Papa Bento XVI, análise astrológica aprofundada da sua renúncia

12 de fevereiro de 2013 ·


O Papa Bento XVI no exacto momento em que anunciava a sua renúncia,
no dia 11 Fevereiro 2013, pelas 10 horas, no Vaticano

Mapa natal

Papa Bento XVI
[Joseph Ratzinger]
16 Abril 1927
4h15
Marktl, Germany (Alemanha)
48 N 15  12 E 51


Mapa natal do Papa Bento XVI.
Clicar para aumentar e ver melhor

No próprio dia da renúncia [11 Fev 2013], fiz uma apressada e demasiado breve análise astrológica da situação [aqui] e no meu Facebook, e hoje, 12 de Fevereiro, optei por fazer um artigo astrológico mais apropriado, apesar de mais extenso, que é o que vos apresento a seguir. Pretendo que fique como memória futura, destinado aos estudantes de astrologia.


Local onde foi anunciada a sua renúncia: no Consistório de Cardeais,
que se encontravam reunidos, convocados pela Papa Bento XVI, para tratarem
de três canonizações. O início do seu anúncio, exactamente as primeiras palavras foram estas:
«Queridíssimos irmãos, convoquei-vos para este Consistório, não apenas por causa das três canonizações,
mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja.»
Sabendo-se que reunir um Consistório de Cardeais é um acto programado com bastante antecedência,
percebe-se claramente que esta decisão estava tomada há mais tempo.



Bento XVI foi nomeado Papa em 19 Abril 2005. A sua renúncia foi anunciada pelo próprio Papa Bento XVI na manhã de segunda-feira, dia 11 Fevereiro 2013, por volta das 10h00, no Vaticano, numa cerimónia solene, no Consistório, com a presença de cardeais que tinham sido convocados para analisarem as datas de três canonizações. Típico da Igreja: um assunto espiritual [as canonizações] com um tema bem terreno [a renúncia papal].

O anúncio foi feito em latim, e imediatamente traduzido para todas as línguas oficiais dentro do Vaticano. No final deste artigo encontra a reprodução na íntegra do texto da renúncia, em forma de carta a todo o mundo católico. A saída formal do trono de S. Pedro dar-se-á no dia 28 Fevereiro 2013, às 19 horas TMG.

Até este parágrafo foram apresentadas todas as datas importantes para que os estudantes de astrologia possam fazer os seus mapas de estudos.

Quem se der ao cuidado de ler com muita atenção o texto de renúncia ao papado, sobretudo por parte dos astrólogos deveria haver esse cuidado, pois com facilidade se constatará que esta decisão já estava tomada há mais tempo, e só agora foi formalmente anunciada. Aceitarmos isto é vital, para podermos aprofundar a análise astrológica. O contrário disto é desatarmos a escrever [eu próprio o fiz no calor da notícia] e corrermos o risco de fazer astrologia medíocre ou insuficiente.

Há muitos anos que digo que há sempre nos mapas que se fizerem, algum posicionamento astrológico que justifica as palavras que escrevemos. Sei bem do que falo. Depois de ontem e hoje ter lido o que li, em várias línguas, creio que a maioria dos astrólogos fez um trabalho com serenidade e não deixou que os preconceitos contra esta personalidade, fossem visíveis nos seus textos. Outros sucumbiram a essa terrível tentação de ajustarmos o fato à medida do cliente.

Apreciei muito a frase da astróloga Vera Braz Mendes, pois penso de igual forma: «Penso que é de louvar a capacidade do Papa em reconhecer-se como 'ser humano' com todas as limitações que a idade traz. Muitas vezes vemos pessoas a insistirem continuar em cargos sem terem o mínimo de condições físicas ou mentais para continuar a desempenhar papéis de tão elevada responsabilidade. Sem qualquer comparação, vemos políticos em regimes autoritários 'agarrados' à cadeira do poder sem estarem em condições para tal.» Acrescento de minha responsabilidade: vários países africanos, alguns sul-americanos e outros na Ásia, pois 60% da população mundial vive em regimes autoritários, mesmo que disfarçados, como seja o caso da Venezuela.

Reconheço que, em 2005, fui uma das muitas pessoas que não simpatizava com o novo Papa e, nessa altura, alinhei como em muitos casos, nas consabidas teorias da conspiração. No entanto, os anos, uma maior aprendizagem prática sobre o que é a tolerância e aceitação, a compaixão e o amor aos outros, incluindo a minha experiência de vida, e a certa altura ter conscientemente decidido ler alguns livros seus, assim como várias encíclicas e palestras, fizeram com que eu, aos poucos, passasse a olhar para este homem, com outros olhos. Hoje em dia, não hesito em afirmar que Bento XVI é um grande teólogo, um excelente Papa, apreciado por milhões e detestados por outros, que, nesta fase da sua vida, teve uma decisão corajosa, a de renunciar ao Papado, o que já não ocorria há mais de 600 anos, e que possivelmente irá estabelecer um novo paradigma no processo de sucessão do trono de São Pedro.

No final do Consistório, com os Cardeais todos de pé para se despedirem
do seu Papa, líder religioso de mais de 1 bilião de pessoas em todo o mundo.


Mapa de trânsitos. Clicar para aumentar.


O que escrevi ontem está presente no texto abaixo, mas já com um enquadramento mais académico.

É a primeira vez que tenho oportunidade de consultar o mapa de uma pessoa, ainda viva e que tenha passado pela conjunção Úrano em trânsito ao Úrano natal, em Carneiro, que no caso do Papa, está na sua primeira Casa.  Esta conjunção já está separativa em 6 graus e este é um dos motivos porque se percebe que o texto já estaria escrito há mais tempo. Obviamente, não posso garantir, mas tudo me leva a crer que o texto começou a ser escrito quando Úrano ficou directo, no grau 4º de Carneiro, pelos idos de Dezembro 2012. No entanto, na retrogradação anterior à de 2012, Bento XVI deve ter começado a pensar neste assunto. Só que na Igreja Católica as coisas têm um ritmo muito próprio.

Este Úrano directo em trânsito está bem sustentado por um trígono a Saturno natal, no grau 6 de Leão, na sua Casa IX. Este Saturno que tão bem sabe caracterizar as grandes organizações religiosas, permitiu que o Papa fizesse tudo direitinho. A surpresa do mundo não reside em Úrano, mas sim na falta de hábito de assistirmos a situações parecidas. É a primeira vez em 600 anos que um Papa resigna. Este é um Úrano poderoso no mapa do Papa.

Igualmente, a mesma oportunidade deu-se para vermos um Plutão em trânsito, no grau 10 de Capricórnio, quase a sair da Casa X, a do reconhecimento social, fazendo oposição aplicativa ao Plutão natal, no grau 13 de Caranguejo, na Casa IV. Este Plutão em trânsito faz uma quadratura à Lua natal em Balança, na Casa VII, obviamente a dar por terminada a sua função de estar com o 'outro' [os católicos] de forma mais pública. Claramente, é a apetência de se virar para dentro. Sabe-se que escolheu ficar num mosteiro criado por João Paulo II, dentro dos muros do Vaticano e dedicado à oração, estudo e contemplação. Sabendo-se que o seu estado de saúde não é o melhor, obviamente que teria que ficar perto dos grandes centros com bons médicos e hospitais. Aqueles planetas todos a passarem na sua Casa XII são significadores desta situação. A ajudar a esta quadratura de Plutão à Lua, temos Neptuno e Quíron a transitarem na 12 e por lá permanecerão mais uns anos. Aquela tradição de se entender a Casa XII como um local de aprisionamento, de confinamento, ajusta-se em termos modernos a um mosteiro católico ou mesmo budista? Creio que sim.

Raramente temos a oportunidade de vermos os mapas de pessoas com esta idade [cerca de 86 anos], e que ainda estejam no activo. São mapas que chamam a atenção para situações tão fortes na vida de alguém, como é este o caso.

Perante isto, até nem é muito importante verificar a situação dos seus planetas natais, em que todos estão a transitar pela sua 12ª Casa e a fazem aspectos tensos a Saturno. Sinceramente, estamos a falar de uma energia de curta duração, que não sei bem se tem importância neste contexto papal.

É uma nova vida que começa para este homem, podendo agora ser um bocadinho mais feliz. Esta ideia da felicidade parece ter deixado algumas pessoas incomodadas, como se o facto do homem ser Papa, garantisse automaticamente a sua felicidade pessoal. É a ideia comum que as pessoas por atingirem certos patamares sociais, artísticos ou empresariais «têm tudo» e, portanto, são automaticamente felizes. As vida não é assim. Este Papa cumpriu o que era esperado dele e, como era muito próximo a João Paulo II, aprendeu a grande lição dos tempos modernos em cargos desta natureza.

«Ter tudo» é sinónimo para se ser feliz? Não creio. Fez o trabalho dele o melhor que soube e conseguiu. É essencialmente um homem das letras, dos livros, da investigação, das bibliotecas. Nunca foi um homem de multidões. Mas teve que as enfrentar. E agora? Há tão poucos cardeais na casa dos 60, ou mesmo 50 anos. E existem muitos na casa dos 70 e 80. Esta igreja tem que rejuvenescer.

O estado de saúde do papa Vojtyla degradava-se dia após o dia mas o Vaticano manteve-o na cadeira de Pedro até ao fim. e Joseph Ratzinger permaneceu sempre ao seu lado. Algumas das imagens que surgiam na TV eram por vezes consternantes. O debate fez-se então e muita gente, incluindo cardeais, defenderam que o chefe da Igreja deveria renunciar quando ainda estivesse de posse de todas as suas faculdades mentais e com alguma qualidade de vida. Nunca ninguém pensou que o primeiro a fazê-lo, na era do pós-Vaticano II, fosse precisamente Ratzinger, tido como um dos maiores conservadores da Igreja. No entanto, esta renúncia é indicadora de uma grande abertura e modernidade numa instituição com 1.800 anos de existência.

Mantendo-nos ainda nos trânsitos, noto que Saturno não desempenhou nenhum papel especialmente importante, excepto o ter iniciado há pouco tempo o trânsito pela Casa VIII do Papa, o que pode implicar várias possibilidades. A tentação mais óbvia será «ver» a morte física do Papa, pois essa é uma das características dessa Casa VIII. No entanto, vejo mais como tendo o significado de culminação de uma longa travessia por Virgem e por Balança, que se pautou sempre pela dedicação a Jesus e Maria. A Casa VIII é o espaço do Eu Superior e deve ter sido isso que aconteceu: Joseph Ratzinger escutou o que lhe ia na alma e «fez». Culminou com a sua saída de um cargo tão pesado para ele. Quando Saturno transitava por Virgem, o Papa dedicou-se a trabalhar imenso por uma causa. Por exemplo, estabeleceu laços importantes com outras Igrejas. A seguir, quando transitou por Balança, dedicou-se de alma e coração a apoiar os jovens. Nunca é demais acentuar que Igreja é uma coisa e religião, outra. Fartei-me de ler nestes 2 dias, grandes equívocos sobre o assunto.

Saturno o que fez foi dar apoio aos grandes intervenientes deste mapa: um trígono a Plutão, consolidando o que tinha que fazer e, por outro lado, recebendo um belo trígono de Úrano. Não esqueçamos que aqueles planetas todos na Casa XII de Ratzinger, faziam quadraturas a Saturno, forçando a esta libertação.


Mapa das direcções simbólicas. Clicar para ampliar.

Para quê eu estar aqui a fazer análises, se posso utilizar um
comentário que encontrei do grande astrólogo LUÍS RESINA?
Aqui fica:

UMA SAÍDA EM BELEZA. CULMINAÇÃO E LIBERTAÇÃO

«Uma saída em beleza, Júpiter em direcção culmina no MC do qual é regente; Úrano regente da 12 - a casa da religiosidade - está em arco solar no FC, o fim das coisas! Culminação e libertação! 

Será que o Papa foi ajudado por algum astrólogo?!

As razões de saúde são justificáveis mas não chegam para anunciar uma renúncia que já não se via há uns cinco séculos! A Lua Nova, os trânsitos dos planetas rápidos na casa 12 e o Sol em oposição a Neptuno ajudaram para a efectivação da renúncia/abdicação do mandato do Papa Benedito. Veremos que mais surpresas nos reserva o Neptuno em Peixes.»

Luís Resina



Mapa dos arcos solares. Clicar para aumentar.
Podemos ver claramente neste mapa de arcos solares, Úrano a fazer arco com o Fundo do Céu. Como disse Luís Resina, a culminar uma trajectória. Tanto mais que é o regente da Casa 12.


Ficarei muito feliz se quiserem estabelecer diálogo na zona de comentários,
acrescentando e trazendo ideias.

Muito obrigado a todos.


O Papa, após o Consistório onde anunciou a sua renúncia,
abraçou o Cardeal Angelo Sodano, Deão do Colégio de Cardeais


O ANÚNCIO FEITO PELO PAPA BENTO XVI

“Queridíssimos irmãos,

Convoquei-vos para este Consistório, não apenas por causa das três canonizações, mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja.

Depois de examinar reiteradamente a minha consciência perante Deus, cheguei à certeza de que, pela idade avançada, já não tenho forças para exercer adequadamente o ministério de Pedro (petrino). Sou consciente de que este ministério, pela sua natureza espiritual, deve ser levado a cabo não apenas por obras e palavras mas também, em menor grau, através do sofrimento e da oração.

No mundo actual, sujeito a rápidas transformações e sacudido por questões de grande relevância para a vida da Fé, para governar a barca de S. Pedro e anunciar o Evangelho é necessário também vigor, tanto do corpo como do espírito. Vigor que, nos últimos meses, diminuiu em mim de forma que tenho de reconhecer a minha capacidade para exercer de boa forma o ministério que me foi encomendado.

Por isso, sendo consciente da seriedade deste acto, e em plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, sucessor de S. Pedro, que me foi confiado pelos cardeais no dia 19 de Abril de 2005. De forma que, a partir do dia 28 de Fevereiro de 2013, às 20h (19h em Lisboa), a sede de Roma, a sede de S. Pedro vai ficar vaga e deverá ser convocada, através daqueles que têm competências, o Conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice.

Queridíssimos irmãos, dou-vos as graças de coração por todo o amor e trabalho com que trouxeram até mim o peso do meu ministério e peço perdão por todos os meus defeitos.

Agora, confiamos a Igreja ao cuidado do Sumo Pastor, Nosso Senhor Jesus Cristo e suplicamos a Maria, sua Santa Mãe, que assista com a sua materna bondade aos padres cardeais ao eleger o novo Sumo Pontífice. Pelo que me diz respeito, também no futuro, quero servir com todo o meu coração à Santa Igreja de Deus com uma vida dedicada à oração.

Vaticano, 10 de Fevereiro de 2013”



O Papa Bento XVI na varanda da Basílica de S. Pedro, no Vaticano,
imediatamente após ter sido nomeado Papa em 19 Abril 2005.

Com a renúncia de Bento XVI o governo da Igreja Católica fica entregue ao cardeal carmelengo, - neste caso, o Cardeal Tarcisio Bertone, Secretário de Estado do Vaticano -, a quem cabe anunciar a data do Conclave em que vai ser eleito no novo chefe da Igreja Católica para substituir Joseph Ratzinger.

Para os estudantes de Astrologia Tradicional recomendo a leitura
do artigo assinado por Paulo Alexandre Silva. [não consigo fazer o link]:
http://www.astrologiamedieval.com/Resignacao-Bento-XVI.htm


.

14 comentários:

MARCELO DALLA disse...
12 de fevereiro de 2013 às 18:04  

Muito bom, amigo!
Só tenho a agradecer. Confesso que eu olhava esse papa com certo preconceito e tive uma grande lição. Vc me fez ver tudo com outros olhos, através dessa análise. Estou limpando há algum tempo uma certa raiva e revolta contra Igreja católica. Deixo isso pra trás, isso não é bom.

Digo isso pra ilustrar, a Astrologia que faz é curativa, mesmo que nem perceba. Grande abraço, querido!!!!

Magda Moita disse...
13 de fevereiro de 2013 às 00:41  

Recebi a notícia da resignação através da minha mãe acerca de umas três horas. É sempre a minha mãe que me põe a par das notícias, porque nos últimos tempos é coisa que nunca me apetece estar a par.
Em 2005 participei com o António e outros astrólogos na leitura do mapa do Joseph Ratzinger e teorizamos sobre a sua possível nomeação a Papa Bento XVI. Relembro-me das consabidas teorias da conspiração…
Ao partilhar a notícia com algumas pessoas, a primeira impressão delas foi que algo se haveria ter descoberto para tal decisão ser levada a cabo. Curioso, não me convenceu… E assim que as minhas actividades domesticas o permitiram, corri para o computador à procura de algo que o António tivesse escrito.
Abri a janela dos comentários, e… faço minhas as tuas palavras Marcelo, a Astrologia que o António faz é curativa, mesmo que nem perceba. Escreveste Marcelo, exactamente o que eu estava a pensar.
António! Realmente olhar para um mapa de um pessoa com idade tão avançada e ainda em plena actividade é fascinante.
Muito obrigada por este texto,
Abraço no coração,
Magda Moita

António Rosa disse...
13 de fevereiro de 2013 às 10:35  

Olá Marcelo,

Fiquei emocionado com a sua frase «...a Astrologia que faz é curativa, mesmo que nem perceba.». E não é que não percebo mesmo!!

Mas fico muito agradecido por me chamar a atenção e sobretudo, por entender que este trabalho é útil.

Ambos sabemos o que é amar a astrologia.

Grande abraço, querido amigo.

António Rosa disse...
13 de fevereiro de 2013 às 10:39  

Querida Magda

Do que te foste lembrar! Tens uma memória prodigiosa.

Nem imaginas o que tenho lido de astrólogos supostamente muito esclarecidos e espiritualizados que não resistem a serem preconceituosos e sarcásticos. Isso já não me tira do sério, mas sim, leva-me a pensar que devo procurar ler outras pessoas.

Muito obrigado pela tua opinião e que tenhas a mesma opinião que o Marcelo.

Muitos beijinhos.

Vera Braz Mendes disse...
13 de fevereiro de 2013 às 18:30  

Como sempre, excelente! Muitos vão teorizar sobre as razoes da saída. Sejam quais forem, Bento XVI mostra-se como um ser humano com limitações como todos os outros. Limitações físicas, mentais que na maioria das vezes nao levam quem esta agarrado ao poder a abdicar dele, por isso, tito-lhe o chapéu.

Bj

Lucia Vasconcelos disse...
14 de fevereiro de 2013 às 17:04  

Prezado Antonio, muito profundo e esclarecedor seu post. Talvez ache interessante olhar esse aqui: http://thoth3126.com.br/por-que-a-renuncia-do-papa-bento-xvi/

Astrid Annabelle disse...
14 de fevereiro de 2013 às 18:54  

Boa tarde meu querido António!

Sua arte é curativa sim!! Concordo com o Marcelo e com a Magda! E como é... vai muito além da Astrologia...

Entrei aqui, na realidade, não só para dizer que este seu texto como sempre está excelente, mas para lhe dizer o que talvez não tenha percebido...na manhã seguinte ao anúncio da renúncia, no meu bom dia alegria, no perfil do FB, eu postei a frase que brilhou em minha mente assim que acordei:

"Então os biógrafos teceram uma história maravilhosa e excitante em tomo da figura de Mojud, porque todos os santos devem ter suas histórias, e a história deve estar de acordo com a curiosidade do ouvinte, não com as realidades da vida."
É desse conto:

MOJUD: O Homem Cuja Vida Era Inexplicável...uma análise de um conto sufi by Osho

Depois que esta frase me veio à mente hoje cedo EU VI sair do centro das palmas das minhas mão muitos símbolos de Reiki... jorravam para o universo....

Detalhe: eu não havia lido nenhuma outra notícia além do fato em si... estava mesmo a receber informações sobre os "bastidores do evento"!!!!!!!

Beijos...e me perdoe as muitas palavras... queria que soubesse.

Astrid Annabelle

António Rosa disse...
15 de fevereiro de 2013 às 10:25  

Olá Vera,

Peço desculpa de só hoje responder, mas ontem estive todo o dia ausente do computador e não me foi possível escrever nada.

Muito agradecido pelas suas palavras. Atitudes como a do Papa causam-me admiração pela coragem e demonstração de desapego ao poder.

Também lhe tiro o chapéus.

António Rosa disse...
15 de fevereiro de 2013 às 10:26  


Muito agradecido por ter deixado o seu comentário. Antes de responder fui ao link que indicou e, sinceramente, é muito difícil para mim aderir a certas teorias da conspiração, como a apresentada nesse blogue.

Aliás, deixei isso bem claro no meu texto.

António Rosa disse...
15 de fevereiro de 2013 às 10:27  

Querida Astrid,

Peço desculpa de só hoje responder, mas ontem estive todo o dia ausente do computador e não me foi possível escrever nada.

Muito obrigado pelas suas palavras.

O seu comentário sobre esse conto sufi fez com que fosse à sua página à procura dele para ler ou reler, não sei.

Por aquilo que conta, a Astrid foi contactada a propósito da renúncia do Papa. É isso? Se é, não me surpreende.

E fiquei a pensar: 'afinal que bastidores são esses?'

Muito obrigado por ter partilhado.

Beijinho

Astrid Annabelle disse...
15 de fevereiro de 2013 às 17:07  

Olá meu querido António!

"E fiquei a pensar: 'afinal que bastidores são esses?'"

Respondendo:
Bastidores = o que/quem está atrás dos fatos ... essa foi a idéia neste caso.

Fui avisada que contariam muitas histórias sobre a renúncia do Papa.

Existe uma versão verdadeira e inacessível...MAS, para a humanidade restam as muitas conversas/histórias contadas... cada uma do seu ponto de vista.

É isso.. espero ter me explicado melhor agora...
Beijos
Astrid Annabelle

António Rosa disse...
17 de fevereiro de 2013 às 11:06  

Querida Astrid,

Compreendi perfeitamente. Muito obrigado por ter explicado melhor.

Beijinho

António

Isabel Redig disse...
18 de fevereiro de 2013 às 19:33  

Olha Antonio, eu não te conheço pessoalmente e sou uma estudante apaixonada pelas infinitas possibilidades da Astrologia. E eu aprendi a admirar o seu trabalho pela seriedade e amorosidade das suas colocações.
Adorei o artigo sobre a renúncia do Papa, de quem também não era fã mas que espontaneamente aplaudi pela coragem e pela humildade de reconhecer que chegou sua hora de parar. Sem dúvidas desejo a ele que consiga fazer de seus dias daqui para a frente, dias felizes de orações, boas leituras, contemplação e o quê mais ele considere vital para ele mesmo.
E a você, agradeço por me ensinar a ver a Astrologia a serviço de um mundo melhor e mais humano!
Estarei postando este artigo no meu BLOG e no FB. Obrigado de novo.
Um grande abraço.
Isabel Redig

Sandro69 disse...
19 de fevereiro de 2013 às 14:03  

Parabéns, Antônio. Uma bela análise! Sobre o que vc disse sobre Urano, há pelo menos um ano que Bento considera a renúncia de forma séria. Por experiência própria, trânsitos de Urano pelo Asc/Primeira Casa dão impulsos para decisões surpreendentes.

Abraços

12 de fevereiro de 2013

Papa Bento XVI, análise astrológica aprofundada da sua renúncia


O Papa Bento XVI no exacto momento em que anunciava a sua renúncia,
no dia 11 Fevereiro 2013, pelas 10 horas, no Vaticano

Mapa natal

Papa Bento XVI
[Joseph Ratzinger]
16 Abril 1927
4h15
Marktl, Germany (Alemanha)
48 N 15  12 E 51


Mapa natal do Papa Bento XVI.
Clicar para aumentar e ver melhor

No próprio dia da renúncia [11 Fev 2013], fiz uma apressada e demasiado breve análise astrológica da situação [aqui] e no meu Facebook, e hoje, 12 de Fevereiro, optei por fazer um artigo astrológico mais apropriado, apesar de mais extenso, que é o que vos apresento a seguir. Pretendo que fique como memória futura, destinado aos estudantes de astrologia.


Local onde foi anunciada a sua renúncia: no Consistório de Cardeais,
que se encontravam reunidos, convocados pela Papa Bento XVI, para tratarem
de três canonizações. O início do seu anúncio, exactamente as primeiras palavras foram estas:
«Queridíssimos irmãos, convoquei-vos para este Consistório, não apenas por causa das três canonizações,
mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja.»
Sabendo-se que reunir um Consistório de Cardeais é um acto programado com bastante antecedência,
percebe-se claramente que esta decisão estava tomada há mais tempo.



Bento XVI foi nomeado Papa em 19 Abril 2005. A sua renúncia foi anunciada pelo próprio Papa Bento XVI na manhã de segunda-feira, dia 11 Fevereiro 2013, por volta das 10h00, no Vaticano, numa cerimónia solene, no Consistório, com a presença de cardeais que tinham sido convocados para analisarem as datas de três canonizações. Típico da Igreja: um assunto espiritual [as canonizações] com um tema bem terreno [a renúncia papal].

O anúncio foi feito em latim, e imediatamente traduzido para todas as línguas oficiais dentro do Vaticano. No final deste artigo encontra a reprodução na íntegra do texto da renúncia, em forma de carta a todo o mundo católico. A saída formal do trono de S. Pedro dar-se-á no dia 28 Fevereiro 2013, às 19 horas TMG.

Até este parágrafo foram apresentadas todas as datas importantes para que os estudantes de astrologia possam fazer os seus mapas de estudos.

Quem se der ao cuidado de ler com muita atenção o texto de renúncia ao papado, sobretudo por parte dos astrólogos deveria haver esse cuidado, pois com facilidade se constatará que esta decisão já estava tomada há mais tempo, e só agora foi formalmente anunciada. Aceitarmos isto é vital, para podermos aprofundar a análise astrológica. O contrário disto é desatarmos a escrever [eu próprio o fiz no calor da notícia] e corrermos o risco de fazer astrologia medíocre ou insuficiente.

Há muitos anos que digo que há sempre nos mapas que se fizerem, algum posicionamento astrológico que justifica as palavras que escrevemos. Sei bem do que falo. Depois de ontem e hoje ter lido o que li, em várias línguas, creio que a maioria dos astrólogos fez um trabalho com serenidade e não deixou que os preconceitos contra esta personalidade, fossem visíveis nos seus textos. Outros sucumbiram a essa terrível tentação de ajustarmos o fato à medida do cliente.

Apreciei muito a frase da astróloga Vera Braz Mendes, pois penso de igual forma: «Penso que é de louvar a capacidade do Papa em reconhecer-se como 'ser humano' com todas as limitações que a idade traz. Muitas vezes vemos pessoas a insistirem continuar em cargos sem terem o mínimo de condições físicas ou mentais para continuar a desempenhar papéis de tão elevada responsabilidade. Sem qualquer comparação, vemos políticos em regimes autoritários 'agarrados' à cadeira do poder sem estarem em condições para tal.» Acrescento de minha responsabilidade: vários países africanos, alguns sul-americanos e outros na Ásia, pois 60% da população mundial vive em regimes autoritários, mesmo que disfarçados, como seja o caso da Venezuela.

Reconheço que, em 2005, fui uma das muitas pessoas que não simpatizava com o novo Papa e, nessa altura, alinhei como em muitos casos, nas consabidas teorias da conspiração. No entanto, os anos, uma maior aprendizagem prática sobre o que é a tolerância e aceitação, a compaixão e o amor aos outros, incluindo a minha experiência de vida, e a certa altura ter conscientemente decidido ler alguns livros seus, assim como várias encíclicas e palestras, fizeram com que eu, aos poucos, passasse a olhar para este homem, com outros olhos. Hoje em dia, não hesito em afirmar que Bento XVI é um grande teólogo, um excelente Papa, apreciado por milhões e detestados por outros, que, nesta fase da sua vida, teve uma decisão corajosa, a de renunciar ao Papado, o que já não ocorria há mais de 600 anos, e que possivelmente irá estabelecer um novo paradigma no processo de sucessão do trono de São Pedro.

No final do Consistório, com os Cardeais todos de pé para se despedirem
do seu Papa, líder religioso de mais de 1 bilião de pessoas em todo o mundo.


Mapa de trânsitos. Clicar para aumentar.


O que escrevi ontem está presente no texto abaixo, mas já com um enquadramento mais académico.

É a primeira vez que tenho oportunidade de consultar o mapa de uma pessoa, ainda viva e que tenha passado pela conjunção Úrano em trânsito ao Úrano natal, em Carneiro, que no caso do Papa, está na sua primeira Casa.  Esta conjunção já está separativa em 6 graus e este é um dos motivos porque se percebe que o texto já estaria escrito há mais tempo. Obviamente, não posso garantir, mas tudo me leva a crer que o texto começou a ser escrito quando Úrano ficou directo, no grau 4º de Carneiro, pelos idos de Dezembro 2012. No entanto, na retrogradação anterior à de 2012, Bento XVI deve ter começado a pensar neste assunto. Só que na Igreja Católica as coisas têm um ritmo muito próprio.

Este Úrano directo em trânsito está bem sustentado por um trígono a Saturno natal, no grau 6 de Leão, na sua Casa IX. Este Saturno que tão bem sabe caracterizar as grandes organizações religiosas, permitiu que o Papa fizesse tudo direitinho. A surpresa do mundo não reside em Úrano, mas sim na falta de hábito de assistirmos a situações parecidas. É a primeira vez em 600 anos que um Papa resigna. Este é um Úrano poderoso no mapa do Papa.

Igualmente, a mesma oportunidade deu-se para vermos um Plutão em trânsito, no grau 10 de Capricórnio, quase a sair da Casa X, a do reconhecimento social, fazendo oposição aplicativa ao Plutão natal, no grau 13 de Caranguejo, na Casa IV. Este Plutão em trânsito faz uma quadratura à Lua natal em Balança, na Casa VII, obviamente a dar por terminada a sua função de estar com o 'outro' [os católicos] de forma mais pública. Claramente, é a apetência de se virar para dentro. Sabe-se que escolheu ficar num mosteiro criado por João Paulo II, dentro dos muros do Vaticano e dedicado à oração, estudo e contemplação. Sabendo-se que o seu estado de saúde não é o melhor, obviamente que teria que ficar perto dos grandes centros com bons médicos e hospitais. Aqueles planetas todos a passarem na sua Casa XII são significadores desta situação. A ajudar a esta quadratura de Plutão à Lua, temos Neptuno e Quíron a transitarem na 12 e por lá permanecerão mais uns anos. Aquela tradição de se entender a Casa XII como um local de aprisionamento, de confinamento, ajusta-se em termos modernos a um mosteiro católico ou mesmo budista? Creio que sim.

Raramente temos a oportunidade de vermos os mapas de pessoas com esta idade [cerca de 86 anos], e que ainda estejam no activo. São mapas que chamam a atenção para situações tão fortes na vida de alguém, como é este o caso.

Perante isto, até nem é muito importante verificar a situação dos seus planetas natais, em que todos estão a transitar pela sua 12ª Casa e a fazem aspectos tensos a Saturno. Sinceramente, estamos a falar de uma energia de curta duração, que não sei bem se tem importância neste contexto papal.

É uma nova vida que começa para este homem, podendo agora ser um bocadinho mais feliz. Esta ideia da felicidade parece ter deixado algumas pessoas incomodadas, como se o facto do homem ser Papa, garantisse automaticamente a sua felicidade pessoal. É a ideia comum que as pessoas por atingirem certos patamares sociais, artísticos ou empresariais «têm tudo» e, portanto, são automaticamente felizes. As vida não é assim. Este Papa cumpriu o que era esperado dele e, como era muito próximo a João Paulo II, aprendeu a grande lição dos tempos modernos em cargos desta natureza.

«Ter tudo» é sinónimo para se ser feliz? Não creio. Fez o trabalho dele o melhor que soube e conseguiu. É essencialmente um homem das letras, dos livros, da investigação, das bibliotecas. Nunca foi um homem de multidões. Mas teve que as enfrentar. E agora? Há tão poucos cardeais na casa dos 60, ou mesmo 50 anos. E existem muitos na casa dos 70 e 80. Esta igreja tem que rejuvenescer.

O estado de saúde do papa Vojtyla degradava-se dia após o dia mas o Vaticano manteve-o na cadeira de Pedro até ao fim. e Joseph Ratzinger permaneceu sempre ao seu lado. Algumas das imagens que surgiam na TV eram por vezes consternantes. O debate fez-se então e muita gente, incluindo cardeais, defenderam que o chefe da Igreja deveria renunciar quando ainda estivesse de posse de todas as suas faculdades mentais e com alguma qualidade de vida. Nunca ninguém pensou que o primeiro a fazê-lo, na era do pós-Vaticano II, fosse precisamente Ratzinger, tido como um dos maiores conservadores da Igreja. No entanto, esta renúncia é indicadora de uma grande abertura e modernidade numa instituição com 1.800 anos de existência.

Mantendo-nos ainda nos trânsitos, noto que Saturno não desempenhou nenhum papel especialmente importante, excepto o ter iniciado há pouco tempo o trânsito pela Casa VIII do Papa, o que pode implicar várias possibilidades. A tentação mais óbvia será «ver» a morte física do Papa, pois essa é uma das características dessa Casa VIII. No entanto, vejo mais como tendo o significado de culminação de uma longa travessia por Virgem e por Balança, que se pautou sempre pela dedicação a Jesus e Maria. A Casa VIII é o espaço do Eu Superior e deve ter sido isso que aconteceu: Joseph Ratzinger escutou o que lhe ia na alma e «fez». Culminou com a sua saída de um cargo tão pesado para ele. Quando Saturno transitava por Virgem, o Papa dedicou-se a trabalhar imenso por uma causa. Por exemplo, estabeleceu laços importantes com outras Igrejas. A seguir, quando transitou por Balança, dedicou-se de alma e coração a apoiar os jovens. Nunca é demais acentuar que Igreja é uma coisa e religião, outra. Fartei-me de ler nestes 2 dias, grandes equívocos sobre o assunto.

Saturno o que fez foi dar apoio aos grandes intervenientes deste mapa: um trígono a Plutão, consolidando o que tinha que fazer e, por outro lado, recebendo um belo trígono de Úrano. Não esqueçamos que aqueles planetas todos na Casa XII de Ratzinger, faziam quadraturas a Saturno, forçando a esta libertação.


Mapa das direcções simbólicas. Clicar para ampliar.

Para quê eu estar aqui a fazer análises, se posso utilizar um
comentário que encontrei do grande astrólogo LUÍS RESINA?
Aqui fica:

UMA SAÍDA EM BELEZA. CULMINAÇÃO E LIBERTAÇÃO

«Uma saída em beleza, Júpiter em direcção culmina no MC do qual é regente; Úrano regente da 12 - a casa da religiosidade - está em arco solar no FC, o fim das coisas! Culminação e libertação! 

Será que o Papa foi ajudado por algum astrólogo?!

As razões de saúde são justificáveis mas não chegam para anunciar uma renúncia que já não se via há uns cinco séculos! A Lua Nova, os trânsitos dos planetas rápidos na casa 12 e o Sol em oposição a Neptuno ajudaram para a efectivação da renúncia/abdicação do mandato do Papa Benedito. Veremos que mais surpresas nos reserva o Neptuno em Peixes.»

Luís Resina



Mapa dos arcos solares. Clicar para aumentar.
Podemos ver claramente neste mapa de arcos solares, Úrano a fazer arco com o Fundo do Céu. Como disse Luís Resina, a culminar uma trajectória. Tanto mais que é o regente da Casa 12.


Ficarei muito feliz se quiserem estabelecer diálogo na zona de comentários,
acrescentando e trazendo ideias.

Muito obrigado a todos.


O Papa, após o Consistório onde anunciou a sua renúncia,
abraçou o Cardeal Angelo Sodano, Deão do Colégio de Cardeais


O ANÚNCIO FEITO PELO PAPA BENTO XVI

“Queridíssimos irmãos,

Convoquei-vos para este Consistório, não apenas por causa das três canonizações, mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja.

Depois de examinar reiteradamente a minha consciência perante Deus, cheguei à certeza de que, pela idade avançada, já não tenho forças para exercer adequadamente o ministério de Pedro (petrino). Sou consciente de que este ministério, pela sua natureza espiritual, deve ser levado a cabo não apenas por obras e palavras mas também, em menor grau, através do sofrimento e da oração.

No mundo actual, sujeito a rápidas transformações e sacudido por questões de grande relevância para a vida da Fé, para governar a barca de S. Pedro e anunciar o Evangelho é necessário também vigor, tanto do corpo como do espírito. Vigor que, nos últimos meses, diminuiu em mim de forma que tenho de reconhecer a minha capacidade para exercer de boa forma o ministério que me foi encomendado.

Por isso, sendo consciente da seriedade deste acto, e em plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, sucessor de S. Pedro, que me foi confiado pelos cardeais no dia 19 de Abril de 2005. De forma que, a partir do dia 28 de Fevereiro de 2013, às 20h (19h em Lisboa), a sede de Roma, a sede de S. Pedro vai ficar vaga e deverá ser convocada, através daqueles que têm competências, o Conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice.

Queridíssimos irmãos, dou-vos as graças de coração por todo o amor e trabalho com que trouxeram até mim o peso do meu ministério e peço perdão por todos os meus defeitos.

Agora, confiamos a Igreja ao cuidado do Sumo Pastor, Nosso Senhor Jesus Cristo e suplicamos a Maria, sua Santa Mãe, que assista com a sua materna bondade aos padres cardeais ao eleger o novo Sumo Pontífice. Pelo que me diz respeito, também no futuro, quero servir com todo o meu coração à Santa Igreja de Deus com uma vida dedicada à oração.

Vaticano, 10 de Fevereiro de 2013”



O Papa Bento XVI na varanda da Basílica de S. Pedro, no Vaticano,
imediatamente após ter sido nomeado Papa em 19 Abril 2005.

Com a renúncia de Bento XVI o governo da Igreja Católica fica entregue ao cardeal carmelengo, - neste caso, o Cardeal Tarcisio Bertone, Secretário de Estado do Vaticano -, a quem cabe anunciar a data do Conclave em que vai ser eleito no novo chefe da Igreja Católica para substituir Joseph Ratzinger.

Para os estudantes de Astrologia Tradicional recomendo a leitura
do artigo assinado por Paulo Alexandre Silva. [não consigo fazer o link]:
http://www.astrologiamedieval.com/Resignacao-Bento-XVI.htm


.

14 comentários:

MARCELO DALLA disse...

Muito bom, amigo!
Só tenho a agradecer. Confesso que eu olhava esse papa com certo preconceito e tive uma grande lição. Vc me fez ver tudo com outros olhos, através dessa análise. Estou limpando há algum tempo uma certa raiva e revolta contra Igreja católica. Deixo isso pra trás, isso não é bom.

Digo isso pra ilustrar, a Astrologia que faz é curativa, mesmo que nem perceba. Grande abraço, querido!!!!

Magda Moita disse...

Recebi a notícia da resignação através da minha mãe acerca de umas três horas. É sempre a minha mãe que me põe a par das notícias, porque nos últimos tempos é coisa que nunca me apetece estar a par.
Em 2005 participei com o António e outros astrólogos na leitura do mapa do Joseph Ratzinger e teorizamos sobre a sua possível nomeação a Papa Bento XVI. Relembro-me das consabidas teorias da conspiração…
Ao partilhar a notícia com algumas pessoas, a primeira impressão delas foi que algo se haveria ter descoberto para tal decisão ser levada a cabo. Curioso, não me convenceu… E assim que as minhas actividades domesticas o permitiram, corri para o computador à procura de algo que o António tivesse escrito.
Abri a janela dos comentários, e… faço minhas as tuas palavras Marcelo, a Astrologia que o António faz é curativa, mesmo que nem perceba. Escreveste Marcelo, exactamente o que eu estava a pensar.
António! Realmente olhar para um mapa de um pessoa com idade tão avançada e ainda em plena actividade é fascinante.
Muito obrigada por este texto,
Abraço no coração,
Magda Moita

António Rosa disse...

Olá Marcelo,

Fiquei emocionado com a sua frase «...a Astrologia que faz é curativa, mesmo que nem perceba.». E não é que não percebo mesmo!!

Mas fico muito agradecido por me chamar a atenção e sobretudo, por entender que este trabalho é útil.

Ambos sabemos o que é amar a astrologia.

Grande abraço, querido amigo.

António Rosa disse...

Querida Magda

Do que te foste lembrar! Tens uma memória prodigiosa.

Nem imaginas o que tenho lido de astrólogos supostamente muito esclarecidos e espiritualizados que não resistem a serem preconceituosos e sarcásticos. Isso já não me tira do sério, mas sim, leva-me a pensar que devo procurar ler outras pessoas.

Muito obrigado pela tua opinião e que tenhas a mesma opinião que o Marcelo.

Muitos beijinhos.

Vera Braz Mendes disse...

Como sempre, excelente! Muitos vão teorizar sobre as razoes da saída. Sejam quais forem, Bento XVI mostra-se como um ser humano com limitações como todos os outros. Limitações físicas, mentais que na maioria das vezes nao levam quem esta agarrado ao poder a abdicar dele, por isso, tito-lhe o chapéu.

Bj

Lucia Vasconcelos disse...

Prezado Antonio, muito profundo e esclarecedor seu post. Talvez ache interessante olhar esse aqui: http://thoth3126.com.br/por-que-a-renuncia-do-papa-bento-xvi/

Astrid Annabelle disse...

Boa tarde meu querido António!

Sua arte é curativa sim!! Concordo com o Marcelo e com a Magda! E como é... vai muito além da Astrologia...

Entrei aqui, na realidade, não só para dizer que este seu texto como sempre está excelente, mas para lhe dizer o que talvez não tenha percebido...na manhã seguinte ao anúncio da renúncia, no meu bom dia alegria, no perfil do FB, eu postei a frase que brilhou em minha mente assim que acordei:

"Então os biógrafos teceram uma história maravilhosa e excitante em tomo da figura de Mojud, porque todos os santos devem ter suas histórias, e a história deve estar de acordo com a curiosidade do ouvinte, não com as realidades da vida."
É desse conto:

MOJUD: O Homem Cuja Vida Era Inexplicável...uma análise de um conto sufi by Osho

Depois que esta frase me veio à mente hoje cedo EU VI sair do centro das palmas das minhas mão muitos símbolos de Reiki... jorravam para o universo....

Detalhe: eu não havia lido nenhuma outra notícia além do fato em si... estava mesmo a receber informações sobre os "bastidores do evento"!!!!!!!

Beijos...e me perdoe as muitas palavras... queria que soubesse.

Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Olá Vera,

Peço desculpa de só hoje responder, mas ontem estive todo o dia ausente do computador e não me foi possível escrever nada.

Muito agradecido pelas suas palavras. Atitudes como a do Papa causam-me admiração pela coragem e demonstração de desapego ao poder.

Também lhe tiro o chapéus.

António Rosa disse...


Muito agradecido por ter deixado o seu comentário. Antes de responder fui ao link que indicou e, sinceramente, é muito difícil para mim aderir a certas teorias da conspiração, como a apresentada nesse blogue.

Aliás, deixei isso bem claro no meu texto.

António Rosa disse...

Querida Astrid,

Peço desculpa de só hoje responder, mas ontem estive todo o dia ausente do computador e não me foi possível escrever nada.

Muito obrigado pelas suas palavras.

O seu comentário sobre esse conto sufi fez com que fosse à sua página à procura dele para ler ou reler, não sei.

Por aquilo que conta, a Astrid foi contactada a propósito da renúncia do Papa. É isso? Se é, não me surpreende.

E fiquei a pensar: 'afinal que bastidores são esses?'

Muito obrigado por ter partilhado.

Beijinho

Astrid Annabelle disse...

Olá meu querido António!

"E fiquei a pensar: 'afinal que bastidores são esses?'"

Respondendo:
Bastidores = o que/quem está atrás dos fatos ... essa foi a idéia neste caso.

Fui avisada que contariam muitas histórias sobre a renúncia do Papa.

Existe uma versão verdadeira e inacessível...MAS, para a humanidade restam as muitas conversas/histórias contadas... cada uma do seu ponto de vista.

É isso.. espero ter me explicado melhor agora...
Beijos
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Querida Astrid,

Compreendi perfeitamente. Muito obrigado por ter explicado melhor.

Beijinho

António

Isabel Redig disse...

Olha Antonio, eu não te conheço pessoalmente e sou uma estudante apaixonada pelas infinitas possibilidades da Astrologia. E eu aprendi a admirar o seu trabalho pela seriedade e amorosidade das suas colocações.
Adorei o artigo sobre a renúncia do Papa, de quem também não era fã mas que espontaneamente aplaudi pela coragem e pela humildade de reconhecer que chegou sua hora de parar. Sem dúvidas desejo a ele que consiga fazer de seus dias daqui para a frente, dias felizes de orações, boas leituras, contemplação e o quê mais ele considere vital para ele mesmo.
E a você, agradeço por me ensinar a ver a Astrologia a serviço de um mundo melhor e mais humano!
Estarei postando este artigo no meu BLOG e no FB. Obrigado de novo.
Um grande abraço.
Isabel Redig

Sandro69 disse...

Parabéns, Antônio. Uma bela análise! Sobre o que vc disse sobre Urano, há pelo menos um ano que Bento considera a renúncia de forma séria. Por experiência própria, trânsitos de Urano pelo Asc/Primeira Casa dão impulsos para decisões surpreendentes.

Abraços

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates