Estavam lá no Olimpo a tratarem das coisas deles, quando se fez um súbito, intenso, mas curto silêncio; disseram imediatamente «Foi o Hermes que passou»

31 de outubro de 2012 ·



Creio que perceberam que, no título, me estava a referir a Mercúrio. Quando ele passa…

Como todos sabemos, mesmo aqueles que não estudam astrologia, Mercúrio é o planeta mais próximo do Sol. Do nosso ponto de vista terrestre, não se afasta mais que 27º do Sol, por isso a sua rotação é sensivelmente de um ano, ficando entre 2 semanas a 2 meses em cada signo, dependendo das suas retrogradações. Mercúrio desloca-se à média de 1º30’ por dia, reduzindo a velocidade quando está estacionário e retrógrado. Na prática, nos mapas natais, Mercúrio e o Sol fazem apenas semi-sextil ou uma  conjunção.

Sendo um planeta neutro, é minha opinião que também sendo um planeta pessoal muito importante nos mapas natais e progredidos, usando eu orbes muito apertados para Mercúrio, creio que perde importância nos trânsitos, pois tem uma escassa manifestação nos planos mais tradicionais da tridimensionalidade.

Com o passar dos anos fui percebendo que a vigência de um trânsito de Mercúrio é muito, mas muito curta, podendo durar 1 dia e, raramente 2 dias. O que me dá orbes de 20’, não chegando sequer a um grau. Acreditem que não pretendo provocar inquietações a ninguém com estes números. É apenas a minha prática.

Dizia eu mais acima, que, em trânsito, Mercúrio perde importância, devido à sua rapidez e curta vigência do trânsito. Portanto, é necessário muita atenção para detectarmos a presença «efectiva» e «real» de Mercúrio. Isto, apesar de muito se escrever sobre a influência deste planeta. É nesta ‘subtileza’ muito especial de quase passar despercebido, que escolhi a simbologia do «silêncio», como factor associado a Mercúrio. Parece um contrasenso, mas já explico a seguir.

Ou seja, para podermos dar por Mercúrio elevado é necessário fazermos silêncio. É necessário mandarmos a nossa mente calar-se. Exactamente, porque o ruído mental que provocamos [por a nossa  personalidade sentir medo do nosso Ser] é tão grande que é necessário uns minutos [se possível mais tempo] de absoluto silêncio para detectarmos a presença superior deste planeta em nós, enquanto arquétipo.

Mercúrio ensina-nos a conhecermos como opera a nossa mente e, também, como nos comunicamos. Com isto, podemos tomar mais consciência do «que é que comunicamos», dado que o modo de  comunicar determina em grande parte o conteúdo da comunicação.

Temos sido treinados desde pequeninos a prestar mais atenção ao conteúdo do que à forma de comunicação, o que fez que esta parte da forma tenha ficado numa sombra estranha, passando a partir de uma idade muito tenra, para a zona do inconsciente.

Quem trabalha com estes assuntos sabe perfeitamente que a maioria das nossas desavenças e discussões têm mais por base a «forma» e muito pouco o «conteúdo». É aquilo de «o que parece é». É o mundo das percepções… Obviamente, sabe-se que estes assuntos podem provocar falta de harmonia psicológica. Querem exemplos famosos? 'O teu olhar diz tudo'. 'Não disseste mas estavas de mãos nos bolsos.', etc. Quem se lembra de ter acusado o outro pela 'forma' e não pelo 'conteúdo'?

Os gestos, o olhar, o tom e o timbre da voz são partes importantes e significativas do que se comunica. Quando analisamos o mapa natal e, também os trânsitos de Mercúrio, temos uma oportunidade única de apreciarmos estas valências, trazendo-as para a nossa consciência, de modo a que se faça mais plena e completa a comunicação e, obviamente, a nossa própria personalidade.

A seguir faço uma breve síntese dos contactos de Mercúrio com os restantes planetas.

Os contactos de Mercúrio ao Sol – São sempre uma oportunidade para descobrirmos aspectos que fazem parte da nossa identidade tridimensional e pessoal. É a grande oportunidade de pormos em jogo as nossas diferentes personagens ‘interiores’.

Os contactos de Mercúrio à Lua – São ocasiões para entendermos aquilo que determina em profundidade a nossa conduta habitual. Estes contactos permitem-nos separar o trigo do joio no resvaladiço mundo das respostas condicionadas que constituem o nosso sistema de sobrevivência e defesa psicológica. Mercúrio, com rapidez penetra nessa estrutura arcaica tantas vezes, que se torna o disparador semi-consciente dos nossos ‘medos’ e ‘temores’. Muito engraçado é verificarmos que a maioria das pessoas nega esses ‘medos’ e ‘temores’.

Os contactos de Mercúrio a Vénus – Facilitam a possibilidade de examinarmos com muita clareza as relações amorosas, assim como a nossa relação com o dinheiro, tal como os recursos em geral. Existe a possibilidade de se produzirem caminhos alternativos.

 Os contactos de Mercúrio a Marte – É a grande oportunidade para percebermos se podemos olhar para os assuntos sob um outro ângulo ou ponto de vista. Estes contactos incitam-nos a sermos menos unilaterais, mais reflexivos e muito mais tolerantes. E, como não podia deixar de ser, para que as competitividades de Marte saibam reger-se por adequadas regras de ouro. Para que o ‘fair play’ seja um facto.

Os contactos de Mercúrio a Júpiter – São contactos estimulantes e que nos indicam a nossa própria confiança nos nossos meios intelectuais. Propício para se analisar a situação do Mestre-Discípulo, Professor-Aluno que existe em si e poderá descobrir que, afinal, os seus horizontes são mais amplos do que pensava. Muito útil para os astrólogos poderem exercer os seus próprios sistemas de crenças e dogmatismos.

Os contactos de Mercúrio a Saturno  –  Estes contactos são muito mal compreendidos, no geral. Fala-se muito de inteligência ou a falta dela, quando estes contactos não tratam disso, mas sim, ao nível da responsabilidade ou da sua posição na sociedade. Uma boa análise poderá ajudar no entendimento dos aspectos mais rígidos da nossa personalidade, de modo a podermos flexibiliza-los e introduzirmos conduta alternativa. Que dizer da lei biológica que nos ensina que as espécies com condutas mais flexíveis têm mais possibilidades de sobrevivência e desenvolvimento?

Os contactos de Mercúrio a Úrano –  Este contacto é muito importante pois Úrano é a oitava superior de Mercúrio. As qualidades destes dois planetas são muito semelhantes. Talvez pensando neles como a brisa e o vento. Aqui podemos constatar a possibilidade dos nossos processos mentais serem mais rápidos que o habitual. Profundos 'insights' dão-nos a possibilidade de acedermos ao nosso próprio universo arquetípico, que opera em nós. Os arquétipos são princípios operativos indescritíveis em si mesmos, que estão constantemente a funcionar na ‘forma’ das ocorrências. Estes contactos poderão ser um enorme manancial de energia fresca e renovadora. Como se compreende, qualquer arquétipo  ao tomar forma, perde pureza, inclusivamente ao entrar na maleável estrutura da inteligência.

Os contactos de Mercúrio a Neptuno – São contactos muito especiais, tendencialmente espirituais ou espiritualizantes, mas criando uma imagem, podemos dizer que os níveis mais mentais e céleres, podem abrandar e, pela força da água, contactar com as emoções e o sentimento. Quando isso acontece, indiscutivelmente, estamos perante a 'Grande Presença'. Eu próprio, com o meu trígono Mercúrio-Nptuno no meu natal e que ando a estudar astrologia há mais de 40 anos, ainda continuo a tentar aprender como funcionam estes contactos, pois são aqueles que mais se alteraram desde sempre, em meu entender. Há 30 ou 40 anos interpretava-se de uma maneira. Há 15 e 20 anos começou-se a fazer outras abordagens. E, actualmente, a natureza da interpretação voltou a mudar. Como os manuais não se actualizam, vou fazendo eu as minhas interpretações possíveis nas consultas, afastado dos livros de sempre. Este contacto trata daquilo que se chama «inconsciente colectivo», que todos andamos a aprender.

Os contactos de Mercúrio a Plutão – Estes contactos são muito importantes, pois é por aí que se entra nos reinos mais inacessíveis da existência. Recordemos que, em mitologia, Hermes [Mercúrio] tinha entrada franca no reino subterrâneo de Hades [Plutão], a morada dos mortos. Quem nos garante que não estivéssemos algures nesse reino em algumas das muitas ocasiões que Hermes conduzia as almas? Não sei. Apenas sei que são contactos fortíssimos, de vontade e inteligência.

*****

Afinal este artigo surgiu porque me pediram a opinião sobre Mercúrio em Sagitário. Deu nisto. Nem sequer me aproximei da ideia nesse signo. Peço desculpa a quem o pediu. Quem insitir em ter um texto sobre Mercúrio em Sagitário, recomendo este, da astróloga Mónica Burich: aqui.

Muito agradecido.

31 Outubro 2012


.

0 comentários:

31 de outubro de 2012

Estavam lá no Olimpo a tratarem das coisas deles, quando se fez um súbito, intenso, mas curto silêncio; disseram imediatamente «Foi o Hermes que passou»



Creio que perceberam que, no título, me estava a referir a Mercúrio. Quando ele passa…

Como todos sabemos, mesmo aqueles que não estudam astrologia, Mercúrio é o planeta mais próximo do Sol. Do nosso ponto de vista terrestre, não se afasta mais que 27º do Sol, por isso a sua rotação é sensivelmente de um ano, ficando entre 2 semanas a 2 meses em cada signo, dependendo das suas retrogradações. Mercúrio desloca-se à média de 1º30’ por dia, reduzindo a velocidade quando está estacionário e retrógrado. Na prática, nos mapas natais, Mercúrio e o Sol fazem apenas semi-sextil ou uma  conjunção.

Sendo um planeta neutro, é minha opinião que também sendo um planeta pessoal muito importante nos mapas natais e progredidos, usando eu orbes muito apertados para Mercúrio, creio que perde importância nos trânsitos, pois tem uma escassa manifestação nos planos mais tradicionais da tridimensionalidade.

Com o passar dos anos fui percebendo que a vigência de um trânsito de Mercúrio é muito, mas muito curta, podendo durar 1 dia e, raramente 2 dias. O que me dá orbes de 20’, não chegando sequer a um grau. Acreditem que não pretendo provocar inquietações a ninguém com estes números. É apenas a minha prática.

Dizia eu mais acima, que, em trânsito, Mercúrio perde importância, devido à sua rapidez e curta vigência do trânsito. Portanto, é necessário muita atenção para detectarmos a presença «efectiva» e «real» de Mercúrio. Isto, apesar de muito se escrever sobre a influência deste planeta. É nesta ‘subtileza’ muito especial de quase passar despercebido, que escolhi a simbologia do «silêncio», como factor associado a Mercúrio. Parece um contrasenso, mas já explico a seguir.

Ou seja, para podermos dar por Mercúrio elevado é necessário fazermos silêncio. É necessário mandarmos a nossa mente calar-se. Exactamente, porque o ruído mental que provocamos [por a nossa  personalidade sentir medo do nosso Ser] é tão grande que é necessário uns minutos [se possível mais tempo] de absoluto silêncio para detectarmos a presença superior deste planeta em nós, enquanto arquétipo.

Mercúrio ensina-nos a conhecermos como opera a nossa mente e, também, como nos comunicamos. Com isto, podemos tomar mais consciência do «que é que comunicamos», dado que o modo de  comunicar determina em grande parte o conteúdo da comunicação.

Temos sido treinados desde pequeninos a prestar mais atenção ao conteúdo do que à forma de comunicação, o que fez que esta parte da forma tenha ficado numa sombra estranha, passando a partir de uma idade muito tenra, para a zona do inconsciente.

Quem trabalha com estes assuntos sabe perfeitamente que a maioria das nossas desavenças e discussões têm mais por base a «forma» e muito pouco o «conteúdo». É aquilo de «o que parece é». É o mundo das percepções… Obviamente, sabe-se que estes assuntos podem provocar falta de harmonia psicológica. Querem exemplos famosos? 'O teu olhar diz tudo'. 'Não disseste mas estavas de mãos nos bolsos.', etc. Quem se lembra de ter acusado o outro pela 'forma' e não pelo 'conteúdo'?

Os gestos, o olhar, o tom e o timbre da voz são partes importantes e significativas do que se comunica. Quando analisamos o mapa natal e, também os trânsitos de Mercúrio, temos uma oportunidade única de apreciarmos estas valências, trazendo-as para a nossa consciência, de modo a que se faça mais plena e completa a comunicação e, obviamente, a nossa própria personalidade.

A seguir faço uma breve síntese dos contactos de Mercúrio com os restantes planetas.

Os contactos de Mercúrio ao Sol – São sempre uma oportunidade para descobrirmos aspectos que fazem parte da nossa identidade tridimensional e pessoal. É a grande oportunidade de pormos em jogo as nossas diferentes personagens ‘interiores’.

Os contactos de Mercúrio à Lua – São ocasiões para entendermos aquilo que determina em profundidade a nossa conduta habitual. Estes contactos permitem-nos separar o trigo do joio no resvaladiço mundo das respostas condicionadas que constituem o nosso sistema de sobrevivência e defesa psicológica. Mercúrio, com rapidez penetra nessa estrutura arcaica tantas vezes, que se torna o disparador semi-consciente dos nossos ‘medos’ e ‘temores’. Muito engraçado é verificarmos que a maioria das pessoas nega esses ‘medos’ e ‘temores’.

Os contactos de Mercúrio a Vénus – Facilitam a possibilidade de examinarmos com muita clareza as relações amorosas, assim como a nossa relação com o dinheiro, tal como os recursos em geral. Existe a possibilidade de se produzirem caminhos alternativos.

 Os contactos de Mercúrio a Marte – É a grande oportunidade para percebermos se podemos olhar para os assuntos sob um outro ângulo ou ponto de vista. Estes contactos incitam-nos a sermos menos unilaterais, mais reflexivos e muito mais tolerantes. E, como não podia deixar de ser, para que as competitividades de Marte saibam reger-se por adequadas regras de ouro. Para que o ‘fair play’ seja um facto.

Os contactos de Mercúrio a Júpiter – São contactos estimulantes e que nos indicam a nossa própria confiança nos nossos meios intelectuais. Propício para se analisar a situação do Mestre-Discípulo, Professor-Aluno que existe em si e poderá descobrir que, afinal, os seus horizontes são mais amplos do que pensava. Muito útil para os astrólogos poderem exercer os seus próprios sistemas de crenças e dogmatismos.

Os contactos de Mercúrio a Saturno  –  Estes contactos são muito mal compreendidos, no geral. Fala-se muito de inteligência ou a falta dela, quando estes contactos não tratam disso, mas sim, ao nível da responsabilidade ou da sua posição na sociedade. Uma boa análise poderá ajudar no entendimento dos aspectos mais rígidos da nossa personalidade, de modo a podermos flexibiliza-los e introduzirmos conduta alternativa. Que dizer da lei biológica que nos ensina que as espécies com condutas mais flexíveis têm mais possibilidades de sobrevivência e desenvolvimento?

Os contactos de Mercúrio a Úrano –  Este contacto é muito importante pois Úrano é a oitava superior de Mercúrio. As qualidades destes dois planetas são muito semelhantes. Talvez pensando neles como a brisa e o vento. Aqui podemos constatar a possibilidade dos nossos processos mentais serem mais rápidos que o habitual. Profundos 'insights' dão-nos a possibilidade de acedermos ao nosso próprio universo arquetípico, que opera em nós. Os arquétipos são princípios operativos indescritíveis em si mesmos, que estão constantemente a funcionar na ‘forma’ das ocorrências. Estes contactos poderão ser um enorme manancial de energia fresca e renovadora. Como se compreende, qualquer arquétipo  ao tomar forma, perde pureza, inclusivamente ao entrar na maleável estrutura da inteligência.

Os contactos de Mercúrio a Neptuno – São contactos muito especiais, tendencialmente espirituais ou espiritualizantes, mas criando uma imagem, podemos dizer que os níveis mais mentais e céleres, podem abrandar e, pela força da água, contactar com as emoções e o sentimento. Quando isso acontece, indiscutivelmente, estamos perante a 'Grande Presença'. Eu próprio, com o meu trígono Mercúrio-Nptuno no meu natal e que ando a estudar astrologia há mais de 40 anos, ainda continuo a tentar aprender como funcionam estes contactos, pois são aqueles que mais se alteraram desde sempre, em meu entender. Há 30 ou 40 anos interpretava-se de uma maneira. Há 15 e 20 anos começou-se a fazer outras abordagens. E, actualmente, a natureza da interpretação voltou a mudar. Como os manuais não se actualizam, vou fazendo eu as minhas interpretações possíveis nas consultas, afastado dos livros de sempre. Este contacto trata daquilo que se chama «inconsciente colectivo», que todos andamos a aprender.

Os contactos de Mercúrio a Plutão – Estes contactos são muito importantes, pois é por aí que se entra nos reinos mais inacessíveis da existência. Recordemos que, em mitologia, Hermes [Mercúrio] tinha entrada franca no reino subterrâneo de Hades [Plutão], a morada dos mortos. Quem nos garante que não estivéssemos algures nesse reino em algumas das muitas ocasiões que Hermes conduzia as almas? Não sei. Apenas sei que são contactos fortíssimos, de vontade e inteligência.

*****

Afinal este artigo surgiu porque me pediram a opinião sobre Mercúrio em Sagitário. Deu nisto. Nem sequer me aproximei da ideia nesse signo. Peço desculpa a quem o pediu. Quem insitir em ter um texto sobre Mercúrio em Sagitário, recomendo este, da astróloga Mónica Burich: aqui.

Muito agradecido.

31 Outubro 2012


.

Sem comentários:

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates