Avatar

13 de março de 2010 ·


Planeta Terra, ano 2154. A Terra está a morrer porque os humanos esgotaram os seus recursos e para poder sobreviver é necessário um mineral muito especial chamado ‘Unobtainium’, que não existe neste planeta. Este mineral só se encontra na lua de Pandora, onde existem uns seres azuis de olhos amarelos conhecidos como o povo Na’Vi, muito ligados à natureza. Este povo vive exactamente em cima da enorme jazida de ‘unobtainium’.

Então, que pensam os humanos fazer? Claro, o mesmo de sempre. Tomar à força o que não lhes pertence, abusando e matando os nativos de Pandora, os Na’Vi. Assim, o realizador James Cameron começa por nos dizer que os maus da história são os humanos. Obviamente, que é mesmo muito fácil comparar o argumento de Cameron com a situação do nosso planeta.

Segundo o filme, 'Avatar' é a denominação de um corpo criado em laboratório, usando uma mistura de ADN humano com o de outra espécie, neste caso dos Na’Vi. Levantando um pouco o véu do enredo, temos um ex-fuzileiro incapacitado fisicamente, que se desloca numa cadeira de rodas. Jake Sully (o actor Sam Worthington) cumprirá então a missão ao permitir a criação do seu Avatar, pois assim terá a capacidade de poder ser fisicamente activo, uma vez que o seu corpo humano não tem capacidade de mover as pernas. A partir daqui entramos na história de James Cameron e no universo colorido e belo de Pandora.

Talvez volte a escrever mais qualquer coisa sobre este filme, com informação mais cinéfila. Entretanto, veja o trailer que vale a pena e está legendado em português.


32 comentários:

Léo Santos disse...
13 de março de 2010 às 01:39  

Ainda não vi... Tenho vontade de ver mas não muita, não sou grande admirador de efeitos especiais... Prefiro papo cabeça a ilusões de ótica! Mas se surgir a oportunidade eu assisto sim!

Um abraço!

Meri P. disse...
13 de março de 2010 às 01:52  

Ah! Esse eu já assisti 3 vezes no computador!!! Baixei, sabe? Mesmo não tendo a qualidade do cinema, é fabuloso!!! Vale à pena assistir.
Bjos na alma, amigo urso.

Gisa disse...
13 de março de 2010 às 02:11  

Urso, não vi mas diem que é maravilhoso (apesar de longo).. preciso correr para o cinema.

bjs

Maria de Fátima disse...
13 de março de 2010 às 02:31  

Olá António, mais um filme que eu quero ver.Beijocas.

angela disse...
13 de março de 2010 às 03:10  

Ainda não vi, está na minha lista. Li uma crítica de um jornal que fez uma avaliação muito interessante. Vou ver se consigo passar o link depois.
beijos

HSLO disse...
13 de março de 2010 às 03:55  

Hum...vou tentar assistir, não é meu estilo de filme, mas quero assistir pois to curioso.


abraços


HUGO

Nat:) disse...
13 de março de 2010 às 07:46  

É Lindo...chorei tanto de emoção....é um lugar que eu gostaría lá voltar.....
A frase mais Linda do Filme:
"Eu vejo-te"
Bjos
Nat:)

Astrid Annabelle disse...
13 de março de 2010 às 10:57  

António, bom dia!
Este seu post foi a gota d'água que faltava...
Agora eu quero ver este filme.
Está aparecendo demais em todos o locais por onde transito...
Sinais!?!
Belo post!!!
Um beijo grande
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
13 de março de 2010 às 11:25  

Léo

Os efeitos especiais neste filme, esbatem-ce, por estarem muito bem feitos. Também eu prefiro ver cinema mais tradicional, em que os actores valorizam o roteiro, sem grandes interferências tecnológicas. Recomendo que se veja, quando for possível. Quem gosta de cinema a sério, deve ver o filme, nem que seja para depois decidir que não gosta.

Abraço.

António Rosa disse...
13 de março de 2010 às 11:25  

Meri

Também vi o filme em casa, mas na tv. Portanto, não faço ideia como seja ver em 3D. Na verdade, nem estou interessado nisso.

Desejo-lhe sucesso no seu novo blogue.

Beijo.

António Rosa disse...
13 de março de 2010 às 11:26  

Gisa

É um filme longo, sim. Dura 160 minutos...

Mas são minutos bem empregues.

Beijo.

António Rosa disse...
13 de março de 2010 às 11:29  

Maria de Fátima,

Recomendo que o faças, apesar de não o ter entrado na lista de «Filmes da minha vida». :)))) É um bom filme, mas não merece entrar na minha lista de filmes muito especiais.

Beijo

António Rosa disse...
13 de março de 2010 às 11:29  

Ângela,

As críticas têm sido positivas para este filme, por trazer grandes novidades e por percebermos porque Cameron (o director) demorou 10 anos para o concretizar. É o projecto de uma vida.

Beijo

António Rosa disse...
13 de março de 2010 às 11:30  

Hugo

Também não é o meu estilo de filme, mas que tem uma mensagem muito positiva, isso tem.

Abraço

António Rosa disse...
13 de março de 2010 às 11:32  

Nat:)

«Eu vejo-te»...

É uma das concessões do realizador aos nãos cinéfilos que foram ver o filme.

É uma frase bonitinha, sem dúvida e cheia de marketing. :)

Lamento ter uma visão menos cor-de-rosa do assunto.

Beijo

António Rosa disse...
13 de março de 2010 às 11:37  

Astrid

Vi o filme em casa sem ser em 3D, pois pretendi não me deixar influenciar porquestões secundárias ao cinema e seus modismos.

Tenho muito material reunido para poder publicar um post mais longo, numa apreciação mais cinematográfica. Não tenho a certeza se o farei. Vai depender de outros factores, como por exemplo terminar vários posts inacabados. A vontade de escrever não tem sido muita...

Recomendo que veja o filme, apesar de eu, pessoalmente, não o incluir na minha lista de «Filmes da minha vida», sem deixar de reconhecer que é uma obra muito interessante.
Obrigado.~

Beijo

Rebeca Amaral disse...
13 de março de 2010 às 14:26  

É um bom filme traz uma boa mensagem, mas não é, nem de perto, um dos melhores. Seus efeitos visuais são fantásticos, mas só! Ótimo blog!

Adelson (Gerenciando Blog) disse...
13 de março de 2010 às 15:26  

Olá, António!

Eu assisti Avatar na primeira semana em que entrou em exibição. Minha curiosidade era mais técnica, em relação aos efeitos especiais, do que com a história em si.

Os efeitos em 3D são fantásticos, muito superiores ao que eu imaginava ser possível. O som também é de uma qualidade sem igual. Só esses pontos já fazem o filme digno de ser visto.

Com relação à história, é "mais do mesmo", nada que já não tenhamos visto em outros filmes.

Mas, é um filme obrigatório para todos aqueles que gostam de cinema. Com certeza, será um divisor de águas para o cinema, antes e depois de Avatar.

Um abraço!

António Rosa (Tib) disse...
13 de março de 2010 às 20:27  

Rebeca

Grato pelo comentário. Como já afirmei mais acima, também senti que não 'ficou' dentro de mim, para sempre. No entanto, vale a pena ser visto.

António Rosa (Tib) disse...
13 de março de 2010 às 20:28  

Adelson~

É natural que a parte técnica tenha um peso grande no filme, pois faz parte de James Cameron enquanto realizador de cinema. Vejamos os filmes que ele já fez para percebemos isso: Terminator, Alien, etc. Sem tecnologia não há filme. Mas a verdade é que ele consegue dar aquilo que as pessoas gostam. Este caso é igual. Abraço.

Táxi Pluvioso disse...
14 de março de 2010 às 10:01  

Por enquanto vivemos felizes com o "mineral muito especial chamado" dinheiro. bom domingo

António Rosa (Tib) disse...
14 de março de 2010 às 11:07  

Taxi

Dinheiro, faz falta. Bom domingo, também.

Fada Moranga disse...
14 de março de 2010 às 16:28  

António, arrepiei-me um bom bocado! A última vez que fui ao cinema vi o Artur e os Minimeus e também havia xapada, mas em miniatura :-P
Esta xapada no meio do verde é capaz de me fazer bem à Raíz... ao meu Quiron!
Um grande bem haja!
Beijos***deFada

Joana disse...
14 de março de 2010 às 22:38  

Amei o filme! Adorei pequenos detalhes como o estarem atentos aos sinais para saberem o que fazer, a árvore dos antepassados e a frase: "Eu vejo-te." :)

beijocas

marcelo dalla disse...
15 de março de 2010 às 00:06  

Amigo querido!
Vi este filme quando estreou em São Paulo e posso dizer que foi uma experiência visulamente arrebatadora.
E, sim, adoro ficção científica!!!!!

Aguardarei o post com sua análise sobre o filme.
abraço e boa semana! :)

Rosan disse...
15 de março de 2010 às 00:13  

oi Antonio.
euestou muito anciosa para ver este filme, mas como moro em cidade pequena que não tem cinema, vou aguardar que chege as locadoras,
gosto por demais deste genero de filme, assim como os de Potter, e outros que tem por aí do genero,´
penso que de muito real já chega a vida, gosto de coisas aparentemente "irreais".

beijo

António Rosa disse...
15 de março de 2010 às 19:13  

Fada linda,

:) O ser humano é assim, a xapada é o argumento muito frequente na nossa istória. Talvez um dia cheguemos a Pandora sem brigar com ninguém.

Beijos.

António Rosa disse...
15 de março de 2010 às 19:13  

Olá Joana,

Percebe-se lindamente os 10 anos que Cameron demorou a criar tudo o que está no filme, sobretudo nesses pormenores. A Árvore dos Antepassados é dos temas mais lindos do filme. Obviamente, que este homem ao manejar orçamentos absurdos como o deste filme, também tem que fazer concessões aos espectadores que lhe deixam o dinheiro na bilheteira.

Beijocas.

António Rosa disse...
15 de março de 2010 às 19:13  

Olá Marcelo

Imagino que tenhas visto em 3D. Pelo contrário, fiz questão de o ver como um filme corrente para perceber se se aguentava. E não é que se aguentou? Um belo filme.

Abraço.

António Rosa disse...
15 de março de 2010 às 19:14  

Rosan

Certamente vai gostar muito de ver ste filme, apesar de conter mensagens inesperadas, não é tão naif como os de Potter. Vale a pena ver. Beijo.

Rui António Santos disse...
16 de março de 2010 às 00:56  

António vi o filme a três dimensões, gostei da história que contem em si uma lição de guerra e paz, e tambem uma história de amor onde o humano deixa a sua condição de humano para se tornar um Avatar.

A técnologia no cinema sempre a actualizar-se não para de me surpreender e deixa-me com a ideia que não há limetes para a criatividade.


Abraço

Ivani Andrade disse...
12 de novembro de 2010 às 15:10  

Assisti o filme Avatar, e adorei.
a mensagem transmitida foi bacana.
Devemos respeitar à todos os seres nativos do planeta, a Natureza.
Muito egal antonio, você ter postado este fime no blog.

13 de março de 2010

Avatar


Planeta Terra, ano 2154. A Terra está a morrer porque os humanos esgotaram os seus recursos e para poder sobreviver é necessário um mineral muito especial chamado ‘Unobtainium’, que não existe neste planeta. Este mineral só se encontra na lua de Pandora, onde existem uns seres azuis de olhos amarelos conhecidos como o povo Na’Vi, muito ligados à natureza. Este povo vive exactamente em cima da enorme jazida de ‘unobtainium’.

Então, que pensam os humanos fazer? Claro, o mesmo de sempre. Tomar à força o que não lhes pertence, abusando e matando os nativos de Pandora, os Na’Vi. Assim, o realizador James Cameron começa por nos dizer que os maus da história são os humanos. Obviamente, que é mesmo muito fácil comparar o argumento de Cameron com a situação do nosso planeta.

Segundo o filme, 'Avatar' é a denominação de um corpo criado em laboratório, usando uma mistura de ADN humano com o de outra espécie, neste caso dos Na’Vi. Levantando um pouco o véu do enredo, temos um ex-fuzileiro incapacitado fisicamente, que se desloca numa cadeira de rodas. Jake Sully (o actor Sam Worthington) cumprirá então a missão ao permitir a criação do seu Avatar, pois assim terá a capacidade de poder ser fisicamente activo, uma vez que o seu corpo humano não tem capacidade de mover as pernas. A partir daqui entramos na história de James Cameron e no universo colorido e belo de Pandora.

Talvez volte a escrever mais qualquer coisa sobre este filme, com informação mais cinéfila. Entretanto, veja o trailer que vale a pena e está legendado em português.


32 comentários:

Léo Santos disse...

Ainda não vi... Tenho vontade de ver mas não muita, não sou grande admirador de efeitos especiais... Prefiro papo cabeça a ilusões de ótica! Mas se surgir a oportunidade eu assisto sim!

Um abraço!

Meri P. disse...

Ah! Esse eu já assisti 3 vezes no computador!!! Baixei, sabe? Mesmo não tendo a qualidade do cinema, é fabuloso!!! Vale à pena assistir.
Bjos na alma, amigo urso.

Gisa disse...

Urso, não vi mas diem que é maravilhoso (apesar de longo).. preciso correr para o cinema.

bjs

Maria de Fátima disse...

Olá António, mais um filme que eu quero ver.Beijocas.

angela disse...

Ainda não vi, está na minha lista. Li uma crítica de um jornal que fez uma avaliação muito interessante. Vou ver se consigo passar o link depois.
beijos

HSLO disse...

Hum...vou tentar assistir, não é meu estilo de filme, mas quero assistir pois to curioso.


abraços


HUGO

Nat:) disse...

É Lindo...chorei tanto de emoção....é um lugar que eu gostaría lá voltar.....
A frase mais Linda do Filme:
"Eu vejo-te"
Bjos
Nat:)

Astrid Annabelle disse...

António, bom dia!
Este seu post foi a gota d'água que faltava...
Agora eu quero ver este filme.
Está aparecendo demais em todos o locais por onde transito...
Sinais!?!
Belo post!!!
Um beijo grande
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Léo

Os efeitos especiais neste filme, esbatem-ce, por estarem muito bem feitos. Também eu prefiro ver cinema mais tradicional, em que os actores valorizam o roteiro, sem grandes interferências tecnológicas. Recomendo que se veja, quando for possível. Quem gosta de cinema a sério, deve ver o filme, nem que seja para depois decidir que não gosta.

Abraço.

António Rosa disse...

Meri

Também vi o filme em casa, mas na tv. Portanto, não faço ideia como seja ver em 3D. Na verdade, nem estou interessado nisso.

Desejo-lhe sucesso no seu novo blogue.

Beijo.

António Rosa disse...

Gisa

É um filme longo, sim. Dura 160 minutos...

Mas são minutos bem empregues.

Beijo.

António Rosa disse...

Maria de Fátima,

Recomendo que o faças, apesar de não o ter entrado na lista de «Filmes da minha vida». :)))) É um bom filme, mas não merece entrar na minha lista de filmes muito especiais.

Beijo

António Rosa disse...

Ângela,

As críticas têm sido positivas para este filme, por trazer grandes novidades e por percebermos porque Cameron (o director) demorou 10 anos para o concretizar. É o projecto de uma vida.

Beijo

António Rosa disse...

Hugo

Também não é o meu estilo de filme, mas que tem uma mensagem muito positiva, isso tem.

Abraço

António Rosa disse...

Nat:)

«Eu vejo-te»...

É uma das concessões do realizador aos nãos cinéfilos que foram ver o filme.

É uma frase bonitinha, sem dúvida e cheia de marketing. :)

Lamento ter uma visão menos cor-de-rosa do assunto.

Beijo

António Rosa disse...

Astrid

Vi o filme em casa sem ser em 3D, pois pretendi não me deixar influenciar porquestões secundárias ao cinema e seus modismos.

Tenho muito material reunido para poder publicar um post mais longo, numa apreciação mais cinematográfica. Não tenho a certeza se o farei. Vai depender de outros factores, como por exemplo terminar vários posts inacabados. A vontade de escrever não tem sido muita...

Recomendo que veja o filme, apesar de eu, pessoalmente, não o incluir na minha lista de «Filmes da minha vida», sem deixar de reconhecer que é uma obra muito interessante.
Obrigado.~

Beijo

Rebeca Amaral disse...

É um bom filme traz uma boa mensagem, mas não é, nem de perto, um dos melhores. Seus efeitos visuais são fantásticos, mas só! Ótimo blog!

Adelson (Gerenciando Blog) disse...

Olá, António!

Eu assisti Avatar na primeira semana em que entrou em exibição. Minha curiosidade era mais técnica, em relação aos efeitos especiais, do que com a história em si.

Os efeitos em 3D são fantásticos, muito superiores ao que eu imaginava ser possível. O som também é de uma qualidade sem igual. Só esses pontos já fazem o filme digno de ser visto.

Com relação à história, é "mais do mesmo", nada que já não tenhamos visto em outros filmes.

Mas, é um filme obrigatório para todos aqueles que gostam de cinema. Com certeza, será um divisor de águas para o cinema, antes e depois de Avatar.

Um abraço!

António Rosa (Tib) disse...

Rebeca

Grato pelo comentário. Como já afirmei mais acima, também senti que não 'ficou' dentro de mim, para sempre. No entanto, vale a pena ser visto.

António Rosa (Tib) disse...

Adelson~

É natural que a parte técnica tenha um peso grande no filme, pois faz parte de James Cameron enquanto realizador de cinema. Vejamos os filmes que ele já fez para percebemos isso: Terminator, Alien, etc. Sem tecnologia não há filme. Mas a verdade é que ele consegue dar aquilo que as pessoas gostam. Este caso é igual. Abraço.

Táxi Pluvioso disse...

Por enquanto vivemos felizes com o "mineral muito especial chamado" dinheiro. bom domingo

António Rosa (Tib) disse...

Taxi

Dinheiro, faz falta. Bom domingo, também.

Fada Moranga disse...

António, arrepiei-me um bom bocado! A última vez que fui ao cinema vi o Artur e os Minimeus e também havia xapada, mas em miniatura :-P
Esta xapada no meio do verde é capaz de me fazer bem à Raíz... ao meu Quiron!
Um grande bem haja!
Beijos***deFada

Joana disse...

Amei o filme! Adorei pequenos detalhes como o estarem atentos aos sinais para saberem o que fazer, a árvore dos antepassados e a frase: "Eu vejo-te." :)

beijocas

marcelo dalla disse...

Amigo querido!
Vi este filme quando estreou em São Paulo e posso dizer que foi uma experiência visulamente arrebatadora.
E, sim, adoro ficção científica!!!!!

Aguardarei o post com sua análise sobre o filme.
abraço e boa semana! :)

Rosan disse...

oi Antonio.
euestou muito anciosa para ver este filme, mas como moro em cidade pequena que não tem cinema, vou aguardar que chege as locadoras,
gosto por demais deste genero de filme, assim como os de Potter, e outros que tem por aí do genero,´
penso que de muito real já chega a vida, gosto de coisas aparentemente "irreais".

beijo

António Rosa disse...

Fada linda,

:) O ser humano é assim, a xapada é o argumento muito frequente na nossa istória. Talvez um dia cheguemos a Pandora sem brigar com ninguém.

Beijos.

António Rosa disse...

Olá Joana,

Percebe-se lindamente os 10 anos que Cameron demorou a criar tudo o que está no filme, sobretudo nesses pormenores. A Árvore dos Antepassados é dos temas mais lindos do filme. Obviamente, que este homem ao manejar orçamentos absurdos como o deste filme, também tem que fazer concessões aos espectadores que lhe deixam o dinheiro na bilheteira.

Beijocas.

António Rosa disse...

Olá Marcelo

Imagino que tenhas visto em 3D. Pelo contrário, fiz questão de o ver como um filme corrente para perceber se se aguentava. E não é que se aguentou? Um belo filme.

Abraço.

António Rosa disse...

Rosan

Certamente vai gostar muito de ver ste filme, apesar de conter mensagens inesperadas, não é tão naif como os de Potter. Vale a pena ver. Beijo.

Rui António Santos disse...

António vi o filme a três dimensões, gostei da história que contem em si uma lição de guerra e paz, e tambem uma história de amor onde o humano deixa a sua condição de humano para se tornar um Avatar.

A técnologia no cinema sempre a actualizar-se não para de me surpreender e deixa-me com a ideia que não há limetes para a criatividade.


Abraço

Ivani Andrade disse...

Assisti o filme Avatar, e adorei.
a mensagem transmitida foi bacana.
Devemos respeitar à todos os seres nativos do planeta, a Natureza.
Muito egal antonio, você ter postado este fime no blog.

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates