O Sol ingressa em Peixes no dia 19 de Fevereiro

17 de fevereiro de 2012 ·

Ilustração «Pai Benedito», do pintor Cláudio Gianfardoni

Missão Superior
Aprender a estabelecer contacto com a alegria espiritual,
 para que possa partilhá-la com todos aqueles que conhece.

Peixes é a ultima Água do zodíaco. Nela se resolve ou não a dualidade emocional. Os Peixes são dois, presos por uma por uma tensão contraditória. Um Peixe nada para Sul, para o Passado, para as Águas anteriores, de Caranguejo, o mundo da Lua e da infância, e Escorpião, o mundo da violência instintiva.

O outro Peixe nada para o Norte, para o Futuro, para o oceano da Energia Universal simbolizado por Neptuno. É a última resposta emocional deste signo, a Via da não violência, da entrega Interior, da fusão incondicional do Eu no Todo.

Os Peixes são parabólicos, sentem a 360 graus, captam todas as vibrações positivas e negativas, daí a sua intensa contradição emocional. Daí a sua dualidade, sentem o bem e o mal, o instintivo e o divino, a guerra e a paz. Rejeitam o mundo obscuro da violência sem saber como optar pela Luz. Assim se perdem numa tensão limite, num mal-estar de sentimentos opostos entre a Terra e o Céu.

Os Peixes encontram-se quando finalmente harmonizam a sua dualidade, quando definitivamente optam por Neptuno, o apelo de Paz Interior, de Amor Universal.

Regente: Neptuno

Com Neptuno dissonante os Peixes são confusos, inquietos, desajustados, contraditórios. Perdem-se. Evadem-se em emoções dispersas. Têm como expressão falsos profetas, loucos que pregam a confusão aparentemente iluminada. Com Neptuno harmonioso os Peixes intuem profundamente todas as vibrações. São sensíveis, inspirados, místicos e visionários. A sua Sabedoria é nocturna, interiorizada, contida. Traduz uma reflexão contemplativa. Emoção oceânica da última Água, esta Sabedoria é já sentimento da Unidade reencontrada, a mais vasta dimensão da Fé.

Na Casa 12:

É a última Casa de Água, identifica-se com o signo de Peixes, Júpiter e Neptuno são os seus regentes. Revela o conflito das duas Águas de Peixes. A Casa 12 é uma Casa cármica. Contém no seu registo mais profundo a nossa Memória de Unidade. É o Mundo dos Arquétipos, as referências Universais da Mente Supraconsciente. A Casa 12 é a área da Vida Interior, o espaço do incomunicável, o Fundo da Alma, onde ninguém entra, apenas o diálogo do Eu com o seu sentir profundo. De mal estar, se vivido como sentimento de separação, ou de bem estar, quando vivido como sentimento de Unidade. Planetas na Casa 12 já não vêm ao Mundo lutar, buscar, receber. São energias que se encontram bloqueadas, até ao dia em que o processo de Encontro Interior seja experimentado. Pode-se dizer desses planetas o que de Si dizia Jesus: o seu Reino já não é deste Mundo. Mas sim do Mundo Interno, esse Reino da Alma ao qual esses planetas terão de se render, para que a Fonte da Vida íntima se possa expandir e Ser realidade. Importa separar as Águas do Sentir. Atravessar o Vazio da Alma. Aceitar a Vida Incondicionalmente. Como o filósofo Rudhyar, há que atravessar o Deserto. Há que fazer uma dolorosa e solitária viagem ao mais dentro de Si, até chegar ao Oásis Interno, fonte e princípio da Vida. Íntima Fonte onde qualquer um pode matar a sede. É o encontro do Imutável. A morada do Pai. Neptuno, a última resposta da Vibração Pisciana. A Oitava de Vénus. O Amor Universal. O Amor Incondicional.

Ilustração «Shiva», do pintor Cláudio Gianfardoni
1º nível de evolução: É a esfera da solidão, a prisão do Eu no Em-Si. O mal estar de uma energia presa que não encontra expressão. É o emparedamento da Alma. Faz-nos sentir fora e longe de tudo, prisioneiros de nós próprios, ausentes da realidade exterior.

2º nível de evolução: Vive-se o doloroso combate do Eu frente ao mundo onde procura situar-se sem nunca se encontrar. Sem que o mundo lhe devolva a Resposta total que o pode dimensionar. Por ser Neptuniana, a energia da Casa XII projecta-se como Absoluto. Absoluto que o Eu fora de si não pode vivenciar. Neste nível, a Casa  XII  sente-se como experiência de mal-estar Interior e desilusão, por excesso de projecção emocional numa realidade incapaz de em Absoluto responder. Então o Eu fecha-se no Em-Si, sem saída.

3º nível de evolução: É a morada do Eu Superior. A Casa do Eu Liberto, já sem medo, consciente de que É, em sua Essência Templo de Vida. Este último nível simboliza a rendição do Ser, quando o Eu se perde no Em-Si e abre o coração. Só então se desfaz o Nó da Eternidade. Das profundezas do Ser finalmente emerge uma Emoção de Unidade, um Sentimento de Paz. Só então se sabe Eterno.

.

6 comentários:

Astrid Annabelle disse...
17 de fevereiro de 2012 às 09:31  

Bom dia António!
Particularmente gosto muito de Peixes...deve ter sentido por ter a minha Lua neste setor...
Partilhado...
Beijo grande para um belo dia.
Astrid Annabelle

Odisseia disse...
17 de fevereiro de 2012 às 10:16  

Bom dia António,
A inspiração e mote para o meu novo ano! Grato. Ulisses

Maria Izabel Viégas disse...
17 de fevereiro de 2012 às 12:32  

Queridoooo,
tenho entrado muito pouco na internet. Aliás, meu notebook ficou fechado( imagina!!! rsrss mais de uma semana).
Falei com A amada Astrid e li o dialógo entre os dois.
Obrigada pelo carinho.
Tu e a Astrid são dois anjos que moram no mesmo pedaço translúcido dos céus!
Muitos beijinhos aos dois amados!

Como pisciana dos 29º57' sou um dos seres que vieram para completar um ciclo ainda inacabado. Desde meu nascimento que foi carinhosamente amparado e adoravelmente impreganado do Místico, (esta foto acima de um preto velho, que me "trouxe" aqui, meu pai terreno foi orientado pelo PAI JOAQUIM, muitas provas tive deste amparo,num intercâmbio que só me faz bem à alma buscante e viajante).
Acabei de reler o livro VOLTEI escrito pelo Irmão Jacob, pelas mediunidadae cristalina de Chico Xavier e aqui neste trecho abaixo encontrei muito do que ali se alerta a nós homens encarnados.

"Como o filósofo Rudhyar, há que atravessar o Deserto. Há que fazer uma dolorosa e solitária viagem ao mais dentro de Si, até chegar ao Oásis Interno, fonte e princípio da Vida. Íntima Fonte onde qualquer um pode matar a sede. É o encontro do Imutável."

O Imutável é o caminho da ascensão espiritual verticalizada para qual todos nós iremos, é o Caminho da Alma.
Muito eles nos lembram de se ficarmos a remoer as nossas culpas e defeitos nunca daremos um passo à frente. Se ainda não temos em nós o brilho resplandecente das almas angelicais, aos poucos ao esclarecermos aos que nada sabem ou que não entendem mais do que com palavras mas com exemplos, aceitando que somos seres arrantes , mas é nosso propósito no agora acertar, compreender. E como é difícil não redarguir, não contestar quando somos confrontados com a dedo na nossa ferida.
Lindo o AMOR de DEUS por nós. É partir do buscar como bem nos diz Rudhyar as águas puras que temos dentro de nós!
É aproveitar a benesse deste sublime corpo físico que nos acolheu aqui , amá-lo muito, amar cada célula que existe em nós. É a nossa armadura do guerreiro.
Seremos o guerreiro da Luz ou nos deixaremos contaminar pelo mal exterior, que na verdade nos afeta porque ainda é parte de nosso passado, o que escolhemos para beber: as mágoas de Câncer ou sua fonte cristalina, a violência dorida das águas de Scorpio ou potencialmente forte "cura"?

Querido amigo, desculpa-me o "testamento" ;))
Mercurio em aries na 3 é fooooogo mil risos mas creio que numa casa 3 piscina junto ao sol e dando um 'xamego' em vênus, creio foi um fogo que ardeu sem doer! ;)))))

MUITOS BEIJOS!
como piscina... ih, acho que stou entre os dois estágiosde evolução: um pé no 2º e dois no 3º ( ora ,ora, eu tenho três pés, bem... de seres do mar tudo se espera!!! risadas
Beijo nesta alma linda!

* Vou agora para plantar mais na minha horta caseira, conecatr-me com o mundo da BEla Árvore da Astrid linda!
Sabes que plantei coentro e nasceu tomate!!!! Juro, tenho provas:estou com ao pacote das sementes que dizia :coentro!kkkk Só eu mesma! Mas minha horta caseira,ao lado da piscina está "lindaaaa!"

Astrid Annabelle disse...
17 de fevereiro de 2012 às 17:55  

Maria Izabel!!! vim antes do António!!! [mil risos] <...gostei disso!!!
Sabe para que???..para deixar mais um beijo. Amo tu!!!!
Astrid Annabelle

Táxi Pluvioso disse...
27 de fevereiro de 2012 às 01:45  

Desapareceram as caixas de comentários dos posts acima ou ando a ver mal? já não vamos com anjos protetores, precisamos de diabos protetores. boa semana

MARCELO DALLA disse...
1 de março de 2012 às 18:08  

Belíssimo texto, não podia deixar de ler!!!!!
E adorei o coment da Izabel. Ela anda sumida, está fazendo falta!!!!
Grato pela aula, querido!!!

17 de fevereiro de 2012

O Sol ingressa em Peixes no dia 19 de Fevereiro

Ilustração «Pai Benedito», do pintor Cláudio Gianfardoni

Missão Superior
Aprender a estabelecer contacto com a alegria espiritual,
 para que possa partilhá-la com todos aqueles que conhece.

Peixes é a ultima Água do zodíaco. Nela se resolve ou não a dualidade emocional. Os Peixes são dois, presos por uma por uma tensão contraditória. Um Peixe nada para Sul, para o Passado, para as Águas anteriores, de Caranguejo, o mundo da Lua e da infância, e Escorpião, o mundo da violência instintiva.

O outro Peixe nada para o Norte, para o Futuro, para o oceano da Energia Universal simbolizado por Neptuno. É a última resposta emocional deste signo, a Via da não violência, da entrega Interior, da fusão incondicional do Eu no Todo.

Os Peixes são parabólicos, sentem a 360 graus, captam todas as vibrações positivas e negativas, daí a sua intensa contradição emocional. Daí a sua dualidade, sentem o bem e o mal, o instintivo e o divino, a guerra e a paz. Rejeitam o mundo obscuro da violência sem saber como optar pela Luz. Assim se perdem numa tensão limite, num mal-estar de sentimentos opostos entre a Terra e o Céu.

Os Peixes encontram-se quando finalmente harmonizam a sua dualidade, quando definitivamente optam por Neptuno, o apelo de Paz Interior, de Amor Universal.

Regente: Neptuno

Com Neptuno dissonante os Peixes são confusos, inquietos, desajustados, contraditórios. Perdem-se. Evadem-se em emoções dispersas. Têm como expressão falsos profetas, loucos que pregam a confusão aparentemente iluminada. Com Neptuno harmonioso os Peixes intuem profundamente todas as vibrações. São sensíveis, inspirados, místicos e visionários. A sua Sabedoria é nocturna, interiorizada, contida. Traduz uma reflexão contemplativa. Emoção oceânica da última Água, esta Sabedoria é já sentimento da Unidade reencontrada, a mais vasta dimensão da Fé.

Na Casa 12:

É a última Casa de Água, identifica-se com o signo de Peixes, Júpiter e Neptuno são os seus regentes. Revela o conflito das duas Águas de Peixes. A Casa 12 é uma Casa cármica. Contém no seu registo mais profundo a nossa Memória de Unidade. É o Mundo dos Arquétipos, as referências Universais da Mente Supraconsciente. A Casa 12 é a área da Vida Interior, o espaço do incomunicável, o Fundo da Alma, onde ninguém entra, apenas o diálogo do Eu com o seu sentir profundo. De mal estar, se vivido como sentimento de separação, ou de bem estar, quando vivido como sentimento de Unidade. Planetas na Casa 12 já não vêm ao Mundo lutar, buscar, receber. São energias que se encontram bloqueadas, até ao dia em que o processo de Encontro Interior seja experimentado. Pode-se dizer desses planetas o que de Si dizia Jesus: o seu Reino já não é deste Mundo. Mas sim do Mundo Interno, esse Reino da Alma ao qual esses planetas terão de se render, para que a Fonte da Vida íntima se possa expandir e Ser realidade. Importa separar as Águas do Sentir. Atravessar o Vazio da Alma. Aceitar a Vida Incondicionalmente. Como o filósofo Rudhyar, há que atravessar o Deserto. Há que fazer uma dolorosa e solitária viagem ao mais dentro de Si, até chegar ao Oásis Interno, fonte e princípio da Vida. Íntima Fonte onde qualquer um pode matar a sede. É o encontro do Imutável. A morada do Pai. Neptuno, a última resposta da Vibração Pisciana. A Oitava de Vénus. O Amor Universal. O Amor Incondicional.

Ilustração «Shiva», do pintor Cláudio Gianfardoni
1º nível de evolução: É a esfera da solidão, a prisão do Eu no Em-Si. O mal estar de uma energia presa que não encontra expressão. É o emparedamento da Alma. Faz-nos sentir fora e longe de tudo, prisioneiros de nós próprios, ausentes da realidade exterior.

2º nível de evolução: Vive-se o doloroso combate do Eu frente ao mundo onde procura situar-se sem nunca se encontrar. Sem que o mundo lhe devolva a Resposta total que o pode dimensionar. Por ser Neptuniana, a energia da Casa XII projecta-se como Absoluto. Absoluto que o Eu fora de si não pode vivenciar. Neste nível, a Casa  XII  sente-se como experiência de mal-estar Interior e desilusão, por excesso de projecção emocional numa realidade incapaz de em Absoluto responder. Então o Eu fecha-se no Em-Si, sem saída.

3º nível de evolução: É a morada do Eu Superior. A Casa do Eu Liberto, já sem medo, consciente de que É, em sua Essência Templo de Vida. Este último nível simboliza a rendição do Ser, quando o Eu se perde no Em-Si e abre o coração. Só então se desfaz o Nó da Eternidade. Das profundezas do Ser finalmente emerge uma Emoção de Unidade, um Sentimento de Paz. Só então se sabe Eterno.

.

6 comentários:

Astrid Annabelle disse...

Bom dia António!
Particularmente gosto muito de Peixes...deve ter sentido por ter a minha Lua neste setor...
Partilhado...
Beijo grande para um belo dia.
Astrid Annabelle

Odisseia disse...

Bom dia António,
A inspiração e mote para o meu novo ano! Grato. Ulisses

Maria Izabel Viégas disse...

Queridoooo,
tenho entrado muito pouco na internet. Aliás, meu notebook ficou fechado( imagina!!! rsrss mais de uma semana).
Falei com A amada Astrid e li o dialógo entre os dois.
Obrigada pelo carinho.
Tu e a Astrid são dois anjos que moram no mesmo pedaço translúcido dos céus!
Muitos beijinhos aos dois amados!

Como pisciana dos 29º57' sou um dos seres que vieram para completar um ciclo ainda inacabado. Desde meu nascimento que foi carinhosamente amparado e adoravelmente impreganado do Místico, (esta foto acima de um preto velho, que me "trouxe" aqui, meu pai terreno foi orientado pelo PAI JOAQUIM, muitas provas tive deste amparo,num intercâmbio que só me faz bem à alma buscante e viajante).
Acabei de reler o livro VOLTEI escrito pelo Irmão Jacob, pelas mediunidadae cristalina de Chico Xavier e aqui neste trecho abaixo encontrei muito do que ali se alerta a nós homens encarnados.

"Como o filósofo Rudhyar, há que atravessar o Deserto. Há que fazer uma dolorosa e solitária viagem ao mais dentro de Si, até chegar ao Oásis Interno, fonte e princípio da Vida. Íntima Fonte onde qualquer um pode matar a sede. É o encontro do Imutável."

O Imutável é o caminho da ascensão espiritual verticalizada para qual todos nós iremos, é o Caminho da Alma.
Muito eles nos lembram de se ficarmos a remoer as nossas culpas e defeitos nunca daremos um passo à frente. Se ainda não temos em nós o brilho resplandecente das almas angelicais, aos poucos ao esclarecermos aos que nada sabem ou que não entendem mais do que com palavras mas com exemplos, aceitando que somos seres arrantes , mas é nosso propósito no agora acertar, compreender. E como é difícil não redarguir, não contestar quando somos confrontados com a dedo na nossa ferida.
Lindo o AMOR de DEUS por nós. É partir do buscar como bem nos diz Rudhyar as águas puras que temos dentro de nós!
É aproveitar a benesse deste sublime corpo físico que nos acolheu aqui , amá-lo muito, amar cada célula que existe em nós. É a nossa armadura do guerreiro.
Seremos o guerreiro da Luz ou nos deixaremos contaminar pelo mal exterior, que na verdade nos afeta porque ainda é parte de nosso passado, o que escolhemos para beber: as mágoas de Câncer ou sua fonte cristalina, a violência dorida das águas de Scorpio ou potencialmente forte "cura"?

Querido amigo, desculpa-me o "testamento" ;))
Mercurio em aries na 3 é fooooogo mil risos mas creio que numa casa 3 piscina junto ao sol e dando um 'xamego' em vênus, creio foi um fogo que ardeu sem doer! ;)))))

MUITOS BEIJOS!
como piscina... ih, acho que stou entre os dois estágiosde evolução: um pé no 2º e dois no 3º ( ora ,ora, eu tenho três pés, bem... de seres do mar tudo se espera!!! risadas
Beijo nesta alma linda!

* Vou agora para plantar mais na minha horta caseira, conecatr-me com o mundo da BEla Árvore da Astrid linda!
Sabes que plantei coentro e nasceu tomate!!!! Juro, tenho provas:estou com ao pacote das sementes que dizia :coentro!kkkk Só eu mesma! Mas minha horta caseira,ao lado da piscina está "lindaaaa!"

Astrid Annabelle disse...

Maria Izabel!!! vim antes do António!!! [mil risos] <...gostei disso!!!
Sabe para que???..para deixar mais um beijo. Amo tu!!!!
Astrid Annabelle

Táxi Pluvioso disse...

Desapareceram as caixas de comentários dos posts acima ou ando a ver mal? já não vamos com anjos protetores, precisamos de diabos protetores. boa semana

MARCELO DALLA disse...

Belíssimo texto, não podia deixar de ler!!!!!
E adorei o coment da Izabel. Ela anda sumida, está fazendo falta!!!!
Grato pela aula, querido!!!

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogue que aprecio

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Com tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates