A genealogia mitológica de Quíron

1 de outubro de 2008 ·

Quíron, no nosso mapa, existe para nos obrigar a sermos nós próprios, e como habitualmente não o conseguimos, daí surgir a frustração nas nossas vidas. Por isso, o considerá-lo o planeta do como fazer.

Este corpo celeste fala-nos duma ferida (física, material, psicológica ou mental) algumas vezes provocada por acidente, por distracção, por algo irrazoável ou que nunca é esperado, introduzindo, desse modo, o tema do sacrifício na vida da própria pessoa: na sua «imortalidade», na sua projecção mundana, na sua saúde, na sua vida material, etc. Quíron introduz o sacrifício que, se positivamente encarado, leva a procurar pela cura dos outros, o alívio para o sofrimento pessoal.

Quíron representa um passo importante na descoberta das fragilidades, desajustamentos e incoerências humanas, através da compreensão da inutilidade de se lutar contra ou fugir daquilo que é a nossa realidade e essência mais básicas. É por ser insolúvel a dor sentida, que obriga ao caminho em direcção à mestria das energias humanas; é por estar compulsivamente presente que Quíron não permite que se desligue ou se abandone o caminho traçado; é por não parecer ter explicação ou justificação que o sofrimento se torna dificilmente esquecido.

É muito interessante analisar a “genealogia mitológica” de Quíron: é filho de Saturno (Terra 3D), neto de Urano (céu - espírito) e de Gaia (a entidade logóica que chamamos planeta Terra), meio-irmão de Júpiter (Zeus - Leis - a consciência do nosso corpo físico). Foi acolhido e educado pelo Sol (Apolo - o Ser - a vitalidade ou vida no corpo) e Lua (Artemis - a consciência do nosso corpo mental). Tio de Marte (a consciência do nosso corpo emocional), pois este é filho de Júpiter.

Marte deve ter tido umas aulas com o tio, pois ambos têm uma energia muito similar. Funções diferentes, mas energias similares. Muito determinados.

8 comentários:

adelaide figueiredo disse...
1 de outubro de 2008 às 21:16  

Boa noite António

Adorei o artigo e fez-men sorrir a descrição da árvore genealógica de Quiron.

Abraço

Adelaide Figueiredo

Samsara disse...
1 de outubro de 2008 às 21:17  

Tenho o livro da Barbara Hand Clow para ler, será um dos próximos. Tenho que lhe descobrir os mistérios, para ver se doi menos.
Excelente exercício António "estás a dar-lhe forte" na componente vocacional do Noel.
Beijinhos

António Rosa disse...
1 de outubro de 2008 às 21:25  

Olá Adelaide,

Tinha que arranjar uma maneira de amenizar a seriedade do assunto.

=)

António

António Rosa disse...
1 de outubro de 2008 às 21:28  

Pat,

Se tens esse livro, guarda-o muito bem, pois a não ser que se encomende em inglês da Amazon, a versão portuguesa é dificílima de encontrar.

Adoro a técnica vocacional, pois permite ir mais longe, bem mais longe... Ontem estive com a Magda toda a manhã a ensinar-lhe com o mapa dela. Foi extraordinário.

Já notaste que este blogue anda modernaço, com uma forma diferente de colocar os posts?

Beijinho

António

Samsara disse...
1 de outubro de 2008 às 21:48  

Se eu reparei? É impossível não reparar meu amigo, mas nada que eu já não esteja habituada contigo, LOL. Aquela das imagens dos posts "passing by" é um must!

Comprei este livro na Livraria Esperança como não podia deixar de ser, perdido lá há alguns anos como outros que encontrei, mas como não encomendam mais da pensamento, estou a esgotar o stock dos livros de Astrologia. Mas já "apanhei" os que me interessavam por lá.

Aceitaram-me como aluna externa de Psico, não alivia a carga (em termos de tempo)mas foi uma notícia que me deixou muito feliz hoje. Achas que foi o Mercúrio Rx em conj exacta com o meu Urano (regente da 3) que dispoletou isso?

Beijinhos

Maria Paula Ribeiro disse...
1 de outubro de 2008 às 21:53  

Boa noite António,

Muito bom mesmo, e muito útil, sem dúvidas. Agora é que chegou o momento de aprofundar essa minha lacuna estudantil sobre Quíron.

Muito obrigado
Beijinho

PS: o teu blogue está muiiiiiiiiiiito "in" :)

António Rosa disse...
1 de outubro de 2008 às 22:27  

Pat,

Aluna externa de Psico!?! Se isso era um sonho teu.

Parabéns.

O Mercúrio Rx trouxe à superfície essa tua co-criação. Úrano, ajudou.

Parabéns, novamente.

Um beijinho

António

António Rosa disse...
1 de outubro de 2008 às 22:30  

Maria Paula,

O blogue está a ficar como desejo - um magazine aberto a todos. É muito divertido.

Hoje foi a vez de pôr em prática o mesmo sistema que tenho nos artigos da Escola - uma pequena parte visível e o resto numa página interior.

Quíron - qualquer dia falaremos sobre o teu.

Beijinho

António

1 de outubro de 2008

A genealogia mitológica de Quíron

Quíron, no nosso mapa, existe para nos obrigar a sermos nós próprios, e como habitualmente não o conseguimos, daí surgir a frustração nas nossas vidas. Por isso, o considerá-lo o planeta do como fazer.

Este corpo celeste fala-nos duma ferida (física, material, psicológica ou mental) algumas vezes provocada por acidente, por distracção, por algo irrazoável ou que nunca é esperado, introduzindo, desse modo, o tema do sacrifício na vida da própria pessoa: na sua «imortalidade», na sua projecção mundana, na sua saúde, na sua vida material, etc. Quíron introduz o sacrifício que, se positivamente encarado, leva a procurar pela cura dos outros, o alívio para o sofrimento pessoal.

Quíron representa um passo importante na descoberta das fragilidades, desajustamentos e incoerências humanas, através da compreensão da inutilidade de se lutar contra ou fugir daquilo que é a nossa realidade e essência mais básicas. É por ser insolúvel a dor sentida, que obriga ao caminho em direcção à mestria das energias humanas; é por estar compulsivamente presente que Quíron não permite que se desligue ou se abandone o caminho traçado; é por não parecer ter explicação ou justificação que o sofrimento se torna dificilmente esquecido.

É muito interessante analisar a “genealogia mitológica” de Quíron: é filho de Saturno (Terra 3D), neto de Urano (céu - espírito) e de Gaia (a entidade logóica que chamamos planeta Terra), meio-irmão de Júpiter (Zeus - Leis - a consciência do nosso corpo físico). Foi acolhido e educado pelo Sol (Apolo - o Ser - a vitalidade ou vida no corpo) e Lua (Artemis - a consciência do nosso corpo mental). Tio de Marte (a consciência do nosso corpo emocional), pois este é filho de Júpiter.

Marte deve ter tido umas aulas com o tio, pois ambos têm uma energia muito similar. Funções diferentes, mas energias similares. Muito determinados.

8 comentários:

adelaide figueiredo disse...

Boa noite António

Adorei o artigo e fez-men sorrir a descrição da árvore genealógica de Quiron.

Abraço

Adelaide Figueiredo

Samsara disse...

Tenho o livro da Barbara Hand Clow para ler, será um dos próximos. Tenho que lhe descobrir os mistérios, para ver se doi menos.
Excelente exercício António "estás a dar-lhe forte" na componente vocacional do Noel.
Beijinhos

António Rosa disse...

Olá Adelaide,

Tinha que arranjar uma maneira de amenizar a seriedade do assunto.

=)

António

António Rosa disse...

Pat,

Se tens esse livro, guarda-o muito bem, pois a não ser que se encomende em inglês da Amazon, a versão portuguesa é dificílima de encontrar.

Adoro a técnica vocacional, pois permite ir mais longe, bem mais longe... Ontem estive com a Magda toda a manhã a ensinar-lhe com o mapa dela. Foi extraordinário.

Já notaste que este blogue anda modernaço, com uma forma diferente de colocar os posts?

Beijinho

António

Samsara disse...

Se eu reparei? É impossível não reparar meu amigo, mas nada que eu já não esteja habituada contigo, LOL. Aquela das imagens dos posts "passing by" é um must!

Comprei este livro na Livraria Esperança como não podia deixar de ser, perdido lá há alguns anos como outros que encontrei, mas como não encomendam mais da pensamento, estou a esgotar o stock dos livros de Astrologia. Mas já "apanhei" os que me interessavam por lá.

Aceitaram-me como aluna externa de Psico, não alivia a carga (em termos de tempo)mas foi uma notícia que me deixou muito feliz hoje. Achas que foi o Mercúrio Rx em conj exacta com o meu Urano (regente da 3) que dispoletou isso?

Beijinhos

Maria Paula Ribeiro disse...

Boa noite António,

Muito bom mesmo, e muito útil, sem dúvidas. Agora é que chegou o momento de aprofundar essa minha lacuna estudantil sobre Quíron.

Muito obrigado
Beijinho

PS: o teu blogue está muiiiiiiiiiiito "in" :)

António Rosa disse...

Pat,

Aluna externa de Psico!?! Se isso era um sonho teu.

Parabéns.

O Mercúrio Rx trouxe à superfície essa tua co-criação. Úrano, ajudou.

Parabéns, novamente.

Um beijinho

António

António Rosa disse...

Maria Paula,

O blogue está a ficar como desejo - um magazine aberto a todos. É muito divertido.

Hoje foi a vez de pôr em prática o mesmo sistema que tenho nos artigos da Escola - uma pequena parte visível e o resto numa página interior.

Quíron - qualquer dia falaremos sobre o teu.

Beijinho

António

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates