Filmes da minha vida - Inglourious Basterds [Sacanas Sem Lei]

26 de Dezembro de 2009 · 48 comentários

Este foi um dos filmes que vi na noite de Consoada. E ainda bem que assim foi, pois não tivera oportunidade de o ver em sala de cinema, a quando da sua estreia. Gostei imenso de «Inglorious Basterds». Demais. Passado entre nós com o patético título de «Sacanas Sem Lei». Ainda por cima, com uma justificação boba: 'Malandros, Patifes ou Meliantes parece que já estavam registados'. Gente, o problema não está na palavra 'sacanas', mas sim o 'sem lei'. É no que dá, quando a falta de criatividade impera.

É um filme de Quentin Tarantino, o que faz com que assistamos a uma peça montada como só os contadores de histórias o sabem fazer. Com uma valente piscadela de olhos aos espectadores cinéfilos. Encontramos todos os ingredientes que dão prazer aos cinéfilos. Quanto ao grande público, duvido que apreciem as minudências de um filme com assinatura.

Christoph Waltz no papel do Coronel Hans Landa, 'o caçador de judeus'.
Um excelente actor e um grande papel.


Shoshanna Dreyfus [Mélanie Laurent] assiste à execução da sua família, directamente pelas mãos do Coronel nazi Hans Landa, o conhecido 'caçador judeu' [Christoph Waltz]. Mesmo assim, Shoshanna consegue fugir para Paris e começar de novo, com uma identidade falsa, neste caso, enquanto dona de um cinema.

Entretanto, o americano Tenente Aldo Raine [Brad Pitt] organiza um grupo de soldados judeus, orientado para atacar alvos localizados
na França ocupada: os famosos 'Basterds' (sacanas, malditos, patifes). Por favor, não traduzam para 'bastardos', pois nesse caso, a palavra inglesa é outra - bastards. Uma pequena nuance que altera todo o sentido.

Juntamente com uma actriz alemã e agente infiltrada, de seu nome Bridget von Hammersmark [Diane Kruger], eles planeiam derrubar o Terceiro Reich. Os destinos convergem todos para o cinema onde Shoshanna planeia a sua própria vingança, pois todo o estado maior nazi, incluindo Adolf Hitler, estaria presente numa gala de propaganda ao regime, com a exibição do filme germânico
"O Orgulho da Nação", que conta a história de um soldado alemão que em 3 dias matou mais de 300 soldados americanos, tornando-se num herói do regime.

Para essa sala de cinema, havia dois planos distintos com um objectivo comum: a destruição do III Reich. Nenhum dos grupos tinha conhecimento do outro.

A dona do cinema,
Shosanna [Mélanie Laurent] que, anos antes, havia escapado à fúria assassina do 'caçador de judeus', preparou-se meticulosamente para incendiar o seu próprio cinema, fazendo arder 350 filmes guardados em nitrato. Para isso, contava com a colaboração do projeccionista da sala, o seu namorado Marcel [Jacky Ido]. O plano era colocarem atrás do ecrã todas as cópias de filmes altamente inflamáveis, fecharem todas as saídas e esturricarem os presentes. Era a vingança pessoal da judia Shoshanna Dreyfus e do seu namorado de raça negra. Menciono a raça do namorado, apenas para enfatizar a ironia de Tarantino: judeus e negros, duas das raças mais odiadas pelo regime nazi.

O outro plano pertencia aos serviços secretos dos aliados, que contava com a ajuda da actriz alemã, a viver em França e refugiada do nazismo, Bridget von Hammersmark [Diane Kruger], uma famosa actriz alemã que na verdade colabora com a Resistência Francesa. A ideia era conseguirem introduzir os 'basterds' na sala de cinema, para fazerem explodir o recinto com dinamite.

Como compreenderão, estou a simplificar muito. Este é o plot do filme.



Brad Pitt, com 46 anos, feitos no passado dia 18 de Dezembro, chegou àquela fase da sua carreira, em que pode escolher papéis insólitos e marcantes, demonstrando ser um excelente actor, à maneira dos grandes nomes como Robert De Niro e Marlon Brando, que passaram a ser mais apreciados pela sua arte e menos pela sua beleza e bom aspecto. Neste filme, Brad Pitt, chega a parecer irreconhecível, tal foi a quantidade de tiques que ele incorporou à excelente interpretação do seu personagem. Muito bom.


Quentin Tarantino chamou Brad Pitt, Diane Kruger, Daniel Bruhl, Christoph Waltz, Mike Meyers, Michael Fassbender e Mélanie Laurent para participarem num tributo a «Quel Maledetto Treno Blindato», um filme de guerra italiano, de 1978, realizado por Enzo Castellari e que saiu nos EUA com o título "The Inglorious Bastards". Por isso, Tarantino deu ao seu filme, um título muito similar: «Inglorious Basterds».

Um dos teaser do filme.

Este filme não trata especificamente de ser mais uma película sobre a Segunda Guerra Mundial. Nada disso. O 'cenário-ambiente' é esse. Mas o filme é um excelente exercício de história alternativa, de história ficcional, com uma enorme homenagem ao «cinema».

Se não, vejamos: uma sala de cinema, uma dona dessa sala, um projeccionista, uma famosa actriz alemã, as 350 cópias de filmes embebidos em nitrato, a projecção de um filme nazi e dezenas de dezenas de outros pormenores cinematográficos. Se juntarmos a esta homenagem ao «cinema», ao facto de todos sabemos que o Terceiro Reich investiu imenso na propaganda através de filmes e documentários, resta apenas esta ideia genial: fazer com que o Terceiro Reich desapareça numa sala de cinema. Absurdo? Não. Absolutamente cinéfilo. :)))

Só um cineasta de grande arcabouço se atreveria a fazer um filme para o público americano, onde se falam várias línguas: americano, inglês, alemão, francês, italiano, espanhol. Um filme, maduro, sério e ao mesmo tempo muito divertido.


Brad Pitt no papel do 'basterd' Tenente Aldo Raine. Grande papel e grande actor. A sua especialidade neste filme... bom, não posso contar, lamento mesmo.

Um dos teaser do filme.

Site do filme:
www.inglouriousbasterds-movie.com/

Mais sites sobre o filme: 1 - 2 - 3

Quentin Tarantino, ao centro, no set de filmagens.

Um dos teaser do filme.

Diane Kruger no papel da actriz alemã Bridget von Hammersmark.
Um desempenho excelente.


Eli Roth no papel do Sargento Donny Donowitz.
Um verdadeiro 'basterd'.


Mélanie Laurent no papel da judia Shosanna Dreyfus,
dona do cinema onde se desenrolam as cenas principais do filme.

Vídeos

Com legendas em português



Em francês



Oiçam o americano Aldo Raine [Brad Pitt] a tentar dizer
com pronúncia italiana a palavra 'arriverdeci'.
Intencional e delirante. Grande filme. Grande actor.

Previsões para 2010 - O Planeta Regente do Ano: Vénus

23 de Dezembro de 2009 · 48 comentários


Em Junho de 2008 expliquei aqui no blogue, como se saber qual é o planeta do ano. No entanto, aqui fica, novamente, a explicação.

Os Antigos usavam a “Estrela dos Magos”, de sete pontas, onde são colocadas as duas luminárias - o Sol e a Lua -, e os cinco planetas que
são visíveis a olho nu e que eram conhecidos na antiguidade – de Mercúrio a Saturno. Também conhecidos e chamados de 'Planetas Sagrados'.

Como poderão verificar na ilustração mais abaixo, a sequência em que os planetas são colocados não é clara, e pessoalmente não sei explicar, pois não segue a ordem lógica de afastamento dos planetas em relação
ao Sol ou em relação à Terra, por exemplo. A sequência também não usa a velocidade orbital dos planetas. Os sábios antigos utilizavam as regências em sequência, os famosos ciclos da vida, contando o Ano Zero sempre como sendo o ano regido pelo Sol. A minha amiga e astróloga Patrícia Azenha, autora dos blogues «Princesa Esquimó» e «Estudante de Astrologia», especialista em astrologia tradicional e agora a iniciar um curso de astrologia medieval, ao ler este post, teve a amabilidade de deixar nos comentários a explicação da sequência dos planetas. Assim: «Quanto à ordem que referes é a ordem Caldaica, só que aqui começam pelo Sol no sentido dos planetas inferiores (Vénus, Mercúrio e Lua) e depois os planetas superiores (Saturno, Júpiter e Marte) e por fim de volta ao Sol, a sequência é sempre a mesma, só que em vez de se começar pela Lua-Mercúrio-Vénus-Sol-Marte-Júpiter-Saturno ou o oposto, começa-se pelo Sol. Esta sequência tem a ver com a velocidade média aparente dos planetas/luminares.» Muito obrigado. A tua explicação fez toda a diferença.

Devido à época em que estamos, há sempre muita curiosidad
e sobre as previsões para o ano seguinte. Uma das formas mais simpáticas para o fazer é através do 'regente do ano'. Assim, como encontrar o planeta regente do ano?

Simplesmente dividindo o ano em questão, neste exemplo, o 2010, pelo número 7 (os planetas da antiguidade) e obtendo um número de “s
obra” ou “resta”. Este número que sobra ou resta é correspondente ao planeta regente do ano. Como para 2010 o número que sobra ou resta é o número 1, ficamos a saber que Vénus é o planeta regente do ano. Estamos, portanto, no segundo ano deste ciclo.

Clique na ilustração para a aumentar.

Vamos agora falar um pouco da simbologia de Vénus em astrologia, o primeiro e grande símbolo de Vénus é o «amor». Só depois consideramos outras significações: actividades diplomáticas, manifestações artísticas, exposições, eventos sociais, produtos de beleza, luxo, produtos femininos, finanças, bens, produtos da terra, alimentos. Obviamente, estou a referir-me às significações das análises dos grandes conjuntos (regiões, países, cidades, grupos, continentes, mundo, etc.). A astrologia aplicada a estes grandes grupos chama-se «astrologia mundial».

Na astrologia corrente, no mapa natal de cada pessoa, o planeta Vénus, além destas, tem outras simbologias que não entram neste texto, pois não estamos a fazer previsões pessoais, mas sim, a tentar ter uma visão de conjunto.

Importa relembrar que a conhecida crise mundial começou em 2008, ano regido pelo planeta Marte. O ano de 2009, regido pelo Sol, que tudo domina e que tudo engrandece, consolidou essa crise mundial. 2010, regido por Vénus é o ano para principiar a amortecer esse facto, usando-se a diplomacia e a boa vontade e os magnos encontros dos governos, organizações e especialistas. É o «amor» a funcionar. A confirmação do desanuviamento mundial virá em 2011, a ser regido por Mercúrio, o grande negociador, em que a razão será posta ao serviço da humanidade.

O ano de 2009 foi governado pelo Sol, que exacerbou ao extremo, a situação que vinha de trás. Portanto, 2010 será o ano para serem feitas todas as tentativas possíveis de «acalmar» uma situação inóspita e muito amarga. 2010 será o ano de todas as tentativas diplomáticas a nível regional e mundial. Pode-se dizer que a Cimeira de Copenhaga já foi o exemplo percursor do que afirmo: os primeiros passos, muito, mas muito hesitantes, para os Senhores do Mundo se entenderem. Num ano regido pelo Sol (2009) os egos colectivos, empresariais e nacionalistas em estado de exacerbação não permitiram acordos mais substanciais. A América e a China sentaram-se à mesma mesa, apesar de não terem chegado ao acordo ideal. A «timidez» (palavra introduzida pela democracia mundial e usada por Barack Obama) desse acordo foi prevista no meu artigo sobre o assunto. (Clicar aqui para ver). Também percebemos que o mundo está em profunda mudança, pois atribuir o Prémio Nobel a um homem apenas pelas suas intenções, é toda uma nova programação para a humanidade. Aprecio muito esta nova maneira de pensar e agir.

Este acordo possível de Copenhaga era absolutamente impensável há 6 meses, digam os comentadores e jornalistas o que disserem, como já tenho lido. É muito bom sermos treinadores de bancada. Estar no terreno é que é difícil. Quando digo que a Cimeira de Copenhaga foi o exemplo, refiro-me a que 2010 será o palco de todas as tentativas de acordo, a todos os níveis e não apenas para o clima. É o ano das tentativas e possibilidades de entendimento, de partilha, de dar e receber. Busca-se a paz. Fazem-se tratados. Isto não significa, em nada, que iremos viver um ano zen. Nada disso. Iremos viver, isso sim, um ano de tentativas de acordos para melhorar-se o Todo - Humanos e Planeta. Esta é a noção de civilização. O resto são tricas de interesses bem instalados, que não querem perder o poder e só fazem atrasar o avanço.

Ao longo de 2010 iremos assistir a um maior realce da mulher. A todos os níveis informativos e formativos. Os produtos femininos e as mensagens serão ainda maiores, planetárias. Será, sem dúvida, o Ano da Mulher. O Ano da Mulher e do Amor.

2010, regido por Vénus, será «comandado» pelo maior sentimento que o homem é capaz de expressar: o AMOR! O amor pleno, desinteressado e inteiro. Com ele superamos barreiras, lutamos, compreendemos e perdoamos a tudo e a todos. No entanto, é necessário matizar uma questão: Vénus é regente de Balança / Libra e este signo está a ser transitado por Saturno, o Senhor dos Poderes. Portanto, significa que assistiremos à aprendizagem do amor. Sim, porque o amor tem que ser reaprendido a ser manifestado. Sem apegos, sem cobranças, sem controlos. Você, leitor ou leitora, consegue amar incondicionalmente, aceitando o outro, tal como é?

O mundo está em mudança e a humanidade em evolução, mesmo que às vezes não pareça. Apesar da fome, das guerras, dos conflitos. É um ano para se avançar, aproveitando as boas energias venusianas. Aproveitemos a passagem de Saturno pelo signo de Vénus e apliquemos as tão temidas palavras: «respeito» e «responsabilidade». Respeitemo-nos, aceitemo-nos e tudo será bem mais fácil. Obviamente, não será um ano cor-de-rosa, como à primeira vista pode parecer por termos este regente planetário. Mas será um ano para melhorar tudo à nossa volta. Desde os governos dos poderosos até a cada um de nós, na nossa vida do dia-a-dia. Alarguemos o nosso horizonte com responsabilidade e respeito [Saturno].

Vénus também rege Touro, o signo das coisas mais materialistas. Haverá muitas questões a terem que ser superadas. Muitas tensões a terem que ser esbatidas. As pessoas com uma visão marcadamente materialista serão confrontadas com outras visões, que começaram por estranhar, mas a vida encarregar-se-á de colocar as perspectivas mais adequadas para cada um. A evolução da humanidade faz-se assim, com dois passos em frente e um para trás. Obviamente, os «media», na sua luta diária para captarem audiência, privilegiam sempre os lados mais sangrentos das situações. Como se auto-outorgaram o direito (?) de «vigiar» em vez da função «informar», a coisa fica confusa. Parecem ser os novos 'intocáveis'.

A ajudar na tarefa de Vénus, encontraremos Júpiter que entrará no signo Peixes nos finais de Janeiro, sentindo-se em regência tradicional, portanto, muito bem colocado e em posicionamento muito positivo. Como planeta benéfico, a sua tarefa principal será ajudar a humanidade a encontrar o seu lado mais oculto e interno, proporcionando grande ajuda a quem estiver disposto a usar a intuição e a linguagem do coração. Nem me atrevo a enfatizar as questões da espiritualidade, por ser demasiado óbvia. Os signos em «alta» serão: Touro, Balança/Libra, Peixes e Capricórnio.

No entanto, o ano de 2010 será marcado pelo diálogo entre Saturno e Plutão, numa quadratura, a obrigar um maior esforço na superação dos acontecimentos. Os países mais empobrecidos terão que lutar mais. Os mais ricos poderão abusar do seu poder. Os homens que dominam o mundo serão chamados a maiores obrigações. Estarão eles permeáveis a estas mudanças? Não sabemos.


Festas Felizes a todos

18 de Dezembro de 2009 · 57 comentários


Estarei ausente do blogue durante uns dias.

Quem é a entidade conhecida por Emmanuel?

17 de Dezembro de 2009 · 16 comentários


No início de 2006 pedimos ao nosso amigo, o artista Cláudio Gianfardoni, para se sintonizar com Emmanuel e que o pintasse. O resultado foi o que estão agora a ver. Esta ilustração destinou-se a ser inserida na capa do livro "Tratado de Cura Canopus Melquizedeque", de Henrique Manuel.

Quem é Emmanuel?

Emmanuel é, também, o nome dado pelo medium espírita brasileiro Chico Xavier à entidade a que atribui a autoria de boa parte das suas obras psicografadas. Essa entidade era apontada por Chico Xavier como seu orientador espiritual.

A obra mediúnica atribuída a Emmanuel é composta por dezenas de livros, muitos deles traduzidos para diversos idiomas. São livros de aconselhamento espiritual, obras de exegese bíblica, etc.

Que nos diz o «Livro de Urântia» sobre esta entidade?

Antes de mais, aclaremos de imediato o seguinte: Emmanuel é irmão de Micah, o Deus Governante do nosso Universo Local de Nebadon, cuja capital é Salvington.

Como sabem, o Senhor Micah, Sananda e Jesus são o mesmo Ser, em diferentes planos. São entidades únicas, que consoante o plano de intervenção, necessitam criar outras formas de energia, para poderem actuar da melhor maneira possível em registos mais densos, como é o caso do nosso planeta.

Devido às questões havidas no planeta Terra com as guerras dos Anjos Caídos, decidiu, o Senhor Micah que faria uma reencarnação (auto-otorgamento) aqui, de modo a poder auxiliar-nos. Assim nasceu Jesus, Filho do Deus Pai.

Neste processo, desde que saiu da capital Salvington, até encarnar naquele bebé, o Senhor Micah passou por um processo pessoal e cósmico, tendo que permanecer imenso tempo em numerosos planetas, sendo que os últimos onde esteve foram um planeta da estrela Sirius e em Vénus, do nosso sistema solar. Neste delicado processo de adaptação energética ao nosso sistema, o Senhor Micah necessitou de 50.000 anos terrestres para realizar a sua obra de reencarnação neste planeta.

É legítimo perguntar: se esteve ausente da sede central do nosso Universo, Salvington, quem o ficou a substituir? Quem ficou a tomar conta do governo do nosso Universo Local de Nebadon? A resposta é-nos dada no
Livro de Urântia": Foi o seu irmão, o Bem Amado Emmanuel.

E quem acompanhava Emmanuel no governo? Gabriel de Nebadon, o tão querido e amado Arcanjo Gabriel.

Emmanuel de Nebadon é um União dos Dias, Filho Directo do Paraíso, da Fonte Que Tudo É, irmão mais velho de Micah de Nebadon. Ficou no governo as sete vezes que Micah teve que se ausentar, em tarefas de auto-otorgação (no nosso planeta chamamos 'reencarnação') pelo seu Universo Local. A Ilha do Paraíso para uns, ou Havona para outros, ou a Grande Fonte Que Tudo É, para outros, determina que o Filho Criador do Paraíso, para assumir para todo o sempre, o governo de um Universo local, deve "reencarnar" (auto-otorgar-se) por 7 vezes em diversos locais por si escolhidos. O Senhor Micah assim fez. Auto-otorgou-se em diversos sectores de Nebadom.

Segundo o «Livro de Urântia»: «O propósito destas encarnações em forma de criatura consiste em possibilitar que tais Criadores venham a ser soberanos sábios, compassivos, justos e compreensivos. Estes Filhos divinos são justos de maneira inata, mas tornam-se criteriosamente misericordiosos como resultado destas experiências sucessivas de efusão; eles são misericordiosos por natureza mas estas experiências os fazem misericordiosos em formas novas e adicionais. Estas efusões constituem os últimos passos do seu preparo e instrução para a tarefa sublime de governar os universos locais em rectitude divina e por meio de juízo imparcial. Estas efusões não são essenciais para a gestão sábia, justa e eficaz de um universo local, porém são absolutamente necessárias para uma administração imparcial, misericordiosa e compreensiva de tal criação, na qual pululam variadas formas de vida e miríades de criaturas inteligentes, porém imperfeitas».

O Senhor Micah assim fez, sempre com a colaboração do seu irmão, Emmanuel.

O Senhor Micah, governante do nosso Universo Local de Nebadon, nas sua auto-otorgações, para se confirmar como Governante Eterno foi um Lanonandeque e um Melquisedeque, seus filhos da criação. Pacificou o planeta 217, no sistema 87 da constelação 61, onde o Soberano do Sistema se desencaminhara, criando uma rebelião. Como um anjo Serafim, serviu de conselheiro seráfico de ensino, o que poderíamos denominar como secretário particular, para vinte e seis diferentes instrutores maiores que trabalhavam em vinte e dois mundos distintos. Em Uversa foi um mortal ascendente, foi um ser pessoal maravilhoso que viveu e trabalhou por um período de onze anos do tempo padrão de Orvonton, à exacta semelhança da etapa espiritual dos mortais ascendentes. Este ser recebeu tarefas e cumpriu com os deveres de um mortal espiritual junto com os seus semelhantes provenientes dos vários universos locais de Orvonton. Foram 7 as suas auto-otorgações.

Aqui foram descritas apenas algumas das suas auto-otorgações, todas extraordinárias. Micah deixou para a sua última auto-otorgação, a mais difícil de todas. Ser carne, ser matéria. Saber o que é ser um Humano, tal como nós. Foi a experiência mais luminosa de todas. Como Filho do Homem.

E foi Jesus, o nosso maravilhoso Mestre, o Cristo.

«O anúncio público de que Micah tinha escolhido Urântia (Terra) como palco da sua efusão final foi feito pouco depois de ouvirmos sobre a falta de Adão e Eva. E assim, por mais de trinta e cinco mil anos, o vosso mundo ocupou uma posição muito notória nos conselhos do universo inteiro. Não havia segredos (afora o mistério da encarnação) referente a qualquer medida adoptada na efusão em Urântia. Do princípio ao fim, até ao retorno final e triunfante de Micah a Salvington como soberano supremo do Universo Local de Nebadon, houve a mais completa publicidade no universo sobre tudo o que ocorreu no vosso pequeno mas muito honrado mundo.»

«Embora acreditássemos que este seria o método, até ao momento do próprio evento não sabíamos que Micah apareceria na Terra como criança desamparada do mundo. Até este momento, ele sempre tinha aparecido como um indivíduo completamente desenvolvido do grupo de seres pessoais seleccionado para a efusão, e foi um anúncio emocionante o que se emitiu de Salvington, contando que o menino de Belém nascera em Urântia.»

«Percebemos então não só que nosso Criador e amigo estava dando o mais delicado passo de toda a sua caminhada, aparentemente arriscando a sua posição e autoridade nesta efusão como criança desamparada mas também que a sua experiência nesta efusão final e mortal o entronizaria para todo o sempre como soberano indiscutível e supremo do universo de Nebadon. Todos os olhos, em todas as partes deste universo local estiveram dirigidos a Urântia durante um terço de século do tempo terrestre. Todas as inteligências perceberam que a última efusão estava em progresso e como há muito sabíamos da rebelião de Lúcifer em Satânia e da deslealdade de Caligastia em Urântia, compreendemos bem a intensidade da luta que se seguiria quando no osso governante consentiu em se encarnar em Urântia, na humilde forma e semelhança da carne mortal.»

Voltando ao Bem Amado Emmanuel.

É uma entidade de enorme amor, que muito ajudou Jesus (Micah) ao longo de mais de um bilião de anos no conjunto das suas auto-otorgações.

Este Ser está intimamente ligado às Hierarquias de Canopus, a constelação que ascendeu na sua totalidade, encontrando-se actualmente para além de 12D.

Marte retrógrado em Leão

16 de Dezembro de 2009 · 9 comentários

Marte retrógrado em Leão

Em 21 de Dezembro próximo (horário de Portugal), Marte entra em movimento retrógrado no signo Leão, durante 80 dias, até 10 Março 2010. Inicia o seu movimento retrógrado no grau 19 e retrocessa até ao grau zero, sempre em Leão. Este movimento retrógrado de Marte acontece de 26 em 26 meses, variando os signos onde se encontra nessas alturas. Por isso, as retrogradações de Marte serem tão importantes. Por não serem frequentes.

Tentemos perceber melhor o significado habitual deste planeta no nosso mapa astrológico:

Personagens simbolizadas por Marte: o homem enquanto amante; os amigos, homens com idade aproximada à da pessoa. O rival, o adversário, o inimigo.

Funções fundamentais de Marte: combatividade, competitividade, conquista, independência, separatividade, desejo, instintos agressivos, de defesa e sexuais, energia anímica e libidinal, impulso auto-afirmativo e vontade pessoal.

Valores positivos: determinação, assertividade, virilidade, audácia, energia, sangue-frio, ardor, dinamismo, coragem, gosto pela aventura, prontidão para a acção, gosto pela conquista, força pessoal, carácter independente, resistência, autodefesa, gosto pela vitória.

Comportamentos negativos: impaciência, imprudência, violência, cólera, excessiva competitividade, tirania, espírito vingativo, brutalidade, conflituosidade, temeridade, gosto excessivo pelo risco, irritação, egoísmo, arrogância, espírito destrutivo, prepotência, autodescontrolo, insatisfação permanente, hiperactividade, intolerância. Mas também cobardia, hesitação, medo, inércia, sentimento de impotência, recusa da competição, renúncia, inibição, improdutividade, energia intermitente e fraca.

No mapa de uma mulher, Marte também é o indicador do tipo de amante que ela deseja, o tipo de masculinidade que a atrai (em associação com Vénus, que indica o que a satisfaz). No mapa de um homem, representa a forma como ele atrai sexualmente a mulher e como se apresenta enquanto detentor de uma virilidade.

Voltemos ao seu movimento retrógrado. Assim, com simplicidade: todas estas significações ficam mais esbatidas, menos conseguidas. Marte é menos Marte. A sua habitual expressão fica mais diminuída. Há um convite maior à reflexão, à introspecção. O «ego» torna-se menos importante, passa para um plano mais discreto e a exuberância egóica, menos afirmativa. Estes 80 dias serão muito bons para os ambientes mais zen. Mais espiritualizantes. Haverá menos afirmações e as que houver terão um cariz menos arrebatado.

Não esqueçamos que Marte entrou em Leão no dia 17 de Outubro e permanecerá neste signo até 6 de Junho. São 7 meses e alguns dias num signo de fogo, arrebatado, afirmativo, que gosta de ser o centro das atenções. Sendo Marte um planeta também de fogo, sente-se muito à vontade em Leão.

Se repararmos nos acontecimentos dos últimos meses, desde Outubro, notamos que tem havido grande protagonismo no cenário nacional e internacional. Quer de forma positiva, como foi a conquista, por parte do Brasil e do presidente Lula, para a realização dos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. Foi a maior manifestação positiva de Marte, em termos planetários. Vejamos exemplos portugueses da forma negativa de Marte: a sobranceria que tem ocorrido no parlamento português, em que todos os partidos derrotados nas últimas eleições legislativas, (Set/2008) comportam-se como se tivessem obtido maioria, tentando impor a sua vontade desajustada. Isto é Marte em Leão. Durante os próximos 80 dias, estes parlamentares vão andar mais discretos, excepto aqueles que tenham um Marte muito 'aceso' nos seus mapas natais, que podem chegar a parecer galináceos tontos. O protagonismo de Marte em Leão também tem sido evidenciado em Copenhaga nesta última semana, em que os numerosos movimentos pró-Terra se comportam, por vezes, de forma fundamentalista. Poderia dar numerosos exemplos colectivos e individuais, mas creio que para exemplificar, estes chegam.

Todos estes e outros protagonismos regressarão, em força, a partir de 10 de Março, quando Marte retomar o seu movimento directo. Até Junho! Os momentos mais tranquilos serão estes 80 dias de retrogação marciana.

Ao ficar retrógrado haverá uma espécie de convite a que se faça uma revisão das acções anteriores, a corrigir estratégias pessoais e colectivas, políticas e sociais. Será um bom momento para haver 'acordos' sem dramas. Para haver mais consensos, sem chicana, nem arrivismos. É um tempo temperado para um maior diálogo, sem extremismos. É uma altura excelente para fazermos uma reflexão profunda dos objectivos para as nossas vidas e procurarmos o tempero mais adequado e o terreno mais apropriado para o futuro. É a altura ideal para visitarem os vossos astrólogos e, com a ajuda deles, prepararem acções futuras a desenvolver.

Quer abrir um negócio? Quer iniciar um projecto novo? Esta época de retrogradação não é a melhor para isso, mas também não significa que seja negativa. No entanto, procurem nos vossos trânsitos se vai haver algum sextil ou trígono de Úrano à Lua e se Marte faz algum aspecto a estes planetas. Será um bom indício para o início de projectos mais arrojados.

Marte inicia a sua retrogradação e sentiremos uma diminuição da nossa vitalidade. Uma necessidade de recolhimento maior. Meu amigos facebookeiros e comentadores de blogues, estaremos todos mais tranquilos. Andaremos mais a 'ver' do que a participar.

É a altura melhor para casais e amigos desavindos tentarem uma conciliação. Tentarem não se sobrepor ao outro.

Passem bem
.

Entrevista a Cris França, do 'Canto de Contar Contos'

15 de Dezembro de 2009 · 94 comentários



A Cris França é daquelas pessoas do mundo virtual que apetece muito conhecer pessoalmente, e com urgência. Tenho a esperança que um dia isso se concretizará. É a suavidade em pessoa. Um dia, simplesmente, começámos a 'falar' através dos comentários. Não estava presente quando iniciou a sua aventura com o blogue «Canto de Contar Contos», mas lembro-me do que senti quando a Cris apresentou o seu blogue gastronómico, «Aventurinhando». Foi uma sensação estranha e intensa, o de saborear as suas receitas. Imagine-se: saborear na blogoesfera. Este é o talento principal da Cris - o por-nos a sentir intensamente o que faz. Deixo estas linhas escritas por ela própria: «Alguém aprendendo que cada dia que a gente vive é como um novo ponto, nesse grande conto que tem, início, meio e fim, chamado VIDA, lugar de encantos e desencantos.»

Os seus blogues:
em co-autoria com a Fátima,
do blogue «Viver é Afinar o Instrumento»
[sou o 4º seguidor deste blogue de gastronomia - :)]

em co-autoria com GILBERTO,
do blogue «Nel mezzo del cammim»,
e Regina, do blogue «Devaneios de uma vida...»




Olá Cris, é um prazer estar a entrevistar-te. Podes descrever o teu próprio blogue, o «Canto de Contar Contos»? Sei que começaste o blogue em Novembro de 2008. Conta-nos a génese deste teu projecto. Estamos muito interessados em te conhecer melhor. Usas o blogue para dares a conhecer o trabalho quotidiano que desenvolves ou é apenas uma forma de te expressares?

Ola António, antes de tudo quero agradecer esta oportunidade de fazer parte do 'Anel do Coração', este mágico circulo de amizade, é uma grande honra para mim, pois as pessoas que por aqui passam são todas muito admiráveis.

O Canto de Contar Contos é uma forma de me expressar, ele muda muito, quem o acompanha sabe disso, assim como eu mudo muito também, acredito que estamos sempre em movimento, e escrever sempre foi para mim uma forma de respirar.

Nunca imaginei poder ter minhas poesias, contos, histórias publicadas, e o Canto me deu isso; me deu isso e muitos amigos que foram se achegando e dando a essa “coisa” que sair, se expressar, que existe dentro de mim, uma forma. E essa forma me agrada muito, e pela falta de interesses que há nisso, é um simples partilhar, como eu digo por lá, contos, cantos, encantos, desencantos e afins...

Explica-nos um pouco sobre a tua participação nos blogues «Aventurinhando» e «Cinema Paradiso».

Bom na verdade o Cinema Paradiso nasceu primeiro, no começo eu resolvi falar um pouco dos filmes que via no próprio Canto, mas eu sentia que ficava meio desconexo, das postagens que fiz sobre cinema na época, o Gilberto, do blog Nel Mezzo Del Cammim, sempre comentava, e nós descobrimos essa paixão em comum, um dia eu mandei um e-mail para ele perguntando se ele topava termos juntos um blog sobre Cinema, porque eu sabia que sozinha era demais...rs, e aí ele topou, logo depois resolvemos convidar a nossa amiga em comum, a Regina, do Devaneios de uma vida, na verdade a ela eu devo essa inclusão digital, porque escrever até o dia que ela comentou um texto meu, era um ato solitário, só então me dei conta que não estava sozinha.

Já o Aventurinhando, nasceu mais recentemente, na partilha das coisas dos meus pais, que faleceram recentemente, eu quis ficar com os livros de receitas da minha mãe, eu gosto de cozinhar, embora a vida corrida quase não me dê chance para fazer as coisas que gosto, mas a cozinha é um ambiente no qual eu realmente me sinto bem, gosto de aprender sobre novos sabores, combinações de ervas e temperos, e aí, quando o livro de receitas da minha mãe veio parar na minha mão, pensei, porque não publicar?, mas não tinha nada a ver fazer isso no Canto de Contar Contos, e resolvi deixar as receitinhas nesse novo espaço, depois eu convidei a Fátima, do Viver é Afinar o Instrumento, para uma parceria, primeiro porque ela é uma simpatia e segundo porque ela é mineira, e no Brasil, na minha opinião, a culinária mineira é uma das mais saborosas, eu, apesar de paulista, gosto muita dessa coisa que os mineiros têm de receber as pessoas pela porta da cozinha, e foi uma parceria de sucesso, a Fátima é ótima e as receitas dela enchem os olhos e o paladar.

Fala-nos um pouco sobre a autora do blogue, o que a faz mover, os seus interesses, o que a deixa feliz? Está à vontade para comentares aquilo que te parecer mais adequado, sem desvelares totalmente a pessoa linda que és.

Eu amo aprender, acho o conhecimento a melhor coisa do mundo, e creio que isso seja a minha maior motivação, adoro estudar, aprender, ler, conhecer coisas novas. Tenho uma inquietação, uma vontade de viver muito grande, e isso me leva a fazer muitas coisas.

Já fiz de quase tudo um pouco, já fui locutora de rádio, já bordei ponto cruz, fiz cursos de corte e costura, fui oradora de formatura, dei palestras em Curso para Jovens Cristãos, durante 8 anos na minha vida, já fiz muito trabalho comunitário, cantei num coral, já fugi de vaca brava num sítio...rs, já paguei mico, já me apaixonei perdidamente, já chorei muito, já perdi muitas coisas, já ganhei concurso de dança, já fiz curso de parapsicologia e formação humana, já fiz uma curso de Contadora de Histórias, sou formada em Teologia e em Ciências Contábeis, área em que sempre trabalhei, e sou pós graduada em Controladoria e Gestão Financeira, que é a atividade que hoje exerço profissionalmente, sou mãe (amo ser mãe), trabalho fora em horário integral, sou casada, sou uma sonhadora, romântica, adoro cinema, adoro cozinhar, adoro fotografia, museus e coisas do passado me fascinam, gosto do por-do-sol, sou uma geminiana tagarela de 36 anos...rs ( nem deu pra notar né? rs).

[xiiiii!!!, tantas coisas na vida! - risos - até pareço eu em versão feminina! Isto de ser do signo Gémeos tem muito que se lhe diga. - AR]

O que dás mais importância nos teus blogues? Podes dizer-nos porque valorizas essa questão?

Para mim é fundamental que o blogue realmente se pareça comigo, odiaria ver que escrevi algo por mera formalidade, a maiorias das pessoas fazem post para os outros, mas no meu caso, a maioria dos post são para mim mesmo, algo que relembrei, que achei engraçado, que me deixa triste, uma poesia vinda no vento, coisas desse tipo que na verdade quero e preciso expressar, mas que não cabem no meu dia a dia, e ficam muito bem ali, e ver que as vezes sou fiel a esse sentimento, me realiza muito.

Com qual frequência escreves? Ao ler o teu blogue, senti que deixas fluir os posts, e vais publicando conforme vais vivenciando o teu dia-a-dia. Esta iniciativa recente de comemorares o aniversário do «Canto de Contar Contos» com contos dos teus amigos e leitores é absolutamente inspiradora e notável. Podes falar um pouco sobre estes assuntos?

Escrever é como falar sozinho. Eu falo muito, ainda que fale sozinha na maior parte do tempo...rs, então escrevo muito, não só no blog, tenho uma livrinho preto que anda comigo, de páginas em branco onde sempre anoto as idéias principais.

Acho esse dinamismo presente no pensamento das pessoas mágico, você vê uma árvore, uma cena na rua, ou simplesmente vai beber água e uma inspiração bate a porta, ou ouve uma canção dentro do supermercado e pensa...nossa, que música linda e ai vem a vontade de compartilhar isso. Daí surgem os posts.

Sobre o aniversário do blogue, nas verdade eu queria homenagear os amigos há muito tempo, tinha pensado em juntar o nome dos blogues num poema, coisa do tipo, mas é muito difícil ser original hoje em dia com tantas idéias boas que vemos nos blogues.

Então me ocorreu essa idéia das festas de casamentos celebradas por muitos dias, e eu pensei, porque não? Abrir as portas do blog para deixar que os meus amigos conheçam os meus amigos, e porque ter só um dia de aniversário? E foi algo maravilhoso, porque as pessoas fizeram a festa, cada um trouxe o seu conto, e eu senti uma alegria enorme em poder compartilhar isso.

E toda vez que leio que alguém conheceu alguém através do Canto, isso me dá uma satisfação enorme. Alegria que a gente divide é alegria que se multiplica.
[Confirmo isso. No dia em que publiquei a minha historieta no teu blogue, conheci pessoas e blogues que nem sonhava existirem e gostei de todos. Foi lindo, podes crer. Uma experiência que adorei. Muito obrigado, Cris. - A.R.]
Em teu entender, o que vale mais na criação de um blogue - o conhecimento ou o gosto pelo assunto? Podes comentar?

Creio que uma coisa leva a outra, não amamos aquilo que não conhecemos, e não buscamos conhecer profundamente as coisas que não amamos, então eu acho que na criação de uma blogue vale mesmo a dedicação, o zelo, porque antes eu pensava escrever só para mim, mas hoje sei que as pessoas me lêem e então, creio seja a ponderação entre as duas coisas.

Usas das técnicas tão comuns hoje em dia, para teres mais visitas? E funcionam? A nível do template do teu blogue, ele é muito alegre e usas uma ilustração muito bonita: um livro em cima de um banco de jardim. Acho-a linda. Podes contar-nos o que pretendes transmitir com essa ilustração?

A verdade, é que nunca me preocupei muito com o número de visitas, mas gosto de receber bem quem se achega ao meu Canto, visito, retorno, acho gostoso ser gentil com as pessoas que me visitam e me apoiam e me encanto, porque recebo sempre palavras muito generosas dos amigos e acabo por me tornar seguidora destes, e a coisa meio que anda sozinha.

Faço os link dos blogues na minha própria página, porque é mais fácil para mim, assim posso acessar e ver os que as pessoas andam escrevendo, embora, eu nem sempre consiga visitar todo mundo, mesmo quando estou em casa, mas como sou insones, consigo navegar bastante.

A imagem do banco me agrada muito, e sempre recebo comentários sobre ela, a cidade onde nasci e morei até meus 27 a anos chama-se Itatiba, é dessas cidadezinhas do interior de SP, que tem uma igreja e a praça principal, ali é o centro da cidade, e a pracinha é cheia desses bancos de jardim, lá os velhinhos sentam a tarde para conversar, debaixo dos caramanchões de primavera floridos, em tardes quentes, debaixo de uma sombra fresca e agradável, quando eu era catequista nessa igreja, sempre na saída das aulas, era uma coisa que me chamava a atenção, os bancos, testemunhas de tantas histórias entre amigos, de tantos causos, de brigas de casais, de pedidos de namoro, casamento, de declarações de amor, então acho que banco é isso, a testemunha muda, de tanta coisa a se contar e por isso a escolhi, com um livro preto que é muito parecido com o que carrego sempre comigo, registrando meus momentos aleatoriamente.

Sei que lês outros blogues e deixas comentários. Pode dizer quais os assuntos te interessam? Já agora, podes mencionar os blogues que aprecias e comentar porque são do teu agrado?

Poesia, auto-conhecimento, humor, contos, histórias, música, cinema, coisas de mulher sobre casa, filhos...rs , eu leio de quase tudo um pouco.

São muitos os blogues que visito e geralmente todos são muito bons:

O LIGHT da Manuela, é muito interessante culturalmente, dá para se aprender muito por lá.

O DALLA BLOG do Marcelo, além de ótimo em seu conteúdo que é diversificado, eu tenho uma empatia muito grande pelo Marcelo.

O BALAIO da Beth Cerquinho tem um bom humor que eu adoro, admiro demais a Beth.

O MEMÓRIAS DE VIDAS PASSADAS, é um blog que eu gosto muito, pelo carisma da Maria Izabel e pelas questões profundas da alma que ela sempre aborda.

O ZAMBEZIANA da Graça Pereira, é ótimo pelos contos e poesias e pela diversidade de estilos que ela usa.

Sou fascinada pela poesia e pelas crônicas que encontro no blog do Gilberto NEL MEZZO DEL CAMMIM, acho ele um grande escritor.

Teria que mencionar muitos blogues, mas eu não gosto de esquecer de ninguém, então todos os blogues que leio, sigo, acompanho e comento, estão destacados na minha página, inclusivê o COVA DO URSO, são todos muito bons, pelo conteúdo e pela forma que os blogueiros nos acolhem.

Quais as tuas fontes e onde obténs material para te apoiar na escrita dos teus textos?

Bom os post do Canto de Contar Contos, são meus momentos, é muito difícil prever o que se vai ler por lá...rs, uma música, uma poesia, minha ou de outro autor, algo que li, algum e-mail que recebo, uma cena que vi na rua, ou uma memória que vem com o cheiro ou com o vento, ele é a expressão da vontade de compartilhar tudo, momentos, amigos...tudo.

Já no Cinema Paradiso, são os filmes vejo e que nos tocam, ou que vemos e detestamos e aí prevenimos os amigos...rs

O Aventurinhando tem muitas receitas que já fiz e receberam elogios, receitas do caderno de receitas da minha mãe, do meu cadernos de receitas, de revistas de culinária compradas anos atrás, e tem as receitas da Fátima também.
[Cris, desculpa, pois só agora me apercebi que mais acima contaste a história completa de cada blogue. - A.R.]
Gostaria muito se indicasses (com os respectivos linques) dois ou três posts escritos por ti que sejam muito especiais e, se quiseres, qual a razão para essa tua escolha. Independentemente do blogue onde se encontrarem esses teus textos.

'Onde as Orquídeas ainda florescem' narra um romance adolescente que tive, uma paixão platônica e o resultado me agradou muito.
http://cantodecontarcontos.blogspot.com/2009/04/onde-as-orquideas-ainda-florescem.html

'Seu Zé', foi o conto que me inspirou a imagem do banco, antes dele o banco não existia, é uma memória de um velho amigo que me deixou saudades.
http://cantodecontarcontos.blogspot.com/2009/05/seu-ze.html

'Insônia' é um texto dos primórdios do blog, que escrevi numa noite longa e em claro, que revela um momento muito íntimo meu, tem muito da minha forma de ver e de pensar nele.
http://cantodecontarcontos.blogspot.com/2009/01/insonia.html

De acordo com o desenvolvimento dos blogues, quais os planos para o futuro deste teu projecto?

Para ser sincera eu não sei muito sobre isso, o Canto vai existir enquanto existir em mim a vontade de escrever, eu sou ele e ele sou eu, as idéias vem e a gente vai desenhando as que se ajustam melhor.

E olhem que eu sonho morrer velhinha com 82 anos, lúcida, a típica vovó na cadeira de balanço, com o coração e a memória cheios de todas as coisas boas que pude viver, e das ruins também, porque até delas a gente sempre tira algo de bom.

Consideras que atingiste os teus objectivos quando criaste o blogue?

Sim, na verdade eu não tinha nenhum grande objetivo, então para mim o Canto se superou sozinho, sou muito grata por ele, pelos amigos que fiz e por um mundo mágico que se abriu a minha frente.

Numa frase, podes dizer o que pensas sobre:

Blogoesfera – Um mundo paralelo.
O teu blogue – Um lugar para ser eu mesma.
Amizade na blogoesfera - Amigo é amigo, não importa onde esteja.
Plagio - Pura falta de criatividade.
Redes Sociais – Uma forma de integração.
O teu país – Brasil, uma terra de contrastes.

Os comentários dos teus leitores são importantes para ti? Interages com eles? Retribuis os comentários?

Muito. A gente meio que no começo pensa: “- ah eu não ligo para comentários”, mas depois que eles chegam, e se tornam fundamentais.

Eu sempre tentei responder a todos os comentários, embora ainda esteja tentando uma forma eficaz de fazê-lo, às vezes visito quem me visita, às vezes respondo no próprio comentário, às vezes um a um e às vezes de forma genérica. Não depende da vontade, mas, do tempo que tenho disponível.

Autorizas a publicação dessas declarações no meu blogue «Cova do Urso»?

Sim, com muita alegria.

Muito obrigado, Cris.

Cris - Eu que agradeço essa honra de poder estar perto de você e de seus leitores e pelo carinho que senti nessa entrevista.

Convite para participar na entrevista em preparação ao amigo Marcelo Dalla

13 de Dezembro de 2009 · 36 comentários


No passado dia 20 Maio 2009 (dois dias antes do seu aniversário), entrevistei para o 'Anel do Coração' o nosso amigo Marcelo Dalla, autor do blogue «Dalla Blog», como pode ser conferido aqui.

Passaram 7 meses dessa entrevista! Incrível, como parece ter sido ontem. Neste curto espaço de tempo o blogue do Marcelo recriou-se com novo template, atingiu a maioridade na blogosfera, explodiu de cores e criatividade, e além de ser um espaço informativo, também é formativo e ele próprio deu início a novas conteúdos artísticos, com ilustrações incríveis e muito apreciadas. Estou a recordar-me das mandalas e outras. Os seus contos concisos e cheios de humor também se tornaram leitura obrigatória. E muito mais conteúdo. Está no podium nas votações do 'Top Blog'. Transformou-se num espaço de referência, num meta-blogue com imensos seguidores, leitores e amigos.

Por estas e muitas outras razões, escolhi fazer-lhe nova entrevista, mas em moldes diferentes dos habituais. Entrevista a ser publicada em Janeiro próximo.

Este post tem o propósito de convidar os leitores a partilharem dessa entrevista, fazendo as perguntas que entenderem. Isso mesmo: será uma entrevista colectiva ao nosso amigo Marcelo Dalla.

Deixem as perguntas nos comentários, por favor, até ao próximo dia 26 de Dezembro, de modo a juntar às minhas próprias perguntas e enviar-lhe, devidamente organizadas.

Todos os bloguistas que deixarem perguntas ao Marcelo, terão a indicação do seu nome, assim como o nome do blogue e respectivo linque, na própria entrevista. [Blogar é a arte de lincar].

Seria possível passarem a palavra? Quantas mais perguntas, melhor!

O próprio Marcelo define que a missão do seu blogue é «trazer mais luz, beleza, cor, arte e alegria pro nosso mundinho necessitado disso», para além de conseguir com sucesso a junção da «arte e espiritualidade - a arte como um portal para a espiritualidade».

Espero que aceitem este convite. Muito obrigado.

Na terça-feira, dia 15 Dez, entrevista a Cris França, do «Canto de Contar Contos»

· 10 comentários

A entrevista à amiga e bloguista Cris França do blogue «Canto de Contar Contos» será publicada aqui na próxima terça-feira, 15 de Dezembro, pelas 10:00 (Brasília) - 12:00 (Portugal.

Conheça a série de entrevistas 'Anel do Coração'.


A Invocação

10 de Dezembro de 2009 · 15 comentários

Como muitos leitores sabem, hoje em dia, a nível espiritual, pratica-se bastante a «invocação». Dirigida ou não aos Mestres Ascencionados, em meios como a Fraternidade Branca ou outras, utilizando-se ilustrações como as mandalas, por exemplo, para se fazerem as afirmações.

Não é um assunto novo. É utilizado pelo menos desde os egípcios até aos nossos tempos. Também na chamada alta magia. Hoje, felizmente, é de utilização comum e massificada. Um exemplo muito conhecido de invocações: as reuniões esotéricas do Rei Artur e os seus Cavaleiros da Távola Redonda. Também conhecidas, as «reuniões» de Jesus com os seus apóstolos. Muitos, muitos exemplos, ao longo do conhecimento humano.

A invocação quer na alta magia e, actualmente, quer a nível dos Novos Tempos, também é uma forma de contactar uma força superior para obter o que se deseja, mas utiliza um fórmula mais específica que vai além da oração tradicional.

Durante uma invocação, pode-se utilizar os chamados atributos associados a essa divindade ou força, os seus nomes, cores, números, pedras, flores, incensos, ervas, metais, o seu elemento e outros objectos que possam ajudar a estabelecer contacto com a força.

Por ser mais directa e dinâmica, a invocação geralmente é mais eficaz do que a oração e parece que se obtêm resultados mais rapidamente e de forma mais positiva.

Como resultado da invocação - pensamentos ou palavras direccionadas -, o inconsciente gera grandes quantidades de energia psíquica, que é dirigida conscientemente por quem invoca, para manifestar os seus desejos no mundo material ou espiritual.

Para aqueles que já estiveram em missas católicas, repararam que há um determinado momento em que o padre levanta a hóstia e o vinho e faz uma oferenda, dizendo umas frases a preceito - isso é, claramente uma invocação. nas igrejas cristãs, os pastores fazem invocações frequentes. No budismo, as cerimónias religiosas são atravessadas por invocações muito solenes. Dei estes exemplo para desfazer possíveis preconceitos sobre o assunto.

A invocação não é um privilégio das novas espiritualidades. Já me apareceram várias pessoas nas consultas de astrologia a queixarem-se que fazem imensas invocações e a vida não muda. E interrogam-se...

Durante a invocação, visualiza-se o que se deseja obter de forma definida e nítida, para que o inconsciente receba essa imagem e a converta em realidade. É a muito antiga ideia que o nosso pensamento e as nossas palavras são co-criador da nossa realidade.

Visto que a invocação cria grandes energias inconscientes, recomendo que se visualize um círculo de luz protectora em redor da pessoa, para que as energias não se percam nem sejam corrompidas por energias negativas que possam estar fora do círculo.

Fico-me por aqui, antes que a Shin Tau e a IdoMind me chamem, com muito carinho e amizade, um nome que eu cá sei.

Deu-me muito prazer escrver este texto. Passem bem.

Hoje estou no «Canto de Contar Contos», da Cris França

8 de Dezembro de 2009 ·


«Tudo começou porque os perus estavam muito preocupados
com a época natalícia...»


Hoje estou no belíssimo blogue da Cris França,
«Canto de Contar Contos»
que está a comemorar, de forma original, o seu 1º aniversário,
publicando contos dos seus amigos.

Clique aqui.

Muito obrigado, Cris, por seres a pessoa maravilh
osa que és.


Clicar aqui para aceder à fábula.

Lamento, mas os comentários estão fechados.
Se assim o entenderem, deixem no
«Canto de Contar Contos».

Aproveito para informar que a Cris França estará aqui,
na próxima terça-feira, 15 de Dezembro, pelas 10:00 (Brasília) -
12:00 (Portugal), na sua entrevista 'Anel do Coração'.


Breve análise astrológica da Cimeira de Copenhaga 2009

7 de Dezembro de 2009 · 26 comentários



Doze anos depois do Protocolo de Quioto, em 1997, começa esta segunda-feira, dia 7 Dezembro 2009, em Copenhaga, a Cimeira do Clima que vai tentar chegar a um acordo sobre este tema de primeira grandeza para o planeta e todos os seres viventes. Até 18 de Dezembro, representantes de 192 nações vão tentar tentar definir as bases de um novo acordo climático que permita reduzir as emissões poluentes, assim como aprovar o texto de um acordo legalmente vinculativo que concretize os objectivos necessários para assegurar que o aquecimento global não será superior a dois graus centígrados em relação à era pré-industrial. Mais de 100 chefes de Estado e de Governo, 15 mil delegados e o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, vão discutir nos próximos 11 dias o aquecimento global. Já antes tínhamos comentado o assunto - clicar nos números: 1 - 2.
As autoridades de segurança dinamarquesas aguardam que dezenas de milhares de pessoas de todo o mundo estejam em Copenhaga com o objectivo de pressionar líderes como Barack Obama (EUA), Lula da Silva (Brasil), Wen Jiabao (China) ou Manmohan Singh (Índia) a chegar a um acordo que substitua o protocolo de Quioto após Dezembro de 2012. São países enormes que, pelas mais variadas razões, muito têm contribuído para a actual situação do planeta. Com a maior justiça, deveríamos incluir aqui a Europa, enquanto região do planeta que também tem contribuído para o desastre em que vivemos.


Clicar para aumentar o mapa do evento.

Olhando para o mapa do evento, percebemos imediatamente haver uma circunstância restritiva: Saturno e Plutão estão em desarmonia, numa quadratura próxima. Na prática, significa que essa coisa invisível chamada «poder» [Plutão] está em conflito com o Senhor das Restrições, do Tempo e da Sabedoria [Saturno].

O poder a que me refiro é muito amplo. Tanto representa os governos e instituições presentes, como o «poder» das indústrias poluidoras, assim, como todo aquele poder sombrio que comanda o mundo. É muito «poder» junto. Um exemplo: a floresta da Amazónia, pulmão do planeta. O Brasil é o país detentor deste poder, o de controlar que esta região do globo se mantenha incólume. Mas não consegue porque há outros poderes instalados subrepticiamente que são muito mais poderosos que qualquer governo. E assim, assiste-se ao desaparecimento de uma parte considerável da Amazónia, tão necessária ao nosso planeta e à sua humanidade. Portanto, é bom que se faça pressão sobre o governo brasileiro, mas também temos que perceber que sem uma acção concertada a nível internacional, não vai conseguir resolver grande coisa, pois os interesses instalados são multinacionais e com tentáculos bem longos e muito, muito sombrios. É deste género de poder que falo. O poder não cristalino. O poder sombra.

Esta quadratura de Saturno e Plutão não permitirá que se cheguem a conclusões verdadeiramente importantes, ou às que chegarem, não serão implementadas com facilidade. A China e a Índia são exemplo disso. Não querem aderir com abertura. Simplesmente isso. Porquê? Chama-se «dinheiro sombrio». Deduzam como entenderem, por favor, na vossa interpretação.

Obviamente, ninguém me escuta, mas dou a sugestão de aproveitarem os meses de Junho e Julho de 2010 para concluírem o que agora não for possível. É apenas uma dica. Caso contrário, o acordo «real» terá que ficar para 2011. É muito tempo, pois o Protocolo de Quioto termina em 2012 e o planeta e nós, não podemos esperar tanto tempo.

Haverá uma dinâmica impressionante nesta cimeira. Nunca tanto a alta tecnologia informativa e de comunicação estará em alta numa cimeira como esta. O mundo está de olhos postos. O mesmo Plutão [«poder»] está em conjunção exacta com Mercúrio [comunicação] e isto serve para ambos os lados: para o poder instalado fazer-se ouvir e para os povos que sofrem com as mudanças opostas também se poderem pronunciar e darem a conhecer a sua indignação e necessidades.

Será uma Cimeira poderosa, absolutamente necessária para todo o planeta. Não pode ser deixada de lado. Nada pode ficar por se realizar. A 'agenda' do planeta é esta. A 'agenda' dos governos e partidos da oposição deveria ser a mesma. Mas não é. Têm sempre outros planos!

Olhemos agora para as «esperanças» da cimeira, representadas pelos planetas benéficos: Júpiter e Vénus. Fiquei impressionado quando constatei que Vénus está peregrina [não faz aspectos aos restantes planetas]. Como se comandasse o evento em si; como se deixasse a maior impressão digital a esta cimeira de suprema importância. Como se deixasse esta mensagem: o amor ao planeta superará tudo o resto.

Esta conclusão deixou-me impressionado. É uma questão de tempo - muito tempo -, mas os valores benéficos de Vénus irão sobrepor-se ao dramatismo dos planetas maléficos.

Quanto ao outro benéfico, Júpiter [o Senhor das Leis] faz dois aspectos muito tensos a outros planetas: oposição à Lua [questões emocionais], oposição a Marte [o Senhor das Energias], implicando demoras na aplicação das resoluções da Cimeira de Copenhaga. No entanto, está em situação harmónica com Úrano [o inesperado, as tecnologias, os 'muitos'], Neptuno ['o sonho comanda a vida' / A. Gedeão], Quíron [a frustração da humanidade]. Virão por aí, talvez em 2010, boas notícias para o futuro deste planeta.

Como avisei que era uma 'breve análise astrológica', fico-me por aqui. Quem quiser que deixe aqui a sua contribuição que colocarei nesta página.


Boa Cimeira de Copenhaga! Eu voto no planeta.


Recordando o «Vota Planeta»[5m 35s]:




********************

Passaram para a parte principal do post os comentários astrológicos mais específicos. Aqui ficam:

Marcelo Dalla, do «Dalla Blog»

«Vale lembrar que com a grande conjunção entre Jupiter, Queiron e Netuno temos um bom período para o diálogo e o entendimento e entre os países e para que se busque a regeneração do verdadeiro papel da política. tudo de bom e de ruim ficar cada vez mais claro... a verdade deve vir à tona para CURAR.

Vamos torcer pra que essa quadratura Saturno-Plutão não se sustente perante tudo isso.»

Sônia Beth, do «Astros e Estrelas»

«Antonio, eu não me aprofundei em pesquisa mas estou propensa a considerar que Mudanças Climáticas tem a ver com a conjunção Saturno/Plutão que aconteceu em 07/11/82 a 27 º de Libra.»

Patrícia Azenha, do «Princesa Esquimó»

«Assim com pouco tempo parece-me que todos estão muito interessados nesta cimeira, Mercúrio e Lua estão ligados ao ascendente de forma favorável mas agarrados ao poder, ambos estão conjuntos a planetas de força Plutão e Marte, e o poder ligado a quê? Os recursos, os "meus" e os "teus" recursos financeiros, casa II e casa VIII, onde estão os actores todos em fila indiana, o que é meu e o que é teu é que está em jogo, oposições e quadraturas indicando confrontos, atrasos, complicações, uns perdem outros ganham e a pobre Vénus cheia de optimismo e idealismo (disposta por Júpiter ), regente da casa IX dos ideais, da casa IV dos recursos naturais, da terra e da casa V das representações e embaixadas, mas tão só na casa IX das esperanças :(.
Só nos resta mesmo ter esperança.»

Elias Mendes, do «Elias Mendes Astrologia»

«O regente do mapa é Júpiter em aquário, e a lua está fora de curso (caso consideremos somente o septanário) ou em oposição EXATA a netuno ...sabe, essa conjuntura, de ascendente em sagitário(expectativas), sol na 12 (intenções ou motivações ocultas), Jupiter conjunto a netuno oposto a lua (povo) me passa a idéia de que este evento não da em nada, vai ser difícil haver acordo (saturno em quadratura com plutão? ) ou então os acordos firmados serão de "fachada", ou o evento em si é algo de "fachada", para iludir as pessoas, uma ilusão no maior estilo Jupiter / Netuno ...

Sempre achei que o terror que existe hoje em dia em torno do aquecimento global não é real, é uma criação. problemas existem, mas o medo e o clima apocalíptico criado em torno desses problemas , isso sim me parece ilusivo, o lado negro de netuno em aquário, o delírio das massas. Foram essas autoridades e esse poder sombrio que você tão bem ilustrou que criaram esse problema, e acredito que estes eventos de discussão em torno do que está acontecendo no planeta envolvendo líderes nacionais é também criado como conseqüência,a impressão que tenho é que temos um vilão forjado, que vestido de mocinho irá fingir que salvará o planeta de um perigo que na verdade NUNCA EXISTIU. O verdadeiro vilão está nas sombras e ele tem tanto poder que nós jamais conheceremos sua identidade. O Sol, a grande força centralizadora, aquilo que efetivamente representa poder na astrologia tradicional, está na 12!»


Maria Paula Ribeiro, do «BandarraVet»


Não sei porque o fiz neste mapa mas interessei-me pela sua cruz: MC/FC Escorpião/Touro (Fixa); AS/FC Sagitário/Gémeos (Mutável). Sabemos que signos fixos são resistentes à mudança; são conservadores. Para mim prevejo grandes entraves, dificuldades por parte de vários governantes a mudarem os seus sistemas de desenvolvimento económicos.

MC regido por Plutão, dispositor de Saturno e angular na 1ª casa: sem dúvidas que o poder burocrático e político em forte evidência. Plutão é forte neste posicionamento, e mais ainda conjunto a Mercúrio onde estes dois planetas pouco têm em comum: Mercúrio traz a superficialidade, comunicação e relações; Plutão gosta de profundezas, metamorfoses, daquilo que se prepara em segredo. Ambos serão sem dúvidas os motores de reflexão de consciência da cimeira, uma consciência voltada para a regeneração. Faço um pequeno alerta que me chamou muito a atenção: Mercúrio rege os pulmões e o sistema nervoso, entre outros… Plutão irá regenerar… Será que iremos ter um planeta a respirar melhor? Assim o espero…

Vemos a Lua na 8ª casa, confirmando o carácter da cimeira, de trabalhar para os outros (nós próprios); de ajudar, de curar, de concertar o que os outros (nós próprios) fizeram.

Marte na 8ª casa (dinheiro), em Leão: excelente posicionamento para organização e liderança e a verificar-se o eixo 2-8 (eixo financeiro) podemos confirmar uma ênfase financeira de suma importância, onde a necessidade de grandes investimentos a serem levados em prática para dar lugar a um melhor desenvolvimento das populações mas de uma forma sustentável; uma necessidade de investimento com recurso às novas tecnologias que possam permitir explorar de forma cuidada, os bens primários (ex: energia eólica; solar; hídricas).

Seguindo também o teu raciocínio, em relação ao “poder sombrio”, poder servir o dinheiro de catapulta para resistir as invasões e invasores sombrios e travar os caminhos mais obscuros e poluidores.

Lua em conjunção a Marte: não será uma cimeira amena; serão esperadas fortes emoções, posso arriscar um pouco a palavra “ao rubro”, discussões acesas (reforçada aqui pela oposição à Júpiter, como já referistes), mas que por outro lado vejo uma cimeira que tem potencial para lutar com bravura e firmeza e levar a bom porto várias negociações e defesas de diversas causas.

Stellium na casa 2 (a segurança entre outros valores) em Aquário, com Júpiter (O senhor das Leis); Neptuno, (o visionário) e Quíron (o curador), todos dispositores de Úrano, ele próprio co-regente da casa 2, peregrino e em recepção mútua com Neptuno, com toda a certeza terá uma postura proeminente nesta cimeira, como tu referiste, “o inesperado; as tecnologias, os muitos”.

Será de esperar desta cimeira, elaborações de leis/diplomas que asseguram a cura do nosso planeta no futuro, onde provavelmente passará por inovações e novas tecnologias… assim o espero.

26 de Dezembro de 2009

Filmes da minha vida - Inglourious Basterds [Sacanas Sem Lei]

Este foi um dos filmes que vi na noite de Consoada. E ainda bem que assim foi, pois não tivera oportunidade de o ver em sala de cinema, a quando da sua estreia. Gostei imenso de «Inglorious Basterds». Demais. Passado entre nós com o patético título de «Sacanas Sem Lei». Ainda por cima, com uma justificação boba: 'Malandros, Patifes ou Meliantes parece que já estavam registados'. Gente, o problema não está na palavra 'sacanas', mas sim o 'sem lei'. É no que dá, quando a falta de criatividade impera.

É um filme de Quentin Tarantino, o que faz com que assistamos a uma peça montada como só os contadores de histórias o sabem fazer. Com uma valente piscadela de olhos aos espectadores cinéfilos. Encontramos todos os ingredientes que dão prazer aos cinéfilos. Quanto ao grande público, duvido que apreciem as minudências de um filme com assinatura.

Christoph Waltz no papel do Coronel Hans Landa, 'o caçador de judeus'.
Um excelente actor e um grande papel.


Shoshanna Dreyfus [Mélanie Laurent] assiste à execução da sua família, directamente pelas mãos do Coronel nazi Hans Landa, o conhecido 'caçador judeu' [Christoph Waltz]. Mesmo assim, Shoshanna consegue fugir para Paris e começar de novo, com uma identidade falsa, neste caso, enquanto dona de um cinema.

Entretanto, o americano Tenente Aldo Raine [Brad Pitt] organiza um grupo de soldados judeus, orientado para atacar alvos localizados
na França ocupada: os famosos 'Basterds' (sacanas, malditos, patifes). Por favor, não traduzam para 'bastardos', pois nesse caso, a palavra inglesa é outra - bastards. Uma pequena nuance que altera todo o sentido.

Juntamente com uma actriz alemã e agente infiltrada, de seu nome Bridget von Hammersmark [Diane Kruger], eles planeiam derrubar o Terceiro Reich. Os destinos convergem todos para o cinema onde Shoshanna planeia a sua própria vingança, pois todo o estado maior nazi, incluindo Adolf Hitler, estaria presente numa gala de propaganda ao regime, com a exibição do filme germânico
"O Orgulho da Nação", que conta a história de um soldado alemão que em 3 dias matou mais de 300 soldados americanos, tornando-se num herói do regime.

Para essa sala de cinema, havia dois planos distintos com um objectivo comum: a destruição do III Reich. Nenhum dos grupos tinha conhecimento do outro.

A dona do cinema,
Shosanna [Mélanie Laurent] que, anos antes, havia escapado à fúria assassina do 'caçador de judeus', preparou-se meticulosamente para incendiar o seu próprio cinema, fazendo arder 350 filmes guardados em nitrato. Para isso, contava com a colaboração do projeccionista da sala, o seu namorado Marcel [Jacky Ido]. O plano era colocarem atrás do ecrã todas as cópias de filmes altamente inflamáveis, fecharem todas as saídas e esturricarem os presentes. Era a vingança pessoal da judia Shoshanna Dreyfus e do seu namorado de raça negra. Menciono a raça do namorado, apenas para enfatizar a ironia de Tarantino: judeus e negros, duas das raças mais odiadas pelo regime nazi.

O outro plano pertencia aos serviços secretos dos aliados, que contava com a ajuda da actriz alemã, a viver em França e refugiada do nazismo, Bridget von Hammersmark [Diane Kruger], uma famosa actriz alemã que na verdade colabora com a Resistência Francesa. A ideia era conseguirem introduzir os 'basterds' na sala de cinema, para fazerem explodir o recinto com dinamite.

Como compreenderão, estou a simplificar muito. Este é o plot do filme.



Brad Pitt, com 46 anos, feitos no passado dia 18 de Dezembro, chegou àquela fase da sua carreira, em que pode escolher papéis insólitos e marcantes, demonstrando ser um excelente actor, à maneira dos grandes nomes como Robert De Niro e Marlon Brando, que passaram a ser mais apreciados pela sua arte e menos pela sua beleza e bom aspecto. Neste filme, Brad Pitt, chega a parecer irreconhecível, tal foi a quantidade de tiques que ele incorporou à excelente interpretação do seu personagem. Muito bom.


Quentin Tarantino chamou Brad Pitt, Diane Kruger, Daniel Bruhl, Christoph Waltz, Mike Meyers, Michael Fassbender e Mélanie Laurent para participarem num tributo a «Quel Maledetto Treno Blindato», um filme de guerra italiano, de 1978, realizado por Enzo Castellari e que saiu nos EUA com o título "The Inglorious Bastards". Por isso, Tarantino deu ao seu filme, um título muito similar: «Inglorious Basterds».

Um dos teaser do filme.

Este filme não trata especificamente de ser mais uma película sobre a Segunda Guerra Mundial. Nada disso. O 'cenário-ambiente' é esse. Mas o filme é um excelente exercício de história alternativa, de história ficcional, com uma enorme homenagem ao «cinema».

Se não, vejamos: uma sala de cinema, uma dona dessa sala, um projeccionista, uma famosa actriz alemã, as 350 cópias de filmes embebidos em nitrato, a projecção de um filme nazi e dezenas de dezenas de outros pormenores cinematográficos. Se juntarmos a esta homenagem ao «cinema», ao facto de todos sabemos que o Terceiro Reich investiu imenso na propaganda através de filmes e documentários, resta apenas esta ideia genial: fazer com que o Terceiro Reich desapareça numa sala de cinema. Absurdo? Não. Absolutamente cinéfilo. :)))

Só um cineasta de grande arcabouço se atreveria a fazer um filme para o público americano, onde se falam várias línguas: americano, inglês, alemão, francês, italiano, espanhol. Um filme, maduro, sério e ao mesmo tempo muito divertido.


Brad Pitt no papel do 'basterd' Tenente Aldo Raine. Grande papel e grande actor. A sua especialidade neste filme... bom, não posso contar, lamento mesmo.

Um dos teaser do filme.

Site do filme:
www.inglouriousbasterds-movie.com/

Mais sites sobre o filme: 1 - 2 - 3

Quentin Tarantino, ao centro, no set de filmagens.

Um dos teaser do filme.

Diane Kruger no papel da actriz alemã Bridget von Hammersmark.
Um desempenho excelente.


Eli Roth no papel do Sargento Donny Donowitz.
Um verdadeiro 'basterd'.


Mélanie Laurent no papel da judia Shosanna Dreyfus,
dona do cinema onde se desenrolam as cenas principais do filme.

Vídeos

Com legendas em português



Em francês



Oiçam o americano Aldo Raine [Brad Pitt] a tentar dizer
com pronúncia italiana a palavra 'arriverdeci'.
Intencional e delirante. Grande filme. Grande actor.

23 de Dezembro de 2009

Previsões para 2010 - O Planeta Regente do Ano: Vénus


Em Junho de 2008 expliquei aqui no blogue, como se saber qual é o planeta do ano. No entanto, aqui fica, novamente, a explicação.

Os Antigos usavam a “Estrela dos Magos”, de sete pontas, onde são colocadas as duas luminárias - o Sol e a Lua -, e os cinco planetas que
são visíveis a olho nu e que eram conhecidos na antiguidade – de Mercúrio a Saturno. Também conhecidos e chamados de 'Planetas Sagrados'.

Como poderão verificar na ilustração mais abaixo, a sequência em que os planetas são colocados não é clara, e pessoalmente não sei explicar, pois não segue a ordem lógica de afastamento dos planetas em relação
ao Sol ou em relação à Terra, por exemplo. A sequência também não usa a velocidade orbital dos planetas. Os sábios antigos utilizavam as regências em sequência, os famosos ciclos da vida, contando o Ano Zero sempre como sendo o ano regido pelo Sol. A minha amiga e astróloga Patrícia Azenha, autora dos blogues «Princesa Esquimó» e «Estudante de Astrologia», especialista em astrologia tradicional e agora a iniciar um curso de astrologia medieval, ao ler este post, teve a amabilidade de deixar nos comentários a explicação da sequência dos planetas. Assim: «Quanto à ordem que referes é a ordem Caldaica, só que aqui começam pelo Sol no sentido dos planetas inferiores (Vénus, Mercúrio e Lua) e depois os planetas superiores (Saturno, Júpiter e Marte) e por fim de volta ao Sol, a sequência é sempre a mesma, só que em vez de se começar pela Lua-Mercúrio-Vénus-Sol-Marte-Júpiter-Saturno ou o oposto, começa-se pelo Sol. Esta sequência tem a ver com a velocidade média aparente dos planetas/luminares.» Muito obrigado. A tua explicação fez toda a diferença.

Devido à época em que estamos, há sempre muita curiosidad
e sobre as previsões para o ano seguinte. Uma das formas mais simpáticas para o fazer é através do 'regente do ano'. Assim, como encontrar o planeta regente do ano?

Simplesmente dividindo o ano em questão, neste exemplo, o 2010, pelo número 7 (os planetas da antiguidade) e obtendo um número de “s
obra” ou “resta”. Este número que sobra ou resta é correspondente ao planeta regente do ano. Como para 2010 o número que sobra ou resta é o número 1, ficamos a saber que Vénus é o planeta regente do ano. Estamos, portanto, no segundo ano deste ciclo.

Clique na ilustração para a aumentar.

Vamos agora falar um pouco da simbologia de Vénus em astrologia, o primeiro e grande símbolo de Vénus é o «amor». Só depois consideramos outras significações: actividades diplomáticas, manifestações artísticas, exposições, eventos sociais, produtos de beleza, luxo, produtos femininos, finanças, bens, produtos da terra, alimentos. Obviamente, estou a referir-me às significações das análises dos grandes conjuntos (regiões, países, cidades, grupos, continentes, mundo, etc.). A astrologia aplicada a estes grandes grupos chama-se «astrologia mundial».

Na astrologia corrente, no mapa natal de cada pessoa, o planeta Vénus, além destas, tem outras simbologias que não entram neste texto, pois não estamos a fazer previsões pessoais, mas sim, a tentar ter uma visão de conjunto.

Importa relembrar que a conhecida crise mundial começou em 2008, ano regido pelo planeta Marte. O ano de 2009, regido pelo Sol, que tudo domina e que tudo engrandece, consolidou essa crise mundial. 2010, regido por Vénus é o ano para principiar a amortecer esse facto, usando-se a diplomacia e a boa vontade e os magnos encontros dos governos, organizações e especialistas. É o «amor» a funcionar. A confirmação do desanuviamento mundial virá em 2011, a ser regido por Mercúrio, o grande negociador, em que a razão será posta ao serviço da humanidade.

O ano de 2009 foi governado pelo Sol, que exacerbou ao extremo, a situação que vinha de trás. Portanto, 2010 será o ano para serem feitas todas as tentativas possíveis de «acalmar» uma situação inóspita e muito amarga. 2010 será o ano de todas as tentativas diplomáticas a nível regional e mundial. Pode-se dizer que a Cimeira de Copenhaga já foi o exemplo percursor do que afirmo: os primeiros passos, muito, mas muito hesitantes, para os Senhores do Mundo se entenderem. Num ano regido pelo Sol (2009) os egos colectivos, empresariais e nacionalistas em estado de exacerbação não permitiram acordos mais substanciais. A América e a China sentaram-se à mesma mesa, apesar de não terem chegado ao acordo ideal. A «timidez» (palavra introduzida pela democracia mundial e usada por Barack Obama) desse acordo foi prevista no meu artigo sobre o assunto. (Clicar aqui para ver). Também percebemos que o mundo está em profunda mudança, pois atribuir o Prémio Nobel a um homem apenas pelas suas intenções, é toda uma nova programação para a humanidade. Aprecio muito esta nova maneira de pensar e agir.

Este acordo possível de Copenhaga era absolutamente impensável há 6 meses, digam os comentadores e jornalistas o que disserem, como já tenho lido. É muito bom sermos treinadores de bancada. Estar no terreno é que é difícil. Quando digo que a Cimeira de Copenhaga foi o exemplo, refiro-me a que 2010 será o palco de todas as tentativas de acordo, a todos os níveis e não apenas para o clima. É o ano das tentativas e possibilidades de entendimento, de partilha, de dar e receber. Busca-se a paz. Fazem-se tratados. Isto não significa, em nada, que iremos viver um ano zen. Nada disso. Iremos viver, isso sim, um ano de tentativas de acordos para melhorar-se o Todo - Humanos e Planeta. Esta é a noção de civilização. O resto são tricas de interesses bem instalados, que não querem perder o poder e só fazem atrasar o avanço.

Ao longo de 2010 iremos assistir a um maior realce da mulher. A todos os níveis informativos e formativos. Os produtos femininos e as mensagens serão ainda maiores, planetárias. Será, sem dúvida, o Ano da Mulher. O Ano da Mulher e do Amor.

2010, regido por Vénus, será «comandado» pelo maior sentimento que o homem é capaz de expressar: o AMOR! O amor pleno, desinteressado e inteiro. Com ele superamos barreiras, lutamos, compreendemos e perdoamos a tudo e a todos. No entanto, é necessário matizar uma questão: Vénus é regente de Balança / Libra e este signo está a ser transitado por Saturno, o Senhor dos Poderes. Portanto, significa que assistiremos à aprendizagem do amor. Sim, porque o amor tem que ser reaprendido a ser manifestado. Sem apegos, sem cobranças, sem controlos. Você, leitor ou leitora, consegue amar incondicionalmente, aceitando o outro, tal como é?

O mundo está em mudança e a humanidade em evolução, mesmo que às vezes não pareça. Apesar da fome, das guerras, dos conflitos. É um ano para se avançar, aproveitando as boas energias venusianas. Aproveitemos a passagem de Saturno pelo signo de Vénus e apliquemos as tão temidas palavras: «respeito» e «responsabilidade». Respeitemo-nos, aceitemo-nos e tudo será bem mais fácil. Obviamente, não será um ano cor-de-rosa, como à primeira vista pode parecer por termos este regente planetário. Mas será um ano para melhorar tudo à nossa volta. Desde os governos dos poderosos até a cada um de nós, na nossa vida do dia-a-dia. Alarguemos o nosso horizonte com responsabilidade e respeito [Saturno].

Vénus também rege Touro, o signo das coisas mais materialistas. Haverá muitas questões a terem que ser superadas. Muitas tensões a terem que ser esbatidas. As pessoas com uma visão marcadamente materialista serão confrontadas com outras visões, que começaram por estranhar, mas a vida encarregar-se-á de colocar as perspectivas mais adequadas para cada um. A evolução da humanidade faz-se assim, com dois passos em frente e um para trás. Obviamente, os «media», na sua luta diária para captarem audiência, privilegiam sempre os lados mais sangrentos das situações. Como se auto-outorgaram o direito (?) de «vigiar» em vez da função «informar», a coisa fica confusa. Parecem ser os novos 'intocáveis'.

A ajudar na tarefa de Vénus, encontraremos Júpiter que entrará no signo Peixes nos finais de Janeiro, sentindo-se em regência tradicional, portanto, muito bem colocado e em posicionamento muito positivo. Como planeta benéfico, a sua tarefa principal será ajudar a humanidade a encontrar o seu lado mais oculto e interno, proporcionando grande ajuda a quem estiver disposto a usar a intuição e a linguagem do coração. Nem me atrevo a enfatizar as questões da espiritualidade, por ser demasiado óbvia. Os signos em «alta» serão: Touro, Balança/Libra, Peixes e Capricórnio.

No entanto, o ano de 2010 será marcado pelo diálogo entre Saturno e Plutão, numa quadratura, a obrigar um maior esforço na superação dos acontecimentos. Os países mais empobrecidos terão que lutar mais. Os mais ricos poderão abusar do seu poder. Os homens que dominam o mundo serão chamados a maiores obrigações. Estarão eles permeáveis a estas mudanças? Não sabemos.


17 de Dezembro de 2009

Quem é a entidade conhecida por Emmanuel?


No início de 2006 pedimos ao nosso amigo, o artista Cláudio Gianfardoni, para se sintonizar com Emmanuel e que o pintasse. O resultado foi o que estão agora a ver. Esta ilustração destinou-se a ser inserida na capa do livro "Tratado de Cura Canopus Melquizedeque", de Henrique Manuel.

Quem é Emmanuel?

Emmanuel é, também, o nome dado pelo medium espírita brasileiro Chico Xavier à entidade a que atribui a autoria de boa parte das suas obras psicografadas. Essa entidade era apontada por Chico Xavier como seu orientador espiritual.

A obra mediúnica atribuída a Emmanuel é composta por dezenas de livros, muitos deles traduzidos para diversos idiomas. São livros de aconselhamento espiritual, obras de exegese bíblica, etc.

Que nos diz o «Livro de Urântia» sobre esta entidade?

Antes de mais, aclaremos de imediato o seguinte: Emmanuel é irmão de Micah, o Deus Governante do nosso Universo Local de Nebadon, cuja capital é Salvington.

Como sabem, o Senhor Micah, Sananda e Jesus são o mesmo Ser, em diferentes planos. São entidades únicas, que consoante o plano de intervenção, necessitam criar outras formas de energia, para poderem actuar da melhor maneira possível em registos mais densos, como é o caso do nosso planeta.

Devido às questões havidas no planeta Terra com as guerras dos Anjos Caídos, decidiu, o Senhor Micah que faria uma reencarnação (auto-otorgamento) aqui, de modo a poder auxiliar-nos. Assim nasceu Jesus, Filho do Deus Pai.

Neste processo, desde que saiu da capital Salvington, até encarnar naquele bebé, o Senhor Micah passou por um processo pessoal e cósmico, tendo que permanecer imenso tempo em numerosos planetas, sendo que os últimos onde esteve foram um planeta da estrela Sirius e em Vénus, do nosso sistema solar. Neste delicado processo de adaptação energética ao nosso sistema, o Senhor Micah necessitou de 50.000 anos terrestres para realizar a sua obra de reencarnação neste planeta.

É legítimo perguntar: se esteve ausente da sede central do nosso Universo, Salvington, quem o ficou a substituir? Quem ficou a tomar conta do governo do nosso Universo Local de Nebadon? A resposta é-nos dada no
Livro de Urântia": Foi o seu irmão, o Bem Amado Emmanuel.

E quem acompanhava Emmanuel no governo? Gabriel de Nebadon, o tão querido e amado Arcanjo Gabriel.

Emmanuel de Nebadon é um União dos Dias, Filho Directo do Paraíso, da Fonte Que Tudo É, irmão mais velho de Micah de Nebadon. Ficou no governo as sete vezes que Micah teve que se ausentar, em tarefas de auto-otorgação (no nosso planeta chamamos 'reencarnação') pelo seu Universo Local. A Ilha do Paraíso para uns, ou Havona para outros, ou a Grande Fonte Que Tudo É, para outros, determina que o Filho Criador do Paraíso, para assumir para todo o sempre, o governo de um Universo local, deve "reencarnar" (auto-otorgar-se) por 7 vezes em diversos locais por si escolhidos. O Senhor Micah assim fez. Auto-otorgou-se em diversos sectores de Nebadom.

Segundo o «Livro de Urântia»: «O propósito destas encarnações em forma de criatura consiste em possibilitar que tais Criadores venham a ser soberanos sábios, compassivos, justos e compreensivos. Estes Filhos divinos são justos de maneira inata, mas tornam-se criteriosamente misericordiosos como resultado destas experiências sucessivas de efusão; eles são misericordiosos por natureza mas estas experiências os fazem misericordiosos em formas novas e adicionais. Estas efusões constituem os últimos passos do seu preparo e instrução para a tarefa sublime de governar os universos locais em rectitude divina e por meio de juízo imparcial. Estas efusões não são essenciais para a gestão sábia, justa e eficaz de um universo local, porém são absolutamente necessárias para uma administração imparcial, misericordiosa e compreensiva de tal criação, na qual pululam variadas formas de vida e miríades de criaturas inteligentes, porém imperfeitas».

O Senhor Micah assim fez, sempre com a colaboração do seu irmão, Emmanuel.

O Senhor Micah, governante do nosso Universo Local de Nebadon, nas sua auto-otorgações, para se confirmar como Governante Eterno foi um Lanonandeque e um Melquisedeque, seus filhos da criação. Pacificou o planeta 217, no sistema 87 da constelação 61, onde o Soberano do Sistema se desencaminhara, criando uma rebelião. Como um anjo Serafim, serviu de conselheiro seráfico de ensino, o que poderíamos denominar como secretário particular, para vinte e seis diferentes instrutores maiores que trabalhavam em vinte e dois mundos distintos. Em Uversa foi um mortal ascendente, foi um ser pessoal maravilhoso que viveu e trabalhou por um período de onze anos do tempo padrão de Orvonton, à exacta semelhança da etapa espiritual dos mortais ascendentes. Este ser recebeu tarefas e cumpriu com os deveres de um mortal espiritual junto com os seus semelhantes provenientes dos vários universos locais de Orvonton. Foram 7 as suas auto-otorgações.

Aqui foram descritas apenas algumas das suas auto-otorgações, todas extraordinárias. Micah deixou para a sua última auto-otorgação, a mais difícil de todas. Ser carne, ser matéria. Saber o que é ser um Humano, tal como nós. Foi a experiência mais luminosa de todas. Como Filho do Homem.

E foi Jesus, o nosso maravilhoso Mestre, o Cristo.

«O anúncio público de que Micah tinha escolhido Urântia (Terra) como palco da sua efusão final foi feito pouco depois de ouvirmos sobre a falta de Adão e Eva. E assim, por mais de trinta e cinco mil anos, o vosso mundo ocupou uma posição muito notória nos conselhos do universo inteiro. Não havia segredos (afora o mistério da encarnação) referente a qualquer medida adoptada na efusão em Urântia. Do princípio ao fim, até ao retorno final e triunfante de Micah a Salvington como soberano supremo do Universo Local de Nebadon, houve a mais completa publicidade no universo sobre tudo o que ocorreu no vosso pequeno mas muito honrado mundo.»

«Embora acreditássemos que este seria o método, até ao momento do próprio evento não sabíamos que Micah apareceria na Terra como criança desamparada do mundo. Até este momento, ele sempre tinha aparecido como um indivíduo completamente desenvolvido do grupo de seres pessoais seleccionado para a efusão, e foi um anúncio emocionante o que se emitiu de Salvington, contando que o menino de Belém nascera em Urântia.»

«Percebemos então não só que nosso Criador e amigo estava dando o mais delicado passo de toda a sua caminhada, aparentemente arriscando a sua posição e autoridade nesta efusão como criança desamparada mas também que a sua experiência nesta efusão final e mortal o entronizaria para todo o sempre como soberano indiscutível e supremo do universo de Nebadon. Todos os olhos, em todas as partes deste universo local estiveram dirigidos a Urântia durante um terço de século do tempo terrestre. Todas as inteligências perceberam que a última efusão estava em progresso e como há muito sabíamos da rebelião de Lúcifer em Satânia e da deslealdade de Caligastia em Urântia, compreendemos bem a intensidade da luta que se seguiria quando no osso governante consentiu em se encarnar em Urântia, na humilde forma e semelhança da carne mortal.»

Voltando ao Bem Amado Emmanuel.

É uma entidade de enorme amor, que muito ajudou Jesus (Micah) ao longo de mais de um bilião de anos no conjunto das suas auto-otorgações.

Este Ser está intimamente ligado às Hierarquias de Canopus, a constelação que ascendeu na sua totalidade, encontrando-se actualmente para além de 12D.

16 de Dezembro de 2009

Marte retrógrado em Leão

Marte retrógrado em Leão

Em 21 de Dezembro próximo (horário de Portugal), Marte entra em movimento retrógrado no signo Leão, durante 80 dias, até 10 Março 2010. Inicia o seu movimento retrógrado no grau 19 e retrocessa até ao grau zero, sempre em Leão. Este movimento retrógrado de Marte acontece de 26 em 26 meses, variando os signos onde se encontra nessas alturas. Por isso, as retrogradações de Marte serem tão importantes. Por não serem frequentes.

Tentemos perceber melhor o significado habitual deste planeta no nosso mapa astrológico:

Personagens simbolizadas por Marte: o homem enquanto amante; os amigos, homens com idade aproximada à da pessoa. O rival, o adversário, o inimigo.

Funções fundamentais de Marte: combatividade, competitividade, conquista, independência, separatividade, desejo, instintos agressivos, de defesa e sexuais, energia anímica e libidinal, impulso auto-afirmativo e vontade pessoal.

Valores positivos: determinação, assertividade, virilidade, audácia, energia, sangue-frio, ardor, dinamismo, coragem, gosto pela aventura, prontidão para a acção, gosto pela conquista, força pessoal, carácter independente, resistência, autodefesa, gosto pela vitória.

Comportamentos negativos: impaciência, imprudência, violência, cólera, excessiva competitividade, tirania, espírito vingativo, brutalidade, conflituosidade, temeridade, gosto excessivo pelo risco, irritação, egoísmo, arrogância, espírito destrutivo, prepotência, autodescontrolo, insatisfação permanente, hiperactividade, intolerância. Mas também cobardia, hesitação, medo, inércia, sentimento de impotência, recusa da competição, renúncia, inibição, improdutividade, energia intermitente e fraca.

No mapa de uma mulher, Marte também é o indicador do tipo de amante que ela deseja, o tipo de masculinidade que a atrai (em associação com Vénus, que indica o que a satisfaz). No mapa de um homem, representa a forma como ele atrai sexualmente a mulher e como se apresenta enquanto detentor de uma virilidade.

Voltemos ao seu movimento retrógrado. Assim, com simplicidade: todas estas significações ficam mais esbatidas, menos conseguidas. Marte é menos Marte. A sua habitual expressão fica mais diminuída. Há um convite maior à reflexão, à introspecção. O «ego» torna-se menos importante, passa para um plano mais discreto e a exuberância egóica, menos afirmativa. Estes 80 dias serão muito bons para os ambientes mais zen. Mais espiritualizantes. Haverá menos afirmações e as que houver terão um cariz menos arrebatado.

Não esqueçamos que Marte entrou em Leão no dia 17 de Outubro e permanecerá neste signo até 6 de Junho. São 7 meses e alguns dias num signo de fogo, arrebatado, afirmativo, que gosta de ser o centro das atenções. Sendo Marte um planeta também de fogo, sente-se muito à vontade em Leão.

Se repararmos nos acontecimentos dos últimos meses, desde Outubro, notamos que tem havido grande protagonismo no cenário nacional e internacional. Quer de forma positiva, como foi a conquista, por parte do Brasil e do presidente Lula, para a realização dos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. Foi a maior manifestação positiva de Marte, em termos planetários. Vejamos exemplos portugueses da forma negativa de Marte: a sobranceria que tem ocorrido no parlamento português, em que todos os partidos derrotados nas últimas eleições legislativas, (Set/2008) comportam-se como se tivessem obtido maioria, tentando impor a sua vontade desajustada. Isto é Marte em Leão. Durante os próximos 80 dias, estes parlamentares vão andar mais discretos, excepto aqueles que tenham um Marte muito 'aceso' nos seus mapas natais, que podem chegar a parecer galináceos tontos. O protagonismo de Marte em Leão também tem sido evidenciado em Copenhaga nesta última semana, em que os numerosos movimentos pró-Terra se comportam, por vezes, de forma fundamentalista. Poderia dar numerosos exemplos colectivos e individuais, mas creio que para exemplificar, estes chegam.

Todos estes e outros protagonismos regressarão, em força, a partir de 10 de Março, quando Marte retomar o seu movimento directo. Até Junho! Os momentos mais tranquilos serão estes 80 dias de retrogação marciana.

Ao ficar retrógrado haverá uma espécie de convite a que se faça uma revisão das acções anteriores, a corrigir estratégias pessoais e colectivas, políticas e sociais. Será um bom momento para haver 'acordos' sem dramas. Para haver mais consensos, sem chicana, nem arrivismos. É um tempo temperado para um maior diálogo, sem extremismos. É uma altura excelente para fazermos uma reflexão profunda dos objectivos para as nossas vidas e procurarmos o tempero mais adequado e o terreno mais apropriado para o futuro. É a altura ideal para visitarem os vossos astrólogos e, com a ajuda deles, prepararem acções futuras a desenvolver.

Quer abrir um negócio? Quer iniciar um projecto novo? Esta época de retrogradação não é a melhor para isso, mas também não significa que seja negativa. No entanto, procurem nos vossos trânsitos se vai haver algum sextil ou trígono de Úrano à Lua e se Marte faz algum aspecto a estes planetas. Será um bom indício para o início de projectos mais arrojados.

Marte inicia a sua retrogradação e sentiremos uma diminuição da nossa vitalidade. Uma necessidade de recolhimento maior. Meu amigos facebookeiros e comentadores de blogues, estaremos todos mais tranquilos. Andaremos mais a 'ver' do que a participar.

É a altura melhor para casais e amigos desavindos tentarem uma conciliação. Tentarem não se sobrepor ao outro.

Passem bem
.

15 de Dezembro de 2009

Entrevista a Cris França, do 'Canto de Contar Contos'



A Cris França é daquelas pessoas do mundo virtual que apetece muito conhecer pessoalmente, e com urgência. Tenho a esperança que um dia isso se concretizará. É a suavidade em pessoa. Um dia, simplesmente, começámos a 'falar' através dos comentários. Não estava presente quando iniciou a sua aventura com o blogue «Canto de Contar Contos», mas lembro-me do que senti quando a Cris apresentou o seu blogue gastronómico, «Aventurinhando». Foi uma sensação estranha e intensa, o de saborear as suas receitas. Imagine-se: saborear na blogoesfera. Este é o talento principal da Cris - o por-nos a sentir intensamente o que faz. Deixo estas linhas escritas por ela própria: «Alguém aprendendo que cada dia que a gente vive é como um novo ponto, nesse grande conto que tem, início, meio e fim, chamado VIDA, lugar de encantos e desencantos.»

Os seus blogues:
em co-autoria com a Fátima,
do blogue «Viver é Afinar o Instrumento»
[sou o 4º seguidor deste blogue de gastronomia - :)]

em co-autoria com GILBERTO,
do blogue «Nel mezzo del cammim»,
e Regina, do blogue «Devaneios de uma vida...»




Olá Cris, é um prazer estar a entrevistar-te. Podes descrever o teu próprio blogue, o «Canto de Contar Contos»? Sei que começaste o blogue em Novembro de 2008. Conta-nos a génese deste teu projecto. Estamos muito interessados em te conhecer melhor. Usas o blogue para dares a conhecer o trabalho quotidiano que desenvolves ou é apenas uma forma de te expressares?

Ola António, antes de tudo quero agradecer esta oportunidade de fazer parte do 'Anel do Coração', este mágico circulo de amizade, é uma grande honra para mim, pois as pessoas que por aqui passam são todas muito admiráveis.

O Canto de Contar Contos é uma forma de me expressar, ele muda muito, quem o acompanha sabe disso, assim como eu mudo muito também, acredito que estamos sempre em movimento, e escrever sempre foi para mim uma forma de respirar.

Nunca imaginei poder ter minhas poesias, contos, histórias publicadas, e o Canto me deu isso; me deu isso e muitos amigos que foram se achegando e dando a essa “coisa” que sair, se expressar, que existe dentro de mim, uma forma. E essa forma me agrada muito, e pela falta de interesses que há nisso, é um simples partilhar, como eu digo por lá, contos, cantos, encantos, desencantos e afins...

Explica-nos um pouco sobre a tua participação nos blogues «Aventurinhando» e «Cinema Paradiso».

Bom na verdade o Cinema Paradiso nasceu primeiro, no começo eu resolvi falar um pouco dos filmes que via no próprio Canto, mas eu sentia que ficava meio desconexo, das postagens que fiz sobre cinema na época, o Gilberto, do blog Nel Mezzo Del Cammim, sempre comentava, e nós descobrimos essa paixão em comum, um dia eu mandei um e-mail para ele perguntando se ele topava termos juntos um blog sobre Cinema, porque eu sabia que sozinha era demais...rs, e aí ele topou, logo depois resolvemos convidar a nossa amiga em comum, a Regina, do Devaneios de uma vida, na verdade a ela eu devo essa inclusão digital, porque escrever até o dia que ela comentou um texto meu, era um ato solitário, só então me dei conta que não estava sozinha.

Já o Aventurinhando, nasceu mais recentemente, na partilha das coisas dos meus pais, que faleceram recentemente, eu quis ficar com os livros de receitas da minha mãe, eu gosto de cozinhar, embora a vida corrida quase não me dê chance para fazer as coisas que gosto, mas a cozinha é um ambiente no qual eu realmente me sinto bem, gosto de aprender sobre novos sabores, combinações de ervas e temperos, e aí, quando o livro de receitas da minha mãe veio parar na minha mão, pensei, porque não publicar?, mas não tinha nada a ver fazer isso no Canto de Contar Contos, e resolvi deixar as receitinhas nesse novo espaço, depois eu convidei a Fátima, do Viver é Afinar o Instrumento, para uma parceria, primeiro porque ela é uma simpatia e segundo porque ela é mineira, e no Brasil, na minha opinião, a culinária mineira é uma das mais saborosas, eu, apesar de paulista, gosto muita dessa coisa que os mineiros têm de receber as pessoas pela porta da cozinha, e foi uma parceria de sucesso, a Fátima é ótima e as receitas dela enchem os olhos e o paladar.

Fala-nos um pouco sobre a autora do blogue, o que a faz mover, os seus interesses, o que a deixa feliz? Está à vontade para comentares aquilo que te parecer mais adequado, sem desvelares totalmente a pessoa linda que és.

Eu amo aprender, acho o conhecimento a melhor coisa do mundo, e creio que isso seja a minha maior motivação, adoro estudar, aprender, ler, conhecer coisas novas. Tenho uma inquietação, uma vontade de viver muito grande, e isso me leva a fazer muitas coisas.

Já fiz de quase tudo um pouco, já fui locutora de rádio, já bordei ponto cruz, fiz cursos de corte e costura, fui oradora de formatura, dei palestras em Curso para Jovens Cristãos, durante 8 anos na minha vida, já fiz muito trabalho comunitário, cantei num coral, já fugi de vaca brava num sítio...rs, já paguei mico, já me apaixonei perdidamente, já chorei muito, já perdi muitas coisas, já ganhei concurso de dança, já fiz curso de parapsicologia e formação humana, já fiz uma curso de Contadora de Histórias, sou formada em Teologia e em Ciências Contábeis, área em que sempre trabalhei, e sou pós graduada em Controladoria e Gestão Financeira, que é a atividade que hoje exerço profissionalmente, sou mãe (amo ser mãe), trabalho fora em horário integral, sou casada, sou uma sonhadora, romântica, adoro cinema, adoro cozinhar, adoro fotografia, museus e coisas do passado me fascinam, gosto do por-do-sol, sou uma geminiana tagarela de 36 anos...rs ( nem deu pra notar né? rs).

[xiiiii!!!, tantas coisas na vida! - risos - até pareço eu em versão feminina! Isto de ser do signo Gémeos tem muito que se lhe diga. - AR]

O que dás mais importância nos teus blogues? Podes dizer-nos porque valorizas essa questão?

Para mim é fundamental que o blogue realmente se pareça comigo, odiaria ver que escrevi algo por mera formalidade, a maiorias das pessoas fazem post para os outros, mas no meu caso, a maioria dos post são para mim mesmo, algo que relembrei, que achei engraçado, que me deixa triste, uma poesia vinda no vento, coisas desse tipo que na verdade quero e preciso expressar, mas que não cabem no meu dia a dia, e ficam muito bem ali, e ver que as vezes sou fiel a esse sentimento, me realiza muito.

Com qual frequência escreves? Ao ler o teu blogue, senti que deixas fluir os posts, e vais publicando conforme vais vivenciando o teu dia-a-dia. Esta iniciativa recente de comemorares o aniversário do «Canto de Contar Contos» com contos dos teus amigos e leitores é absolutamente inspiradora e notável. Podes falar um pouco sobre estes assuntos?

Escrever é como falar sozinho. Eu falo muito, ainda que fale sozinha na maior parte do tempo...rs, então escrevo muito, não só no blog, tenho uma livrinho preto que anda comigo, de páginas em branco onde sempre anoto as idéias principais.

Acho esse dinamismo presente no pensamento das pessoas mágico, você vê uma árvore, uma cena na rua, ou simplesmente vai beber água e uma inspiração bate a porta, ou ouve uma canção dentro do supermercado e pensa...nossa, que música linda e ai vem a vontade de compartilhar isso. Daí surgem os posts.

Sobre o aniversário do blogue, nas verdade eu queria homenagear os amigos há muito tempo, tinha pensado em juntar o nome dos blogues num poema, coisa do tipo, mas é muito difícil ser original hoje em dia com tantas idéias boas que vemos nos blogues.

Então me ocorreu essa idéia das festas de casamentos celebradas por muitos dias, e eu pensei, porque não? Abrir as portas do blog para deixar que os meus amigos conheçam os meus amigos, e porque ter só um dia de aniversário? E foi algo maravilhoso, porque as pessoas fizeram a festa, cada um trouxe o seu conto, e eu senti uma alegria enorme em poder compartilhar isso.

E toda vez que leio que alguém conheceu alguém através do Canto, isso me dá uma satisfação enorme. Alegria que a gente divide é alegria que se multiplica.
[Confirmo isso. No dia em que publiquei a minha historieta no teu blogue, conheci pessoas e blogues que nem sonhava existirem e gostei de todos. Foi lindo, podes crer. Uma experiência que adorei. Muito obrigado, Cris. - A.R.]
Em teu entender, o que vale mais na criação de um blogue - o conhecimento ou o gosto pelo assunto? Podes comentar?

Creio que uma coisa leva a outra, não amamos aquilo que não conhecemos, e não buscamos conhecer profundamente as coisas que não amamos, então eu acho que na criação de uma blogue vale mesmo a dedicação, o zelo, porque antes eu pensava escrever só para mim, mas hoje sei que as pessoas me lêem e então, creio seja a ponderação entre as duas coisas.

Usas das técnicas tão comuns hoje em dia, para teres mais visitas? E funcionam? A nível do template do teu blogue, ele é muito alegre e usas uma ilustração muito bonita: um livro em cima de um banco de jardim. Acho-a linda. Podes contar-nos o que pretendes transmitir com essa ilustração?

A verdade, é que nunca me preocupei muito com o número de visitas, mas gosto de receber bem quem se achega ao meu Canto, visito, retorno, acho gostoso ser gentil com as pessoas que me visitam e me apoiam e me encanto, porque recebo sempre palavras muito generosas dos amigos e acabo por me tornar seguidora destes, e a coisa meio que anda sozinha.

Faço os link dos blogues na minha própria página, porque é mais fácil para mim, assim posso acessar e ver os que as pessoas andam escrevendo, embora, eu nem sempre consiga visitar todo mundo, mesmo quando estou em casa, mas como sou insones, consigo navegar bastante.

A imagem do banco me agrada muito, e sempre recebo comentários sobre ela, a cidade onde nasci e morei até meus 27 a anos chama-se Itatiba, é dessas cidadezinhas do interior de SP, que tem uma igreja e a praça principal, ali é o centro da cidade, e a pracinha é cheia desses bancos de jardim, lá os velhinhos sentam a tarde para conversar, debaixo dos caramanchões de primavera floridos, em tardes quentes, debaixo de uma sombra fresca e agradável, quando eu era catequista nessa igreja, sempre na saída das aulas, era uma coisa que me chamava a atenção, os bancos, testemunhas de tantas histórias entre amigos, de tantos causos, de brigas de casais, de pedidos de namoro, casamento, de declarações de amor, então acho que banco é isso, a testemunha muda, de tanta coisa a se contar e por isso a escolhi, com um livro preto que é muito parecido com o que carrego sempre comigo, registrando meus momentos aleatoriamente.

Sei que lês outros blogues e deixas comentários. Pode dizer quais os assuntos te interessam? Já agora, podes mencionar os blogues que aprecias e comentar porque são do teu agrado?

Poesia, auto-conhecimento, humor, contos, histórias, música, cinema, coisas de mulher sobre casa, filhos...rs , eu leio de quase tudo um pouco.

São muitos os blogues que visito e geralmente todos são muito bons:

O LIGHT da Manuela, é muito interessante culturalmente, dá para se aprender muito por lá.

O DALLA BLOG do Marcelo, além de ótimo em seu conteúdo que é diversificado, eu tenho uma empatia muito grande pelo Marcelo.

O BALAIO da Beth Cerquinho tem um bom humor que eu adoro, admiro demais a Beth.

O MEMÓRIAS DE VIDAS PASSADAS, é um blog que eu gosto muito, pelo carisma da Maria Izabel e pelas questões profundas da alma que ela sempre aborda.

O ZAMBEZIANA da Graça Pereira, é ótimo pelos contos e poesias e pela diversidade de estilos que ela usa.

Sou fascinada pela poesia e pelas crônicas que encontro no blog do Gilberto NEL MEZZO DEL CAMMIM, acho ele um grande escritor.

Teria que mencionar muitos blogues, mas eu não gosto de esquecer de ninguém, então todos os blogues que leio, sigo, acompanho e comento, estão destacados na minha página, inclusivê o COVA DO URSO, são todos muito bons, pelo conteúdo e pela forma que os blogueiros nos acolhem.

Quais as tuas fontes e onde obténs material para te apoiar na escrita dos teus textos?

Bom os post do Canto de Contar Contos, são meus momentos, é muito difícil prever o que se vai ler por lá...rs, uma música, uma poesia, minha ou de outro autor, algo que li, algum e-mail que recebo, uma cena que vi na rua, ou uma memória que vem com o cheiro ou com o vento, ele é a expressão da vontade de compartilhar tudo, momentos, amigos...tudo.

Já no Cinema Paradiso, são os filmes vejo e que nos tocam, ou que vemos e detestamos e aí prevenimos os amigos...rs

O Aventurinhando tem muitas receitas que já fiz e receberam elogios, receitas do caderno de receitas da minha mãe, do meu cadernos de receitas, de revistas de culinária compradas anos atrás, e tem as receitas da Fátima também.
[Cris, desculpa, pois só agora me apercebi que mais acima contaste a história completa de cada blogue. - A.R.]
Gostaria muito se indicasses (com os respectivos linques) dois ou três posts escritos por ti que sejam muito especiais e, se quiseres, qual a razão para essa tua escolha. Independentemente do blogue onde se encontrarem esses teus textos.

'Onde as Orquídeas ainda florescem' narra um romance adolescente que tive, uma paixão platônica e o resultado me agradou muito.
http://cantodecontarcontos.blogspot.com/2009/04/onde-as-orquideas-ainda-florescem.html

'Seu Zé', foi o conto que me inspirou a imagem do banco, antes dele o banco não existia, é uma memória de um velho amigo que me deixou saudades.
http://cantodecontarcontos.blogspot.com/2009/05/seu-ze.html

'Insônia' é um texto dos primórdios do blog, que escrevi numa noite longa e em claro, que revela um momento muito íntimo meu, tem muito da minha forma de ver e de pensar nele.
http://cantodecontarcontos.blogspot.com/2009/01/insonia.html

De acordo com o desenvolvimento dos blogues, quais os planos para o futuro deste teu projecto?

Para ser sincera eu não sei muito sobre isso, o Canto vai existir enquanto existir em mim a vontade de escrever, eu sou ele e ele sou eu, as idéias vem e a gente vai desenhando as que se ajustam melhor.

E olhem que eu sonho morrer velhinha com 82 anos, lúcida, a típica vovó na cadeira de balanço, com o coração e a memória cheios de todas as coisas boas que pude viver, e das ruins também, porque até delas a gente sempre tira algo de bom.

Consideras que atingiste os teus objectivos quando criaste o blogue?

Sim, na verdade eu não tinha nenhum grande objetivo, então para mim o Canto se superou sozinho, sou muito grata por ele, pelos amigos que fiz e por um mundo mágico que se abriu a minha frente.

Numa frase, podes dizer o que pensas sobre:

Blogoesfera – Um mundo paralelo.
O teu blogue – Um lugar para ser eu mesma.
Amizade na blogoesfera - Amigo é amigo, não importa onde esteja.
Plagio - Pura falta de criatividade.
Redes Sociais – Uma forma de integração.
O teu país – Brasil, uma terra de contrastes.

Os comentários dos teus leitores são importantes para ti? Interages com eles? Retribuis os comentários?

Muito. A gente meio que no começo pensa: “- ah eu não ligo para comentários”, mas depois que eles chegam, e se tornam fundamentais.

Eu sempre tentei responder a todos os comentários, embora ainda esteja tentando uma forma eficaz de fazê-lo, às vezes visito quem me visita, às vezes respondo no próprio comentário, às vezes um a um e às vezes de forma genérica. Não depende da vontade, mas, do tempo que tenho disponível.

Autorizas a publicação dessas declarações no meu blogue «Cova do Urso»?

Sim, com muita alegria.

Muito obrigado, Cris.

Cris - Eu que agradeço essa honra de poder estar perto de você e de seus leitores e pelo carinho que senti nessa entrevista.

13 de Dezembro de 2009

Convite para participar na entrevista em preparação ao amigo Marcelo Dalla


No passado dia 20 Maio 2009 (dois dias antes do seu aniversário), entrevistei para o 'Anel do Coração' o nosso amigo Marcelo Dalla, autor do blogue «Dalla Blog», como pode ser conferido aqui.

Passaram 7 meses dessa entrevista! Incrível, como parece ter sido ontem. Neste curto espaço de tempo o blogue do Marcelo recriou-se com novo template, atingiu a maioridade na blogosfera, explodiu de cores e criatividade, e além de ser um espaço informativo, também é formativo e ele próprio deu início a novas conteúdos artísticos, com ilustrações incríveis e muito apreciadas. Estou a recordar-me das mandalas e outras. Os seus contos concisos e cheios de humor também se tornaram leitura obrigatória. E muito mais conteúdo. Está no podium nas votações do 'Top Blog'. Transformou-se num espaço de referência, num meta-blogue com imensos seguidores, leitores e amigos.

Por estas e muitas outras razões, escolhi fazer-lhe nova entrevista, mas em moldes diferentes dos habituais. Entrevista a ser publicada em Janeiro próximo.

Este post tem o propósito de convidar os leitores a partilharem dessa entrevista, fazendo as perguntas que entenderem. Isso mesmo: será uma entrevista colectiva ao nosso amigo Marcelo Dalla.

Deixem as perguntas nos comentários, por favor, até ao próximo dia 26 de Dezembro, de modo a juntar às minhas próprias perguntas e enviar-lhe, devidamente organizadas.

Todos os bloguistas que deixarem perguntas ao Marcelo, terão a indicação do seu nome, assim como o nome do blogue e respectivo linque, na própria entrevista. [Blogar é a arte de lincar].

Seria possível passarem a palavra? Quantas mais perguntas, melhor!

O próprio Marcelo define que a missão do seu blogue é «trazer mais luz, beleza, cor, arte e alegria pro nosso mundinho necessitado disso», para além de conseguir com sucesso a junção da «arte e espiritualidade - a arte como um portal para a espiritualidade».

Espero que aceitem este convite. Muito obrigado.

Na terça-feira, dia 15 Dez, entrevista a Cris França, do «Canto de Contar Contos»

A entrevista à amiga e bloguista Cris França do blogue «Canto de Contar Contos» será publicada aqui na próxima terça-feira, 15 de Dezembro, pelas 10:00 (Brasília) - 12:00 (Portugal.

Conheça a série de entrevistas 'Anel do Coração'.


10 de Dezembro de 2009

A Invocação

Como muitos leitores sabem, hoje em dia, a nível espiritual, pratica-se bastante a «invocação». Dirigida ou não aos Mestres Ascencionados, em meios como a Fraternidade Branca ou outras, utilizando-se ilustrações como as mandalas, por exemplo, para se fazerem as afirmações.

Não é um assunto novo. É utilizado pelo menos desde os egípcios até aos nossos tempos. Também na chamada alta magia. Hoje, felizmente, é de utilização comum e massificada. Um exemplo muito conhecido de invocações: as reuniões esotéricas do Rei Artur e os seus Cavaleiros da Távola Redonda. Também conhecidas, as «reuniões» de Jesus com os seus apóstolos. Muitos, muitos exemplos, ao longo do conhecimento humano.

A invocação quer na alta magia e, actualmente, quer a nível dos Novos Tempos, também é uma forma de contactar uma força superior para obter o que se deseja, mas utiliza um fórmula mais específica que vai além da oração tradicional.

Durante uma invocação, pode-se utilizar os chamados atributos associados a essa divindade ou força, os seus nomes, cores, números, pedras, flores, incensos, ervas, metais, o seu elemento e outros objectos que possam ajudar a estabelecer contacto com a força.

Por ser mais directa e dinâmica, a invocação geralmente é mais eficaz do que a oração e parece que se obtêm resultados mais rapidamente e de forma mais positiva.

Como resultado da invocação - pensamentos ou palavras direccionadas -, o inconsciente gera grandes quantidades de energia psíquica, que é dirigida conscientemente por quem invoca, para manifestar os seus desejos no mundo material ou espiritual.

Para aqueles que já estiveram em missas católicas, repararam que há um determinado momento em que o padre levanta a hóstia e o vinho e faz uma oferenda, dizendo umas frases a preceito - isso é, claramente uma invocação. nas igrejas cristãs, os pastores fazem invocações frequentes. No budismo, as cerimónias religiosas são atravessadas por invocações muito solenes. Dei estes exemplo para desfazer possíveis preconceitos sobre o assunto.

A invocação não é um privilégio das novas espiritualidades. Já me apareceram várias pessoas nas consultas de astrologia a queixarem-se que fazem imensas invocações e a vida não muda. E interrogam-se...

Durante a invocação, visualiza-se o que se deseja obter de forma definida e nítida, para que o inconsciente receba essa imagem e a converta em realidade. É a muito antiga ideia que o nosso pensamento e as nossas palavras são co-criador da nossa realidade.

Visto que a invocação cria grandes energias inconscientes, recomendo que se visualize um círculo de luz protectora em redor da pessoa, para que as energias não se percam nem sejam corrompidas por energias negativas que possam estar fora do círculo.

Fico-me por aqui, antes que a Shin Tau e a IdoMind me chamem, com muito carinho e amizade, um nome que eu cá sei.

Deu-me muito prazer escrver este texto. Passem bem.

8 de Dezembro de 2009

Hoje estou no «Canto de Contar Contos», da Cris França


«Tudo começou porque os perus estavam muito preocupados
com a época natalícia...»


Hoje estou no belíssimo blogue da Cris França,
«Canto de Contar Contos»
que está a comemorar, de forma original, o seu 1º aniversário,
publicando contos dos seus amigos.

Clique aqui.

Muito obrigado, Cris, por seres a pessoa maravilh
osa que és.


Clicar aqui para aceder à fábula.

Lamento, mas os comentários estão fechados.
Se assim o entenderem, deixem no
«Canto de Contar Contos».

Aproveito para informar que a Cris França estará aqui,
na próxima terça-feira, 15 de Dezembro, pelas 10:00 (Brasília) -
12:00 (Portugal), na sua entrevista 'Anel do Coração'.


7 de Dezembro de 2009

Breve análise astrológica da Cimeira de Copenhaga 2009



Doze anos depois do Protocolo de Quioto, em 1997, começa esta segunda-feira, dia 7 Dezembro 2009, em Copenhaga, a Cimeira do Clima que vai tentar chegar a um acordo sobre este tema de primeira grandeza para o planeta e todos os seres viventes. Até 18 de Dezembro, representantes de 192 nações vão tentar tentar definir as bases de um novo acordo climático que permita reduzir as emissões poluentes, assim como aprovar o texto de um acordo legalmente vinculativo que concretize os objectivos necessários para assegurar que o aquecimento global não será superior a dois graus centígrados em relação à era pré-industrial. Mais de 100 chefes de Estado e de Governo, 15 mil delegados e o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, vão discutir nos próximos 11 dias o aquecimento global. Já antes tínhamos comentado o assunto - clicar nos números: 1 - 2.
As autoridades de segurança dinamarquesas aguardam que dezenas de milhares de pessoas de todo o mundo estejam em Copenhaga com o objectivo de pressionar líderes como Barack Obama (EUA), Lula da Silva (Brasil), Wen Jiabao (China) ou Manmohan Singh (Índia) a chegar a um acordo que substitua o protocolo de Quioto após Dezembro de 2012. São países enormes que, pelas mais variadas razões, muito têm contribuído para a actual situação do planeta. Com a maior justiça, deveríamos incluir aqui a Europa, enquanto região do planeta que também tem contribuído para o desastre em que vivemos.


Clicar para aumentar o mapa do evento.

Olhando para o mapa do evento, percebemos imediatamente haver uma circunstância restritiva: Saturno e Plutão estão em desarmonia, numa quadratura próxima. Na prática, significa que essa coisa invisível chamada «poder» [Plutão] está em conflito com o Senhor das Restrições, do Tempo e da Sabedoria [Saturno].

O poder a que me refiro é muito amplo. Tanto representa os governos e instituições presentes, como o «poder» das indústrias poluidoras, assim, como todo aquele poder sombrio que comanda o mundo. É muito «poder» junto. Um exemplo: a floresta da Amazónia, pulmão do planeta. O Brasil é o país detentor deste poder, o de controlar que esta região do globo se mantenha incólume. Mas não consegue porque há outros poderes instalados subrepticiamente que são muito mais poderosos que qualquer governo. E assim, assiste-se ao desaparecimento de uma parte considerável da Amazónia, tão necessária ao nosso planeta e à sua humanidade. Portanto, é bom que se faça pressão sobre o governo brasileiro, mas também temos que perceber que sem uma acção concertada a nível internacional, não vai conseguir resolver grande coisa, pois os interesses instalados são multinacionais e com tentáculos bem longos e muito, muito sombrios. É deste género de poder que falo. O poder não cristalino. O poder sombra.

Esta quadratura de Saturno e Plutão não permitirá que se cheguem a conclusões verdadeiramente importantes, ou às que chegarem, não serão implementadas com facilidade. A China e a Índia são exemplo disso. Não querem aderir com abertura. Simplesmente isso. Porquê? Chama-se «dinheiro sombrio». Deduzam como entenderem, por favor, na vossa interpretação.

Obviamente, ninguém me escuta, mas dou a sugestão de aproveitarem os meses de Junho e Julho de 2010 para concluírem o que agora não for possível. É apenas uma dica. Caso contrário, o acordo «real» terá que ficar para 2011. É muito tempo, pois o Protocolo de Quioto termina em 2012 e o planeta e nós, não podemos esperar tanto tempo.

Haverá uma dinâmica impressionante nesta cimeira. Nunca tanto a alta tecnologia informativa e de comunicação estará em alta numa cimeira como esta. O mundo está de olhos postos. O mesmo Plutão [«poder»] está em conjunção exacta com Mercúrio [comunicação] e isto serve para ambos os lados: para o poder instalado fazer-se ouvir e para os povos que sofrem com as mudanças opostas também se poderem pronunciar e darem a conhecer a sua indignação e necessidades.

Será uma Cimeira poderosa, absolutamente necessária para todo o planeta. Não pode ser deixada de lado. Nada pode ficar por se realizar. A 'agenda' do planeta é esta. A 'agenda' dos governos e partidos da oposição deveria ser a mesma. Mas não é. Têm sempre outros planos!

Olhemos agora para as «esperanças» da cimeira, representadas pelos planetas benéficos: Júpiter e Vénus. Fiquei impressionado quando constatei que Vénus está peregrina [não faz aspectos aos restantes planetas]. Como se comandasse o evento em si; como se deixasse a maior impressão digital a esta cimeira de suprema importância. Como se deixasse esta mensagem: o amor ao planeta superará tudo o resto.

Esta conclusão deixou-me impressionado. É uma questão de tempo - muito tempo -, mas os valores benéficos de Vénus irão sobrepor-se ao dramatismo dos planetas maléficos.

Quanto ao outro benéfico, Júpiter [o Senhor das Leis] faz dois aspectos muito tensos a outros planetas: oposição à Lua [questões emocionais], oposição a Marte [o Senhor das Energias], implicando demoras na aplicação das resoluções da Cimeira de Copenhaga. No entanto, está em situação harmónica com Úrano [o inesperado, as tecnologias, os 'muitos'], Neptuno ['o sonho comanda a vida' / A. Gedeão], Quíron [a frustração da humanidade]. Virão por aí, talvez em 2010, boas notícias para o futuro deste planeta.

Como avisei que era uma 'breve análise astrológica', fico-me por aqui. Quem quiser que deixe aqui a sua contribuição que colocarei nesta página.


Boa Cimeira de Copenhaga! Eu voto no planeta.


Recordando o «Vota Planeta»[5m 35s]:




********************

Passaram para a parte principal do post os comentários astrológicos mais específicos. Aqui ficam:

Marcelo Dalla, do «Dalla Blog»

«Vale lembrar que com a grande conjunção entre Jupiter, Queiron e Netuno temos um bom período para o diálogo e o entendimento e entre os países e para que se busque a regeneração do verdadeiro papel da política. tudo de bom e de ruim ficar cada vez mais claro... a verdade deve vir à tona para CURAR.

Vamos torcer pra que essa quadratura Saturno-Plutão não se sustente perante tudo isso.»

Sônia Beth, do «Astros e Estrelas»

«Antonio, eu não me aprofundei em pesquisa mas estou propensa a considerar que Mudanças Climáticas tem a ver com a conjunção Saturno/Plutão que aconteceu em 07/11/82 a 27 º de Libra.»

Patrícia Azenha, do «Princesa Esquimó»

«Assim com pouco tempo parece-me que todos estão muito interessados nesta cimeira, Mercúrio e Lua estão ligados ao ascendente de forma favorável mas agarrados ao poder, ambos estão conjuntos a planetas de força Plutão e Marte, e o poder ligado a quê? Os recursos, os "meus" e os "teus" recursos financeiros, casa II e casa VIII, onde estão os actores todos em fila indiana, o que é meu e o que é teu é que está em jogo, oposições e quadraturas indicando confrontos, atrasos, complicações, uns perdem outros ganham e a pobre Vénus cheia de optimismo e idealismo (disposta por Júpiter ), regente da casa IX dos ideais, da casa IV dos recursos naturais, da terra e da casa V das representações e embaixadas, mas tão só na casa IX das esperanças :(.
Só nos resta mesmo ter esperança.»

Elias Mendes, do «Elias Mendes Astrologia»

«O regente do mapa é Júpiter em aquário, e a lua está fora de curso (caso consideremos somente o septanário) ou em oposição EXATA a netuno ...sabe, essa conjuntura, de ascendente em sagitário(expectativas), sol na 12 (intenções ou motivações ocultas), Jupiter conjunto a netuno oposto a lua (povo) me passa a idéia de que este evento não da em nada, vai ser difícil haver acordo (saturno em quadratura com plutão? ) ou então os acordos firmados serão de "fachada", ou o evento em si é algo de "fachada", para iludir as pessoas, uma ilusão no maior estilo Jupiter / Netuno ...

Sempre achei que o terror que existe hoje em dia em torno do aquecimento global não é real, é uma criação. problemas existem, mas o medo e o clima apocalíptico criado em torno desses problemas , isso sim me parece ilusivo, o lado negro de netuno em aquário, o delírio das massas. Foram essas autoridades e esse poder sombrio que você tão bem ilustrou que criaram esse problema, e acredito que estes eventos de discussão em torno do que está acontecendo no planeta envolvendo líderes nacionais é também criado como conseqüência,a impressão que tenho é que temos um vilão forjado, que vestido de mocinho irá fingir que salvará o planeta de um perigo que na verdade NUNCA EXISTIU. O verdadeiro vilão está nas sombras e ele tem tanto poder que nós jamais conheceremos sua identidade. O Sol, a grande força centralizadora, aquilo que efetivamente representa poder na astrologia tradicional, está na 12!»


Maria Paula Ribeiro, do «BandarraVet»


Não sei porque o fiz neste mapa mas interessei-me pela sua cruz: MC/FC Escorpião/Touro (Fixa); AS/FC Sagitário/Gémeos (Mutável). Sabemos que signos fixos são resistentes à mudança; são conservadores. Para mim prevejo grandes entraves, dificuldades por parte de vários governantes a mudarem os seus sistemas de desenvolvimento económicos.

MC regido por Plutão, dispositor de Saturno e angular na 1ª casa: sem dúvidas que o poder burocrático e político em forte evidência. Plutão é forte neste posicionamento, e mais ainda conjunto a Mercúrio onde estes dois planetas pouco têm em comum: Mercúrio traz a superficialidade, comunicação e relações; Plutão gosta de profundezas, metamorfoses, daquilo que se prepara em segredo. Ambos serão sem dúvidas os motores de reflexão de consciência da cimeira, uma consciência voltada para a regeneração. Faço um pequeno alerta que me chamou muito a atenção: Mercúrio rege os pulmões e o sistema nervoso, entre outros… Plutão irá regenerar… Será que iremos ter um planeta a respirar melhor? Assim o espero…

Vemos a Lua na 8ª casa, confirmando o carácter da cimeira, de trabalhar para os outros (nós próprios); de ajudar, de curar, de concertar o que os outros (nós próprios) fizeram.

Marte na 8ª casa (dinheiro), em Leão: excelente posicionamento para organização e liderança e a verificar-se o eixo 2-8 (eixo financeiro) podemos confirmar uma ênfase financeira de suma importância, onde a necessidade de grandes investimentos a serem levados em prática para dar lugar a um melhor desenvolvimento das populações mas de uma forma sustentável; uma necessidade de investimento com recurso às novas tecnologias que possam permitir explorar de forma cuidada, os bens primários (ex: energia eólica; solar; hídricas).

Seguindo também o teu raciocínio, em relação ao “poder sombrio”, poder servir o dinheiro de catapulta para resistir as invasões e invasores sombrios e travar os caminhos mais obscuros e poluidores.

Lua em conjunção a Marte: não será uma cimeira amena; serão esperadas fortes emoções, posso arriscar um pouco a palavra “ao rubro”, discussões acesas (reforçada aqui pela oposição à Júpiter, como já referistes), mas que por outro lado vejo uma cimeira que tem potencial para lutar com bravura e firmeza e levar a bom porto várias negociações e defesas de diversas causas.

Stellium na casa 2 (a segurança entre outros valores) em Aquário, com Júpiter (O senhor das Leis); Neptuno, (o visionário) e Quíron (o curador), todos dispositores de Úrano, ele próprio co-regente da casa 2, peregrino e em recepção mútua com Neptuno, com toda a certeza terá uma postura proeminente nesta cimeira, como tu referiste, “o inesperado; as tecnologias, os muitos”.

Será de esperar desta cimeira, elaborações de leis/diplomas que asseguram a cura do nosso planeta no futuro, onde provavelmente passará por inovações e novas tecnologias… assim o espero.

linkwithin cova

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
«A vida é o que te vai sucedendo, enquanto te empenhas a fazer outros planos.»
Professor Agostinho da Silva

Visitas ao blogue

Receba os artigos por email

Este blog possui atualmente:
Comentários em Posts!
Muito obrigado

Estamos no Google+

Google+ Badge

Para si, leitor

Caro leitor, tem muito por onde escolher. Sinta-se bem neste blogue. Pode copiar os textos que entender para seu uso pessoal, para estudar, para crescer interiormente e para ser feliz. Considere-me como estando do seu lado. No entanto, se é para reproduzir em outro blogue ou website, no mínimo, tenha a delicadeza de indicar que o texto é do «Cova do Urso» e, como tal, usar o respectivo link, este: http://cova-do-urso.blogspot.pt/ - São as regras da mais elementar cortesia na internet. E não é porque eu esteja apegado aos textos, pois no momento em que são publicados, vão para o universo. Mas, porque o meu blogue, o «Cova do Urso» merece ser divulgado. Porquê? Porque é um dos melhores do género, em língua portuguesa (no mínimo) e merece essa atenção.


ASPAS

Clique no logótipo para
aceder ao site.
Clique aqui para ir ao blogue.

SAPO ASTRAL

Love Cova do Urso

Image and video hosting by TinyPic

Beloved bloggers

Image and video hosting by TinyPic

Lista de Blogues

Slow Blog

Clique aqui para saber o que é o «Slow Blog», apresentado por Luma Moraes, no seu excelente blogue «Luz de Luma, Yes Party». O 'Cova do Urso' está a entrar neste processo de abrandamento de postagens.

Subscrever por aqui

Pode clicar neste contador azul, para subscrever os nossos posts.

Ilha de Moçambique

Loading...

O Cova do Urso no 'NetworkedBlogs' dentro do Facebook

.

Mapa natal do 'Cova do Urso'


Get your own free Blogoversary button!

O «Cova do Urso» nasceu a 22-11-2007, às 21:34, em Queluz, Portugal.

1º post do blogue, clicar aqui.

Blog Archive

Patagónia, Argentina

Textos de António Rosa. Tecnologia do Blogger.

Copyright do blogue

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License
Os textos daqui são (maioritariamente) do autor do blogue. Caso haja uso indevido de imagens, promoverei as correcções, se disso for informado, bastando escrever-me para o meu email: covadourso@gmail.com -
Copyright © António Rosa, 2007-2014
 
Blogger Templates