A Invocação

10 de dezembro de 2009 ·

Como muitos leitores sabem, hoje em dia, a nível espiritual, pratica-se bastante a «invocação». Dirigida ou não aos Mestres Ascencionados, em meios como a Fraternidade Branca ou outras, utilizando-se ilustrações como as mandalas, por exemplo, para se fazerem as afirmações.

Não é um assunto novo. É utilizado pelo menos desde os egípcios até aos nossos tempos. Também na chamada alta magia. Hoje, felizmente, é de utilização comum e massificada. Um exemplo muito conhecido de invocações: as reuniões esotéricas do Rei Artur e os seus Cavaleiros da Távola Redonda. Também conhecidas, as «reuniões» de Jesus com os seus apóstolos. Muitos, muitos exemplos, ao longo do conhecimento humano.

A invocação quer na alta magia e, actualmente, quer a nível dos Novos Tempos, também é uma forma de contactar uma força superior para obter o que se deseja, mas utiliza um fórmula mais específica que vai além da oração tradicional.

Durante uma invocação, pode-se utilizar os chamados atributos associados a essa divindade ou força, os seus nomes, cores, números, pedras, flores, incensos, ervas, metais, o seu elemento e outros objectos que possam ajudar a estabelecer contacto com a força.

Por ser mais directa e dinâmica, a invocação geralmente é mais eficaz do que a oração e parece que se obtêm resultados mais rapidamente e de forma mais positiva.

Como resultado da invocação - pensamentos ou palavras direccionadas -, o inconsciente gera grandes quantidades de energia psíquica, que é dirigida conscientemente por quem invoca, para manifestar os seus desejos no mundo material ou espiritual.

Para aqueles que já estiveram em missas católicas, repararam que há um determinado momento em que o padre levanta a hóstia e o vinho e faz uma oferenda, dizendo umas frases a preceito - isso é, claramente uma invocação. nas igrejas cristãs, os pastores fazem invocações frequentes. No budismo, as cerimónias religiosas são atravessadas por invocações muito solenes. Dei estes exemplo para desfazer possíveis preconceitos sobre o assunto.

A invocação não é um privilégio das novas espiritualidades. Já me apareceram várias pessoas nas consultas de astrologia a queixarem-se que fazem imensas invocações e a vida não muda. E interrogam-se...

Durante a invocação, visualiza-se o que se deseja obter de forma definida e nítida, para que o inconsciente receba essa imagem e a converta em realidade. É a muito antiga ideia que o nosso pensamento e as nossas palavras são co-criador da nossa realidade.

Visto que a invocação cria grandes energias inconscientes, recomendo que se visualize um círculo de luz protectora em redor da pessoa, para que as energias não se percam nem sejam corrompidas por energias negativas que possam estar fora do círculo.

Fico-me por aqui, antes que a Shin Tau e a IdoMind me chamem, com muito carinho e amizade, um nome que eu cá sei.

Deu-me muito prazer escrver este texto. Passem bem.

15 comentários:

António Rosa disse...
10 de dezembro de 2009 às 10:49  

Vou estar ausente do computador durante todo o dia, até bastante tarde, pois vou dar uma palestra. Até logo ou até amanhã.

.Lis disse...
10 de dezembro de 2009 às 11:12  

Oi,Antonio Rosa
Gostei tanto desse texto sobre a invocação, só desconhecia o termo que pelo que li parece-me estar bem perto da oração, sendo mais eficaz, talvez por ter respostas mais rápidas.Pratico a oração desde a adolescencia e as respostas e sempre a queremos rápidas, acontecem nem sempre no nosso tempo,mas tenho excelentes respostas de oração também e lendo um livro sobre oração aprendi mentalizar na cura ,principalmente,com boas sensações de resultados.Talvez esteja praticando invocação, sem saber rsrs Confirmo que nosso pensamento e nossas palavras são co-autores do que acontece no mundo material . Desculpe me empolgar, ficou longo.
Abraços e deu-me também prazer em ler.

tereza ferraz disse...
10 de dezembro de 2009 às 14:50  

António.
Muito prazer ao ler o texto e o teor.
Grata

Maria Ribeiro disse...
10 de dezembro de 2009 às 19:34  

TEXTO muito humano, ANTÓNIO ROSA (TIB)! E o que fazemos nós , a todo o momento da nossa vida, senão constantes "invocações"?em momentos importantes da nossa viv~^encia diária, damos connosco a invocar... Não sei se te referes a qualquer assunto especial, ou se falas das invocações , em termos gerais...Não te rias se eu não for no seguimento "daqueles"assuntos...
BEIJOS DE LUSIBERO

Luma Rosa disse...
10 de dezembro de 2009 às 22:03  

No catecismo da igreja católica, aprende-se os 10 mandamentos, sendo o segundo: "Não invocar o nome de Deus em vão" - o que seria chamar, clamar...

A invocação é algo sério e não deve ser banalizada. A invocação exagerada banaliza o conteúdo, debilitando as fronteiras dos sentidos, fazendo passar conceitos ocos, sem prestígio e os ouvidos acabam por se refugiar ao abrigo da insensibilidade. Não causam emoção, impacto e a reiteação apática. Aquilo que parece servir para tudo, acaba por não servir para nada, causando efeito inverso. Veja que as ceias de Cristo como os apóstolos foram únicas, assim como os encontros de Arthur com seus cavaleiros. Tudo muito especial e ocasional, onde as energias fluem redondinhas! (rs*) Beijus,

angela disse...
10 de dezembro de 2009 às 22:25  

Prazer tive eu em ler o seu texto. Acho importante essa dica do circulo de luz como proteção.
Sempre aprendo por aqui.
beijos

Silvia Freedom disse...
11 de dezembro de 2009 às 00:08  

Caro António,


Bom post....Acredito na força de uma invocação direcionada pela energia da Vontade, com ausência de conflitos, desejo real e com os elementos que possam propiciar e potencializar o estado de comunicação direta. E sei que intuitivamente alguns fazem uso dessa forma de expressão direta às forças. Ainda assim, como a energia das palavras aliada ao sentimento tem poder, é preciso assumir a responsabilidade pelo que invocamos, pois Pode mesmo se materializar. Tempos intensos, fortes energias. Namastê

Regina disse...
11 de dezembro de 2009 às 00:09  

Caro Antônio,

Vim agradecer, (tardiamente!), o seu comentário no meu conto (Um conto do além) postado por nossa querida amiga Cris...

Fiquei feliz em saber que, ao menos por um momento, fiz alguém rir numa tarde escura e chuvosa!!!

Li seu conto também e o achei adorável!! Parabéns!!

Qto ao seu texto, acredito e também faço minhas invocações que, nada mais são, do que pensar positivamente e visualizar o que se deseja, acreditando que ele já se realizou...

Muito interessante sua postagem...

Abraços!

Tina disse...
11 de dezembro de 2009 às 12:43  

Querido amigo, aos poucos fui me desfazendo das crenças antigas que me aprisionavam no medo e comecei a descobrir que tbm não precisava pedir nada, eu comecei a INVOCAR, e até agora tudo que eu invoco eu consigo, até mesmo num sorteio de premios,eu antes do sorteio invoquei a minha presença Eu souperior,como ser ilimitada e abundante e ganhei uma maquina filmadora!heheheheheh
O problema meu amigo, é que as pessoas invocam, mas não crêem...Fica a palavra solta, perdida...Se vc acreditar,de verdade, sem duvida, a invocação é realizada pela tua propria luz!
bjos
Tina

Shin Tau disse...
11 de dezembro de 2009 às 16:31  

heheheehheh não chamo, pois já sabes que chamaria ;)

Maravilha, que maravilha. Uma invocação é algo muito poderoso sem dúvida e deve ser feito com cuidado, pois como dizes mexemos com as nossas vidas e não creio que desejoms coisas menos boas para nós. Por isso, aconselho todos a terem muito cuidado.

Acrescento que a bolha de protecção que muito bem sugeres, no fim se comprima no coraçao da pessoa que fez a invocação ou que seja direccionada para o Universo., no caso da invocação ser de celebração.

MAravilha, fiquei deliciada! -_-

Ah e espero que a palaestra tenha corrido bem, muit bem!

Beijcoas

António Rosa disse...
11 de dezembro de 2009 às 17:41  

Olá a todos

Prometo que amanhã responderei a cada pessoa que deixou um comentário.

Não o faço hoje porque já não estou habituado a tanta agitação na minha vida e desde ontem que não paro. Ontem, quinta-feira, fo dia de consultas na Ericeira. Seguiu-se depois um jantar com um grupo muito simpático, indo de seguida para a 'Liga dos Amigos do Sobreiro' onde houve uma tertúlia colectiva com imensa gente presente. Cheguei muito tarde a casa, em Queluz e dormi cerca de 3 horas, pois às 6 estava a pé para atender o meu cão Tibério, que está habituado a sair de manhã. A manhã passou-se na editora e a seguir fomos para uma cidade próxima à beira-mar para fazermos o nosso almoço de Natal. Cheguei agora. Muito movimento, sempre muito movimento. Estou muito cansado e vou desligar o computador que liguei só para vos deixar este recado.

Até amanhã. beijos.

Maria das Graças disse...
11 de dezembro de 2009 às 18:09  

OI António, gostei do texto e os significados de invocar.

Não sou uma pessoa espiritualizada mas, penso em nosso poder de tornar sagrado o que amamos.

Quem sabe invocar o amor,a solidariedade e a paz nos torna melhores e também os que tem o nosso convívio.

Graça Pereira disse...
12 de dezembro de 2009 às 22:38  

Curioso e interessantíssimo este post, caríssimo patrício... Leio muito sobre este tema mas...não sei nada!Apenas conheço a força do subconsciente e procuro visualizar aquilo que pretendo.
Como correu a carilada de caranguejo?
Amanhã, vou fazer caril de camarão...claro á moda da Zambézia,com muito côco!!
Um beijo
Graça

Norma Villares disse...
15 de dezembro de 2009 às 21:53  

Eu também tive imenso prazer em ler o seu post.
Muito importante formar um campo de proteção, como essa dica nos ensina.
Abraços sublimes

Maria Ribeiro disse...
16 de dezembro de 2009 às 12:28  

António Rosa(TIB): beijo para si, meu amigo, com votos de boas festas.
LUSIBERO

10 de dezembro de 2009

A Invocação

Como muitos leitores sabem, hoje em dia, a nível espiritual, pratica-se bastante a «invocação». Dirigida ou não aos Mestres Ascencionados, em meios como a Fraternidade Branca ou outras, utilizando-se ilustrações como as mandalas, por exemplo, para se fazerem as afirmações.

Não é um assunto novo. É utilizado pelo menos desde os egípcios até aos nossos tempos. Também na chamada alta magia. Hoje, felizmente, é de utilização comum e massificada. Um exemplo muito conhecido de invocações: as reuniões esotéricas do Rei Artur e os seus Cavaleiros da Távola Redonda. Também conhecidas, as «reuniões» de Jesus com os seus apóstolos. Muitos, muitos exemplos, ao longo do conhecimento humano.

A invocação quer na alta magia e, actualmente, quer a nível dos Novos Tempos, também é uma forma de contactar uma força superior para obter o que se deseja, mas utiliza um fórmula mais específica que vai além da oração tradicional.

Durante uma invocação, pode-se utilizar os chamados atributos associados a essa divindade ou força, os seus nomes, cores, números, pedras, flores, incensos, ervas, metais, o seu elemento e outros objectos que possam ajudar a estabelecer contacto com a força.

Por ser mais directa e dinâmica, a invocação geralmente é mais eficaz do que a oração e parece que se obtêm resultados mais rapidamente e de forma mais positiva.

Como resultado da invocação - pensamentos ou palavras direccionadas -, o inconsciente gera grandes quantidades de energia psíquica, que é dirigida conscientemente por quem invoca, para manifestar os seus desejos no mundo material ou espiritual.

Para aqueles que já estiveram em missas católicas, repararam que há um determinado momento em que o padre levanta a hóstia e o vinho e faz uma oferenda, dizendo umas frases a preceito - isso é, claramente uma invocação. nas igrejas cristãs, os pastores fazem invocações frequentes. No budismo, as cerimónias religiosas são atravessadas por invocações muito solenes. Dei estes exemplo para desfazer possíveis preconceitos sobre o assunto.

A invocação não é um privilégio das novas espiritualidades. Já me apareceram várias pessoas nas consultas de astrologia a queixarem-se que fazem imensas invocações e a vida não muda. E interrogam-se...

Durante a invocação, visualiza-se o que se deseja obter de forma definida e nítida, para que o inconsciente receba essa imagem e a converta em realidade. É a muito antiga ideia que o nosso pensamento e as nossas palavras são co-criador da nossa realidade.

Visto que a invocação cria grandes energias inconscientes, recomendo que se visualize um círculo de luz protectora em redor da pessoa, para que as energias não se percam nem sejam corrompidas por energias negativas que possam estar fora do círculo.

Fico-me por aqui, antes que a Shin Tau e a IdoMind me chamem, com muito carinho e amizade, um nome que eu cá sei.

Deu-me muito prazer escrver este texto. Passem bem.

15 comentários:

António Rosa disse...

Vou estar ausente do computador durante todo o dia, até bastante tarde, pois vou dar uma palestra. Até logo ou até amanhã.

.Lis disse...

Oi,Antonio Rosa
Gostei tanto desse texto sobre a invocação, só desconhecia o termo que pelo que li parece-me estar bem perto da oração, sendo mais eficaz, talvez por ter respostas mais rápidas.Pratico a oração desde a adolescencia e as respostas e sempre a queremos rápidas, acontecem nem sempre no nosso tempo,mas tenho excelentes respostas de oração também e lendo um livro sobre oração aprendi mentalizar na cura ,principalmente,com boas sensações de resultados.Talvez esteja praticando invocação, sem saber rsrs Confirmo que nosso pensamento e nossas palavras são co-autores do que acontece no mundo material . Desculpe me empolgar, ficou longo.
Abraços e deu-me também prazer em ler.

tereza ferraz disse...

António.
Muito prazer ao ler o texto e o teor.
Grata

Maria Ribeiro disse...

TEXTO muito humano, ANTÓNIO ROSA (TIB)! E o que fazemos nós , a todo o momento da nossa vida, senão constantes "invocações"?em momentos importantes da nossa viv~^encia diária, damos connosco a invocar... Não sei se te referes a qualquer assunto especial, ou se falas das invocações , em termos gerais...Não te rias se eu não for no seguimento "daqueles"assuntos...
BEIJOS DE LUSIBERO

Luma Rosa disse...

No catecismo da igreja católica, aprende-se os 10 mandamentos, sendo o segundo: "Não invocar o nome de Deus em vão" - o que seria chamar, clamar...

A invocação é algo sério e não deve ser banalizada. A invocação exagerada banaliza o conteúdo, debilitando as fronteiras dos sentidos, fazendo passar conceitos ocos, sem prestígio e os ouvidos acabam por se refugiar ao abrigo da insensibilidade. Não causam emoção, impacto e a reiteação apática. Aquilo que parece servir para tudo, acaba por não servir para nada, causando efeito inverso. Veja que as ceias de Cristo como os apóstolos foram únicas, assim como os encontros de Arthur com seus cavaleiros. Tudo muito especial e ocasional, onde as energias fluem redondinhas! (rs*) Beijus,

angela disse...

Prazer tive eu em ler o seu texto. Acho importante essa dica do circulo de luz como proteção.
Sempre aprendo por aqui.
beijos

Silvia Freedom disse...

Caro António,


Bom post....Acredito na força de uma invocação direcionada pela energia da Vontade, com ausência de conflitos, desejo real e com os elementos que possam propiciar e potencializar o estado de comunicação direta. E sei que intuitivamente alguns fazem uso dessa forma de expressão direta às forças. Ainda assim, como a energia das palavras aliada ao sentimento tem poder, é preciso assumir a responsabilidade pelo que invocamos, pois Pode mesmo se materializar. Tempos intensos, fortes energias. Namastê

Regina disse...

Caro Antônio,

Vim agradecer, (tardiamente!), o seu comentário no meu conto (Um conto do além) postado por nossa querida amiga Cris...

Fiquei feliz em saber que, ao menos por um momento, fiz alguém rir numa tarde escura e chuvosa!!!

Li seu conto também e o achei adorável!! Parabéns!!

Qto ao seu texto, acredito e também faço minhas invocações que, nada mais são, do que pensar positivamente e visualizar o que se deseja, acreditando que ele já se realizou...

Muito interessante sua postagem...

Abraços!

Tina disse...

Querido amigo, aos poucos fui me desfazendo das crenças antigas que me aprisionavam no medo e comecei a descobrir que tbm não precisava pedir nada, eu comecei a INVOCAR, e até agora tudo que eu invoco eu consigo, até mesmo num sorteio de premios,eu antes do sorteio invoquei a minha presença Eu souperior,como ser ilimitada e abundante e ganhei uma maquina filmadora!heheheheheh
O problema meu amigo, é que as pessoas invocam, mas não crêem...Fica a palavra solta, perdida...Se vc acreditar,de verdade, sem duvida, a invocação é realizada pela tua propria luz!
bjos
Tina

Shin Tau disse...

heheheehheh não chamo, pois já sabes que chamaria ;)

Maravilha, que maravilha. Uma invocação é algo muito poderoso sem dúvida e deve ser feito com cuidado, pois como dizes mexemos com as nossas vidas e não creio que desejoms coisas menos boas para nós. Por isso, aconselho todos a terem muito cuidado.

Acrescento que a bolha de protecção que muito bem sugeres, no fim se comprima no coraçao da pessoa que fez a invocação ou que seja direccionada para o Universo., no caso da invocação ser de celebração.

MAravilha, fiquei deliciada! -_-

Ah e espero que a palaestra tenha corrido bem, muit bem!

Beijcoas

António Rosa disse...

Olá a todos

Prometo que amanhã responderei a cada pessoa que deixou um comentário.

Não o faço hoje porque já não estou habituado a tanta agitação na minha vida e desde ontem que não paro. Ontem, quinta-feira, fo dia de consultas na Ericeira. Seguiu-se depois um jantar com um grupo muito simpático, indo de seguida para a 'Liga dos Amigos do Sobreiro' onde houve uma tertúlia colectiva com imensa gente presente. Cheguei muito tarde a casa, em Queluz e dormi cerca de 3 horas, pois às 6 estava a pé para atender o meu cão Tibério, que está habituado a sair de manhã. A manhã passou-se na editora e a seguir fomos para uma cidade próxima à beira-mar para fazermos o nosso almoço de Natal. Cheguei agora. Muito movimento, sempre muito movimento. Estou muito cansado e vou desligar o computador que liguei só para vos deixar este recado.

Até amanhã. beijos.

Maria das Graças disse...

OI António, gostei do texto e os significados de invocar.

Não sou uma pessoa espiritualizada mas, penso em nosso poder de tornar sagrado o que amamos.

Quem sabe invocar o amor,a solidariedade e a paz nos torna melhores e também os que tem o nosso convívio.

Graça Pereira disse...

Curioso e interessantíssimo este post, caríssimo patrício... Leio muito sobre este tema mas...não sei nada!Apenas conheço a força do subconsciente e procuro visualizar aquilo que pretendo.
Como correu a carilada de caranguejo?
Amanhã, vou fazer caril de camarão...claro á moda da Zambézia,com muito côco!!
Um beijo
Graça

Norma Villares disse...

Eu também tive imenso prazer em ler o seu post.
Muito importante formar um campo de proteção, como essa dica nos ensina.
Abraços sublimes

Maria Ribeiro disse...

António Rosa(TIB): beijo para si, meu amigo, com votos de boas festas.
LUSIBERO

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates