isolamento, da dor, da tristeza, da separatividade, a «obsessão» em escapar de tudo aquilo que é sentido como limitante, frustrante e doloroso. Em Neptuno movem-se os impulsos emocionais e regressivos que procuram atrair o indivíduo para um paraíso perdido.

Neptuno por dar a renúncia à separatividade e à individualidade, impulso para a desdiferenciação e indiferenciação (procura da plenitude unificadora), anseio pelo paraíso perdido, transcendência emocional das limitações, das frustrações e do sofrimento, inspiração artística, sensibilidade imagética, compreensão mística, auto-sacrifício.

Também pode provocar situações destas: relações simbióticas, de dependência ou de masoquismo, relações de parasitismo, martírio e sacrifício autodestrutivo, estabelecimento de ligações asfixiantes, ingenuidade, passividade e apatia, infantilismo e narcisismo, falta de objectividade, confusão, ilusão e decepção, debilidade e instabilidade psíquica, introversão excessiva, desorganização, ideias e motivações caóticas e vagas, divagações estéreis, falta de regras e directrizes, vontade fraca, indecisão, idealização excessiva, distorção da realidade, mentira, perspectiva muito «cor-de-rosa», imaginação desenfreada, submissão e permeabilidade excessivas ao ambiente, excesso de impressionabilidade e susceptibilidade ao sofrimento, às frustrações e às limitações.

Já toda a gente entendeu com este texto o que se passa astrologicamente, com Fernando Nobre. Isto vai dar muito que falar. Oxalá ele não saia humilhado desta situação.

Tendo Neptuno entrado esta semana em Peixes, signo do qual é regente, todas estas questões amplificaram-se e agudizaram.

Mas existem outros trânsitos com um peso enorme nos trânsitos de Fernando Nobre, nesta fase da vida dele, pois daqui por um ano tudo será diferente e mais desanuviado na cabeça dele.

Falemos agora de Saturno

Saturno em trânsito está a fazer-lhe o 2º retorno de Saturno. Está a atirá-lo para a terceira e última fase da sua vida. Saturno representa a ordem, o método, o Senhor do Tempo, o chefe, aquele que manda, o governo. Quem diria que um homem tão especial e com uma vida cívica tão preenchida, como Fernando Nobre iria passar por desmedida necessidade de grandeza pessoal. [Pode ler aqui  mais profundamente sobre os retornos de Saturno que se dão entre os 29/30 anos e os 58/60 anos.]

As associações importantes podem começar ou terminar. Mas também a pessoa pode tornar-se mais intransigente, mais exagerada, mais exigente, podendo prejudicar-se por ser demasiado inflexível, mesmo actuando honestamente, como é característico desta influência astral.

Esta passagem de Saturno pode significar um momento de fragilidade vital, com alguma teimosia, possível dureza de posições, uma certa inflexibilidade e mesmo alguma intransigência.

Uma coisa parece ser certa neste segundo retorno de Saturno: se a pessoa consegue perceber que, devido a estas possíveis atitudes, está a encaminhar-se para uma vida de cristalização e consegue ter força de vontade para aligeirar esta carga pesada, o futuro a seguir apresenta-se risonho, agradável, cheio de projectos para concretizar.

Está na idade ideal de ser convidado para um lugar importante no cenário internacional, mais de acordo com o seu projecto de vida (ONU, UNESCO, etc.). Ainda  vai  a tempo!

Outros trânsitos poderosos no mapa de Fernando Nobre.

Olhemos para o seu Júpiter, o planeta que pode provocar manias de grandeza ou mesmo megalomanias.

Está a receber dois aspectos muito fortes. Uma conjunção de Úrano, a querer ser diferente, ousado, com vontade de rasgar o convencional, ao ponto de afirmar que se não conseguir o cargo que quer, renunciará imediatamente ao mandato de deputado. Obviamente, com esta afirmação, percebe-se que a vontade não é servir o país, mas sim a sua vontade pessoal.

Também uma quadratura de Plutão, a querer a toda custa poder, neste caso poder político, ou aquilo que ele imagina que é poder político. Qualquer português medianamente informado sabe que o cargo que Fernando Nobre tanto ambiciona, o de presidente da Assembleia da República, é mais uma figura de 'senador', do que de alguém que detém poder político real. Oxalá não saia humilhado desta situação, pois o PPD tem demonstrado que tem memória de elefante. E tem muitos barões que não apreciam esta situação.

Aguardemos pelos tempos mais próximos.

.

18 comentários:

Ana Cristina disse...

António, o tema é interessante pena, não termos o próprio à nossa frente :)
Mas sim o que salta é esse Saturno e além do retorno, quadratura a Úrano natal, a necessidade de lutar para ganhar. No momento tb a apontar o arco solar de Júpiter ao eixo NL, em alta as associações :), acompanhado por um de Plutão a Neptuno natal, sugerindo a possibilidade de perca de senso da realidade.

Cada um viverá estas fases de acordo com os caminhos que escolher percorrer.

Bom domingo.

Dunyazade disse...

Ois!

Outra coisa que eu notei, mesmo com esta hora (12h):
- o nódulo norte em trânsito a 26º Sagitário em trígono exacto ao plutão natal em Leão (26º). O que é muito interessante! Mesmo neste mapa, o Plutão natal está na casa 5 (eu, eu EU!, ego super-inflamado, em um grau próximo da estrela fixa Regulus, a tal que nos levanta aos píncaros, mas que também nos faz tombar) e o nódulo norte em trânsito está a passar pela casa 10 - a da carreira e projecção social no mundo! Talvez esteja a sentir esta ânsia de poder pessoal de maneira muito forte, uma obsessão (inconsciente até, diria), e como é um trígono esta ânsia flui sem limites.

Outra coisa:
- Urano em trânsito na casa 1 (e começo a pensar que mesmo um mapa do meio-dia dá Imensas informações) em conjunção ao Júpiter natal (tema que abordou), mas este Júpiter está em quadratura com Quíron natal, que está colocado na casa 10. Novamente vem uma força de expressar a individualidade com muita força (algo que nele já é natural: Júpiter em Carneiro na casa 1), que se vê com Urano a juntar-se a Júpiter n., mas esta ânsia vai ferir a sua reputação pública (Quíron natal na casa 10), porque Urano também está a fazer uma quadratura a ele.

Adoro Astrologia :)

Jokitas!***********

Astrid Annabelle disse...

Como estudante e apaixonada por astrologia gostei muito desta análise. Aprendi imenso...como vocês portugueses costumam dizer!
E parabenizo inclusive a Ana Cristina e a Dunyazade pelos ricos comentários.
Sigo aprendendo...
Beijos agradecidos para todos.
Tenham um excelente domingo.
Mais um beijo muito agradecido António! Está excelente seu post!!!
Astrid Annabelle

*..partilhado, naturalmente!!!

Susana Vitorino disse...

Obrigada, António, por mais uma lição fantástica.

Muita grata a todos pelo que me permitem aprender aqui. Sempre.

Bom Domingo e Xi-<3 apertado!

Estrela Cadente disse...

Análise fabulosa como sempre querido Antonio! Partilhado!
namasté!

manuel marques disse...

Sobre Fernando Nobre apenas uma palavra:Desilusão.

Abraço.

Adelaide Figueiredo disse...

António,
Estando de acordo com tudo o que foi dito e com enorme pena de não se saber a hora exacta de nascimento e baseando-me nas 12 horas, dou mais esta achega: a meu ver, Quiron em Peixes fá-lo reconhecer o próprio Eu como divino e integrar este reconhecimento na vida quotidiana. Quiron em trânsito, fazendo um sextil a Júpiter N, que ainda vai durar uns mesitos ajuda a que ele trace o rumo para o futuro. É um aspecto fraco, no entanto, talvez ele ao pensar da forma que pensa, seja por estar magoado, ignorado ou sido ultrapassado e se queira colocar na frente (uma questão de ego). No entanto, talvez ele ainda volte atrás nalguma coisa, o que seria melhor para ele a meu ver, porque geralmente este posicionamento se as pessoas não caem em si são humilhadas, criticadas etc.
Uma boa semana porque o domingo já lá vai :)

António Rosa disse...

Bom dia, Ana Cristina,

De facto é uma pena não termos o próprio à nossa frente! Mas correríamos o risco de ele nos dizer que os «sonhadores sem limites» éramos nós. Completamente de acordo com a sua análise.

Boa semana com muitos feriados.

António Rosa disse...

Dunyazade,

Aprecei a sua análise e cá fica registado. Como deve imaginar este tipo de mapas não são fáceis e a pessoa a quem pertence o mapa está numas «alturas» tais que não vê nada a não ser a sua própria figura. O Júpiter dele está muito desassossegado.

Muito agradecido.

António Rosa disse...

Bom dia Astrid,~

Ainda bem que está a fazer o seu aprofundamento astrológico. Exemplos astrológicos como o deste homem são raros. Gostei muito do seu depoimento e fiquei muito feliz ao perceber que este post desencadeou muitas partilhas. Só quer dizer que a minha intuição está a funcionar ao ter escolhido este exemplo.

Beijos.

António Rosa disse...

Susana, minha querida,

Muioto grato eu pela partilha e pelas palavras gentis. Boa semana de Páscoa.

António Rosa disse...

Estrela Cadente~

Muito obrigado pela sua gentileza.

António Rosa disse...

Manuel Marques,~~

Vamos seguir em frente... :))

António Rosa disse...

Adelaide,

Linda análise, que gostei muito. Uma visão muito especial a sua sobre Quíron em Peixes. Vou reflectir sobre isso.

Muito obrigado.

Filomena Nunes disse...

António Rosa,

Muito bom!! Adorei mesmo!! Esclarecem-se muitas coisas...
Vou levar para divulgar!!

Quanto ao senhor Fernando Nobre, agradeço-lhe esta desilusão!! Quem se iludiu fui eu, e sou devolvida à realidade pura e simples... se não fosse complexa!! :D

Um abraço <3

Filomena

orvalho do ceu disse...

Início da Semana Santa, Antônio, o meu desejo de paz e alegria é para vc... bem como uma chuva de:

Orvalho do Céu (uma “Chuva de Néctar da Verdade”... ou de Palavras de Deus)...

Estarei oferecendo um Retiro em meu Blog durante toda semana, passo para convidar e aguardar a sua visita...
Preparei tudo com todo o meu carinho fraternal... Espero que lhe seja útil!!!
É exatamente isso que lhe digo nesse tempo que estamos entrando:
Uma Abençoada Semana Santa e uma Páscoa extremamente feliz!!!
Abraços de paz e achocolatados desde já pois estarei também em Retiro Espiritual.


http://espiritual-idade.blogspot.com/

Valentim disse...

Para mim não é desilução, mas sim uma confirmação daquilo que senti, quando soube da sua candidatura às eleições presidenciais.
Já nada me espanta.
Quando alguém como o Sr. Fernando Nobre saí da sua vida, tão preenchida, e pelo que se sabe bem preenchida, e resolve envolver-se na politica, só tem duas hipoteses, como não obteve os resultados a que se propôs, ou saí. Ou então vai à procura de mais.
Por esta analise astrológica, Fernando Nobre, parece ter gostado destas coisas das campanhas, dos debates, dos confrontos. O mapa dele não mente.
Por isso aí vai ele. Estou de acordo com o António. Queira Deus ele não saia muito magoado de tudo isto.

Táxi Pluvioso disse...

Talvez sejam planetas a rodar mas a ideia que fiquei dele, homem que tem uma associação juntamente com familiares, é ser antipático, e nas eleições mostrou ser malcriado.

Quem sabe se Cavaco não bate a bota e ele vai passear para os jardins de São Bento.

O povo tem a obrigação de votar, durante 36 anos votou pela bancarrota do país, faltam mais algumas eleições, e finalmente conseguirá esse alto desejo nacional por volta de 2013-2014 (não sei o que dizem os astros para esses anos, mas aparecerão muitas continhas para pagar). boa semana.

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates