8.8.8

6 de agosto de 2008 ·

Por André Louro de Almeida

O desenvolvimento de um organismo, bem como de uma entidade energética ou cosmológica, é sempre regido por ciclos, por ritmos precisos de contracção e expansão, por "pulsação".

Toda a forma, seja ela física-orgânica, mental-psíquica ou etérica-energética, está sujeita ao fluxo e refluxo cósmico, à interacção entre forças propulsoras e constrições estruturantes.

Mahavan-Shuthavan são termos do norte da Índia para estes dois momentos complementares da construção cósmica do ser: Mahavan significa "expansão" e Shuthavan significa “contracção”. Ambos formam as marés do “oceano da criação”.

Em certos ambientes, as forças propulsoras são definidas através do símbolo de ÚRANO, o senhor da revelaçã
o libertadora e as constrições estruturantes através do símbolo de SATURNO e o senhor da solidificação do tempo através da forma perfeita.

Desde 2001, muitos seres sensíveis têm percebido um limite invisível imposto à sua consciência - uma forma de impasse, uma contenção, um controle limitativo que impede a expansão natural do ser, por outras palavras, um bloqueio.

Essa condição deve-se fundamentalmente à reacção das forças obsoletas da Terra. A sombra planetária é habitada por operadores metódicos, muito precisos e científicos – os mindlords, senhores do mental, que dominam a passagem entre a quarta e a quinta dimensão planetá
ria, remanescentes egoístas de antigos ciclos, agora encastrados em 13 famílias imperiais secretas na Terra.

Apesar de, conscientemente, motivados por uma tendência demiúrgica e imperial, estes seres operam também como constrições estruturantes, ao obrigarem os servidores da luz a explorar reinos de sinceridade mais vastos e mais poderosos de que a simples "declaração de princípios éticos e morais", e, indirectamente, convidam os amantes planetários a ultrapassar o horizonte do glamour do bem e do amor para se ancorarem definitivamente na filiação à LEI.

Durante cerca de 7 anos estivemos sob o regime destes concelhos limitadores - os prolongamentos dos senhores caídos.

Foi um ciclo de constrição e limitação. Regra geral, essa condição gerou nos servidores sinceros uma impressão de humildade, cuidado, método, exigência qualitativa, eliminação
de fascínio de protagonismo e comércio, sede de inocência, de candura, de vontade verdadeira de SER.

Em 8 de Agosto 2008, este ciclo de constrição estruturante termina e o começo de um ciclo de propulsão cósmica é iniciado. Passamos do ciclo de maturação limitativa para um ciclo de revelação fulminante.

Assim como os mindlords limitam o ser, impondo fronteiras rígidas à verdade possível de ser partilhada e vivida, os overlords - os senhores de Orion - os Elohim - deflagram na consciência, nos centros, nos corpos subtis e no todo planetário, imensas correntes ígneas que não se adaptam a nenhuma prisão planetária.

Em 8 de Agosto opera-se efectivamente o alinhamento final entre o portal maior terrestre, Miztitlan - o portal maior das Plêiades – Alcione -, o portal maior de Sírius, Punta Raia, e o portal central de Orion, Alnitak.

Alniatk (Orion)- Punta Raia (Sírius) - Alcione (Plêiades) – Miz Ti Tlan (Terra)

O que é isto, em termos pragmáticos, para além da retórica interdimensional que tantos grupos enfraqueceu nos últimos anos?

Significa simplesmente que esta data marca a descida de um coeficiente de Poder, entendido como o oposto de passividade, jamais visto entre os servidores encarnados.

Este Agosto marca o culminar de uma fermentação secreta no íntimo da Terra, nos seus múltiplos veículos de expr
essão, dos homens e do sistema solar, complementada por um baptismo estelar sem precedentes.

Sabemos isto não como algo que estudamos e compreendemos, ou como uma conclusão lógica da teoria das energias. Sabemos isto por nós mesmos, porque é inerente a estarmos vivos.

De ORION descem as correntes salvíficas de regénese planetária. A Terra é um dos raros cenários onde o problema universal será resolvido em breve e, cada um de nós, é uma pedra viva na eclesia invisível, sem nome nem morada.

Com alegria no coração, chamamos todos os amantes planetários não a "isto" nem a "aquilo", nem a "nós", ne
m a rituais externos, mas a si mesmos.

A descida-precipitação Oriónica, agora presente, anuncia o novo ciclo de confiança, alegria, expansão e revolução energética que esperamos desde a nossa adolescência espiritual.

Um evento sublime envolve toda a vida planetária nestes tempos. Correntes de vida, de potência desconhecida, aproximam-se do nosso espaço-tempo. A emergência da Vida Original já começou em todos os quadrantes do nosso planeta. Todos os seres, de todos os reinos, estão a ser internamente mobilizados para uma elevação do coeficiente de luz que a Terra passará a manifestar.


A data 888 não é um indicador absoluto, é contingente, mas nem por isso menos importante. A numeração que usamos para criar o nosso senso cronológico é significativa apenas nos níveis mentais colectivos da humanidade. O Grande Universo e os seus Criadores não se dimensionam por essas datas. No entanto 888 indica um estado de preparação à escala global para a recepção-em-nós de uma influência espiritual que envolve o nosso sistema solar há muitos anos e que pressiona para descer.

Nesse sentido existe uma aliança entre os homens e os senhores Melkisedeque: quando os filhos de Adão invocam o altíssimo em pureza de coração as potencias celestes respondem, não por causa de um determinismo cronológico mas porque todo o coração responde ao coração: A égide deste alinhamento cosmológico é a Mente-Coração Criadora local - Cristo Miguel.

"Não conheceis AINDA a beleza e o esplendor dos planos de combustão pura, o Universo Ardente. Suaves brisas desse Nível tocarão ao de leve a orla das vossas Almas, o que for suficiente para vos imantar ao ponto de saberdes que não é possível, para aquele que pisou a Senda, abandoná-la.”

Recentemente observei um lençol amarelo a secar num estendal. Como estava encharcado, a tonalidade amarela era escura e sem brilho. Lentamente, à medida que o sol de Agosto secava o tecido, a cor original, intensa, amarelo canário, emer
giu numa espécie de escultura contemporânea de alegria e movimento espontâneo.

Vamos caminhar como tigres jovens na floresta ao amanhecer, sob o signo supremo do Cristo Cósmico.

COM AMOR

André Louro de Almeida





Copyright - André Louro de Almeida, 2008

8 comentários:

Samsara disse...
8 de agosto de 2008 às 04:44  

Olá António
Este assunto ainda é estranho para mim, novo. Vou lendo e assimilando.
E hoje é 8.8.8.
Bjs.

António Rosa disse...
8 de agosto de 2008 às 07:56  

Patrícia,

É isso mesmo: deixar fluir, tal e qual o fazes - lendo, assimilando, sem pressas. Não esquecer que o coração ouve o que andas a ler e às vezes a mente rejeita.

Estás quase de férias, né?

Bjs

Maria Paula disse...
8 de agosto de 2008 às 09:47  

Bom dia!

Pensava que só eu considerava este texto um pouco "difícil de digerir"...Não deixa de ser lindo mas é par ler mais vezes e lentamente e ver o que dão as "entrelinhas".

Tenha um óptimo dia astrológico no evento do jogos! :)
Eu cá vos aguardo nas vossas preciosas análises!
:) Beijinhos

António Rosa disse...
8 de agosto de 2008 às 10:51  

Olá Maria Paula,

O André um orientador espiritual de enorme qualidade e magnetismo.

Como deves imaginar, conheço pessoalmente muitos deles, pois a minha editora publicou os seus livros. E o André é especial. Não tem livros publicados mas tem imensos cd's e vale a pena ouvi-los.

Não tenciono analisar os jogos olímpicos e, curiosamente, não encontrei nada em português.

Beijos

António

Samsara disse...
8 de agosto de 2008 às 13:55  

Faltam 5 dias úteis de trabalho.
Dia 15 às 8h apanho o barco e regresso no fim do mês. Net só no Netpoint da zona, quando houver vaga. Praia, livros e brincadeiras com a Princesa.
Bjs

Astrid Annabelle disse...
8 de agosto de 2008 às 14:00  

António,
bom dia!
Tudo o que se poderia comentar já está dito...
Post excelente!
Abreijos.
Ma Jivan Prabhuta

António Rosa disse...
8 de agosto de 2008 às 20:53  

Olá patrícia,

Boas férias! Passa bem, com a família.

kiss

António Rosa disse...
8 de agosto de 2008 às 20:56  

Astrid,

Eu aprecio muito o André Louro de Almeida. Por isso o divulguei aqui, no tema 888, com alguma moderação, pois a vertente maioritária é a astrologia.

Nem imaginas o folclore que por aqui vai...

kiss

6 de agosto de 2008

8.8.8

Por André Louro de Almeida

O desenvolvimento de um organismo, bem como de uma entidade energética ou cosmológica, é sempre regido por ciclos, por ritmos precisos de contracção e expansão, por "pulsação".

Toda a forma, seja ela física-orgânica, mental-psíquica ou etérica-energética, está sujeita ao fluxo e refluxo cósmico, à interacção entre forças propulsoras e constrições estruturantes.

Mahavan-Shuthavan são termos do norte da Índia para estes dois momentos complementares da construção cósmica do ser: Mahavan significa "expansão" e Shuthavan significa “contracção”. Ambos formam as marés do “oceano da criação”.

Em certos ambientes, as forças propulsoras são definidas através do símbolo de ÚRANO, o senhor da revelaçã
o libertadora e as constrições estruturantes através do símbolo de SATURNO e o senhor da solidificação do tempo através da forma perfeita.

Desde 2001, muitos seres sensíveis têm percebido um limite invisível imposto à sua consciência - uma forma de impasse, uma contenção, um controle limitativo que impede a expansão natural do ser, por outras palavras, um bloqueio.

Essa condição deve-se fundamentalmente à reacção das forças obsoletas da Terra. A sombra planetária é habitada por operadores metódicos, muito precisos e científicos – os mindlords, senhores do mental, que dominam a passagem entre a quarta e a quinta dimensão planetá
ria, remanescentes egoístas de antigos ciclos, agora encastrados em 13 famílias imperiais secretas na Terra.

Apesar de, conscientemente, motivados por uma tendência demiúrgica e imperial, estes seres operam também como constrições estruturantes, ao obrigarem os servidores da luz a explorar reinos de sinceridade mais vastos e mais poderosos de que a simples "declaração de princípios éticos e morais", e, indirectamente, convidam os amantes planetários a ultrapassar o horizonte do glamour do bem e do amor para se ancorarem definitivamente na filiação à LEI.

Durante cerca de 7 anos estivemos sob o regime destes concelhos limitadores - os prolongamentos dos senhores caídos.

Foi um ciclo de constrição e limitação. Regra geral, essa condição gerou nos servidores sinceros uma impressão de humildade, cuidado, método, exigência qualitativa, eliminação
de fascínio de protagonismo e comércio, sede de inocência, de candura, de vontade verdadeira de SER.

Em 8 de Agosto 2008, este ciclo de constrição estruturante termina e o começo de um ciclo de propulsão cósmica é iniciado. Passamos do ciclo de maturação limitativa para um ciclo de revelação fulminante.

Assim como os mindlords limitam o ser, impondo fronteiras rígidas à verdade possível de ser partilhada e vivida, os overlords - os senhores de Orion - os Elohim - deflagram na consciência, nos centros, nos corpos subtis e no todo planetário, imensas correntes ígneas que não se adaptam a nenhuma prisão planetária.

Em 8 de Agosto opera-se efectivamente o alinhamento final entre o portal maior terrestre, Miztitlan - o portal maior das Plêiades – Alcione -, o portal maior de Sírius, Punta Raia, e o portal central de Orion, Alnitak.

Alniatk (Orion)- Punta Raia (Sírius) - Alcione (Plêiades) – Miz Ti Tlan (Terra)

O que é isto, em termos pragmáticos, para além da retórica interdimensional que tantos grupos enfraqueceu nos últimos anos?

Significa simplesmente que esta data marca a descida de um coeficiente de Poder, entendido como o oposto de passividade, jamais visto entre os servidores encarnados.

Este Agosto marca o culminar de uma fermentação secreta no íntimo da Terra, nos seus múltiplos veículos de expr
essão, dos homens e do sistema solar, complementada por um baptismo estelar sem precedentes.

Sabemos isto não como algo que estudamos e compreendemos, ou como uma conclusão lógica da teoria das energias. Sabemos isto por nós mesmos, porque é inerente a estarmos vivos.

De ORION descem as correntes salvíficas de regénese planetária. A Terra é um dos raros cenários onde o problema universal será resolvido em breve e, cada um de nós, é uma pedra viva na eclesia invisível, sem nome nem morada.

Com alegria no coração, chamamos todos os amantes planetários não a "isto" nem a "aquilo", nem a "nós", ne
m a rituais externos, mas a si mesmos.

A descida-precipitação Oriónica, agora presente, anuncia o novo ciclo de confiança, alegria, expansão e revolução energética que esperamos desde a nossa adolescência espiritual.

Um evento sublime envolve toda a vida planetária nestes tempos. Correntes de vida, de potência desconhecida, aproximam-se do nosso espaço-tempo. A emergência da Vida Original já começou em todos os quadrantes do nosso planeta. Todos os seres, de todos os reinos, estão a ser internamente mobilizados para uma elevação do coeficiente de luz que a Terra passará a manifestar.


A data 888 não é um indicador absoluto, é contingente, mas nem por isso menos importante. A numeração que usamos para criar o nosso senso cronológico é significativa apenas nos níveis mentais colectivos da humanidade. O Grande Universo e os seus Criadores não se dimensionam por essas datas. No entanto 888 indica um estado de preparação à escala global para a recepção-em-nós de uma influência espiritual que envolve o nosso sistema solar há muitos anos e que pressiona para descer.

Nesse sentido existe uma aliança entre os homens e os senhores Melkisedeque: quando os filhos de Adão invocam o altíssimo em pureza de coração as potencias celestes respondem, não por causa de um determinismo cronológico mas porque todo o coração responde ao coração: A égide deste alinhamento cosmológico é a Mente-Coração Criadora local - Cristo Miguel.

"Não conheceis AINDA a beleza e o esplendor dos planos de combustão pura, o Universo Ardente. Suaves brisas desse Nível tocarão ao de leve a orla das vossas Almas, o que for suficiente para vos imantar ao ponto de saberdes que não é possível, para aquele que pisou a Senda, abandoná-la.”

Recentemente observei um lençol amarelo a secar num estendal. Como estava encharcado, a tonalidade amarela era escura e sem brilho. Lentamente, à medida que o sol de Agosto secava o tecido, a cor original, intensa, amarelo canário, emer
giu numa espécie de escultura contemporânea de alegria e movimento espontâneo.

Vamos caminhar como tigres jovens na floresta ao amanhecer, sob o signo supremo do Cristo Cósmico.

COM AMOR

André Louro de Almeida





Copyright - André Louro de Almeida, 2008

8 comentários:

Samsara disse...

Olá António
Este assunto ainda é estranho para mim, novo. Vou lendo e assimilando.
E hoje é 8.8.8.
Bjs.

António Rosa disse...

Patrícia,

É isso mesmo: deixar fluir, tal e qual o fazes - lendo, assimilando, sem pressas. Não esquecer que o coração ouve o que andas a ler e às vezes a mente rejeita.

Estás quase de férias, né?

Bjs

Maria Paula disse...

Bom dia!

Pensava que só eu considerava este texto um pouco "difícil de digerir"...Não deixa de ser lindo mas é par ler mais vezes e lentamente e ver o que dão as "entrelinhas".

Tenha um óptimo dia astrológico no evento do jogos! :)
Eu cá vos aguardo nas vossas preciosas análises!
:) Beijinhos

António Rosa disse...

Olá Maria Paula,

O André um orientador espiritual de enorme qualidade e magnetismo.

Como deves imaginar, conheço pessoalmente muitos deles, pois a minha editora publicou os seus livros. E o André é especial. Não tem livros publicados mas tem imensos cd's e vale a pena ouvi-los.

Não tenciono analisar os jogos olímpicos e, curiosamente, não encontrei nada em português.

Beijos

António

Samsara disse...

Faltam 5 dias úteis de trabalho.
Dia 15 às 8h apanho o barco e regresso no fim do mês. Net só no Netpoint da zona, quando houver vaga. Praia, livros e brincadeiras com a Princesa.
Bjs

Astrid Annabelle disse...

António,
bom dia!
Tudo o que se poderia comentar já está dito...
Post excelente!
Abreijos.
Ma Jivan Prabhuta

António Rosa disse...

Olá patrícia,

Boas férias! Passa bem, com a família.

kiss

António Rosa disse...

Astrid,

Eu aprecio muito o André Louro de Almeida. Por isso o divulguei aqui, no tema 888, com alguma moderação, pois a vertente maioritária é a astrologia.

Nem imaginas o folclore que por aqui vai...

kiss

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates