Roteiro de Sonho - Antártida, o continente gelado

13 de julho de 2010 ·

O gelo da Antártida é um enigma que acontece no hemisfério sul. Há muitas coisas que precisamos saber sobre esse sorvete gigante, que é um dos meus roteiros de sonho.


O seu nome

Antártica significa "o oposto" do Ártico, e como tantas outras coisas, é um nome que herdámos dos gregos. Eles tentaram definir o desconhecido em termos do que eles sabiam, mas quando a Antártida é semelhante à do Ártico, porque são dois pólos da Terra, há muitas diferenças entre eles. Uma das principais diferenças é que a Antártida é um continente, enquanto o Ártico não. A distinção entre uma camada de gelo puro e uma camada de gelo que cobre a base de pedras, uma série de lagos e rios subglacial, terra, enfim, enterrados sob o gelo.

Esta camada de gelo é conhecida como mantos de gelo. Existem duas grandes placas de gelo do mundo, a Antártida e a Groenlândia, mas a primeira é o maior. O gelo tem uma forma de cúpula, com um grande raio de curvatura, e espalhar uniformemente, independentemente do relevo do terreno está abaixo. O peso do gelo causou o colapso da placa continental para o forro, de modo que, por exemplo, o continente da Antártida está abaixo do nível do mar.

A cúpula de gelo da Antártida é de cerca de 4500 km de diâmetro e quase perfeitamente circular. Duas grandes entradas em forma de S formam uma península no extremo sul da Argentina e do Chile. Sua altitude média é de 2.000 metros. A partir dessa massa de gelo que se deslocam os glaciares estão a nascer para o mar. Uma vez lá, e não fluem facilmente, formando uma barreira de gelo faz com que seja difícil entrar na costa.



O Continente Pulsante

É difícil dizer qual é a superfície do continente. Na verdade, como muitas coisas na Antártida, este número é desdobrado. No Verão, tem cerca de 14 milhões de quilómetros quadrados. Mas no Inverno, quando o mar que rodeia o continente, congela, pode ter 20 ou 30 milhões. Continente 'Pulsante', dizem. É um nome bem colocado. Como o coração congelado do planeta, a Antártida, com seus altos e baixos, a neve e o derretimento do gelo, os seus ventos vorazes que comem o ozono na primavera e permitiu a crescer no Inverno, determina o clima do mundo.



Os "mais" da Antártida

A Antártida é o continente mais seco do planeta. Apesar da grande quantidade de neve e gelo que está ao redor do Pólo Sul é um ambiente de deserto, uma vez que a precipitação média não chega a quatro milímetros por mês, semelhante ao que acontece no deserto do Sahara. Na verdade, é um enorme deserto congelado.

A Antártida é o continente mais frio do planeta. Ela gravou a menor temperatura do mundo, com -89,3° C. Foi na base russa de Vostok, em 24 de Agosto de 1960. A temperatura média na Antártica é de -60º C. As costas, pela influência do mar, são mais temperado, com médias de cerca de -15º C. De facto, pode-se dizer que, não existe Verão por lá. A diferença das estações do ano é marcada sobretudo pela quantidade de dia ou de noite.

A Antártida é o continente mais ventoso. Devido à influência de ventos de gravidade são do Pólo para o litoral, e atingem velocidades superiores a 300 km/h. Eles são terríveis ventos katabatic chicote das regiões exteriores. As tempestades são surdas, sem trovões ou relâmpagos. O seu nome é Blizzard e jargões da Antártida são chamados de "Blizzard". Em contrapartida, como se entra na área os ventos estão mais calmos. E se você parar no Pólo Sul, a velocidade do vento é tão baixa que é provavelmente o mais calmo lugar na terra.

A Antártida é o continente mais alto. Devido ao gelo impressionante que o cobre, a sua altitude média de 2000 metros acima do nível do mar. O ponto mais alto é o Monte Vinson, em 4.987 m. O Pólo Sul está localizado a uma altitude permanente polar, que é provavelmente o mais claro no mundo. A radiação faz com que a massa de ar frio que envolve o pólo pode-se tornar demasiado grossa e fina, de modo que a troposfera é apenas 7-8 km de espessura, a metade de outras latitudes mais baixas.

A Antártida é o continente mais remoto. O ponto mais próximo da ponta sul da América do Sul, a ilha de Tierra del Fuego (Ushuaia), fica a 1000 km, e temos que cruzar o Estreito de Drake. Distâncias maiores separá-lo de África (Cape Town - 3600 km) e Oceânia (Nova Zelândia - 2200 km). Só me falta ir a este último ponto para ter feito o grande triângulo antártico. Essas distâncias enormes, marcadas por mares tempestuosos no planeta, causando um isolamento total, de modo que a Antártida não partilha ou da flora ou da fauna de qualquer continente.



Antártida Turística

Nos últimos anos tem crescido cada vez mais a atracção de turistas para este território remoto congelado. A visita é feita em navios de cruzeiro e os navios partem de Ushuaia, (Tierra del Fuego, Argentina) o porto mais próximo. As rotas são muitas e as opções variam de cruzeiros simples a expedições em luxuosos navios. O prazo estabelecido para as viagens variam de 7-8 dias a 15 dias.

A temporada vai de finais de Novembro e início de Março, e é difícil dizer qual é o tempo ideal para fazer este roteiro de sonho. Em Novembro ainda há muita neve e gelo. É o mês para a chegada das aves a partir do norte. Em Dezembro e Janeiro pode aproveitar e é muito grande no nascimento de filhotes da faina local. Fevereiro e início de Março é a vez das baleias chegarem. Filhotes começam a jogar e é o pico do retiro de gelo, o que lhe permite navegar mais facilmente.


Uma viagem típica de 10 dias à Antártida

Este é um cruzeiro com uma duração aproximada de 11 dias e 10 noites, onde você pode descobrir toda a vida que detém o continente gelado. As ilhas que a cercam, os icebergs gigantes e passagens pelo mar, onde bravos pilotos enfrentam desafios e demandas imensas para os barcos que se atreverem a navegar pelas rotas inóspitas. Apesar do turismo na Antártida ser ainda muito caro, nos últimos 35 anos, várias operadoras se aventuram na região antártica a cada ano. Neste momento, 35 operadoras de 10 países diferentes actuam na Antártida com navios de turismo.

As visitas concentram-se nas zonas livres de gelo entre Novembro e Março. Os visitantes fazem curtas incursões nas regiões costeiras, visitam estações científicas, monumentos históricos e colónias de animais. Entre as actividades estão incluídas também alpinismo, acampamento e mergulho. Estas actividades são todas supervisionadas pela tripulação do navio, que inclui ornitologistas, biólogos marinhos, geólogos, glaciologistas, historiadores e naturalistas. Todos os cuidados com o ambiente são devidamente tomados. 150 sítios, incluindo 20 estações científicas estão nos roteiros das visitas. Alguns sítios recebem até 7000 visitantes anualmente.Os navios de turismo também transportam pesquisadores que desenvolvem trabalhos científicos.



Dia 1

Na parte da tarde, você vai embarcar na cidade de Ushuaia, e conhecer a equipe e o grupo de palestrantes que irão acompanhá-lo durante a viagem à Antártida. Já instalado na sua cabine, você poderá desfrutar de navegar pelo Canal de Beagle e avistará o Mackinlay Pass.


Dias 2 e 3

A navegação pela Passagem de Drake chama a atenção para estes dias. Esta famosa passagem nomeada assim, após Sir Francis Drake que primeiro a navegou em 1578, faz parte da Convergência Antártica, uma barreira biológica onde as águas frias do mergulho polar sob a mais quente do que vem do norte, resultando em ambiente ecológico para o desenvolvimento de uma flora e fauna abundantes. Este sítio também marca o limite norte onde chegam as aves da Antártida. A equipe vai acompanhar os passageiros no convés, para ajudar na identificação da grande variedade de pássaros e vida marinha que é observada. Além disso, sendo aberta a ponte de um navio pode compartilhada com o grupo na área da ponte, e aprender noções básicas de navegação. O terceiro dia, assistindo ao primeiro e blocos de gelo indicam que as montanhas se aproximando do sul das ilhas Shetland.


Dias 4 a 8

Durante estes dias vai visitar Ilhas Shetland do Sul, habitada por uma fauna abundante. As colónias de pinguins, focas e elefantes marinhos do sul são abundantes. Entre todas estas ilhas uma dos mais estranhas é a Deception Island, formada pelo topo de uma cratera vulcânica. É circular e tem várias áreas termais, onde, se o tempo permitir uma aterragem, os passageiros podem mergulhar. Após as Ilhas Shetland, é a primeira abordagem para a Península Antártida e, se possível, um desembarque na Baía Paraíso ou Portal Punta ou qualquer uma das ilhas ao redor da península. Note-se que todos os planos estão sujeitos às condições meteorológicas e de gelo.

A viagem é constantemente acompanhada pelo relatório que fala sobre a história da Península Antártica, os primeiros exploradores e seus heróis. Você pode ver os pinguins em Adelia, focas, caranguejos, assim como baleias. Vai navegar em torno dos canais bela Antártida, como Gerlache, Neumayer e Lemaire. Estão previstas pelo menos duas aterragens por dia em terra.


Dias 9 e 10

Começa o regresso rumo a norte para atravessar a Passagem de Drake. Este será um momento de relaxamento e reflexão sobre a experiência vivida, e realização da última fala antes de retornar a Ushuaia.


Dia 11

Chegada de manhã cedo ao porto de Ushuaia.


Fonte: aqui


20 comentários:

Joana disse...
13 de julho de 2010 às 10:42  

Olha, acho que são umas excelentes férias.

Beijinhos

António Rosa disse...
13 de julho de 2010 às 11:56  

Joana

Também tenho essa ideia. Se eu tivesse €€€€ em quantidade suficiente, iria atrás deste meu sonho. Um dia, fá-lo-ei.

Beijos.

Adelaide Figueiredo disse...
13 de julho de 2010 às 12:38  

Ant+onio,

Belo post! Esta descrição maravilhosa que faz crescer "água na boca".
Também gostaria de conhecer estas paragens. Quem sabe um dia?...

Abraço

Adelaide Figueiredo disse...
13 de julho de 2010 às 12:41  

Peço desculpa pelo seu nome ter saido errado mas não sei como tal aconteceu :)

António Rosa disse...
13 de julho de 2010 às 12:43  

Olá Adelaide,

Quem sabe, um dia, com a quantidade de euros necessários (é um cruzeiro muito caro, ainda), iremos todos fazer esta viagem de sonho.

Isso do acento ocorre-me muito, nos comentários.

Abraço.

Bya disse...
13 de julho de 2010 às 13:46  

Lindo lugar inspirando a essência. A viagem começa nos sonhos....estás inciando sua viagem...

Um abraço.

António Rosa disse...
13 de julho de 2010 às 13:47  

Olá Bya

Este é um sonho bem antigo. Já lá estive muito perto e quero voltar a essa minha essência.

Beijos.

Astrid Annabelle disse...
13 de julho de 2010 às 13:59  

António, bom dia!
É lindo demais e frio demais....rsss
A Bya tem razão...sua viagem já começou. Tudo aquilo que podemos sonhar, podemos realizar!!!
Deve ser uma experiência única!
Lindíssimo post...você convence bem. Qualquer pessoa que ler este post vai ficar com vontade de viajar com você!
Um beijo grande
Astrid Annabelle

Paulo Braccini disse...
13 de julho de 2010 às 14:19  

Meu Deus ... vc conseguiu aguçar ainda mais um grande sonho ... quem me dera ... mas um dia realizarei ...

bjux

;-)

António Rosa disse...
13 de julho de 2010 às 16:49  

Olá Paulo,~~

Estou como você: um dia realizarei este sonho.

Abraço.

António Rosa disse...
13 de julho de 2010 às 17:41  

Astrid,

Estou atrasado na sua resposta. :)))

Muito obrigado. Eu sinto-me cómodo com o frio. Difícil, para mim, é ter passado os últimos dias com 39 e 40 graus. Foi terrível.

Beijos.

marcelo dalla disse...
13 de julho de 2010 às 18:34  

Lindo post! Uma aventura pra Sagitário enhum botar defeito!!!! :)))
Abraço querido

Astrid Annabelle disse...
13 de julho de 2010 às 20:53  

António!
Gosto mais do frio que do calor...eu sei como se sentiu com este calorão.
Aqui em Ubatuba no alto verão este ano amargamos 44 a 45 graus centígrados...eu quase derreti...inclusive passei mal...nem ficando sem roupa refrescava!!!
Então é realmente melhor o frio!!!!
Mais um beijo.
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
14 de julho de 2010 às 07:28  

Marcelo

Sem dúvida que os sagitarianos gostam desta ideia, mas muitos acharão que faz muito frio. Abraço.

António Rosa disse...
14 de julho de 2010 às 07:28  

Astrid

44 e 45º ???

Como se consegue respirar?

Beijos

Astrid Annabelle disse...
14 de julho de 2010 às 14:21  

Bom dia António!
Não se consegue...
Qualquer mínimo movimento de deixa exausto..
É por isso que os largatos do deserto lagarteiam!!!!!
beijos
Astrid Annabelle

Henrique Wajnberg disse...
27 de outubro de 2010 às 18:35  

Antonio estou me preparando para ficar um ano como médico da estação brasileira (EACF), viajo em março.

António Rosa disse...
27 de outubro de 2010 às 20:47  

Henrique,

Desejo-lhe tudo de bom. Adoraria poder visitá-lo. Tire muitas fotos e faça um blogue para eu acompanhar esse continente gelado que amo.

Abraço.

António

Hans disse...
25 de janeiro de 2011 às 04:47  

Antonio, eu vou na semana que vem. Vou tirar umas fotos e depois te mando para colocar no blog.

Abraço,
Hans.

Maria Gloria D'Amico disse...
19 de janeiro de 2016 às 20:17  

Este post é de fato um aprendizado, como é e foi sempre o que escreves. Espetacular e você bem sabe o quanto eu gosto de temperaturas frias. Sonho em fazer uma viagem como esta. Um abraço aonde estiveres, obrigado!

13 de julho de 2010

Roteiro de Sonho - Antártida, o continente gelado

O gelo da Antártida é um enigma que acontece no hemisfério sul. Há muitas coisas que precisamos saber sobre esse sorvete gigante, que é um dos meus roteiros de sonho.


O seu nome

Antártica significa "o oposto" do Ártico, e como tantas outras coisas, é um nome que herdámos dos gregos. Eles tentaram definir o desconhecido em termos do que eles sabiam, mas quando a Antártida é semelhante à do Ártico, porque são dois pólos da Terra, há muitas diferenças entre eles. Uma das principais diferenças é que a Antártida é um continente, enquanto o Ártico não. A distinção entre uma camada de gelo puro e uma camada de gelo que cobre a base de pedras, uma série de lagos e rios subglacial, terra, enfim, enterrados sob o gelo.

Esta camada de gelo é conhecida como mantos de gelo. Existem duas grandes placas de gelo do mundo, a Antártida e a Groenlândia, mas a primeira é o maior. O gelo tem uma forma de cúpula, com um grande raio de curvatura, e espalhar uniformemente, independentemente do relevo do terreno está abaixo. O peso do gelo causou o colapso da placa continental para o forro, de modo que, por exemplo, o continente da Antártida está abaixo do nível do mar.

A cúpula de gelo da Antártida é de cerca de 4500 km de diâmetro e quase perfeitamente circular. Duas grandes entradas em forma de S formam uma península no extremo sul da Argentina e do Chile. Sua altitude média é de 2.000 metros. A partir dessa massa de gelo que se deslocam os glaciares estão a nascer para o mar. Uma vez lá, e não fluem facilmente, formando uma barreira de gelo faz com que seja difícil entrar na costa.



O Continente Pulsante

É difícil dizer qual é a superfície do continente. Na verdade, como muitas coisas na Antártida, este número é desdobrado. No Verão, tem cerca de 14 milhões de quilómetros quadrados. Mas no Inverno, quando o mar que rodeia o continente, congela, pode ter 20 ou 30 milhões. Continente 'Pulsante', dizem. É um nome bem colocado. Como o coração congelado do planeta, a Antártida, com seus altos e baixos, a neve e o derretimento do gelo, os seus ventos vorazes que comem o ozono na primavera e permitiu a crescer no Inverno, determina o clima do mundo.



Os "mais" da Antártida

A Antártida é o continente mais seco do planeta. Apesar da grande quantidade de neve e gelo que está ao redor do Pólo Sul é um ambiente de deserto, uma vez que a precipitação média não chega a quatro milímetros por mês, semelhante ao que acontece no deserto do Sahara. Na verdade, é um enorme deserto congelado.

A Antártida é o continente mais frio do planeta. Ela gravou a menor temperatura do mundo, com -89,3° C. Foi na base russa de Vostok, em 24 de Agosto de 1960. A temperatura média na Antártica é de -60º C. As costas, pela influência do mar, são mais temperado, com médias de cerca de -15º C. De facto, pode-se dizer que, não existe Verão por lá. A diferença das estações do ano é marcada sobretudo pela quantidade de dia ou de noite.

A Antártida é o continente mais ventoso. Devido à influência de ventos de gravidade são do Pólo para o litoral, e atingem velocidades superiores a 300 km/h. Eles são terríveis ventos katabatic chicote das regiões exteriores. As tempestades são surdas, sem trovões ou relâmpagos. O seu nome é Blizzard e jargões da Antártida são chamados de "Blizzard". Em contrapartida, como se entra na área os ventos estão mais calmos. E se você parar no Pólo Sul, a velocidade do vento é tão baixa que é provavelmente o mais calmo lugar na terra.

A Antártida é o continente mais alto. Devido ao gelo impressionante que o cobre, a sua altitude média de 2000 metros acima do nível do mar. O ponto mais alto é o Monte Vinson, em 4.987 m. O Pólo Sul está localizado a uma altitude permanente polar, que é provavelmente o mais claro no mundo. A radiação faz com que a massa de ar frio que envolve o pólo pode-se tornar demasiado grossa e fina, de modo que a troposfera é apenas 7-8 km de espessura, a metade de outras latitudes mais baixas.

A Antártida é o continente mais remoto. O ponto mais próximo da ponta sul da América do Sul, a ilha de Tierra del Fuego (Ushuaia), fica a 1000 km, e temos que cruzar o Estreito de Drake. Distâncias maiores separá-lo de África (Cape Town - 3600 km) e Oceânia (Nova Zelândia - 2200 km). Só me falta ir a este último ponto para ter feito o grande triângulo antártico. Essas distâncias enormes, marcadas por mares tempestuosos no planeta, causando um isolamento total, de modo que a Antártida não partilha ou da flora ou da fauna de qualquer continente.



Antártida Turística

Nos últimos anos tem crescido cada vez mais a atracção de turistas para este território remoto congelado. A visita é feita em navios de cruzeiro e os navios partem de Ushuaia, (Tierra del Fuego, Argentina) o porto mais próximo. As rotas são muitas e as opções variam de cruzeiros simples a expedições em luxuosos navios. O prazo estabelecido para as viagens variam de 7-8 dias a 15 dias.

A temporada vai de finais de Novembro e início de Março, e é difícil dizer qual é o tempo ideal para fazer este roteiro de sonho. Em Novembro ainda há muita neve e gelo. É o mês para a chegada das aves a partir do norte. Em Dezembro e Janeiro pode aproveitar e é muito grande no nascimento de filhotes da faina local. Fevereiro e início de Março é a vez das baleias chegarem. Filhotes começam a jogar e é o pico do retiro de gelo, o que lhe permite navegar mais facilmente.


Uma viagem típica de 10 dias à Antártida

Este é um cruzeiro com uma duração aproximada de 11 dias e 10 noites, onde você pode descobrir toda a vida que detém o continente gelado. As ilhas que a cercam, os icebergs gigantes e passagens pelo mar, onde bravos pilotos enfrentam desafios e demandas imensas para os barcos que se atreverem a navegar pelas rotas inóspitas. Apesar do turismo na Antártida ser ainda muito caro, nos últimos 35 anos, várias operadoras se aventuram na região antártica a cada ano. Neste momento, 35 operadoras de 10 países diferentes actuam na Antártida com navios de turismo.

As visitas concentram-se nas zonas livres de gelo entre Novembro e Março. Os visitantes fazem curtas incursões nas regiões costeiras, visitam estações científicas, monumentos históricos e colónias de animais. Entre as actividades estão incluídas também alpinismo, acampamento e mergulho. Estas actividades são todas supervisionadas pela tripulação do navio, que inclui ornitologistas, biólogos marinhos, geólogos, glaciologistas, historiadores e naturalistas. Todos os cuidados com o ambiente são devidamente tomados. 150 sítios, incluindo 20 estações científicas estão nos roteiros das visitas. Alguns sítios recebem até 7000 visitantes anualmente.Os navios de turismo também transportam pesquisadores que desenvolvem trabalhos científicos.



Dia 1

Na parte da tarde, você vai embarcar na cidade de Ushuaia, e conhecer a equipe e o grupo de palestrantes que irão acompanhá-lo durante a viagem à Antártida. Já instalado na sua cabine, você poderá desfrutar de navegar pelo Canal de Beagle e avistará o Mackinlay Pass.


Dias 2 e 3

A navegação pela Passagem de Drake chama a atenção para estes dias. Esta famosa passagem nomeada assim, após Sir Francis Drake que primeiro a navegou em 1578, faz parte da Convergência Antártica, uma barreira biológica onde as águas frias do mergulho polar sob a mais quente do que vem do norte, resultando em ambiente ecológico para o desenvolvimento de uma flora e fauna abundantes. Este sítio também marca o limite norte onde chegam as aves da Antártida. A equipe vai acompanhar os passageiros no convés, para ajudar na identificação da grande variedade de pássaros e vida marinha que é observada. Além disso, sendo aberta a ponte de um navio pode compartilhada com o grupo na área da ponte, e aprender noções básicas de navegação. O terceiro dia, assistindo ao primeiro e blocos de gelo indicam que as montanhas se aproximando do sul das ilhas Shetland.


Dias 4 a 8

Durante estes dias vai visitar Ilhas Shetland do Sul, habitada por uma fauna abundante. As colónias de pinguins, focas e elefantes marinhos do sul são abundantes. Entre todas estas ilhas uma dos mais estranhas é a Deception Island, formada pelo topo de uma cratera vulcânica. É circular e tem várias áreas termais, onde, se o tempo permitir uma aterragem, os passageiros podem mergulhar. Após as Ilhas Shetland, é a primeira abordagem para a Península Antártida e, se possível, um desembarque na Baía Paraíso ou Portal Punta ou qualquer uma das ilhas ao redor da península. Note-se que todos os planos estão sujeitos às condições meteorológicas e de gelo.

A viagem é constantemente acompanhada pelo relatório que fala sobre a história da Península Antártica, os primeiros exploradores e seus heróis. Você pode ver os pinguins em Adelia, focas, caranguejos, assim como baleias. Vai navegar em torno dos canais bela Antártida, como Gerlache, Neumayer e Lemaire. Estão previstas pelo menos duas aterragens por dia em terra.


Dias 9 e 10

Começa o regresso rumo a norte para atravessar a Passagem de Drake. Este será um momento de relaxamento e reflexão sobre a experiência vivida, e realização da última fala antes de retornar a Ushuaia.


Dia 11

Chegada de manhã cedo ao porto de Ushuaia.


Fonte: aqui


20 comentários:

Joana disse...

Olha, acho que são umas excelentes férias.

Beijinhos

António Rosa disse...

Joana

Também tenho essa ideia. Se eu tivesse €€€€ em quantidade suficiente, iria atrás deste meu sonho. Um dia, fá-lo-ei.

Beijos.

Adelaide Figueiredo disse...

Ant+onio,

Belo post! Esta descrição maravilhosa que faz crescer "água na boca".
Também gostaria de conhecer estas paragens. Quem sabe um dia?...

Abraço

Adelaide Figueiredo disse...

Peço desculpa pelo seu nome ter saido errado mas não sei como tal aconteceu :)

António Rosa disse...

Olá Adelaide,

Quem sabe, um dia, com a quantidade de euros necessários (é um cruzeiro muito caro, ainda), iremos todos fazer esta viagem de sonho.

Isso do acento ocorre-me muito, nos comentários.

Abraço.

Bya disse...

Lindo lugar inspirando a essência. A viagem começa nos sonhos....estás inciando sua viagem...

Um abraço.

António Rosa disse...

Olá Bya

Este é um sonho bem antigo. Já lá estive muito perto e quero voltar a essa minha essência.

Beijos.

Astrid Annabelle disse...

António, bom dia!
É lindo demais e frio demais....rsss
A Bya tem razão...sua viagem já começou. Tudo aquilo que podemos sonhar, podemos realizar!!!
Deve ser uma experiência única!
Lindíssimo post...você convence bem. Qualquer pessoa que ler este post vai ficar com vontade de viajar com você!
Um beijo grande
Astrid Annabelle

Paulo Braccini disse...

Meu Deus ... vc conseguiu aguçar ainda mais um grande sonho ... quem me dera ... mas um dia realizarei ...

bjux

;-)

António Rosa disse...

Olá Paulo,~~

Estou como você: um dia realizarei este sonho.

Abraço.

António Rosa disse...

Astrid,

Estou atrasado na sua resposta. :)))

Muito obrigado. Eu sinto-me cómodo com o frio. Difícil, para mim, é ter passado os últimos dias com 39 e 40 graus. Foi terrível.

Beijos.

marcelo dalla disse...

Lindo post! Uma aventura pra Sagitário enhum botar defeito!!!! :)))
Abraço querido

Astrid Annabelle disse...

António!
Gosto mais do frio que do calor...eu sei como se sentiu com este calorão.
Aqui em Ubatuba no alto verão este ano amargamos 44 a 45 graus centígrados...eu quase derreti...inclusive passei mal...nem ficando sem roupa refrescava!!!
Então é realmente melhor o frio!!!!
Mais um beijo.
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Marcelo

Sem dúvida que os sagitarianos gostam desta ideia, mas muitos acharão que faz muito frio. Abraço.

António Rosa disse...

Astrid

44 e 45º ???

Como se consegue respirar?

Beijos

Astrid Annabelle disse...

Bom dia António!
Não se consegue...
Qualquer mínimo movimento de deixa exausto..
É por isso que os largatos do deserto lagarteiam!!!!!
beijos
Astrid Annabelle

Henrique Wajnberg disse...

Antonio estou me preparando para ficar um ano como médico da estação brasileira (EACF), viajo em março.

António Rosa disse...

Henrique,

Desejo-lhe tudo de bom. Adoraria poder visitá-lo. Tire muitas fotos e faça um blogue para eu acompanhar esse continente gelado que amo.

Abraço.

António

Hans disse...

Antonio, eu vou na semana que vem. Vou tirar umas fotos e depois te mando para colocar no blog.

Abraço,
Hans.

Maria Gloria D'Amico disse...

Este post é de fato um aprendizado, como é e foi sempre o que escreves. Espetacular e você bem sabe o quanto eu gosto de temperaturas frias. Sonho em fazer uma viagem como esta. Um abraço aonde estiveres, obrigado!

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates