Porque apaguei a minha página profissional no Facebook

4 de junho de 2014 ·


Caros amigos,

Ontem, 3 Junho 2014, apaguei a minha página popular aqui no Facebook, que estava neste endereço, conhecido como 'Cova do Urso' - http://www.facebook.com/covadourso - Por favor não confundir com o meu velho e muito querido blogue «Cova do Urso» - http://cova-do-urso.blogspot.pt/

Por causa disso, tenho recebido inúmeras mensagens privadas de pessoas que lamentam essa situação e que, sobretudo, não entendem porque o fiz. Agradeço muito o terem contactado expressando o que sentem.

Vou tentar simplificar a minha explicação: não ando à procura de fama para ter uma página de fãs. Apenas quero trabalhar e viver. Sei bem que fui um dos primeiros astrólogos e espiritualista de língua portuguesa a criar uma página dessas. Fui um percursor, não só no Facebook, como em outros espaços online [meu site «Escola de Astrologia Nova-Lis - http://www.nova-lis.com/ - ou o meu blogue «Cova do Urso» - http://cova-do-urso.blogspot.pt/ ]. Tenho perfeita consciência que desbravei caminho. E estou feliz com isso. Precisei de uns anos para entender algumas coisas próprias da manutenção de uma página profissional [de fãs]: não sou artista, nem cantor, nem músico, nem escritor, nem pintor, nem empresário, nem fotógradfo, nem designer, nem estilista, nem VIP, nem nada que justifique ter duas páginas no Facebook. Entendo perfeitamente que o Justin Timberlake tenha uma página com 36 milhões de fãs, pois até eu sou fã dele. A minha tinha apenas uns «breves» 6 mil, e eu estava a fazer uma figura ridícula, pois tinha a minha própria cronologia que me permite fazer exactamente o mesmo que fiz durante anos na outra página. 

Com isto, peço que não pensem que critico os astrólogos que possuem essas páginas. São-me úteis, pois visito-as, faço os meus likes, partilhei imenso e raramente comento, excepto nas páginas de 2 ou 3 amigos. Que continuem e sejam felizes. Cada um tem o seu caminho.

Preciso de simplificar a minha vida profissional, enquanto astrolólogo. Dentro die dias [11 de junho] farei 65 anos e esta foi a minha prenda a mim mesmo: simplificar a minha vida. 

Estou a transferir para esta minha cronologia, muitos pequenos textos que chamo de «Astrologando» e que eram do agrado de quem me lia. Eu próprio me tenho surpreendido com esses textos, pois não me recordava da maioria. E não é que estou a reaprender alguma astrologia ou, sobretudo lembrar-me de coisas meio esfumadas... 

Na página de 'fãs' [o nome é deles, Facebook] tinha mais de 6200 aderentes, mas na verdade só uns quantos é que apareciam, segundo o próprio Facebook. A maioria dos meus visitantes eu conheço-os dos seus nomes e fotos. Conheço alguns pessoalmente. Sou amigo de outros. Se existe esta relação de proximidade entre este astrólogo e quem o lê, para quê manter uma aparência que não me correspondia? Não quero usar o Facebook como centro emissor de uma espiritualidade lindinha. Não faz o meu propósito. Cada vez menos.

Ficando só com a minha página pessoal, conseguirei fazer tudo o que actualmente faço sem despender energia por 2 páginas. Recomendaram-me que deixasse a página como estava pois as pessoas gostam de lá ir ler. É um mito urbano. Um dia poderei explicar porquê. Na minha maneira de ver as coisas, é emocionalmente muito complicado para mim, abandonar ao Deus dará, algo que fui construindo ao longo dos anos. Penso o mesmo dos blogues. Sinto enorme tristeza quando encontro páginas [blogues, sites ou Facebook] totalmente abandonados. Para a minha maneira de ver as coisas, prefiro APAGAR e deixar os temas desaparecidos e sossegados. Para mim, abandonar a minha própria energia está fora de questão. Mas, obviamente, cada qual pensa como entender.

Continuemos com ALEGRIA, como diz a minha querida amiga Ma Jivan Prabhuta. Estarei por aqui, fazendo o que gosto e também partilhando as coisas que eu gosto.

Beijos & abraços
4 Junho 2014
António Rosa



.

0 comentários:

4 de junho de 2014

Porque apaguei a minha página profissional no Facebook


Caros amigos,

Ontem, 3 Junho 2014, apaguei a minha página popular aqui no Facebook, que estava neste endereço, conhecido como 'Cova do Urso' - http://www.facebook.com/covadourso - Por favor não confundir com o meu velho e muito querido blogue «Cova do Urso» - http://cova-do-urso.blogspot.pt/

Por causa disso, tenho recebido inúmeras mensagens privadas de pessoas que lamentam essa situação e que, sobretudo, não entendem porque o fiz. Agradeço muito o terem contactado expressando o que sentem.

Vou tentar simplificar a minha explicação: não ando à procura de fama para ter uma página de fãs. Apenas quero trabalhar e viver. Sei bem que fui um dos primeiros astrólogos e espiritualista de língua portuguesa a criar uma página dessas. Fui um percursor, não só no Facebook, como em outros espaços online [meu site «Escola de Astrologia Nova-Lis - http://www.nova-lis.com/ - ou o meu blogue «Cova do Urso» - http://cova-do-urso.blogspot.pt/ ]. Tenho perfeita consciência que desbravei caminho. E estou feliz com isso. Precisei de uns anos para entender algumas coisas próprias da manutenção de uma página profissional [de fãs]: não sou artista, nem cantor, nem músico, nem escritor, nem pintor, nem empresário, nem fotógradfo, nem designer, nem estilista, nem VIP, nem nada que justifique ter duas páginas no Facebook. Entendo perfeitamente que o Justin Timberlake tenha uma página com 36 milhões de fãs, pois até eu sou fã dele. A minha tinha apenas uns «breves» 6 mil, e eu estava a fazer uma figura ridícula, pois tinha a minha própria cronologia que me permite fazer exactamente o mesmo que fiz durante anos na outra página. 

Com isto, peço que não pensem que critico os astrólogos que possuem essas páginas. São-me úteis, pois visito-as, faço os meus likes, partilhei imenso e raramente comento, excepto nas páginas de 2 ou 3 amigos. Que continuem e sejam felizes. Cada um tem o seu caminho.

Preciso de simplificar a minha vida profissional, enquanto astrolólogo. Dentro die dias [11 de junho] farei 65 anos e esta foi a minha prenda a mim mesmo: simplificar a minha vida. 

Estou a transferir para esta minha cronologia, muitos pequenos textos que chamo de «Astrologando» e que eram do agrado de quem me lia. Eu próprio me tenho surpreendido com esses textos, pois não me recordava da maioria. E não é que estou a reaprender alguma astrologia ou, sobretudo lembrar-me de coisas meio esfumadas... 

Na página de 'fãs' [o nome é deles, Facebook] tinha mais de 6200 aderentes, mas na verdade só uns quantos é que apareciam, segundo o próprio Facebook. A maioria dos meus visitantes eu conheço-os dos seus nomes e fotos. Conheço alguns pessoalmente. Sou amigo de outros. Se existe esta relação de proximidade entre este astrólogo e quem o lê, para quê manter uma aparência que não me correspondia? Não quero usar o Facebook como centro emissor de uma espiritualidade lindinha. Não faz o meu propósito. Cada vez menos.

Ficando só com a minha página pessoal, conseguirei fazer tudo o que actualmente faço sem despender energia por 2 páginas. Recomendaram-me que deixasse a página como estava pois as pessoas gostam de lá ir ler. É um mito urbano. Um dia poderei explicar porquê. Na minha maneira de ver as coisas, é emocionalmente muito complicado para mim, abandonar ao Deus dará, algo que fui construindo ao longo dos anos. Penso o mesmo dos blogues. Sinto enorme tristeza quando encontro páginas [blogues, sites ou Facebook] totalmente abandonados. Para a minha maneira de ver as coisas, prefiro APAGAR e deixar os temas desaparecidos e sossegados. Para mim, abandonar a minha própria energia está fora de questão. Mas, obviamente, cada qual pensa como entender.

Continuemos com ALEGRIA, como diz a minha querida amiga Ma Jivan Prabhuta. Estarei por aqui, fazendo o que gosto e também partilhando as coisas que eu gosto.

Beijos & abraços
4 Junho 2014
António Rosa



.

Sem comentários:

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates