Sobre a depressão e uma visão astrológica

3 de dezembro de 2013 ·

Minha terra, ilha de Moçambique,
foto do conterrâneo sr. Júlio Neto, em 2013

METAFÍSICA DA SAÚDE - Sabendo-se que todas as questões de saúde, chegam vindas de cima, do corpo emocional, passando pelo corpo mental e, finalmente, atingindo o corpo físico, lembrei-me de focar aqui a questão das depressões, a nível da metafísica da saúde e para isso, consultei o excelente livro “O Teu Corpo Ama-te” de Lise Bourbeau [Editora Pergaminho, Portugal, página 133]. Vale a pena ir a uma Fnac [Portugal ou Brasil], procurar o livro e sentar-se comodamente no chão e ler o texto completo.

Por enquanto, deixo uma parte que reproduzi do livro:

Por Lise Bourbeau: “A depressão é o meio utilizado por uma pessoa para não ter de viver a pressão, sobretudo afectiva. Não pode mais, atingiu o limite. Segundo as minhas observações ao longo de vários anos, a pessoa com tendências depressivas tem conflitos regulares com o progenitor do sexo oposto. É o que explica que, com muita frequência, a pessoa em depressão vá pegar-se com o cônjuge sobre quem realiza a transferência. O que a pessoa faz viver ao cônjuge é o que teria querido fazer viver a esse progenitor, mas conteve-se. Ao recusar ajuda, continua a alimentar o rancor e o ódio que vive face a esse progenitor e afunda-se na sua dor.

Quanto mais grave é o estado depressivo, mais a dor foi vivida fortemente em jovem. As feridas podem ser as seguintes: rejeição, abandono, humilhação, traição ou injustiça. Para ter causado tal desequilíbrio mental, como a depressão ou a psicose maníaco-depressiva, foi preciso a dor ter sido vivida no isolamento. Em jovem, esta pessoa não tinha com quem falar e fazer compreender as suas perguntas e angústias. Não aprendeu, pois, a confiar nos outros; bloqueou os seus desejos e recolheu-se finalmente em si mesma, desenvolvendo rancor ou ódio.”

[Fim de citação.]

Apenas tentando recordar que, entre outros aspectos astrológicos, uma Lua em Caranguejo/Câncer, na Casa 4, deve ser motivo suficiente para se parar e tentar perceber bem as questões com a mãe, com as mulheres, com o pensamento feminino. E ver com atenção que aspectos faz essa Lua a Saturno, Quíron e Vénus. Muito haveria a dizer sobre estes posicionamentos.

Vou aproveitar a oportunidade para transcrever, de alguns autores, o que eles pensam sobre a oposição Lua – Vénus.

Marion D. March e Joan McEvers: “Esses aspectos muitas vezes revelam sofrimento nos afectos ou negligência para com eles. Seus pais fazem objecções a seu parceiro, ou você vivência a falta de harmonia doméstica. Você é instável, crédulo e tolerante em excesso. Muitas vezes sente um forte impulso para se pôr em evidência, como compensação por seu sentimento de inferioridade. No mapa de uma mulher, pode haver má saúde periódica e/ou divórcio.” –[“Curso Básico de Astrologia – Vol. 1 – Princípios Fundamentais”, Editora Pensamento, Brasil]

Luís Resina: “Este aspecto indica que você é uma pessoa emocionalmente sensível; no entanto, carece do elemento protector e estável para exprimir as suas necessidades afectivas de uma forma harmoniosa e equilibrada. As diferenças de valores e a instabilidade de sentimentos na sua relação com a mãe ou com a família contribuíram para a formação de certas inseguranças pessoais. Procure um diálogo aberto e franco nas suas relações afectivas, de modo a evitar possíveis dependências neste domínio.” [“Guia de Interpretação Astrológica”, Editorial Pergaminho, Portugal]

Isabel M. Hickey: Com tradução minha – “Há uma oposição que actua através de outras pessoas e consideram como um aspecto negativo. Pode ser superada, comprometendo-se e cooperando. Deve-se escolher esta atitude. Por esta razão uma oposição é mais fácil de operar que uma quadratura. É frequente encontrarem-se casos de perda da mãe, por separação física ou psicológica. As condições monetárias podem causar dificuldades, se não houver um cuidadoso e prudente manejo das finanças. Deve-se superar a sensação subconsciente de não se ser amado, tornando-se uma pessoa mais amável e querida.” [“Astrology: A Cosmic Science: The Classic Work on Spiritual Astrology”, CRCS Publications, EUA]

Somos demasiadas vozes a insistirmos no mesmo. Não é de ânimo leve que estas coisas são escritas e afirmadas.


.

2 comentários:

Astrid Annabelle disse...
3 de dezembro de 2013 às 18:38  

Olá meu querido António!
Li e irei refletir a respeito...mas em silêncio!
Gostei de ler estas opiniões a respeito...
Beijo grande...e... seu paraíso continua lindo!
Astrid Annabelle

Barbara disse...
12 de dezembro de 2013 às 12:00  

Great article, I agree with everything

3 de dezembro de 2013

Sobre a depressão e uma visão astrológica

Minha terra, ilha de Moçambique,
foto do conterrâneo sr. Júlio Neto, em 2013

METAFÍSICA DA SAÚDE - Sabendo-se que todas as questões de saúde, chegam vindas de cima, do corpo emocional, passando pelo corpo mental e, finalmente, atingindo o corpo físico, lembrei-me de focar aqui a questão das depressões, a nível da metafísica da saúde e para isso, consultei o excelente livro “O Teu Corpo Ama-te” de Lise Bourbeau [Editora Pergaminho, Portugal, página 133]. Vale a pena ir a uma Fnac [Portugal ou Brasil], procurar o livro e sentar-se comodamente no chão e ler o texto completo.

Por enquanto, deixo uma parte que reproduzi do livro:

Por Lise Bourbeau: “A depressão é o meio utilizado por uma pessoa para não ter de viver a pressão, sobretudo afectiva. Não pode mais, atingiu o limite. Segundo as minhas observações ao longo de vários anos, a pessoa com tendências depressivas tem conflitos regulares com o progenitor do sexo oposto. É o que explica que, com muita frequência, a pessoa em depressão vá pegar-se com o cônjuge sobre quem realiza a transferência. O que a pessoa faz viver ao cônjuge é o que teria querido fazer viver a esse progenitor, mas conteve-se. Ao recusar ajuda, continua a alimentar o rancor e o ódio que vive face a esse progenitor e afunda-se na sua dor.

Quanto mais grave é o estado depressivo, mais a dor foi vivida fortemente em jovem. As feridas podem ser as seguintes: rejeição, abandono, humilhação, traição ou injustiça. Para ter causado tal desequilíbrio mental, como a depressão ou a psicose maníaco-depressiva, foi preciso a dor ter sido vivida no isolamento. Em jovem, esta pessoa não tinha com quem falar e fazer compreender as suas perguntas e angústias. Não aprendeu, pois, a confiar nos outros; bloqueou os seus desejos e recolheu-se finalmente em si mesma, desenvolvendo rancor ou ódio.”

[Fim de citação.]

Apenas tentando recordar que, entre outros aspectos astrológicos, uma Lua em Caranguejo/Câncer, na Casa 4, deve ser motivo suficiente para se parar e tentar perceber bem as questões com a mãe, com as mulheres, com o pensamento feminino. E ver com atenção que aspectos faz essa Lua a Saturno, Quíron e Vénus. Muito haveria a dizer sobre estes posicionamentos.

Vou aproveitar a oportunidade para transcrever, de alguns autores, o que eles pensam sobre a oposição Lua – Vénus.

Marion D. March e Joan McEvers: “Esses aspectos muitas vezes revelam sofrimento nos afectos ou negligência para com eles. Seus pais fazem objecções a seu parceiro, ou você vivência a falta de harmonia doméstica. Você é instável, crédulo e tolerante em excesso. Muitas vezes sente um forte impulso para se pôr em evidência, como compensação por seu sentimento de inferioridade. No mapa de uma mulher, pode haver má saúde periódica e/ou divórcio.” –[“Curso Básico de Astrologia – Vol. 1 – Princípios Fundamentais”, Editora Pensamento, Brasil]

Luís Resina: “Este aspecto indica que você é uma pessoa emocionalmente sensível; no entanto, carece do elemento protector e estável para exprimir as suas necessidades afectivas de uma forma harmoniosa e equilibrada. As diferenças de valores e a instabilidade de sentimentos na sua relação com a mãe ou com a família contribuíram para a formação de certas inseguranças pessoais. Procure um diálogo aberto e franco nas suas relações afectivas, de modo a evitar possíveis dependências neste domínio.” [“Guia de Interpretação Astrológica”, Editorial Pergaminho, Portugal]

Isabel M. Hickey: Com tradução minha – “Há uma oposição que actua através de outras pessoas e consideram como um aspecto negativo. Pode ser superada, comprometendo-se e cooperando. Deve-se escolher esta atitude. Por esta razão uma oposição é mais fácil de operar que uma quadratura. É frequente encontrarem-se casos de perda da mãe, por separação física ou psicológica. As condições monetárias podem causar dificuldades, se não houver um cuidadoso e prudente manejo das finanças. Deve-se superar a sensação subconsciente de não se ser amado, tornando-se uma pessoa mais amável e querida.” [“Astrology: A Cosmic Science: The Classic Work on Spiritual Astrology”, CRCS Publications, EUA]

Somos demasiadas vozes a insistirmos no mesmo. Não é de ânimo leve que estas coisas são escritas e afirmadas.


.

2 comentários:

Astrid Annabelle disse...

Olá meu querido António!
Li e irei refletir a respeito...mas em silêncio!
Gostei de ler estas opiniões a respeito...
Beijo grande...e... seu paraíso continua lindo!
Astrid Annabelle

Barbara disse...

Great article, I agree with everything

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates