Tenho estado de olho nele

27 de janeiro de 2009 ·

Tenho estado de olho nele. Em Plutão, claro. Tenho uma terrível tendência a não ligar ao meu próprio mapa, até porque tenho atraído para mim, experiências muito fortes de trânsitos diversos em que, por vezes, me ponho a assobiar para os lados. Também sei que são exactamente esse tipo de trânsitos desafiantes nos mapas das outras pessoas, que colocam muitas delas nas minhas consultas. A queixarem-se muito. Por vezes, penso: se eu fosse a uma consulta de astrologia, iria queixar-me assim? Não sei a resposta.

Voltando a Plutão (no grau 2 de Capricórnio) a fazer um trígono ao meu Saturno natal (no grau zero de Virgem). Ando nisto há cerca de um ano e a coisa continuará ainda por alguns meses, pois Plutão entrará em movimento retrógrado, voltando a aproximar-se desse ponto nevrálgico do meu mapa.

Recordo-me bem de mais, da recente quadratura de Saturno a Plutão (em 2007) tal como não esqueço de um outro trânsito muito actual: Plutão - Úrano. Talvez por isto tudo, eu tenha decido ficar de olho nele, para melhor apreciar os acontecimentos no meu próprio mapa. Coloquei-me como observador.
Nem sequer como «observador do 4º Raio», mas tão só como um mero observador humano de mim mesmo.

Quando acontece este trânsito ficamos mais capazes de praticar a perseverança. Sem teimosia. Percebi o que desejava fazer com a minha vida. Senti-me apto a propor a mim mesmo, a continuação de uma longa caminhada, desta vez com objectivos muito certeiros. Tracei planos para os tempos mais próximos, sem esquecer nunca aquela máxima: «não faças planos para a vida, pois a vida pode ter planos para ti».

Foi neste cruzamento que entendi que os planos que a vida tinha para mim eram um reflexo de mim mesmo e da minha vontade. É uma espécie de quatro caminhos em que passei pela experiência de escolher um deles. Eu escolhi o caminho que mais se adaptava a mim, à minha natureza, no que às minhas actividades editoriais e astrológicas diz respeito. Foi nessa altura, quando a vida já me tinha apresentado os seus planos, que eu não fiz mais do que me adaptar a eles, pois além de serem «meus» sentia-me assim: 1) capaz de trabalhar e com segurança para os desenvolver;
2) com a perseverança necessária para os implementar e manter; 3) saber aproveitar o fim de um ciclo e o início de outro; 4) haver a necessidade de agarrar uma oportunidade única, pois é um trânsito que só acontece uma vez na vida.

A nível da minha editora não vos vou contar nada, apenas afirmar que também tracei planos que estou a implementar, com as cautelas próprias de uma empresa que está inserida dentro de um mercado em mudança, que a maioria chama de «crise».

Portanto, pelos leitores gostarem de astrologia, darei aqui a minha experiência deste trânsito, nesta área da minha vida: a astrologia. Há vários meses, no Verão de 2008, comecei a sentir a necessidade de criar objectivos astrológicos e todos passavam pelo site «Escola de Astrologia Nova-Lis». Senti a necessidade de fazer deste site uma plataforma colectiva de divulgação da astrologia, com diversas ferramentas, para além dos textos que contém. Essas ferramentas foram surgindo.

Comecei muito cedo a trabalhar na reformulação deste site passando-o para aquilo que é hoje, com a mesma quantidade de artigos (sempre em crescimento) e uma melhor organização, havendo mais funcionalidades para os nossos leitores. Transformei o nosso fórum numa imensa sala de aula pública, acentuando a característica «escola» e tentando afastar a vertente «consulta». A ter que consumir o meu tempo na net, que seja naquilo que gosto de fazer: formar e informar. Só as 2 salas de exercícios tiveram até à data, mais de 51 mil acessos. Por isso eu usar a palavra «imensa».

Criei a «Comunidade Astrologia» muito antes do site Escola de Astrologia Nova-Lis apresentar o aspecto que hoje possui. Quando criei a comunidade já sabia que iria fazer essa integração. Sempre foi minha ideia fazer com que o site da Escola fosse, em simultâneo, uma rede social agregadora. Vamos a caminho disso. Também criei os «Cursos online Nova-Lis» e ofereci gratuitamente o curso «Casas Astrológicas» para as pessoas poderem aprender e praticar o funcionamento de um curso online no sistema Moodle. O resultado foi arrebatador:
até hoje, 194 alunos inscritos. E, diariamente, chegam pedidos de inscrição. Tal como ocorreu com a «Comunidade Astrologia», o módulo «cursos» apareceu antes de ter surgido o novo site da Escola. Quando o novo design do site foi mostrado, a 11 de Janeiro, as peças do puzzle já se haviam juntado. Também criei aquilo que chamo de «Oficinas de Astrologia» em que, juntamente com a Magda Moita, contactamos as pessoas em seminários temáticos devidamente estruturados. É o descer do mundo virtual (internet) para a realidade tridimensional. Tinha que ser. Há mais surpresas que irão surgir ao longo de 2009. A seu tempo serão divulgadas.

Há uns meses, durante este trânsito de Plutão – Saturno, também tomei outra decisão: aguardar pelo ingresso de Júpiter em Aquário para lançar todos estes projectos integrados no projecto maior que se chama «Escola de Astrologia Nova-Lis».

Assim, estes assuntos começaram a funcionar integrados e de forma profissional. O primeiro curso online foi criado há poucas semanas com a colaboração da astróloga Ana Cristina Corrêa Mendes, criadora e professora do curso «Práticas de Perfil Vocacional», a começar a 7 de Fevereiro. Outros cursos virão, assim como outros professores. As oficinas de astrologia estão em andamento por vários pontos do país. O fórum recebe os alunos e a Comunidade os seus membros. O projecto está em andamento e a concretizar-se.

O que vos posso garantir é que há um ano atrás, nem tinha ligado a este trânsito. Também vos quero dizer que ao mesmo tempo que vivia este trânsito inesquecível, estava (e estou) a viver outros trânsitos bem delicados, intensos e desafiantes. Nem tudo é um mar de rosas. É a dinâmica da própria vida.

Isto foi uma espécie de statement.

35 comentários:

Ana Cristina disse...
27 de janeiro de 2009 às 15:37  

António só o posso congratular pelo tanto que tem feito :-)

Teresa Marcelino disse...
27 de janeiro de 2009 às 15:49  

Este é daqueles para imprimir e colar na parede, como diria a Maria Paula.

"Foi quando percebi aquilo que desejava fazer com a minha vida.

(...)

Foi neste cruzamento que percebi que os planos que a vida tinha para mim eram um reflexo de mim mesmo e da minha vontade."


E ainda bem para todos nós!!

Um abraço!

adelaide figueiredo disse...
27 de janeiro de 2009 às 16:48  

António

Só posso dizer que conseguiu e muitíssimo bem.
Sei que nem tudo é um mar de rosas mas a perfeição faz-se aos poucos e quando olhamos para trás e as turbulências do percurso passaram podemos então pensar que valeu a pena. Afinal vale sempre a pena :)

Bem-haja.

Abraço

Adelaide Figueiredo

terrAmena disse...
27 de janeiro de 2009 às 17:18  

Obrigada António Rosa,

Pela partilha quase íntima de um percurso recente.

A dimensão das suas criações é incomensurável... e, tão importante como isso, é o que gosta de fazer!
Isso sente-se!!

Compreender "os planos que a vida tem para nós", como disse também o saudoso Prof.Agostinho da Silva, é um passo de gigante...

Parabéns por tão profusa actividade em tão pouco tempo e da qual todos nós podemos beneficiar.

Um beijinho

Hanah disse...
27 de janeiro de 2009 às 17:31  

Antonio,
Gosto de vir aqui ler seus testemunhos...

um abraço

Bem haja

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 18:39  

Olá Ana Cristina,

Muito agradecido, sobretudo a si, por estar a ser uma coluna mestre nesta experiência inédita na astrologia em língua portuguesa.

Abraço

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 18:40  

Teresa,

Sem a su ajuda preciosa o projecto «Cursos online» não teria passado de uma mera intenção minha. Como bem sabe, a Teresa tem sido inexcedível na sua ajuda e orientação do Moodle.

Muito agradecido.

Abraço

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 18:41  

Adelaide,

A sua presença tem sido uma constante nos projectos astrológicos em que me desenvolvo - todos os mencionados no meu post: fórum, comunidade, cursos online.

Muito agradecido.

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 18:44  

Olá terrAmena,

Compreender "os planos que a vida tem para nós", como disse também o saudoso Prof.Agostinho da Silva, é um passo de gigante...

Aprendi com ele isso mesmo: que não é um passo de gigante.

Apenas precisamos de uma coisa muito subtil: o estarmos sintonizados com aquilo que nos é próprio.

Também sei que no meu caso, deu-se numa idade já experiente da vida. Até lá dei muitas cabeçadas...

Abraço

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 18:45  

Hanah

E eu gosto de saber que vem até quando pode.

Grato.

Abraço.

astrid-annabelle disse...
27 de janeiro de 2009 às 19:03  

António, também gosto de ler seus testemunhos.
Aprende-se muito dessa forma.
Devo ainda lhe dar os parabéns por tudo o que vem criando...é um legado para a humanidade! Não estou exagerando...
Bjs.
Astrid

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 19:16  

Astrid

Como bem sabe, quando fazemos com gosto, os quatro elementos ajudam...

=)

Sou muito básico e o meu horizonte é o prazer que tenho naquilo que faço. Se serve aos outros, melhor ainda.

Beijo

Hanah disse...
27 de janeiro de 2009 às 20:06  

Antonio,

Feliz Ano Novo Chinês !!!!!

Que Júpiter te traga sempre e sempre inspiração !!!


Até nos seus comentários aprendo, mas anda me fazendo rusginha...
sabe como é dificil uma lua em escorpião...(rs)se sair da toca, fico interessada em saber esses graus todos aqui e ali.
Vai chegar o tempo...

p.s: Não entendi a resposta do seu comentário. (Vem quando até quando pode).

Abraço

Hanah disse...
27 de janeiro de 2009 às 20:11  

Antonio, não sei se entrou no site, mais a título de curiosidade, olha que interessante:

O calendário chinês é lunissolar. Cada ano possui doze lunações (ciclo de 12 animais) acarretando em um total de 354 dias. Para não se perder a sincronia com o ciclo solar (de 365,25 dias), são acrescentados a cada oito anos noventa dias ao calendário, ou, aproximadamente duas lunações. Desta forma não se perde a sincronia nem com o ciclo solar, nem com o lunar.

...

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 20:22  

Hanah

Muito obrigado pelas suas felicitações pelo meu Ano Novo Chinês.

Como disse no seu blogue, nasci em 1949, portanto, sou «Búfalo» na astrologia chinesa.

Quando ouvi na Tv que este ano era do signo Búfalo fiquei contente, porque como este ano também passei agora pelo retorno do meu Júpiter, acredito que será uma grande ajuda para mim.

Muito obrigado.

:))))))

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 20:24  

Hanah

O meu comentário foi simples, mas «comi» uma palavra, esta:

E eu gosto de saber que vem até aqui quando pode.

Só isto. Gosto das suas visitas.

Apreciei esta sua explicação do ano chinês. Mais uma coisa que aprendi.

Abraço

Maria Paula Ribeiro disse...
27 de janeiro de 2009 às 20:35  

António,

Depois da tempestade "plutónica", vem SEMPRE a bonança! :-)

Amigo, PARABÉNS

E eu eternamente grata. :-)
Beijo

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 20:43  

Paula,

A propósito de «plutónico»...

LOL

Está tudo bem?

besitos

Maria Paula Ribeiro disse...
27 de janeiro de 2009 às 20:54  

:-) Eu estou no meio (ou início) da tempestade, a registar mentalmente cada passo do Sr Plutão. Daqui por uns anos, farei questão de fazer uma palestra sobre esse trânsito!
:-)

Mas tenho fé, que mesmo com menos quilos, mais cabelos brancos e neurónios perdidos em franja, irei ver essa bonança! :-)

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 21:11  

MaryPaula,

,Mas tenho fé, que mesmo com menos quilos, mais cabelos brancos e neurónios perdidos em franja, irei ver essa bonança!

Não estás a ver o filme em condições porque ainda não chegaste a essa parte.

Verás a bonança, sim. Sem cabelos brancos porque certamente os pintarás. Quanto ao neurónios, isso é uma longa história. Garantidamente isso de «menos quilos»... não sei, não! Costuma ser ao contrário :)))))))

Maria Paula Ribeiro disse...
27 de janeiro de 2009 às 21:23  

:)))))

"menos quilos" durante um trânsito de Plutão, mestre.

Plutão "carbura", "queima" (calorias), desgasta...:-)

Já na bonança,hummmmmmmmm.... espero que tenham encontrado um produto natural, não poluente, que impeçam o depósito dessas células amarelas.:-) LOL LOL

Samsara disse...
27 de janeiro de 2009 às 21:24  

António gostei muito do teu statement, é um prazer ver-te criar. Tenho sido uma das grandes beneficiárias de toda esse imenso poder criativo e de dádiva que tens.

Beijinhos

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 22:14  

Sim, Paula, podes crer que Plutão também faz engordar, tal como Júpiter ou Vénus.

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 22:16  

Patrícia,

Como muito bem sabes, tu e a Adelaide estão entre as primeiríssimas a fazerem-me companhia. Têm sido uma companhia fantástica e umas excelentes experimentadoras das coisas que tenho feito. Sem a vossa companhia de primeira hora, eu não teria feito as cosias da mesma maneira.

Mil besitos

joana disse...
27 de janeiro de 2009 às 22:30  

António,

Sinto-me uma privilegiada por ter acompanhado quase todo esse percurso. Às vezes mais longe, às vezes mais perto mas sempre por 'aqui'.

Um beijo

E viva o ano do Búfalo ! ; )))

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 22:40  

Olá Joana,

Os espiritualistas gostam de dizer que a «sorte» não existe. Mas eu sei que sim. Oops! Estava a lembrar-me de um Júpiter na 12.:) O melhor é calar-me com isto da sorte...

Sou um privilegiado sortudo por a ter por perto para me ajudar a ver coisas que não conseguiria ver no meu quotidiano.

A sua companhia elegante e sincera enquanto dialogávamos sobre o site da Escola é bem um exemplo disso.

Um exemplo perfeito daquilo que é feito em bastidores, no silêncio da reflexão.

Quem sabe da sua arte e ajuda os ajudas os outros como o fez comigo, merece uma beijoka grande, muito ternurenta.

Muito obrigado.

Anónimo disse...
27 de janeiro de 2009 às 22:41  

António
um conselho de quem lê a "Cova de Urso" diariamente, já viu o site da Astroletiva. De certeza que muitas dúvidas desaparecem.

António Rosa disse...
27 de janeiro de 2009 às 22:56  

Olá Anónimo(a)

Creio que as pessoas sabem que a «Astroletiva» é uma enorme e prestigiada escola de astrologia por internet.

http://www.constelar.com.br/letiva/cursosdomes.php

Uma verdadeira inspiração.

Grato.

HighLander77 disse...
28 de janeiro de 2009 às 12:32  

Muitos parabens Antonio.
Este transito nao sera o culminar de eventos que tem organizado e pessoas que tem ensinado sabiamente (nas quais me incluo) mas sera sim uma vincada tomada de consciencia da sociedade do trabalho que tem feito ao servico de hierarquias mais evoluidas.

:)

António Rosa disse...
28 de janeiro de 2009 às 14:03  

Olá Paulo,
Bem explicado e melhor relembrado.
Abraço.

Fada Moranga disse...
29 de janeiro de 2009 às 07:50  

Statementou bem!

O poder da Rosa estah cada vez mais curador! Viva o Plutao!

Bem haja!
Beijos***deFada

António Rosa disse...
29 de janeiro de 2009 às 08:59  

Olá fada

Temos sempre que seguir em frente e, de preferência, para cima.

Beijo

Vera Correia disse...
29 de janeiro de 2009 às 17:42  

" Coloquei-me como observador. Nem sequer como «observador do 4º Raio», mas tão só como um mero observador humano de mim mesmo."

esta frase está linda e pessoalmente fez-me imenso sentido ...
acredito mesmo que é um dos grandes objectivos da minha vida. Conseguir sentir um espaço entre mim e a vida e poder assim observar a magia de que tudo e todos que atraímos contribuem de uma maneira maravilhosa para a nossa evolução ...

grande grande abraço !!!

António Rosa disse...
29 de janeiro de 2009 às 17:46  

Vera, sem os outros (incluindo tu, of course!) o meu «eu» não seria como é. Nem imaginas como me sinto grato por tudo isto.

Maria Paula Ribeiro disse...
3 de fevereiro de 2009 às 14:21  

António,

Reler este teu post, com algum distanciamento da 1ª vez que o li, é diferente.

Plutão-Saturno: Transformar mas ORDENADO.

Hoje fiquei com outra visão. :-)

27 de janeiro de 2009

Tenho estado de olho nele

Tenho estado de olho nele. Em Plutão, claro. Tenho uma terrível tendência a não ligar ao meu próprio mapa, até porque tenho atraído para mim, experiências muito fortes de trânsitos diversos em que, por vezes, me ponho a assobiar para os lados. Também sei que são exactamente esse tipo de trânsitos desafiantes nos mapas das outras pessoas, que colocam muitas delas nas minhas consultas. A queixarem-se muito. Por vezes, penso: se eu fosse a uma consulta de astrologia, iria queixar-me assim? Não sei a resposta.

Voltando a Plutão (no grau 2 de Capricórnio) a fazer um trígono ao meu Saturno natal (no grau zero de Virgem). Ando nisto há cerca de um ano e a coisa continuará ainda por alguns meses, pois Plutão entrará em movimento retrógrado, voltando a aproximar-se desse ponto nevrálgico do meu mapa.

Recordo-me bem de mais, da recente quadratura de Saturno a Plutão (em 2007) tal como não esqueço de um outro trânsito muito actual: Plutão - Úrano. Talvez por isto tudo, eu tenha decido ficar de olho nele, para melhor apreciar os acontecimentos no meu próprio mapa. Coloquei-me como observador.
Nem sequer como «observador do 4º Raio», mas tão só como um mero observador humano de mim mesmo.

Quando acontece este trânsito ficamos mais capazes de praticar a perseverança. Sem teimosia. Percebi o que desejava fazer com a minha vida. Senti-me apto a propor a mim mesmo, a continuação de uma longa caminhada, desta vez com objectivos muito certeiros. Tracei planos para os tempos mais próximos, sem esquecer nunca aquela máxima: «não faças planos para a vida, pois a vida pode ter planos para ti».

Foi neste cruzamento que entendi que os planos que a vida tinha para mim eram um reflexo de mim mesmo e da minha vontade. É uma espécie de quatro caminhos em que passei pela experiência de escolher um deles. Eu escolhi o caminho que mais se adaptava a mim, à minha natureza, no que às minhas actividades editoriais e astrológicas diz respeito. Foi nessa altura, quando a vida já me tinha apresentado os seus planos, que eu não fiz mais do que me adaptar a eles, pois além de serem «meus» sentia-me assim: 1) capaz de trabalhar e com segurança para os desenvolver;
2) com a perseverança necessária para os implementar e manter; 3) saber aproveitar o fim de um ciclo e o início de outro; 4) haver a necessidade de agarrar uma oportunidade única, pois é um trânsito que só acontece uma vez na vida.

A nível da minha editora não vos vou contar nada, apenas afirmar que também tracei planos que estou a implementar, com as cautelas próprias de uma empresa que está inserida dentro de um mercado em mudança, que a maioria chama de «crise».

Portanto, pelos leitores gostarem de astrologia, darei aqui a minha experiência deste trânsito, nesta área da minha vida: a astrologia. Há vários meses, no Verão de 2008, comecei a sentir a necessidade de criar objectivos astrológicos e todos passavam pelo site «Escola de Astrologia Nova-Lis». Senti a necessidade de fazer deste site uma plataforma colectiva de divulgação da astrologia, com diversas ferramentas, para além dos textos que contém. Essas ferramentas foram surgindo.

Comecei muito cedo a trabalhar na reformulação deste site passando-o para aquilo que é hoje, com a mesma quantidade de artigos (sempre em crescimento) e uma melhor organização, havendo mais funcionalidades para os nossos leitores. Transformei o nosso fórum numa imensa sala de aula pública, acentuando a característica «escola» e tentando afastar a vertente «consulta». A ter que consumir o meu tempo na net, que seja naquilo que gosto de fazer: formar e informar. Só as 2 salas de exercícios tiveram até à data, mais de 51 mil acessos. Por isso eu usar a palavra «imensa».

Criei a «Comunidade Astrologia» muito antes do site Escola de Astrologia Nova-Lis apresentar o aspecto que hoje possui. Quando criei a comunidade já sabia que iria fazer essa integração. Sempre foi minha ideia fazer com que o site da Escola fosse, em simultâneo, uma rede social agregadora. Vamos a caminho disso. Também criei os «Cursos online Nova-Lis» e ofereci gratuitamente o curso «Casas Astrológicas» para as pessoas poderem aprender e praticar o funcionamento de um curso online no sistema Moodle. O resultado foi arrebatador:
até hoje, 194 alunos inscritos. E, diariamente, chegam pedidos de inscrição. Tal como ocorreu com a «Comunidade Astrologia», o módulo «cursos» apareceu antes de ter surgido o novo site da Escola. Quando o novo design do site foi mostrado, a 11 de Janeiro, as peças do puzzle já se haviam juntado. Também criei aquilo que chamo de «Oficinas de Astrologia» em que, juntamente com a Magda Moita, contactamos as pessoas em seminários temáticos devidamente estruturados. É o descer do mundo virtual (internet) para a realidade tridimensional. Tinha que ser. Há mais surpresas que irão surgir ao longo de 2009. A seu tempo serão divulgadas.

Há uns meses, durante este trânsito de Plutão – Saturno, também tomei outra decisão: aguardar pelo ingresso de Júpiter em Aquário para lançar todos estes projectos integrados no projecto maior que se chama «Escola de Astrologia Nova-Lis».

Assim, estes assuntos começaram a funcionar integrados e de forma profissional. O primeiro curso online foi criado há poucas semanas com a colaboração da astróloga Ana Cristina Corrêa Mendes, criadora e professora do curso «Práticas de Perfil Vocacional», a começar a 7 de Fevereiro. Outros cursos virão, assim como outros professores. As oficinas de astrologia estão em andamento por vários pontos do país. O fórum recebe os alunos e a Comunidade os seus membros. O projecto está em andamento e a concretizar-se.

O que vos posso garantir é que há um ano atrás, nem tinha ligado a este trânsito. Também vos quero dizer que ao mesmo tempo que vivia este trânsito inesquecível, estava (e estou) a viver outros trânsitos bem delicados, intensos e desafiantes. Nem tudo é um mar de rosas. É a dinâmica da própria vida.

Isto foi uma espécie de statement.

35 comentários:

Ana Cristina disse...

António só o posso congratular pelo tanto que tem feito :-)

Teresa Marcelino disse...

Este é daqueles para imprimir e colar na parede, como diria a Maria Paula.

"Foi quando percebi aquilo que desejava fazer com a minha vida.

(...)

Foi neste cruzamento que percebi que os planos que a vida tinha para mim eram um reflexo de mim mesmo e da minha vontade."


E ainda bem para todos nós!!

Um abraço!

adelaide figueiredo disse...

António

Só posso dizer que conseguiu e muitíssimo bem.
Sei que nem tudo é um mar de rosas mas a perfeição faz-se aos poucos e quando olhamos para trás e as turbulências do percurso passaram podemos então pensar que valeu a pena. Afinal vale sempre a pena :)

Bem-haja.

Abraço

Adelaide Figueiredo

terrAmena disse...

Obrigada António Rosa,

Pela partilha quase íntima de um percurso recente.

A dimensão das suas criações é incomensurável... e, tão importante como isso, é o que gosta de fazer!
Isso sente-se!!

Compreender "os planos que a vida tem para nós", como disse também o saudoso Prof.Agostinho da Silva, é um passo de gigante...

Parabéns por tão profusa actividade em tão pouco tempo e da qual todos nós podemos beneficiar.

Um beijinho

Hanah disse...

Antonio,
Gosto de vir aqui ler seus testemunhos...

um abraço

Bem haja

António Rosa disse...

Olá Ana Cristina,

Muito agradecido, sobretudo a si, por estar a ser uma coluna mestre nesta experiência inédita na astrologia em língua portuguesa.

Abraço

António Rosa disse...

Teresa,

Sem a su ajuda preciosa o projecto «Cursos online» não teria passado de uma mera intenção minha. Como bem sabe, a Teresa tem sido inexcedível na sua ajuda e orientação do Moodle.

Muito agradecido.

Abraço

António Rosa disse...

Adelaide,

A sua presença tem sido uma constante nos projectos astrológicos em que me desenvolvo - todos os mencionados no meu post: fórum, comunidade, cursos online.

Muito agradecido.

António Rosa disse...

Olá terrAmena,

Compreender "os planos que a vida tem para nós", como disse também o saudoso Prof.Agostinho da Silva, é um passo de gigante...

Aprendi com ele isso mesmo: que não é um passo de gigante.

Apenas precisamos de uma coisa muito subtil: o estarmos sintonizados com aquilo que nos é próprio.

Também sei que no meu caso, deu-se numa idade já experiente da vida. Até lá dei muitas cabeçadas...

Abraço

António Rosa disse...

Hanah

E eu gosto de saber que vem até quando pode.

Grato.

Abraço.

astrid-annabelle disse...

António, também gosto de ler seus testemunhos.
Aprende-se muito dessa forma.
Devo ainda lhe dar os parabéns por tudo o que vem criando...é um legado para a humanidade! Não estou exagerando...
Bjs.
Astrid

António Rosa disse...

Astrid

Como bem sabe, quando fazemos com gosto, os quatro elementos ajudam...

=)

Sou muito básico e o meu horizonte é o prazer que tenho naquilo que faço. Se serve aos outros, melhor ainda.

Beijo

Hanah disse...

Antonio,

Feliz Ano Novo Chinês !!!!!

Que Júpiter te traga sempre e sempre inspiração !!!


Até nos seus comentários aprendo, mas anda me fazendo rusginha...
sabe como é dificil uma lua em escorpião...(rs)se sair da toca, fico interessada em saber esses graus todos aqui e ali.
Vai chegar o tempo...

p.s: Não entendi a resposta do seu comentário. (Vem quando até quando pode).

Abraço

Hanah disse...

Antonio, não sei se entrou no site, mais a título de curiosidade, olha que interessante:

O calendário chinês é lunissolar. Cada ano possui doze lunações (ciclo de 12 animais) acarretando em um total de 354 dias. Para não se perder a sincronia com o ciclo solar (de 365,25 dias), são acrescentados a cada oito anos noventa dias ao calendário, ou, aproximadamente duas lunações. Desta forma não se perde a sincronia nem com o ciclo solar, nem com o lunar.

...

António Rosa disse...

Hanah

Muito obrigado pelas suas felicitações pelo meu Ano Novo Chinês.

Como disse no seu blogue, nasci em 1949, portanto, sou «Búfalo» na astrologia chinesa.

Quando ouvi na Tv que este ano era do signo Búfalo fiquei contente, porque como este ano também passei agora pelo retorno do meu Júpiter, acredito que será uma grande ajuda para mim.

Muito obrigado.

:))))))

António Rosa disse...

Hanah

O meu comentário foi simples, mas «comi» uma palavra, esta:

E eu gosto de saber que vem até aqui quando pode.

Só isto. Gosto das suas visitas.

Apreciei esta sua explicação do ano chinês. Mais uma coisa que aprendi.

Abraço

Maria Paula Ribeiro disse...

António,

Depois da tempestade "plutónica", vem SEMPRE a bonança! :-)

Amigo, PARABÉNS

E eu eternamente grata. :-)
Beijo

António Rosa disse...

Paula,

A propósito de «plutónico»...

LOL

Está tudo bem?

besitos

Maria Paula Ribeiro disse...

:-) Eu estou no meio (ou início) da tempestade, a registar mentalmente cada passo do Sr Plutão. Daqui por uns anos, farei questão de fazer uma palestra sobre esse trânsito!
:-)

Mas tenho fé, que mesmo com menos quilos, mais cabelos brancos e neurónios perdidos em franja, irei ver essa bonança! :-)

António Rosa disse...

MaryPaula,

,Mas tenho fé, que mesmo com menos quilos, mais cabelos brancos e neurónios perdidos em franja, irei ver essa bonança!

Não estás a ver o filme em condições porque ainda não chegaste a essa parte.

Verás a bonança, sim. Sem cabelos brancos porque certamente os pintarás. Quanto ao neurónios, isso é uma longa história. Garantidamente isso de «menos quilos»... não sei, não! Costuma ser ao contrário :)))))))

Maria Paula Ribeiro disse...

:)))))

"menos quilos" durante um trânsito de Plutão, mestre.

Plutão "carbura", "queima" (calorias), desgasta...:-)

Já na bonança,hummmmmmmmm.... espero que tenham encontrado um produto natural, não poluente, que impeçam o depósito dessas células amarelas.:-) LOL LOL

Samsara disse...

António gostei muito do teu statement, é um prazer ver-te criar. Tenho sido uma das grandes beneficiárias de toda esse imenso poder criativo e de dádiva que tens.

Beijinhos

António Rosa disse...

Sim, Paula, podes crer que Plutão também faz engordar, tal como Júpiter ou Vénus.

António Rosa disse...

Patrícia,

Como muito bem sabes, tu e a Adelaide estão entre as primeiríssimas a fazerem-me companhia. Têm sido uma companhia fantástica e umas excelentes experimentadoras das coisas que tenho feito. Sem a vossa companhia de primeira hora, eu não teria feito as cosias da mesma maneira.

Mil besitos

joana disse...

António,

Sinto-me uma privilegiada por ter acompanhado quase todo esse percurso. Às vezes mais longe, às vezes mais perto mas sempre por 'aqui'.

Um beijo

E viva o ano do Búfalo ! ; )))

António Rosa disse...

Olá Joana,

Os espiritualistas gostam de dizer que a «sorte» não existe. Mas eu sei que sim. Oops! Estava a lembrar-me de um Júpiter na 12.:) O melhor é calar-me com isto da sorte...

Sou um privilegiado sortudo por a ter por perto para me ajudar a ver coisas que não conseguiria ver no meu quotidiano.

A sua companhia elegante e sincera enquanto dialogávamos sobre o site da Escola é bem um exemplo disso.

Um exemplo perfeito daquilo que é feito em bastidores, no silêncio da reflexão.

Quem sabe da sua arte e ajuda os ajudas os outros como o fez comigo, merece uma beijoka grande, muito ternurenta.

Muito obrigado.

Anónimo disse...

António
um conselho de quem lê a "Cova de Urso" diariamente, já viu o site da Astroletiva. De certeza que muitas dúvidas desaparecem.

António Rosa disse...

Olá Anónimo(a)

Creio que as pessoas sabem que a «Astroletiva» é uma enorme e prestigiada escola de astrologia por internet.

http://www.constelar.com.br/letiva/cursosdomes.php

Uma verdadeira inspiração.

Grato.

HighLander77 disse...

Muitos parabens Antonio.
Este transito nao sera o culminar de eventos que tem organizado e pessoas que tem ensinado sabiamente (nas quais me incluo) mas sera sim uma vincada tomada de consciencia da sociedade do trabalho que tem feito ao servico de hierarquias mais evoluidas.

:)

António Rosa disse...

Olá Paulo,
Bem explicado e melhor relembrado.
Abraço.

Fada Moranga disse...

Statementou bem!

O poder da Rosa estah cada vez mais curador! Viva o Plutao!

Bem haja!
Beijos***deFada

António Rosa disse...

Olá fada

Temos sempre que seguir em frente e, de preferência, para cima.

Beijo

Vera Correia disse...

" Coloquei-me como observador. Nem sequer como «observador do 4º Raio», mas tão só como um mero observador humano de mim mesmo."

esta frase está linda e pessoalmente fez-me imenso sentido ...
acredito mesmo que é um dos grandes objectivos da minha vida. Conseguir sentir um espaço entre mim e a vida e poder assim observar a magia de que tudo e todos que atraímos contribuem de uma maneira maravilhosa para a nossa evolução ...

grande grande abraço !!!

António Rosa disse...

Vera, sem os outros (incluindo tu, of course!) o meu «eu» não seria como é. Nem imaginas como me sinto grato por tudo isto.

Maria Paula Ribeiro disse...

António,

Reler este teu post, com algum distanciamento da 1ª vez que o li, é diferente.

Plutão-Saturno: Transformar mas ORDENADO.

Hoje fiquei com outra visão. :-)

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates