Muitas pessoas pensam que a astrologia e os astrólogos funcionam como se fossem uma prova de queijos

26 de abril de 2011 ·

Foto daqui.
Muitas mulheres e homens insistem em relacionamentos complicados,
para depois se vitimizarem muito.

Como pode ser visto neste blogue, lá em cima, na zona vermelha dos menús, tenho um botão que diz «Consultas por email». Quem clicar e entrar, verificará que as informações são dadas com clareza. No entanto, há uns dias recebi de uma jovem o email que reproduzo a seguir, tendo eliminado apenas os dados pessoais indicados por ela. Quero já deixar claro que, perante esta situação, fiz a minha escolha: não aceitei este pedido de consulta. A seguir ao email, explico as minhas razões.

Texto do email recebido:

«não percebi bem a forma do pagamento. isto é, paga-se antes ou depois?


de qualquer forma, se me puder clarificar duas questões poderia então mais tarde marcar uma consulta aprofundada.

[Apaguei esta linha aqui no post, pois vinham os dados da jovem que me escreveu.]

1ª pergunta: ALGUM DIA VOU CASAR? isto é, existe alguma possibilidade que volte a ter uma real relação amorosa duradoura que possa resultar em estabelecer um lar e constituir familia? (a ultima concreta que tive p/ q conste que durou quase 5 anos começou e conheci o respectivo na passagem de ano de 2002)


a 21 maio de 2010 conheci um rapaz: [nome dele apagado], nascido [data de nascimento apagada] em lisboa. que devo esperar dele?»

A minha amiga Susana Vitorino defende a tese que, hoje em dia, as pessoas não sabem interpretar o que estão a ler e armam a maior das confusões para elas próprias. Concordo com esta tese e o exemplo é este email.

Comecemos pelo início do email. Diz não ter percebido qual a forma de pagamento, se antes, se depois. No entanto, no botão «Consultas por email» a explicação está claríssima. Por email, paga-se antes. Só nas consultas presenciais é que se paga depois. Será que é preciso explicar porquê?

Talvez esta jovem não tenha percebido que tenho cerca de 2.000 textos de astrologia na internet, de forma gratuita, tanto aqui no Cova do Urso, como no meu site «Escola de Astrologia Nova-Lis». Porque quero. Não obrigo ninguém a nada. Mas se me procuram, enquanto astrólogo, tenho que ser retribuído pelos serviços que presto. E, se decido oferecer a quem quer que seja consultas gratuitas pelo Skype, é porque me apetece fazê-lo. É porque, por alguma razão, gosto dessas pessoas, que nada me pediram e eu é que me ofereci. E que ofereço eu a essas pessoas? Apenas o meu tempo, o meu carinho, a minha estima, o meu coração. Não ofereço conhecimentos astrológicos, porque estes estão dentro de mim, fazem parte de mim. Estamos esclarecidos?

Continuemos. Esta jovem não hesitou em fazer da astrologia e dos astrólogos uma prova de queijos, dizendo isto: «de qualquer forma, se me puder clarificar duas questões poderia então mais tarde marcar uma consulta aprofundada». É como se eu entrasse numa pastelaria e pedisse para provar um queque, para me decidir a comprá-lo ou não. Isto que eu e muitos de nós fazemos não é como na 'Zara' ou na 'Chanel', onde podemos provar a roupa, sem a comprarmos. Não somos um 'Castelão', um 'Palhais' ou um 'Limiano', que se prova e se escolhe.

A ligeireza com que se escrevem estas coisas roça a leviandade. Não quero acreditar que a «geração à rasca» funcione assim.

Agora que já desabafei e manifestei o meu descontentamento por esta falta de respeito pelo meu ganha-pão, vou responder a algumas das questões levantadas pela jovem. Aqui e agora. Aqui e de borla. Aqui e com paciência. Porque quero e para limpar carma. 

Comecemos com as suas perguntas:

«ALGUM DIA VOU CASAR? isto é, existe alguma possibilidade que volte a ter uma real relação amorosa duradoura que possa resultar em estabelecer um lar e constituir familia»

 Minha cara, você acabou de fazer 30 anos há poucos dias e ainda faz perguntas dessas? Ainda não aprendeu aquilo que é básico na vida: que uma real relação amorosa duradoura não depende de um casamento. Este é um equívoco frequente entre as mulheres (e homens, também). Quererem uma garantia em como vão ser felizes para sempre. Isso não existe. Só o seu livre-arbítrio é que decidirá o que pretende fazer consigo mesma e com os relacionamentos que tiver.

Além disso, você deveria fazer-se a si mesma esta pergunta: «porque é que o meu anterior relacionamento de quase 5 anos acabou?» Quando encontrar a resposta e que esta seja sincera, então terá encontrado a chave do seu auto-conhecimento. Não venha com a história que essa relação acabou por culpa exclusiva dele. Isso não existe. Quando uma relação acaba, ambas as partes têm responsabilidades no assunto. Que ninguém se arme em vítima.

O seu Plutão natal na casa 7 [o espaço dos relacionamentos, casamentos] é indicador da sua imensa necessidade de controlar os relacionamentos. Todo o tipo de relacionamentos, mesmo com os amigos. Dá-me a sensação que é você quem quer ditar as regras e tem que ser obedecida. Isso é batota. Isso é sabotar-se a si própria. Isso é não ter a sua auto-estima bem colocada. Assim, a vida irá colocá-la à prova, tantas e  tantas vezes, até aprender que uma relação só funciona se for como neste post que escrevi aqui. Aproveite para ler e sentir. Este Plutão está em muito mau estado celeste, com aspectos tensos a vários dos seus planetas natais. Cuide-se muito, sim?


Para além disso, a sua Lua também está na sua casa 7 e em Escorpião. Uma Lua em Escorpião é indicador de emoções fortes, tendenciosas, baseadas no desejo obstinado. Esta não é considerada uma posição favorável para a Lua, porque encontra-se no signo da sua queda. Há uma tendência a levar muito a sério os assuntos pessoais, o que algumas vezes leva à possessividade e, em alguns casos, a um ciúme violento. Quando isso é levado ao seu extremo, as pessoas podem guardar ressentimentos e planear alguma vingança.  Algumas vezes, estes indivíduos desejam dominar os outros por meios subtis - chama-se a isto «manipulação». Ainda por cima, esta sua Lua natal está peregrina (sem fazer aspectos aos planetas pessoais), tornando-se dominante no seu mapa. As pessoas com a Lua na 7 habitualmente procuram a satisfação emocional nos relacionamentos e são muito influenciados por eles. Frequentemente procuram a figura da mãe ou do pai no parceiro do casamento. Espero que não seja assim tão obsessiva.


Vamos procurar no seu mapa, a casa 5, aquela que trata do amor e dos afectos. No seu caso, esta casa é dominada pelos signos Câncer / Caranguejo e Leão. Sem planetas. Como sabemos que o regente de Câncer é a Lua, já estamos conversados sobre a influência no seu mapa. Falta-nos olhar para Leão e procurar o regente, o Sol. Está em Touro, na sua casa 1, fazendo de si uma pessoa muito voluntariosa, que luta entre o amor, as emoções e as questões mais terrenas.


Recomendo apenas isto no que a relacionamentos diz respeito: evite controlar e manipular os namorados ou companheiros. Evite ser possessiva e ciumenta. Evite tentar dominar as situações de partilha. Não se faça de vítima. E, sobretudo, fica aqui uma outra recomendação muito séria: as questões ligadas à sua saúde. Vá ao médico regularmente. Faça análises, mamografias e tudo o mais. O seu carma (Saturno) está na área da saúde. Não arranje nenhum cancro ou tumores, só porque pensa que não é amada. Para sermos amados, temos que saber amar.


Quanto à sua pergunta seguinte: «a 21 maio de 2010 conheci um rapaz: [nome dele apagado], nascido [data de nascimento apagada] em lisboa. que devo esperar dele?» nem sequer lhe vou responder, pois não tenho a certeza se ele a autorizou a verificar a vossa compatibilidade astrológica. À cautela, prefiro nada dizer. 


Bom, já disse tudo. Vou enviar-lhe o link deste post por email, pois o mais certo é nem se aperceber que lhe respondi. Aproveite e medite em tudo isto que está nas entrelinhas.


Porque carga de água atraí esta situação para mim? 


Aos meus leitores habituais, desculpem-me este desabafo, 'tá bem? Beijos.


.

36 comentários:

MARCELO DALLA disse...
26 de abril de 2011 às 17:53  

Amigo querido!!!!
A-DO-REI!!!!
Volta e meia recebo perguntas desse tipo, pessoas que querem se consultar gratuitamente, como se eu estivesse todo o tempo disponível. Já nao posso mais deixar o msn nem o bate-papo do facebook ligados.
Sua atitude foi excelente e virou a situação a seu favor, levando jum belo aprendizado a todos.

Hoje estou no Rio, mais tarde darei uma aula de astrologia aqui. Lembra-se da sua sugestão a respeito da conjunçao de Jupiter com minha Vênus natal? Pois neste momento estou no hotel com uma bela vista para o mar. :)))))

Mais tarde voltarei para colocar a leitura do blog em dia.

abraço!!!!!

Tati disse...
26 de abril de 2011 às 18:01  

Oi Antônio querido, você deu a resposta perfeita! Não é apenas na astrologia que fazem este tipo de coisa. Entre os veterinários é também assim. Mal te conhecem e começam a perguntar coisas, a fazer "consultas", na maior parte das vezes sem que você sequer veja o animal. Só para não perder a oportunidade de aproveitarem-se. Não à toa boa parte das clínicas colocou a famosa tabela: Consulta- x; Olhadinha- X+Y ou mesmo 2X!
Pior que a pessoa ainda deve sair indignada. Não leve com você, você não merece! Fez até muito! rsr
Beijos.

Filomena Nunes disse...
26 de abril de 2011 às 18:04  

António Rosa,

Numa palavra: AMEI_TANTO_QUE_ME_APETECE_ABRAÇA-LO_OUTRA_VEZ... :))

Talvez tenha atraído essa situação exactamente para deixar BEM CLARO, o que deixou BEM CLARO!!!

Beijinhos e muitos PARABÉNS!!

Filomena

Susana Vitorino disse...
26 de abril de 2011 às 18:24  

Bolas! Deixei um comentário do tamanho do Antigo Testamento e já percebi que não ficou... :/

Este Mercúrio Rx tem sido "brabo"! E a passagem a directo também anda a fazer das suas... Ontem, sem eu ter tocado rigorosamente em nada, "consegui" apagar o cartão de uma máquina digital! Enfim... nem vale a pena espernear...

Vou refazer o meu comentário de outra forma, deixa-me só respirar fundo!

Contudo termino na mesma com muito Amor e Carinho e a gratidão da partilha!

Christiane disse...
26 de abril de 2011 às 19:46  

Meu amigo Antônio

Eu havia escrito um livro rsss mas o pc deu "crepe" aqui e apagou tudo hehehehehehe..

Bem Eu entendo seu lado porém te digo que entendo o dela também.

Quando estamos sentindo uma dor insuportável fica difícil muitas vezes pensar com clareza, eu confesso que já passei por isso.

Nem preciso dizer que tb tenho plutão na 7 ( sem esta lua problemática como a da moça descrita), então este post serviu para mim também.

Sou astróloga e vivo com pessoas me pedindo dicas. Sou fotógrafa e também vivo com pessoas me pedindo fotos e sou filósofa e escritora que muitos poucos lêem o que escrevo, ou seja, entendo o fato de muitos te procurarem por aquilo que você pode oferecer sem nenhum tipo de respeito.

Porém tudo é aprendizado e vivemos numa sincronicidade o que torna estes acontecimentos interessantes.

Há um ano e meio atrás sofri de uma dor profunda e como ela queria muito ajuda, ainda mais com plutão envolvido, meu deus é terrível.. Ter plutão na 7 não suporta a solidão (desabafo meu) então me desculpe desde já por qualquer excesso meu neste sentido...

Antônio, obrigada por compartilhar.

Um beijo.

Christiane

Rui disse...
26 de abril de 2011 às 20:21  

Reamente há pessoas que não têm a noção... ontem também tive o meu momento de inspiração após telefonemas e emails, não resisto em partilhar:

COISAS QUE TODOS PRECISAM SABER ACERCA DA OSTEOPATIA
Segunda-feira, 25 de Abril de 2011 às 18:26.

- A osteopatia é uma terapia manual, e como tal, efectuada presencialmente. Não avalia nem trata ninguém por email ou telefone, senão teria outro nome.

- A osteopatia embora actue nas mais diversas situações, não deve ser encarada como uma terapia de emergência. Quando precisar de apoio e não existirem terapeutas disponíveis lembre-se que os hospitais têm consultas de urgência com profissionais altamente habilitados.

- O osteopata pode ter família (geralmente tem), por isso deve aproveitar os momentos disponíveis com ela.

- O osteopata como qualquer cidadão precisa de dinheiro! Talvez não esperasse por esta! Portanto é normal e justo que o seu trabalho seja remunerado. Além do mais, o osteopata não tem responsabilidade do que se passa no seu corpo nem da forma como o ulitiza.

- O osteopata como qualquer pessoa necessita descansar. O feriado de 25 de Abril não é concerteza o dia adequado para atender um quadro que se iniciou no dia 17 de Abril.

- O osteopata dorme. Pode parecer mentira, mas o osteopata necessita dormir como qualquer pessoa. Portanto telefone-lhe a horas e a dias decentes.

- Em reuniões ou festas, o osteopata deixa de ser "o osteopata" e reassume a sua condição de amigo ou familiar. Não lhe peça conselhos nem opiniões. Ele também tem o direito de divertir-se.

- Ler e estudar também é trabalho, trabalho sério! Por favor pare de rir-se, isto não é brincadeira! Quando o seu osteopata vai todos os meses a Madrid não é porque lhe apetece passear na Gran Via nem visitar Museus. É porque se está actualizando como profissional para lhe oferecer um melhor serviço.

António, desculpe o desabafo, mas também me acontece!

Valentim disse...
26 de abril de 2011 às 21:02  

Meu Deus o mundo está louco. E eu, que me sinto uma previligiada, posso assistir do camarote.
Que mais posso dizer do post e deste ultimo comentário?
Vou dizer o seguinte: à males que vêm por bem.
Eu explico.
Depois de 22 dias de mercurio retrogrado eis que o António e os leitores habituais do Cova do Urso, voltaram melhores que nunca.
António, como imaginas não posso estar mais de acordo contigo. Sabes disso.
Mas deixa que te diga, se eu te conheço bem, este mail deixo-te pu....... da vida. Mas ainda bem que respondes-te à letra. Se as redes sociais, blogs e demais formas de comunicação, dão direito a escrever aquilo que se quer, também dão direito de resposta.
ADOREI, ADOREI, ADOREI.
Vai em frente amigo.
Beijos

Astrid Annabelle disse...
26 de abril de 2011 às 21:12  

Olá António querido!
Li seu desabafo e os comentários, excelentes igualmente!
Também passo por tudo isso. Também tenho que deixar fechado o MSN e o Skype.
E, principalmente não usamos o famoso "pó de pirilimpim" para realizar milagres.
Somos profissionais e devemos ser respeitados por isso.
Foi muito bom levantar a sua voz e dizer chega.

*** Estive sem net desde domingo, por isso acertadamente sentiu a minha ausência***

Beijo grande
Astrid Annabelle

Sofia disse...
26 de abril de 2011 às 23:00  

Boa noite,

Percebo o seu desagrado com o texto que recebeu, que compartilho. Porém, (que me desculpe!) não esperava uma reacção deste género por parte de um astrólogo experiente e sensível - como tal, com a obrigação de responder de uma forma elevada. O seu texto deixa transparecer muita impaciência e alguma arrogância. Foi um desabafo, humano, mas que não deveria, de forma alguma vir a público.

Anónimo disse...
27 de abril de 2011 às 01:11  

Meu querido António...
Depois de um testamento...isto não recebeu o comentário e aqui estou eu, mais uma vez! A ver vamos se agora regista!
Conhecendo o António, sabia que iria responder de uma maneira educada e profissional como é...e muito bem!
Afinal a senhorita queria uma consulta e teve....agora cabe-lhe a ela " digerir " o que entender.
O António fez a sua parte e magistralmente, como aliás não seria de esperar outra coisa...

Se alguém não gostou.....paciência! Há tanta escolha entre astrólogos e modos de obter consultas...que variedade não lhe faltava...

Parabéns meu querido, porque mais uma vez esteve muito bem e mais além doque lhe que era " pedido ".... Beijão grande

DULCE BENTO

angela disse...
27 de abril de 2011 às 02:30  

Antonio, quando se fala com o coração e inteiro todo mundo sente a sua verdade no texto. Muito interessante seu depoimento/desabafo/analise e o que suscitou de comentários complementares. Li todos e formavam quase que um só texto.
Gostei demais.
beijos

Maria Izabel Viégas disse...
27 de abril de 2011 às 03:10  

António, nossa, creio que para te falar do meu respeito por ti, tem q ser ao vivo! ;)))
Escrevi muito e apaguei.
As pessoas tem infinita dificuldade de lidar com profissionais sérios. Eu teria muito que aqui contar. E é desnecessário.
uma coisa que agora é moda é não dizer a palavra PREÇO DA CONSULTA. E vc é bem moderado nos teus preços. falo isto pois és um top de linha.
Aborreço-me muito, assim como tu, com desrespeito.
Se alguém começar a conversa assim como fizeram contigo, a resposta é Não vou fazer teu mapa. Sorry!
Quer um profissional que tem não mãos um mapa que lhe ajudará a se autoconhecer? Quer dialogar comigo para juntos analisarmos os caminhos possíveis, o que está sendo bem feito e o que está fora do marcado? Eis-me aqui. Quer um oráculo? Procura outro!
Amigo, estás num momento tal de tua vida, profissional, pessoal e espiritual que não há lugar para estes "atendimentos" nesse nível. Com certeza a pessoa está sofrendo. Mas a abordadem à tua pessoa deveria ser outra. Seria muito bem atendida. Haveria crescimento para ela.
Um beijo n'alma!

António Rosa disse...
27 de abril de 2011 às 08:41  

Quero deixar um abraço de gratidão a todos os amigos e leitores que deixaram aqui os seus comentários:

Marcelo Dalla,
Tati,
Filomena Nunes,
Susana Vitorino,
Christiane,
Rui,
Velentim,
Astrid,
Sofia,
Dulce,
Ângela,
Maria Izabel Viegas,

Li com atenção todos os comentários.

A pessoa do mapa respondeu-me por email. Convidei-a a deixar aqui em comentário anónimo, pois em nenhum momento identifiquei a pessoa.

Muito agradecido,

António

Magda Moita disse...
27 de abril de 2011 às 09:59  

Olá António!

Gostei do texto, muito bom!

E devo dizer-te que foste muito simpático em responder aqui a todas estas questões, pois sé bem provável que a autora do email, seja uma leitora tua.

Infelizmente é comum este tipo de contactos, mas o que fazer???!!!

De qualquer forma esta pessoa já ganhou o dia, pois afinal teve uma serie de questões respondidas gratuitamente.

Um abraço Mestre,

beijos,


Magda

Medusa disse...
27 de abril de 2011 às 11:30  

Bom dia,

Sou leitora frequente do seu blog e devo dizer que fiquei chocada com uma reacção tão iradae hiper-crítica. Acredito que cada pessoa faz o melhor que pode, e ainda que o melhor de alguns esteja muito longe daquilo que gostaríamos, não nos compete julgar ou reagir negativamente. Não é correcto, nem sequer é útil pra nenhuma das partes. Que não controlamos as nossas reacções, é certo, mas enquanto pessoas dedicadas à Astrologia ou a outra ferramenta de auto-conhecimento/desenvolvimento, cabe-nos aprender a lidar com este tipo de situação com humildade e compaixão. Cada um dá aquilo que tem, e se a senhora que enviou a carta demonstrou estar equivocada sobre uma série de coisas, o António não foi capaz de lhe dar a resposta construtiva que eu, pessoalmente, esperaria de si. Essa senhora não o procurou para desprestigiá-lo, por achá-lo "barato", ou para denegrir o trabalho dos astrólogos. Talvez o seu ego assim o tenha sentido e por isso se tenha sentido lesado. Mas essa senhora tentou apenas dar voz ao sofrimento que sente, que se calhar nem tem consciência que sente. Tentou pedir ajuda. Da melhor forma que soube.

O conhecimento da Astrologia não deve ser usado como um pedestal onde nós, "iluminados", nos colocamos com superioridade e de onde julgamos os outros, os "ignorantes", para decidir se merecem ou não o nosso "superior" conselho. É certo que, nos tempos que correm, estamos todos metidos no que parece ser uma "panela de pressão cósmica", mas por isso mesmo não há melhor altura para nos superarmos a nós próprios pela positiva. O conhecimento, seja ele astrológico/científico/técnico/etc, de nada serve sem humildade e sem compaixão. Aprendamos essa lição, que tanta falta tem feito ao mundo.

Raquel

ManDrag disse...
27 de abril de 2011 às 11:45  

Adorei:
"acabou de fazer 30 anos há poucos dias e ainda faz perguntas dessas? Ainda não aprendeu aquilo que é básico na vida: que uma real relação amorosa duradoura não depende de um casamento"
"Só o seu livre-arbítrio é que decidirá o que pretende fazer consigo mesma e com os relacionamentos que tiver."
"evite controlar e manipular... Evite ser possessiva e ciumenta. Evite tentar dominar as situações de partilha. Não se faça de vítima."

Mas é tão fácil... é tão fácil mesmo raciocinar! Será que esta gente não se enxerga?

"nem sequer lhe vou responder, pois não tenho a certeza se ele a autorizou a verificar a vossa compatibilidade astrológica." A pergunta é bem demonstrativa da completa ausência de sensibilidade ética perante o próximo. As pessoas não querem viver. Nem querem tão pouco saber o que é isso de viver. Querem apenas a satisfação imediata e completa dos seus anseios, achando que isso é o mais soberano dos seus direitos.
Oh egocentrismo! Oh egoísmo!

Entendo e solidarizo-me com o teu desabafo, amigo!

Um grande abraço, beijos

PS: Desculpa a ausência de comentários. Não é por indiferença nem esquecimento. Estou atravessando mais uma fase de tormentas.

António Rosa disse...
27 de abril de 2011 às 12:37  

Magda,
Medusa,
ManDrag,

Li atentamente os vossos comentários, que agradeço muito.

Abraço.

A.

Maria Izabel Viegas disse...
27 de abril de 2011 às 13:57  

A vida é assim e assim são os seres humanos. Adoram analisar o comportamento de outrem. Se António coloca mil textos valorosos sobre o conhecimento astrológico : aplausos e haja memória no PC para cópias.
Se ele suspira, vocifera, desabafa... morreu o profissional.
A COVA DO URSO é só para beijinhos e abraços?
Quem atira a primeira pedra!?
Ficamos aqui com a velha e já caduca história do homem, do Menino e do Burro.
António, quando faço meu Blog tenho a total certeza que o Blog é meu. E quem não gosta, não lê!!!
Hoje estou autocrática, ególatra e ponto final.
Beijinhos doces, ups!

António Rosa disse...
27 de abril de 2011 às 15:03  

Maria Izabel,

Recebi os seus beijinhos com muito agrado e fiquei feliz.

Não senhora, este blogue não é só apara aplausos, e tanto é assim que escrevi o post que tanto deu que falar. Felizmente!

Por saber que o material do post iria mexer com muitas pessoas, escolhi intencionalmente não responder a cada um, como habitualmente faço.

Não fico nada preocupado com as críticas havidas (poucas), pois sempre aprendo como os outros reagem. Faz parte, não é?

Muitos beijos,

António

Susana Vitorino disse...
27 de abril de 2011 às 15:46  

AGORA JÁ NÃO ME ENGANAM! DIVIDO O COMENTÁRIO POR PARTES!

Estou absolutamente de acordo com Maria Izabel e Mandrag.

Ontem eu escrevi um comentário enorme, manifestando-me. Desapareceu por ser grande demais - já percebi que não fui a única a quem isto aconteceu. O que significa que espoletaste algo em nós todos com o teu desabafo e que nos impeliu à expressão.

Não concordo nada que o António esteja a ser arrogante a usar a sua profissão como altar ou pedestal. Até porque, infelizmente, não acontece só neste tipo de profissões: um dia falo-vos do maravilhoso e "glamouroso" mundo artístico...

Como eu com a minha língua afiada, e muito provavelmente, manifestamente pouco evoluida, costumo dizer: às vezes preferia ser puta encartada. Pelo menos saberia porque é que me querem foder!

(cont.)

Susana Vitorino disse...
27 de abril de 2011 às 15:47  

(continuação)

Sabem quantas "borlas" pedem aos actores, como se fossemos uns palhacitos (com todo o respeito que tenho pela dificil e árdua profissão de palhaço)? "Olhe, nós gostávamos muito de fazer aqui uma coisinha,um divertimentozinho, mas não temos dinheiro para lhe pagar..." E poderia continuar daqui até ao fim do mundo que as histórias são infinitas...

Nem tem a ver com o dinheiro, tem a ver com a atitude. Como diz o António, nós damos e partilhamos de coração o nosso trabalho. Se sentimos que as pessoas precisam mesmo e não podem pagar. Se querem ser ajudadas verdadeiramente. Se nós fazemos essa escolha. Enfim...

Mas, de facto, se estás a limpar algum karma: não sei. Porque é que esta situação veio ter contigo? se calhar para TODOS podermos ponderar sobre isto. Que as pessoas precisam de ouvir certas coisas para acordar... precisam. Como diz o grande mestre Anthony de Mello no seu livro Awereness: "AS pessoas não querem curar-se. Querem pensos rápidos para aliviar o desconforto. A cura verdadeira, dói!"

Sabes que o meu Mercúrio Peregrino em Escorpião é solidário com estes desabafos. Bem Hajas por pores os dedos nas feridas.

Beijo Doce*

Filomena Nunes disse...
27 de abril de 2011 às 15:54  

Apetecia-me dizer mais coisas... tantas coisas!!

Sei que o António Rosa escolheu não dar resposta directamente a cada comentário como é habitual. E eu não quero substituir-me ao próprio. Apenas expressar a minha perspectiva neste espaço que, desde que mantenha o respeito por todos e por cada um, nos tem oferecido essa prerrogativa. Muito obrigada António Rosa.

Em última analise, somos todos humanos. Todos temos o direito ao aplauso como à indignação. E parece-me que há aqui uma confusão fundamental, nomeadamente, que não é só "a pessoa" que fez o "melhor que pode". Todos fazemos o melhor que podemos ou sabemos. E este blog Cova do Urso não foge a essa regra.

Apenas uma pessoa determinou (sentiu) que o António Rosa "reagiu negativamente", e que está a "ser incorrecto", e que se colocou, qual "iluminado", num "pedestal". E o que é que se pode afirmar acerca do amor e da compaixão com que o António Rosa escreveu este texto?? Apenas o próprio!

Afinal quem é que está a julgar??

Esquecemo-nos que a própria vida nos abana violentamente, agressivamente, quando estamos em tal estado letárgico que não vai lá de outra maneira. Afinal, quem é que se está a arrogar a um papel superior ao da própria vida/Deus/Universo/Eu_Superior/Amor, e à aceitação de tudo o que é, como

E o que é que se sabe de "essa senhora tentou apenas dar voz ao sofrimento que sente"?? Quantas pessoas não agem exactamente da mesma forma APENAS porque querem SEMPRE sugar benefícios dos outros sem terem de dar nada em troca?? Quem pode estar inteiramente por dentro destes factos?? Apenas os próprios envolvidos.

Ignorantes somos nós todos em algum grau!! Ou não teria sido esta a história da nossa vida, mas outra, talvez mais semelhante à dos exemplos que já por esta Terra passaram encarnando o Cristo, o Espírito Santo, ou outras particularidades divinas... e, mesmo esses, talvez também sejam igorantes de outros tantos mistérios.

Sou uma aprendiz e limito-me a aprender. Quem quiser aprender alguma coisa comigo não me diz directamente respeito!!

Beijinhos, abraços e felicitações

Filomena

Susana Vitorino disse...
27 de abril de 2011 às 15:57  

Deixo aqui uma transcrição de troca de comentários no FB, entre mim, o António e outras pessoas que também são aqui desta casa que tão bem nos acolhe sempre. E foram estes comentários que deram origem ao meu nome estar mencionado no texto:

"Continuo a achar que há pessoas que continuam a não saber interpretar... Dei muitas explicações quando ainda andava no liceu, e esse era um dos grandes problemas: não saber interpretar o que se lê. Esse "pormenor" afectava o aproveitamento escolar a todas as outras disciplinas. E assim se continua... E assim marcha a banda..."

(cont.)

Susana Vitorino disse...
27 de abril de 2011 às 15:59  

(continuação)

"Sabem, meus amigos, acabo de comentar uma nota bem interessante que partilhei no meu mural para que todos possamos reflectir um pouco sobre isso. Hei-de partilhar convosco um caso que ilustra bem a imaturidade e a infantilidade generalizadas. Às vezes parece-me que as pessoas mentem nos perfis... e que têm apenas 6 anos, ou 15, ou 12... Confunde-se Liberdade com Libertinagem. Liberdade de Expressão não é dizer tudo o que vem à cabeça. Não é ofender o próximo. E não ofender o próximo não é "espiritualidade lindinha", de facto. Não é só falar em Oms, e Luz e Mestres Ascensos... Não é não tocar nas feridas. Não é ignorar os assuntos.

António, não estás a ser arrogante. Há, de facto, uma altura em que apetece dizer: ACORDEM! Ética e Deontologia da Comunicação já nem os ditos profissionais do jornalismo sabem o que é, quanto mais o cidadão comum, que de repente pode desatar a dizer o que quer e bem lhe apetece online... A maior parte das pessoas não tem noção do PODER DA PALAVRA."

(cont.)

Susana Vitorino disse...
27 de abril de 2011 às 16:00  

(continuação)

"Nem que há que ter responsabilidade sobre as mesmas. Eu, que tenho um Mercúrio Peregrino em Escorpião, sei bem que sou uma provocadora. Não escrevo com caneta, escrevo com bisturi, como costumo dizer. Mas estou preparada para assumir a responsabilidade sobre as minhas palavras. E isso tem um preço que muita gente não quer pagar. Ao longo da História, bem o sabemos, houve quem o pagasse com a própria VIDA. E continua a existir, não se iludam. Por isso é mais fácil "usar" a "espiritualidade lindinha", "não levantar ondas"... Do que as pessoas não se lembram, é que todos os Guerreiros de Luz, eram isso mesmo: Guerreiros! A Madre Teresa tinha "pelo na venta" que só visto! Ghandi, tem energia em Escorpião daqui à India (que soube sublimar a outras oitavas e usá-la como ninguém no seu melhor, mas não deixavam de ser energias em Escorpião). E Jesus aos biqueiros aos vendilhões do Templo? Os Guerreiros de Luz não passam o dia todo em posição de Lotus a olhar para o Éter: AGEM! E já me alonguei..."


Beijos*

Lucília Ramos disse...
27 de abril de 2011 às 16:01  

Uma vez fui a uma palestra sobre cristais com uma amiga. O sr. palestrante era francês e tinha um coadjuvante a ler um montão de fotocópias com a tradução do francês que o sr. falava. E ele, falava dos cristais e dos poderes enormes que eles tinham.
A certa altura, a minha amiga foi mostrando um aborrecimento muito grande não parando quieta na cadeira, (bem, aquele método adormecia qualquer um...). Depois, ainda para cúmulo, o telemóvel dela tocou e interrompeu a cristaleira toda. Aí, o sr. francês, perdeu toda a compostura e muito irado descompôs, PUBLICAMENTE, a amiga do telemóvel sonante.
Ela saíu atónita, ainda a pronunciar continuadamente: excusez-moi!
O sr. francês continuou, ainda exaltado, a falar dela sem parar (mesmo sem tradução nas fotocópias).
Foi então que, me aconteceu a reacção mais estranha, desatei num soluço bem sentido capaz de emudecer a sala toda. Aí, o sr. francês calou-se e veio ter comigo dizendo que os cristais faziam, realmente, ter recções fortes. Aos poucos, conforme me ia falando e eu não articulava palavra, tal era o embargo na garganta, foi-se apercebendo que a pior reacção foi a dele e... pediu desculpas.

Eu chorava por tudo... pela amiga inquieta, que foi ali completamente humilhada por uma atitude inocentemente leviana, pela ira e ganância de um homem que se achava perfeito e, por mim, por saber que somos uns tristes humanos muito cristalizados nos conceitos e reacções.

Quando me acalmei, também eu abandonei de imediato a sala.

Seriam coincidências ou os cristais fizeram mesmo das suas???

Pois é... as reacções às situações estão aí... e as lições também.

Lucília Ramos - que bem podia estar calada mas não se conteve - aqui. É o tal bichinho que mexe cá dentro. Excusez-moi!

António Rosa disse...
27 de abril de 2011 às 16:12  

Susana,
Filomena,
Lucília,

Li atentamente os vossos comentários, que agradeço muito, pois servirão de base para as minhas reflexões.

Abraço.

Valentim disse...
27 de abril de 2011 às 18:03  

Foi-me pedido que nada comenta-se. Mas perante os factos (leia-se comentários), naõ posso, não devo e NÃO QUERO ficar indeferente.

Começo por dizer que tenho na familia mais do que um terateupa, por isso compreendo o comentário do Rui na perfeição.Ó se compreendo.

Quanto à pessoa do Sr. António Rosa fico besta com os comentários (leia-se julgamentos) que fazem à sua pessoa.
Que me desculpem os leitores, seguidores e demais pessoas que diáriamente passam pelo Cova do Urso, que com este blog, com este Homem aprendem todos os dias. A todos vocês BEM HAJAM. Não imaginam o quanto lhe ensinam diariamente.
(CONTINUA)

Valentim disse...
27 de abril de 2011 às 18:22  

Devo referir que não sou familiar do Sr. António Rosa. Devo referir que não sou sócio, nem empregado do Sr. António Rosa.

Sou isso sim, alguém que por circunstâncias da vida teve o GRANDIOSO PRAZER de o ver entar na minha vida, fazer parte dela. Só por isso sinto-me um ENORME previlégio e uma ENORME honra.

ANTÓNIO - OBRIGADO POR FAZERES PARTE DA MINHA VIDA.

Para que se conste o Sr. António Rosa é antes de mais nada, o seguinte:

Um ser humanno, composto por células, tecido conjuntivo, ossos, artérias, veias, musculos, orgãos internos e externos.
Um desses orgãos internos é o cerebro. Que nesta actual conjuntura está muito para além, dos niveis de compreenção dos demais mortais.
Tem corpos energéticos que são diáriamente agredidos por esta sociedadezinha lindinha, que por se encontrar perdida não mede os seus actos e atitudes.
Como ser humano, cidadão de um país e habitante deste planeta tem direitos adquiridos. Que são diariamente violados por pessoas se eira nem beira.

Quanto ao post que deu origem a tanta "indignação" a alguns "leitores", gostaria de dizer à jovem que tenha calma. No meu entender entrou na "consulta" com o pé errado. Se tiver paciência e com um pouco de sabedoria vai ver que tudo se resolve. Quem sabe até em conversa com o astrologo António Rosa.
Vamos respeitar as pessoas com este Homem.
Afinal de contas a minha liberdade acaba quando começa a dos outros.

António um abraço

Filomena Nunes disse...
27 de abril de 2011 às 18:42  

Ou talvez tenha entrado na "consulta" com o pé certo. Talvez esteja a precisar de meditar sobre a sua posição, sobre a posição do profissional, e a de todos nós que estamos a dar um pouco do que somos nestes comentários.. nada acontece por acaso!!

A minha 1ª consulta de astrologia em 2004 também correu muito mal, dentro dos parâmetros da consciência que eu tinha na altura. Confesso que, se entrei com elevadíssimas expectativas, sobretudo à espera que me fosse revelado um futuro brilhante, saí de lá completamente de rastos, a chorar que nem "uma Madalena" e até arrependida de ter ido.

Não vou relatar pormenores dessa experiência por razões óbvias; não é de mim que se trata, mas antes de mostrar perspectivas diferentes.

Apenas digo que a astróloga em questão é hoje uma das mais conceituadas astrólogas psico-terapeutas portuguesas, que também me abstenho de nomear por não ser importante no contexto.

E hoje, decorridos 7 ou 8 anos, eu estou-lhe imensamente grata por me ter dado o "choque" que eu precisei ter levado... acordei para uma nova visão da vida e nunca mais parei de procurar o entendimento das coisas...

Mais beijinhos e mais abraços :))

Filomena

António Rosa disse...
27 de abril de 2011 às 18:45  

Valentim,

xiiii!!!!!!

:))))))))

Muito obrigado.

Beijos

António

Cristina Neves disse...
27 de abril de 2011 às 19:05  

Olá, tenho acompanhado seu blog e sei que trata de todos os assuntos com muita seriedade e respeito.
A sua resposta foi realizada com fino trato e inteligência.
Obrigada por mais esta lição.
Abraço,

Luis disse...
27 de abril de 2011 às 19:07  

Filomena Nunes disse...

Ou talvez tenha entrado na "consulta" com o pé certo. Talvez esteja a precisar de meditar sobre a sua posição, sobre a posição do profissional, e a de todos nós que estamos a dar um pouco do que somos nestes comentários.. nada acontece por acaso!!


Precisamente!

Sofia disse...
27 de abril de 2011 às 22:24  

António, os momentos de irritação e de arrogância são contagiantes, com se acabou de ver...
Contagie-nos antes com AMOR. :)

Boa continuação!

António Rosa disse...
28 de abril de 2011 às 08:59  

Filomena,
Cristina,
Luís,
Sofia,

Este espaço de comentários passou a ser um pequeno fórum muito interessante. Muito agradecido.

A.

António Rosa disse...
28 de abril de 2011 às 11:01  

A todos,

Este post foi publicado no dia 26 de Abril, às 17h40. Até agora (28 Abril, 10h40), o post propagou-se como uma enchente de maré. O contador do Google Analytics diz-me que foi acedido por mais de 1.700 pessoas. Ser acedido, não significa que foi lido. Teve mais de 80 'gostos' que foram parar ao Facebook, que por sua vez, provocaram muitos outros comentários, para além das 3 dezenas havidas aqui na caixa de comentários do blogue.

Li todos os comentários que aqui estão e intencionalmente decidi não responder a cada um, como é meu hábito fazer no 'Cova do Urso'. Por uma simples questão de bom senso. A verdade é que este espaço, devido ao tema em questão, tornou-se numa espécie de mini-fórum onde cada um se expressou como entendeu. Inclusivamente houve pessoas que se manifestaram quando não é seu hábito fazê-lo. Foi muito bom que isso acontecesse.

No entanto, em termos metafísicos, entendo que chegou a hora de «encerrar» a corrente de energias que se soltaram, reencaminhando-as para onde devem estar: no sossego do coração de cada um, incluindo o meu.

Todos aprendemos alguma coisa. Desde logo, eu aprendi imenso. Eu aprendi como devo proceder com os inúmeros pedidos de «borlas» que me surgem diariamente e muitos deles, com «cobrança», do género «você ainda não viu o meu mapa...», sem que lhes tivesse prometido alguma coisa.

Sou um ser humano como todos vocês. Desde logo, não sou perfeito, pois isso não existe, apesar de alguns comentários aqui partirem dessa permissa.

Assim, encerro futuros comentários neste post [algo fora do vulgar no 'Cova do Urso'], deixando os actuais disponíveis para leituras futuras.

Muito obrigado a todos.

Bem hajam.

António

26 de abril de 2011

Muitas pessoas pensam que a astrologia e os astrólogos funcionam como se fossem uma prova de queijos

Foto daqui.
Muitas mulheres e homens insistem em relacionamentos complicados,
para depois se vitimizarem muito.

Como pode ser visto neste blogue, lá em cima, na zona vermelha dos menús, tenho um botão que diz «Consultas por email». Quem clicar e entrar, verificará que as informações são dadas com clareza. No entanto, há uns dias recebi de uma jovem o email que reproduzo a seguir, tendo eliminado apenas os dados pessoais indicados por ela. Quero já deixar claro que, perante esta situação, fiz a minha escolha: não aceitei este pedido de consulta. A seguir ao email, explico as minhas razões.

Texto do email recebido:

«não percebi bem a forma do pagamento. isto é, paga-se antes ou depois?


de qualquer forma, se me puder clarificar duas questões poderia então mais tarde marcar uma consulta aprofundada.

[Apaguei esta linha aqui no post, pois vinham os dados da jovem que me escreveu.]

1ª pergunta: ALGUM DIA VOU CASAR? isto é, existe alguma possibilidade que volte a ter uma real relação amorosa duradoura que possa resultar em estabelecer um lar e constituir familia? (a ultima concreta que tive p/ q conste que durou quase 5 anos começou e conheci o respectivo na passagem de ano de 2002)


a 21 maio de 2010 conheci um rapaz: [nome dele apagado], nascido [data de nascimento apagada] em lisboa. que devo esperar dele?»

A minha amiga Susana Vitorino defende a tese que, hoje em dia, as pessoas não sabem interpretar o que estão a ler e armam a maior das confusões para elas próprias. Concordo com esta tese e o exemplo é este email.

Comecemos pelo início do email. Diz não ter percebido qual a forma de pagamento, se antes, se depois. No entanto, no botão «Consultas por email» a explicação está claríssima. Por email, paga-se antes. Só nas consultas presenciais é que se paga depois. Será que é preciso explicar porquê?

Talvez esta jovem não tenha percebido que tenho cerca de 2.000 textos de astrologia na internet, de forma gratuita, tanto aqui no Cova do Urso, como no meu site «Escola de Astrologia Nova-Lis». Porque quero. Não obrigo ninguém a nada. Mas se me procuram, enquanto astrólogo, tenho que ser retribuído pelos serviços que presto. E, se decido oferecer a quem quer que seja consultas gratuitas pelo Skype, é porque me apetece fazê-lo. É porque, por alguma razão, gosto dessas pessoas, que nada me pediram e eu é que me ofereci. E que ofereço eu a essas pessoas? Apenas o meu tempo, o meu carinho, a minha estima, o meu coração. Não ofereço conhecimentos astrológicos, porque estes estão dentro de mim, fazem parte de mim. Estamos esclarecidos?

Continuemos. Esta jovem não hesitou em fazer da astrologia e dos astrólogos uma prova de queijos, dizendo isto: «de qualquer forma, se me puder clarificar duas questões poderia então mais tarde marcar uma consulta aprofundada». É como se eu entrasse numa pastelaria e pedisse para provar um queque, para me decidir a comprá-lo ou não. Isto que eu e muitos de nós fazemos não é como na 'Zara' ou na 'Chanel', onde podemos provar a roupa, sem a comprarmos. Não somos um 'Castelão', um 'Palhais' ou um 'Limiano', que se prova e se escolhe.

A ligeireza com que se escrevem estas coisas roça a leviandade. Não quero acreditar que a «geração à rasca» funcione assim.

Agora que já desabafei e manifestei o meu descontentamento por esta falta de respeito pelo meu ganha-pão, vou responder a algumas das questões levantadas pela jovem. Aqui e agora. Aqui e de borla. Aqui e com paciência. Porque quero e para limpar carma. 

Comecemos com as suas perguntas:

«ALGUM DIA VOU CASAR? isto é, existe alguma possibilidade que volte a ter uma real relação amorosa duradoura que possa resultar em estabelecer um lar e constituir familia»

 Minha cara, você acabou de fazer 30 anos há poucos dias e ainda faz perguntas dessas? Ainda não aprendeu aquilo que é básico na vida: que uma real relação amorosa duradoura não depende de um casamento. Este é um equívoco frequente entre as mulheres (e homens, também). Quererem uma garantia em como vão ser felizes para sempre. Isso não existe. Só o seu livre-arbítrio é que decidirá o que pretende fazer consigo mesma e com os relacionamentos que tiver.

Além disso, você deveria fazer-se a si mesma esta pergunta: «porque é que o meu anterior relacionamento de quase 5 anos acabou?» Quando encontrar a resposta e que esta seja sincera, então terá encontrado a chave do seu auto-conhecimento. Não venha com a história que essa relação acabou por culpa exclusiva dele. Isso não existe. Quando uma relação acaba, ambas as partes têm responsabilidades no assunto. Que ninguém se arme em vítima.

O seu Plutão natal na casa 7 [o espaço dos relacionamentos, casamentos] é indicador da sua imensa necessidade de controlar os relacionamentos. Todo o tipo de relacionamentos, mesmo com os amigos. Dá-me a sensação que é você quem quer ditar as regras e tem que ser obedecida. Isso é batota. Isso é sabotar-se a si própria. Isso é não ter a sua auto-estima bem colocada. Assim, a vida irá colocá-la à prova, tantas e  tantas vezes, até aprender que uma relação só funciona se for como neste post que escrevi aqui. Aproveite para ler e sentir. Este Plutão está em muito mau estado celeste, com aspectos tensos a vários dos seus planetas natais. Cuide-se muito, sim?


Para além disso, a sua Lua também está na sua casa 7 e em Escorpião. Uma Lua em Escorpião é indicador de emoções fortes, tendenciosas, baseadas no desejo obstinado. Esta não é considerada uma posição favorável para a Lua, porque encontra-se no signo da sua queda. Há uma tendência a levar muito a sério os assuntos pessoais, o que algumas vezes leva à possessividade e, em alguns casos, a um ciúme violento. Quando isso é levado ao seu extremo, as pessoas podem guardar ressentimentos e planear alguma vingança.  Algumas vezes, estes indivíduos desejam dominar os outros por meios subtis - chama-se a isto «manipulação». Ainda por cima, esta sua Lua natal está peregrina (sem fazer aspectos aos planetas pessoais), tornando-se dominante no seu mapa. As pessoas com a Lua na 7 habitualmente procuram a satisfação emocional nos relacionamentos e são muito influenciados por eles. Frequentemente procuram a figura da mãe ou do pai no parceiro do casamento. Espero que não seja assim tão obsessiva.


Vamos procurar no seu mapa, a casa 5, aquela que trata do amor e dos afectos. No seu caso, esta casa é dominada pelos signos Câncer / Caranguejo e Leão. Sem planetas. Como sabemos que o regente de Câncer é a Lua, já estamos conversados sobre a influência no seu mapa. Falta-nos olhar para Leão e procurar o regente, o Sol. Está em Touro, na sua casa 1, fazendo de si uma pessoa muito voluntariosa, que luta entre o amor, as emoções e as questões mais terrenas.


Recomendo apenas isto no que a relacionamentos diz respeito: evite controlar e manipular os namorados ou companheiros. Evite ser possessiva e ciumenta. Evite tentar dominar as situações de partilha. Não se faça de vítima. E, sobretudo, fica aqui uma outra recomendação muito séria: as questões ligadas à sua saúde. Vá ao médico regularmente. Faça análises, mamografias e tudo o mais. O seu carma (Saturno) está na área da saúde. Não arranje nenhum cancro ou tumores, só porque pensa que não é amada. Para sermos amados, temos que saber amar.


Quanto à sua pergunta seguinte: «a 21 maio de 2010 conheci um rapaz: [nome dele apagado], nascido [data de nascimento apagada] em lisboa. que devo esperar dele?» nem sequer lhe vou responder, pois não tenho a certeza se ele a autorizou a verificar a vossa compatibilidade astrológica. À cautela, prefiro nada dizer. 


Bom, já disse tudo. Vou enviar-lhe o link deste post por email, pois o mais certo é nem se aperceber que lhe respondi. Aproveite e medite em tudo isto que está nas entrelinhas.


Porque carga de água atraí esta situação para mim? 


Aos meus leitores habituais, desculpem-me este desabafo, 'tá bem? Beijos.


.

36 comentários:

MARCELO DALLA disse...

Amigo querido!!!!
A-DO-REI!!!!
Volta e meia recebo perguntas desse tipo, pessoas que querem se consultar gratuitamente, como se eu estivesse todo o tempo disponível. Já nao posso mais deixar o msn nem o bate-papo do facebook ligados.
Sua atitude foi excelente e virou a situação a seu favor, levando jum belo aprendizado a todos.

Hoje estou no Rio, mais tarde darei uma aula de astrologia aqui. Lembra-se da sua sugestão a respeito da conjunçao de Jupiter com minha Vênus natal? Pois neste momento estou no hotel com uma bela vista para o mar. :)))))

Mais tarde voltarei para colocar a leitura do blog em dia.

abraço!!!!!

Tati disse...

Oi Antônio querido, você deu a resposta perfeita! Não é apenas na astrologia que fazem este tipo de coisa. Entre os veterinários é também assim. Mal te conhecem e começam a perguntar coisas, a fazer "consultas", na maior parte das vezes sem que você sequer veja o animal. Só para não perder a oportunidade de aproveitarem-se. Não à toa boa parte das clínicas colocou a famosa tabela: Consulta- x; Olhadinha- X+Y ou mesmo 2X!
Pior que a pessoa ainda deve sair indignada. Não leve com você, você não merece! Fez até muito! rsr
Beijos.

Filomena Nunes disse...

António Rosa,

Numa palavra: AMEI_TANTO_QUE_ME_APETECE_ABRAÇA-LO_OUTRA_VEZ... :))

Talvez tenha atraído essa situação exactamente para deixar BEM CLARO, o que deixou BEM CLARO!!!

Beijinhos e muitos PARABÉNS!!

Filomena

Susana Vitorino disse...

Bolas! Deixei um comentário do tamanho do Antigo Testamento e já percebi que não ficou... :/

Este Mercúrio Rx tem sido "brabo"! E a passagem a directo também anda a fazer das suas... Ontem, sem eu ter tocado rigorosamente em nada, "consegui" apagar o cartão de uma máquina digital! Enfim... nem vale a pena espernear...

Vou refazer o meu comentário de outra forma, deixa-me só respirar fundo!

Contudo termino na mesma com muito Amor e Carinho e a gratidão da partilha!

Christiane disse...

Meu amigo Antônio

Eu havia escrito um livro rsss mas o pc deu "crepe" aqui e apagou tudo hehehehehehe..

Bem Eu entendo seu lado porém te digo que entendo o dela também.

Quando estamos sentindo uma dor insuportável fica difícil muitas vezes pensar com clareza, eu confesso que já passei por isso.

Nem preciso dizer que tb tenho plutão na 7 ( sem esta lua problemática como a da moça descrita), então este post serviu para mim também.

Sou astróloga e vivo com pessoas me pedindo dicas. Sou fotógrafa e também vivo com pessoas me pedindo fotos e sou filósofa e escritora que muitos poucos lêem o que escrevo, ou seja, entendo o fato de muitos te procurarem por aquilo que você pode oferecer sem nenhum tipo de respeito.

Porém tudo é aprendizado e vivemos numa sincronicidade o que torna estes acontecimentos interessantes.

Há um ano e meio atrás sofri de uma dor profunda e como ela queria muito ajuda, ainda mais com plutão envolvido, meu deus é terrível.. Ter plutão na 7 não suporta a solidão (desabafo meu) então me desculpe desde já por qualquer excesso meu neste sentido...

Antônio, obrigada por compartilhar.

Um beijo.

Christiane

Rui disse...

Reamente há pessoas que não têm a noção... ontem também tive o meu momento de inspiração após telefonemas e emails, não resisto em partilhar:

COISAS QUE TODOS PRECISAM SABER ACERCA DA OSTEOPATIA
Segunda-feira, 25 de Abril de 2011 às 18:26.

- A osteopatia é uma terapia manual, e como tal, efectuada presencialmente. Não avalia nem trata ninguém por email ou telefone, senão teria outro nome.

- A osteopatia embora actue nas mais diversas situações, não deve ser encarada como uma terapia de emergência. Quando precisar de apoio e não existirem terapeutas disponíveis lembre-se que os hospitais têm consultas de urgência com profissionais altamente habilitados.

- O osteopata pode ter família (geralmente tem), por isso deve aproveitar os momentos disponíveis com ela.

- O osteopata como qualquer cidadão precisa de dinheiro! Talvez não esperasse por esta! Portanto é normal e justo que o seu trabalho seja remunerado. Além do mais, o osteopata não tem responsabilidade do que se passa no seu corpo nem da forma como o ulitiza.

- O osteopata como qualquer pessoa necessita descansar. O feriado de 25 de Abril não é concerteza o dia adequado para atender um quadro que se iniciou no dia 17 de Abril.

- O osteopata dorme. Pode parecer mentira, mas o osteopata necessita dormir como qualquer pessoa. Portanto telefone-lhe a horas e a dias decentes.

- Em reuniões ou festas, o osteopata deixa de ser "o osteopata" e reassume a sua condição de amigo ou familiar. Não lhe peça conselhos nem opiniões. Ele também tem o direito de divertir-se.

- Ler e estudar também é trabalho, trabalho sério! Por favor pare de rir-se, isto não é brincadeira! Quando o seu osteopata vai todos os meses a Madrid não é porque lhe apetece passear na Gran Via nem visitar Museus. É porque se está actualizando como profissional para lhe oferecer um melhor serviço.

António, desculpe o desabafo, mas também me acontece!

Valentim disse...

Meu Deus o mundo está louco. E eu, que me sinto uma previligiada, posso assistir do camarote.
Que mais posso dizer do post e deste ultimo comentário?
Vou dizer o seguinte: à males que vêm por bem.
Eu explico.
Depois de 22 dias de mercurio retrogrado eis que o António e os leitores habituais do Cova do Urso, voltaram melhores que nunca.
António, como imaginas não posso estar mais de acordo contigo. Sabes disso.
Mas deixa que te diga, se eu te conheço bem, este mail deixo-te pu....... da vida. Mas ainda bem que respondes-te à letra. Se as redes sociais, blogs e demais formas de comunicação, dão direito a escrever aquilo que se quer, também dão direito de resposta.
ADOREI, ADOREI, ADOREI.
Vai em frente amigo.
Beijos

Astrid Annabelle disse...

Olá António querido!
Li seu desabafo e os comentários, excelentes igualmente!
Também passo por tudo isso. Também tenho que deixar fechado o MSN e o Skype.
E, principalmente não usamos o famoso "pó de pirilimpim" para realizar milagres.
Somos profissionais e devemos ser respeitados por isso.
Foi muito bom levantar a sua voz e dizer chega.

*** Estive sem net desde domingo, por isso acertadamente sentiu a minha ausência***

Beijo grande
Astrid Annabelle

Sofia disse...

Boa noite,

Percebo o seu desagrado com o texto que recebeu, que compartilho. Porém, (que me desculpe!) não esperava uma reacção deste género por parte de um astrólogo experiente e sensível - como tal, com a obrigação de responder de uma forma elevada. O seu texto deixa transparecer muita impaciência e alguma arrogância. Foi um desabafo, humano, mas que não deveria, de forma alguma vir a público.

Anónimo disse...

Meu querido António...
Depois de um testamento...isto não recebeu o comentário e aqui estou eu, mais uma vez! A ver vamos se agora regista!
Conhecendo o António, sabia que iria responder de uma maneira educada e profissional como é...e muito bem!
Afinal a senhorita queria uma consulta e teve....agora cabe-lhe a ela " digerir " o que entender.
O António fez a sua parte e magistralmente, como aliás não seria de esperar outra coisa...

Se alguém não gostou.....paciência! Há tanta escolha entre astrólogos e modos de obter consultas...que variedade não lhe faltava...

Parabéns meu querido, porque mais uma vez esteve muito bem e mais além doque lhe que era " pedido ".... Beijão grande

DULCE BENTO

angela disse...

Antonio, quando se fala com o coração e inteiro todo mundo sente a sua verdade no texto. Muito interessante seu depoimento/desabafo/analise e o que suscitou de comentários complementares. Li todos e formavam quase que um só texto.
Gostei demais.
beijos

Maria Izabel Viégas disse...

António, nossa, creio que para te falar do meu respeito por ti, tem q ser ao vivo! ;)))
Escrevi muito e apaguei.
As pessoas tem infinita dificuldade de lidar com profissionais sérios. Eu teria muito que aqui contar. E é desnecessário.
uma coisa que agora é moda é não dizer a palavra PREÇO DA CONSULTA. E vc é bem moderado nos teus preços. falo isto pois és um top de linha.
Aborreço-me muito, assim como tu, com desrespeito.
Se alguém começar a conversa assim como fizeram contigo, a resposta é Não vou fazer teu mapa. Sorry!
Quer um profissional que tem não mãos um mapa que lhe ajudará a se autoconhecer? Quer dialogar comigo para juntos analisarmos os caminhos possíveis, o que está sendo bem feito e o que está fora do marcado? Eis-me aqui. Quer um oráculo? Procura outro!
Amigo, estás num momento tal de tua vida, profissional, pessoal e espiritual que não há lugar para estes "atendimentos" nesse nível. Com certeza a pessoa está sofrendo. Mas a abordadem à tua pessoa deveria ser outra. Seria muito bem atendida. Haveria crescimento para ela.
Um beijo n'alma!

António Rosa disse...

Quero deixar um abraço de gratidão a todos os amigos e leitores que deixaram aqui os seus comentários:

Marcelo Dalla,
Tati,
Filomena Nunes,
Susana Vitorino,
Christiane,
Rui,
Velentim,
Astrid,
Sofia,
Dulce,
Ângela,
Maria Izabel Viegas,

Li com atenção todos os comentários.

A pessoa do mapa respondeu-me por email. Convidei-a a deixar aqui em comentário anónimo, pois em nenhum momento identifiquei a pessoa.

Muito agradecido,

António

Magda Moita disse...

Olá António!

Gostei do texto, muito bom!

E devo dizer-te que foste muito simpático em responder aqui a todas estas questões, pois sé bem provável que a autora do email, seja uma leitora tua.

Infelizmente é comum este tipo de contactos, mas o que fazer???!!!

De qualquer forma esta pessoa já ganhou o dia, pois afinal teve uma serie de questões respondidas gratuitamente.

Um abraço Mestre,

beijos,


Magda

Medusa disse...

Bom dia,

Sou leitora frequente do seu blog e devo dizer que fiquei chocada com uma reacção tão iradae hiper-crítica. Acredito que cada pessoa faz o melhor que pode, e ainda que o melhor de alguns esteja muito longe daquilo que gostaríamos, não nos compete julgar ou reagir negativamente. Não é correcto, nem sequer é útil pra nenhuma das partes. Que não controlamos as nossas reacções, é certo, mas enquanto pessoas dedicadas à Astrologia ou a outra ferramenta de auto-conhecimento/desenvolvimento, cabe-nos aprender a lidar com este tipo de situação com humildade e compaixão. Cada um dá aquilo que tem, e se a senhora que enviou a carta demonstrou estar equivocada sobre uma série de coisas, o António não foi capaz de lhe dar a resposta construtiva que eu, pessoalmente, esperaria de si. Essa senhora não o procurou para desprestigiá-lo, por achá-lo "barato", ou para denegrir o trabalho dos astrólogos. Talvez o seu ego assim o tenha sentido e por isso se tenha sentido lesado. Mas essa senhora tentou apenas dar voz ao sofrimento que sente, que se calhar nem tem consciência que sente. Tentou pedir ajuda. Da melhor forma que soube.

O conhecimento da Astrologia não deve ser usado como um pedestal onde nós, "iluminados", nos colocamos com superioridade e de onde julgamos os outros, os "ignorantes", para decidir se merecem ou não o nosso "superior" conselho. É certo que, nos tempos que correm, estamos todos metidos no que parece ser uma "panela de pressão cósmica", mas por isso mesmo não há melhor altura para nos superarmos a nós próprios pela positiva. O conhecimento, seja ele astrológico/científico/técnico/etc, de nada serve sem humildade e sem compaixão. Aprendamos essa lição, que tanta falta tem feito ao mundo.

Raquel

ManDrag disse...

Adorei:
"acabou de fazer 30 anos há poucos dias e ainda faz perguntas dessas? Ainda não aprendeu aquilo que é básico na vida: que uma real relação amorosa duradoura não depende de um casamento"
"Só o seu livre-arbítrio é que decidirá o que pretende fazer consigo mesma e com os relacionamentos que tiver."
"evite controlar e manipular... Evite ser possessiva e ciumenta. Evite tentar dominar as situações de partilha. Não se faça de vítima."

Mas é tão fácil... é tão fácil mesmo raciocinar! Será que esta gente não se enxerga?

"nem sequer lhe vou responder, pois não tenho a certeza se ele a autorizou a verificar a vossa compatibilidade astrológica." A pergunta é bem demonstrativa da completa ausência de sensibilidade ética perante o próximo. As pessoas não querem viver. Nem querem tão pouco saber o que é isso de viver. Querem apenas a satisfação imediata e completa dos seus anseios, achando que isso é o mais soberano dos seus direitos.
Oh egocentrismo! Oh egoísmo!

Entendo e solidarizo-me com o teu desabafo, amigo!

Um grande abraço, beijos

PS: Desculpa a ausência de comentários. Não é por indiferença nem esquecimento. Estou atravessando mais uma fase de tormentas.

António Rosa disse...

Magda,
Medusa,
ManDrag,

Li atentamente os vossos comentários, que agradeço muito.

Abraço.

A.

Maria Izabel Viegas disse...

A vida é assim e assim são os seres humanos. Adoram analisar o comportamento de outrem. Se António coloca mil textos valorosos sobre o conhecimento astrológico : aplausos e haja memória no PC para cópias.
Se ele suspira, vocifera, desabafa... morreu o profissional.
A COVA DO URSO é só para beijinhos e abraços?
Quem atira a primeira pedra!?
Ficamos aqui com a velha e já caduca história do homem, do Menino e do Burro.
António, quando faço meu Blog tenho a total certeza que o Blog é meu. E quem não gosta, não lê!!!
Hoje estou autocrática, ególatra e ponto final.
Beijinhos doces, ups!

António Rosa disse...

Maria Izabel,

Recebi os seus beijinhos com muito agrado e fiquei feliz.

Não senhora, este blogue não é só apara aplausos, e tanto é assim que escrevi o post que tanto deu que falar. Felizmente!

Por saber que o material do post iria mexer com muitas pessoas, escolhi intencionalmente não responder a cada um, como habitualmente faço.

Não fico nada preocupado com as críticas havidas (poucas), pois sempre aprendo como os outros reagem. Faz parte, não é?

Muitos beijos,

António

Susana Vitorino disse...

AGORA JÁ NÃO ME ENGANAM! DIVIDO O COMENTÁRIO POR PARTES!

Estou absolutamente de acordo com Maria Izabel e Mandrag.

Ontem eu escrevi um comentário enorme, manifestando-me. Desapareceu por ser grande demais - já percebi que não fui a única a quem isto aconteceu. O que significa que espoletaste algo em nós todos com o teu desabafo e que nos impeliu à expressão.

Não concordo nada que o António esteja a ser arrogante a usar a sua profissão como altar ou pedestal. Até porque, infelizmente, não acontece só neste tipo de profissões: um dia falo-vos do maravilhoso e "glamouroso" mundo artístico...

Como eu com a minha língua afiada, e muito provavelmente, manifestamente pouco evoluida, costumo dizer: às vezes preferia ser puta encartada. Pelo menos saberia porque é que me querem foder!

(cont.)

Susana Vitorino disse...

(continuação)

Sabem quantas "borlas" pedem aos actores, como se fossemos uns palhacitos (com todo o respeito que tenho pela dificil e árdua profissão de palhaço)? "Olhe, nós gostávamos muito de fazer aqui uma coisinha,um divertimentozinho, mas não temos dinheiro para lhe pagar..." E poderia continuar daqui até ao fim do mundo que as histórias são infinitas...

Nem tem a ver com o dinheiro, tem a ver com a atitude. Como diz o António, nós damos e partilhamos de coração o nosso trabalho. Se sentimos que as pessoas precisam mesmo e não podem pagar. Se querem ser ajudadas verdadeiramente. Se nós fazemos essa escolha. Enfim...

Mas, de facto, se estás a limpar algum karma: não sei. Porque é que esta situação veio ter contigo? se calhar para TODOS podermos ponderar sobre isto. Que as pessoas precisam de ouvir certas coisas para acordar... precisam. Como diz o grande mestre Anthony de Mello no seu livro Awereness: "AS pessoas não querem curar-se. Querem pensos rápidos para aliviar o desconforto. A cura verdadeira, dói!"

Sabes que o meu Mercúrio Peregrino em Escorpião é solidário com estes desabafos. Bem Hajas por pores os dedos nas feridas.

Beijo Doce*

Filomena Nunes disse...

Apetecia-me dizer mais coisas... tantas coisas!!

Sei que o António Rosa escolheu não dar resposta directamente a cada comentário como é habitual. E eu não quero substituir-me ao próprio. Apenas expressar a minha perspectiva neste espaço que, desde que mantenha o respeito por todos e por cada um, nos tem oferecido essa prerrogativa. Muito obrigada António Rosa.

Em última analise, somos todos humanos. Todos temos o direito ao aplauso como à indignação. E parece-me que há aqui uma confusão fundamental, nomeadamente, que não é só "a pessoa" que fez o "melhor que pode". Todos fazemos o melhor que podemos ou sabemos. E este blog Cova do Urso não foge a essa regra.

Apenas uma pessoa determinou (sentiu) que o António Rosa "reagiu negativamente", e que está a "ser incorrecto", e que se colocou, qual "iluminado", num "pedestal". E o que é que se pode afirmar acerca do amor e da compaixão com que o António Rosa escreveu este texto?? Apenas o próprio!

Afinal quem é que está a julgar??

Esquecemo-nos que a própria vida nos abana violentamente, agressivamente, quando estamos em tal estado letárgico que não vai lá de outra maneira. Afinal, quem é que se está a arrogar a um papel superior ao da própria vida/Deus/Universo/Eu_Superior/Amor, e à aceitação de tudo o que é, como

E o que é que se sabe de "essa senhora tentou apenas dar voz ao sofrimento que sente"?? Quantas pessoas não agem exactamente da mesma forma APENAS porque querem SEMPRE sugar benefícios dos outros sem terem de dar nada em troca?? Quem pode estar inteiramente por dentro destes factos?? Apenas os próprios envolvidos.

Ignorantes somos nós todos em algum grau!! Ou não teria sido esta a história da nossa vida, mas outra, talvez mais semelhante à dos exemplos que já por esta Terra passaram encarnando o Cristo, o Espírito Santo, ou outras particularidades divinas... e, mesmo esses, talvez também sejam igorantes de outros tantos mistérios.

Sou uma aprendiz e limito-me a aprender. Quem quiser aprender alguma coisa comigo não me diz directamente respeito!!

Beijinhos, abraços e felicitações

Filomena

Susana Vitorino disse...

Deixo aqui uma transcrição de troca de comentários no FB, entre mim, o António e outras pessoas que também são aqui desta casa que tão bem nos acolhe sempre. E foram estes comentários que deram origem ao meu nome estar mencionado no texto:

"Continuo a achar que há pessoas que continuam a não saber interpretar... Dei muitas explicações quando ainda andava no liceu, e esse era um dos grandes problemas: não saber interpretar o que se lê. Esse "pormenor" afectava o aproveitamento escolar a todas as outras disciplinas. E assim se continua... E assim marcha a banda..."

(cont.)

Susana Vitorino disse...

(continuação)

"Sabem, meus amigos, acabo de comentar uma nota bem interessante que partilhei no meu mural para que todos possamos reflectir um pouco sobre isso. Hei-de partilhar convosco um caso que ilustra bem a imaturidade e a infantilidade generalizadas. Às vezes parece-me que as pessoas mentem nos perfis... e que têm apenas 6 anos, ou 15, ou 12... Confunde-se Liberdade com Libertinagem. Liberdade de Expressão não é dizer tudo o que vem à cabeça. Não é ofender o próximo. E não ofender o próximo não é "espiritualidade lindinha", de facto. Não é só falar em Oms, e Luz e Mestres Ascensos... Não é não tocar nas feridas. Não é ignorar os assuntos.

António, não estás a ser arrogante. Há, de facto, uma altura em que apetece dizer: ACORDEM! Ética e Deontologia da Comunicação já nem os ditos profissionais do jornalismo sabem o que é, quanto mais o cidadão comum, que de repente pode desatar a dizer o que quer e bem lhe apetece online... A maior parte das pessoas não tem noção do PODER DA PALAVRA."

(cont.)

Susana Vitorino disse...

(continuação)

"Nem que há que ter responsabilidade sobre as mesmas. Eu, que tenho um Mercúrio Peregrino em Escorpião, sei bem que sou uma provocadora. Não escrevo com caneta, escrevo com bisturi, como costumo dizer. Mas estou preparada para assumir a responsabilidade sobre as minhas palavras. E isso tem um preço que muita gente não quer pagar. Ao longo da História, bem o sabemos, houve quem o pagasse com a própria VIDA. E continua a existir, não se iludam. Por isso é mais fácil "usar" a "espiritualidade lindinha", "não levantar ondas"... Do que as pessoas não se lembram, é que todos os Guerreiros de Luz, eram isso mesmo: Guerreiros! A Madre Teresa tinha "pelo na venta" que só visto! Ghandi, tem energia em Escorpião daqui à India (que soube sublimar a outras oitavas e usá-la como ninguém no seu melhor, mas não deixavam de ser energias em Escorpião). E Jesus aos biqueiros aos vendilhões do Templo? Os Guerreiros de Luz não passam o dia todo em posição de Lotus a olhar para o Éter: AGEM! E já me alonguei..."


Beijos*

Lucília Ramos disse...

Uma vez fui a uma palestra sobre cristais com uma amiga. O sr. palestrante era francês e tinha um coadjuvante a ler um montão de fotocópias com a tradução do francês que o sr. falava. E ele, falava dos cristais e dos poderes enormes que eles tinham.
A certa altura, a minha amiga foi mostrando um aborrecimento muito grande não parando quieta na cadeira, (bem, aquele método adormecia qualquer um...). Depois, ainda para cúmulo, o telemóvel dela tocou e interrompeu a cristaleira toda. Aí, o sr. francês, perdeu toda a compostura e muito irado descompôs, PUBLICAMENTE, a amiga do telemóvel sonante.
Ela saíu atónita, ainda a pronunciar continuadamente: excusez-moi!
O sr. francês continuou, ainda exaltado, a falar dela sem parar (mesmo sem tradução nas fotocópias).
Foi então que, me aconteceu a reacção mais estranha, desatei num soluço bem sentido capaz de emudecer a sala toda. Aí, o sr. francês calou-se e veio ter comigo dizendo que os cristais faziam, realmente, ter recções fortes. Aos poucos, conforme me ia falando e eu não articulava palavra, tal era o embargo na garganta, foi-se apercebendo que a pior reacção foi a dele e... pediu desculpas.

Eu chorava por tudo... pela amiga inquieta, que foi ali completamente humilhada por uma atitude inocentemente leviana, pela ira e ganância de um homem que se achava perfeito e, por mim, por saber que somos uns tristes humanos muito cristalizados nos conceitos e reacções.

Quando me acalmei, também eu abandonei de imediato a sala.

Seriam coincidências ou os cristais fizeram mesmo das suas???

Pois é... as reacções às situações estão aí... e as lições também.

Lucília Ramos - que bem podia estar calada mas não se conteve - aqui. É o tal bichinho que mexe cá dentro. Excusez-moi!

António Rosa disse...

Susana,
Filomena,
Lucília,

Li atentamente os vossos comentários, que agradeço muito, pois servirão de base para as minhas reflexões.

Abraço.

Valentim disse...

Foi-me pedido que nada comenta-se. Mas perante os factos (leia-se comentários), naõ posso, não devo e NÃO QUERO ficar indeferente.

Começo por dizer que tenho na familia mais do que um terateupa, por isso compreendo o comentário do Rui na perfeição.Ó se compreendo.

Quanto à pessoa do Sr. António Rosa fico besta com os comentários (leia-se julgamentos) que fazem à sua pessoa.
Que me desculpem os leitores, seguidores e demais pessoas que diáriamente passam pelo Cova do Urso, que com este blog, com este Homem aprendem todos os dias. A todos vocês BEM HAJAM. Não imaginam o quanto lhe ensinam diariamente.
(CONTINUA)

Valentim disse...

Devo referir que não sou familiar do Sr. António Rosa. Devo referir que não sou sócio, nem empregado do Sr. António Rosa.

Sou isso sim, alguém que por circunstâncias da vida teve o GRANDIOSO PRAZER de o ver entar na minha vida, fazer parte dela. Só por isso sinto-me um ENORME previlégio e uma ENORME honra.

ANTÓNIO - OBRIGADO POR FAZERES PARTE DA MINHA VIDA.

Para que se conste o Sr. António Rosa é antes de mais nada, o seguinte:

Um ser humanno, composto por células, tecido conjuntivo, ossos, artérias, veias, musculos, orgãos internos e externos.
Um desses orgãos internos é o cerebro. Que nesta actual conjuntura está muito para além, dos niveis de compreenção dos demais mortais.
Tem corpos energéticos que são diáriamente agredidos por esta sociedadezinha lindinha, que por se encontrar perdida não mede os seus actos e atitudes.
Como ser humano, cidadão de um país e habitante deste planeta tem direitos adquiridos. Que são diariamente violados por pessoas se eira nem beira.

Quanto ao post que deu origem a tanta "indignação" a alguns "leitores", gostaria de dizer à jovem que tenha calma. No meu entender entrou na "consulta" com o pé errado. Se tiver paciência e com um pouco de sabedoria vai ver que tudo se resolve. Quem sabe até em conversa com o astrologo António Rosa.
Vamos respeitar as pessoas com este Homem.
Afinal de contas a minha liberdade acaba quando começa a dos outros.

António um abraço

Filomena Nunes disse...

Ou talvez tenha entrado na "consulta" com o pé certo. Talvez esteja a precisar de meditar sobre a sua posição, sobre a posição do profissional, e a de todos nós que estamos a dar um pouco do que somos nestes comentários.. nada acontece por acaso!!

A minha 1ª consulta de astrologia em 2004 também correu muito mal, dentro dos parâmetros da consciência que eu tinha na altura. Confesso que, se entrei com elevadíssimas expectativas, sobretudo à espera que me fosse revelado um futuro brilhante, saí de lá completamente de rastos, a chorar que nem "uma Madalena" e até arrependida de ter ido.

Não vou relatar pormenores dessa experiência por razões óbvias; não é de mim que se trata, mas antes de mostrar perspectivas diferentes.

Apenas digo que a astróloga em questão é hoje uma das mais conceituadas astrólogas psico-terapeutas portuguesas, que também me abstenho de nomear por não ser importante no contexto.

E hoje, decorridos 7 ou 8 anos, eu estou-lhe imensamente grata por me ter dado o "choque" que eu precisei ter levado... acordei para uma nova visão da vida e nunca mais parei de procurar o entendimento das coisas...

Mais beijinhos e mais abraços :))

Filomena

António Rosa disse...

Valentim,

xiiii!!!!!!

:))))))))

Muito obrigado.

Beijos

António

Cristina Neves disse...

Olá, tenho acompanhado seu blog e sei que trata de todos os assuntos com muita seriedade e respeito.
A sua resposta foi realizada com fino trato e inteligência.
Obrigada por mais esta lição.
Abraço,

Luis disse...

Filomena Nunes disse...

Ou talvez tenha entrado na "consulta" com o pé certo. Talvez esteja a precisar de meditar sobre a sua posição, sobre a posição do profissional, e a de todos nós que estamos a dar um pouco do que somos nestes comentários.. nada acontece por acaso!!


Precisamente!

Sofia disse...

António, os momentos de irritação e de arrogância são contagiantes, com se acabou de ver...
Contagie-nos antes com AMOR. :)

Boa continuação!

António Rosa disse...

Filomena,
Cristina,
Luís,
Sofia,

Este espaço de comentários passou a ser um pequeno fórum muito interessante. Muito agradecido.

A.

António Rosa disse...

A todos,

Este post foi publicado no dia 26 de Abril, às 17h40. Até agora (28 Abril, 10h40), o post propagou-se como uma enchente de maré. O contador do Google Analytics diz-me que foi acedido por mais de 1.700 pessoas. Ser acedido, não significa que foi lido. Teve mais de 80 'gostos' que foram parar ao Facebook, que por sua vez, provocaram muitos outros comentários, para além das 3 dezenas havidas aqui na caixa de comentários do blogue.

Li todos os comentários que aqui estão e intencionalmente decidi não responder a cada um, como é meu hábito fazer no 'Cova do Urso'. Por uma simples questão de bom senso. A verdade é que este espaço, devido ao tema em questão, tornou-se numa espécie de mini-fórum onde cada um se expressou como entendeu. Inclusivamente houve pessoas que se manifestaram quando não é seu hábito fazê-lo. Foi muito bom que isso acontecesse.

No entanto, em termos metafísicos, entendo que chegou a hora de «encerrar» a corrente de energias que se soltaram, reencaminhando-as para onde devem estar: no sossego do coração de cada um, incluindo o meu.

Todos aprendemos alguma coisa. Desde logo, eu aprendi imenso. Eu aprendi como devo proceder com os inúmeros pedidos de «borlas» que me surgem diariamente e muitos deles, com «cobrança», do género «você ainda não viu o meu mapa...», sem que lhes tivesse prometido alguma coisa.

Sou um ser humano como todos vocês. Desde logo, não sou perfeito, pois isso não existe, apesar de alguns comentários aqui partirem dessa permissa.

Assim, encerro futuros comentários neste post [algo fora do vulgar no 'Cova do Urso'], deixando os actuais disponíveis para leituras futuras.

Muito obrigado a todos.

Bem hajam.

António

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates