Entrámos em «modo festas felizes»

9 de dezembro de 2008 ·

Comecemos por uma questão básica. Desde há uns anos, nesta fase da minha vida, deixei de achar piada à época natalícia. Há uns anos tomei uma decisão estranha para esta época do ano – não dar prendas de Natal. A consequência foi óbvia – deixei de receber prendas. Uff! Foi um descanso.

Não foi uma decisão radical. Correspondeu a um lento processo de afastamento de uma prática comum no mundo ocidental.

Nunca fui apreciador de shopping. Aborrece-me andar às compras. Nem sempre fui assim. No passado era um lufa-lufa tremendo, esgotante, na época natalícia. Aos poucos, entrei na fase seguinte: comprar tudo na mesma loja. Depois, passei para a fase de restringir as prendas apenas à família e ao pessoal da editora. A seguir passei ao «modo prendas apenas para as crianças da família». Por fim, também parei com isso. Foi um processo que durou vários anos. A família percebeu e respeitou.

No entanto, nesta altura do ano, perco-me com fatias douradas bem feitas. Em frente à minha casa há uma pastelaria que as faz de forma excelente. Como ando a tirar um auto-curso de culinária, tentei fazê-las eu próprio, no sábado passado. Era melhor ter ficado quieto.

Ainda não percebi o que me faz ser tão mau cozinheiro. Será pelo facto de a minha Vénus [ainda por cima na casa 2] apenas fazer dois aspectos natais? Conjunção a Úrano e um quincôncio a Quíron, na 7? Estou enganado ou os assuntos culinários pertencem à casa 2?

39 comentários:

Ana Cristina disse...
9 de dezembro de 2008 às 11:25  

António, vejo a culinária mais relacionada com a casa IV e VI, muitas vezes com a V, uma forma de expressão criativa e amorosa, por isso as condições da Lua também se tornam importantes.
Eu também risquei o natal do meu calendário há já um tempo, não faz sentido que seja uma época de hipocrisias, ver aqueles que somos obrigados e gastar dinheiro que não se tem...:-).
Melhor é ir comer à pastelaria da frente, assim come uma em vez de ficar com muitas em casa :-)

António Rosa disse...
9 de dezembro de 2008 às 11:52  

Olá Ana Cristina,

Vou olhar a culinária sob esse prisma - lol. Um alívio isto de dispensarmos o natal. É isso mesmo, o melhor é ir à pastelaria.

hahelna@hotmail.com disse...
9 de dezembro de 2008 às 12:15  
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
António Rosa disse...
9 de dezembro de 2008 às 12:49  

Hahelna,

Muito obrigado pela opinião. Irei investigar.

Táxi Pluvioso disse...
9 de dezembro de 2008 às 13:30  

Obrigado pela visita. E sensibilizado pela referência ao meu blog. Nem a culinária do Natal me seduz. Contento-me com um McDonald's.

Ao ler esse post abaixo fiquei com vontade de comprar o livro do Rendeiro. Se ele teve sucesso na banca, porque não eu? Acho que ele foi muito simpático em partilhar o seu know how com a malta que insiste em trabalhar nas fábricas, minas ou na função pública. E depois lixa-se, porque não há pacote para eles (salvo seja).

António Rosa disse...
9 de dezembro de 2008 às 13:35  

Taxi Pluvioso,

Apreciei imenso o seu blog. Comentei apenas a crónica mais recente, mas andei por lá, a ler coisas mais antigas, sempre com o mesmo prazer. Foi uma descoberta prazenteira.

Lucy disse...
9 de dezembro de 2008 às 13:41  

António,
Nunca me senti mais 'semelhante' a ti!

Nem para cozinhados sou boa! Será que a minha cabeça ficou na Lua?
Bem, pelo menos não tenho uma pastelaria em frente...

Por estas afinidades, uma beijoca com o desejo de uma boa 'rabanada' bem regadinha.

Lucy

António Rosa disse...
9 de dezembro de 2008 às 14:28  

Lucy, gostei muito das tuas últimas fotografias.

Maria Paula Ribeiro disse...
9 de dezembro de 2008 às 16:28  

Olá António,

Considero que seja a casa 2,seja pela casa da "alimentação", seja por ser uma casa de recursos, e valorização. Não somos ninguém sem alimento, e somos o que reflectimos, a nível de alimentação.
"pela boca cuidamos-nos", dizia Aristóteles.
IV e V, também, por nos ter sido incutido os valores soberanos do "pão na mesa".
Expressão criativa e amorosa: Vejo mais o saber fazer um requintado jantar a luz de velas, mas como um jogo de sedução onde, geralmente, é um dos parceiros que cozinha, antecipadamente. Se forem os dois em simultâneo, arriscam-se a interromper, tal evento em favor da paixão, ou sair demasiado cozinhado ou mesmo queimado!

Mas todos sabemos que é instintivo do ser humano, fome-alimento e amor.
Não esquecer a casa VI, em prole dos cozinheiros que vêm o seu dia-a-dia permanentemente numa cozinha.

Agora com Úrano em conjunção, suspeitaria que te seja mais favorável inventar novas receitas do que tentares fazer as que existam...

Em relação ao Natal, farto-me de dizer e considerar: O Natal existe dentro de nós, não há "época obrigatória", para.

Beijo

António Rosa disse...
9 de dezembro de 2008 às 17:25  

Olá MaryPaula,

Natais à parte, vejo a culinária um pouco como tu. Sou mais de gostar de comer do que gostar de cozinhar, por isso o enfatizar a casa 2. Para o tal jantar à luz das velas (já não me lembro como são . lol.), sou do estilo de ir a um «chinês» e comprar 2 velas com cheiro. Quanto a inventar novas receitas, por acaso não é bem assim, mas mais do jeito de misturar coisas.

beijoka

Samsara disse...
9 de dezembro de 2008 às 19:53  

Comidinhas na II, na IV e na V.

António não acho que devas desistir. As fatias Douradas da minha mãe são o que mais gosto no Natal e ainda gosto mais delas frias no dia a seguir. Há muitas maneiras de fazer fatias douradas, mas estas são assim:

Pão de forma do dia anterior cortado da largura de um dedo, não esquecer de tirar a côdea (tem que ser pão de forma a sério e não da panrico)
Travessa funda com leite e cascas de limão, prato c/ farinha(s/ fermento), prato com ovos batidos, prato com açucar e canela.

Pegar no pão e passar pelo leite, escorrer passar pela farinha, pelo ovo e fritar em óleo.

Deixar escorrer bem o óleo em prato com papel.

Passar pelo prato com açucar e canela e colocar em travessa funda.

Ir renovando o óleo de fritar para que não fique queimado.

No final junta-se o leite com o limão e o açucar e canela que sobraram e leva-se ao lume até ferver.

Depois despeja-se sobre as fatias já fritas na travessa funda.

Gostos não se discutem, mas para mim estas são as melhores do mundo António e são uma prazer enorme para mim (V), feitas pela mamã (IV) e é algo a que eu dou especial valor (II), Natal sem esta delícia não é Natal para mim.

Quanto aos presentes, adoro dá-los e recebê-los, enquanto houver dinheiro darei presentes, quando não houver não darei, sem dramas mas com muita pena se assim tiver que ser.

Amo o Natal!

Não desistas da cozinha, seria uma pena. Agora como qualquer arte, tem que ser feita com alguma disposição e muito amor, são ingredientes fundamentais para o sucesso na cozinha. Se pensarmos que vai falhar falha mesmo não é?

Vai-nos mantendo a par dos teus cozinhados, adoro estes teus posts.

Beijinhos

António Rosa disse...
9 de dezembro de 2008 às 20:13  

Patrícia,

Foste muito querida com esta receita. Tudo bem explicado. Já a guardei no computador na minha pasta de receitas. Gostei do "truque" - pão de forma do dia anterior. Às tantas não é truque, é quesito importante. Não desistirei, até porque ainda não contei aqui um arroz de atum com pimentos que me está a sair muito bem.

Boas prendas para ti.

joana disse...
9 de dezembro de 2008 às 22:01  

Auto-curso de culinária, hehehe : ) achei demais António.

Sobre a sua pergunta... vivi há não muito pouco tempo 1 ano inteiro numa casa sem cozinha... associei isso à casa 2 quase toda interceptada, mas também podia ser dos trânsitos... Sobre o tipo de alimentação que tenho... associo a Mercúrio e Vénus na 6. Sobre o gosto por cozinhar fiquei a interrogar-me qual é o signo associado ao olfacto... ??? Há algum ?

António, e como é que não liga ao Natal se até já enfeitou o seu blogue para esta época ? ; )

Beijinho

António Rosa disse...
9 de dezembro de 2008 às 22:20  

Olá Joana,

Eu não ligo e não faço decorações natalícias em minha casa. Há uns anos fiz uma árvore de Natal porque a minha neta era muito pequenina e foi a pensar nela, pois eles tinham vindo a Portugal nesse ano e passavam com frequência por minha casa. Como tenho gatos e política de porta aberta, quando chegava a casa, estava tudo espalhado pelo chão. Não voltei a fazer.

Quanto à decoração natalícia do meu blogue, foi a pensar nos amigos que visitam este espaço. =)=) Para os receber bem.

Espero ir mudando a decoração daqui até ao Natal e poder colocar aquelas muito kitch, que acendem, ardem e fazem coisas assim. Vai ser divertido.

Ou é um magazine ou não é... =)

joana disse...
9 de dezembro de 2008 às 22:45  

António... eu também desde que deixei de viver com meus pais (há uns 12-13 anos) que nunca tive uma única decoração natalícia !!! : ) Mas reparei logo naquela coroa ; ) Grata por tão bem nos receber aqui. Vou ficar atenta aos e(n)feitos especiais... Beijinho

Hanah disse...
10 de dezembro de 2008 às 00:11  

Olá Antonio,

se puder suprimir o meu comentário, ficarei grata, ando um pouco dispersa e acabei colocando o meu e-mail....

grata...

Hanah

o que me vier à real gana disse...
10 de dezembro de 2008 às 03:16  

Boa noite!

Bom por aqui. Parabéns!

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2008 às 08:25  

Olá Joana

Acho que se deve curtir os momentos que passam. A mim as decorações não me incomodam, e se o espírito da quadra é esse. A Joana não conheceu o meu antigo «Postais da Novalis». No seu segundo ano fiz 2 posts especiais - um pelo Natal e outro foi uma Festa de Fim de Ano. Foi impressionante o que atraiu de comentários. Até meditação ao segundo houve, conduzida pelo Om Lumen. =)

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2008 às 08:26  

Hanah

Já suprimi o comentário de cima. Obrigado pela visita.

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2008 às 08:27  

O que me vier à real gana,

Bom dia para si e seja bem-vinda. Obrigado pela visita.

joana disse...
10 de dezembro de 2008 às 09:15  

Olá António,

Acho que decorar é transmitir amor à matéria... e acho a relação entre valor e decoração um tema bem bonito. Mas um Quíron na 2... ; )
E gostava muito de ter conhecido esses seus "Postais da Novalis". : )

Um beijo

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2008 às 09:28  

Joana

Também vejo assim: decorar é transmitir amor não só à matéria (neste caso, o blogue), mas também amar o que se faz (ser blogueiro).

É uma forma de eu trabalhar o meu Quíron na 7. Por isso, eu ficar tão desarmado com a questão "relações amorosas", tema que não consigo entender direito.

joana disse...
10 de dezembro de 2008 às 10:22  

António, ainda não consegui assimilar bem o significado de Quíron mas gosto muito daquele símbolo da chave... Como se tivéssemos connosco chave da casa onde está... só que nem sempre 'queremos' abrir a porta. E não faço ideia... mas a quadratura exacta que faz à minha Vénus deve enfatizar aquela posição... e pela minha experiência... também deve ter bastante desse Quíron na 7.

Gosto muito do seu blogue : )

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2008 às 11:55  

Joana,

Este Quíron dá-nos cabo da cabeça. =)

joana disse...
10 de dezembro de 2008 às 12:04  

: P : ) : )

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2008 às 12:53  

Joana,

O seu Quíron na 2... Hum...!!!...

Se eu desviar o meu olhar para o grau 22;01 de Leão na 7 [ponto médio Saturno/Úrano] e der uma orbe de 1º 30' a 2º, que consigo ver?

- Semi-sextil de Vénus.
- Quincúncio da Lua.

Digamos que a quadratura Quíron a Vénus pode sair-se bem, com a ajuda deste contacto de Vénus a este ponto médio. Como a Vénus também cuida de algumas das suas questões profissionais, quem sabe se não será por aí que sentirá as questões de Quíron? A casa 7 também trata dos assuntos públicos, como sabe.

irradiandoluz disse...
10 de dezembro de 2008 às 18:01  

Oi António,

Ultimamente, eu tenho buscado presentear as pessoas com artesanato, de preferência feito por mim... mas pela falta de habilidade, às vezes acabo comprando algum artesanato feito por algum amigo...
Essa atitude tem me trasido muita alegria, e tem sido bem recebida pela minha família (ou únicos que presenteio).
Quando estou envolvido com algum grupo ou se alguns amigos decidem fazer o "amigo secreto" ou "amigo oculto" (não sei como se chama aí em Portugal), eu sempre sugiro o "amigo artesão", em que os presentes tem que ser feitos pela própria pessoa... também dá muito resultado e muita alegria...
Mas acho que o mais importante nesta época é manter o astral pra cima, a vibração positiva e a luz irradiando... pois as pessoas estão mais abertas a receber estes presentes...

Abração
Gabriel Dread

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2008 às 18:12  

Amigo Gabriel

Bela ideia a do artesanato. É mesmo isso. O que toda a humanidade precisa mesmo estão nas suas bonitas palavras: «que o mais importante nesta época é manter o astral pra cima, a vibração positiva e a luz irradiando...»

Bem haja e um abraço.

joana disse...
10 de dezembro de 2008 às 18:12  

"Digamos que a quadratura Quíron a Vénus pode sair-se bem, com a ajuda deste contacto de Vénus a este ponto médio."

: ) : ) : ) ! António, e nunca tinha entendido astrologicamente porque que nessa época do ano de meio de Agosto me acontece quase sempre algo tão marcante e transformador. Se calhar pode ser então desse contacto... : )

"Como a Vénus também cuida de algumas das suas questões profissionais, quem sabe se não será por aí que sentirá as questões de Quíron?"

Sinto o Quíron na 2 tb nos assuntos profissionais do dia-a-dia sim, e de que maneira! Acho que grande parte do que faço na profissão que exerço e que conhece está ligada a essa associação Quíron / Vénus.
E por outro lado com Vénus na 6... a relação amorosa mais longa que tive era também profissional.

António, outra coisa... a sua visão do 'decorar' numa mensagem anterior deu-me muito que pensar porque não entendi à primeira. Acho que entendo agora o que diz.

Beijinho,

e muito obrigada pela chamada de atenção em relação a esse ponto médio Saturno / Urano.

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2008 às 18:41  

Joana

Sabe que Barbara Hand Clow diz que Quíron em Sagitário na casa 7 tem o significado «daquele que receberá e orientará no planeta os seres que chegam de outras sistemas e galáxias»?

Não imagina a confusão que isto me fez na altura. Depois... conheci os canopianos.

joana disse...
10 de dezembro de 2008 às 19:09  

Não fazia ideia António... Nunca consegui comprar nenhum livro da Barbara Hand Clow... só li alguns excertos na net.

E isso que ela diz é muito bonito : ) E lembro-me de já ter ouvido o António referir Canopus... E como nos chegam aqui os Canopianos ? São walk-in ?

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2008 às 20:04  

Joana

Alguns são. A maioria são multidimensionais. É uma civilização 12D. Aquilo que os nossos telescópios captam são ventos do que resta quando tinham mundo físico. É o que me consta, pois não tenho a certeza.

joana disse...
10 de dezembro de 2008 às 20:49  

António, grata pela explicação.

HighLander77 disse...
11 de dezembro de 2008 às 09:53  

OI Antonio,

Decisao sensata a de parar com as prendas! Descobri duas coisas aqui na "ilha": Amazon e Ebay!
Sentadinho no recanto do lar, a encomendar tudo pela net e por bons precos! So tenho de esperar que me levem as coisas para casa!
Quanto aos dotes culinarios, parece-me que a casa 2 tera mais a ver com comer do que com cozinhar.

Ja caranguejo e a IV parece-me que tenha mais a ver com o lar, e com as nossas necessidades basicas ou de "colinho".

Grande Abraco,
Paulo

António Rosa disse...
11 de dezembro de 2008 às 11:40  

Joana

É sempre um prazer conversar consigo. Gosto muito de si.

António Rosa disse...
11 de dezembro de 2008 às 11:43  

Olá Paulo

Tenho que espreitar o eBay, pois nunca o vi. Também não há €€€ to spend.... :):)

joana disse...
11 de dezembro de 2008 às 15:15  

: ) António, eu também.

Fada Moranga disse...
15 de dezembro de 2008 às 04:26  

Eu gosto tanto do Natal!
Acredito num Natal com Amor verdadeiro, com prendas sentidas, com familia, com partilha! Natal sempre! Quanto a prendas... Antes de estudar para Fada comprava tudo. Depois comecei a fazer prendas para algumas pessoas e descobri alguns dos meus tesouros. Mas continuo a oferecer livros. Isso nao dispenso! E prendas de acucar - BoloRainhaMoranga, Bolinhas de Fada... Coisas de Venus. E mais recentemente ja aconteceu presentear alguem com um estudo astral/numerologico.
E por mim a arvore de Natal ficava de pe o ano inteiro! :-)

Fada Moranga disse...
15 de dezembro de 2008 às 04:32  

Esqueci-me de dizer isto: tambem ja comprei livros de Astrologia e etc na Amazon e ha uma outra loja on-line maravilhosa Etsy, onde se descobrem verdadeiras maravilhas.

http://www.etsy.com/

9 de dezembro de 2008

Entrámos em «modo festas felizes»

Comecemos por uma questão básica. Desde há uns anos, nesta fase da minha vida, deixei de achar piada à época natalícia. Há uns anos tomei uma decisão estranha para esta época do ano – não dar prendas de Natal. A consequência foi óbvia – deixei de receber prendas. Uff! Foi um descanso.

Não foi uma decisão radical. Correspondeu a um lento processo de afastamento de uma prática comum no mundo ocidental.

Nunca fui apreciador de shopping. Aborrece-me andar às compras. Nem sempre fui assim. No passado era um lufa-lufa tremendo, esgotante, na época natalícia. Aos poucos, entrei na fase seguinte: comprar tudo na mesma loja. Depois, passei para a fase de restringir as prendas apenas à família e ao pessoal da editora. A seguir passei ao «modo prendas apenas para as crianças da família». Por fim, também parei com isso. Foi um processo que durou vários anos. A família percebeu e respeitou.

No entanto, nesta altura do ano, perco-me com fatias douradas bem feitas. Em frente à minha casa há uma pastelaria que as faz de forma excelente. Como ando a tirar um auto-curso de culinária, tentei fazê-las eu próprio, no sábado passado. Era melhor ter ficado quieto.

Ainda não percebi o que me faz ser tão mau cozinheiro. Será pelo facto de a minha Vénus [ainda por cima na casa 2] apenas fazer dois aspectos natais? Conjunção a Úrano e um quincôncio a Quíron, na 7? Estou enganado ou os assuntos culinários pertencem à casa 2?

39 comentários:

Ana Cristina disse...

António, vejo a culinária mais relacionada com a casa IV e VI, muitas vezes com a V, uma forma de expressão criativa e amorosa, por isso as condições da Lua também se tornam importantes.
Eu também risquei o natal do meu calendário há já um tempo, não faz sentido que seja uma época de hipocrisias, ver aqueles que somos obrigados e gastar dinheiro que não se tem...:-).
Melhor é ir comer à pastelaria da frente, assim come uma em vez de ficar com muitas em casa :-)

António Rosa disse...

Olá Ana Cristina,

Vou olhar a culinária sob esse prisma - lol. Um alívio isto de dispensarmos o natal. É isso mesmo, o melhor é ir à pastelaria.

hahelna@hotmail.com disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
António Rosa disse...

Hahelna,

Muito obrigado pela opinião. Irei investigar.

Táxi Pluvioso disse...

Obrigado pela visita. E sensibilizado pela referência ao meu blog. Nem a culinária do Natal me seduz. Contento-me com um McDonald's.

Ao ler esse post abaixo fiquei com vontade de comprar o livro do Rendeiro. Se ele teve sucesso na banca, porque não eu? Acho que ele foi muito simpático em partilhar o seu know how com a malta que insiste em trabalhar nas fábricas, minas ou na função pública. E depois lixa-se, porque não há pacote para eles (salvo seja).

António Rosa disse...

Taxi Pluvioso,

Apreciei imenso o seu blog. Comentei apenas a crónica mais recente, mas andei por lá, a ler coisas mais antigas, sempre com o mesmo prazer. Foi uma descoberta prazenteira.

Lucy disse...

António,
Nunca me senti mais 'semelhante' a ti!

Nem para cozinhados sou boa! Será que a minha cabeça ficou na Lua?
Bem, pelo menos não tenho uma pastelaria em frente...

Por estas afinidades, uma beijoca com o desejo de uma boa 'rabanada' bem regadinha.

Lucy

António Rosa disse...

Lucy, gostei muito das tuas últimas fotografias.

Maria Paula Ribeiro disse...

Olá António,

Considero que seja a casa 2,seja pela casa da "alimentação", seja por ser uma casa de recursos, e valorização. Não somos ninguém sem alimento, e somos o que reflectimos, a nível de alimentação.
"pela boca cuidamos-nos", dizia Aristóteles.
IV e V, também, por nos ter sido incutido os valores soberanos do "pão na mesa".
Expressão criativa e amorosa: Vejo mais o saber fazer um requintado jantar a luz de velas, mas como um jogo de sedução onde, geralmente, é um dos parceiros que cozinha, antecipadamente. Se forem os dois em simultâneo, arriscam-se a interromper, tal evento em favor da paixão, ou sair demasiado cozinhado ou mesmo queimado!

Mas todos sabemos que é instintivo do ser humano, fome-alimento e amor.
Não esquecer a casa VI, em prole dos cozinheiros que vêm o seu dia-a-dia permanentemente numa cozinha.

Agora com Úrano em conjunção, suspeitaria que te seja mais favorável inventar novas receitas do que tentares fazer as que existam...

Em relação ao Natal, farto-me de dizer e considerar: O Natal existe dentro de nós, não há "época obrigatória", para.

Beijo

António Rosa disse...

Olá MaryPaula,

Natais à parte, vejo a culinária um pouco como tu. Sou mais de gostar de comer do que gostar de cozinhar, por isso o enfatizar a casa 2. Para o tal jantar à luz das velas (já não me lembro como são . lol.), sou do estilo de ir a um «chinês» e comprar 2 velas com cheiro. Quanto a inventar novas receitas, por acaso não é bem assim, mas mais do jeito de misturar coisas.

beijoka

Samsara disse...

Comidinhas na II, na IV e na V.

António não acho que devas desistir. As fatias Douradas da minha mãe são o que mais gosto no Natal e ainda gosto mais delas frias no dia a seguir. Há muitas maneiras de fazer fatias douradas, mas estas são assim:

Pão de forma do dia anterior cortado da largura de um dedo, não esquecer de tirar a côdea (tem que ser pão de forma a sério e não da panrico)
Travessa funda com leite e cascas de limão, prato c/ farinha(s/ fermento), prato com ovos batidos, prato com açucar e canela.

Pegar no pão e passar pelo leite, escorrer passar pela farinha, pelo ovo e fritar em óleo.

Deixar escorrer bem o óleo em prato com papel.

Passar pelo prato com açucar e canela e colocar em travessa funda.

Ir renovando o óleo de fritar para que não fique queimado.

No final junta-se o leite com o limão e o açucar e canela que sobraram e leva-se ao lume até ferver.

Depois despeja-se sobre as fatias já fritas na travessa funda.

Gostos não se discutem, mas para mim estas são as melhores do mundo António e são uma prazer enorme para mim (V), feitas pela mamã (IV) e é algo a que eu dou especial valor (II), Natal sem esta delícia não é Natal para mim.

Quanto aos presentes, adoro dá-los e recebê-los, enquanto houver dinheiro darei presentes, quando não houver não darei, sem dramas mas com muita pena se assim tiver que ser.

Amo o Natal!

Não desistas da cozinha, seria uma pena. Agora como qualquer arte, tem que ser feita com alguma disposição e muito amor, são ingredientes fundamentais para o sucesso na cozinha. Se pensarmos que vai falhar falha mesmo não é?

Vai-nos mantendo a par dos teus cozinhados, adoro estes teus posts.

Beijinhos

António Rosa disse...

Patrícia,

Foste muito querida com esta receita. Tudo bem explicado. Já a guardei no computador na minha pasta de receitas. Gostei do "truque" - pão de forma do dia anterior. Às tantas não é truque, é quesito importante. Não desistirei, até porque ainda não contei aqui um arroz de atum com pimentos que me está a sair muito bem.

Boas prendas para ti.

joana disse...

Auto-curso de culinária, hehehe : ) achei demais António.

Sobre a sua pergunta... vivi há não muito pouco tempo 1 ano inteiro numa casa sem cozinha... associei isso à casa 2 quase toda interceptada, mas também podia ser dos trânsitos... Sobre o tipo de alimentação que tenho... associo a Mercúrio e Vénus na 6. Sobre o gosto por cozinhar fiquei a interrogar-me qual é o signo associado ao olfacto... ??? Há algum ?

António, e como é que não liga ao Natal se até já enfeitou o seu blogue para esta época ? ; )

Beijinho

António Rosa disse...

Olá Joana,

Eu não ligo e não faço decorações natalícias em minha casa. Há uns anos fiz uma árvore de Natal porque a minha neta era muito pequenina e foi a pensar nela, pois eles tinham vindo a Portugal nesse ano e passavam com frequência por minha casa. Como tenho gatos e política de porta aberta, quando chegava a casa, estava tudo espalhado pelo chão. Não voltei a fazer.

Quanto à decoração natalícia do meu blogue, foi a pensar nos amigos que visitam este espaço. =)=) Para os receber bem.

Espero ir mudando a decoração daqui até ao Natal e poder colocar aquelas muito kitch, que acendem, ardem e fazem coisas assim. Vai ser divertido.

Ou é um magazine ou não é... =)

joana disse...

António... eu também desde que deixei de viver com meus pais (há uns 12-13 anos) que nunca tive uma única decoração natalícia !!! : ) Mas reparei logo naquela coroa ; ) Grata por tão bem nos receber aqui. Vou ficar atenta aos e(n)feitos especiais... Beijinho

Hanah disse...

Olá Antonio,

se puder suprimir o meu comentário, ficarei grata, ando um pouco dispersa e acabei colocando o meu e-mail....

grata...

Hanah

o que me vier à real gana disse...

Boa noite!

Bom por aqui. Parabéns!

António Rosa disse...

Olá Joana

Acho que se deve curtir os momentos que passam. A mim as decorações não me incomodam, e se o espírito da quadra é esse. A Joana não conheceu o meu antigo «Postais da Novalis». No seu segundo ano fiz 2 posts especiais - um pelo Natal e outro foi uma Festa de Fim de Ano. Foi impressionante o que atraiu de comentários. Até meditação ao segundo houve, conduzida pelo Om Lumen. =)

António Rosa disse...

Hanah

Já suprimi o comentário de cima. Obrigado pela visita.

António Rosa disse...

O que me vier à real gana,

Bom dia para si e seja bem-vinda. Obrigado pela visita.

joana disse...

Olá António,

Acho que decorar é transmitir amor à matéria... e acho a relação entre valor e decoração um tema bem bonito. Mas um Quíron na 2... ; )
E gostava muito de ter conhecido esses seus "Postais da Novalis". : )

Um beijo

António Rosa disse...

Joana

Também vejo assim: decorar é transmitir amor não só à matéria (neste caso, o blogue), mas também amar o que se faz (ser blogueiro).

É uma forma de eu trabalhar o meu Quíron na 7. Por isso, eu ficar tão desarmado com a questão "relações amorosas", tema que não consigo entender direito.

joana disse...

António, ainda não consegui assimilar bem o significado de Quíron mas gosto muito daquele símbolo da chave... Como se tivéssemos connosco chave da casa onde está... só que nem sempre 'queremos' abrir a porta. E não faço ideia... mas a quadratura exacta que faz à minha Vénus deve enfatizar aquela posição... e pela minha experiência... também deve ter bastante desse Quíron na 7.

Gosto muito do seu blogue : )

António Rosa disse...

Joana,

Este Quíron dá-nos cabo da cabeça. =)

joana disse...

: P : ) : )

António Rosa disse...

Joana,

O seu Quíron na 2... Hum...!!!...

Se eu desviar o meu olhar para o grau 22;01 de Leão na 7 [ponto médio Saturno/Úrano] e der uma orbe de 1º 30' a 2º, que consigo ver?

- Semi-sextil de Vénus.
- Quincúncio da Lua.

Digamos que a quadratura Quíron a Vénus pode sair-se bem, com a ajuda deste contacto de Vénus a este ponto médio. Como a Vénus também cuida de algumas das suas questões profissionais, quem sabe se não será por aí que sentirá as questões de Quíron? A casa 7 também trata dos assuntos públicos, como sabe.

irradiandoluz disse...

Oi António,

Ultimamente, eu tenho buscado presentear as pessoas com artesanato, de preferência feito por mim... mas pela falta de habilidade, às vezes acabo comprando algum artesanato feito por algum amigo...
Essa atitude tem me trasido muita alegria, e tem sido bem recebida pela minha família (ou únicos que presenteio).
Quando estou envolvido com algum grupo ou se alguns amigos decidem fazer o "amigo secreto" ou "amigo oculto" (não sei como se chama aí em Portugal), eu sempre sugiro o "amigo artesão", em que os presentes tem que ser feitos pela própria pessoa... também dá muito resultado e muita alegria...
Mas acho que o mais importante nesta época é manter o astral pra cima, a vibração positiva e a luz irradiando... pois as pessoas estão mais abertas a receber estes presentes...

Abração
Gabriel Dread

António Rosa disse...

Amigo Gabriel

Bela ideia a do artesanato. É mesmo isso. O que toda a humanidade precisa mesmo estão nas suas bonitas palavras: «que o mais importante nesta época é manter o astral pra cima, a vibração positiva e a luz irradiando...»

Bem haja e um abraço.

joana disse...

"Digamos que a quadratura Quíron a Vénus pode sair-se bem, com a ajuda deste contacto de Vénus a este ponto médio."

: ) : ) : ) ! António, e nunca tinha entendido astrologicamente porque que nessa época do ano de meio de Agosto me acontece quase sempre algo tão marcante e transformador. Se calhar pode ser então desse contacto... : )

"Como a Vénus também cuida de algumas das suas questões profissionais, quem sabe se não será por aí que sentirá as questões de Quíron?"

Sinto o Quíron na 2 tb nos assuntos profissionais do dia-a-dia sim, e de que maneira! Acho que grande parte do que faço na profissão que exerço e que conhece está ligada a essa associação Quíron / Vénus.
E por outro lado com Vénus na 6... a relação amorosa mais longa que tive era também profissional.

António, outra coisa... a sua visão do 'decorar' numa mensagem anterior deu-me muito que pensar porque não entendi à primeira. Acho que entendo agora o que diz.

Beijinho,

e muito obrigada pela chamada de atenção em relação a esse ponto médio Saturno / Urano.

António Rosa disse...

Joana

Sabe que Barbara Hand Clow diz que Quíron em Sagitário na casa 7 tem o significado «daquele que receberá e orientará no planeta os seres que chegam de outras sistemas e galáxias»?

Não imagina a confusão que isto me fez na altura. Depois... conheci os canopianos.

joana disse...

Não fazia ideia António... Nunca consegui comprar nenhum livro da Barbara Hand Clow... só li alguns excertos na net.

E isso que ela diz é muito bonito : ) E lembro-me de já ter ouvido o António referir Canopus... E como nos chegam aqui os Canopianos ? São walk-in ?

António Rosa disse...

Joana

Alguns são. A maioria são multidimensionais. É uma civilização 12D. Aquilo que os nossos telescópios captam são ventos do que resta quando tinham mundo físico. É o que me consta, pois não tenho a certeza.

joana disse...

António, grata pela explicação.

HighLander77 disse...

OI Antonio,

Decisao sensata a de parar com as prendas! Descobri duas coisas aqui na "ilha": Amazon e Ebay!
Sentadinho no recanto do lar, a encomendar tudo pela net e por bons precos! So tenho de esperar que me levem as coisas para casa!
Quanto aos dotes culinarios, parece-me que a casa 2 tera mais a ver com comer do que com cozinhar.

Ja caranguejo e a IV parece-me que tenha mais a ver com o lar, e com as nossas necessidades basicas ou de "colinho".

Grande Abraco,
Paulo

António Rosa disse...

Joana

É sempre um prazer conversar consigo. Gosto muito de si.

António Rosa disse...

Olá Paulo

Tenho que espreitar o eBay, pois nunca o vi. Também não há €€€ to spend.... :):)

joana disse...

: ) António, eu também.

Fada Moranga disse...

Eu gosto tanto do Natal!
Acredito num Natal com Amor verdadeiro, com prendas sentidas, com familia, com partilha! Natal sempre! Quanto a prendas... Antes de estudar para Fada comprava tudo. Depois comecei a fazer prendas para algumas pessoas e descobri alguns dos meus tesouros. Mas continuo a oferecer livros. Isso nao dispenso! E prendas de acucar - BoloRainhaMoranga, Bolinhas de Fada... Coisas de Venus. E mais recentemente ja aconteceu presentear alguem com um estudo astral/numerologico.
E por mim a arvore de Natal ficava de pe o ano inteiro! :-)

Fada Moranga disse...

Esqueci-me de dizer isto: tambem ja comprei livros de Astrologia e etc na Amazon e ha uma outra loja on-line maravilhosa Etsy, onde se descobrem verdadeiras maravilhas.

http://www.etsy.com/

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates