Dicionário Místico - Miguel, na tradição e religiões

15 de setembro de 2009 ·

Miguel começou a ser adorado como um deus dos caldeus. Por esse motivo, antes do seu envolvimento com o cristianismo, o islamismo ou o judaísmo, ele foi pagão. As religiões estruturadas dos nossos dias pediram-no emprestado, como a muitos outros anjos, e fizeram com que ele se adaptasse às estruturas das suas crenças. Ele é o líder na ordem dos Virtudes; líder dos Arcanjos; anjo do arrependimento, da rectidão e da misericórdia, e governante do Quarto Céu. O seu nome mistério é Sabbathiel. No Islão dá pelo nome de Mika'il.

A popularidade de Miguel nas religiões patriarcais é facilmente entendida, pois um dos seus arquétipos, representa-o como o anjo vingador que deu umas surras a alguns dos 'maus' nas lendas e mitos, querendo isto dizer que ele agrada àqueles que gostam de partir e quebrar. Nos tempos medievais puseram-lhe uma armadura. Hoje podemos encontrá-lo enfeitado no seu melhor equipamento militar que o nosso mundo desenhou. Herói não disputado, Miguel é fruto do pensamento positivo masculino combinado com a verdadeira necessidade de justiça, força, protecção e equilíbrio no nosso mundo. Nas lendas, ele é o único anjo que defende as hostes divinas de tudo e contra tudo. A sua lealdade é inquestionável.

A história de Miguel inclui-se bastante mais do que o mito cristão. Por exemplo, ele assumiu a tarefa de «pesar as almas» outrora cumprida por Anubis no panteão egípcio. Na mitologia persa, Miguel tinha o nome de Beshter, que quer dizer aquele que providencia o sustento para a humanidade. Na anterior versão acadiana, o povo chamava-o de Kasista, que quer dizer príncipe ou líder.

A Igreja Católica permitiu que Miguel assumisse muitos dos Potestades, antigos arquétipo pagãos num esforço para afastar as pessoas das suas religiões originais. No mito, foi o anjo Miguel que apareceu a Maria (mãe de Jesus) para lhe dizer que a sua altura de deixar aquele plano tinha chegado. Miguel manifesta-se como um ser angélico que não está para além da misericórdia, da paciência e da compaixão.

Na tradição islâmica, ele é o anjo da comida e do conhecimento; no Egipto, é o protector do Nilo. O seu festival e festa ocorrem cada ano na nascente do Nilo. As asas de Miguel desdobram-se num verde esmeralda flamejante, por vezes mostrando penas de galo (será um vestígio da Deusa Maat egípcia?). Por vezes, Miguel carrega uma espada reluzente. Contudo, na era moderna, a sua arma da verdade está na palavra escrita e não, ainda bem, nas bombas dos militares. Em algumas tradições ele tem um ceptro em lugar da espada.

Miguel é o líder guardião dos polícias, dos seguranças, dos caçadores e do pessoal de serviço armado. Mantém-se firme como guardião da Deusa nos panos astrais, onde protege a energia Dela das investidas do patriarcado. Miguel tem um talento especial para limpar tudo, desde pessoas a lugares.

Também representa a conglomeração dos espíritos antigos que vigiavam os ribeiros, riachos, fontes lagos sagrados, antes da era cristã e é também o guardião dos templos erguidos em honra das energias curativas da divindade. O seu nome em hebraico significa "Aquele que é como Deus".

Proeminente no judaísmo, islamismo e cristianismo, Miguel é considerado um líder guerreiro da horde celestial na batalha contra as forças do mal. Os ensinamentos judaicos retratam-no como protector de Israel e guardião das chaves do paraíso. No Islão dizia-se que controlava as forças da natureza e fornecia alimentos e sabedoria à humanidade. Diz-se também que é auxiliado neste ministério por mil Querubins.

Nos ensinamentos gnósticos, Miguel era simbolizado por um leão. A simbologia cristã retrata-o frequentemente com uma espada ou com uma balança, na qual pesa as almas dos mortos. Esta última imagem é semelhante às pinturas do antigo deus do Egipto, Anubis, que pesava os corações dos mortos na balança do Julgamento. Miguel é um juíz, um sacerdote e um "guardião militante dos fiéis".

Pelo mundo inteiro, o que não faltam são devotos do Arcanjo Miguel. Na vertente lusitana, Viriato pertence à linha energética de Miguel. Modernamente está associado ao nosso Universo Local, conhecido por Nebadon. O chefe supremo deste universo chama-se Micah, obviamente, uma derivação de Mika'il, ou seja, Miguel.

Quando muitos de nós, falamos em Sol Central [na linguagem mais neo-espiritual], ou quando dizemos Deus [na linguagem mais tradicional], estamos a falar da energia do AMOR, que é representada pelo arquétipo de Miguel, pois é nesta energia divina que o ser humano se funde.

Tentando dar uma visão ecuménica e eclética,
abolindo os pré-conceitos que as nossas psiques absorveram.

A.R., 2004, com adaptações recentes.

34 comentários:

Rosan disse...
16 de setembro de 2009 às 00:59  

São Miguel, nosso anjo protetor.
Por todos os lados a nos protejer.

Um luz de brilho maior, que nos purifica, nos envolve, nos cerca.
Que Ele envolva todo nosso planeta com sua luz, e purifique todos os miasmas que nos cercam.

Abraço.

Maria Paula Ribeiro disse...
16 de setembro de 2009 às 01:00  

Olá António,

Excelente! A seguir Gabriel, considero Miguel um dos meus "ídolos", se assim se pode dizer. Não sabia que tinha tido a incumbência de Anúbis, o meu admirador egípcio!
O que se aprende por aqui.... :-)))))

Bem-haja!

angela disse...
16 de setembro de 2009 às 03:06  

Antonio
SÓ posso elogiar um texto tão bem escrito e com tantas informações.
A igreja católica sempre faz isso de plantar suas datas e seus mitos em cima das datas e mitos de outros cultos, mas não sabia que Miguel era um anjo de tantas religiões e devem haver outros que também estão presentes em varias religiões.
beijos

Fabiano Mayrink disse...
16 de setembro de 2009 às 03:49  

Sempre bom aprender coisas novas, porem eu particularemente nao gosto de santos, um abraço Antonio!

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 08:35  

Rosan

Miguel é um Ser de uma dimensão que nem imaginamos. Acolhe-nos sempre, com amor.

Abraço

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 08:36  

Maria Paula

Devo ter qualquer coisa sobre Gabriel. Tenho que procurar.

Beijos.

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 08:36  

Angela

A Humanidade está mais unida do que parece,

Beijo

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 08:36  

Fabiano

Não gosta ou não acredita? Não é uma questão de gostar, mas sim um processo de aceitação.

Abraço

Ana Cristina disse...
16 de setembro de 2009 às 09:50  

Gostei muito de ler este artigo António :-).

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 10:16  

Ana Cristina,

Muito obrigado.

Maria de Fátima disse...
16 de setembro de 2009 às 11:32  

Olá António, gostei de ler sobre o Anjo Miguel.Eu acredito que os anjos e santos protejem-nos.Beijocas.

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 11:40  

Maria de Fátima

Nossos inimigos é que não são. Beijos, fofa.

Fabiano Mayrink disse...
16 de setembro de 2009 às 11:42  

Tenho respeito pois acredito que foram pessoas muito sabias, importantes, ou muito bondosas etc, como por exemplo Maria, respeito a pessoa dela pois foi escolhida por Deus, mais nao gosto das imagens, nao sei explicar ao serto, mais prefiro uma planta rs

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 11:55  

Olá Fabiano

É compreensível. Até porque com a tua alma sensível, estás mais virado para a natureza. Isso é muito bom.

Abraço-te.

tereza disse...
16 de setembro de 2009 às 12:02  

Bom dia António!
Excelente.
Quantas informações que desconhecia!
Grata!

adriana disse...
16 de setembro de 2009 às 12:08  

António,
Que belo texto!
Desconhecia todas estas correlações com a energia de AA Miguel.
Vivendo e aprendendo.
Obrigada!

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 12:31  

Tereza

Andei anos a investigar estas coisas. Em 2000 parei e comecei a organizar os apontamentos. Em 2004 guardei e esqueci, com a sensação de inutilidade. Imagine por onde me está a ser útil - que as pessoas percebam que estamos sempre a usar a mesma energia. Desde tempos imemoriais.

:)))

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 12:36  

Adriana,

Conhece as orientações Melquizedeques? [Aportuguesei a grafia - :)))]

Nem sei como dizer isto ou se tem algum interesse, mas o meu Saturno em Virgem gosta imenso destas minúcias, pois 'julgo' percber melhor o puzle.

Miguel parece que vem de lá, da fonte Melquizedeque.

Lusibero disse...
16 de setembro de 2009 às 12:53  

Que texto lindo, rico e informativo, ANTÓNIO ROSA! Não sabia quase nada disto ... Obrigada, amigo, por contribuires para o meu enriquecimento pessoal!É tão bom termos sempre alguém com assuntos que nos enobrecem, quando nos predispomos a aprender!
BEIJITO AMIGO DE LUSIBERO

Sassá Luz disse...
16 de setembro de 2009 às 13:55  

São Miguel Arcanjo, nosso Anjo protetor. Luz das luzes! Muitas informações desconhecidas. Obrigada pela visita, adicionei seu blog.
Abraço.

meu-livro-das-sombras disse...
16 de setembro de 2009 às 14:37  

Lindo! Gosto demais dessa sessão do seu blog, que esclarece esses assuntos místicos com raciocínio claro e com bases históricas. Muito bom! Beijo e bênçãos.

Meri.

adriana disse...
16 de setembro de 2009 às 14:55  

António,
Melquisedeque é algo que permanece no éter, para mim.
Quem sabe seja caso de sentir.
Mas, tudo isso é muito próximo.
Obrigada!

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 15:19  

Maria,

Muito obrigado pelas suas palavras sempre gentis e sempre tão sentidas.

Abraço

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 15:20  

Sassá Luz

Muito obrigado por ter adicionado este blogue. O seu já cá está na minha «Comunidade».

Abraço.

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 15:20  

Meu-livro-das-sombras

Muito obrigado pela sua apreciação Agora mesmo irei ao seu blogue.

Beijo

António Rosa disse...
16 de setembro de 2009 às 15:43  

Adriana

Nem sequer é importante esmiuçar a questão Melquisedeque, só que, pessoalmente acho muita graça a esse efeito. Quando digo 'graça' não tem nada de irónico, ofensivo ou desrespeituoso.

Obrigado.

Castelo de Asgard disse...
17 de setembro de 2009 às 02:13  

Bem haja por mais um excelente texto. Mas... acha mesmo que a humanidade está mais unida do que parece? Quem me dera achar o mesmo... para onde quer que olho vejo gente a dar cabo da vida de outra gente. A humanidade parece unida pela ignorância e pela ganância. Claro que há muita gente boa, mas por cada um que tenta abrir os olhos aparecem 10 cegos armados com paus e pedras. Somos unidos pelos arquétipos, mas de que nos vale isso? Somos pequenos animais falantes, somos animais de luxo, cheios de acessórios e ferramentas mas... olhando bem, somos lemingues.

Luz & Paz

Ariadne

.Lis disse...
17 de setembro de 2009 às 02:23  

Antonio
Procurei por voce na BlogGincana e que pena nao ter inscrito. È interessante cumprir tarefas relacionadas ao blogueiros amigos.
Se entusiasme pro proximo mes, ok?
E quanto ao texto sobre o anjo Miguel, gosto de ler sobre anjos.Sou curiosa pra entende-los, mas é bastante dificil, pra quem nao estudou o assunto.
Abraços

marcelo dalla disse...
17 de setembro de 2009 às 07:03  

Olá amigo, tô de volta! Fiquei 5 dias longe da internet e senti saudades. Gostei muito do post, sou devoto de Miguel.

"Peço que o Arcanjo Miguel me marque com seu selo, que eu seja protegido para sempre das influências que me impedem de fazer a vontade do nosso Criador".

abraço!

António Rosa disse...
17 de setembro de 2009 às 08:56  

Ariadne

Obrigdo pela visita. Encontro gente solidária que ajuda. Médicos sem fronteiras. Ongs. Missões. Ajudas humanitárias. Por exemplo, neste momento estão em Angola, Guiné e Moçambique centenas de jovens portugueses que voluntariamente estão a prestar serviços sociais em aldeias desses paises, com enorme sucesso de integração. Pode crer que há milhares de sintomas positivos para que a humanidade se venha entender.

Luz e Paz

António Rosa disse...
17 de setembro de 2009 às 08:57  

.Lis

Não faço ideia o que seja o BlogGincana. Vou me informar sobre o assunto. Abraços

António Rosa disse...
17 de setembro de 2009 às 08:57  

Marcelo

Sentimos saudades suas. Vai saber isso ao ler as caixas de comentários do seu blogue.~Abraço.

Shin Tau disse...
17 de setembro de 2009 às 09:48  

António,

quanta informação preciosa! Miguel é de facto um ser muito admirado e não fazia ideia de toda essa correspondência, adorei saber a sua ligação a Anúbis ;)

O dia da sua celebração é 29 deste mês, um dia antes de S. Jerónimo.

Beijcoas e até já

António Rosa disse...
17 de setembro de 2009 às 11:22  

Shin Tau

Imagina que pensei em ti quando recuperava este texto do baú e dei por mim a pensar: 'oxalá' a Shin ache útil. É que o te parecer é sempre apreciado e bem-vindo.

Daqui a pouco temos a mana em acção por aqui.

Beijo

15 de setembro de 2009

Dicionário Místico - Miguel, na tradição e religiões

Miguel começou a ser adorado como um deus dos caldeus. Por esse motivo, antes do seu envolvimento com o cristianismo, o islamismo ou o judaísmo, ele foi pagão. As religiões estruturadas dos nossos dias pediram-no emprestado, como a muitos outros anjos, e fizeram com que ele se adaptasse às estruturas das suas crenças. Ele é o líder na ordem dos Virtudes; líder dos Arcanjos; anjo do arrependimento, da rectidão e da misericórdia, e governante do Quarto Céu. O seu nome mistério é Sabbathiel. No Islão dá pelo nome de Mika'il.

A popularidade de Miguel nas religiões patriarcais é facilmente entendida, pois um dos seus arquétipos, representa-o como o anjo vingador que deu umas surras a alguns dos 'maus' nas lendas e mitos, querendo isto dizer que ele agrada àqueles que gostam de partir e quebrar. Nos tempos medievais puseram-lhe uma armadura. Hoje podemos encontrá-lo enfeitado no seu melhor equipamento militar que o nosso mundo desenhou. Herói não disputado, Miguel é fruto do pensamento positivo masculino combinado com a verdadeira necessidade de justiça, força, protecção e equilíbrio no nosso mundo. Nas lendas, ele é o único anjo que defende as hostes divinas de tudo e contra tudo. A sua lealdade é inquestionável.

A história de Miguel inclui-se bastante mais do que o mito cristão. Por exemplo, ele assumiu a tarefa de «pesar as almas» outrora cumprida por Anubis no panteão egípcio. Na mitologia persa, Miguel tinha o nome de Beshter, que quer dizer aquele que providencia o sustento para a humanidade. Na anterior versão acadiana, o povo chamava-o de Kasista, que quer dizer príncipe ou líder.

A Igreja Católica permitiu que Miguel assumisse muitos dos Potestades, antigos arquétipo pagãos num esforço para afastar as pessoas das suas religiões originais. No mito, foi o anjo Miguel que apareceu a Maria (mãe de Jesus) para lhe dizer que a sua altura de deixar aquele plano tinha chegado. Miguel manifesta-se como um ser angélico que não está para além da misericórdia, da paciência e da compaixão.

Na tradição islâmica, ele é o anjo da comida e do conhecimento; no Egipto, é o protector do Nilo. O seu festival e festa ocorrem cada ano na nascente do Nilo. As asas de Miguel desdobram-se num verde esmeralda flamejante, por vezes mostrando penas de galo (será um vestígio da Deusa Maat egípcia?). Por vezes, Miguel carrega uma espada reluzente. Contudo, na era moderna, a sua arma da verdade está na palavra escrita e não, ainda bem, nas bombas dos militares. Em algumas tradições ele tem um ceptro em lugar da espada.

Miguel é o líder guardião dos polícias, dos seguranças, dos caçadores e do pessoal de serviço armado. Mantém-se firme como guardião da Deusa nos panos astrais, onde protege a energia Dela das investidas do patriarcado. Miguel tem um talento especial para limpar tudo, desde pessoas a lugares.

Também representa a conglomeração dos espíritos antigos que vigiavam os ribeiros, riachos, fontes lagos sagrados, antes da era cristã e é também o guardião dos templos erguidos em honra das energias curativas da divindade. O seu nome em hebraico significa "Aquele que é como Deus".

Proeminente no judaísmo, islamismo e cristianismo, Miguel é considerado um líder guerreiro da horde celestial na batalha contra as forças do mal. Os ensinamentos judaicos retratam-no como protector de Israel e guardião das chaves do paraíso. No Islão dizia-se que controlava as forças da natureza e fornecia alimentos e sabedoria à humanidade. Diz-se também que é auxiliado neste ministério por mil Querubins.

Nos ensinamentos gnósticos, Miguel era simbolizado por um leão. A simbologia cristã retrata-o frequentemente com uma espada ou com uma balança, na qual pesa as almas dos mortos. Esta última imagem é semelhante às pinturas do antigo deus do Egipto, Anubis, que pesava os corações dos mortos na balança do Julgamento. Miguel é um juíz, um sacerdote e um "guardião militante dos fiéis".

Pelo mundo inteiro, o que não faltam são devotos do Arcanjo Miguel. Na vertente lusitana, Viriato pertence à linha energética de Miguel. Modernamente está associado ao nosso Universo Local, conhecido por Nebadon. O chefe supremo deste universo chama-se Micah, obviamente, uma derivação de Mika'il, ou seja, Miguel.

Quando muitos de nós, falamos em Sol Central [na linguagem mais neo-espiritual], ou quando dizemos Deus [na linguagem mais tradicional], estamos a falar da energia do AMOR, que é representada pelo arquétipo de Miguel, pois é nesta energia divina que o ser humano se funde.

Tentando dar uma visão ecuménica e eclética,
abolindo os pré-conceitos que as nossas psiques absorveram.

A.R., 2004, com adaptações recentes.

34 comentários:

Rosan disse...

São Miguel, nosso anjo protetor.
Por todos os lados a nos protejer.

Um luz de brilho maior, que nos purifica, nos envolve, nos cerca.
Que Ele envolva todo nosso planeta com sua luz, e purifique todos os miasmas que nos cercam.

Abraço.

Maria Paula Ribeiro disse...

Olá António,

Excelente! A seguir Gabriel, considero Miguel um dos meus "ídolos", se assim se pode dizer. Não sabia que tinha tido a incumbência de Anúbis, o meu admirador egípcio!
O que se aprende por aqui.... :-)))))

Bem-haja!

angela disse...

Antonio
SÓ posso elogiar um texto tão bem escrito e com tantas informações.
A igreja católica sempre faz isso de plantar suas datas e seus mitos em cima das datas e mitos de outros cultos, mas não sabia que Miguel era um anjo de tantas religiões e devem haver outros que também estão presentes em varias religiões.
beijos

Fabiano Mayrink disse...

Sempre bom aprender coisas novas, porem eu particularemente nao gosto de santos, um abraço Antonio!

António Rosa disse...

Rosan

Miguel é um Ser de uma dimensão que nem imaginamos. Acolhe-nos sempre, com amor.

Abraço

António Rosa disse...

Maria Paula

Devo ter qualquer coisa sobre Gabriel. Tenho que procurar.

Beijos.

António Rosa disse...

Angela

A Humanidade está mais unida do que parece,

Beijo

António Rosa disse...

Fabiano

Não gosta ou não acredita? Não é uma questão de gostar, mas sim um processo de aceitação.

Abraço

Ana Cristina disse...

Gostei muito de ler este artigo António :-).

António Rosa disse...

Ana Cristina,

Muito obrigado.

Maria de Fátima disse...

Olá António, gostei de ler sobre o Anjo Miguel.Eu acredito que os anjos e santos protejem-nos.Beijocas.

António Rosa disse...

Maria de Fátima

Nossos inimigos é que não são. Beijos, fofa.

Fabiano Mayrink disse...

Tenho respeito pois acredito que foram pessoas muito sabias, importantes, ou muito bondosas etc, como por exemplo Maria, respeito a pessoa dela pois foi escolhida por Deus, mais nao gosto das imagens, nao sei explicar ao serto, mais prefiro uma planta rs

António Rosa disse...

Olá Fabiano

É compreensível. Até porque com a tua alma sensível, estás mais virado para a natureza. Isso é muito bom.

Abraço-te.

tereza disse...

Bom dia António!
Excelente.
Quantas informações que desconhecia!
Grata!

adriana disse...

António,
Que belo texto!
Desconhecia todas estas correlações com a energia de AA Miguel.
Vivendo e aprendendo.
Obrigada!

António Rosa disse...

Tereza

Andei anos a investigar estas coisas. Em 2000 parei e comecei a organizar os apontamentos. Em 2004 guardei e esqueci, com a sensação de inutilidade. Imagine por onde me está a ser útil - que as pessoas percebam que estamos sempre a usar a mesma energia. Desde tempos imemoriais.

:)))

António Rosa disse...

Adriana,

Conhece as orientações Melquizedeques? [Aportuguesei a grafia - :)))]

Nem sei como dizer isto ou se tem algum interesse, mas o meu Saturno em Virgem gosta imenso destas minúcias, pois 'julgo' percber melhor o puzle.

Miguel parece que vem de lá, da fonte Melquizedeque.

Lusibero disse...

Que texto lindo, rico e informativo, ANTÓNIO ROSA! Não sabia quase nada disto ... Obrigada, amigo, por contribuires para o meu enriquecimento pessoal!É tão bom termos sempre alguém com assuntos que nos enobrecem, quando nos predispomos a aprender!
BEIJITO AMIGO DE LUSIBERO

Sassá Luz disse...

São Miguel Arcanjo, nosso Anjo protetor. Luz das luzes! Muitas informações desconhecidas. Obrigada pela visita, adicionei seu blog.
Abraço.

meu-livro-das-sombras disse...

Lindo! Gosto demais dessa sessão do seu blog, que esclarece esses assuntos místicos com raciocínio claro e com bases históricas. Muito bom! Beijo e bênçãos.

Meri.

adriana disse...

António,
Melquisedeque é algo que permanece no éter, para mim.
Quem sabe seja caso de sentir.
Mas, tudo isso é muito próximo.
Obrigada!

António Rosa disse...

Maria,

Muito obrigado pelas suas palavras sempre gentis e sempre tão sentidas.

Abraço

António Rosa disse...

Sassá Luz

Muito obrigado por ter adicionado este blogue. O seu já cá está na minha «Comunidade».

Abraço.

António Rosa disse...

Meu-livro-das-sombras

Muito obrigado pela sua apreciação Agora mesmo irei ao seu blogue.

Beijo

António Rosa disse...

Adriana

Nem sequer é importante esmiuçar a questão Melquisedeque, só que, pessoalmente acho muita graça a esse efeito. Quando digo 'graça' não tem nada de irónico, ofensivo ou desrespeituoso.

Obrigado.

Castelo de Asgard disse...

Bem haja por mais um excelente texto. Mas... acha mesmo que a humanidade está mais unida do que parece? Quem me dera achar o mesmo... para onde quer que olho vejo gente a dar cabo da vida de outra gente. A humanidade parece unida pela ignorância e pela ganância. Claro que há muita gente boa, mas por cada um que tenta abrir os olhos aparecem 10 cegos armados com paus e pedras. Somos unidos pelos arquétipos, mas de que nos vale isso? Somos pequenos animais falantes, somos animais de luxo, cheios de acessórios e ferramentas mas... olhando bem, somos lemingues.

Luz & Paz

Ariadne

.Lis disse...

Antonio
Procurei por voce na BlogGincana e que pena nao ter inscrito. È interessante cumprir tarefas relacionadas ao blogueiros amigos.
Se entusiasme pro proximo mes, ok?
E quanto ao texto sobre o anjo Miguel, gosto de ler sobre anjos.Sou curiosa pra entende-los, mas é bastante dificil, pra quem nao estudou o assunto.
Abraços

marcelo dalla disse...

Olá amigo, tô de volta! Fiquei 5 dias longe da internet e senti saudades. Gostei muito do post, sou devoto de Miguel.

"Peço que o Arcanjo Miguel me marque com seu selo, que eu seja protegido para sempre das influências que me impedem de fazer a vontade do nosso Criador".

abraço!

António Rosa disse...

Ariadne

Obrigdo pela visita. Encontro gente solidária que ajuda. Médicos sem fronteiras. Ongs. Missões. Ajudas humanitárias. Por exemplo, neste momento estão em Angola, Guiné e Moçambique centenas de jovens portugueses que voluntariamente estão a prestar serviços sociais em aldeias desses paises, com enorme sucesso de integração. Pode crer que há milhares de sintomas positivos para que a humanidade se venha entender.

Luz e Paz

António Rosa disse...

.Lis

Não faço ideia o que seja o BlogGincana. Vou me informar sobre o assunto. Abraços

António Rosa disse...

Marcelo

Sentimos saudades suas. Vai saber isso ao ler as caixas de comentários do seu blogue.~Abraço.

Shin Tau disse...

António,

quanta informação preciosa! Miguel é de facto um ser muito admirado e não fazia ideia de toda essa correspondência, adorei saber a sua ligação a Anúbis ;)

O dia da sua celebração é 29 deste mês, um dia antes de S. Jerónimo.

Beijcoas e até já

António Rosa disse...

Shin Tau

Imagina que pensei em ti quando recuperava este texto do baú e dei por mim a pensar: 'oxalá' a Shin ache útil. É que o te parecer é sempre apreciado e bem-vindo.

Daqui a pouco temos a mana em acção por aqui.

Beijo

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates